Corinthians engata a quarta vitória consecutiva e vai às oitavas da Sul-americana; Carille, 150 jogos

(Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)
Urso abriu o caminho do triunfo na Venezuela

Mesmo sem apresentar um bom espetáculo, tanto que o goleiro Cássio foi um dos destaques da equipe, realizando três grandes defesas, o Corinthians superou o Deportivo Lara por 2 a 0, no estádio Metropolitano de Lara, na Venezuela, e carimbou a classificação para as oitavas de final da Copa Sul-americana.

A equipe repetiu o placar do primeiro jogo, realizado no Itaquerão, minha casa minha vida. Júnior Urso e Sornoza marcaram os gols. Nas oitavas, o Corinthians enfrenta o  Wanderers,  do Uruguai.

Pela primeira vez nesta temporada, o tricampeão paulista engatou quatro vitórias consecutivas – duas sobre o Deportivo, uma diante do Furacão (2 a 0) e outra sobre o soberano Tricolor (1 a 0). Marcou sete gols e não tomou nenhum.

Já o ‘professor’ Fabio Carille completou 150 jogos na casamata corintiana. Acumula 75 triunfos, 44 empates e 31 derrotas. Em 23 mata-matas, o treinador ‘enterrou’ o adversário nada menos que 21 vezes. Aproveitamento superior a 91%. Nos clássicos paulistas, Carille soma 17 triunfos em 27 embates contra Palmeiras, Tricolor e Peixe. Empatou seis e dançou em quatro.

O Deportivo Lara começou a partida em ritmo de Fórmula 1. Em apenas sete minutos, Yriarte e Centeno desperdiçaram boas chances. Aos poucos, o Corinthians foi se ajeitando, abandonando a excessiva preocupação defensiva diante de um adversário limitado tecnicamente.

Quando passou a ficar mais tempo com a bola, o Corinthians apertou os venezuelanos e abriu o placar. Aos 32 minutos, Jadson cobrou falta pela direita, Júnior Urso apareceu entre os zagueiros e desviou de coxa. Uma ducha de água fria no entusiasmo dos venezuelanos.

Depois do intervalo, o Corinthians voltou com apetite e poderia ter ampliado o marcador. Mas parou nas luvas do goleiro Salazar, após cabeçada de Vagner Love e finalização de letra de Júnior Urso.

Aos nove, Fagner fez boa jogada pela direita e cruzou para Sornoza estufar a rede. Primeiro gol do equatoriano pelo Corinthians. Na sequência, Sornoza carimbou a trave. Gustagol, que havia entrado no lugar de Clayson (mal), também teve boa chance, mas cabeceou para fora.

Com 2 a 0 no placar, o Corinthians pisou no freio. O Deportivo cresceu e Carrillo exigiu ótima defesa de Cássio nos minutos finais. Além do goleiro, Fagner, Júnior Urso e Jadson, de volta ao time titular, foram os melhores do Corinthians.

O próximo duelo dos paulistas será apenas na terça-feira, contra o Flamengo, no ‘new’ Maraca, pela Copa do Brasil. Vale vaga às quartas de final. O Corinthians precisa vencer pelo menos por um gol de diferença para decidir a classificação. O time carioca ganhou por 1 a 0, no Itaquerão.

Pela Copa do Brasil, o milionário Palmeiras passou fácil pelo Sampaio Corrêa. Sem forçar o ritmo e com vários reservas, o Palestra ganhou por 2 a 0, gols de Mayke e Zé Rafael (foto), na mansão Allianz Parque (26.880 espectadores/R$ 1.418.218,35).

Com o triunfo, os periquitos em revista se classificaram às quartas de final. No primeiro jogo, em São Luís, o time Paulista já havia vencido por 1 a 0. O adversário da próxima será conhecido por sorteio.

O Palmeiras completou oito partidas em casa sem sofrer gol, a maior sequência da equipe desde a reinauguração do estádio, em novembro de 2014. Na temporada, o time do ‘sargento’ Felipão foi vazado apenas oito vezes em 30 duelos.

A equipe palmeirense dominou o Sampaio Corrêa, time da série C, desde o início. Controlou as ações com tranquilidade. Mas só marcou aos 38, depois de perder boas oportunidades. Dudu recebeu de Lucas Lima, deu um toque de calcanhar para Mayke completar com eficiência.

Aos 3 do segundo tempo, o Palmeiras fez 2 a 0. Após lançamento de Moisés, Mayke cruzou e Zé Rafael, sozinho, cabeceou para o gol. O Sampaio Corrêa foi a nocaute. Daí em diante, o Palestra levou o jogo em banho-maria até o final.

Autor do segundo gol, Zé Rafael comemora com Mayke

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Censura, o abominável golpe dos covardes.

Muy amigo. O hermano Maxi Lopes topou fazer uma rescisão contratual amigável… desde que o Vasco lhe pague R$ 3 milhões e uns quebrados – salários atrasados e outras pendências financeiras. Os meias Wagner e Thiago Galhardo, além do atacante Rildo, também processam o Vasco. No balanço dos números, total de R$ 15 milhões.

Zé Corneta. Troca importante na telinha: sai a tradicional mesa-redonda e entra o picadeiro. Vale tudo por um pingo seco de audiência. A palhaçada está insuportável.

Trabalho escravo. É fato: uma vez cartola, sempre cartola. Na pátria das chuteiras furadas, no Velho Continente ou na paradisíaca Faixa de Gaza. Só muda a intensidade do miado do gato. Que o diga um anúncio da bilionária Uefa! A nobre casa que abriga os engravatados de colarinho branco da bola europeia convocou 200 bailarinos para abrilhantar a cerimônia da final da Champions, entre Liverpool e Tottenham, em 1º de junho, mas teriam de abrir mão do cachê. Ou seja, trabalhar como ‘voluntário’, de graça. Velho golpe usado em competições como Copa do Mundo e Olimpíada.

Trabalho escravo 2. Obviamente, revolta geral na classe “pelo atentado à dignidade e aos direitos dos artistas cênicos, um insulto à dignidade dos trabalhadores”. No tilintar safado das moedas: a Uefa apresentou orçamento de 2,8 bilhões de euros (R$ 12,4 bi) no balanço de 2017/18; Liverpool e Tottenham ganharão 15 milhões de euros (R$ 65 mi) pela classificação às finais; ao todo, serão distribuídos 2 bilhões de euros (R$ 9 bi) em premiações. Já aos bailarinos, uma solene banana!

Dona Fifi. Mesmo após uma temporada mais fraca que leite C, o lateral-esquerdo Marcelo, do Real Madrid, é o garoto-propaganda da linha de sandálias Kenner M12.

Campo minado. Nada é impossível no ludopédio nacional – talvez só mesmo os times voltarem a jogar bola. No embate Operário-PR 2 x 1 Sport, pela série B, o jogo corria solto quando sua senhoria, o assoprador de latinha Rodrigo Nunes de Sá, paralisou o duelo aos 44 do primeiro tempo. Motivo: um enorme buraco no gramado do estádio Germano Krüger. Ele só reiniciou a partida depois que funcionários do time paranaense despejaram um balde de areia na cova.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). São Paulo é eliminado da Copa do Brasil e surpreende um total de zero pessoas.

Chamariz. Os espanhóis vibram com a decisão da Champions neste fim de semana em Madri. Eles acreditam que o impacto econômico do confronto Tottenham x Liverpool será de 63 milhões de euros (R$ 278 milhões). O jogo deve ser transmitido para 200 países (350 milhões de espectadores). Madri receberá a final pela quarta vez. Nas casas de apostas, o Tottenham é zebra: paga 3,9 euros para cada um investido. O Liverpool paga dois por um.

Zapping. O ‘menino’ Neymar divide a mídia: no SporTV, aplausos por falta após rolinho de juvenil no treino da amarelinha desbotada; na ESPN Brasil, bordoadas pela atitude.

Gilete press. De Diogo Dantas, no Globo: “Cinco meses. É o tempo da passagem de Abel Braga pelo Flamengo. O presidente Rodolfo Landim inaugura seu mandato mantendo a média de troca de treinador de seu antecessor, Eduardo Bandeira de Mello. A gestão anterior foi a que efetuou mais trocas de técnicos neste século, com 18 mudanças de comando em seis temporadas, contra as 16 promovidas por Márcio Braga.” Um exemplo de profissionalismo.

