Corinthians sai na frente, perde pênalti e toma virada; Palmeiras, campeão da ‘Copa Mickey’

Luan em ação contra o Atlético Nacional
Luan domina a bola na derrota do Corinthians

O ‘professor’ Tiago Nunes sofreu a primeira derrota na casamata do Corinthians. A equipe perdeu do Atlético Nacional, da Colômbia, por 2 a 1, de virada. Pior: ouviu os gritos de ‘é campeão’ da torcida do Palmeiras na Florida Cup, mais conhecida como ‘Copa Mickey’. O coirmão bateu o New York City por 2 a 1.

O Palestra, que disputou o torneio pela primeira vez, terminou com cinco pontos. O Atlético Nacional ficou em segundo, com quatro, um a mais que o Corinthians. O City beliscou a lanterna, com zero. O Palmeiras obteve um triunfo e um empate, mas conquistou um ponto extra ao vencer os colombianos nos pênaltis, após ‘oxo’ na primeira rodada. Primeiro titulo de Vanderlei Luxemburgo.

Pela quarta vez em seis edições da competição um time brasileiro faturou o caneco. Além dos periquitos em revista, também venceram Galo (2016), soberano São Paulo (2017) e Flamengo (2019). Outros ganhadores: Colônia/Alemanha (2015) e Atlético Nacional (2018).

O Corinthians poderia ter liquidado a partida no primeiro tempo. Abriu o placar com Ramiro, aos 6, após cruzamento de Lucas Píton. Aos 25, Boselli desperdiçou um pênalti cometido em Fagner (o goleiro Cuadrado defendeu). Aos 39, o atacante argentino chutou na trave. Na bacia das almas, o time foi castigado. Gustavo Torres, de cabeça, empatou.

A equipe paulista voltou do vestiário com Sidcley e Vagner Love. Saíram Lucas Píton e Boselli. De cara, o artilheiro do amor perdeu uma ótima oportunidade. Depois de receber de Ramiro, arrematou e Quintana defendeu parcialmente. No rebote, Love chutou para fora.

Aos poucos, o Atlético Nacional foi equilibrando as ações e Sebastian Gomez cabeceou na trave. Tiago Nunes mexeu por atacado na equipe. Sidcley e Love perderam novas chances. Aos 37, Walter saiu do gol para combater Duque, que recuou para Sebastian Gomez marcar o gol da vitória colombiana.

Ramiro, Camacho e Cantillo foram os melhores do time. Luan não brilhou como na estreia, quando marcou dois gols. Walter, por sua vez, entregou o ouro na virada do Atlético Nacional. Boselli e Love também foram mal.

No jogo de abertura, o campeão Palmeiras sofreu para derrotar o New York City por 2 a 1, de virada. Willian Bigode e Gabriel Menino foram os destaques da equipe em Orlando. O centroavante Luiz Adriano também agradou.

Já Felipe Melo decepcionou como zagueiro e merecia ser expulso após falta em Jasson. Também os laterais Marcos Rocha e Victor Luís não corresponderam.

A equipe americana fechou o primeiro tempo em vantagem, com um gol na bacia das almas. Jasson deixou Ramires na saudade, cruzou e De Rosario concluiu de cabeça, antecipando-se a Felipe Melo. Ramires havia entrado no lugar de Bruno Henrique, que sentiu dores na virilha no início do embate.

O New York City trocou toda a equipe depois do intervalo. O ‘professor’ Vanderlei Luxemburgo só colocou Willian no ataque, sacando Raphael Veiga (fraquíssimo). A partir dos 17 minutos, mudou o restante do time.

Aos 10, o Palestra empatou. Lucas Lima cruzou, Willian atrapalhou o goleiro e a bola morreu no fundo da rede. O gol da vitória saiu aos 27. Zé Rafael tocou para Willian, que bateu sem chance para o goleiro. Os americanos sentiram o golpe e o Palmeiras controlou a partida até o final.

Edu Dracena levanta o título do Torneio da Flórida — Foto: Gledson Tavares / Estadão Conteúdo
Edu Dracena levanta o caneco: jogadores já estavam no aeroporto

Pitaco do Chucky. Palácio, Congresso e adjacências, um gigantesco sacolão de jujubas contaminadas.

Fla empata. Apesar de criar boas chances, o Flamengo ficou no ‘oxo’ com o Macaé, na abertura do Carioquinha (Taça Guanabara). O Rubro-negro atuou com um time sub-20 e outros atletas que estouraram a idade, já que a equipe principal ainda será de férias por conta do Mundial da mamãe Fifa em dezembro. A torcida prestigiou os moleques. Nada menos que 27.205 pessoas compareceram ao ‘new Maracanã’. A renda atingiu R$ 617.161,50. No estádio Raulino de Oliveira, o Botafogo, com um time reserva, perdeu para o Volta Redonda por 1 a 0, gol de Saulo no segundo tempo, diante de 4.188 torcedores (R$ 80.160).

Zé Corneta. Flamengo faz ‘arrastão’: atacantes Michael, Pedro Rocha e Pedro, zagueiro Gustavo Henrique e volante Thiago Maia. O resto que se exploda!

Quén, quén, quén… A cartolagem do soberano Tricolor está uma fera com o atacante Pato. O clube recebeu uma proposta de US$ 3 milhões (R$ 12,5 milhões) do Shaba Al Ahli, de Dubai, pelo jogador e pretendia fechar o negócio, mas Pato não topou. Além de pagar à vista, a equipe árabe daria US$ 4,5 milhões (R$ 19 milhões) por temporada ao atleta. Que optou por ficar mais perto dos pais e irmãos. Em junho de 2019, ele se casou com Rebeca Abravanel, filha de Silvio Santos, em junho. Desde março do ano passado na lagoa do Morumbi, Pato nadou em 22 jogos e marcou cinco gols.

Sugismundo Freud. Privilégio é produto de políticos exclusivamente para políticos.

Fraldinhas em risco. A Federação Escocesa de Futebol pretende proibir a garotada de cabecear a bola antes dos 12 anos. Motivo: riscos de demência na idade adulta. De acordo com a BBC, a norma deverá vigorar até fevereiro. Os Estados Unidos adotaram a medida em 2015. A Escócia seria a primeira na Europa. Em outubro de 2019, um estudo da Universidade de Glasgow concluiu que ex-jogadores são mais propensos a morrer de uma doença neurodegenerativa do que a média dos esportistas.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Deyverson cava falta durante voo para Espanha após aeromoça entrar com o carrinho.

Mega da Virada. O Papai Noel foi extremamente generoso com o jovem Charles Leclerc. A Ferrari renovou o contrato do piloto de 22 anos por 9 milhões de euros (R$ 40,7 milhões). Em 2019, o monegasco beliscou 3,5 milhões de euros (R$ 15,8 mi). De acordo com o jornal Corriere dello Sport, o café no bule de Leclerc ainda é bem mais aguado que o de Sebastian Vettel, companheiro de equipe. O alemão embolsou 45 milhões de euros (R$ 202 mi). É o segundo piloto mais bem pago do grid, atrás do hexacampeão Lewis Hamilton – 56,5 milhões de euros (R$ 256 mi). No último Mundial, Leclerc obteve mais poles (7 a 2), vitórias (2 a 1) e pontos (264 a 240) do que Vettel.

Zapping. O SporTV deve desligar a MotoGP da programação. Até agora, a emissora não fechou acordo para a transmissão da principal categoria de motovelocidade do mundo. O canal já dispensou o narrador Guto Nejain e o jornalista Fausto Macieira.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “A revista France Football formou uma seleção mundial dos últimos dez anos, com Casillas no gol, os defensores Lahn, Sergio Ramos, Van Dijk e Marcelo, os armadores Xavi, Iniesta e Modric e, no ataque, Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar. Eu colocaria Neuer no gol e outro meio-campista no lugar de Modric. Poderia ser Kroos, Schweinsteiger, Pogba ou De Bruyne. Daniel Alves foi excepcional, mas Lahn foi superior. Há outros zagueiros do nível de Sergio Ramos, como Piqué e Thiago Silva.” É vero.

Tititi d’Aline. A boleirada já se coça. ‘Frente e Verso’, autobiografia de Rita Cadillac, deve ser lançado até julho. A ex-chacrete promete muitas revelações sobre sua vida, ‘uma bomba atômica’. Em 1975, por exemplo, curtiu uma de rainha ao lado de Pelé. Cadillac foi apresentada ao ‘rei’ pela transformista e atriz Rogéria, morta em 2017. ‘É bom para o moral… ‘Vu le’, ‘vu le’, dance dance, pra frente e pra trás…’

Você sabia que… o Flamengo pode disputar até 82 jogos nesta temporada?

