Papa-títulos Daniel Alves, com apito amigo, e Rogério Ceni garantem festa dos torcedores

Daniel Alves comemora o gol no primeiro tempo
Daniel Alves comemora o gol tricolor

No superdomingo das estreias, os papa-títulos Daniel Alves e Rogério Ceni garantiram a festa dos torcedores. O capitão da amarelinha desbotada marcou o gol da sofrida vitória do soberano São Paulo sobre o Ceará, um time muito bem montado, que foi prejudicado pelo assoprador de latinha Gilberto Rodrigues Castro. Mesmo com a ajuda do VAR, fechou os olhos para um pênalti claro a favor do Vozão no segundo tempo. O espanhol Juanfranco também estreou no Tricolor. Não comprometeu.

Já o M1to comandou o triunfo da Raposa diante do líder Peixe por 2 a 0, em BH. Havia 11 jogos que o pão de queijo não saboreava um triunfo. Ceni assumiu a casamata cruzeirense após a saída de Mano Menezes e tirou o time da zona do agrião queimado.

No Morumbi (47.705 torcedores/R$ 3.353.610), vestindo a camisa do time de coração pela primeira vez, Daniel Alves salvou o Tricolor. E levou a equipe aos 27 pontos, na quinta colocação. Se o São Paulo bater o Furacão no meio da semana, em jogo atrasado, entrará no G4. O Peixe tem 32, e Flamengo e Palmeiras, 30. O Tricolor acumula quatro vitórias e um empate desde o reinício do campeonato. O Ceará soma 20.

A equipe cearense surpreendeu o soberano Tricolor no primeiro tempo. Não se intimidou com a pressão da torcida e encarou o ‘favoritaço’ São Paulo como gente grande. Chegou a dar trabalho ao goleiro Tiago Volpi.

O time paulista deu a impressão de que tentaria sufocar o adversário, com a presença de Liziero, Tchê Tchê e Daniel Alves no meio de campo, ou seja, sem nenhum volante. E de cara, aos 29 segundos, a estrela do jogo arriscou um chute da entrada da área.

Sentiu, porém, a falta de um meia para criar as jogadas. Daniel Alves mostrou que ainda precisa de mais ritmo e entrosamento com os novos companheiros. Perdeu bolas fáceis e se complicou em contra-ataques. Antony, com seguidos erros individuais, também não colaborou.

Mesmo abaixo do que pode produzir, Daniel Alves foi abençoado pelos deuses do esporte bretão. Aos 39 minutos, o lateral Juanfran, outro estreante, tocou para a área, Raniel ajeitou e Daniel Alves, depois de superar a marcação, tocou rasteiro e levou a galera ao delírio. Na sequência, Tiago Volpi evitou o empate. Voou e mandou para escanteio uma bomba de Samuel Xavier.

No começo da etapa final, a trave evitou o segundo gol são-paulino. Aos 3, o capitão Reinaldo cruzou e Raniel concluiu no poste de Diogo Silva. No rebote, ganhou escanteio. Quatro minutos depois, troca no Ceará: Luiz Otavio (lesionado) por Tiago Alves.

O Vozão apertou o Tricolor e Tiago Volpi, aos 11, fez outra grande defesa em arremate de Lima. Manteve o pique e, aos 14, reclamou de um pênalti do goleiro tricolor em Felippe Cardoso. Sua senhoria, o assoprador de latinha Gilberto Rodrigues Castro, conferiu o lance no VAR e nada marcou. Errou feio. Uma VARgonha!

Sentindo que o meio de campo estava vulnerável, mestre Cuca sacou Liziero e colocou o cão de guarda Luan. Aos 23, Antony perdeu boa chance e irritou a torcida. Sozinho, praticamente recuou a bola ao goleiro. Resultado: o garoto deu o lugar ao meia Vitor Bueno. No Ceará, Leandro Carvalho por Mateus Gonçalves.

Depois dos 30, mais duas mudanças: Lima por Wescley, no Ceará, e Everton por Helinho. Nada acrescentaram aos times. E o soberano São Paulo garantiu os três pontos no sufoco, diante de um adversário perigoso. De quebra, contou com uma bela mãozinha do assoprador de latinha, que ignorou um pênalti no segundo tempo.

O São Paulo estreou um terceiro uniforme. O modelo, em azul claro, foi criado em homenagem ao Uruguai.

Rogério Ceni estreou no comando do Cruzeiro neste domingo
Rogerio Ceni: estreia com três pontos

No Mineirão, com mais de 40 mil torcedores, o ex-goleiro são-paulino Rogério Ceni deixou o gramado aplaudido pela torcida. A Raposa bateu o líder Santos por 2 a 0, gols de Fred e Thiago Neves, detonou um jejum de 11 embates sem vencer e deixou o subsolo do Brasileirão.

O esquema armado pelo hermano Sampaoli foi para a cucuia aos 57 segundos. O zagueiro Gustavo Henrique impediu o avanço de Pedro Rocha com um carrinho e foi expulso. Inicialmente, o assoprador de latinha Anderson Daronco mandou o jogo seguir, mas depois, com o VAR, mostrou o cartão vermelho ao santista.

Com um a mais, o time mineiro tomou conta da partida e só não goleou o Peixe porque Everson pegou muito. O centroavante Fred, que deixou o banco após a expulsão de Gustavo Henrique, voltou a correr para o abraço depois de 16 jogos sem marcar.

Apesar da segunda coça seguida, o Santos continua na ponta do Brasileirão, após 15 rodadas. Tem 32 pontos, dois à frente de Flamengo e Palmeiras. O Cruzeiro foi a 14 pontos, dois a mais que o Fluminense – perdeu do CSA por 1 a 0, no ‘new Maraca’, e abre a zona do agrião queimado. Outro resultado: Bahêa 1 x 1 Goiás.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo & Cia: corpo e alma do autoritarismo.

Freguês cai de 4. No ‘new Maraca’, na Lua ou no Mané Garrincha, tanto faz: o Flamengo vem pedindo CPF na nota ao freguês Vasco. Mais precisamente desde 2016, quando a nau vascaína abateu pela última vez o Urubu. Depois, nove triunfos rubro-negros e quatro empates. Neste fim de semana, um resultado histórico em Brasília: 4 a 1, com direito a dois pênaltis defendidos por Diego Alves e recorde de público na temporada. O duelo atraiu 65.418 torcedores. O Flamengo figura em nove dos 10 jogos com mais espectadores em 2019. Soberano São Paulo x Corinthians fura a fila, com 58.713 pessoas no Morumbi.

Zé Corneta. VAR, um personagem que veio para tumultuar ainda mais a bagunçada pátria das chuteiras furadas.

Sai, zica! O goleiro Walter festejou muito o triunfo do Corinthians sobre o Botafogo por 2 a 0. A vitória espantou uma urucubaca que perseguia o time: não havia conquistado nenhum triunfo sem o gigante Cássio (cumpriu suspensão contra os cariocas). A equipe atuou sem o ídolo da Fiel em pelo menos uma parte do jogo na derrota por 1 a 0 para a Chape (Copa do Brasil), no ‘oxo’ com a Raposa e no tropeço por 1 a 0 contra o Peixe (Brasileirão), e no fracasso por 1 a 0 diante do Ceará (Copa do Brasil), além do 1 a 1 com a Ferroviária (Paulistinha).

Sugismundo Freud. Sempre há algo de bom em um dia, basta procurar.

Verdão na final… Grêmio x Palmeiras abrirá as quartas de final da Libertadores, na terça, em Porto Alegre. E pelo tira, põe, deixa ficar da matemática, o Palestra não apenas ‘matará’ o imortal, como chegará à decisão do caneco. Os periquitos em revista voam com 64,5% de possibilidades de classificação às semifinais, contra 35,5% dos gaúchos, de acordo com o site especializado ‘Chance de Gol’. Na penúltima etapa do torneio continental, o placar aponta Palmeiras 43,6%, e Grêmio, 20,1% com probabilidades de seguir adiante. Já na decisão, o time paulista corre com 29,5%. Perde apenas do papa-títulos Boca Juniors, com 31%.