Tititi d’Aline. Eleito um dos melhores jogadores da temporada, o turco Giannis Antetokounmpo, fera do Milwaukee Bucks, pode entrar para a história como primeiro atleta a faturar US$ 247 milhões (R$ 1 bilhão) em cinco temporadas na NBA.

Você sabia que… o ex-são-paulino Lucas Moura, do Tottenham, é apenas o 11º favorito a marcar um gol na decisão da Champions, contra o Liverpool, pagando quatro euros para cada um apostado?

Bola de ouro. Rogério Ceni. Três canecos no comando do Fortaleza em apenas 18 vezes: Brasileiro da série B em 2018, Campeonato Cearense/19 e Copa do Nordeste. Desprezado pelo soberano São Paulo, mais precisamente por CA de Barros e Silva, o carismático Leco, Rogério Ceni revolucionou o Tricolor de Aço.

Bola de latão. Mestre Cuca. É competente, mas vive inferno astral no soberano São Paulo. Escala mal, mexe errado e já coleciona uma enxurrada de críticas de torcedores e conselheiros. Como desgraça pouca é bobagem, mestre Cuca jogou mais gasolina na fogueira ao anunciar vassourada no elenco após a eliminação da Copa do Brasil.

Bola de lixo. São Paulo. Segunda derrota para o Bahêa e mais um vexame na longa lista de fracassos: 22ª eliminação em mata-matas desde 2012. Sem lenço e sem documento, só resta ao soberano participar do Brasileirão como mero coadjuvante. A temporada acabou.

Bola sete. “O São Paulo é um grande balcão negócios. Só quer saber de comprar e vender. Não está nem aí para a torcida. A incompetência é geral” (do comentarista Flavio Prado, na Jovem Pan – é veto).

Dúvida pertinente. Dá para a torcida aguentar CA de Barros e Silva, o dadivoso Leco, no trono tricolor até dezembro de 2020?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br 

Anúncios

Bora Bahêa! Que se exploda o soberano São Paulo, eliminado pela 22ª vez em um mata-mata desde 2012

Ernando comemora o gol da vitória do Bahia
Ernando ‘matou’ o Tricolor na Copa do Brasil

Estava na cara e no bico da chuteira: o eficiente Bahêa do ‘professor’ Roger Machado derrotou o soberano Tricolor por 1 a 0, em uma enlouquecida Fonte Nova (36.016 pagantes/R$ 995.799), e carimbou a vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. Ao São Paulo, agora, só resta o Brasileirão.

Em três embates contra os baianos, o time paulista se mostrou incompetente para marcar um mísero gol. Perdeu duas vezes por 1 a 0, pela Copa do Brasil, e ficou no ‘oxo’ pelo Brasileirão. Na verdade, completou 360 minutos sem balançar a rede, já que também levou bucha do Corinthians (1 a 0) pelo nacional.

O Tricolor ‘morreu’ pela 22ª vez em mata-matas desde dezembro de 2012, quando levantou a Sul-americana. Dançou em duelos eliminatórios pelo Paulistinha, Copa do Brasil, Sul-americana, Libertadores e Recopa. Só neste ano, ouviu três vezes a marcha fúnebre – Corinthians no estadual, Talleres na pré-Libertadores e Bahêa.

Em 2019, o time baiano está deitando e rolando no acarajé como mandante. Acumula 11 triunfos, três empates e três derrotas. O último fracasso em casa aconteceu em 13 de março: Sergipe, 1 a 0, pela Copa do Nordeste. Na contramão, o São Paulo soma cinco vitórias, dois empates e sete pauladas como visitante.

Apesar de o São Paulo necessitar de uma vitória por dois gols de diferença para se classificar, mestre Cuca surpreendeu: sacou Alexandre Pato e colocou Helinho na direita, com Toró pelo meio e Everton na esquerda. O ataque continuou improdutivo como em outros jogos.

Bem armada pelo ‘professor’ Roger Machado, a equipe baiana neutralizou o Tricolor e tentou explorar a velocidade na troca de passes. Mesmo mais equilibrado em campo, o Bahêa não incomodou muito o goleiro Tiago Volpi.

Em nenhum momento a torcida chegou a soltar o tradicional ‘uhhhh’. Já o São Paulo teve a melhor (e única) oportunidade aos 35 minutos. Helinho aproveitou uma sobra na entrada da área e mandou um petardo no travessão.

Pato voltou como titular do vestiário. Saiu Everton. E, mais ousado, o time partiu para a pressão. O Bahêa não se abalou. Bem fechado, só esperou a hora para nocautear os são-paulinos no contra-ataque.

Ela veio mais cedo do que se esperava. Aos 8, após Toró ser desarmado e Arboleda perder uma dividida, Artur atacou em velocidade e tocou para Ernando. O zagueiro invadiu a área pela esquerda e bateu na saída de Tiago Volpi: 1 a 0.

Desesperado, mestre Cuca tirou Hudson e colocou Igor Gomes. Nada mudou. O Tricolor ficou no tico-tico sem fubá. Roda pra cá, vira pra lá, um cruzamento… e o empate cada vez mais utópico. Aos 17, terceira modificação: Helinho por Nenê.

Atordoado, o Tricolor se tornou uma presa fácil. O Bahêa também fez três alterações: Élber por Arthur Caíke, Douglas por Flávio e Gilberto por Fernandão. Senhor dos anéis, o time baiano continuou superior, à espera apenas do apito final para festejar a vaga nas quartas de final.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Copa América, apenas um penduricalho para atrapalhar ainda mais o já complicado futebol brasileiro.

Abelão pega boné. A chapa ficou muito quente e o ‘professor’ Abel Braga jogou a toalha no ninho do Urubu. Cansou de ouvir desaforos da torcida. Sentiu ainda que a cartolagem não lhe dava apoio e achou melhor limpar o armário no Rubro-negro. Abelão retornou ao clube no início deste ano, após passagem em 2004. Dirigiu o Flamengo em 32 partidas, colecionando 19 vitórias, oito empates e cinco sapatadas. A equipe marcou 59 gols e tomou 29. O treinador faturou a Flórida Cup, mais conhecida como Copa Mickey, a Taça Rio e o Carioquinha. Classificou o time às oitavas de final da Libertadores e derrotou o Corinthians (1 a 0) no primeiro jogo das oitavas da Copa do Brasil. O Flamengo está em sexto no Brasileirão, com 10 pontos. O português Jorge Jesus é o preferido da diretoria para substituí-lo.

Abelão pega boné 2. Depois de pedir demissão, o ‘professor’ desceu a borduna nos cartolas do Flamengo. Em comunicado, Abelão culpou o presidente Rodolfo Landim, seus pares e ímpares por sua saída do Urubu. “Jamais estive preparado para covardias e articulações. O que não suporto é traição. Eu me senti sem respaldo, isolado em certo momento. O que posso afirmar é que o Flamengo é muito maior do que tudo isso”, desabafou o treinador. Que subiu nas tamancas ao saber que Landim e amigos haviam procurado Jorge Jesus.

Zé Corneta. O inútil prefeito da Cidade Maravilhosa das balas voadoras, Marcelo Crivella, é um verdadeiro representante do stand-up do diabo, apesar de ser evangélico: ‘Acho que vou mudar o nome da ciclovia [Tim Maia] para Vasco da Gama, porque aquilo lá vive caindo.’ Ridículo.

Sugismundo Freud. Só se dá valor a água depois que a fonte seca.

Palmeiras ‘perde’ pontos. O glorioso Superior Tribunal de Justiça Desportiva resolveu cortar as asas do Periquito e mandou o Circo Brasileiro de Futebol sacar três pontos do Palestra até que seja julgado o recurso do Botafogo – pede a anulação do jogo contra o time paulista por falha na utilização do VAR. Os cariocas não reclamam do pênalti que deu a vitória aos paulistas, mas da paralisação para a análise do lance, já que a partida havia sido reiniciada. Apesar do golpe no ‘tapetão’, o Palmeiras ainda lidera o Brasileirão com 13 pontos, um à frente do Galo. Por enquanto.

Caiu na rede. Pelo voo do Urubu, cheio de turbulências, nem cheirinho vai sobrar para fazer história.

É campeão. O Chelsea deixou o Arsenal de quatro e faturou pela segunda vez a Liga Europa – a primeira foi em 2013. Os ‘Blues’ dominaram o coirmão inglês desde o início, mas só correram para o abraço no segundo tempo. O francês Giroud, o belga Hazard (dois) e o espanhol Pedro detonaram o Arsenal, que descontou com Iwobi. O jogo marcou a despedida do goleiro Petr Cech, 37 anos. Ele foi ídolo do Chelsea, onde ganhou a Champions de 2012, e depois se transferiu para o Arsenal. A conquista em Baku, no Azerbaijão, salvou a temporada do time do ‘professor’ Maurizio Sarri. Hazard, o grande destaque do Chelsea, deve ser contratado pelo Real Madrid.

