Bons números favorecem Corinthians: chances de vitória chegam a 25%, contra apenas 49% do Grêmio

Resultado de imagem para charges e desenhos do gremio

A Fiel pode aguardar com otimismo o tira-teima contra o Grêmio, neste domingo, em Porto Alegre. Que o digam os números! A matemática do site ‘Chance de Gol’, por exemplo, aponta o líder Corinthians como superfavorito no principal confronto da 10ª rodada do Brasileirão.

A equipe paulista reúne nada mais que… 24,7% de possibilidades de vitória, contra apenas 49% do Grêmio, segundo colocado com 22 pontos, um a menos que o coirmão. O empate entra na dança, com 26,3%. Outro dado animador: o Corinthians levou bucha do imortal gaúcho nas últimas cinco partidas que disputou no Sul. Desde o triunfo por 2 a 1, em 2011, a Fiel não festeja uma vitória.

No histórico do Brasileirão, o placar aponta Grêmio 26 x 19 Corinthians – aconteceram 12 empates. Na Arena Grêmio, quatro jogos e somente derrotas corintianas. Entre os 19 estádios utilizados pelos adversários da elite nacional, a casa gremista é a única em que o Corinthians nunca triunfou.

De acordo com o ‘Almanaque do Timão’, de Celso Unzelte, no antigo estádio gremista, o Olímpico, o Corinthians comemorou incríveis cinco vitórias. Empatou quatro vezes e apanhou apenas 15. No Morumbi, mais glórias corintianas: dois triunfos, três empates e quatro surras. Já no Pacaembu, em 16 porfias, Corinthians 11 x 3 Grêmio. E no Itaquerão, minha casa minha vida, uma vitória do líder e dois empates.

Corinthians e Grêmio entrarão em campo embalados por bons resultados no meio da semana. Mesmo sem apresentar um futebol capaz de fazer a Fiel suspirar de alegria, o time corintiano bateu o Bahêa por 3 a 0. O Grêmio sapecou o Coxa por 2 a 0. Só não conseguiu massacrar porque o goleiro Wilson operou pelo menos quatro milagres.

Outra atração da ‘primeira final’ do Brasileirão: melhor ataque (Grêmio, 23 gols, média de 2,5 por jogo) x defesa mais sólida (Corinthians, cinco gols, média de 0,5). Todos os ingressos de arquibancada e cadeiras já foram vendidos. Só há camarotes à disposição da torcida, com preços a partir de R$ 240. Passando a régua:

Grêmio – vice-líder
22 pontos
7 vitórias (quatro como mandante)
1 empate
1 derrota
23 gols a favor
10 gols contra
18 cartões amarelos e um vermelho
81,5% de aproveitamento
Público pagante (média) 20.567
Renda bruta R$ 2.646.635

Corinthians – líder
23 pontos (único invicto)
7 vitórias (quatro como mandante)
2 empates
17 gols a favor
5 gols contra
12 cartões amarelos e um vermelho
85,2% de aproveitamento
Público pagante (média) 37.759
Renda bruta R$ 8.941.280                                              

                                                          ############

Zé Corneta. Prestígio de Rogério Ceni como ‘professor’ cai a cada rodada do Brasileirão. Se o soberano Tricolor entrar na zona do agrião queimado, o treinador deve começar a repousar no bico da cegonha sem asas.

Bye-bye, Peixe. Entre uma trinca e uma quadra num jogo de pôquer com o amigo Neymar, o meia Lucas Lima mandou um recado à torcida do Peixe: defenderá o Barcelona em 2018. E não é blefe. O pré-contrato com o time catalão será assinado a partir de 1º de julho, quando faltarão apenas seis meses para o fim de seu acordo com o Santos. Dono de apenas 10% dos direitos econômicos do jogador, o Peixe não ganhará um centavo com a transferência, já que Lucas Lima pretende limpar o armário no aquário da Vila Belmiro somente em dezembro. O restante dos direitos é do fundo Doyen (80%) e do empresário Edson Khodor (10%). A saída do meia ao fim do contrato gerará uma multa de R$ 8 milhões ao Peixe, a ser paga à Doyen. O Santos prometeu protestar na mamãe Fifa contra o assédio do Barça ao atleta.

Pitaco do Chucky. ‘Professor’ Roger Machado balança mais no Galo que bumbum de rainha de bateria no sambódromo.

‘Cachorro louco’. Novo xodó da torcida do Bahêa, o volante Renê Júnior não esconde: entre os muitos apelidos que ganhou da galera (‘Yaya Renê’, ‘Kantê Júnior’ ou ‘Makerenê’), nenhum é capaz de superar ‘Crazy dog’ (cachorro louco). “Fico feliz com as comparações, até porque os caras estão na Europa e são milionários. Mas gosto mais mesmo de ‘Crazy dog’, que ganhei há muito tempo. É o que se encaixa no meu perfil”, revelou o jogador em entrevista ao ‘Correio da Bahia’.

Sugismundo Freud. Em tempo de guerra mocotó é lombo.

‘Cachorro louco’ 2. Em 32 jogos pelo time, Renê Júnior marcou dois gols. Os direitos federativos do atleta pertencem à Ponte. Emprestado até dezembro, Renê Júnior ganhou status de ídolo do Bahêa, com direito a frases como ‘fazer sexo é bom, mas você já viu o Renê Júnior jogando?’ ou ‘a água cobre 71% da Terra, os outros 29% quem cobre é Renê Júnior’. Na derrota para o Corinthians por 3 a 0, ele foi expulso no segundo tempo.

Caiu na rede. São Paulo vai continuar patinando enquanto for refém da ‘mitomania’.

Pega ladrão. A ciclista Priscilla Carnaval, 23 anos, que representou o Brasil no BMX dos Jogos de 2016, foi roubada em Sorocaba, interior paulista, onde reside e treina. Além do carro Voyage, o ladrão levou também sua bike. Ela estava com o irmão e um primo. Priscilla defendeu o país no Mundial e no Pan de Toronto, em 2015.

Dois toques. Só Gilmar Mendes pode inocentar Lucão no Tricolor.

Pé de cana. A maioria (56%) dos torcedores paulistas aprova a volta da venda de cerveja aos estádios. Já 43% são contra, de acordo com pesquisa do Datafolha, encomendada pela FPF. Só 1% não soube ou não quis responder. A enquete foi realizada em 29 cidades de São Paulo.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Mendonça, 61 anos, ídolo do Botafogo, trava mais uma batalha contra o alcoolismo. Há dois meses, no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, o ex-jogador enfrenta insuficiência hepática, problemas cognitivos, respiratórios, gástricos e urinários. Mas, agora, o ex-atleta vai para a clínica Jorge Jaber para um tratamento de dependência química.” Merece o apoio de todos.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. O atacante Neymar confirmou: não troca mais figurinha com a global Bruna Marquezine. O romance chegou ao fim pela terceira vez. “Terminamos bem e torço muito por ela. Faz parte, é vida que segue”, afirmou o craque antes de um leilão em prol do Instituto Neymar. O atleta do Barcelona pintou no pedaço sem aliança e com novo penteado, com franja e fios encaracolados, motivo suficiente para ser comparado a Cauby Peixoto, morto em 2016, nas redes sociais. O motivo da separação do casal ‘Brumar’ teria sido um pedido de casamento do jogador. A atriz recusou por considerar que ainda é muito nova – completará 22 anos em agosto; Neymar tem 25. O atacante já estaria curtindo um novo affair, a modelo baiana Carol Caputo, 23 anos.

Você sabia que… o Peixe nunca perdeu para o Sport no aquário da Vila Belmiro, colecionando 12 vitórias e cinco empates no Brasileirão?