… e Urubu eliminado. No outro duelo brasileiro das quartas, o Saci colorado passa fácil o rodo no Flamengo, segundo a aritmética: 74,2% x 25,8%. Nas semis, os gaúchos acumulam 31,3%, e os cariocas, apenas 5%. O grito de campeão do Inter ecoa em 19%, e o do Urubu soma 1,5%. O embate entre Saci e Rubro-negro começa na quarta, no ‘new Maraca’. Cariocas e gaúchos se enfrentarão num mata-mata depois de 10 anos. Em 2009, pelas quartas da Copa do Brasil, um gol de Andrezinho despachou o Flamengo. Será o primeiro encontro na Libertadores em fase eliminatória. Na história, 35 vitórias dos gaúchos e 33 dos rubro-negros. Aconteceram 28 empates

Caiu na rede. Novas armas do Flamengo contra o ‘cheirinho’: Jesus e ‘Anjo Gabriel’.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no Globo: “O Rio será palco, em 2020, da 1ª edição dos… Jogos de Botequim, uma espécie de ‘Olimpíada dos boêmios’. Serão disputados grandes clássicos como porrinha, totó e chope a metro. Entre as sedes, Adonis, Galeto Sat’s e Pavão Azul. O calendário prevê disputas em todos os fins de semana de janeiro, contou Felipe Nogueira, idealizador do evento ao lado de Paulo Mussoi.” Bela sacada!

Zapping. Descobriu-se a pólvora no ex-gigante moribundo da telinha: competições ao vivo rendem muito mais que blá-blá-blá em mesas-quadradas e/ou bate-bolas.

Tititi d’Aline. Dos oito classificados às quartas da Libertadores, apenas o Cerro Porteño está ‘virgem’, sequer chegou a uma decisão. O maior vencedor é o Boca Juniors, com seis títulos, dois a mais que o River. Depois aparecem Grêmio (3), Saci colorado (2), Flamengo, Palmeiras e LDU, um cada.

Você sabia que… o Saci colorado, ao ganhar do Fortaleza por 1 a 0, voltou a vencer como visitante no Brasileirão depois de 360 dias?

Bola de ouro. Daniel Alves. É um predestinado. Mesmo com pouco tempo de treino e jogando no meio de campo, mostrou aos 36 anos que poderá render ótimos frutos ao soberano Tricolor. Está muito acima do nível que se joga no Brasil.

Bola de latão. Palmeiras. Muito chororô e pouco futebol. Em seis jogos depois das ‘férias’ da Copa América, cinco empates e uma derrota. Ou cinco pontos em 18 possíveis. Aproveitamento inferior a 28%. As críticas ao trabalho do ‘sargento’ Felipão crescem no ninho dos periquitos em revista – de favoritaço ao terceiro lugar.

Bola de lixo. Fluminense. Um cobiçado sócio. Quatro meses depois de assumir a gestão do ‘new Maraca’ ao lado do Flamengo, o Tricolor das Laranjeiras deve mais de R$ 700 mil ao coirmão rubro-negro. O contrato de cessão do estádio pelo governo se encerra em outubro. O arroz pode queimar na renovação.

Bola sete. “Convocação para amistosos contra Peru e Colômbia segue a rotina na Seleção. Privilégio para Neymar, novas apostas e adversários sem o menor sentido” (de Cosme Rímoli, no R7 – é vero).

Dúvida pertinente. De 0 a 0,5, quais são as chances de o goleiro Ivan, da Ponte, e o zagueiro Samir, da Udinese, carimbarem uma vaga na amarelinha desbotada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Endiabrado, Pedrinho dá show e comanda a vitória do Corinthians sobre o Botafogo

Boselli festeja o primeiro gol do Corinthians
Boselli comemora primeiro gol corintiano

Com Pedrinho estraçalhando a boia, o Corinthians derrotou o Botafogo por 2 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida – 39.122 espectadores (38.882 pagantes/R$ 2.245.956). Além de participar dos gols (Boselli e Everaldo, um em cada tempo), Pedrinho infernizou a zaga carioca, com dribles e tabelas. Mateus Vital, Gabriel, Boselli e Everaldo também provocaram fartos elogios na Fiel. O placar só não foi maior porque o goleiro Gatito Fernández fez grandes defesas.

Invicto depois das ‘férias’ da Copa América, o Corinthians chegou a 27 pontos na quinta colocação. Em sete embates desde o reinício do Brasileirão, a equipe obteve quatro vitórias e três empates – também venceu duas partidas pelas oitavas de final da Sul-americana.

O Botafogo soma 22 pontos. O time continua sem vencer na casa da Fiel. Em cinco jogos, levou quatro coças e empatou um. Na história, 39 triunfos do Corinthians, 25 empates e 47 vitórias dos cariocas em 111 partidas.

O Corinthians procurou se impor como dono do terreiro desde os primeiros minutos de jogo. Abafou o Botafogo e só não conseguiu abrir o placar antes dos 41 porque o goleiro Gatito Fernández fez pelo menos três ótimas defesas em arremates de Mateus Vital (aos 3), Pedrinho (aos 11) e Boselli (aos 26).

A equipe carioca praticamente não jogou na etapa inicial. Ou melhor, o tricampeão paulista não permitiu. Explorando muito bem as laterais, em especial a direita, com triangulações entre Fagner, Júnior Urso e Pedrinho, o Corinthians levou constante perigo à zaga adversária.

Encurralado, o Botafogo aguentou a pressão até a bacia das almas do primeiro tempo. Aos 41, a casa caiu: Pedrinho deixou Gilson na saudade, cruzou e Boselli bateu forte no ângulo esquerdo de Gatito Fernández.

Três minutos depois, o goleiro operou um milagre em cabeçada de Pedrinho e impediu o segundo gol corintiano, que faria justiça ao que os times apresentaram em campo. O Corinthians chutou 14 vezes, enquanto o Botafogo ficou numa conclusão de Pimpão.

O time carioca voltou do vestiário com Lucas Campos no lugar de Pimpão e com um pouco mais de ousadia, porém não o suficiente para fazer cócegas no goleiro Walter. Embora mais recuado, o Corinthians jamais perdeu o controle do embate. E passou a explorar com muita eficiência os contragolpes, ora com Pedrinho, ora com Everaldo, sempre bem alimentado por Mateus Vital.

Aos 10, Pedrinho avançou pela direita e chutou de esquerda da entrada da área. Gatito Fernández espalmou, Everaldo pegou o rebote e colocou no canto. Primeiro gol do atacante em oito jogos com a camisa corintiana. Aos 22, o ‘professor’ Fabio Carille trocou Boselli por Gustagol. O hermano foi muito aplaudido pela Fiel.

Um minuto depois, arranca-rabo entre os botafoguenses Cicero e Gilson. A turma do deixa disso entrou em ação, inclusive o assoprador de latinha catarinense Rafael Traci. Destempero que mostrou claramente um time nocauteado.

Na sequência, outra alteração no Corinthians: Everaldo por Clayson. O autor do segundo gol disputou a melhor partida desde que foi contratado. Na reta final do encontro, Jadson substituiu Mateus Vital, um dos destaques do jogo. O Vasco sacou Luiz Fernando e colocou Marcos Vinicius, um garoto que promete.

Nos últimos minutos, o Corinthians se acomodou na vantagem e tomou uma bola na trave, em cabeçada de Benevenuto. Aos 47, Lucas Campos ajeitou para Diego Souza, que bateu forte e Walter finalmente sujou o enxoval.

O Corinthians volta a jogar na próxima quinta, contra o Fluminense, no Itaquerão, primeiro jogo das quartas de final da Sul-americana. Pelo Brasileirão, visitará o Avaí, domingo, em Floripa. O Botafogo receberá a Chape, segunda, no Nilton Santos, o Niltão.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo aposta na união dos samaritanos da bancada da bala com a turma do boi para aprovar o faroeste nacional, a posse e o porte de armas.