Zapping. Campeã mundial em 1959, a seleção brasileira masculina de basquete será homenageada no próximo sábado. A ESPN mostrará, às 16h30, o documentário ‘Diamantes Eternos’, dirigido pelo competente jornalista José Renato Ambrósio.

Recado do ‘pofexô’. Dois jogos e dois empates foram suficientes para o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo mandar um agradável torpedo à torcida do Vasco, lanterna do Brasileirão: nada de brigar pelo título ou por vaga na Libertadores. Deve agradecer de joelhos se o time escapar do rebaixamento. O ‘pojeto’ já será vitorioso se o Vasco “reconquistar a credibilidade e o respeito dos adversários, manter-se na primeira divisão”.

Gilete press. De Jamil Chade, no Uol: “Se o futebol europeu fosse um país, ele seria mais rico que quase cem economias do mundo e representaria o 98º PIB do planeta. Hoje, países como Senegal, Zimbábue, Honduras, Bósnia, Jamaica, Moçambique Mongólia e tantos outros contam com uma economia inferior ao que o mercado da bola gera em um ano. Dados divulgados pela consultoria Deloitte revelam que o futebol europeu atingiu em 2018 um total inédito de 28,4 bilhões de euros (R$ 125 bilhões) em receitas.” Que pobreza!

Tititi d’Aline. O Palmeiras está lançando o programa sócio-torcedor para quem mora fora de São Paulo. Por R$ 9,99, dá descontos na loja online do clube, acesso à TV Palmeiras Play e revista digital, além de participar da pré-venda de ingressos para jogos do time como mandante. Mas as entradas não têm descontos como em outros programas de sócio-torcedor.

Você sabia que… o preço dos ingressos para Deportivo Lara x Corinthians, nesta quinta, na Venezuela, custa entre R$ 3,60 e R$ 42?

Bola de ouro. ‘São Victor’. Garantiu a classificação do Galo às oitavas de final da Sul-americana. Na decisão por pênaltis, após vitória dos mineiros por 1 a 0 no tempo normal, o goleiro defendeu três cobranças do Unión La Calera, do Chile. Ao avançar de fase, o Galo vai beliscar um cachê de R$ 2 milhões.

Bola de latão. Superbike. Após duas mortes em três corridas da categoria, a prefeitura de São Paulo suspendeu as provas de motos em Interlagos por dois meses. Honda, Yamaha e Kawasaki já haviam retirado apoio ao campeonato por falta de segurança. Maurício Paludete e Danilo Berto sofreram acidentes fatais no autódromo.

Bola de lixo. Raposa. Sem moral dentro e principalmente fora de campo. O pão de queijo embolorou envolvido por denúncias de falsificação de documento, pagamentos superfaturados e lavagem de dinheiro.

Bola sete. “Jorge Jesus pediu [ao Flamengo] quatro milhões de euros por temporada, ou seja, R$ 17,8 milhões. Isso equivale a quase R$ 1,5 milhão por mês. Abel recebia aproximadamente um terço do valor” (de Jorge Nicola, no Yahoo – merece?).

Dúvida pertinente. Só Jesus salva o Flamengo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Fifagate, ano 4: Brasil continua protegendo os seus dirigentes corruptos

Resultado de imagem para fotos romario

Por Romário, na Folha

Quatro anos é um período simbólico para o futebol mundial. Afinal, é com essa frequência que acontece a sua principal competição, a Copa do Mundo, evento que mobiliza todo o planeta e desperta paixão e interesse em todos nós, amantes do esporte.

Na semana em que se completa quatro anos da revelação do maior escândalo do futebol internacional, temos de encarar uma vergonhosa derrota, agora fora dos campos: nenhum dos nossos dirigentes denunciados e condenados pela Justiça dos Estados Unidos e Fifa foi, sequer, incomodado pelas autoridades judiciais brasileiras.

José Maria Marin, atualmente cumprindo pena nos EUA, é o único que paga, hoje, por seus malfeitos contra o jogo limpo. Teve o azar de ser denunciado e capturado na primeira leva de prisões solicitadas à Interpol e ao governo suíço, durante o Congresso da Fifa em Zurique. Havia acabado de sair do comando formal da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Levaria pouco tempo para os norte-americanos perceberem se tratar de uma quadrilha, onde Marin era apenas uma marionete de Marco Polo Del Nero e Ricardo Teixeira, os verdadeiros chefões do esquema criminoso que assaltava —e continua assaltando— o nosso futebol.

Investigados e denunciados nos EUA, onde certamente seriam condenados até de maneira mais dura que Marin, Teixeira e Del Nero gozam no Brasil da boa vida material que os seus crimes proporcionaram.

Entre barcos luxuosos, mansões nababescas e caros restaurantes, continuam inclusive participando e influenciando nos bastidores da CBF, como na eleição do pupilo Rogério Caboclo, ex-diretor-executivo da entidade e chefe do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014, para a sua presidência.

A despeito, portanto, de serem comprovadamente corruptos, com crimes demonstrados tanto pela Justiça dos EUA como pela CPI do Futebol do Senado, os dois chefes da quadrilha ainda continuam soltos, protegidos pelas fronteiras de nosso território e pela aparente generosidade de nossas autoridades criminais.

Marco Polo Del Nero, até o momento, sequer foi denunciado. Teixeira o foi, em 2015, em processo paralisado e apenas sobre a organização do amistoso Brasil x Portugal realizado em 2007.

No relatório paralelo que produzimos em decorrência das investigações feitas pela CPI, conseguimos demonstrar todo o “modus operandi” reinante na entidade dirigente do futebol brasileiro.

Está tudo lá, lastreado com depoimentos e documentos probatórios: compra de apoio político por meio de “mesada” para presidentes de federações estaduais, doações ilegais de campanha, esquema de propinas em contratos de patrocínio e passagens aéreas e desvios diretos de recursos do sistema de nosso futebol.

Como senador da República, presidente da CPI que investigou a CBF e ex-jogador que tanto honrou a camisa do Brasil, fico triplamente envergonhado e revoltado com essa situação. O futebol é mais que um símbolo nacional. Ele integra o nosso patrimônio público.

A tragédia que ora se abate sobre o nosso esporte número um, sobretudo em sua gestão, é fruto de décadas de desvios de recursos para o bolso de seus dirigentes, dinheiro que deveria se destinar ao seu fomento e desenvolvimento.

Já passou da hora de passarmos o nosso futebol a limpo. A impunidade de dirigentes corruptos como Del Nero e Teixeira nos envergonha diante da comunidade internacional. Todo o capital de imagem que construímos com a Operação Lava Jato, no combate à corrupção, se desvanece quando entramos na seara dos crimes ligados ao futebol.

O Fifagate foi o estalo inicial que precisávamos. O mundo inteiro finalmente tomou conhecimento da podridão que envolve os bastidores e os negócios do esporte mais popular do planeta. Mas ainda não fizemos a nossa parte, enquanto país do futebol e pentacampeões mundiais.

Já fomos os melhores em campo. Já tivemos os maiores craques. Encantamos o mundo com um jeito único e envolvente de jogar. Mas também tivemos os piores dirigentes. É hora de mudar esse jogo.

XXXXXXXXXXXX

Filho de peixe… Depois de assinar contrato com a Raposa até fevereiro de 2025, quando completará 20 anos, o filho de Ronaldinho Gaúcho, João Mendes, acertou com a Nike. O acordo foi celebrado com uma foto no Instagram do pai coruja. O moleque aparece ao lado do ex-jogador e da mãe, Janaína Mendes, ex-bailarina do ‘Domingão do Faustão’. O trio raramente pinta em um clique. João Mendes é centroavante.

Pitaco do Chucky. Vem aí o Dia dos Namorados: dê um fuzil à pessoa amada.

Apertem o cinto. Falastrão como sempre, o ‘professor’ Renato Gaúcho mandou um recado à torcida do Grêmio após a vitória sobre o Galo (1 a 0, gol de Vizeu), a primeira no Brasileirão: o imortal vai longe no campeonato, mas ainda não decolou. ‘Ainda nem fechamos a porta do avião’, avisou o comandante. Que começou a usar o verbo decolar após empatar com o Corinthians. Nesta quarta, o Grêmio encara o Juventude pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Quem vencer avança às quartas.