Bola de ouro. Antonio Conte. Campeão inglês com o Chelsea, o ‘professor’ italiano foi eleito o melhor do mundo nesta temporada pela revista inglesa ‘FourFour Two’. Ele ficou à frente de Zidane, vencedor da Champions e do Campeonato Espanhol com o Real Madrid, e Massimiliano Allegri, campeão italiano e vice europeu com a Juventus. O argentino Diego Simeone, do Atlético de Madrid, e o português José Mourinho, do Manchester United, completam o top 5. Em 15º lugar, Tite é o único brasileiro na lista dos 50 melhores.

Bola de latão. Torcida da Ponte. A Macaca campineira cumpre boa campanha no Brasileirão (sétimo lugar, com 14 pontos), mas a galera não está nem aí. Média de público é a pior entre os times do campeonato, com 4.187 testemunhas por jogo.

Bola de lixo. Náutico. Um momento feliz: lanterna da Série B com dois pontos, único time sem vitória entre os 40 das duas principais divisões do Brasileiro, após nove rodadas, e abandonado pela torcida – média inferior a 1.500 testemunhas por partida.

Bola sete. “Em um ano eu quito a dívida do Palmeiras. Antes do término do meu mandato, o Palmeiras não vai ter mais dívida depois de muitos anos. Aí todas as receitas, de maneira integral, virão para o caixa do Palmeiras, dando total liberdade ao clube para investir e trabalhar com 100% de suas receitas” (do presidente Maurício Galiotte, ao ‘Lance’ – Super-Verdão à vista?).

Dúvida pertinente. Por que Jadson ainda não engrenou para valer no meio-campo do Corinthians?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘Professor’ Carille, seis meses com louvor no Corinthians: vitória, liderança e 22 jogos sem derrota

O gringo Balbuena comemora o segundo gol com o atacante Jô

O ‘professor’ Fabio Carille completou seis meses à frente da sala de aula do Corinthians em grande estilo. A equipe derrotou o Bahêa por 3 a 0, gols de Jô, Balbuena e Marquinhos Gabriel, e continua na liderança do Brasileirão, agora com 23 pontos – sete triunfos e dois empates. O Bahêa segue com 10, na 15ª posição. Completou quatro confrontos sem triunfar.

Sob o comando de Carille, a equipe disputou 38 jogos. Obteve 23 vitórias, 13 empates e sofreu apenas duas derrotas, com aproveitamento superior a 71%. Em 21 embates, o time não tomou gol. Carille ganhou o Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, e amargou uma frustração: foi eliminado da Copa do Brasil pelo Saci colorado na quarta fase.

Com o triunfo sobre o time baiano no Itaquerão, minha casa minha vida (34.250 pagantes/R$ 1.504.387,20), o Corinthians completou 22 jogos sem derrota. O último fracasso aconteceu em 19 de março, em Araraquara, na primeira fase do estadual: Ferroviária, 1 a 0. Já se vão mais de três meses…

O Corinthians foi surpreendido pela marcação alta do Bahêa no início da partida. A equipe paulista esperava um adversário mais preocupado em defender-se e tentar os contra-ataques, mas os baianos adotaram uma filosofia diferente. Procuraram evitar a saída rápida dos corintianos, exercendo pressão nos articuladores Rodriguinho e Jadson (ambos em noite apenas regular), além de explorar muito bem as laterais, principalmente os espaços deixados por Guilherme Arana na esquerda.

Resultado: aos 7 minutos, Zé Rafael apareceu sozinho na entrada da área, arrematou e Cássio fez grande defesa. Mais eficiente na troca de passes, o Bahêa se impôs em campo. E passou a arriscar chutes de média distância, já que envolvia o Corinthians na intermediária.

Aos poucos, a equipe paulista foi se acertando, com triangulações e contragolpes eficientes. Aos 23, Maycon lançou Romero, que entregou com açúcar para Jô. Sozinho na área, o centroavante chutou por cima. A Fiel ainda lamentava a ótima chance perdida quando Fagner lançou Jô, novamente livre de marcação. Dessa vez, não deu chabu: Jô driblou o goleiro Jean e tocou para a rede. A vantagem tranquilizou o Corinthians. Que procurou atrair o Bahêa a fim de pegá-lo no contrapé, sem sucesso.

O segundo tempo começou quente: o corintiano Gabriel foi expulso aos 11, e quatro minutos depois, quem saiu foi Renê Júnior. No 10 contra 10, o Bahêa foi em busca do empate, mas deixou vazios na defesa, muito bem explorados pelos contra-ataques do Corinthians. Num deles, aos 34, conseguiu um escanteio. Após a cobrança, Romero desviou e Balbuena conferiu: 2 a 0.

Na bacia das almas, depois de Kazim perder um chance incrível, o Bahêa saiu jogando errado, Marquinhos Gabriel tomou a bola de Feijão e tocou por cobertura na saída de Jean e fechou o placar: 3 a 0.

No fim de semana, o Corinthians joga contra o vice-líder Grêmio, em Porto Alegre. Gabriel, expulso, será o desfalque. O duelo é encarado como a primeira final antecipada do Brasileirão. O imortal gaúcho bateu o Coxa por 2 a 0, gols de Pedro Rocha e Fernandinho, e chegou a 22 pontos, um a menos que o Corinthians. O goleiro Wilson, com cinco defesas difíceis, evitou o massacre do Grêmio na Arena (21.095 torcedores).

Já o Bahêa recebe o Flamengo na Fonte Nova. O Rubro-negro goleou a Chape por 5 a 1, na Ilha do Urubu (13.436 torcedores/R$ 834.628). Guerrero marcou três gols. Diego, outro destaque, guardou dois. Victor Ramos descontou. O zagueiro Rhodolfo estreou no Flamengo. Substituiu Réver no segundo tempo. Com a vitória, o time carioca pulou para a oitava colocação (14 pontos). A Chape, com 13, caiu para o 10º lugar.

Em Campinas, com um gol de Lucca, cobrando pênalti polêmico, a Ponte espantou os reservas da Raposa, no estádio Moisés Lucarelli (4.465 pagantes/R$ 115.475). A Macaca não comia o pão de queijo havia cinco anos. Com a derrota, a Raposa completou três jogos sem vencer. Já a Ponte manteve 100% em casa: quatro jogos, quatro triunfos (Sport, soberano São Paulo, Chape e Cruzeiro). Está em sétimo lugar, com 14 pontos. A Raposa tem 11, na 11ª colocação.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Peixe faz a quadra em cinco jogos e pula para terceiro; Palmeiras sofre para matar Dragão

Resultado de imagem para fotos vitoria 0 x 2 santos
Copete garantiu a quarta vitória santista em cinco jogos após saída de Dorival Jr.

O Peixe continua em ascensão após a demissão do ‘professor’ Dorival Júnior. Na abertura da nona rodada do Brasileirão, a equipe conquistou um belo resultado diante do Vitória: 2 a 0, gols de Copete, no Barradão (8.179 pagantes/R$ 112.189). O colombiano não corria para o abraço desde 26 de abril. O Leão baiano é a vítima preferida de Copete (ano passado, fez três).

A equipe santista obteve o quarto triunfo em cinco jogos de invencibilidade. Ou seja, ganhou 13 pontos em 15 possíveis, e chegou à terceira posição no campeonato, com 16. O Vitória, com oito pontos, está na zona do agrião queimado.

O primeiro tempo terminou com o Vitória superando o Peixe na posse de bola (60% a 40%), nas finalizações (6 a 5), nos passes certos (176 a 121), nos escanteios (7 a 4), nos cruzamentos (19 a 10) e nos lançamentos corretos (16 a 7), mas levando a pior no principal, o marcador: 1 a 0, gol de Copete.