Na marca do pênalti? Os palmeirenses Fernando Prass, 41 anos, Jailson, 38, e Edu Dracena, 38, continuam à espera de um convite do gerentão Alexandre Mattos para discutir o futuro. Os três têm contrato até dezembro. E raramente são aproveitados pelo ‘sargento’ Felipão na equipe titular. Os goleiros e o zagueiro estão com um elefante atrás da orelha porque o volante Felipe Melo estava na mesma situação, mas já prolongou o contrato por mais duas temporadas. Dois pesos e…

Zé Corneta. Pega fogo a artilharia do Brasileirão: Anelka no Galo, Drogba no Corinthians e Balotelli no Flamengo.

É teeeeetraaaa. Pela quarta vez desde 1989, quando a Libertadores incrementou o mata-mata a partir das oitavas, quatro times brasileiros entrarão na briga das quartas de final. E das três anteriores, em duas o ludopédio nacional soltou o grito de campeão: Saci colorado, em 2010, e Corinthians, em 2012. Mas pela primeira vez os quatro estão do mesmo lado. A escalada tupiniquim: 2009 – Grêmio, São Paulo, Raposa e Palmeiras (Estudiantes campeão); 2010 – Flamengo, São Paulo, Raposa e Inter (Saci campeão); 2012 – Fluminense, Corinthians, Vasco e Peixe (Corinthians campeão); e 2019 – Palmeiras, Grêmio, Saci e Flamengo. O pontapé inicial: nesta terça, às 21h30, Grêmio x Palmeiras; na quarta, Flamengo x Saci Colorado.

Sugismundo Freud. A irritação e o mau humor não mudam sua vida.

Fumacê. O ex-campeão mundial dos pesados Mike Tyson revelou que torra mais de US$ 40 mil (R$ 160 mil) por mês em maconha. Em parceria com o ex-jogador da NFL Eben Britton, Tyson investiu US$ 400 mil (R$ 1,6 milhão) em produção de maconha na Califórnia (o cultivo da erva é permitido).

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Rogério Ceni acerta com o Cruzeiro e entra para o Guinness como homem mais corajoso do mundo.

Gilete press. De Juca Kfouri, na Folha: “Felipe Melo joga à moda bolsonarista. Age como se a violência fosse solução. O palmeirense está a um cartão vermelho de chegar aos 20 na carreira (…) Bem ele que, ideologicamente, deveria odiar o vermelho, mas odeia as canelas e os rostos dos adversários, a exemplo do ex-capitão presidente, tratados como inimigos. Há, é fato, diferença significativa entre Melo e Messias: o volante sabe o que fazer com a bola e o político não tem a menor ideia do que fazer com o poder.” Na mosca.

Dial. Jornalista Luciana Verdolin, porta-voz oficial do governo na Jovem Pan?

Tititi d’Aline. Sete anos depois de marcar o gol do título do Palmeiras na Copa do Brasil, contra o Coxa, o atacante Betinho corre em um campo esburacado no bairro da Torre, no Recife. Ele é a grande atração da Copa MCs, disputada por cantores brega e DJs. Sem propostas, dá uma força aos amigos, segundo o ‘Globo.com’. “Eu revivo minha infância na várzea enquanto não surge um clube. Não recebo nada. Venho porque eu gosto e para ajudar o pessoal”, diz Bentinho, 32 anos. Após o título em 2012, o Palestra foi rebaixado e dispensou o atacante.

Você sabia que… o Peixe acumula dois empates e uma derrota contra a Raposa, no Mineirão, desde a última vitória (1 a 0) no Gigante da Pampulha, em 2015?

‘Bola de ouro’. Raposa. Nada de braçadas em um tsunami financeiro. O clube ainda não pagou o prêmio pelo título do Mineirinho. Também deve parte dos salários aos jogadores e funcionários. A cartolagem promete colocar a toca em ordem quando receber os R$ 9 milhões da venda do volante Lucas Romero ao Independiente. Só não sabe quando.

Bola de latão. Flamengo. O clube também adora exalar o bálsamo da decepção fora de campo. Depois de marchas e contramarchas, o Rubro-negro ficou a ver navios no piscinão de Ramos: a contratação de Mario Balotelli reforçou o ar rarefeito. A mídia caolha está em prantos.

Bola de lixo. Figueirense. Sem vencer há sete rodadas na série B, o time catarinense também vive um mar de rosas fora de campo. Os jogadores não apareceram para treinar na sexta por causa do atraso dos salários. Além de não receber o dindim de julho registrado em carteira, o elenco cobra direitos de imagem, atrasados há três meses. Nas redes sociais, os atletas postaram uma frase com o símbolo do clube em fundo preto: “Paramos hoje, pela sobrevivência do amanhã.” Há uma semana, os moleques do Figueira não treinaram por falta de ônibus para levá-los até o CT.

Bola sete. “Davi Alcolumbre [presidente do Senado] sugeriu a Jorge Kajuru que a CPI do Esporte comece os trabalhos de apuração pelas gavetas e contratos do COB, antes de partir para o futebol, ou melhor, a CBF” (de Gabriel Mascarenhas, no Globo – a conferir).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Tite acertou ao convocar o ‘menino Ney’ para a amarelinha desbotada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘Professor’ Tite escancara as portas da amarelinha desbota para Neymar: Sois rei!

Tite anuncia convocados para amistosos nesta sexta-feira, às 10h Foto: SERGIO MORAES / Reuters
Tite: Neymar e mais 10 na amarelinha desbotada

“Não vou prescindir nunca de um atleta como Neymar”. A garantia foi dada pelo ‘professor’ Tite, após anunciar a convocação da amarelinha desbotada para os amistosos contra a Colômbia e Peru, no início de setembro, nos Estados Unidos. Mesmo sem jogar há um bom tempo, Neymar foi incluído na lista

Ou seja: a porta verde-amarela continuará escancarada ao ‘menino Ney’, independentemente do comportamento em campo e/ou fora das quatro linhas. Os parceiros comerciais do atleta e, principalmente, do Circo Brasileiro de Futebol assinam embaixo, com louvor.

Com cadeira cativa no elenco canarinho, pelo menos enquanto Títe estiver na casamata da equipe, o astro da pátria das chuteiras furadas pode estufar o peito e mandar um recado aos invejosos de plantão: Vocês vão ter que me engolir. Que venham colombianos, peruanos e a eterna turma do contra.

Certamente o ‘menino Ney’ vai tirar de letra. Mas já passou da hora de colocar mais juízo na cabecinha de superstar, assumir o controle da vida, deixando de lado Neymar Master e ‘parças’. Afinal, já está a caminho dos 28 anos!

A lista de Tite ganhou mais críticas do que elogios nas redes sociais. O comentário de um torcedor define muito bem a quantas anda o prestígio do ‘professor’: ‘Enquanto ele convocar os caras da patota e não quem está melhor no momento, deixarei de torcer pelo Brasil.’

Outro canarinho pistola optou por mandar um recado ao treinador: ‘Tite, meu mestre, a escolinha do Professor Raimundo o espera. Lá é lugar de comédia e firulas.’

O comandante chamou sete jogadores novos, em comparação à Copa América: os goleiros Weverton (Palmeiras) e Ivan (Ponte); os defensores Jorge (Peixe) e Samir (Udinese); o meio-campista Fabinho (Liverpool); e os atacantes Vinicius Junior (Real Madrid) e Bruno Henrique (Flamengo).

Dos sete, três nunca haviam sido convocados: Ivan, Samir e Bruno Henrique. Tite atingiu 50 atletas depois da Copa de 2018. Mais uma vez, ignorou o atacante Dudu, 27 anos, estrela da milionária equipe palmeirense. Protagonista de três títulos nacionais nos últimos quatro anos, Dudu continua à espera de uma chance. A convocação:

Goleiros
Ederson (Manchester City)
Ivan (Ponte Preta)
Weverton (Palmeiras)

Defensores
Alex Sandro (Juventus)
Daniel Alves (São Paulo)
Éder Militão (Real Madrid)
Fagner (Corinthians)
Jorge (Santos)
Marquinhos (Paris Saint-Germain)
Thiago Silva (Paris Saint-Germain)
Samir (Udinese)

Meio-campistas
Alan (Napoli)
Arthur (Barcelona)
Casemiro (Real Madrid)
Fabinho (Liverpool)
Lucas Paquetá (Milan)
Philippe Coutinho (Barcelona)

Atacantes
Bruno Henrique (Flamengo)
David Neres (Ajax)
Roberto Firmino (Liverpool)
Neymar (Paris Saint-Germain)
Richarlison (Everton)
Vinicius Junior (Real Madrid)

A apresentação dos jogadores será em 1° de setembro, nos Estados Unidos. No dia 6, às 22h30, em Miami, a amarelinha desbotada enfrentará a Colômbia. Quatro dias depois, às 23h30, em Los Angeles, vai encarar o Peru.