Resultado de imagem para fotos casemiro real madrid
Casemiro: dois gols contra Sevilla

Bola de ouro. Casemiro. O volante está jogando muito no Real Madrid. Marcou os dois gols da vitória sobre o Sevilla por 2 a 1, na abertura da 20ª rodada do Campeonato Espanhol. O brasileiro de 27 anos já acumula três tentos na temporada – também fez a festa contra o Levante, em setembro. ‘O Casemiro é peça importantíssima na equipe’, elogiou o ‘professor’ Zidane.

Bola de latão. Legado olímpico. Cerca de 900 pessoas, entre atletas (seleção feminina de basquete) e alunos de cursos gratuitos oferecidos à população, ficaram a ver navios com a interdição das instalações do Parque Olímpico da Barra e do Complexo Esportivo de Deodoro. O juiz da 17ª Vara Federal, Eugênio Rosa de Araújo, determinou o fechamento dos portões por irregularidades na documentação – vistoria do Corpo de Bombeiros e ‘habite-se’. Apenas o Parque devorou mais de R$ 2 bilhões para receber os Jogos em 2016. Depois da competição, abrigou o Rock in Rio e o show da dupla Sandy & Junior, mas nenhum grande evento esportivo.

Bola de lixo. Mídia caolha. Dedica espaços quilométricos ao falastrão irlandês Conor McGregor, do UFC, e ignora a terrível situação do ex-goleiro Manga. Sem dinheiro e doente, o brasileiro recebeu ajuda de torcedores do Nacional para se tratar em Montevidéu, de acordo com Bruno Rodrigues, da ‘Folha’. Titular da seleção na Copa de 1966, o maior goleiro da história do Botafogo e do Saci colorado é um zero à esquerda no milionário Circo Brasileiro de Futebol, comandado pelo ‘presidente fantasma’ Rogério Caboclo.

Bola sete. “Estou muito motivado no Palmeiras, me sentindo um garoto em começo de carreira. Vou beliscar coisa grande nesta temporada” (do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo, durante a ‘Copa Mickey’ – soberba?).

Dúvida pertinente. Jesualdo (Peixe), Diniz (Tricolor), Luxemburgo (Palmeiras) ou Tiago Nunes (Corinthians): quem vai cair primeiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Menos ‘engessado’, Corinthians ganha a primeira com Tiago Nunes; Luan, o destaque

Luan comemora gol pelo Corinthians
Luan: estreia com dois gols

Okay, okay: há um longo caminho a percorrer até o ‘professor’ Tiago Nunes conseguir impor sua filosofia de jogo no Corinthians, um time ‘engessado’ taticamente ao longo de muitos anos. Ganhou vários canecos, é verdade, mas sem muito brilho no bico da chuteira. Pragmático ao extremo. Chato de assistir.

Apesar do pouco tempo de trabalho (10 dias), Tiago Nunes já começou a mostrar serviço na casamata corintiana. Na vitória sobre o New York City por 2 a 1, em Orlando, na abertura da ‘Copa Mickey’, o time apresentou um meio de campo mais vertical, com Camacho e o colombiano Cantillo, e um Luan flutuando por todos lados do campo.

Além de ajudar na marcação, o ex-gremista também alimentou a peça ofensiva com eficiência. Distribuiu bem o jogo e ainda deixou sua marca de artilheiro. Assinalou os dois gols do triunfo.

Aos 10 minutos de partida, cobrou uma falta por cima da barreira, no canto direito do goleiro Barraza (contribuiu com a festa). Desde agosto de 2018, o Corinthians não comemorava um gol de falta. O segundo aconteceu aos 29. Janderson passou a Luan na entrada da área. O camisa 7 deu um corte em Haak e chutou sem chance para Barraza.

Outros três reforços estrearam: Cantillo, Sidcley e Davó. O colombiano correspondeu no primeiro tempo, enquanto o lateral e o atacante foram apenas discretos na etapa final.

O Corinthians dominou a partida nos 45 minutos iniciais. O New York City praticamente não incomodou Cássio no Exploria Stadium. Na segunda fase, Tiago Nunes trocou os 11 atletas, o time diminuiu o ritmo e sofreu um gol aos 30.

O zagueiro Marllon tropeçou na grande área, e deixou Kapanadze cruzar para trás. Lansade desviou e a bola bateu no rosto de Bruno Méndez antes de entrar. Após o gol, o Corinthians voltou a acelerar o jogo e perdeu duas oportunidades para aumentar o placar.

O Corinthians joga novamente em Orlando no próximo sábado: enfrentará o Atlético Nacional, da Colômbia, às 19h30. Depois, a delegação retorna a São Paulo. A estreia no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, será contra o Botafogo, quinta, às 21h30, no Itaquerão, minha casa minha vida.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Nada mais ridículo do que o encontro diário de Bozo com eleitores no ‘mata-burro’ à saída do Palácio.

Gringos na fita. Nunca uma temporada na pátria das chuteiras furadas começou com tantos gringos sentados no banco de reservas. Um quarteto de peso: o argentino Eduardo Coudet comandará o Saci colorado, o venezuelano Rafael Dudamel dirigirá o Galo, o Peixe nadou em direção ao patrício Jesualdo Ferreira (o hermano Sampaoli deixou o aquário da Vila Belmiro e aguarda convites) e o ‘papa-títulos’ rubro-negro Jesus. Há ainda um quinto nome no mercado: o Avaí pegou outro português, Augusto Inácio, para a disputa da série B. Na última década, 13 estrangeiros trabalharam no Brasileirão, entre os quais o português Paulo Bento, os argentinos Ricardo Gareca e Edgardo Bauza e os colombianos Juan Carlos Osorio e Reinaldo Rueda.

Gringos na fita 2. Independentemente do sucesso de Jesus, Coudet, Dudamel e Jesualdo, uma coisa é certa: os treinadores brasileiros devem se sentir privilegiados com a invasão dos estrangeiros. Precisam dar um bico no corporativismo, deixar a reserva de mercado de lado e calçar as sandálias da humildade. Ou, então, continuarão na fila do desemprego. O torcedor brasileiro acordou do profundo sono da mesmice em que se encontrava o tico-tico sem fubá do esporte bretão. Não tolera mais o pragmatismo, os ‘professores’ desprovidos de competência, ganhando muito e mostrando pouco à beira das quatro linhas.

Zé Corneta. O grande craque para resolver o problema do soberano Tricolor está seriamente contundido: competência.

Força feminina. A federação espanhola perdeu a queda de braço para a associação das jogadoras do país. Após uma longa negociação, com direito a greve das atletas, os cartolas concordaram em assinar um convênio coletivo. Cada time da primeira divisão receberá 500 mil euros (R$ 2,3 milhões) por temporada. Já as equipes da segundona ganharão 100 mil euros (R$ 465 mil). E mais: a cada rodada, dois confrontos poderão ser transmitidos pela TV. Barcelona, Bilbao e Real Madrid não participaram das reuniões. Brasileiras na Espanha: Ludmila (Atlético de Madrid), Thaísa e Daiane (Real) e a goleira Aline (Tenerife).

Sugismundo Freud. Ensinar esporte é ensinar a viver.

Rolando Lero. O ‘professor’ Tite dará palestra em 13 de fevereiro, na cidade espanhola de Bilbao, uma das sedes da Eurocopa. Box to box, treinabilidade, performar com resultado, ritmista, sinapses no último terço, jogo espetado, extremos desequilibrantes… Pobres espanhóis!

Caiu na rede. Se for para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que… o Palmeiras continua sem Copinha e sem Mundial.

Resultado de imagem para fotos floyd mayweather
Mayweather: R$ 11 milhões por minuto

Rei da cocada. O aposentado boxeador Floyd Mayweather lidera o ranking de esportistas mais bem pagos da década. Mesmo sem subir num ringue desde 2017, o americano recebeu US$ 915 milhões (R$ 3,7 bilhões). Ganhou R$ 11 milhoes por minuto trabalhado. O gajo Cristiano Ronaldo, da Juventus, aparece em segundo, com US$ 800 milhões (R$ 3,2 bilhões). O hermano Messi, do Barcelona, fecha o pódio de ouro, com US$ 750 milhões (R$ 3 bilhões). A dança dos milhões da revista Forbes:

1) Floyd Mayweather (boxe): US$ 915 milhões (R$ 3,7 bi)
2) Cristiano Ronaldo (futebol): US$ 800 milhões (R$ 3,2 bi)
3) Lionel Messi (futebol): US$ 750 milhões (R$ 3 bi)
4) LeBron James (basquete): US$ 680 milhões (R$ 2,7 bi)
5) Roger Federer (tênis): US$ 640 milhões (R$ 2,6 bi)
6) Tiger Woods (golfe): US$ 615 milhões (R$ 2,5 bi)
7) Phil Mickelson (golfe): US$ 480 milhões (R$ 1,9 bi)
8) Manny Pacquiao (boxe): US$ 435 milhões (R$ 1,77 bi)
9) Kevin Durant (basquete): US$ 425 milhões (R$ 1,7 bi)
10) Lewis Hamilton (F-1): US$ 400 milhões (R$ 1,6 bi)

Zapping. A apresentadora sem sal Janaína Xavier está em alta no SporTV. Além de comandar o ‘SporTV News’ das 8h45 às 10 horas, ela também pintará na telinha às 12h30 – uma segunda edição de meia hora.