Aos 33 minutos, o zagueiro Fred saiu jogando errado e o Santos encaçapou. Bruno Henrique acionou Copete, que acertou belo chute, sem chance para o goleiro Fernando Miguel. A partir daí, o time paulista recuou a fim de explorar os contragolpes, enquanto o Vitória tentou, inutilmente, superar a zaga adversária.

Com Neilton no lugar de Salino, a equipe baiana procurou pressionar o Santos desde o início do segundo tempo. Aos 13, reclamou muito de um pênalti de David Braz em Neilton, que sua senhoria, o assoprador de latinha Héber Roberto Lopes, não marcou.

Na sequência, o Peixe trocou Alison, com dores na perna esquerda, por Leo Cittadini. Aos 25, nova alteração no time paulista: Vitor Bueno por Rafael Longuine. O Vitória continuou mais impetuoso no ataque, principalmente com Neilton. O Santos, por sua vez, não abdicou dos contra-ataques, e pimba na caxirola: aos 32, Bruno Henrique desceu pela direita, levou Fred na conversa e tocou para Copete marcar o segundo gol.

Três minutos depois, o herói santista foi substituído por Arthur Gomes. Aos 44, o Vitória perdeu a grande chance de diminuir o placar. Bruno Henrique meteu o braço na bola dentro da área, mas Kieza perdeu o pênalti, chutando na trave. Na bacia das almas, Fred, o pior em campo, cobrou uma falta e Vanderlei fez ótima defesa. Que goleiraço!

Na mansão Allianz Parque (29.014 torcedores/R$ 1.590.701,88), o Palmeiras jogou mal, mas conseguiu matar o Dragão goiano com um gol de Borja na bacia das almas do primeiro tempo. O Palestra obteve a 13ª vitória como anfitrião neste ano. A equipe também acumula três empates (87% de aproveitamento).

Com o resultado, o time de mestre Cuca subiu para a sétima colocação, com 13 pontos, um a mais que o Fluminense, primeiro time dentro do G6, e a sete do líder Corinthians. O Atlético/GO, com seis, está no subsolo do Brasileirão.

Escalado no lugar de Willian, suspenso, o colombiano Borja voltou a marcar após cinco jogos de jejum – Saci colorado (Copa do Brasil), Tucumán (Libertadores), São Paulo, Inter e Galo (Brasileirão). Ele balançou a rede aos 45 minutos da etapa inicial. E foi substituído por Raphael Veiga aos 39 do segundo tempo.

O Palmeiras cometeu muitos erros ao longo da partida, que marcou o retorno de Dudu. O xodó da torcida entrou no lugar de Keno na etapa final e perdeu um gol incrível no final da partida. Mesmo com um time limitado tecnicamente, o Dragão poderia ter empatado, mas parou nas luvas de Fernando Prass.

Em Curitiba, o soberano São Paulo voltou a fracassar na Arena da Baixada (19.150 pagantes). A equipe perdeu por 1 a 0, gol de Wanderson aos 3 minutos de jogo, após falha de Militão, e agora acumula 12 derrotas e quatro empates no campo do Furacão. Como visitante contra a equipe paranaense, o Tricolor não vence há 35 anos. Festeja 14 coças e nove empates. Obteve apenas um triunfo (3 a 1), em 1982.

O São Paulo de Rogério Ceni alcançou um recorde negativo, de cinco derrotas nos nove primeiros jogos do Brasileirão, segundo Rodolfo Rodrigues, do ‘Uol’. O Tricolor ocupa a 15a posição, com 10 pontos, e flerta com a zona do rebaixamento.

                                                      ############

Pitaco do Chucky. PGR: lista tríplice ou vacina tríplice?

Delação premiada. Uma raposa felpuda que frequenta os enlameados bastidores do ludopédio nacional não tem dúvidas: Zé da Medalha só conseguiu alguns privilégios durante a prisão domiciliar porque abriu o bico às autoridades americanas sobre o escândalo ‘Fifagate’. O ex-chefão do Circo Brasileiro de Futebol pode, por exemplo, frequentar badalados restaurantes de Nova York, devidamente acompanhado por um agente de segurança privada e com a inseparável tornozeleira eletrônica, que também usa como adereço em um luxuoso apartamento na 5ª Avenida.

Zé Corneta. Saci colorado, 14 pontos em 27 possíveis, sexto colocado na segundona: tristemente incompetente, irritante e deprimente. Gigante da Beira-Rio?

Delação premiada 2. Feliz da vida com o sucesso do irmão camarada nos EUA, o imperador ostentação Del Nero admitiu: se conseguir lembrar o segredo do cofre em que repousa seu passaporte há mais de um ano, ele pegará um avião e seguirá até NY a fim de dividir um hot dog com o carismático Zé da Medalha, além de conhecer a coleção de medalhas internacionais do amigo de fé.

Dois toques. Levir Culpi, ‘professor’ ou stand-up comedy no aquário da Vila Belmiro?

Peroba nele! Um banho de óleo de peroba é pouco para o ex-chefão da bola Joseph Blatter. Envolvido até o último fio de cabelo no escândalo ‘Fifagate’, o suíço cara de pau afirmou ao jornal britânico ‘The Guardian’ que esperava ganhar um Prêmio Nobel antes de ser escorraçado do trono de rei das chuteiras. O trambiqueiro Blatter chegou até a pedir o Nobel em um encontro com os organizadores do prêmio. Argumentou que a mamãe Fifa teria de ser abençoada por causa do “brilhante trabalho” desenvolvido através da bola.

Caiu na rede. Tem jogador do Inter mais perdido que político honesto em Brasília.

Garotos de ouro. O menino Jesus, 20 anos, é o único brasileiro na lista dos 11 jovens mais promissores e caros do esporte bretão. O ex-palmeirense foi avaliado em 56,3 milhões de euros (R$ 207 milhões) e ocupa a sexta posição no ranking do Observatório de Futebol (CIES). Gabriel Jesus também é único sul-americano na pesquisa. O francês Mbappé, 18, atacante do Monaco, lidera o time com 92,6 milhões de euros (R$ 341 milhões). O top três tem ainda Dembélé, 20, também francês, do Borussia Dortmund (87,1 milhões de euros/R$ 320 mi) e o alemão Leroy Sané, 21, do Manchester City (75 milhões de euros/R$ 275 mi). No total, os 11 jogadores valem juntos mais de R$ 2,3 bilhões:

1) Mbappé, Monaco – 92,6 milhões de euros (R$ 341 mi)
2) Dembélé, Borussia Dortmund – 87,1 milhões de euros (R$ 321 mi)
3) Sané, Manchester City – 74,8 milhões de euros (R$ 275 mi)
4) Rashford, Manchester United – 70,7 milhões de euros (R$ 260 mi)
5) Thomas Lemar, Monaco – 62,9 milhões de euros (R$ 231 mi)
6) Gabriel Jesus, Manchester City – 56,3 milhões de euros (R$ 207 mi)
7) Julian Weigl, Borussia Dortmund – 47,6 milhões de euros (R$ 175 mi)
8) Donnarumma, Milan – 39 milhões de euros (R$ 143 mi)
9) Julian Brandt, Bayer Leverkusen – 38,4 milhões de euros (R$ 141 mi)
10) Asensio, Real Madrid – 36,9 milhões de euros (R$ 136 mi)
11) Theo Hernández, Atlético de Madrid – 24,2 milhões de euros (R$ 89 mi)

Zapping. E a tartaruga ninja segue falando pelos cotovelos… e por todos da bancada esportiva da TV.

