Palmeiras pensa no Flamengo, ignora Fluminense e leva chumbo; Peixe também morre afogado

Marcos Paulo festeja o gol no primeiro tempo
Marcos Paulo derrubou o Palmeiras

Mais preocupado com o embate contra o campeão Flamengo, domingo, na mansão Allianz Parque, ‘fratello’ Menezes poupou vários titulares diante do Fluminense e se deu mal. O Palmeiras perdeu por 1 a 0, gol de Marcos Paulo, no ‘new Maraca’ (30.947 torcedores/R$ 337.160), e completou quatro jogos sem vencer (duas derrotas e dois empates) no Brasileirão.

O Palestra permanece com 68 pontos, em terceiro lugar. Só não se complicou na luta pela vice-liderança do campeonato porque o Peixe foi fisgado pelo Fortaleza (2 a 1). A equipe santista soma o mesmo número de pontos, mas ocupa o segundo lugar por ter mais vitórias, 20 a 19. Já o Fluminense, com 41 pontos, deixou a zona do agrião queimado. Está na 15ª posição, após 35 rodadas.

A equipe palmeirense, com apenas Weverton, Vitor Hugo e Luiz Adriano do time titular, foi envolvida pelo Fluminense no primeiro tempo. Praticamente não incomodou o goleiro Marcos Felipe.

Mesmo superior em campo, o Tricolor da Laranjeiras só conseguiu marcar aos 37 minutos. Marcos Paulo recebeu na esquerda e, com um belo toque, colocou no ângulo esquerdo de Weverton. Justiça no placar. Sem criatividade, o Palestra foi uma presa fácil.

No segundo tempo, ‘fratello’ Menezes colocou Dudu e sacou Hyoran. Obviamente, o Palmeiras cresceu e acuou o Fluminense. Aos 16, Digão evitou o gol de empate após cabeçada de Luiz Adriano.

Outra mudança: Raphael Veiga por Lucas Lima. E, aos 30, Willian pelo garoto Gabriel Veron, eleito o bambambã do último Mundial sub-17. Pegou pouco na bola. Apesar de pressionar, o Palmeiras não furou o bloqueio do Fluminense, que havia perdido nove das últimas 11 partidas contra os paulistas.

Osvaldo comemora o segundo gol do Fortaleza
Osvaldo marcou o segundo gol do Fortaleza 

No Castelão, o Fortaleza derrotou o Santos pela primeira vez na história. A equipe de Rogério Ceni ganhou por 2 a 1 e deu um bico no ‘fantasma’ do rebaixamento. Com a vitória, chegou a 46 pontos, na 10ª posição.

Edinho e Osvaldo marcaram para o Fortaleza. Sanchez diminuiu. O uruguaio poderia ter empatado o duelo aos 40 do segundo tempo, mas desperdiçou um pênalti. Mandou uma bomba na trave, enlouquecendo a torcida nas arquibancadas (33.925 pessoas/R$ 271.260). Festa no Castelão: agora, o retrospecto aponta um triunfo cearense, oito do Santos e oito empates.

No final do confronto, Soteldo foi expulso por ter chutado a bola na galera. Quando sua senhoria, o assoprador de latinha baiano Diego Pombo Lopez, os jogadores e a comissão técnica do Santos invadiram o gramado para reclamar o pouco tempo de acréscimo (oito minutos). Na confusão, Pará foi expulso.

O soberano São Paulo salvou a honra dos paulistas. Com um gol de Antony, aos 5 minutos do primeiro tempo, superou o Vasco no Morumbi (11.970 pessoas/R$ 343.649) e ficou mais tranquilo na luta para conquistar a vaga direta na fase de grupos da Libertadores.

A equipe tricolor tem 57 pontos, na sexta posição. O Corinthians caiu para sétimo, com 53. O Vasco permanece com 44, na 12ª colocação.

O São Paulo acabou com um jejum de quatro confrontos sem faturar os três pontos. O resultado dará mais tranquilidade para o ‘professor’ Fernando Diniz trabalhar. A pressão para substituí-lo é grande. Fala-se até em Jorge Sampaoli, que deve deixar o aquário da Vila Belmiro.

Image result for fotos sao paulo 1 x 0 vasco"
Antony acabou com jejum tricolor

Pitaco do Chucky. Brasília, um ninho de cobras alimentado pela corrupção.