Coutinho chucrute

O meia Philippe Coutinho deve chegar todo pimpão no dia marcado para o início dos treinos da amarelinha desbotada. Ele foi emprestado pelo Barcelona ao Bayern de Munique por uma temporada. Se vingar no time alemão, será comprado por 120 milhões de euros (R$ 533 milhões).

Coutinho é aguardado nas próximas horas em Munique para fazer exames médicos e assinar contrato com o Bayern. Aos 27 anos, o brasileiro disputou 76 jogos e marcou 21 gols com a camisa do Barça em uma temporada e meia. Sagrou-se bicampeão espanhol e também faturou uma Copa do Rei e uma Supercopa.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Grêmio supera Furacão e final da Copa do Brasil caminha para uma grande festa gaúcha

André marcou o primeiro gol do Grêmio
Andre e Cebolinha festejam primeiro gol do imortal

A final da Copa do Brasil tem tudo, e mais um pouco, para se transformar numa grande festa gaúcha. Depois de o Saci colorado derrotar a Raposa em BH por 1 a 0, o Grêmio passou o rodo no Furacão. Ganhou por 2 a 0, na Arena (40.175 pagantes/R$ 1.931.786), e agora poderá perder até por um gol de diferença o segundo duelo das semifinais, em Curitiba.

O Furacão precisa ganhar por dois tentos de vantagem, no mínimo, para decidir a vaga nos pênaltis. O Grêmio não contará com Everton Cebolinha, suspenso. No Beira-Rio, basta um empate ao Inter diante do Cruzeiro. Os jogos serão em 4 de setembro.

‘Temos que aparecer mais para o jogo. O time está um pouco escondido” – em poucas palavras, o atacante Rony definiu bem o comportamento do Furacão no primeiro tempo. A equipe optou por cuidar mais da defesa e pouco realizou no ataque.

No embalo da torcida, o Grêmio procurou amassar os paranaenses desde o início da partida. E tratou de explorar as investidas de Everton Cebolinha pela esquerda. O atacante infernizou Jonatan.

Aos 23 minutos, explosão nas arquibancadas. Em contragolpe, a bola sobrou para Cebolinha, que cruzou na cabeça de André. Com um leve toque, o centroavante desviou para a rede. Justiça à equipe mais ofensiva.

O Furacão criou apenas uma grande chance na etapa inicial. Na bacia das almas, Cirino tabelou com Marco Ruben, ficou cara a cara com o goleiro Paulo Victor e chutou para fora.

A equipe paranaense se libertou das amarras defensivas no segundo tempo e cresceu em campo. O Grêmio puxou o freio de mão e ficou à espera de um contra-ataque mortal. Aos 19, André desperdiçou ótima oportunidade. Recebeu livre, entrou na área e se embananou na frente do goleiro Santos.

Na sequência, o ‘professor’ Tiago Nunes mexeu no Furacão. Marco Ruben saiu e entrou Nikão. No Grêmio, Renato Gaúcho substituiu André por Diego Tardelli. Aos 26, nova festa gaúcha: Jean Pyerre cobrou falta e colocou a bola no canto esquerdo de Santos. Três minutos depois, Alisson poderia ter marcado o terceiro, mas chutou para fora.

O Furacão trocou Lucho González por Bruno Nazário, e o Grêmio, Jean Pyerre por Thaciano. O autor do segundo gol saiu aplaudidíssimo. Merecidamente. Ele e Matheus Henrique foram os grandes destaques do triunfo gaúcho. No final, Luan entrou no lugar de Maicon.

Desorganizado, o Furacão só não levou mais gols porque o Grêmio errou no arremate final. Caso contrário, a parada da classificação já estaria resolvida. A derrota por 2 a 0 ficou barata para os paranaenses.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. ‘Mi Buenos Aires querido’, o tango preferido de Bozo no Planalto.

Go home. Dos sete gringos do elenco, o Peixe deve ficar com apenas quatro, a pedido do ‘professor’ Jorge Sampaoli. O meia Cueva deve encabeçar a lista. Contratado em janeiro por empréstimo, mas com a obrigatoriedade de o Santos comprá-lo em 2020 por R$ 25 milhões, preço fixado pelo Krasnodar, da Rússia, o peruano participou de apenas 16 jogos, não marcou nenhum gol e nem deu assistência. O costarriquenho Bryan Ruiz também está na rota do RH, o mesmo acontecendo com Uribe.

Zé Corneta. O tempo passa, o tempo voa… e não perdoa: ‘menino Ney’ aterrissou no PSG ao som de ‘Aquarela do Brasil’ e vai sair aos gritos de ‘vaza’ e ‘filho da puta’.

É campeão! Contratado nos últimos dias da janela de transferências, o goleiro espanhol Adrián substituiu o brasileiro Alisson, lesionado, e saiu como herói na final da Supercopa da Europa entre Liverpool e Chesea, em Istambul. Ele pegou a cobrança de Abraham e garantiu o caneco ao Liberpool na disputa de pênaltis por 5 a 4. No tempo normal e na prorrogação, empate em 2 a 2. Girou inaugurou o placar para o Chelsea. Mané empatou e, depois, virou no tempo extra. Jorginho, de pênalti, fez o segundo dos Blues. A francesa Stephanie Frappart apitou o jogo. Pela primeira vez uma mulher comandou a arbitragem numa competição masculina organizada pela Uefa. E foi bem.

Sugismundo Freud. O ódio é um dos caminhos para a destruição.

SOS Lusa. O clube completou 99 anos sem saber se chegará a 100. Está na UTI: dívidas superam os R$ 350 milhões. Corre o risco de perder o Canindé. A Portuguesa não disputa nenhuma das quatro divisões do Brasileiro. Nos últimos oito meses, o estádio passou metade sem jogos. Torcedores criaram o grupo ‘SOS Canindé’ para reformar o estádio. Trocaram lâmpadas dos refletores, limparam o fosso, deram um trato nas cabines de imprensa e pintaram parte das arquibancadas. Pior que a situação da Lusa, só mesmo as declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, que citou a pequena torcida do time para ironizar um protesto de estudantes no Masp. Disse que ‘a frota de combis (sic) congestionou o local e o fornecimento de pães está suspenso até amanhã’. Ridículo.

Zapping. Tão ruim ou pior que o monstrengo VAR só mesmo as análises de ex-assopradores de latinha em centrais do apito, salas de VAR e programas de TV. Acreditam estar acima do bem e do mal. A última palavra!

Gilete press. Do jornal argentino ‘Olé’, sobre a expulsão de Felipe Melo contra o Bahêa: “Outra barbaridade de Felipe Melo. O brasileiro do Palmeiras deu uma cotovelada criminosa em um rival do Bahia e somou uma nova expulsão para sua carreira. E ainda protestou contra o cartão vermelho. Uma nova página em seu extenso prontuário dentro dos gramados.” Na Espanha, o ‘Marca’ publicou: “Felipe Melo segue arrebentando no Brasil: terrível cotovelada na cara de um rival e vermelho direto.” No fígado!

Caiu na rede. Carille, o estrategista da Fiel: 1-10-0. Jogai por nós, São Jorge!

Tititi d’Aline. Atolado em dívidas e processos, o ex-piloto Emerson ‘Rato’ Fittipaldi decidiu faturar uns trocados com o aluguel de uma mansão de 1,3 mil m², em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Avaliada em módicos R$ 12 milhões, a casa pode abrigar 20 carros. O aluguel é de R$ 45 mil, mais R$ 3 mil de IPTU. Fittipaldi deve mais de R$ 23 milhões somente para bancos.