Pires na mão. Três brasileiros figuram na lista dos 20 jogadores que mais se desvalorizaram na última temporada: incrível Hulk, Thiago Silva e Oscar. De acordo com o site alemão ‘TransferMarkt’, o atacante do Shangai ocupa a 10ª colocação. Sofreu uma queda de 40%, passando de 37 milhões de euros para 22 milhões. O zagueiro do PSG aparece em 13º lugar, com uma perda de 52%. Hoje, Thiago Silva vale 12 milhões de euros, 13 milhões a menos do que em 2015/16. Já a cotação do meia Oscar, companheiro de Hulk no clube chinês, caiu 13 milhões de euros, de 38 milhões para 25 milhões. O líder do ranking é o colombiano James Rodriguez, do Real Madrid. O bico da chuteira do meia foi rebaixado de 80 milhões de euros para 50 milhões.

Dona Fifi. O lutador Anderson Silva, 42 anos, vai ser vovô. Sua filha mais velha, Kaory, está grávida. Ela e o namorado, Jesus Trujillo, anunciaram a novidade nas redes sociais. Trujillo é lutador de boxe e dublê.

Leão ataca. O gajo Cristiano Ronaldo terá de explicar o drible de 14,7 milhões de euros (R$ 54,3 milhões) no Leão espanhol em 31 de julho. Acusado de fraude fiscal, o craque do Real Madrid será ouvido pela juíza Laura Gómez Ferrer no tribunal de Pozuelo de Alarcón. O ‘professor’ José Mourinho também está enrolado. A Procuradoria de Madri apresentou denúncia contra o técnico português, atualmente no Manchester United, por sonegar 3,3 milhões de euros (R$ 12,1 milhões).

Dois toques. São Paulo contrata Jonatan, meia do Boca, ops, um meia-boca do Santa Fé.

Gilete press. De Dieguito Maradona à TV argentina, sobre o brasileiro Daniel Alves, que o considera mau exemplo para as crianças: “Daniel Alves é um idiota. Faz 28 cruzamentos e acerta quatro. Bons eram Cafu, Maicon. Daniel Alves? Pobrezinho. Ele fala porque está em um lugar do campo onde não se joga futebol (…) Se continuarmos a falar de Alves, vou embora. Podemos falar de Rivellino, Clodoaldo, Jairzinho, Careca, Ronaldo, Ronaldinho, Neymar, Rivaldo, Zico, Kaká… mas não desse garoto que toca três vezes na bola e faz oito faltas por jogo.” Que paulada!

Rosamundo, o pensador. Depois do Instagram, qualquer um vira galã de novela.

Tititi d’Aline. A Federação Internacional de Basquete colocou ponto final no gancho à confederação brasileira. Seleções e clubes voltarão a disputar torneios internacionais. A punição foi imposta porque a CBB mergulhou numa terrível crise financeira na gestão do ex-presidente Carlos Nunes. Chegou a dever mais de R$ 15 milhões. O atual mandachuva e raios Guy Peixoto prometeu à Fiba colocar o garrafão em ordem.

Você sabia que… Ramiro Simon, 19 anos, filho caçula do ex-juiz Carlos Eugênio Simon, defende o Barra da Tijuca, da Série B do Carioquinha?

Bola de ouro. Flamengo. Fechou o empréstimo do bom atacante Geuvânio, 25 anos, oitavo reforço para a temporada. O ex-santista assinou até dezembro de 2018. Geuvânio pertence ao Tianjin Quanjian, da China, que aceitou dividir o salário do atleta com o Rubro-Negro. Cada um deverá pagar R$ 450 mil. Antes dele, chegaram Trauco, Conca, Berrío, Everton Ribeiro, Rhodolfo, Rômulo e Renê.

Bola de latão. Di Maria. O hermano do PSG terá de pagar 2 milhões de euros (R$ 7,4 milhões) em multa por fraude fiscal na Espanha. Ele sonegou 1,3 milhão de euros (R$ 4,8 milhões) no período em que defendeu o Real Madrid (2010/14). Se não entrasse em acordo com o Leão espanhol, Di Maria poderia pegar um ano de cadeia.

Bola de lixo. COB/Rio-16. Presididos pelo imaculado e irrequieto Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman, foram simplesmente colocados para escanteio no debate sobre o legado olímpico. Tanto o COB (caixinha, obrigado Brasil) quando a Rio-16 não cumpriram a promessa de transformar o Parque Olímpico da Barra em Centro Olímpico de Treinamento. Papelão!

Bola sete. “Com Bruno Henrique e Moisés, a situação de Felipe Melo ficará difícil. Ou ele para de arrumar confusões ou não continuará com Cuca em 2018. E Jair Bolsonaro perderá seu cabo eleitoral no Palmeiras” (de Cosme Rímoli, no ‘R7’ – a conferir).

Dúvida pertinente. Torcedores organizados ou seminaristas do demônio?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Jogaço de seis gols no Mineirão garante a liderança do Corinthians

Grêmio e Raposa disputaram o melhor jogo do campeonato: 3 a 3

Em uma partida emocionante, a melhor do Brasileirão até agora, Raposa e Grêmio empataram em 3 a 3, no Mineirão. Com o resultado, o Tricolor gaúcho perdeu a chance de assumir a liderança do Brasileirão. O imortal chegou a 19 pontos, um a menos que o Corinthians, após oito rodadas. O time mineiro, com 11 pontos, ocupa a oitava colocação.

Na próxima quinta, pela nona jornada, o Cruzeiro enfrentará a Ponte, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Já o Grêmio, após dois jogos fora de casa, vai encarar o Coxa, em Porto Alegre.

Desde o primeiro tempo, mineiros e gaúchos procuraram sempre o ataque, criando boas chances para marcar. Logo aos 5 minutos, Alisson acertou a trave do gremista Marcelo Grohe. A torcida ficou empolgada, mas tomou uma ducha de água fria aos 15: após cobrança de escanteio, Kannemann cabeceou na trave, Everton pegou o rebote e tocou para a rede.

A Raposa sentiu o golpe e o imortal passou a explorar os toques em velocidade, levando perigo a Fábio. Aos 38, Alisson mandou mais uma bola na trave. Os mineiros aumentaram a pressão, bobearam na defesa e Michel assinalou o segundo gol gremista, aos 42.

Na sequência, o ‘professor’ Mano Menezes foi expulso por reclamação pelo assoprador de latinha Raphael Claus e não pôde vibrar com o primeiro gol da Raposa. Aos 44, Alisson cruzou e Thiago Neves completou de canhota.

As emoções continuaram fortes no segundo tempo. Aos 4 minutos, Rafael Sobis recebeu belo passe de Thiago Neves e deixou tudo igual. O jogo ficou mais pegado, com faltas mais fortes dos dois lados. Aos 15, Ramiro aproveitou rebote de Fábio e colocou o Grêmio novamente em vantagem. Por pouco tempo: Robinho empatou dois minutos depois.

O alucinante toma lá, dá cá prosseguiu até o final da partida, com o ótimo Luan se destacando como maestro do Grêmio, e o goleiro Fabio fazendo um milagre em cabeçada do gremista, garantindo o 3 a 3 em um jogaço. O Corinthians agradece.

                                                         ############

Pitaco do Chucky. Que coisinha feia a Copa das Confederações! Os jogadores querem mais é férias…

Vai Tricolor! Os torcedores do soberano São Paulo respiram aliviados: depois da derrota para o Galo, o time enfrentará um pequeno tabu de 35 anos contra o Furacão, nesta quarta-feira. O Tricolor não vence a equipe paranaense como visitante desde 1982. Apenas na nova casa do Furacão, a Arena da Baixada, o time são-paulino coleciona 11 sapatadas e cinco empates desde 1999, ano da inauguração do estádio. Ao longo da história, o Furacão recepcionou 26 vezes o generoso coirmão. Ganhou 12 partidas, empatou 12 e perdeu apenas duas (2 a 0, em 1970, e 3 a 1, em 1982).