Pai coruja. ‘Seu’ Gelson Santos Gonçalves, 49 anos, confessa: chora sempre quando o filho Tailson defende o Peixe. Mergulha no tempo: a infância do garoto foi muito difícil. Lembra de um campeonato em que Tailson foi artilheiro. Viu um gol ou outro, “porque enquanto as partidas aconteciam eu catava latinhas no estádio para poder vender”. Com o dinheiro, ‘seu’ Gelson pagava a mensalidade da escolinha e, às vezes, comprava chuteira para o filho. Além de Tailson, ele é pai de mais nove filhos (cinco homens e quatro mulheres). Separado da mulher, ‘seu’ Gelson espera que o atacante ganhe o suficiente para que a mãe pare de trabalhar como faxineira.

Zé Corneta. Novo hit domina o ninho dos periquitos em revista: Yes, nós temos banana/Banana pra dar e vender…

Rouxinol. Os quatro mosqueteiros paulistas sem espada e sem documento investiram R$ 345 milhões em reforços apenas para ver a banda de Jesus passar. Palmeiras (R$ 140 milhões), soberano São Paulo (R$ 80 milhões), Peixe (R$ 77,5 milhões) e Corinthians (R$ 45,5 mi) brigaram só para soltar o grito de… vice-campeão brasileiro, o primeiro derrotado. O Flamengo gastou R$ 190 milhões para montar uma supermáquina. Investiu em atletas que chegaram e tomaram conta do pedaço. Nada de promessas. Qualidade à frente da quantidade. A conta é simples: vale mais aplicar o dindim num rouxinol da Scala de Milão do que em 20 pardais de circo mambembe.

Rouxinol 2. O café no bule de Gabigol, algo em torno de R$ 1,2 milhão por mês, rende muito mais do que Dayverson, Borja e Carlos Eduardo no ninho dos periquitos em revista, ou o trio parada dura Pato, Pablo e Raniel no Tricolor, ou os santistas Uribe, Sasha e Marinho, ou as eternas esperanças Vagner Love, Boselli e Gustagol no Corinthians. O futebol exige profissionalismo e competência também fora das quatro linhas. Caso contrário, o Flamengo seguirá reinando absoluto, enquanto Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Peixe continuarão à toa na vida, vendo a banda passar com uma coleção de canecos na tuba.

Sugismundo Freud. Raspar a panela pode ser melhor que o doce.

Zapping. O goleiro Diego Alves quebrou as asas do repórter Eric Faria, da plim plim, na comemoração do título rubro-negro. Ao ser chamado pelo narrador para a entrevista com o jogador, Eric Faria disse: “Estou aqui com o Diego Alves.” O atleta sapecou: “Você não está comemorando, não?”. Aos risos, o repórter respondeu: “Se eu estivesse ao vivo, tu tinha me quebrado.” Dançou, porque a conversa foi ao ar.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Depois das pichações ‘sevandijas’ e ‘diretoria quilingue’, torcida do Cruzeiro ganha Prêmio Nobel de Literatura.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Jorge Jesus tem sido excepcional no comando do Flamengo, o que não significa que sempre teve sucesso na carreira. Se o Flamengo não tivesse tantos ótimos jogadores, nem ele nem Guardiola formariam um grande time. Além disso, não há nenhuma certeza absoluta de que o Flamengo, com os mesmos jogadores e com o mesmo técnico vai brilhar, da mesma maneira ou mais, em 2020. Jorge Jesus não é mágico.” Na mosca.

Tititi d’Aline. O Ministério da Cidadania anunciou a ex-nadadora Fabíola Molina como substituta de Washington ‘Coração Valente’ na Secretaria Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social. Fabíola disputou três Olimpíadas (2000, 2008 e 2012). Nomeado em abril deste ano, Washington pediu exoneração para assumir o posto de diretor de Desenvolvimento da Confederação Brasileira de Futebol.

Você sabia que… Jürgen Klinsmann, 55 anos, afastado de uma casamata desde 2016, quando deixou a seleção dos EUA, vai comandar o Hertha Berlim, que demitiu o croata Ante Covic?

‘Bola de ouro’. Rogério Caboclo. Figura patética na entrega da taça ao campeão Flamengo. Ficou fazendo gracinha antes de passar o troféu aos jogadores. O ‘presidente fantasma’ do Circo Brasileiro de Futebol faz das tripas sem coração um força hercúlea para aparecer. Menção honrosa: Luiz Roberto. A cada entrega de medalha, fazia questão de citar o nome do cartola.

Bola de latão. Adilson Batista. Após 13 jogos, o ‘professor’ foi chamado para um tête-à-tête com o RH do Ceará. O treinador deixa o clube depois de quatro triunfos, dois empates e sete bordoadas, a última do Flamengo (4 a 1). Aproveitamento de cobiçados 35,9%. O Ceará está no bico da cegonha sem asas, com apenas 37 pontos. Neste ano, já teve três treinadores. Antes de Adilson, abrigou Lisca e Enderson Moreira.