Você sabia que… o atacante Dudu já marcou 63 gols em 260 jogos com a camisa do Palmeiras?

Bola de ouro. Premier League. A primeira rodada atraiu apenas 402.772 torcedores, média de 40.277 espectadores. O clássico Manchester United 4 x 0 Chelsea bombou com 73.620 pagantes. Tottenham 3 x 1 Aston Villa reuniu 60.407 pessoas. A média do Brasileirão gira em torno de 20 mil por embate.

Bola de latão. Adil Rami. Campeão do mundo com a seleção francesa em 2018, o zagueiro levou um bico nos fundilhos do Olympique de Marselha. O clube descobriu que o atleta havia faltado ao treino porque optara por ‘uma luta na lama’ em programa de TV. Recentemente, sua ex-namorada, a atriz Pamela Anderson, o classificou como sociopata, monstro, infiel e narcisista, além de ameaçá-la várias vezes.

Bola de lixo. Fluminense. Flertando com a zona do agrião queimado, o Tricolor das Laranjeiras realiza a pior campanha da última década do Brasileirão, de acordo com levantamento do ‘Sr.Goool’. O time acumula apenas 12 pontos em 42 possíveis – três vitórias, três empates e oito coças. Aproveitamento de 28,6%. Quatro anos atrás, o Fluminense havia cravado sua pior largada, com 15 pontos.

Bola sete. “Sampaoli é um técnico acima da média, um técnico fora da curva. Merecedor de todo sucesso que tem aqui. Há três anos, fui a Sevilha e assisti a uma semana de trabalho dele. O Santos é uma das equipes mais organizadas, mais difíceis de ser vencidas” (de Rogério Ceni, novo treinador da Raposa, na contramão do corporativismo dos ‘professores’ nacionais – na mosca).

Dúvida pertinente. Grêmio x Saci colorado, a decisão da Copa do Brasil?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Felipe Melo e assoprador de latinha complicam a vida do Palmeiras; retranca garante empate ao Corinthians

Luiz Adriano: muita luta na estreia pelo Palmeiras

Que sua senhoria, o assoprador de latinha Igor Junio Benevenutto, mostrou que não serve nem para apitar partida de trem, ninguém discute. Um trapalhão em campo! Mas torcedores, jogadores, cartolas e Felipão não podem fechar os olhos para a expulsão do pitbull Felipe Mello ainda no primeiro tempo. Os palmeirenses devem jogar nas costas do volante boa parte do prejuízo causado ao time no empate em 2 a 2 com o Bahêa, na mansão Allianz Parque (34.275 pagantes/R$ 2.160.817,20).

Se vencesse, o Palestra encostaria no líder Peixe. Chegaria a 31 pontos, um a menos que os santistas depois de 14 rodadas. Com o empate, segue em segundo lugar, mas com 29, apenas dois à frente de Flamengo e Galo. Soberano Tricolor e Corinthians, com 24, fecham o G6 da Libertadores.

O time do ‘sargento’ Felipão fez a quina: cinco jogos sem vitória. O zagueiro Vitor Hugo e o atacante Luiz Adriano estrearam no Palmeiras com boas atuações.

O Palmeiras dominava os baianos com tranquilidade e vencia por 1 a 0, gol de Dudu aos 12 minutos de jogo, aproveitando rebote do bom goleiro Douglas, quando Felipe Melo nocauteou Lucca com uma cotovelada e recebeu o cartão vermelho na bacia das almas do primeiro tempo.

Felipe Melo não tomava banho mais cedo que os companheiros desde 30 de agosto de 2018, na derrota para o Cerro Porteño por 1 a 0, pela Libertadores. Passou 52 jogos (19 no ano passado e 33 em 2019) até ser expulso diante do Bahêa. Pela quarta vez, tomou o vermelho com a camisa palmeirense. O volante é o recordista de cartões amarelos pelo Palmeiras no ano (14, sete deles no Brasileirão).

No segundo tempo, com Thiago Santos no lugar de Zé Rafael para reforçar o meio de campo, o Palmeiras sofreu o empate logo aos 4, com Gilberto cobrando pênalti cometido por Diogo Barbosa (braço na bola) e confirmado pelo VAR.

Oito minutos depois, mesmo com um a menos, o Palestra marcou o segundo: Marcos Rocha cobrou lateral, Dudu cabeceou livre na pequena área, Douglas defendeu parcialmente e o atacante cutucou para a rede.

A equipe comandada por Roger Machado sentiu o golpe, vacilou em algumas jogadas, porém logo se recuperou. E empatou novamente aos 39. Luan disputou uma jogada com Arthur Caíke e o assoprador de latinha Igor Junio Benevenutto apontou a marca da cal, confirmada no VAR. Os palmeirenses reclamaram muito. Inutilmente. Gilberto bateu e converteu.

Na sequência, Gregore foi expulso. No 10 contra 10, mais 10 minutos de acréscimo, o Palmeiras pressionou e Dudu e Diogo Barbosa perderam boas chances para garantir os três pontos ao Palmeiras.

No Beira-Rio, o café da manhã do Dia dos Pais foi dos mais amargos para 36.166 convidados (31.856 pagantes/R$ 1.652.359). Saci colorado e, principalmente, Corinthians apresentaram um futebol de baixo nível técnico, com raríssimas emoções. Resultado: um ‘oxo’ que parecia interminável. Sem criatividade e sonolento.

O time gaúcho conseguiu as melhores chances, mas falhou nas finalizações, além de insistir demais em jogadas pelo meio, facilitando o trabalho da retranca do Corinthians. Que só importunou o goleiro Marcelo Lomba numa cobrança de falta de Clayson aos 34 minutos do segundo tempo. Desde o início, ficou claro que a equipe paulista queria levar um ponto.

O empate levou o Corinthians a 24 pontos, na sexta posição, a oito do líder Santos. O time foi ultrapassado pelo soberano São Paulo, que venceu o Peixe por 3 a 2. O Tricolor também acumula 24, mas tem melhor saldo de gols – 9 a 7. O Inter soma 21.

Na história do confronto, Corinthians 31 triunfos x 23 do Saci colorado. Aconteceram 32 empates em 86 duelos. No Brasileirão, 23 a 16 para os corintianos, com 23 empates.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Quén quén de Pato contra o Peixe levou a mídia tricolor à loucura, chegando a classificar a atuação do atacante como ‘soberba’, com ‘sangue nos olhos’. Que falta faz um título!

Ceni na Toca. A Raposa tentou fazer suspense, mas o Fortaleza abriu o jogo: Rogério Ceni, 46 anos, é o novo comandante do pão de queijo – depois, os mineiros confirmaram o acordo. O clube cearense agradeceu Ceni pelos serviços prestados e garantiu que o legado do M1to será preservado. Informou ainda que receberá a multa contratual (R$ 1 milhão). Ceni substituirá Mano Menezes e será aquinhoado com uma ótima herança ao aterrissar na Toca: nos últimos 19 confrontos, a Raposa ganhou apenas um. Está em 17º lugar, com 11 pontos, e abre a zona do agrião queimado do Brasileirão. De quebra, balança no bico da cegonha sem asas nas semifinais da Copa do Brasil, contra o Saci colorado. Ceni fechou até dezembro de 2020. No Fortaleza, faturava R$ 250 mil por mês; agora, deverá embolsar R$ 450 mil.

Resultado de imagem para fotos rogerio ceni
Rogerio Ceni: R$ 450 mil mensais na Raposa

Ceni na Toca 2. O treinador poderá ser apresentado nesta segunda. No fim de abril, Ceni recusou proposta do Galo para suceder Levir Culpi. Chegarão com o ‘professor’ os auxiliares Patrice Hembert e Nelson Simões Júnior, além do preparador físico Danilo Augusto. Pelo Fortaleza, Ceni disputou 94 partidas, venceu 51, empatou 18 e perdeu 25, com aproveitamento de 60,64%. Assumiu no início de 2018 e colecionou vários canecos: campeão da Série B; bambambã do estadual; e volta olímpica na Copa do Nordeste. Deixa o clube com 14 pontos. Na partida desta segunda, contra o CSA, o time será dirigido por Marconne Montenegro, do sub-20.