Gilete press. De Jaeci Carvalho, no Superesportes: “Pedro Rocha chorou ao ser apresentado no Ninho do Urubu e ao vestir a camisa do Flamengo. Disse que torce pelo clube desde criança e que esse era um desejo do seu pai. Interessante! Não o vi chorar quando ajudou a jogar o Cruzeiro para a Série B, na lama. Não o vi triste nem tampouco cabisbaixo. É bem verdade, o jogador não foi criado no time azul e, sim, no Grêmio, mas poderia ter, no mínimo, gratidão, pois o Cruzeiro o buscou lá na gélida Moscou, onde fracassou no Spartak, deu-lhe apoio e, com certeza, muito dinheiro. Como diz o Rei Dadá, ‘jogador, atualmente, só pensa no bolso e no quanto vai ganhar’. É verdade.” Fato.

Tititi d’Aline. O amor é lindo: o zagueiro Thiago Silva, do PSG, deu um iate de presente à mulher, Belle. O barco possui três suítes, sala de jantar, cozinha, espaço gourmet e outras mordomias. O jogador pagou R$ 6 milhões pelo mimo. A embarcação da grife italiana Azimut Yachts tem 17 metros.

Você sabia que… o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo não ganha um título importante desde 2004, quando levou o Peixe ao caneco do Brasileirão?

Bola de ouro. ‘Menino Ney’. Está voltando aos bons tempos. Ao marcar um dos gols do triunfo do PSG por 4 a 1 sobre o Monaco, pelo Campeonato Francês, Neymar igualou o recorde de Mbappé e do ex-treinador argentino Carlos Bianchi, que atuou no clube no fim da década de 70: oito jogos seguidos fazendo gol.

Bola de latão. Ramiro. Troca ‘professor’, muda esquema e nada de o meio-campista embalar no Corinthians. Ao longo do primeiro tempo contra o City, na ‘Copa Mickey’, Ramiro só conseguiu aparecer aos 44 minutos, quando tomou um cartão amarelo. É vela queimada no elenco.

Bola de lixo. Grandes do Rio. Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco fecharam patrocínio com Azeite Royal. A empresa pertence ao samaritano Eduardo Vinícius Giraldes Silva, condenado por lavagem de dinheiro e sonegação. A revelação é do competente jornalista Lúcio de Castro, do portal Sportlight. O Galo e lutadores de MMA também recebem a ‘bênção’ do mecenas.

Bola sete. “O que têm em comum vários meias como Scarpa, Lucas Lima, Paulo Henrique Ganso, Thiago Neves, Cazares, Sornoza e tantos outros? São muito desejados e bastante criticados, por criarem uma expectativa muito acima da realidade. São chamados de vagalumes, pois somente brilham em situações especiais” (do pequeno grande Tostão, na Folha – chuteira pisca-pisca).

Dúvida pertinente. Quem pode abater o voo do Urubu nesta temporada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Chineses trancam a porta da esperança com cadeado; Andrés, o rei da cascata

Oscar e Hulk são os dois brasileiros com maior valor de mercado no futebol chinês
Oscar e Hulk: salários milionários na China

O eldorado chinês decidiu colocar um cadeado na porta da esperança do planeta bola. Neste ano, os jogadores estrangeiros poderão ganhar, no máximo, 3 milhões de euros (R$ 13,5 milhões) por temporada, sem contar bônus e pagamento de impostos.

A federação estabeleceu também que os atletas do país terão de se contentar com R$ 5,8 milhões. Os jogadores da seleção poderão receber 20% acima do teto. Já as equipes foram liberadas a gastar até R$ 645 milhões anuais. A folha salarial não poderá superar 60% do orçamento.

Outra modificação: aumento do limite de estrangeiros para seis por elenco, mas somente quatro poderão estar em campo – em 2019, eram permitidos apenas três atletas. “Nossos clubes torravam muito dinheiro. Se não adotássemos uma ação, eles certamente iriam desmoronar”, justificou Chen Xuyuan, mandachuva e raios da Associação Chinesa de Futebol.

O facão não atingirá os contratos em vigor. O brasileiro Oscar, por exemplo, está numa boa no Shanghai SIPG. O meia embolsa 2 milhões de euros (R$ 9,2 milhões) por mês. É a maior ‘ajuda de custo’ do esporte bretão chinês. O centroavante Hulk, companheiro de Oscar, fatura 20 milhões de euros (R$ 92 milhões) por ano. O contrato do atacante se encerra em dezembro.

Por falar no tilintar das moedas… Em um passado recente, o rei do sorriso e das promessas Andrés ‘Desmanchez’ estufou o peito, após uma conquista do Corinthians, e vaticinou: em pouco tempo, o clube seria um dos cinco bambambãs do ludopédio mundial. Navegaria na elite das chuteiras.

Dito e não feito, como sempre. O Corinthians não figura nem entre os 100 times mais valiosos, de acordo com o site Transfermarkt. Apenas Flamengo, Grêmio e Palmeiras aparecem no ranking. Os 20 clubes mais valiosos e os cinco sul-americanos (em euros):

1 – Manchester City – 1,3 bilhão
2 – Liverpool – 1,18 bilhão
3 – Barcelona – 1,09 bilhão
4 – Real Madrid – 1,07 bilhão
5 – PSG – 1,01 bilhão
6 – Tottenham – 959,5 milhões
7 – Bayern de Munique – 892,6 milhões
8 – Chelsea – 842,7 milhões
9 – Atlético de Madrid – 835,5 milhões
10 – Juventus – 820 milhões
11 – Manchester United – 748,2 milhões
12 – Arsenal – 677,7 milhões
13 – Inter de Milão – 632,9 milhões
14 – Napoli – 630,7 milhões
15 – Borussia Dortmund – 618,4 milhões
16 – RB Leipzig – 590,4 milhões
17 – Valencia – 509,5 milhões
18 – Leicester – 505,5 milhões
19 – Everton – 495,7 milhões
20 – Milan – 460,8 milhões
65 – River Plate – 163,9 milhões
70 – Flamengo – 145,3 milhões
87 – Boca Juniors – 118,4 milhões
88 – Grêmio – 117,4 milhões
91 – Palmeiras – 114,8 milhões

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo e afins mordem o dedão do pé: ‘Democracia em Vertigem’ foi indicado ao Oscar. Filme de Petra Costa aborda o impeachment da ex-presidente Dilma.

Resultado de imagem para fotos tiago nunes
Tiago Nunes: estreia na Copa Mickey

Roqueiro da Fiel. Apesar de ter apenas 39 anos, o novo ‘professor’ do Corinthians, Tiago Nunes, já encarou a casamata de 22 times em nove estados, incluindo São Paulo (comandou o sub-20 da Ferroviária de Araraquara). Estreou como treinador no Rio Branco, do Acre, em 2010, e faturou o caneco. Tiago Nunes está na estrada da bola há 18 anos. Tem como inspirações o alemão Jürgen Kloop e o argentino Marcelo Bielsa (‘de louco não tem nada’). E nas horas vagas curte rock’n roll. Tiago Nunes estreia nesta quarta, contra o New York City, na ‘Copa Mickey’.

Zé Corneta. Liquidação na Raposa: leve cinco e pague um – a perder de vista.

Nada se cria…. Durante as conversações para assumir o Palmeiras, o que acabou não acontecendo, o hermano Sampaoli havia admitido a possibilidade de deslocar o volante Felipe Melo para a zaga. Na Flórida, para a disputa da ‘Copa Mickey’, o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo colocou a ideia em prática. Já dizia o velho guerreiro Chacrinha: nada se cria, tudo se copia.

Sugismundo Freud. Quando se aprende a jogar limpo, a vitória é honrada!

Bacalhau de primeira. O ‘papa-títulos’ Jesus está com o cofrinho recheado. Campeão brasileiro e da Libertadores, o ‘mister’ ganhou 2 milhões de euros (R$ 9,2 milhões) apenas em premiações. Contratado em junho, com salário anual de 3 milhões de euros (R$ 13,8 milhões), Jesus papou mais que os atletas – quem atuou em todos os jogos embolsou R$ 1,8 milhão. Os auxiliares do treinador ganharam 100 mil euros (R$ 460 mil) pelos dois canecos.

Boca de urna. A briga pelo poder no soberano Tricolor esquenta: Marco Aurélio Cunha será candidato nas eleições de dezembro. Hoje, ele coordena a seleção feminina de futebol. Julio Casares, funcionário da Record, é o nome da situação.