Zé Corneta. Por inestimáveis serviços não prestados à cidade, o impoluto mandachuva e raios do Flamengo, Rodolfo Landim, ganhou o título de cidadão benemérito do Rio.

Rosa choque. Estrela dinamarquesa do Olympique, campeão da Champions feminina, Ala Hegerberg confirma boicote ao Mundial. Um exemplo para muitos marmanjos que se acham o tal, só que se escondem no silêncio covarde do ‘não me comprometa’. Uma guerreira fantástica. Dentro e fora de campo. Ala Hegerberg, 23 anos, deu um bico na Copa por causa da desigualdade entre mulheres e homens no mundo machista do esporte bretão. Não recuou da decisão tomada há mais de um ano, quando se afastou da seleção (38 gols em 66 jogos) em protesto contra a cartolagem.

Sugismundo Freud. A tolice, mesmo bem-sucedida, não deixa de ser tolice.

Rosa choque 2. Com 255 gols em 254 partidas, em uma carreira iniciada aos 16 anos, Ala Hegerberg ergueu a bandeira da isonomia ao ganhar a Bola de Ouro em 2018, dada pela revista ‘France Football’: “A criação de um prêmio feminino é um grande passo para o esporte. Juntas, nós faremos a diferença. Faço um apelo às meninas de todo o mundo: por favor, acreditem em vocês.” A bola no Mundial da França começa a rolar em 7 de junho. A mamãe Fifa distribuirá US$ 30 milhões em prêmios, somente US$ 360 milhões a menos do que o bolo masculino da Copa da Rússia, em 2018.

Zapping. Os são-paulinos da ESPN Brasil estão em pé de guerra contra CA de Barros e Silva, Raí, Lugano e mestre Cuca. É paulada que não acaba mais.

Urubu: gol contra. O terceiro enxoval do Flamengo, na cor azul, já entrou em liquidação. O preço caiu de R$ 249,90 para R$ 149,90. Lançado em julho de 2018, o produto anda empoeirado nas prateleiras. Mais de 15 mil peças estão estocadas. A Adidas fez um apelo ao clube para utilizá-lo em mais jogos, mas o Urubu decidiu colocá-lo para escanteio. A camisa foi usada em apenas duas partidas. A opção pelo azul: homenagem às praias da Cidade Maravilhosa das balas voadoras.

Demissão. Novo homem forte do apito no Circo Brasileiro de Futebol, Leonardo Gaciba demitiu a ex-bandeirinha Ana Paula Oliveira do cargo de coordenadora da Escola Nacional de Arbitragem.

Gilete press. De Athos Moura, no Globo: “O Exército fechou parceria com o São Gonçalo para que atletas da seleção militar joguem a segunda divisão do Campeonato Carioca. Dos 24 inscritos na competição, 18 são militares. Além do emblema do clube, o uniforme terá o brasão do Exército. A camisa reserva terá ainda detalhes em verde. As cores oficias do time são azul e branco. A parceria é vista pelo Exército como pré-temporada para os militares, que logo após o fim da competição embarcam para Wuhan, na China, onde disputam os Jogos Militares.” Teste drive.

Caiu na rede. Quando uma mulher não sabe responder é porque o mar secou.

Tititi d’Aline. E o ‘professor’ Fabio Carille, hein? Convencido pelo ex-jogador Emerson ‘Bitoca’, pensa comprar um macaco como animal de estimação. Sheik possui uma macaca-prego chamada Cuta, estrela das entrevistas na casa do ex-atacante.

Você sabia que… o Vitória, com seis quedas, é o campeão de rebaixamentos à série B?

‘Bola de ouro’. São Paulo. O soberano virou apenas coadjuvante nos clássicos. Sem garra e inofensivo, atingiu 11 duelos consecutivos sem vencer Corinthians, Palmeiras e Peixe. Acumulou seis coças e cinco empates. Desde 2015, como visitante, o Tricolor levou chumbo em 22 jogos, empatou sete e ganhou apenas um.

Bola de latão. Eunice Kirwa. Medalha de prata na Rio 2016, a atleta do Bahrein tomou um gancho de quatro anos por ser flagrada no antidoping (uso de Eritropoetina). A maratonista não compete desde o Mundial de 2017, quando conquistou a sexta colocação. Como o teste foi realizado depois dos Jogos, Kirwa não perderá a medalha olímpica. de prata conquistada no Rio de Janeiro. A suspensão tem caráter provisório.

Bola de lixo. Vasco. Pediu nova autorização ao conselho para captar empréstimo de R$ 10 milhões. O clube está no buraco. Só aos jogadores e funcionários o clube deve dois meses de salários, além de dezembro e 13º de 2017. Pindaíba total!

Bola sete. “O VAR deixa o futebol mais justo? Sim. E muito mais chato, com menos contato e mais pênaltis. Não pode encostar mais, virou queimada. Esgrima. E quem é que falou que esporte precisa ser justo? O futebol, apesar de erros de arbitragem, caminhava firme e forte como o mais amado esporte do mundo” (do blogueiro Menon, no Uol – há controvérsias?)

Dúvida pertinente. É mais fácil a Avianca voltar a voar ou o soberano São Paulo ganhar no Itaquerão, minha casa minha vida?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Corinthians engata terceira vitória seguida, mantém freguesia tricolor e salta para terceiro na tabela

(Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Fagner, um dos melhores em campo, tenta marcar um gol de placa

A festa foi completa para a Fiel. A saber: Corinthians conquistou o terceiro triunfo consecutivo (dois pelo Brasileirão e um pela Sul-americana), manteve o tabu contra o soberano São Paulo e pulou para o terceiro lugar no campeonato após seis rodadas, com 11 pontos, cinco atrás do líder Palmeiras. Subiu cinco posições.

O Tricolor não vence há três jogos. Sofreu a primeira derrota no Brasileirão e caiu para a quarta posição, com 11 pontos. Perde do Corinthians no número de gols marcados, 7 a 6.

A vitória por 1 a 0, gol de Pedrinho logo no início da partida, decretou a nona coça do coirmão no Itaquerão, minha casa minha vida (39.378 pagantes/R$ 1.916.228,30), em 12 confrontos. Houve três empates.

O resultado também contribuiu para o ‘professor’ Fabio Carille aumentar sua eficiência nos clássicos. Em quatro embates contra mestre Cuca, ganhou três e empatou um.

Carille ainda coleciona 17 vitórias em 27 duelos diante de São Paulo, Peixe e Palmeiras. Apenas contra o Tricolor, são sete triunfos, quatro empates e uma derrota nas semifinais do Paulistinha/18.

Já o atacante Pato teve uma atuação apagada no reencontro com o ex-clube. Vaiado várias vezes pela Fiel, pouco fez. Começou mais centralizado e foi engolido pela marcação corintiana. No segundo tempo, aberto pela esquerda, nada conseguiu diante de Fagner, um dos melhores em campo. Quén, quén, quén…

Corinthians e Tricolor disputaram um primeiro tempo bem fraquinho, tipo leite C. Raríssimas emoções. Uma delas aconteceu logo aos seis minutos de jogo. O time corintiano atacou pela direita e Pedrinho arriscou de fora da área. A bola desviou em Arboleda e enganou o goleiro Tiago Volpi.

Os são-paulinos sentiram o golpe, mas o Corinthians não soube aproveitar para nocautear o coirmão. Que insistiu demais em centralizar as jogadas e facilitou o trabalho dos zagueiros Manoel (becão de fazenda) e Henrique.

Mais preocupado em tentar surpreender o Tricolor nos contragolpes, o Corinthians recuou, ‘entregou’ a bola ao adversário e ficou à espera de estocada mortal. Sem sucesso. No melhor lance, Júnior Urso, destaque no meio de campo, chutou de fora da área e Volpi pegou.

Cássio trabalhou apenas uma vez. Reinaldo bateu falta, o goleiro rebateu e Arboleda conclui a gol. Estava impedido.

No segundo tempo, mestre Cuca mexeu três vezes na tentativa de chegar ao empate. Sacou Everton, Vitor Bueno e Igor Vinicius, e colocou Hernanes, Helinho e Igor Gomes, respectivamente. O São Paulo continuou apático. Limitou-se a tocar a bola sem objetividade.

Muito mais ligado, o Corinthians não perdeu o domínio da partida. Carille também trocou três: Pedrinho por Mateus Vital, Clayson por Ramiro e Vagner Love por Gustagol. Que perdeu uma chance incrível na bacia das almas diante de Volpi.