Zé Corneta. É impressionante a insistência do ‘professor’ Fabio Carille em manter Sornoza como titular do meio de campo. O Corinthians sempre joga com um a menos quando o equatoriano está em campo.

Tragédia na folga. Douglas Nunes, 27 anos, pivô do Corinthians com passagens pela seleção de futsal, morreu na madrugada deste domingo, em Erechim (RS). Ele foi baleado na saída de uma boate depois de disputar a semifinal da Taça Brasil – o Corinthians perdeu do Atlântico por 5 a 3 e foi eliminado. De acordo com testemunhas, Douglas e outros atletas teriam se envolvido num bafafá dentro de uma casa noturna na área central de Erechim. Na saída da boate, um carro se aproximou dos corintianos e fez os disparos. Douglas foi o único atingido. Ele foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia prendeu um suspeito.

Sugismundo Freud. Não tenha medo de amar, só tenha medo de odiar.

Vergonha rubro-negra. É, no mínimo, uma terrível e imperdoável mancha na gloriosa história do Clube de Regatas Flamengo. Seis meses já se passaram e o clube continua discutindo acordos com os familiares das vítimas da tragédia do Ninho do Urubu, que deixou 10 mortos. A Defensoria Pública sugeriu ao Rubro-negro pagar R$ 50 milhões, mas a ridícula cartolagem se negou a fechar um acordo. Alegou que não poderia despender tanto dinheiro, como se uma vida tivesse preço, pudesse ser taxada. Até agora, o Flamengo se entendeu com parentes de apenas três garotos que morreram. Quanto aos demais, optou por discutir na Justiça quanto teria de pagar. Provavelmente por estar mergulhado em uma terrível crise financeira.

Vergonha rubro-negra 2. Nesta temporada, o Flamengo investiu somente R$ 200 milhões em reforços. A folha salarial das chuteiras é de R$ 17 milhões. No primeiro trimestre, aplicou R$ 138 milhões em contratações. Apenas Arrascaeta custou R$ 80 milhões, ou R$ 30 milhões a mais do que a Defensoria Pública pediu após a tragédia. “Na ocasião, o Flamengo ofereceu de R$ 300 mil a R$ 400 mil para cada família. Nós propusemos R$ 2 milhões”, revelou a procuradora do Ministério Público do Trabalho, Danielle Cramer. Também pediu R$ 10 mil mensais até a data em que as vítimas completariam 45 anos. O clube se dispôs a bancar um salário mínimo por 10 anos.

Zapping. Coração aberto: nunca se torceu tanto na TV fechada. Logo logo, os ‘analistas’ aparecerão na telinha devidamente fardados com a camisa do time amado.

Gilete press. Do blogueiro Perrone, no Uol: “Relatório do Conselho Fiscal do Santos relativo às contas do primeiro trimestre de 2019 aponta que o presidente José Carlos Peres passou a ter à disposição um Jeep alugado pelo clube e um BMW cedido em regime de comodato. Há ainda menção a veículos alugados para jogadores e funcionários. O aluguel de um Jeep Compass para uso de Peres tem custo mensal de R$ 5.666,98 (…) O gasto mensal indicado pelo Conselho Fiscal até 17 de abril com veículos alugados foi de R$ 31.412. Com a devolução de três carros, a despesa por mês caiu para R$ 21.372,98.” Que festa!

Caiu na rede. Sampaoli, o gênio, levou nó tático de Felipão e Cuca. Só engoliu o aprendiz Carille.

Tititi d’Aline. Os engravatados de colarinho branco do STJD resolveram pegar o touro à unha. O Saci colorado terá de pagar uma estratosférica multa de… R$ 5 mil pela agressão a uma torcedora gremista dentro do Beira-Rio, no Gre-Nal da 11ª rodada do Brasileirão. A decisão foi unânime.

Você sabia que… na era dos pontos corridos do Brasileirão, iniciada em 2003, o Flamengo recebeu 11 vezes o Grêmio no Maraca e venceu nove, empatou uma e perdeu uma?

Bola de ouro. São Paulo. O soberano vive o melhor momento nesta temporada. Ao superar o líder Peixe, o time engatou a terceira vitória consecutiva. Com Daniel Alves e Juanfran, certamente vai poder sonhar mais alto no Brasileirão. Deve engatar o quarto triunfo contra o Ceará, no Morumbi.

Bola de latão. Corinthians. Uma aula de futebol pragmático contra o Saci colorado. Abdicou do ataque vergonhosamente. Passou os 90 minutos apenas se defendendo, irritando a Fiel. Lembrou os tempos do ‘empatite’. O time de Carille merecia ser castigado com um gol no último lance.

Bola de lixo. Peixe. A dívida a curto prazo do clube pulou de R$ 355 milhões em dezembro de 2018 para R$ 394 milhões em março deste ano. As chuteiras do Santos consomem R$ 13,6 milhões mensalmente – salários, direitos de imagem e encargos. Em 2018, as despesas atingiram R$ 9,5 milhões.

Bola sete. “Se a gente tivesse feito melhor o programado, teríamos feito bom jogo.
Pensei no horário, pensei em tudo e fiz uma equipe disciplinada. Saio satisfeito com o ponto aqui” (do ‘professor’ Fabio Carille, após o ‘oxo’ com o Saci colorado – vitória da retranca).

Dúvida pertinente. Rogério Ceni na casamata da Raposa: uma boa saída?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

De virada, soberano Tricolor detona líder Peixe e volta a vencer um clássico depois de um ano

Pato comemora gol pelo São Paulo
Pato, a estrela do Tricolor: dois gols

Sob as bênçãos de Daniel Alves e Juanfran, paparicados no camarote do chefão CA de Barros e Silva, o ínclito Leco, o soberano São Paulo derrotou o líder Peixe por 3 a 2, de virada, no Morumbi (47.277 torcedores/R$ 3.103.842), na abertura da 14ª rodada do Brasileirão. O ‘professor’ Tite, da amarelinha desbotada, também deu o ar da graça no estádio, acompanhado do auxiliar Cleber Xavier e do treinador de goleiros Taffarel.

O Tricolor voltou a ganhar um clássico depois de um ano. O último triunfo havia sido em 25 de julho de 2018, em casa: 3 a 1 no Corinthians, pelo Brasileirão. Depois, uma coleção de 12 embates sem vencer.

De quebra, o São Paulo detonou uma invencibilidade de oito jogos do Santos (um empate e sete vitórias seguidas) e pulou na frente do Corinthians. Ocupa agora a quinta posição, com 24 pontos, um a mais que o coirmão. Mas tem uma partida a menos (duelo adiado contra o Furacão). O Peixe comanda a tropa com 32 pontos.

A vitória era fundamental para o Tricolor continuar na caçada à taça que não levanta desde o tricampeonato (2006/07/08). Por isso, o time começou a partida com muita intensidade e pressionando a saída de bola dos santistas. Várias vezes a zaga do Peixe andou se complicando.

Mestre Cuca surpreendeu com a escalação de Toró na ponta direita (Antony está lesionado) e Everton no meio de campo. Sacou Hernanes. Na frente, Raniel e Alexandre Pato, a grande estrela do jogo, com a marcação de dois gols.

O hermano Sampaoli manteve o esquema com três zagueiros, com Pituca ajudando na marcação. Quando teve a posse de bola, o time adotou a velocidade e chegou a criar boas chances, mesmo com Soteldo bem vigiado por Igor Vinícius e Derlis Gonzáles pouco efetivo na direita.

Na bacia das almas da etapa inicial, Eduardo Sasha abriu o placar. O santista aproveitou o rebote de chute na trave de Diego Pituca e conferiu. Sétimo gol de Sasha, vice-artilheiro do Brasileirão (ao lado de Everaldo, da Chape), com dois atrás de Gabigol, do Flamengo.