Zapping. Pesquisa do Uol com jogadores apontou o trio parada dura de assistir na telinha: Os Donos da Bola (28% – Band), Fox Sports Rádio (15%) e Acabou a Brincadeira (14% – SporTV). Os apresentadores Neto, Benjamin Back e Cereto vibram com a performance.

Caiu na rede. Brasileirão tem dois clubes-empresa: Bragantino/Red Bull e Flamengo/Rede Globo – plim plim.

Farra do boi. Apenas as rescisões de conselheiros remunerados representarão uma economia de R$ 5,5 milhões por ano à Raposa. O mais bem pago era o diretor-geral Sérgio Nonato. Por amor ao clube, recebia apenas R$ 125 mil por mês. Com luvas e salário, Nonato papou a bagatela de R$ 875 mil em 2018, sem contar os prêmios.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Nos últimos dez anos, os técnicos brasileiros se acostumaram com a estagnação e acharam que era assim mesmo. Nem o 7 a 1 provocou mudanças. O mesmo ocorre no país, com graves e antigos problemas sem solução, como a violência urbana, a ausência de saneamento básico em 50% das moradias e tantas outras vergonhosas situações. Espero que o Flamengo se torne um grande ruído, um pedido de ajuda, um grito de desespero, para melhorar o futebol brasileiro.” Bingo!

Tititi d’Aline. Não convide Neymar Master e o artilheiro Gabigol para dividirem um pastel de vento e um caldo de cana na feira. Sairá faísca na barraquinha. Os dois simplesmente não se bicam. Em um passado recente, o empresário e o atacante já chegaram a trocar sopapos numa festa. Gabigol e Rafaella, irmã do ‘menino Ney’, terminaram o namoro.

Você sabia que… a Liga espanhola e a Premier League lideram a popularidade nas redes sociais, bem à frente de NBA, NFL e Calcio?

Stefany Krebs, uma das novidades do Palmeiras

Bola de ouro. Palmeiras. Finalmente acordou para o futebol feminino. Deixou de ser um apêndice do ‘projeto da Ponte’ e montou uma equipe para valer. O Palestra anunciou um pacote de reforços, incluindo atletas de São Paulo e Peixe. As meninas já treinaram até na mansão Allianz Parque, entre elas Stefany Krebs, campeã mundial pela seleção de futsal para surdos em 2019. Na apresentação do time, Stefany respondeu às perguntas em libras e sua mãe foi a intérprete. Uma lição de inclusão.

Bola de latão. Paulistinha. A ínclita FPF sabe como poucas entidades valorizar o campeonato que organiza. A Champions é fichinha perto do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. O pontapé inicial acontecerá no dia 22. Um duelo imperdível: Novorizontino x Oeste, às 17 horas, no templo de Novo Horizonte. Ainda há ingressos para a porfia.

Bola de lixo. Carioquinha. É o melhor exemplo de que o calendário do ludopédio nacional beira a perfeição. Entre um pedaço de peru, um gole de tubaína e um punhado de uvas-passa nas festas de fim de ano, Ameriquinha, Portuguesa, Americano, Nova Iguaçu, Macaé e Friburguense começaram a brigar por duas vagas às Taças Guanabara e Rio, ao lado de Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense.

Bola sete. “Minha única diferença para elas é que eu não escuto. Mas o futebol é o mesmo. Tenho certeza que a gente vai encontrar formas de se comunicar em campo” (de Stefany Krebs, campeã mundial pela seleção de futsal para surdos, um dos reforços do time de futebol de campo do Palmeiras – nota mil, com louvor).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Fernando Diniz já queimou sua tolerância no soberano Tricolor?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Flamengo dá bico no analfabetismo técnico e tático, e salva a honra do futebol brasileiro. Glória a Jesus!

Imagem relacionada
Depois de 38 anos, novamente o ‘Rei da América’

Se não fosse o Flamengo resgatar parte do bico dourado das chuteiras brasileiras, com o título de ‘Rei da América’ e a boa exibição contra o Liverpool na decisão do Mundial da mamãe Fifa, a temporada internacional do ludopédio verde e amarelo seria uma desastre.

A amarelinha desbotada faturou a Copa América, é verdade, mas aos trancos e barrancos. Um torneio bem mequetrefe! Depois, nos amistosos, saudou a galera com estonteante triunfo sobre a poderosíssima Coreia do Sul por 3 a 0. Empatou com Colômbia (2 a 2), Senegal (1 a 1) e Nigéria (1 a 1), e levou chumbo de Peru (1 a 0) e Argentina (1 a 0). Até a pachecada ficou envergonhada com Tite & Cia.

Na Copa Sul-americana, a segunda divisão da Libertadores, os magnânimos representantes tupiniquins tombaram vergonhosamente. Peixe, Bahêa, Galo e Corinthians foram defenestrados pelos uruguaios River Plate e Liverpool, pelo argentino Colón e pelo equatoriano Del Valle, respectivamente.

Na briga pelo caneco continental, sonho de 11 de cada 10 torcedores (inexplicavelmente rebaixam o Brasileirão), o vexame começou com a eliminação do soberano São Paulo diante do argentino Talleres na pré-Libertadores. Já o Galo quebrou o bico no grupo E – ficou atrás de Cerro Porteño e Nacional, do Uruguai.

A Raposa morreu no mata-mata contra o River Plate. O Furacão também deixou de soprar nas oitavas, contra o Boca Juniors. O Flamengo de Jesus ficou no bico da cegonha sem asas após ser derrotado pelo Emelec, do Equador, por 2 a 0. Devolveu o placar no ‘new Maraca’ e confirmou a vaga nos pênaltis (4 a 2).

Nas quartas, o Urubu despachou o Saci colorado (2 a 0 e 1 a 1) e, nas semifinais, arrebentou o Grêmio, que havia superado o badalado Palmeiras. No primeiro encontro, cariocas e gaúchos ficaram no 1 a 1, no estádio gremista. Na Cidade Maravilhosa das balas voadoras, uma goleada histórica: 5 a 0.

E o Urubu voou para a decisão contra o River Plate, em Lima, pela primeira vez em jogo único. Perdia por 1 a 0. Virou com dois gols na bacia das almas e quebrou um jejum de 38 anos sem dar a volta olímpica na Libertadores.

Passaporte carimbado para o Mundial, também fez a festa no Brasileirão. com uma chuteira nas costas – diferença de somente 16 pontos para o vice Peixe. Em Doha, superou o Al Hilal (3 a 1, de virada) nas semifinais e, na hora de a onça escovar os dentes, sucumbiu contra o poderoso Liverpool na prorrogação, gol do brasileiro Firmino. Encarou de frente os ingleses. Caiu de pé, com louvor.

Imagem relacionada

Mister, o revolucionário

Demorou cinco anos, mas finalmente Jesus apareceu… E deu-se o milagre, a revolução das chuteiras, o que deveria ter acontecido na Copa de 2014. Mais precisamente depois do histórico vexame em que a Alemanha pintou o sete no Mineirão. Muito se falou após a surra que Toni Kroos, Thomas Müller & Cia. aplicaram nos soldados do ‘sargento’ Felipão. Promessas de mudanças radicais, banimento dos eternos cartolas sanguessugas, CPIs da tragédia…

Nada, porém, aconteceu após ‘a bofetada’ alemã, ‘a humilhação’, ‘o Mineiraço’, ‘os sete Maracanazos’, ‘o pesadelo e a falência mental e coletiva dos brasileiros’ – palavras usadas pela mídia internacional depois do massacre. Trocou-se de treinador (Felipão por Dunga, que havia fracassado no Mundial de 2010) e nada mais. O futebol tupiniquim continuou se arrastando na incompetência, na mesmice.

Quatro anos depois, já com Tite na casamata, nova bordoada na Rússia, eliminação nas quartas de final para a Bélgica. E, novamente, nada mudou. A orquestra da mediocridade permaneceu desafinada até junho, quando Jesus aterrissou no ninho da Gávea.

Mais que arrebatar a faixa de campeão brasileiro e o título de ‘Rei da América’, o Flamengo de Jesus queimou muletas arcaicas que dominavam os ‘professores’ brasileiros: ‘Quem gosta de espetáculo deve ir ao teatro’; ‘Futebol bonito é o que conquista títulos’; ‘Prefiro ganhar de meio a zero a jogar bem e perder’; ‘O que vale é taça, mesmo com gol de mão’…

Jesus deu um basta ao pragmatismo, um bico no analfabetismo técnico e tático que garantiu fortunas a muitos treinadores. O desempenho voltou a ter destaque. Jesus, feliz novo 7 a 1! Dificilmente o raio cai duas vezes no mesmo lugar. O futebol brasileiro é mesmo abençoado pelos deuses da bola. Chega de propaganda enganosa!