Apesar de ter menos posse de bola (43% x 57%), o Corinthians mereceu a vitória. Foi mais agudo (chutou 14 vezes, contra 8 do Tricolor) e, principalmente, brigou pela bola com muito mais apetite.

Guerrero recebe a marcação de Lucas Veríssimo
Guerrero leva o Saci colorado ao ataque

À tarde, no aquário da Vila Belmiro (12.756 torcedores/R$ 479.440), Peixe e Saci ficaram no ‘oxo’. Estando bom para ambas as partes, o líder Palmeiras agradece. Com 16 pontos, abriu cinco de vantagem para o Santos e seis à frente dos gaúchos. O time gaúcho foi superior na etapa inicial, porém sem criar boas chances. A equipe paulista equilibrou na fase final, mas também sem oferecer muito perigo ao Inter.

As maiores emoções ao longo da partida ficaram por conta do VAR. No primeiro tempo, entrou em campo e anulou um gol dos gaúchos, marcado por Parede, após impedimento de Guerrero.

No final do segundo, o VAR abortou um pênalti no garoto Rodrygo, o destaque do time paulista. Após três minutos, sua senhoria, o assoprador de latinha paranaense Rodolpho Toski, voltou atrás em sua decisão. Durante a partida, Toski distribuiu 10 cartões amarelos aos atletas. Advertiu ainda os treinadores.

O Santos de Jorge Sampaoli completou três confrontos consecutivos sem vencer. Pior: fechou 270 minutos e alguns quebrados sem balançar a rede – também passou em branco contra o Furacão, pela Copa do Brasil, e na goleada do Palmeiras por 4 a 0, pelo Brasileirão.

Já o Saci de Odair Hellmann continua sem ganhar fora de casa. Com 100% no Beira-Rio, perdeu no campo do inimigo para a Chape (2 a 0) e Palmeiras (1 a 0), e agora ficou no 0 a 0 com os santistas.

Na história do Brasileirão, o Peixe goleia: 11 triunfos contra três derrotas. Aconteceram cinco empates.

Recém-contratado pelo Santos por R$ 5 milhões, o atacante Marinho assistiu ao jogo em um dos camarotes da Vila Belmiro. Ex-Grêmio, ele assinou acordo de três anos e meio com o Peixe, que liberou o zagueiro David Braz aos gaúchos.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Políticos brigam pelo poder… e o povo pela sobrevivência.

Acorda, Tite! A cada jogo que passa, o baixinho Dudu prova por a+b+o diabo a quatro que o ‘professor’ Tite comete uma imperdoável injustiça ao ignorá-lo na amarelinha desbotada. O atacante é, hoje, o melhor jogador do país. Dudu acumula nada menos que 58 gols e 65 assistências em 253 jogos com a camisa do Palestra. Só neste ano, já marcou três e atacou nove vezes de garçom em 25 duelos. Ou seja, participou de 12 dos 45 tentos do Palmeiras em 2019. Números mais que suficientes para merecer uma boquinha no escrete.

Zé Corneta. UFC aposta todas as fichas, e muito mais, em Jéssica ‘Bate-Estaca’ para recuperar o prestígio no Brasil. A porradaria está em crise.

Roda da fortuna. O ‘menino’ Neymar é o único brasileiro na seleção dos jogadores mais valiosos do planeta. O site ‘Transfermarkt’, especializado em transferências internacionais, avaliou Neymar em 180 milhões de euros (R$ 800 milhões), superado apenas por Mbappé, o mais caro do mundo, com 200 milhões de euros (R$ 885 milhões). A seleção (em euros):

Jan Oblak (ESL, Atlético de Madrid) – 80 milhões
Dani Carvajal (ESP, Real Madrid) – 60 milhões
Virgil van Dijk (HOL, Liverpool) – 75 milhões
Raphaël Varane (FRA, Real Madrid) – 80 milhões
Jordi Alba (ESP, Barcelona) – 70 milhões
Saúl Ñíguez (ESP, Atlético de Madrid) – 90 milhões
N’Golo Kanté (FRA, Chelsea) – 100 milhões
Lionel Messi (ARG, Barcelona) – 160 milhões
Kevin de Bruyne (BEL, Manchester City) – 150 milhões
Neymar (BRA, Paris Saint-Germain) – 180 milhões
Kylian Mbappé (FRA, Paris Saint-Germain) – 200 milhões

Sugismundo Freud. Quanto menor é o ego maior é o homem.

‘Extorsão’. Torcedores de Liverpool e Tottenham, finalistas da Champions, estão em pé de guerra contra a cartolagem da Uefa e dos clubes. Segundo eles, a alegria pela classificação à decisão foi substituída pela “extorsão”. O preço da passagem Londres-Madri-Londres aumentou 850% e superou os R$ 8 mil. A diária dos hotéis espanhóis gira em torno de R$ 4.800. E o preço do ingresso, R$ 2.600. O duelo será no estádio do Atlético de Madrid, com capacidade para 63.500 torcedores, em 1º de junho. Mas cada clube só receberá 17 mil bilhetes. O restante será distribuído a convidados.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Após chineses pedirem Goulart de volta, palmeirenses torcem para que o antigo time de Carlos Eduardo faça o mesmo.

Coelho no espeto. Terceira força mineira, o América é só alegria: carrega a lanterna da série B, com apenas um ponto em 15 possíveis. A última paulada: Brasil de Pelotas, 2 a 1, de virada.

Salvação chinesa. Depois de mandar o italiano Marcelo Lippi dançar a tarantela no RH em janeiro, a federação chinesa mandou um SOS ao ‘professor’: precisa arrumar uma boquinha para a seleção na Copa do Catar, em 2022. Lippi, 71 anos, foi convidado a se retirar após a equipe fracassar na Copa da Ásia. Ruim com ele, pior sem ele.

Resultado de imagem para fotos philippe coutinho

Gilete press. Do jornal espanhol As, sobre o futuro do brasileiro Philippe Coutinho (foto) no Barcelona, após a derrota na final da Copa do Rei para o Valencia: “Não pode seguir vestindo a camisa do Barcelona nem por um minuto a mais. Sua preguiça e falta de intensidade são tantas que não importa mais se tenta um chute ou um calcanhar. Sua carreira no Barcelona terminou, goste ele ou não. O crédito já acabou e está claramente em dívida.” O Marca também detonou Coutinho: “O Barça tem uma batata muito quente nas mãos: recuperar o máximo possível do que pagou e ainda achar uma equipe que lhe pague o salário de 13,5 milhões de euros.” Tchau, querido!

Zapping. A ESPN ficará na saudade: não fechou acordo com a Record para transmitir o Pan de Lima.

Tititi d’Aline. As finais da Taça das Favelas serão realizadas em 1º de junho, no Pacaembu. O torneio mobilizou mais de 40 mil jovens, segundo os organizadores. Complexo Casa Verde e Paraisópolis disputarão o título feminino, às 12 horas. Favela do 1010 e Parque Santo Antônio decidirão o caneco masculino, às 14 horas.

Você sabia que… Mbappé, 20 anos, fechou a temporada com 33 gols e se tornou o primeiro jogador francês a ser o artilheiro do campeonato nacional desde 1966?

Bola de ouro. Toronto Raptors. Varreu o Milwaukee Bucks na final da Conferência Leste. O time canadense fechou a série em 4 a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0, e decidirá o caneco da NBA contra o bicampeão Golden State Warriors. Pela primeira vez, uma equipe de fora dos Estados Unidos disputará o título. A briga pela taça do melhor basquete do planeta começou em 1947.

Bola de latão. Caio Ribeiro. O ex-jogador e comentarista da plim plim esculhambou Deyverson antes de o VAR apontar pênalti no palmeirense. Classificou o atacante de ‘cara de pau’ por simular a falta. A torcida do Palestra detonou o tricolor Caio nas redes sociais.

Bola de lixo. Roni. O ex-atacante de Fluminense, Flamengo, São Paulo e Peixe foi preso em Brasília antes da partida entre Botafogo e Palmeiras, no estádio Mané Garrincha. Daniel Vasconcelos, presidente da federação do Distrito Federal, também foi detido. Dono da empresa Roni7, que comprou o mando do jogo, o ex-jogador e o cartola são suspeitos de fraudar borderôs de jogos realizados no DF. A polícia investiga entre 15 e 20 jogos organizados pela Roni7.