O São Paulo retornou do vestiário com Hernanes no lugar de Luan. E numa blitz sensacional, virou o jogo em 10 minutos. Após escanteio, Pato aproveitou a sobra e empatou aos 3. No embalo da galera, Reinaldo fez o segundo, cobrando pênalti cometido por Felipe Aguilar. Na sequência, Hernanes se machucou e entrou Hudson.

Aos 26, Pato assinalou o terceiro depois de um vacilo da defesa santista. Aos 40, o Peixe descontou com um gol contra do centroavante Raniel, em cabeçada espetacular. Antes, Pato foi substituído por Vitor Bueno.

O Santos, que trocou Sanchez por Evandro, Felipe Jonatan por Jean Mota e Derlis Gonzáles por Marinho (entrou tarde demais) na fase final, partiu para o tudo ou nada, sem sucesso. Foi a segunda derrota do Santos no Brasileirão. Também dançou contra o Palmeiras, que está quatro pontos atrás e pode encostar na tabela se vencer o Bahia neste domingo.

De 2009 para cá, o São Paulo soma oito triunfos, contra seis do Peixe no Morumbi. Houve um empate. Das 15 partidas, oito foram pelo Brasileirão, seis pelo Paulistinha e uma pela Copa do Brasil. No total, 23 gols marcados pelo Tricolor e 24 pelo Santos.

Luan em ação contra o Flamengo
Arão e Luan duelam no Maraca

No ‘new Maraca’, diante de 57.644 torcedores (53.970 pagantes/R$ 2.420.747), o Flamengo bateu os reservas do Grêmio por 3 a 1. Arão, Arrascaeta (o melhor em campo) e Everton Ribeiro garantiram os três pontos ao Rubro-negro. O time gaúcho foi dominado desde o pontapé inicial, mas chegou a empatar com Galhardo, de pênalti, marcado pelo VAR.

O Flamengo segue em terceiro lugar, agora com 27 pontos, cinco atrás do líder Peixe. O Palmeiras está em segundo, com 28. O Grêmio ocupa o 13º lugar, com 17 pontos. O imortal acumulava 10 jogos sem derrotas na temporada.

A equipe carioca é a única com 100% de aproveitamento em casa: sete vitórias, 22 gols a favor e oito contra. A última derrota do Flamengo como mandante aconteceu em 3 de abril, diante do Peñarol, pela Libertadores.

Em Fortaleza (20.438 pagantes/R$ 258.266), o Ceará goleou a Chape por 4 a 1 e chegou à sétima colocação, com 20 pontos. Thiago Galhardo foi a estrela do jogo, com três gols. Felipe Cardoso também deixou sua marca. Renato Kayzer fez o gol de honra da Chape, que está na zona do agrião queimado -18º lugar, com 10 pontos.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. E o Lugano, hein? Só aparece na boa no soberano Tricolor.

Neymar no Real. A possibilidade de Neymar deixar o Paris Saint-Germain cresceu nas últimas horas. O atacante foi cortado da estreia do time no Campeonato Francês, contra o Nîmes, ‘para decidir o futuro’, segundo o gerentão do PSG, o brasileiro Leonardo. A nova casa do ‘menino Ney’ deverá ser o Real Madrid, informaram os jornais espanhóis. O ‘As’ garantiu que as negociações começaram após o PSG abrir diálogo com o Real Madrid, que pretende contratar o brasileiro por empréstimo até julho de 2020. Os espanhóis temem apostar alto numa compra em definitivo e depois se arrependerem. Já o PSG ficaria na expectativa de Neymar ser valorizado.

Neymar no Real 2. O ‘Sport’, por sua vez, revelou que o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, topou pagar a Neymar algo em torno de 40 milhões de euros (R$ 178,3 milhões) por um ano. A vontade do Real Madrid era contratar Pogba, mas o Manchester United colocou uma série de obstáculos para negociar sua estrela. Apontado como principal interessado no craque brasileiro, o Barcelona estaria apenas observando a movimentação do rival espanhol. O time catalão só lutaria por Neymar se o PSG aceitasse a inclusão de alguns jogadores na transação – Philippe Coutinho, Umtiti e Rakitic.

Zé Corneta. Lucas Lima, mais por fora no Palmeiras do que cotovelo de caminhoneiro.

Jejum palmeirense. O time do ‘sargento’ Felipão tenta contra o Bahêa, neste domingo, na mansão Allianz Parque, colocar ponto final numa sequência de quatro confrontos sem vitória. O Palmeiras não passava tantos jogos seguidos sem ganhar pelo Brasileirão desde o final de 2015. Há quatro anos, ficou seis rodadas sem festejar uma vitória. Dirigido pelo ‘professor’ Marcelo Oliveira, o Palestra priorizava a Copa do Brasil e acumulou derrotas contra Sport, Santos e Vasco. Depois, empatou com o Furacão e a Raposa, e perdeu do Coxa. O jejum acabou com uma vitória sobre o Flamengo por 2 a 1, na última rodada.

Sugismundo Freud. É fácil julgar as outras pessoas; difícil é refletir sobre os próprios erros.

Super-Timão. A equipe feminina do Corinthians dá um banho nos marmanjos. Ao massacrar a Ponte por 6 a 0, na velha Fazendinha, bateu o recorde de vitórias consecutivas na pátria das chuteiras furadas: 25, uma à frente do time masculino do Coritiba, marca obtida em 2011. Os gols foram marcados por Pardal, Victoria Albuquerque, Erika, Gabi Zanotti, Ingryd e Tamires. Com o resultado, o time foi a seis pontos em dois jogos pela segunda fase do Paulistinha. A equipe treinada por Arthur Elias é líder do grupo 4. Na próxima quarta, o Corinthians enfrentará o São José, no interior paulista, pelo jogo de ida das quartas de final do Brasileirão.

Caiu na rede. Sub-23 do Corinthians, mais inútil que sauna no deserto.

Dona Fifi. A mídia europeia acredita que o Flamengo convencerá Balotelli a aterrissar no ninho do Urubu se oferecer 4 milhões de euros (R$ 17,6 mi) por temporada, livres de impostos. O atacante não tem muito escolha porque está em baixa na Europa.

Gilete press. De Beatriz Cesarini, no Uol: “Conhecido por não falhar dentro da área, Romário foi acusado por Solange Gomes de ‘não fazer o gol’ durante uma noite que passou no motel com o ex-jogador. Em sua biografia, Solange, que marcou época no quadro ‘Banheira do Gugu’, disse que chegou a se relacionar com o então atleta em 1998. ‘Romário escolheu o quarto mais barato do motel. Na época, os jornais informaram que ele estava tomando um remédio para calvície, então nesse dia as coisas não aconteceram…’, conta Solange.” Gol contra!

Tititi d’Aline. Líder do Brasileirão, com quatro pontos à frente do milionário Palmeiras, o hermano Sampaoli e sua comissão técnica custam R$ 1 milhão por mês ao Peixe. O lateral Daniel Alves receberá R$ 1,5 milhão para a xepa no soberano Tricolor. Ou seja, 50% a mais que Sampaoli e sua trupe. Já Juanfran embolsará R$ 600 mil no Morumbi.

Você sabia que… a Premier League 2019/2020 começou com 23 jogadores brasileiros distribuídos entre os 20 times, quatro a mais do que na última temporada?

‘Bola de ouro’. Vasco. É o fim do mundo: ‘Guardiões da Colina’, um grupo de vascaínos, decidiu organizar uma ‘vaquinha’ online para ajudar os professores do Colégio Vasco da Gama. Eles estão em greve porque não recebem há três meses. A campanha espera arrecadar pelos menos R$ 70 mil.

Bola de latão. Palmeiras. Boa parte da torcida ficou uma fera ao saber que o decisivo encontro com o Grêmio, pelas quartas de final da Libertadores, será realizado no Pacaembu, dia 27, e não mais na mansão Allianz Parque. O time foi ‘expulso’ de casa porque o estádio receberá shows da dupla Sandy & Junior nos dias 24 e 25. O primeiro duelo entre o imortal e o Palestra acontecerá no dia 20, em Porto Alegre.