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo, ano 1: a gente somos inútil…

Trio de Ferro enferrujado. Okay, okay: Palmeiras, soberano São Paulo e Corinthians se classificaram para a Libertadores (o tricampeão paulista para a pré). Apenas um prêmio de consolação. Uma brilhante temporada como coadjuvantes. O Palestra se propôs a ganhar tudo, passar o rapa nos troféus e… terminou ‘virgem’. O Tricolor completou 11 anos na fila de gargarejo, sem levantar um caneco importante. E o Corinthians chegou aos trancos e barrancos ao vestibular do torneio continental. Com muito menos investimento, mas com um ‘professor’ de primeira, Jorge Sampaoli, o Peixe deixou os três coirmãos na poeira. Palmeirenses, são-paulinos e corintianos fecharam o ano em ritmo de fim de feira. Conseguiram ser piores que o VAR.

Zé Corneta. La­drão que rou­ba la­drão tem 100 anos de perdão… e ainda vive nababescamente no Dis­tri­to Fe­de­ral.

Sanguessugas. Os endividados clubes brasileiros movimentaram a bagatela de R$ 8 bilhões em transferências entre 2003 e 2018. O soberano São Paulo comanda o ranking com pouco mais de R$ 1 bilhão. Saci colorado (R$ 827 milhões) e Corinthians (R$ 736 milhões) completam o pódio das moedas. O levantamento é da consultoria Sports Value. O Flamengo aparece em 11º, com R$ 381 milhões. Ano passado, os negócios atingiram R$ 1,3 bilhão, recorde na pátria das chuteiras furadas, um crescimento de 32% em relação a 2017 (R$ 960 milhões). De acordo com a mamãe Fifa, o atleta brasileiro proporcionou a maior geração de receitas para os clubes em 2018, algo em torno de R$ 1,3 bilhão. Mas todos estão de pires na mão.

Sugismundo Freud. Faça da vida um jogo de futebol… Chute a tristeza, drible a dificuldade e marque gols de alegria. Que venha 2020!

Resultado de imagem para clubes sem dinheiro charges e desenhos

Pires na mão. Passa ano, chega ano, e nada muda. Ou melhor, o buraco fica cada fez maior. Ninguém escapa da catastrófica situação financeira do esporte bretão. A corrida dos endividados é liderada pelo Botafogo, com R$ 730 milhões (sem contar este ano). Na sequência, Saci colorado (R$ 668 mi), Fluminense (R$ 630 mi), Galo (R$ 595 mi), Vasco (R$ 530 mi), Raposa (R$ 520 mi) e Corinthians (R$ 476 mi), sem contar os tijolinhos do Itaquerão, minha casa minha vida. O Flamengo ocupa a oitava posição, com R$ 469 mi, à frente de Palmeiras (R$ 462 mi) e Peixe (R$ 407 mi). No total, o calote dos principais clubes chega a bagatela de R$ 8 bilhões.

Papo na padoca. Alô Circo Brasileiro de Futebol! Quem nasceu para 25 de Março jamais será Quinta Avenida.

Pé de obra. Nada menos que 466 jogadores brasileiros estão espalhados pelos 31 principais campeonatos da Europa. A maioria defende times de Portugal, Rússia, Ucrânia, Bulgária e Finlândia, de acordo com o Observatório do Futebol do CIES (Centro Internacional de Estudos do Esporte). O exército nacional representa 10,3% do total de gringos por lá. Nas ligas mais importantes, as chuteiras made in Brazil são menores. Na Alemanha, Espanha e Inglaterra há mais franceses, 115 contra 104. A única das ligas analisadas que não conta com nenhum brasileiro é a da Escócia. O top 5 do CIES: Brasil – 466; França – 350; Espanha – 224; Portugal e Sérvia – 172.

Caiu na rede. O rubro-negro Júlio César adora entregar taça de Mundial: 2010, 2014 e 2019.

Happy Holidays. O blogueiro decidiu encher o saco do Papai Noel e pular sete ondas no deserto. Muita farofa, espetinho de uva-passa e tubaína sem gelo. Curta a vida. Ninguém é de ferro. As cacetadas voltarão em 13 de janeiro – ou a qualquer momento, se aparecer uma patacoada.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Nos esportes e em todas as atividades, não são apenas as teorias, as brilhantes teses, as detalhadas pesquisas e os ótimos trabalhos acadêmicos que explicam e promovem as transformações individuais e coletivas. São também os fatos marcantes e os ruídos avassaladores, às vezes, imprevisíveis e surpreendentes. O Flamengo é o fator novo, marcante, o grito de desespero que pode recuperar o futebol brasileiro. Será difícil, porque o doente está grave, melancólico, sem vida, refém de décadas de mesmice e mediocridade.” Bingo!

Tiro curte. Futebol é mesmo uma arte: em um segundo você pode criar uma obra-prima ou o maior fiasco da vida.

Tititi d’Aline. O soberano São Paulo fechará a temporada em magnífico astral: CA de Barros e Silva, o popular Leco, admitiu rombo de R$ 180 milhões no tira, põe, deixa ficar de 2019; ‘virgindade’ do time completou oito anos sem caneco; zagueiro Arboleda homenageou Palmeiras e ‘titia’ Leila Crefisa ao colocar o enxoval do vizinho de CT numa festa no Equador; goleiro Jean agrediu mulher e foi preso nos EUA; e atacante Helinho se envolveu num bafafá em boate de Sertãozinho, com direito a socos e pontapés.

Você sabia que… o pavão de hoje pode ser o espanador de amanhã?

Bola de ouro. Flamengo. Um ano quase perfeito. Fez barba, cabelo e bigode (campeão do Carioquinha, do Brasileirão e da Libertadores). Mudou o patamar do ludopédio nacional. Sagrou-se vice mundial com méritos. O Liverpool pensou que iria pegar uma galinha morta e só resolveu a parada na prorrogação. A lamentar, e muito: até agora, não resolveu o problema dos garotos mortos na tragédia do Ninho do Urubu, mesmo com dinheiro suficiente para fechar um acordo com os familiares das vítimas. Há mais de 10 meses, o Rubro-negro vem empurrando o drama com a barriga. Inadmissível!

Bola de latão. Raposa. Ninguém brilhou tanto nesta temporada. Dentro e fora de campo. Pela primeira vez, o pão de queijo queimou na elite do Brasileirão e vai participar da supimpa segundona. Atolado em dívidas, o clube está à beira da bancarrota. Graças ao tilintar frenético das moedas, frequentou com assiduidade as páginas policiais. Um ano inesquecível para o cruzeirense.

Bola de lixo. Brasil: ano novo, chuteira velha. Esdrúxulos campeonatos estaduais, calote no salário, invasões de vândalos a CTs e aeroportos, caça-níqueis da amarelinha desbotada, cartolas sacanas, calendário desumano… A locomotiva Flamengo, por exemplo, disputará seis torneios: Supercopa do Brasil contra o Furacão, Recopa Sul-americana diante do Independiente del Valle, Carioquinha, Copa do Brasil, Brasileirão e Libertadores. A maratona pode chegar a sete se voltar ao Mundial do Catar. Já os engravatados de colarinho branco permanecerão em luxuosas salas com ar-condicionado, descendo ao campo apenas para entregar os prêmios.

Bola sete. “O Flamengo mostrou que, sim, é possível desafiar equipes poderosas da Europa. Mas para vencê-las, é necessário avançar mais, chegar a um estagio mais alto. O Flamengo está, sim, em outro patamar no Brasil e em relação a boa parte do continente. E ele é elevado, mas ainda bem abaixo dos melhores times de futebol do mundo” (de Mauro Cezar Pereira, no Uol – é vero).

Dúvida pertinente. Futebol brasileiro, ano 2019: AJ e DJ – antes e depois de Jesus?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Flamengo dá trabalho, mas se curva ao melhor time do mundo; Firmino é tetracampeão

Resultado de imagem para fotos liverpool campeao mundial
Firmino comemora o gol com Van Dijk

Caiu de pé – poucas vezes essa frase pode ser usada sem ironia, achincalhe ou chacota no planeta bola. O Flamengo perdeu o bicampeonato mundial, mas deu trabalho ao poderoso Liverpool (1 a 0, gol de Firmino), no Khalifa International Stadium (45 mil espectadores), em Doha. Havia muito tempo que um campeão da Libertadores não encarava para valer um bambambã da Champions.

Depois de tomar três bordoadas (Flamengo/81, Independiente/84 e São Paulo/05), finalmente o Liverpool colocou a faixa de campeão no peito. Firmino, por sua vez, fecha a temporada 2019 com um tetra: Champions, Copa América (pela amarelinha desbotada), Supercopa da Uefa e Mundial de clubes da mamãe Fifa.

Após 38 anos, brasileiros e ingleses se reencontraram numa decisão de Mundial. Em 1981, Zico & Cia. deram show e venceram por 3 a 0. Desta vez, o Liverpool fez a festa com um gol do brasileiro Firmino, aos 8 minutos da prorrogação.