Zé Corneta. Do chefão CA de Barros e Silva ao reserva do reserva do ponta-esquerda, todo mundo pode errar no soberano São Paulo… menos Lucão. O garoto serve de bode expiatório até para falta de sabão em pó na lavanderia do clube.

Zapping. A primeira vitória do Palmeiras fora de casa (4 a 2 no Bahêa) rendeu 21 pontos à plim-plim no ibope da grande Pauliceia engolida pela bandidagem, sete pontos a menos que o clássico Peixe x Palmeiras. Na Band, a abertura da Copa das Confederações, entre Rússia e Nova Zelândia, cravou três. No domingo, Portugal x México amealhou 4, e Camarões x Chile, 3,5. Na RedeTV, a segunda divisão continua patinando: Santa Cruz x Saci colorado conseguiu 1,5. Cada ponto corresponde a 70,5 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. Somente idiota responde a uma pergunta com outra pergunta.

No ralo. Eduardo Baptista, demitido no Palmeiras com 66,6% de aproveitamento; Dorival Júnior deixa o Peixe com 64,8% de saldo positivo. Trocando em miúdos: o desempenho do time deixou de prevalecer nos convites aos ‘professores’ para visitar o RH e acertar as contas, encaminhar a papelada para o seguro desemprego. A bússola mudou a rota das chuteiras furadas. Agora, só prevalece mesmo a pressão de conselheiros, a bronca dos anjinhos organizados pelo diabo, a panelinha de jogadores ou os pitacos de patrocinadores (manda quem pode, obedece quem recebe, certo conselheira Leila Pereira, dona da Crefisa?).

Patolino na geral. Ão, ão, ão, para presidente só o Faustão!

No ralo 2. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, o bochicho indica que a próxima vítima pode ser Zé Ricardo. Há um ano no comando do Flamengo, é o treinador que lidera o ranking dos ‘professores’ mais estáveis à frente de uma sala de aula. Zé Ricardo substituiu ‘Muriçoca’ Ramalho na quarta rodada do Brasileirão de 2016. Ele se encontra no bico da cegonha sem asas, após 36 jogos, 20 vitórias, 12 empates e 4 derrotas, 65 gols a favor e 27 contra neste ano. Em segundo lugar entre os mais estáveis aparece Mano Menezes, com 10 meses na Raposa. Jair Ventura fecha o glorioso pódio, com nove no Botafogo.

Caiu na rede. Se 007 tem licença para matar, Romero tem para jogar mal.

Clima de velório. O Coelho chora as cenouras perdidas. Com o fim das negociações entre Palmeiras e Fluminense envolvendo o atacante Richarlison, o time mineiro deixou de reforçar a xepa em R$ 8,6 milhões. O clube detém 20% dos direitos federativos do atleta, mais 1,5% por ter sido a equipe formadora. O Palestra pretendia investir R$ 40 milhões no jogador. Richarlison aterrissou no América/MG com 17 anos, em 2014. Saiu um ano depois, vendido por R$ 10 milhões.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “O Corinthians, como outros tantos times, é candidato ao título brasileiro. Tem um bom e promissor técnico, um excelente goleiro, um ótimo sistema defensivo e três jogadores do meio para frente (Rodriguinho, Jadson e Jô) que estão entre os melhores de suas posições, entre os que atuam no Brasil. Como o equilíbrio é grande, pode ficar em primeiro ou entre o quinto e o décimo.” Fato.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. A cada dia que passa os amigos de Eduardo Bandeira de Mello se convencem mais que o mandachuva e raios do Flamengo entrará mesmo para a política. O cartola já conversou com Marina Silva, da Rede, e com Otávio Leite, deputado federal do PSDB. Bandeira de Mello também já foi procurado pelo PSB para disputar o trono de governador do Rio. Uma cadeira no senado seria a segunda opção do rubro-negro.

Você sabia que… a TV paga perdeu 171 mil assinantes em abril, com a cidade de São Paulo colaborando com 22.400?

‘Bola de ouro’. Vanderlei Luxemburgo. O ‘pojeto’ de colocar o Sport na briga por uma vaga na Libertadores vai de vento sem popa. O ‘pofexô’ coleciona uma vitória em seis jogos. Empatou um e perdeu três. Balanço das horas sem ponteiros: o Leão pernambucano está na zona do agrião queimado.

Bola de latão. Boleirada. Mais de 60 jogadores estão na mira do Leão. Tem atleta se virando nos 30 para arrumar recibos e que tais.

Bola de lixo. Rio-16. O Comitê Olímpico Internacional ficou uma fera ao saber que a Cidade Maravilhosa das balas uivantes mandou para o lixo a promessa de transformar a Arena do Futuro, casa do handebol nos Jogos, em quatro escolas municipais. A falida prefeitura do Rio justificou que não tem dinheiro. O ginásio consumiu R$ 140 milhões e foi elaborado para que todas as peças fossem utilizadas na construção das escolas.

Bola sete. “O MPF pediu à Justiça francesa o compartilhamento dos dados sobre a investigação que mostrou que Arthur Soares teria comprado um dos votos de um integrante do COI para que o Rio sediasse a Olimpíada” (de Guilherme Amado, no ‘Globo’ – missão Kirobo).

Dúvida pertinente. Floyd Mayweather (boxe) x Conor McGregor (MMA), a palhaçada do século?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Palmeiras desencanta, soberano Tricolor leva bicada e apito amigo prejudica Corinthians

Rogér Guedes, cobrando pênalti duvidoso, marcou o primeiro gol palmeirense

Depois de quatro coças sem direito a correr para o abraço como visitante, finalmente o Palmeiras desencantou. A equipe derrotou o Bahêa por 4 a 2, na Fonte Nova (33.166 pagantes/R$ 1.052.472), em Salvador, e faturou os primeiros três pontos fora de casa no Brasileirão. O time da Boa Terra havia faturado todos os jogos como mandante.

Apesar de o Bahêa fechar a partida com mais posse de bola (63% contra 37%), o Palmeiras mereceu o triunfo pelo que fez no segundo tempo. Os periquitos em revista souberam explorar muito bem os contra-ataques. O campeão brasileiro abriu o placar com Róger Guedes, cobrando pênalti duvidoso, aos 17 minutos. Antes, o goleiro Fernando Prass havia feito duas ótimas defesas. O Bahêa empatou com Vinícius no último lance do primeiro tempo.

O Palestra voltou para o segundo tempo em alta voltagem. Aos 5, Keno colocou a equipe em vantagem, acertando um belo chute da entrada da área. O duelo esquentou, com o Palmeiras mais próximo do terceiro gol. E não deu outra: Mina, aos 37, encaçapou o goleiro Jean. Dois minutos depois, João Paulo diminuiu e a torcida se assanhou todo, sonhando com um empate. Mas Willian, aos 47, fechou o caixão dos baianos num contragolpe.

Com a vitória, o Palmeiras chegou aos 10 pontos e flutua no meio da tabela. O Bahêa também tem 10. No meio da semana, os palmeirenses receberão o Atlético/GO na mansão Allianz Parque, enquanto os baianos jogarão contra o Corinthians no Itaquerão, minha casa minha vida.

No Morumbi (22.704 torcedores/R$ 576.735), a torcida do soberano Tricolor protestou antes e depois do jogo contra o Galo. Primeiro detonou a cartolagem na chegada da delegação ao estádio, com gritos e faixas de protesto; depois, vaiou o time, que sofreu a primeira derrota em casa após três vitórias consecutivas.

Cazares e Rafael Moura garantiram os três pontos ao Galo, que agora tem nove e deixou a zona do agrião queimado. O São Paulo soma 10 e caiu para a divisão intermediária da tabela.