Bola sete. “Estava lutando com o espírito de Niki. Sei que ele está olhando para baixo e tirando o chapéu. Tentei fazê-lo orgulhoso” (do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, após vencer o GP de Mônaco – um show de pilotagem).

Dúvida pertinente. Os Trapalhões estão no comando do Flamengo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br 

VAR entra em ação, aponta pênalti e Palmeiras mantém a liderança

Gustavo Gómez comemora gol da vitória do Palmeiras
O zagueiro Gustavo Gomez comemora o gol 

O Palmeiras do ‘sargento’ Felipão continua ‘imparável’, sobrando no Brasileirão. Na abertura da sexta rodada, superou o Botafogo por 1 a 0, no estádio Mané Garrincha (33.143 pagantes/R$ 2.320.830). Apesar de dominar a equipe carioca ao longo da partida, o Palestra precisou do VAR para chegar à vitória, permanecer na liderança e ampliar para 29 embates a invencibilidade no campeonato.

Nos últimos seis jogos com o Botafogo, o Palmeiras ganhou cinco e empatou. O time carioca continua sem vencer longe da Cidade Maravilhosa das balas uivantes.

A festa dos periquitos em revista aconteceu no segundo tempo. Aos 10 minutos, Deyverson reclamou de pênalti depois de uma dividida com Gabriel e sua senhoria, o assoprador de latinha Paulo Roberto Alves Júnior, mostrou cartão amarelo ao atacante palmeirense.

Após rever o lance no VAR, meia volta volver: anulou a advertência a Deyverson e apontou a marca da cal. Os botafoguenses ficaram uma fera, mas não adiantou. Aos 16, o zagueiro Gustavo Goméz bateu no canto direito de Gatito e marcou. Justiça no placar. Sétimo gol do paraguaio em 36 jogos pelo Palmeiras.

De acordo com o ex-juiz Salvio Spínola, comentarista de videoteipe da plim plim, Paulo Roberto acertou ao assinalar pênalti, porque “Gabriel pisou em Deyverson na disputa. Eu também marcaria”.

Com a vantagem de 1 a 0, o Palmeiras procurou atrair o Botafogo e perdeu boas chances no contra-ataque. Os cariocas praticamente não ameaçaram o goleiro Weverton. Se tivesse aproveitado as oportunidades criadas desde o início do jogo, certamente o Palestra teria conquistado a vitória por boa margem de gols.

Como mandante, o Botafogo recebeu um bom cachê (R$ 800 mil, livres) para levar o duelo ao Mané Garrincha. Perdeu o jogo e o grito nas arquibancadas, já que a galera do Palestra preencheu mais espaço. O time atuou como se estivesse em casa.

O Palmeiras agora lidera o Brasileirão com 16 pontos em 18 possíveis. Não pode ser alcançado nesta rodada. Na próxima quinta, o Palmeiras decide com o Sampaio Corrêa uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

O Botafogo segue com nove pontos, na sétima colocação do Brasileirão. A equipe carioca terminou o jogo com 11 cartões amarelos, quatro deles por causa do pênalti, e dois para quem estava no banco – o volante Gustavo Bochecha e o preparador de goleiros Flavio Tênius.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. A evolução da espécie: Jean Mota, Jean Mala, Jean Mito e Jean Perna de Pau, o retorno.

Superstar. É um pássaro? É um avião? Não, é o Super-Neymar chegando de helicóptero a Granja Comamry, o luxuoso CT da amarelinha desbotada, em Teresópolis, para o início de preparação à Copa América no Brasil, em junho. O astro do PSG desceu do ‘NJR’ (Neymar Júnior) vestido de preto e com boné. Cumprimentou algumas crianças e se mandou para a concentração. Os jogadores (oito) que se apresentaram nos dias anteriores pintaram de carro no CT. Gente fina é outra história…

Zé Corneta. Corintiano Boselli é igual a piscina: só é boa na casa dos outros, porque dá muito trabalho.

Macarrão chinês. O repentino retorno de Ricardo Goulart ao Guangzhou Evergrande provocou várias indagações. Uma delas: se o Palmeiras pagava R$ 600 mil ao jogador por mês (os chineses contribuiriam com R$ 2,4 milhões), como o clube economizará R$ 14 milhões se o atleta tinha contrato só até dezembro? E mais: por que os chineses ofereceram R$ 40 milhões por temporada (cinco) ao atacante, que se recupera de grave lesão no joelho, apenas quatro meses após o empréstimo ao Palestra?

Sugismundo Freud. Não basta bater, tem de saber apanhar.

Título no adeus. Na despedida do brasileiro Rafinha (ficou no banco), do holandês Robben e do francês Ribery, o Bayern de Munique sapecou 3 a 0 no Red Bull Leipzig e conquistou a Copa da Alemanha. Lewandowski (dois) e Coman garantiram a 19ª taça do Bayern, que também faturou a Bundesliga.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). CBF muda regulamento para ajudar Vasco: se algum jogador vascaíno se machucar e levar pontos, os mesmos serão convertidos para o clube na tabela de classificação.

Zapping. Mesmo mostrando apenas o videoteipe de Corinthians 2 x 0 Deportivo Lara, a RedeTV! cravou 3,1 pontos de audiência na grande Pauliceia dominada pela bandidagem. Cada ponto equivale a 73 mil domicílios sintonizados. A emissora deixou Band, Cultura e Gazeta na poeira.

Gilete press. Da ex-jogadora e treinadora Sissi, sobre a seleção feminina de futebol: “Como eu já conheço os bastidores, a gente sabe que há politicagem. Quando eu fazia parte da seleção, você não podia falar. Se falasse, não voltava para a seleção. Tinha de ficar calada e aceitar o que diziam para você fazer. A gente tem de engolir muita coisa para fazer parte da seleção. É uma pena.” Mordaça.

Tititi d’Aline. Enquanto a cartolagem e as autoridades dormem em berço esplêndido, o esporte vai colecionando casos de racismo. Na última quarta, imbecis atacaram no futebol e no vôlei. No triunfo do Furacão sobre o River por 1 a 0, pela Recopa, um cretino chamou o atacante Nikão de ‘macaco’. O mesmo aconteceu com Isabelle Venâncio, do Barueri, no jogo com o Sesi/Bauru, pelo Campeonato Paulista sub-17, em Bauru. Sai da rede, Brasil!

Você sabia que… Pato, somando as duas passagens, disputou 106 jogos e marcou 39 gols com a camisa do soberano Tricolor, além de dar 15 assistências?

Bola de ouro. Valencia. Derrotou o poderoso Barcelona por 2 a 1, em Sevilha, e faturou a Copa do Rei. Havia 11 anos que não dava uma volta olímpica na Espanha, mais precisamente desde 2007/08, quando ficou justamente com a Copa do Rei. O triunfo coroa a temporada do centenário do clube. O Barça brigava pelo penta. Gameiro e Rodrigo marcaram para o Valencia. Messi descontou.

Bola de latão. Saci colorado. O clube entregou a Rafael Sóbis uma camisa com o escudo de cabeça para baixo no jogo com o Paysandu. O mico foi saudado à exaustão nas redes sociais por torcedores do Inter e rivais. A partir de 2020, o Colorado trocará a Nike pela Adidas.

Bola de lixo. Max Lopes. Não aceitou ‘pojeto’ de Vanderlei Luxemburgo para perder peso e recuperar a forma. O hermano optou pela rescisão contratual. Max Lopes atuou em 38 partidas com a camisa do Vasco e marcou 11 gols.

Bola sete. “Vendemos os craques. Compramos perebas. E repassamos perebas de bacias aos clubes menores. Vamos mal, muito mal” (do blogueiro Menon, no Uol – fundo do poço).

Dúvida pertinente. Soberano São Paulo: vitória ou crise, após 10 clássicos no Itaquerão, com sete triunfos do Corinthians e três empates?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br 

Jogo aéreo com Love e Gustagol garante boa vantagem ao Corinthians na Sul-americana

Pedrinho e Gustagol: festa da Fiel

Não aconteceu a chuva de gols esperada pela Fiel, mas o Corinthians fez a lição de casa e derrotou o Deportivo Lara por 2 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida (27.866 pagantes/R$ 800.153), e ficou numa boa situação na Sul-americana. No segundo tiroteio do mata-mata, na próxima quinta, em Barquisimeto, na Venezuela, garante uma vaga nas oitavas de final mesmo se perder por um gol de diferença.