Triunfo apertado, porém merecido. A equipe do alemão Jürgen Klopp mostrou por que é a melhor do mundo atualmente, mesmo ‘tirando o pé’. Soube tourear o Urubu. Poderia ter marcado outros gols, só que parou na trave e nas luvas de Diego Alves, um dos destaques do Flamengo.

Também Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Filipe Luis e Willian Arão se saíram bem. Já Gerson, Arrascaeta e Everton Ribeiro decepcionaram no meio de campo. Jesus colocou Lincoln, Diego e Vitinho. Pouco adiantou. No ataque, Gabigol foi um zero à esquerda. Apenas Bruno Henrique deu trabalho à zaga adversária.

O início do Liverpool foi arrasador. Em menos de 10 minutos, perdeu duas ótimas chances com Firmino e Keita. O Rubro-negro equilibrou as ações após os 15 e chegou a mandar no jogo, embora sem fustigar o goleiro Alisson. O script do segundo tempo foi semelhante. Firmino acertou uma bola na trave.

Superior fisicamente, o Liverpool assinalou o gol da vitória aos 8: em contra-ataque, Mané deixou Firmino sozinho. Ele dominou, deu um corte em Rodrigo Caio e pimba na caxirola: 1 a 0. No último minuto, Lincoln desperdiçou uma ótima oportunidade.

E dizem que eles não dão importancia ao Mundial… 

 

Pitaco do Chucky. Novo e-mail do governo: planalto@lheira.gov.br.

Caça ao tesouro. O duelo em Doha reuniu os ‘flagelados’ da bola e a realeza das chuteiras. O Rubro-negro chegou à final com um elenco avaliado em R$ 665 milhões. Já o Liverpool é um dos reis da cocada do esporte bretão, com plantel estimado em R$ 5,3 bilhões, de acordo com o site especializado Transfermarkt. Só o egípcio Salah vale R$ 630 milhões. O Flamengo gastou R$ 294 milhões para montar o grupo atual. Arrascaeta, Vitinho e Gerson consumiram a maior parte do investimento. Os Reds aplicaram R$ 2,5 bilhões – apenas o zagueiro Van Dijk custou R$ 330 milhões.

Zé Corneta. Se o horário oficial é o de Brasília, por que a gente tem que trabalhar na segunda e na sexta?

Heresia rubro-negra. É bom que se diga: devagar com o andor que o santo é de barro. Comparar o Flamengo de 1981 ao desta temporada é uma heresia, apesar do ano dourado de Jesus e discípulos. Uma viagem ao mundo encantado da utopia. Uma tremenda falta de respeito ao melhor jogador da história do clube, o Galinho Zico. Um besteirol 9.9 na escala Richter das chuteiras furadas. O Rubro-negro do início dos anos 80 faturou o Brasileirão, a Libertadores e o Mundial sempre dando um recital a cada 90 minutos. O Flamengo de Jesus sobra atualmente no esporte bretão nacional, conquistou marcas incríveis, mas julgá-lo à semelhança de Zico & Cia. é um sacrilégio.

Heresia rubro-negra 2. Há 38 anos, uma orquestra. Na defesa, nas laterais e no meio de campo. Monstros sagrados! Na peça ofensiva talvez possa existir dúvida, pela excelente fase de Gabigol e Bruno Henrique. Há, porém, que se ressaltar o excelente papel tático que Lico desempenhava, e o ‘tanque’ Nunes, pronto para o que der e vier: “Para fazer esta comparação, há que se levarem conta uma: e os times rivais do tempo do Zico? Eram iguais ou melhores do que os mesmos rivais de hoje?”, escreveu Fernando Calazans, no Ultrajano.

Heresia rubro-negra 3. Adeg informa: Flamengo/1981 – Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Lico. ‘Professor’: Paulo César Carpegiani. Flamengo/2019 – Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luis; Arão, Gerson e Arrascaeta; Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique. ‘Mister’: Jorge Jesus. Você decide.

Sugismundo Freud. Futebol moderno é como pelada: todo mundo corre e ninguém sabe para onde.

Gringos goleiam. E a festa dos europeus continua nos Mundiais da mamãe Fifa. De 2000 até hoje, eles soltaram 12 vezes o grito de campeão: quatro o Real Madrid, três o Barcelona e uma Milan, Inter de Milão, Bayern de Munique, Manchester United e Liverpool. Os brasileiros ganharam quatro canecos: Corinthians (dois), Saci colorado e soberano São Paulo. Depois de 2000, o torneio só voltou a ser realizado em 2005. Fora o Mundial assinado pela Fifa, aconteceram as competições envolvendo os vencedores da Libertadores e da Champions. Peixe, Tricolor, Grêmio e Flamengo cravaram o nome na taça.

Papo na padoca. Futebol brasileiro: muito verbo e pouca verba.

Zapping. Flamengo x Liverpool cravou 41 pontos e 72% de share (TVs ligadas) no ibope da plim plim na Cidade Maravilhosa das balas uivantes. É a maior audiência da história do Mundial de clubes da mamãe Fifa no Rio. Na grande Pauliceia entregue à bandidagem, a audiência atingiu 26 pontos e 52% de participação.

Caiu na rede. Se tá chato pra você, imagina pro rubro-negro que tem um carnê da viagem a Doha?

Gilete press. Do jornalista Renato Senise, da RedeTV e DAZN: “Estou em Liverpool, procurando lugar pra ver a final. No Sports Pub, com decoração dos Reds, atendentes nem sabiam do jogo. Televisões vão mostrar turfe, mundial de dardos e City x Leicester. Um funcionário foi perguntar ao gerente se pode colocar a final em pelo menos uma TV…” Torneio ‘fantasma’.

Tititi d’Aline. Os sites de apostas informam: Firmino matou a zebra em Doha. Uma conquista do Flamengo pagaria R$ 2,40 por real investido, enquanto a do Liverpool garantiu o retorno de R$ 0,30. No tempo normal, um triunfo do Rubro-negro significaria um ganho de R$ 4 por um aplicado; do time inglês, R$ 0,61.

Você sabia que… nesta temporada (16 jogos) o goleiro Alisson não sofreu mais que dois gols numa partida?

Bola de ouro. Alisson, Alexander-Arnold, Gomez, Van Dijk, Robertson, Henderson, Oxlade-Chamberlain, Lallana, Keita, Milner, Salah, Shaqiri, Roberto Firmino, Origi e Mané. ‘Professor’: Jürgen Klopp. Entraram para a história do Liverpool. Mesmo com o freio um pouco puxado, o time inglês foi superior ao Flamengo.

Bola de latão. André. Contratado por R$ 10 milhões em 2018, o centroavante virou mico no Grêmio. Ninguém apareceu até agora no imortal para tentar contratá-lo. André recebe mais de R$ 500 mil por mês. Nesta temporada, participou de 45 partidas e marcou sete gols. Chegou a ser vaiado no banco.

Bola de lixo. Futebol brasileiro. Penhora: substantivo feminino; ato ou efeito de penhorar; apreensão dos bens de devedor, por mandado judicial, para pagamento da dívida ou da obrigação executada. Pois é, nunca se falou tanto sobre essa gloriosa palavrinha no mundo encantado do ludopédio nacional. De estádios a troféus, vale tudo. Os times estão mais quebrados que arroz de terceira.

Bola sete. “Passamos dificuldades, óbvio, jogamos contra um grande time. Foi o jogo mais difícil do ano, mas o Flamengo foi bem, foi superior, tivemos chances até o último minuto. Mostramos que estamos em outro patamar” (do atacante Gabigol, após a derrota para o Liverpool – menos, menos).

Dúvida pertinente. O maldito cheirinho está de volta?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Firmino sai do banco e garante revanche contra o Flamengo na bacia das almas

Firmino saiu do banco aos 40 do segundo tempo e marcou aos 45

‘Em dezembro de 81/Botou os ingleses na roda/3 a 0 no Liverpool/Ficou marcado na história/E no Rio não tem outro igual/Só o Flamengo é campeão mundial/E agora seu povo/Pede o mundo de novo…’ – 38 anos depois, brasileiros e ingleses voltarão a disputar o título mundial. A decisão será neste sábado, às 14h30, em Doha.

Enquanto o Urubu voou para a decisão com uma vitória de 3 a 1 diante do Al Hilal, o Liverpool sofreu barbaridades para eliminar o mexicano Monterrey por 2 a 1. O atacante brasileiro Firmino saiu do banco no fim da partida e marcou o gol da vitória aos 45 minutos, garantindo a revanche contra o Rubro-negro.

Keita abriu o placar aos 11 da etapa inicial. Salah deixou o companheiro na cara gol. Ele esperou a saída de Barovero e tocou para a rede. A torcida inglesa ainda comemorava na arquibancada quando Funes Mori aproveitou um rebote de Alisson e empatou.