O Tricolor poderia ter virado o jogo depois de empatar com Marcinho, aos 44 segundos da etapa final, mas não soube aproveitar as chances criadas, especialmente com Lucas Pratto, além de ter insistido muito nos cruzamentos para a área, facilitando o trabalho da zaga atleticana.

Acabou levando o segundo gol, aos 35: Lucão falhou e Rafael Moura completou para a rede. Muito vaiado pela torcida, Lucão afirmou, após o jogo, que está de saída do clube. Não aguenta mais ser apontado como único culpado pelas falhas da zaga.

No café da manhã em Curitiba, com 23.824 convidados (R$ 1.072.545) no estádio Couto Pereira, o Corinthians sentiu muito a falta de Jadson, abdicou da vontade de atacar e ficou no ‘oxo’ contra o Coxa. Mesmo sem muito interesse em conquistar os três pontos e com o substituto de Jadson, Marquinhos Gabriel, atuando apenas 28 minutos (sentiu uma lesão e deu o lugar para Clayson), o time corintiano poderia ter voltado para casa com a vitória.

No entanto, sua senhoria, o assoprador de latinha carioca Marcelo de Lima Henrique, anulou erradamente um gol de Jô na bacia das almas, mais precisamente aos 42 minutos do segundo tempo. O centroavante tabelou com Maycon e concluiu para a rede, saindo de trás da linha da bola. O apito amigo entrou em ação e apontou impedimento.

Os melhores momentos foram do Coxa, principalmente no segundo tempo. Ao longo de toda a partida, o Corinthians adotou os contragolpes como principal arma, sem sucesso.

O empate coloca em risco a liderança do Corinthians no Brasileirão. A equipe acumula 20 pontos depois de oito partidas e pode ser superada pelo Grêmio, que tem 18 e jogará contra a Raposa, nesta segunda, no Mineirão. O Coxa soma 15 pontos. Na próxima rodada, o Corinthians receberá o Bahia, quinta-feira, às 19h30, no Itaquerão, minha casa minha vida.

                                                   #############

Pitaco do Chucky. E o bispo prefeito Crivella atravessou o samba…

Seminaristas do demônio. Os vândalos voltaram a atacar antes de Coxa e Corinthians, em Curitiba. Resultado da pancadaria entre os animais: o corintiano Jonatan José Gomes Souza da Silva está internado em estado grave. De acordo com a polícia, pelo menos mais seis pessoas ficaram feridas. João Carlos de Paula, 24 anos, um dos suspeitos da agressão, está preso. A selvageria aconteceu por volta das 8 horas, no entorno do estádio Couto Pereira. Três ônibus e uma van com corintianos entraram numa rua errada e foram recebidos com pedras e paus por anjinhos do Coxa. Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que um torcedor do Corinthians é puxado da porta do ônibus e espancado por uniformizados do time paranaense. Uma vergonha!

Zé Corneta. Por que só o garoto Lucão carrega o caminhão de areia no soberano Tricolor?

Cara de pau. E o Ricardo Teixeira, hein? O eterno rei da bola pediu sugestões ao amigo de fé e irmão camarada Sandro Rosell de locais em que poderia ficar numa boa se o cerco policial apertasse no escândalo ‘Fifagate’. Teixeirinha está tranquilo na ‘ilha da fantasia do mestre Tattoo’, mas teme perder o bem-bom. Detalhe: Rosell está preso na Espanha. O papo entre os cartolas safados aconteceu antes de o ex-presidente do Barça ir para a cadeia no final de maio. Sai da rede, Brasil!

Sugismundo Freud. Quem tem medo de perguntar se envergonha de aprender.

Fábrica de ilusões. O Brasil olímpico é mesmo uma fantástica fábrica de sonhos. Por absoluta falta de apoio financeiro, o Colégio Divino Salvador, de Jundiaí, decidiu colocar ponto final no projeto que revelou Magic Paula e Janeth para o basquete brasileiro. Na Rio-16, sete das jogadoras da seleção passaram pela base do Divino, que existe desde 1968. Lamentável!

Zapping. ‘Esporte Fantástico’, da Record: muita gracinha e pouco conteúdo, uma imitação barata do global ‘Esporte Espetacular’, que já não é nenhuma maravilha.

Gilete press. De Tiago Rogero, no ‘Globo’: “No relatório divulgado pela ONG Human Rights Watch, o que chama a atenção – além, claro, dos 17 operários mortos até agora nas obras da Copa de 2018, na Rússia – é a quantidade de trabalhadores que morreram nas construções para os Jogos de Inverno da russa Sochi, em 2014: nada menos do que 70, segundo o ‘NY Times’. O total supera, e muito, o número de mortes de operários da Rio-2016 – também muito alto -, que foi de 13, de acordo com o ‘NYT’.” E nada acontece.

Rosamundo, o pensador. Só a bandidagem ganha na Mega-Sena com a delação premiada neste Brasil varonil.

Tititi d’Aline. O meia Rafael Longuine encara fora de campo as críticas de um torcedor muito especial, o cantor sertanejo Chitãozinho. O parceiro de Xororó não é apenas fã do Peixe, mas também pai de Aline, namorada do jogador. Sempre que assiste aos jogos do Santos com o futuro genro, Chitãozinho analisa o desempenho do jogador. “Ele fala que poderia ter atuado de um jeito, cobra os erros…”, conta Longuine. Chitãozinho já entrou em campo, no aquário da Vila Belmiro, para desfraldar uma bandeira do clube.

Você sabia que… o Peixe não paga o direito de imagem a alguns jogadores desde abril?

‘Bola de ouro’. Amarelinha desbotada. Pela primeira vez a pátria das chuteiras furadas assiste a Copa das Confederações só pela telinha. O voo do canarinho sem asas foi para o espaço graças ao excepcional trabalho do ‘sargento’ Felipão no Mundial/14 e de mestre Dunga na Copa América/15. A equipe venceu as últimas três edições. O Chile é o representante sul-americano.

Bola de latão. Conmebol. A supimpa confederação sul-americana, capitaneada pelo uruguaio Alejandro Dominguez, insiste na ridícula ideia de promover a final da Libertadores de 2018 em apenas um jogo, numa cidade escolhida por sorteio, como acontece na Champions e Liga Europa.

Bola de lixo. Kleber/Edson. O gladiador do Coxa e o volante do Bahêa estabeleceram uma nova disputa no Brasileirão: campeonato de cuspe. Merecem um brinde exemplar do STJD.

Bola sete. “E não é que a palhaçada entre Floyd Mayweather e Conor McGregor vai mesmo acontecer em 26 de agosto. É uma pena o empresário circense Orlando Orfei ter morrido em 2005. Caso contrário, teríamos um ótimo local para este encontro. E com direito a leões, girafas e trapezistas. Palhaços já teremos dois no ringue” (de Wilson Baldini, no ‘Lance’ – nocaute!).

Dúvida pertinente. Até quando a quadrilha do Circo Brasileiro de Futebol seguirá toda feliz cantando ‘olha a cobra’?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Nem Flamengo espanta as moscas do ‘túmulo da bola’ na Cidade do Aço

Resultado de imagem para fotos e desenhos tumulos do futebol

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo… menos em Volta Redonda, mais precisamente no estádio Raulino de Oliveira, distante 127 km da Cidade Maravilhosa das balas uivantes e com capacidade para 18.230 torcedores. No clássico com o Botafogo, por exemplo, apenas 8.887 testemunhas passaram pelas catracas da casa do Voltaço.

Apesar de ser o dono da maior torcida do país (algo em torno de 35 milhões), o Rubro-negro nunca atraiu mais de 10 mil pagantes aos jogos no Raulino. Em algumas partidas, como contra o Bangu pelo Carioquinha, o Urubu reuniu ridículos 608 gatos pingados.