Bola de lixo. ESPN Brasil. Explora como poucos a Premier League, considerada a galinha dos ovos de ouro da emissora. O badalado Pep Guardiola dava entrevista à competente Natalie Gedra, após a goleada do Manchester City no West Ham por 5 a 0, quando o papo foi interrompido abruptamente para o início da transmissão de Crystal Palace x Everton. Um show de imagens: ninguém no gramado, apenas o sistema de irrigação do estádio em funcionamento. Pobre telespectador!

Bola sete. “Concentrar em Daniel Alves a esperança de que títulos virão, de preferência já no Brasileiro de 2019, é arriscado e exagerado. A presença dele no elenco tricolor será importante, do ponto de vista técnico; porém, não é o salvador da pátria” (de Antero Greco, no Uol – fato).

Dúvida pertinente. Soberano São Paulo, 3 a 2: o campeão voltou?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Desafio ao soberano Tricolor contra o líder: voltar a ganhar um clássico depois de um ano

Juanfran, Daniel Alves e Hernanes no treino do Tricolor

Um barril de água no chope da festiva semana do soberano São Paulo após a contratação de Daniel Alves. Desde 2009, o Tricolor dividiu a mesa 115 vezes com palmeirenses, corintianos e santistas. Passou fome em 56, rachou a pizza em 31 e comeu caviar apenas em 28 encontros. Também pagou a conta em 10 dos 11 mata-matas que disputou na última década.

O rega-bofe do clube, com sanduíche de mortadela e regado a tubaína sem gelo, já completou um ano sem ganhar um clássico. O último filé foi devorado em 25 de julho de 2018, em casa, com um triunfo sobre o Corinthians por 3 a 1, pelo Brasileirão. Anderson Martins e Reinaldo (dois) comandaram o churrasco. De lá para cá, uma vida de faquir: 12 jogos sem vencer.

O próximo encontro para degustação será neste sábado, diante do Peixe, no sempre acolhedor restaurante do Morumbi. Depois de mais de dois meses sem devorar a azeitona da empadinha, o São Paulo voltou a vencer em 22 de julho: 4 a 0 na Chape. Somava quatro empates como mandante até o triunfo diante dos catarinenses.

Com 21 pontos na tabela, 11 atrás do Santos, a vitória é fundamental para o São Paulo seguir na caçada à taça que não levanta desde o tricampeonato – 2006/07/08.

Adversário da 14ª rodada do Brasileirão, o líder Peixe enfileirou uma série de funerais em mata-matas contra o time são-paulino: Paulistinha de 2010/11/12/15 e Copa do Brasil de 2015.

No Choque-Rei, o time são-paulino coleciona oito vitórias, 11 empates e 13 derrotas diante dos periquitos em revista. Já em Majestosos, contra o Corinthians, o Tricolor soma oito triunfos, 15 empates e 23 pauladas.

Os corintianos fizeram a festa em seis mata-matas: Paulistinha de 2009/13/17/18/19, além da Recopa Sul-americana de 2013. Há dois anos, o soberano sorriu ao ganhar nos pênaltis do amigo de fé na Florida Cup, a cobiçada Copa Mickey.

A equipe santista entrará em campo embalada por oito jogos sem perder. Depois do empate contra o Saci colorado, o Peixe engoliu Ceará, Galo, Corinthians, Bahêa, Botafogo, Avaí e Goiás. Nesse período, marcou 16 gols.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. A crise financeira chegou ao mercado publicitário da bola. Nada menos que R$ 166 milhões saíram de circulação em 2018. O Palmeiras morre de rir.

Herança mineira. O substituto de Mano Menezes na Raposa vai pegar um ótimo espólio: nos últimos 18 confrontos, o pão de queijo ganhou apenas um; acumula oito jogos sem balançar a rede adversária; ocupa a 18ª colocação na zona do agrião queimado do Brasileirão, com apenas 10 pontos em 39 possíveis; e está no bico da cegonha sem asas nas semifinais da Copa do Brasil contra o Saci colorado. De quebra, o artilheiro do time, Fred, curte 16 jogos sem correr para o abraço.

Herança mineira 2. Em sua segunda passagem pela casamata da Raposa, Mano Menezes cravou 103 vitórias, 59 empates e 50 coças em 212 duelos. Ganhou duas Copas do Brasil (2017/18) e dois Mineirinhos (2018/19) em quase três anos no cargo. O ‘professor’ tinha contrato até dezembro deste ano.

Zé Corneta. O brasileiro anda mais assustado que cachorro em canoa.

Favoritaço. Agora quem dá bola é o Santos: 60% de chances de soltar o grito de campeão brasileiro, após 13 jornadas. O cálculo é do site ‘Infobola’, do professor de matemática Tristão Garcia. O Peixe lidera com 32 pontos, quatro à do milionário Palmeiras, dono de 18% de possibilidades de dar a volta olímpica. O também rico Flamengo, com 24 pontos, acumula 7%. Depois vêm Galo (4%), Corinthians (3%), Furacão (3%) e soberano São Paulo (2%).

Sugismundo Freud. Esqueça o ontem, e pense no amanhã.

SOS Corinthians. Xodó da Fiel e em alta novamente no mercado, o atacante Pedrinho, 21 anos, é a grande esperança de o Corinthians respirar um pouco mais aliviado financeiramente. O contrato do atleta termina em dezembro de 2020 e a multa rescisória é de 40 milhões de euros (R$ 163 milhões). O martelo corintiano, porém, desce à mesa se aparecer um clube disposto a pagar 25 milhões de euros (R$ 103 milhões). Será recebido na velha Fazendinha com champanhe e caviar.

Zapping. Torcedores de vários times torcem o nariz para a SporTV e o Fox Sports. As emissoras passam a maior parte dos programas abordando apenas o Flamengo.

Gilete press. De Athos Moura, no Globo: “Jorge Kajuru entregou oficialmente o pedido de abertura da CPI do Esporte ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, com a assinatura de 40 senadores. Basta saber se a CPI vai emplacar. Gente ligada à cúpula da CBF anda trabalhando para brecar a investigação de Kajuru.” É a bancada da bola.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Na seca há muitos anos, Tricolor entra em contato com a CBF para reconhecer a contratação de Daniel Alves como título.

Tititi d’Aline. A francesa Stéphanie Frappart entrará para a história na próxima quarta: apitará Liverpool x Chelsea, decisão da Supercopa da Uefa, tornando-se a primeira mulher a comandar uma final de importante competição masculina na Europa. Em julho, ela dirigiu EUA x Holanda, na Copa do Mundo feminina. Frappart também foi a primeira a apitar um jogo do Campeonato Francês, entre Amiens e Strasbourg, em abril.

Você sabia que… Fred vive um jejum de 1.126 minutos sem marcar um gol pela Raposa?

Bola de ouro. Felipe Melo. Aos 36 anos, o adorado pitbull da torcida palmeirense tem sido o grande destaque da equipe nesta temporada. Um leão para defender e atacar. Comanda o time com uma garra incrível. E desandou a fazer gols. Já marcou quatro.

Bola de latão. Avaí. O time catarinense carrega invejável marca: é o único entre os 40 clubes das duas principais séries do Brasileiro que ainda corre atrás da primeira vitória. Carrega a lanterna com cinco pontos em 39 possíveis. Guga, o ‘Manezinho da Ilha’, é só felicidade.

Bola de lixo. Raposa. O clube mineiro enfrenta a pior crise de sua história. Dentro e, principalmente, fora de campo. Há quem garanta que o Cruzeiro quebrou. Está atolado numa crise financeira e moral sem precedentes. Virou até manchete policial. Já o time se encontra numa fase técnica lamentável: oito jogos sem marcar e apenas um triunfo em 18 embates. Mano Menezes dançou após 234 partidas.

Bola sete. “Mano Menezes sai de cena, até que algum clube resolva convidá-lo. Voltará ao mercado com novo comportamento ou ainda adepto do jogar para não perder?” (de Mauro Cezar Pereira, no Uol – morreu ‘enforcado’ no pragmatismo).

Dúvida pertinente. A Raposa visitará pela primeira vez o inferno da segundona?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br