O limitadíssimo Deportivo Lara precisa vencer por três tentos de vantagem para se classificar. Se derrotar o Corinthians por 2 a 0, levará a decisão,para a marca da cal. Se o time do ‘professor’ Fabio Carille assinalar um gol, os venezuelanos terão de golear por 4 a 1 – gol fora de casa vale como critério de desempate.

O Corinthians tomou conta do jogo desde o início. Em nenhum momento passou por apuros na defesa. Cássio praticamente não sujou o enxoval. Só ficou no ‘oxo’ porque desperdiçou boas chances e centralizou demais as jogadas. Mais criativo do que em outros jogos, envolveu o adversário. Concluiu 12 vezes à meta de Salazar.

No segundo tempo, com Gustagol no lugar de Ralf, volante desnecessário pela falta de ousadia do Deportivo Lara, o Corinthians aumentou o ritmo, passou a explorar mais as laterais, principalmente Fagner na direita. E chegou à vitoria. Aos 15 minutos, Fagner recebeu lindo passe de Pedrinho, cruzou e Vagner Love concluiu de cabeça.

Quinto gol de Love no ano, o segundo na Sul-americana. Na comemoração, beijou o escudo. Agora o atacante tem 21 gols em 79 partidas pelo Corinthians.

Aos 27, Gustagol guardou o dele, também de cabeça, após cruzamento de Danilo Avelar. Recuperado de uma lesão muscular na coxa direita e voltando aos poucos à equipe, o centroavante quebrou um jejum de dois meses sem gol – o último havia sido marcado em 24 de março, contra a Ferroviária. Gustagol tem nove tentos em jogos oficiais.

Com 2 a 0 no placar, o Corinthians diminuiu o ritmo, mas não perdeu o controle da partida. E poderia ter conquistado uma vitória ainda mais tranquila se Clayson não insistisse em jogadas individuais. Fominha, complicou várias ações ofensivas da equipe. Que surpreendeu com um total de 24 arremates ao gol de Salazar, o destaque do Deportivo Lara.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo para enfrentar o soberano São Paulo, pela sexta jornada do Brasileirão. Defenderá um tabu: nunca perdeu para o coirmão no Itaquerão.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo, cada vez mais fumaça.

Tchau, bambino! Quatro gols e três assistências em 12 jogos: assim termina a passagem do atacante Ricardo Goulart pelo ninho dos periquitos em revista. O atleta rescindiu o contrato com o clube porque recebeu proposta do Guangzhou Evergrande, da China, para ampliar por mais cinco temporadas o acordo que seria encerrado em dezembro de 2020. Receberá R$ 40 milhões por ano. Ele estava emprestado ao Palmeiras até o final do Brasileirão. Ricardo Goulart passou por uma artroscopia no joelho direito no início do mês. Ficaria dois meses afastado.

Zé Corneta. Se Cacau fosse bom, seria chocolate e não cartola do Flamengo metido a professor Pasquale.

Periquito na TV. A novela finalmente chegou ao The End: Palmeiras e Globo assinaram acordo para transmissão dos jogos do Brasileirão até 2024, tanto na TV aberta como no pay-per-view. As cifras são mantidas em sigilo. Mas nos corredores da plim plim, fala-se em R$ 90 milhões, R$ 30 milhões a menos que o Flamengo e R$ 20 milhões atrás do Corinthians. O Palestra queria equiparação. Superou o soberano Tricolor, que embolsa R$ 72 milhões. A plim plim continuará ignorando o o nome Allianz Parque.

Sugismundo Freud. Só erra quem produz, mas só produz quem não tem medo de errar.

Revide no Urubu. A sempre bem-humorada torcida do Flamengo voltou a pichar os muros da Gávea. Desta vez, para ironizar o diretor de relações externas do clube, Cacau Cotta. Um dia antes, o cartola havia declarado que as últimas pichações, com ‘Mickey todo certinho’, não tinham sido de autoria da galera. Ou seja, chamou a nação rubro-negra de analfabeta. O contragolpe, com os erros pedidos por Cacau, o ‘mestre das letras’: ‘Fora Abeu’ e ‘Copa Mick’.

Caiu na rede (by Íbis). Passando para avisar que serei campeão da Copa do Brasil antes do São Paulo.

Aí tem… Nada contra, ao contrário. Mas não deixa de cheirar arroz queimado. Desde 2017, o Corinthians contratou cinco jogadores do Fluminense: o zagueiro Henrique, os meio-campistas Douglas (já se mandou), Sornoza e Richard, e o atacante Everaldo (ainda vai estrear). Detalhe: nos últimos tempos, o time carioca sempre lutou contra o rebaixamento. Ou seja, é uma ótima vitrine…

Gilete press. De José Cruz, no Uol: “Há uma real tristeza e desânimo entre atletas, técnicos e dirigentes devido à falta dinheiro para o esporte. A fartura dos últimos 16 anos – que provocou boa dose de corrupção – acabou. Agora, a crise geral nas finanças públicas obriga a apertar o cinto até em setores prioritários, como saúde e educação. Virou rotina ver jovens atletas pedindo dinheiro nos sinais de trânsito, Brasil afora, para viagens de competições. Outros optam por vaquinhas. Mas somos um país ‘olímpico’.” Vergonha.

Tititi d’Aline. O jornal Le Parisien abriu o jogo sobre a crise no milionário Paris Saint-Germain. Segundo a publicação, depois de Daniel Alves alegar que queria ser ‘mais ouvido’ e Neymar afirmar que os jovens deveriam ‘ouvir mais do que falar’, a declaração de Mbappé, que deseja trocar de ares, aumentou a impressão de que o vestiário tem cada vez mais poder. ‘O clube é uma república dos jogadores. Até quando?’ O caldo engrossou.

Você sabia que… o soberano São Paulo ganhou apenas dois jogos em 10 disputados no Morumbi nesta temporada?

Bola de ouro. Furacão. Derrotou o poderoso River Plate por 1 a 0, gol do hermano Marco Ruben, na decisão da Recopa. O jogo de volta com o campeão da Libertadores será na próxima quinta, no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. O Athletico, ganhador da Sul-americana, só precisa de um empate para conquistar seu segundo título internacional.

Bola de latão. Lucas Lima. O meia vive fase incrível no Palmeiras: não consegue mostrar serviço nem contra time da terceira divisão do Brasileiro. Mais apagado que rádio sem pilha no embate com o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil.

Bola de lixo. Nasser Al-Khelaifi. O presidente do PSG está sendo investigado por corrupção. A Justiça francesa suspeita que o poderoso cartola, responsável pela contratação de Neymar, teria autorizado uma transferência milionária para comprar votos. O suposto suborno (R$ 14 milhões) seria usado para garantir ao Catar a organização do Mundial de atletismo de 2017. A competição foi realizada em Londres.

Bola sete. “Depois de mais de 20 anos na elite do futebol, é hora de dar um passo para o lado e anunciar que decidi terminar a minha carreira como jogador. Eu começo uma nova vida e quero agradecer a todos que tornaram o meu sonho possível” (de Julio Baptista, no Twitter – o ex-são-paulino pretende seguir no esporte como treinador ou cartola; também defendeu Sevilla, Real Madrid, Arsenal, Roma,Raposa e amarelinha desbotada).

Dúvida pertinente. Soberano São Paulo: o fogo apagou?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br 

Goleiro engole frango e garante vitória dos reservas do Palmeiras na Copa do Brasil

Carlos Eduardo, do Palmeiras, em lance no primeiro tempo

Um frango do goleiro na bacia das almas garantiu a vitória do Palmeiras sobre o Sampaio Corrêa por 1 a 0, no Castelão, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O grito de gol saiu aos 46 minutos do segundo tempo, após cobrança de falta de Moisés.

Líder do Brasileirão, o Palestra começou com apenas um titular, Felipe Melo. Não jogou bem e o resultado mais justo contra o representante da série C seria o empate. No segundo duelo, na próxima semana, às 20 horas, na mansão Allianz Parque, o Palmeiras confirma a classificação com um empate.

O Sampaio Corrêa precisa de uma vitória por um gol de diferença para levar a decisão aos pênaltis. Um triunfo por dois ou mais gols dá a vaga ao clube do Maranhão.

O Palmeiras entrou em campo com apenas um titular, o pitbull Felipe Melo, que só jogou por estar suspenso (terceiro amarelo) contra o Botafogo, sábado, pelo Brasileirão. Pouco eficiente no ataque, já que abusou da lentidão nos passes, tornou-se uma presa fácil para o voluntarioso Sampaio Corrêa.