Desde 2012, o Flamengo atuou, como mandante, 24 vezes no Raulino ou estádio da Cidadania. Levou um público total de 103.294 pessoas, com a média de 4.304 fiéis, de acordo com levantamento do ‘Sr.goool’. Em apenas três confrontos pela Libertadores, o Flamengo foi incentivado por 161.996 torcedores no ‘new Maraca’.

Mesmo em outras cidades o Flamengo desperta mais interesse da galera. Flamengo x Vasco pelo estadual, no Mané Garrincha, em Brasília teve 28.071 pagantes. E Flamengo x Boavista, também pelo Carioquinha, reuniu 9.211 pessoas na Arena de Dunas, em Natal.

Outros embates que apresentaram arquibancadas vazias no Raulino: em 2013, pelo estadual, o Flamengo superou o Fluminense por 3 a 1 sob a emoção de 4.810 testemunhas, enquanto no campeonato deste ano bateu o Vasco por 1 a 0 diante de 5.484 espectadores. O confronto com o Botafogo, pela quarta rodada do Brasileirão, cravou a segunda pior marca do café da manhã do Brasileirão, em 2017. O ‘oxo’ com 8.887 pagantes ficou atrás de Fluminense x Peixe (9.880 torcedores/’new Maraca’) e Vasco x Bahêa (17.770/São Januário).

Desde quarta-feira, o Flamengo deixou de atuar no ‘túmulo da bola’, em Volta Redonda. Finalmente, a equipe estreou no Luso-Brasileiro, a ‘Ilha do Urubu’. O estádio foi reformado pela diretoria e pode comportar até 20 mil torcedores. O primeiro jogo foi com vitória sobre a Ponte por 2 a 0, diante de 13.006 pagantes (R$ 788.649,20). O Rubro-negro ainda não havia vencido em casa. O Flamengo no Raulino, em 2017:

Carioquinha
Flamengo 3 x 0 Macaé – 8.379 pagantes
Flamengo 4 x 0 Madureira – 4.734
Flamengo 1 x 0 Vasco – 5.484
Flamengo 5 x 1 Portuguesa – 1.301
Flamengo 3 x 0 Bangu – 1.237

Brasileirão
Flamengo 0 x 0 Botafogo – 8.877

                                                      ############

Pitaco do Chucky. PSDB, um exemplo inequívoco de partido muralista.

Aeroporto tricolor. E o soberano São Paulo, hein? Com a chegada e a saída diária de jogadores, até parece um aeroporto. Tem sempre um aterrissando e outro decolando: o atacante Denílson, oito gols em 21 partidas pelo Avaí, assinou até dezembro, enquanto o centroavante argentino Chavez, com 12 gols em 35 partidas, se mandou para Buenos Aires a fim de resolver problemas particulares e retornar ao Boca Juniors. Outro que pode fazer as malas é o zagueiro Lugano. O contrato do atleta termina no dia 30 e até agora ele não foi procurado para renovar por mais seis meses. O uruguaio recebe algo em torno de R$ 270 mil por mês.

Zé Corneta. Floyd Mayweather (boxe) x Conor McGregor (MMA), a papagaiada bilionária do século.

Aeroporto tricolor 2. O chefão do clube, CA de Barros e Silva, é contra a prorrogação de Lugano. Muito café no bule para pouco retorno – disputou oito dos 34 jogos da equipe neste ano, um custo/benefício nada agradável para um clube com sérios problemas financeiros. O ‘professor’ Rogério Ceni defende a permanência de Lugano, mas aceitará tranquilamente a saída do zagueiro, pois não se trata de um titular. O diretor de futebol Vinicius Pinotti e a maior parte da torcida querem a renovação. Justificam: Lugano é muito importante para o grupo fora de campo, com forte liderança e mentalidade vencedora.

Sugismundo Freud. Aquele que nada tem é muito menos pobre do que aquele que muito deseja.

Novo periquito. O ex-volante corintiano Bruno Henrique informa: é o mais novo integrante do ninho dos periquitos em revista. Depois de garantir à torcida do Palmeiras que está chegando “para ser campeão”, Bruno Henrique soltou um grito de guerra em italiano: “Scoppia che la vittoria è nostra! (Vibra que a vitória é nossa). Avanti, Palmeiras.” O jogador deve assinar contrato até 2020. Na última temporada, ele defendeu o Palermo, que foi rebaixado no Calcio. Bruno Henrique participou de 33 jogos da equipe italiana. O Palmeiras pagará R$ 11 milhões ao time italiano.

Caiu na rede. Meu avô não viu, meu pai também não e eu muito menos: o Galo ganhar o bicampeonato brasileiro.

No batente. O ‘professor’ Ricardo Gomes deixou a fila do desemprego: assinou contrato com o Al Nassr, da Arábia Saudita. Pela primeira vez o treinador vai trabalhar na Ásia. Ele está afastado desde a demissão do São Paulo, em novembro de 2016. Ricardo Gomes assumirá o time em julho. ‘Papai’ Joel Santana e o velho Lobo Zagallo já treinaram o clube. O técnico trabalhará com o zagueiro brasileiro Bruno Uvini, 26 anos, ex-Santos e São Paulo.

Dona Fifi. Os Jogos já terminaram há 10 meses, mas o toma lá, dá cá das contas continua em ascensão. A última matemática acusou um reajuste de R$ 137 milhões nas obras. Assim, o custo da brincadeira olímpica chegou à bagatela de R$ 41 bilhões. Por enquanto, porque ninguém é de ferro.

Rei da selva. O ‘professor’ Aderbal Lana é mesmo o papa-título do ludopédio amazonense. Ao levar o jovem Manaus (apenas quatro anos de existência) ao primeiro grito de campeão, Lana chegou ao nono título estadual. Ele também fez a festa com o Nacional (1986/91/12/15), Rio Negro (1989) e São Raimundo (1997/98/99). Uma das armas do sucesso de Lana no Manaus: na reta final do campeonato, ele concentrou os jogadores numa casa de retiro onde também residem freiras. O Manaus, conhecido como Dragão do Norte, representará o Amazonas na Copa do Brasil, na Série D e na Copa Verde do próximo ano. A equipe deu a volta olímpica depois de oito vitórias, sete empates e três derrotas. Marcou 26 gols e tomou 16. Aproveitamento de 57,4%.

Rosamundo, o pensador. Numa luta entre elefantes, o maior prejudicado é o capim.

Rei da selva 2. Em meio à festa, depois de empatar em 1 a 1 com o Nacional, o supercampeão Lana chorou. Mais uma vez, havia cumprido a missão – prometera chegar às finais ao assumir o cargo. “A equipe servirá de modelo para outros clubes de Manaus. É mais um título de alguém ultrapassado em cima dos inteligentes”, desabafou o Tarzan da bola.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo’: “Ex-meio de campo do Chelsea e da seleção brasileira, Oscar esteve no interior de São Paulo no fim de semana para comemorar o aniversário de três anos da filha e, papo vai, papo vem, o assunto foi o salário que o jogador está recebendo no Shanghai SIPG, da China. Pingam, acredite, sete milhões de reais por mês na conta dele. Oscar é o quarto jogador mais bem pago do mundo: só fica atrás de Cristiano Ronaldo, Tévez e Messi, nesta ordem.” Que dureza!

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. O recado já chegou à plim-plim: o Circo Brasileiro Futebol colocará em leilão, provavelmente no início de agosto, os jogos da amarelinha desbotada. A casa maldita do ludopédio nacional pretende bater o martelo em várias mídias – TV (aberta e fechada), rádio, internet e redes sociais. Além dos caça-níqueis do time até 2022, o Circo também deseja negociar os direitos das eliminatórias à Copa do Mundo do Catar. A maior briga deve envolver a Vênus Platinada e o Esporte Interativo, que pertence ao grupo Turner.