O ‘professor’ alemão Jürgen Klopp não contou com Lovren, Matip, Wijnaldum e Van Dijk (sentiu-se mal e nem deixou o hotel). O treinador teve de improvisar Henderson na defesa, ao lado de Joe Gomez. Também deixou vários titulares no banco. Alexander-Arnold, Mané e Firmino só pintaram no segundo tempo.

Com uma zaga organizada às pressas, o Liverpool permitiu ao Monterrey criar boas oportunidades. Só não se complicou porque o brasileiro Alisson fez grandes defesas. Trabalhou muito mais que Barovero.

Os jogadores do Flamengo assistiram o jogo no estádio Khalifa (42 mil espectadores, o dobro da partida do Urubu com o Al Hilal). Certamente anotaram que com velocidade e trocas de posição no ataque poderão complicar a vida do Liverpool. Mas também terão de marcar forte no meio de campo e vigiar muito bem o trio Salah, Firmino e Mané. Nenhum deles será poupado. E Van Dijk deve retornar à zaga.

O Liverpool tentará quebrar um tabu. Levou bala nas três finais que disputou: Flamengo em 1981 (3 a 0), Independiente em 1984 (1 a 0) e soberano São Paulo em 2005 (1 a 0). Em 1977, deixou a vaga para o Borussia Mönchengladbach, vice-campeão europeu à época.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chuky. E o Doria, hein? O Trumpinho da Pauliceia mandou fechar o complexo do Pacaembu (piscina, quadras de tênis e ginásio) para promover uma ‘pelada’ entre amigos.

Imagem

Tchau, ‘Arbolenda’! O zagueiro Robert Arboleda dificilmente permanecerá no São Paulo. De férias no Equador, ele apareceu nas redes sociais com uma camisa do Palmeiras (foto). O jogador estava abraçado com o compatriota Billy Arce, dono da página no Instagram. Arce pertence ao inglês Brighton e foi emprestado ao Barcelona de Guayaquil. A imagem mostra os atletas em ‘Barrio Boca Del Lobo’, em Esmeraldas. Os anjinhos independentes organizados pelo diabo detonaram o jogador: “Arboleda mau caráter, não respeitou a grandeza do São Paulo. Trairagem. Não pode ficar impune.”

Zé Corneta. Fala que eu te escuto: 72% reprovam Crivella como prefeito do Rio.

Tio Patinhas. A milionária Conmebol decidiu abrir um pouco mais a burra e aumentou a premiação da próxima Libertadores. O rei da América receberá US$ 15 milhões (R$ 60,8 milhões), mais 25% da renda da final em jogo único. O vice embolsará US$ 6 milhões (R$ 24,3 mi) e outros 25% da arrecadação. Noves fora: com o dindim da fase de grupos, quartas e semifinais, o campeão engordará o caixa em US$ 22,5 milhões (R$ 91,3 mi). O bolo das quartas pulou de US$ 1,25 milhão (R$ 4,8 mi) para US$ 1,5 milhão (R$ 6 mi), e das semis, de US$ 1,75 milhão (R$ R$ 7,1 mi) para US$ 2 milhões (R$ 8,1 mi). Neste ano, o Flamengo papou US$ 12 milhões (R$ 48,6 mi).

Sugismundo Freud. A vida é um jogo de futebol… só não tem intervalo.

Tungada. O Urubu deixou a fila do gargarejo, depois de uma década, com uma série de recordes no Brasileirão, de maior número de pontos (90) a ataque arrasador (86 gols). A máquina também cravou a contribuição mais suculenta para o time de engravatados da gloriosa federação do Rio. O Flamengo engordou o saco do Papai Noel da Ferj em R$ 2.673.787,63, graças ao ‘bicho’ de 5% da receita bruta de cada confronto, de acordo com o site ‘Sr.Goool’. Insaciável, o milionário esquadrão da Ferj ainda tomou R$ 489.553 do Fluminense, que registrou rombo de R$ 1,7 milhão – pagou várias vezes para jogar. E o Botafogo colaborou com R$ 399.184,53. A exemplo do coirmão das Laranjeiras, fechou no cheque especial (-R$ 1.421.040).

Tungada 2. Dono da segunda maior torcida do país, o Corinthians ajudou a pobre Federação Paulista de Futebol com R$ 1.577.746,37. Já o Palmeiras lustrou as chuteiras da FPF com R$ 1.475.511,71, enquanto o soberano Tricolor despejou R$ 1.199.890. Noves fora: mais de R$ 3 milhões doados pelo Trio de Ferro. Os 20 clubes do Brasileirão perderam a bagatela de R$ 14.094.030,19 ao longo de 38 rodadas. As impolutas federações agradecem, penhoradamente.

Papo na padoca. Palmeiras muda da água para o vinagre com ‘professor’ do 12º colocado do Brasileirão e gerentão do 15º. Avanti Galiotte!

Rainha do apito. Sempre ligada aos poderosos, a ex-bandeirinha Ana Paula Oliveira é a nova chefe dos assopradores de latinha de São Paulo. Pela primeira vez, uma mulher vai comandar o departamento. Ana Paula trabalhou como auxiliar entre 1998 e 2007. Mais errou do que acertou. Provocou suspiros ao posar nua para a Playboy há 12 anos. Ela ocupará o cargo de Dionísio Roberto Domingos, que saiu da federação. O ex-diretor esteve envolvido na polêmica do Paulistinha do ano passado – o Palmeiras reclamou de interferência externa na anulação de um pênalti contra o Corinthians.

Caiu na rede. GreNal, Palmeiras x Corinthians: só o Flamengo nunca pode fazer um clássico estadual na Libertadores.

‘El Clasico’. O último embate entre Barcelona e Real Madrid da década terminou sem gols. Desde 2002, não acontecia um ‘oxo’. O duelo aconteceu no Camp Nou, em jogo adiado da 10ª rodada do Campeonato Espanhol. Casemiro (foto) e o goleiro Ter Stegen foram os destaques do jogo. Barça e Real acumulam 36 pontos. O time catalão lidera por ter melhor saldo de gols, 23 a 21.

Gilete press. De Andrés ‘Desmanchez’, no sorteio da Libertadores: “Para nós, brasileiros, é um absurdo. É melhor ficar fora do que disputar a pré-Libertadores. É uma cobrança enorme. Até hoje falam do Tolima. É um risco. Não tem muito sentido. Ou vai direto para o grupo ou fica fora.”

Tititi d’Aline. A Copa do Catar, em 2022, tem tudo, e mais um pouco, para ser um sucesso inesquecível. O ludopédio é adorado pelos moradores de Doha. Tanto que 11 de cada 10 habitantes preferem as corridas de camelos e cavalos à bola. As provas acontecem às 5 horas (horário local) devido ao calor.

Você sabia que… Liverpool e Boca Juniors não disputaram a final do Mundial de 1978 por causa do calendário?

Bola de ouro. Bruno Henrique. O atacante está arrebentando no Flamengo. Nos últimos nove jogos, marcou 10 gols e deu duas assistências. Comandou a virada sobre o Al Hilal nas semifinais do Mundial da mamãe Fifa.

Bola de latão. Galo. Um tremendo sucesso nas arquibancadas: dos 19 jogos como mandante do Brasileirão, pagou para jogar em nove. Cheque especial: R$ 216.995,36. Azar do meio-campista Elias: deve ir à Justiça para receber uma dívida de R$ 2 milhões – dois meses de salários atrasados e quatro de direitos de imagem, 13º, um terço das férias e prêmios. O contrato do ex-corintiano termina em janeiro.

Bola de lixo. Jean. A mulher do goleiro são-paulino, Milena Bemfica, acusou o jogador de agressão. O casal passa férias em Orlando, com as duas filhas. Em vídeo, Milena mostrou o rosto deformado por pancadas e pediu justiça. Em um post, Jean escreveu: ‘Parabéns. Terminou com a minha carreira. E suas filhas vão passar fome.’ Após a denúncia da mulher, Jean foi preso. O caso foi registrado na Orange County Sheriff Office como violência doméstica. O soberano Tricolor soltou comunicado informando que aguarda a apuração dos fatos ‘para definir as medidas cabíveis’. O goleiro tem contrato até o fim de 2022.

Bola sete. “Claro que a final será o jogo mais importante da minha carreira. É a cereja do bolo da temporada que o Flamengo fez” (de Jesus, 65 anos, sobre a decisão do Mundial – que venha o Liverpool!).

Dúvida pertinente. Flamengo entra como zebra contra o Liverpool?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

De virada, Flamengo despacha árabes e tenta conquistar o mundo após 38 anos

Flamengo x Al Hilal Diego Willian Arão Mundial de Clubes
Diego e Arão festejam a vitória do Flamengo

Depois de um primeiro tempo pífio, quando sofreu o gol do Al Hilal, o Flamengo reagiu e ganhou por 3 a 1, no estádio Khalifa, em Doha, no Catar. Com o triunfo, o Rubro-negro se classificou para a decisão do Mundial da mamãe Fifa. Sábado, enfrentará o vencedor de Liverpool x Monterrey. O Flamengo brigará pelo caneco após 38 anos. Em 1981, Zico & Cia. deram um show de bola no Liverpool (3 a 0).