De nada adiantaram os gritos do ‘sargento’ Felipão para a equipe mostrar mais apetite pela bola, usar mais velocidade, apertar a marcação na defesa do Sampaio Corrêa. Que foi se soltando e levando perigo ao goleiro Fernando Prass.

A equipe paulista só assustou para valer aos 36 minutos. Hyoran cobrou falta, Andreey desviou e a bola bateu na trave. Com raríssimas chances, o ‘oxo’ prevaleceu no placar, em um primeiro tempo muito travado. Xexelento!

O Palestra voltou do vestiário com Dayverson no lugar Arthur Cabral, figura decorativa. Mas continuou mal. Felipão apelou para Dudu. Saiu Hyoran. E, depois, trocou o indolente Lucas Lima por Felipe Pires.

A partida caminhava para um mequetrefe 0 a 0, quando Andreey resolveu colaborar decisivamente com um belo frango. Aos 46 minutos, Moisés cobrou falta de longe, o goleiro do Sampaio Corrêa tentou segurar e colocou a redondinha para dentro.

Antes do cocoricó, Andreey sofreu uma lesão na cabeça e muitos acreditavam que seria substituído. Ele, porém, insistiu em permanecer no gramado. Resultado: vitória dos periquitos em revista. E mais de 90% do caminho andado para carimbar uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Rubinho ‘Bate-ou-quebra’ completou 47 anos nesta quarta, Dia Internacional da Tartaruga.

Neymar, gol de ouro. Estrela da companhia na Copa América, Neymar volta à roda do salário mínimo da bola. Cada gol do ‘menino’ pelo Paris Saint-Germain custou a bagatela de R$ 10 milhões no ano passado. Neymar correu 34 vezes para o abraço, ou seja, cravou a média de 2,8 tentos por mês. O atacante embolsa irrisórios R$ 340 milhões por temporada no PSG, o que dá cerca de R$ 28 milhões a cada 30 dias. O ‘menino’ fatura o mesmo que a soma dos 40 jogadores mais privilegiados do futebol brasileiro. O estudo do Cuponation indicou ainda que no primeiro contrato com o Peixe, em 2008, Neymar beliscava R$ 20 mil mensais. Uma década depois, aumentou o holerite para R$ 340 milhões, fora o reforço de publicidade (R$ 55 milhões).

Neymar, gol de ouro 2. O astro brasileiro ocupa o terceiro lugar no ranking dos jogadores mais bem pagos do mundo. O argentino Messi lidera a lista da revista ‘France Football’ com R$ 560 milhões por ano, entre salários, bônus e outras receitas, como a de garoto-propaganda. O português Cristiano Ronaldo aparece em segundo, com R$ 487 milhões. Neymar fecha o pódio, com R$ 395 milhões. Depois vêm o francês Griezmann (R$ 190 milhões) e o galês Bale (R$ 173,5 milhões). O meia Philippe Coutinho aparece em oitavo lugar, com R$ 130 milhões. Os top 20:

1º – Messi (ARG) – Barcelona – R$ 560 milhões
2º – Cristiano Ronaldo (POR) – Juventus – R$ 487 milhões
3º – Neymar (BRA) – Paris Saint-Germain – R$ 395 milhões)
4º – Griezmann (FRA) – Atlético de Madrid – R$ 189,9 milhões
5º – Bale (GAL) – Real Madrid – R$ 173,5 milhões
6º – Iniesta (ESP) – Vissel Kobe – R$ 142,4 milhões
7º – Alexis Sánchez (CHI) – Manchester United – R$ 132,5 milhões
8º – Philippe Coutinho (BRA) – Barcelona – R$ 129,5 milhões
9º – Lavezzi (ARG) – Hebei Fortune – R$ 122,1 milhões
10º – Suárez (URU) – Barcelona – R$ 120,9 milhões
11º – Piqué (ESP) – Barcelona – R$ 116,5 milhões
12º – Kroos (ALE) – Real Madrid – R$ 113,5 milhões
13º – Özil (ALE) – Arsenal – R$ 111,4 milhões
14º – Mbappé (FRA) – Paris Saint-Germain – R$ 107,9 milhões
15º – Oscar (BRA) – Shanghai SIPG – R$ 104,9 milhões
Agüero (ARG) – Manchester City – R$ 104,9 milhões
17º – De Bruyne (BEL) – Manchester City – R$ 101,4 milhões
18º – Hulk (BRA) – Shanghai SIPG – R$ 101 milhões
19º – Pogba (FRA) – Manchester United – R$ 100,6 milhões
20º – Sergio Ramos (ESP) – Real Madrid – R$ 99,3 milhões

Zé Corneta. ‘Professor’ Fabio Carille tem à disposição mais de 32 jogadores, mas não consegue montar um time minimamente confiável.

Nova casa. O colombiano Borja cansou de ser passado para trás na luta pelo comando do ataque palmeirense. Por isso, pensa seriamente em respirar novos ares, pelo menos por empréstimo. O Peixe já tentou, sem sucesso. O Palestra topa apenas vendê-lo. Quer recuperar o investimento de 70% em seus direitos: US$ 10 milhões. Aí o polvo pinta as unhas…

Sugismundo Freud. O melhor profeta do futuro é o passado.

Índio quer bola. O secretário especial de futebol, Ronaldo Lima, recebeu um grupo indígena. Os representantes da etnia Tucano e Terena pediram ajuda para a criação de uma seleção de indígenas. Lima prometeu ajudá-los e até sugeriu a criação de uma confederação nacional. Os índios sonham organizar um torneio sul-americano no Amazonas.

Caiu na rede (do ‘Humor Esportivo’). A Copa foi do Miquei e vossês são patetas – torcedores rubro-negros ironizando o cartola Caccau Cotta por ter afirmado que a galera não saberia escrever Mickey.

Zapping. A RedeTV anunciou gato por lebre: prometeu a transmissão de Corinthians x Deportivo Lara, pela Sul-americana, a partir das 21h30, mas a bola vai rolar às 19h15 e será mostrada ao vivo somente pela DAZN (streaming).

Gilete press. De Jorge Nicola, no Yahoo: “Apenas exames médicos e a assinatura do contrato separam Grêmio e Santos do anúncio da troca entre David Braz e Marinho. O Peixe ainda vai pagar R$ 4 milhões ao Tricolor, já que Marinho é quatro anos mais novo que David Braz e tinha contrato mais longo com os gaúchos – o vínculo do zagueiro com o Santos terminaria em fevereiro do ano que vem. Bom negócio?

Tititi d’Aline. O narrador Galvão Bueno, a mulher e o filho estão morando em Orlando, nos Estados Unidos. Galvão escolheu a residência a dedo: fica perto de um campo de golfe. O número 1 da plim plim é vidrado no esporte. Ele só aterrissa no Brasil para cumprir a escala de trabalho ou cuidar de negócios.

Você sabia que… a mamãe Fifa desistiu de promover o Mundial do Catar, em 2022, com 48 seleções, confirmando apenas 32?

Bola de ouro. Edina Batista. Integrante da Federação Paulista de Futebol, será a segunda mulher na história do ludopédio nacional a apitar um jogo da série A – CSA x Goiás, pela sexta rodada. Edina também representará o país na Copa do Mundo de futebol feminino. A primeira mulher a apitar uma partida da elite foi Silvia Regina, no jogo Guarani x São Paulo, em 2003.

Bola de latão. Pablo Armero. O ex-lateral do Palmeiras, Flamengo e West Ham foi desligado do CSA. Aos 32 anos, Armero foi flagrado num bar de Maceió na sexta-feira, véspera do embarque do time para Porto Alegre – o CSA perdeu do Saci colorado por 2 a 0. Ele estava acompanhado do meia argentino Maidana e do atacante equatoriano Escobar, que serão apenas multados porque não estavam na lista de comvocados.

Bola de lixo. CBF. O reencontro da amarelinha desbotada com a torcida será salgado. O Circo Brasileiro de Futebol fixou em R$ 150 o ingresso mais barato para o amistoso com o Catar, em 5 de junho, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O mais caro, com
direito a camarote e open bar, sai por R$ 600.

Bola sete. “Vencemos o Paulista, mas já passou. Queremos mais títulos. Contrariar o que todo mundo vem dizendo sobre o Corinthians. Quanto mais pedrada, melhor. Vamos mostrar que somos fortes o suficiente para vencer as batalhas da vida” (do volante Júnior Urso, sobre as críticas ao tico-tico sem fubá do time – a conferir).

Dúvida pertinente. Quem para o Palmeiras?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br