Você sabia que… Felipe Melo, Mina, Dudu e Gabriel Jesus, mesmo há seis meses fora do clube, são os jogadores que mais vendem camisas na rede de lojas do Palestra?

Bola de ouro. Vanderlei. Homem-borracha no gol do Peixe. Está pegando muito. É o melhor da posição no país. Só o ‘professor’ Tite não vê.

Bola de latão. Waldemar Lemos. A gloriosa terceira passagem do ‘professor’ pela casamata do Náutico chegou ao fim depois de oito brilhantes exibições: cinco derrotas e três empates. Lemos substituiu Milton Cruz. Campeão gaúcho pelo Novo Hamburgo, Beto Campos é o bola da vez.

Bola de lixo. Diego Cavalieri. Aos 34 anos, o goleiro vive inferno astral no Fluminense. Perdeu a posição para Júlio César e deixou de ser inegociável nas Laranjeiras. Caiu em desgraça ao tomar 25 gols em 20 partidas, com a média de 1,25 por jogo, ou um gol a cada 70 minutos. Paredão de areia.

Bola sete. “Futebol sem emoção não tem graça. Precisa ter desafio” (de Levir Culpi, novo ‘professor’ do Peixe – haja coração e ‘são Vanderlei’).

Dúvida pertinente. Palmeiras, 11 mentiras e nenhuma verdade?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Líder Corinthians vence a sexta consecutiva; Vanderlei garante vitória do Peixe sobre Palmeiras

Balbuena, de cabeça, garantiu a vitória do Corinthians

O Corinthians parece abençoado pelos deuses da bola. Mesmo sem jogar bem, especialmente no segundo tempo, quando tomou sufoco, a equipe venceu a Raposa por 1 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida (30.465 pagantes/R$ 1.462.205,40), e faturou a sexta vitória consecutiva. Segue olhando os coirmãos pelo retrovisor. Lidera o Brasileirão com 19 pontos ganhos depois de sete rodadas. Aproveitamento de 90,5%. O pão de queijo estacionou nos 10 pontos, no meio da tabela.

O único gol da partida foi marcado por Balbuena, de cabeça, após escanteio cobrado por Jadson, aos 42 minutos da etapa inicial. Inerte, a defesa mineira só assistiu. Um resultado merecido, já que o Corinthians procurou mais a meta de Fábio, embora sem dar muito trabalho ao cruzeirense.

No segundo tempo, a Raposa abandonou a retranca e foi em busca da igualdade. Finalizou mais que os corintianos, criou oportunidades e só não empatou porque o atacante Ábila perdeu uma chance inacreditável a menos de dois metros do gol. Além disso, Cássio fez boas defesas. Fabio também trabalhou bem, com duas ótimas defesas em cabeçadas de Pablo.

O duelo teve lances complicados para o assoprador de latinha Leandro Vuadem. O Corinthians, por exemplo, reclamou de um impedimento marcado em Jô. A Raposa pediu um puxão de Pablo em Ábila dentro dá área. O líder Corinthians joga no fim de semana, fora de casa, contra o Coxa, às 11 horas. O Cruzeiro receberá o Grêmio, segunda, às 20 horas.

No aquário da Vila Belmiro (10.143 espectadores/R$ 406.970), o Peixe bateu o Palmeiras, com um gol polêmico de Kayke no segundo tempo. O clássico marcou a estreia do ‘professor’ Levir Culpi no Santos. Os periquitos em revista conheceram a quarta derrota em sete partidas pelo Brasileirão. Ano passado, quando levantou o caneco, o Palmeiras perdeu apenas seis vezes em 38 confrontos.

O Peixe ganhou a terceira seguida. Acumula 12 pontos. O Palmeiras flerta com a zona do agrião queimado: sete pontos, na 15ª colocação, um à frente do Galo, que abre a garagem do torneio. O goleiro Vanderlei foi a grande estrela da partida.

O Peixe começou avassalador. Empurrou o Palmeiras para seu campo e perdeu ótima chance logo aos 3 minutos: Bruno Henrique recebeu de Copete na área, se complicou para matar a bola e permitiu a defesa de Fernando Prass. O Santos continuou mais efetivo no ataque, porém passou a encontrar dificuldades para furar o bloqueio palmeirense, que diminuiu os espaços de Lucas Lima para armar as jogadas.

A partida ficou equilibrada, com muita pegada e raros momentos de criatividade. Aos 46 minutos, o goleiro Vanderlei evitou que a casa caísse com bela defesa em cabeçada de Willian. Balanço do banquete ao final do primeiro tempo: serviço meia boca. O ‘oxo’ ficou de bom tamanho.

O Palmeiras voltou mais ambicioso no segundo tempo. Já o Santos procurou tocar a bola. Aos 6 minutos, em lance irregular, o time santista abriu o placar. Kayke recebeu na entrada da área, derrubou Edu Dracena e tocou no canto direito de Fernando Prass. Os palmeirenses chiaram muito. Não adiantou. O assoprador de latinha Wilton Pereira Sampaio confirmou o gol.

Em vantagem, o Peixe procurou atrair o Palmeiras a fim de tentar matar o jogo nos contragolpes. Resultado: proporcionou bons momentos aos periquitos em revista, que apertaram o cerco sobre a equipe da Baixada, principalmente com descidas pela direita, mas pararam nas luvas de Vanderlei. Um goleiraço, incrivelmente ignorado pelo ‘professor’ Tite nas convocações para a amarelinha desbotada.

Mestre Cuca trocou Tchê Tchê por Jean e, depois, Thiago Santos por Raphael Veiga. O santista Levir Culpi optou pelo volante Leandro Donizete no lugar do atacante Kayke, reforçando ainda mais o sistema defensivo. Na bacia das almas, os palmeirenses reclamaram um pênalti de Lucas Veríssimo em Edu Dracena (o santista segurou o zagueiro). Sua senhoria fechou os olhos e mandou seguir o jogo. Que teve como grande herói o goleiro Vanderlei (foto). Um monstro sob a trave. Pegou até pensamento!

Na ‘Ilha de Lost’ (11.904 torcedores/R$278.755), no Recife, Sport e soberano São Paulo morreram abraçados no ‘oxo’. E não mereciam outro resultado, já que mostraram pouca coisa em campo. Que joguinho duro de assistir! O Tricolor pode pelo menos sorrir amarelo: finalmente conquistou um ponto fora de casa. O time paulista soma 10 na tabela, dois a mais que o Leão.

O poder ofensivo do São Paulo foi extremamente eficiente no primeiro tempo: quatro chutes e… nenhum acerto. O único ‘uhhh’ saiu aos 44 minutos, num arremate de Lucas Pratto rente à trave. O Leão pernambucano também rugiu com brilhantismo: uma finalização certa (sem muito perigo) em três tentativas. E reclamou muito de um pênalti de Thomaz em Samuel Xavier (foi empurrado pelo são-paulino). Mas sua senhoria, o assoprador de latinha Héber Roberto Lopes, ignorou a falta.

No mais, o que se viu foi uma enxurrada de faltas e pouca técnica. O Tricolor tentou surpreender nos contra-ataques, enquanto o time pernambucano explorou as triangulações pelo lado direito. Nenhum dos dois obteve sucesso.

Mesmo com mudanças nas equipes, a melancolia permaneceu no segundo tempo até os minutos finais. Aos 47, na melhor chance do Tricolor ao longo da partida, Gilberto cabeceou e Magrão operou um milagre. Na sequência, o Sport voltou a reclamar de um pênalti após Wesley derrubar André.

Pelo que apresentaram os times, só mesmo um chute da marca da cal poderia mexer no placar de um jogo monótono, faltoso e repleto de erros. Melhor para o São Paulo que ganhou o primeiro ponto como visitante, depois de três derrotas.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br