Apenas 21.588 torcedores assistiram a sofrida vitória dos cariocas. Bruno Henrique, Rafinha, Diego Alves e Rodrigo Caio foram os destaques do Urubu. Que virou o placar com Arrascaeta, Bruno Henrique e Al-Bulayhi (contra). Al-Dawsari marcou para os árabes.

Nenhum chute em direção ao gol, nervos à flor da pele, criatividade zero no meio de campo e falhas na marcação, principalmente pelo setor de Filipe Luís. Resultado: 1 a 0 para o Al Hilal. Merecidamente.

A equipe rubro-negra simplesmente não entrou em campo nos 45 minutos iniciais. E foi uma presa fácil para o time árabe, muito bem armado e sem um pingo de receio de encarar o ‘bicho-papão’ brasileiro, o rei da América.

O Al Hilal dominou as ações, criou boas chances e encaçapou o goleiro Diego Alves, aos 17: o lateral Al-Buryak recebeu na direita, cruzou e Al-Dawsari arrematou. A bola desviou em Mari e estufou a rede. Dois minutos antes, Diego Alves havia operado um milagre.

A única boa chance do Flamengo aconteceu aos 8. O goleiro Al-Muaiouf saiu mal de soco após escanteio, a bola sobrou para Gerson, que finalizou para fora.

No segundo tempo, o Flamengo precisou apenas de três minutos para empatar e tomar conta do espetáculo. Gabigol passou para Bruno Henrique na grande área. Ele entregou de bandeja para Arrascaeta concluir: 1 a 1.

Daí em diante, o Urubu, mesmo sem apresentar um grande futebol, colocou o Al Hilal no bolso do calção. Acelerou as jogadas e aumentou a intensidade. Mas só conseguiu marcar o segundo aos 32. Rafinha recebeu de Diego, que havia substituído Gerson (fraquíssimo), e cruzou na cabeça de Bruno Henrique.

Quatro minutos depois, o time árabe foi a nocaute. Diego tocou para Bruno Henrique na esquerda. O camisa 27, um dos destaques do time, tentou cruzar para Gabigol e Al-Bulayhi marcou contra. Na sequência, Carrillo foi expulso por dar um pontapé em Arrascaeta.

Fatura resolvida, o ‘professor’ Jesus trocou Bruno Henrique por Vitinho e Arrascaeta por Piris da Mota. E deixou o tempo passar. O Flamengo voltará a brigar por um título mundial depois de 38 anos. ‘Ô Liverpool, pode esperar, a tua hora vai chegar?’

Pode, se o time inglês eliminar o mexicano Monterrey, nesta quarta, e o Flamengo reencontrar o ótimo futebol mostrado no Brasileirão e na Libertadores.

Flamengo x Al Hihal, Mundial de Clubes
Festa rubro-negra em Doha

Pitaco do Chucky. Pirralhos informam: só 12,1% dos jovens apoiam o governo Bozo.

Roda a roda. Estava na cara e no bolso a superioridade do Flamengo sobre o Al Hilal. Enquanto o elenco do Urubu está avaliado em R$ 665 milhões, o plantel árabe gira em torno de R$ 210 milhões, de acordo com o site especializado Transfermarkt. A pérola rubro-negra é o garoto Reinier, 17 anos, cotado a R$ 115 milhões. O peruano Castillo é a joia do Al Hilal: R$ 32 milhões. O Liverpool é o senhor dos anéis do Mundial da mamãe Fifa. O elenco vale R$ 5,3 bilhões. Já o Monterrey, do México, está cotado em R$ 386 milhões. Ingleses e mexicanos jogarão nesta quarta.

Zé Corneta. Novo Congresso, apenas um pão envelhecido.

Haja coração. Pelo jeito, o ‘professor’ Abel Braga adorou mergulhar no tsunami que domina boa parte do ludopédio nacional. Depois de viver grandes emoções na rebaixada Raposa, colecionando três triunfos, oito empates e três coças, Abelão topou dirigir o Vasco na próxima temporada. Substituirá o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo (acertou com o Palmeiras). Comandará um time sem lenço e sem documento.

Sugismundo Freud. Na Europa, o futebol é entretenimento entre classes; no Brasil, é guerra.

Ding dong corintiano. Nada contra, ao contrário. Mas não deixa de ser quiçá interessante e, por que não dizer, um terrível quebra-cabeça até para São Jorge: o Corinthians pede fiado até em Black Friday, mas paga R$ 22 milhões por 50% dos direitos do meia Luan, ex-Grêmio, e oferece a mesma quantia por Michael, a revelação do Goiás. A situação financeira do clube está tão complicada que virou piada entre coirmãos: Andrés ‘Desmanchez’ foi ao caixa eletrônico, quis saber o saldo e apareceu na telinha ‘não é da sua conta’. Desce o pano!

Caiu na rede. Negócio suspenso: Sampaoli pediu um Mundial ao Palmeiras.

Aposentadoria. Aos 66 anos, Levir Culpi decidiu trocar a casamata pelo bem-bom da vida. Vai gastar a poupança que amealhou ao longo de três décadas como ‘professor’. “A situação está definida. Eu encerrei a minha carreira. Chega, vou cuidar dos netinhos e viajar com a mulher”, anunciou o agora ex-treinador. Que já está com saudade da mordomia do futebol: “Você vai pegar o ônibus, ele já está esperando. Você tem o ticket de voo, já tem hotel, quarto. Agora, estou apavorado, porque não terá nada resolvido.” Levir Culpi entregará à missão para a mulher.

Papo na padoca. Por uma daquelas incríveis coincidências que só mesmo a Fada Madrinha poderia explicar, o ‘pofexô’ Luxa e a ‘titia’ Leila Crefisa têm o mesmo assessor, Olivério Júnior.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “É preciso melhorar a formação de jogadores. O futebol mudou bastante nos últimos 15 anos. Não há mais lugar para volantes que só sabem marcar, centroavantes estáticos, zagueiros colados à grande área, laterais que avançam e só sabem jogar a bola na área, meias que só atuam em pequenos espaços e goleiros que só sabem jogar debaixo das traves. Existe ainda o perigo de haver relações conflitantes, promíscuas, entre dirigentes, treinadores e empresários.” Bingo!

Zapping. Fox Sports Flamengo pergunta: Van Dijk/Lovren (Liverpool) ou Rodrigo Caio/Pablo Mari, qual é a melhor dupla de zaga? Resposta em ‘A Praça é Nossa’.

Tititi d’Aline. As mulheres abriram mais um cadeado machista. O mandachuva e trovoadas da Ferrari, Mattia Binotto, garantiu que elas participarão da Ferrari Driver Academy. A última vez que uma piloto esteve no comando de um carro de Fórmula 1 foi há 43 anos: a italiana Lella Lombardi dirigiu um Williams durante 12 provas. Depois de 1976, três mulheres sonharam, mas nunca pisaram no acelerador em um GP. Ano passado, Tatiana Calderón trabalhou como piloto de testes da Sauber.

Você sabia que… Luxemburgo já dirigiu o Palestra em 373 jogos, com 226 vitórias, 81 empates e 66 derrotas.

Bola de ouro. Rogério Ceni. O ‘professor’ mandou a cartolagem incompetente pegar vaga-lume no deserto e renovou contrato com o Fortaleza. Também deu uma bela lição a muitos treinadores que deixam o trabalho pelo meio do caminho apenas para ganhar status e holofotes.

Bola de latão. Sampaoli. O hermano é craque na casamata, arranca leite de pedra, mas também é inquestionável: adora quiproquó nos bastidores. Depois de abrir guerra ao Peixe na rescisão contratual, o ‘professor’ acertou os ponteiros com o Palmeiras e voltou atrás na hora do jamegão. Pediu R$ 2 milhões por mês ao Palestra, mais uma batelada de mordomias.

Bola de lixo. Palmeiras. O mandachuva e raios Maurício Galiotte prometeu novos tempos, um time à imagem e semelhança do Flamengo, deixou a torcida saltitante, mas sucumbiu ao som das cornetas no ninho dos periquitos em revista. Meia-volta volver: o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo comandará a equipe pela quinta vez. O oxigênio da modernidade foi para o beleléu.

Bola sete. “Vanderlei Luxemburgo foi contratado por pressão de antigos conselheiros do Palmeiras. Entre eles, seu amigo pessoal, o presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande (…) O Palmeiras com seu milionário elenco caiu no colo de Vanderlei” (de Cosme Rímoli, no R7 – fato).

Dúvida pertinente. O Flamengo é Monterrey ‘desde criancinha’?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br