Bola de lixo. Chapecoense. Fiel ao coirmão Avaí, também mergulhou no caldeirão do diabo da série B. A pancada mortal foi desferida pelo Botafogo. Com 28 pontos na penúltima colocação, a Chape não tem mais condições de evitar o rebaixamento. É a primeira queda do clube desde o acesso no Brasileirão. Nenhum time de Santa Catarina disputará a elite do campeonato em 2020. Há cinco anos, o estado teve quatro representantes: Chapecoense, Avaí, Joinville e Figueirense.

Bola sete. “O Gabriel precisa ter um pouquinho mais de responsabilidade, ser mais equilibrado. Mas acho que se fosse muito responsável não seria o jogador que é. Em Lima, jogou como se estivesse numa pelada. Ele tem um coração espetacular, gosto dele, é muito doce” (de Jesus, sobre o artilheiro do Flamengo – é vero).

Dúvida pertinente. ‘Fratello’ Menezes resistirá a um tropeço contra o Flamengo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Corinthians desencanta e faz três no Avaí; na festa do título, torcida do Flamengo provoca Palmeiras

Gustagol, autor do primeiro gol do Corinthians
Gustagol, o melhor em campo  contra o Avaí

Aleluia Fiel! O Corinthians finalmente desabrochou e conquistou uma importante vitória na abertura da 35ª rodada. Gustagol, Júnior Urso e Boselli garantiram o triunfo por 3 a 0 sobre o lanterna e já rebaixado Avaí no Itaquerão, minha casa minha vida (17.441 pagantes/R$ 617.881,20 – pior público do estádio nesta temporada). O time corintiano ganhou com três gols pela terceira vez no campeonato. Antes, havia vencido o Fortaleza (3 a 1 e 3 a 2). O Corinthians voltou a triunfar depois de três jornadas.

O Avaí chegou a assustar nos minutos iniciais com boas avançadas de Caio Paulista. Cássio evitou o pior. Depois, a equipe catarinense foi facilmente dominada pelo Corinthians, que nem precisou apresentar um grande futebol para fazer a lição de casa.

Com a vitória, o Corinthians atingiu 53 pontos, ultrapassou o Saci colorado (perdeu do Goiás por 2 a 1) e tomou conta da sétima colocação. Está a um ponto do soberano Tricolor, que joga com o Vasco, nesta quinta, e preenche a última vaga direta à Libertadores. O Avaí soma apenas 18 pontos. Ocupa a zona do agrião queimado desde a terceira rodada.

Gustagol, o melhor em campo, abriu o caminho da vitória aos 21 do primeiro tempo. Clayson cobrou escanteio e o centroavante concluiu de cabeça. Aos 7 da etapa final, em contra-ataque sensacional, Gustavo serviu Júnior Urso, que fuzilou o goleiro Vladimir.

O terceiro saiu aos 41: Fagner cruzou e Boselli, que havia entrado no lugar de Gustagol, mandou de peito no canto esquerdo. Jadson e Carlos Augusto também foram aproveitados pelo interino Coelho na segunda fase. Saíram Janderson e Danilo Avelar (lesionado).

No fim de semana, o Corinthians visita o Galo, no Independência. Já o Avaí recebe o Fluminense.

Bruno Henrique festeja gol contra o Ceará
Bruno Henrique, a estrela do jogo: três gols

No ‘new Maraca’, o Flamengo amassou o Ceará (4 a 1) na entrega da taça do Brasileirão. O Vozão ameaçou colocar água no chope do Urubu saindo na frente, com um gol de Thiago Galhardo aos 26 de jogo. Resultado injusto, já que o Rubro-negro foi muito superior.

No segundo tempo, a máquina carioca destruiu o Ceará. Melhor jogador do campeonato, Bruno Henrique marcou três e Vitinho fechou o massacre. Bruno Henrique tem agora 21 tentos, um a menos que o artilheiro Gabigol (cumpriu suspensão contra os cearenses).

Com o resultado, o Flamengo quebrou o recorde de melhor campanha do Brasileirão de pontos corridos com 20 clubes. A marca pertencia ao Corinthians em 2015. O Rubro-Negro chegou a 84 pontos, três a mais do que a equipe paulista há quatro anos. Também igualou a marca de melhor ataque do Brasileirão em pontos corridos, com 77 gols. O recorde era do Cruzeiro de 2013.

Ao longo da partida, a torcida do Flamengo (67.539 espectadores) deu mais um show nas arquibancadas. Entre os cânticos, duas novidades: ‘ô Liverpool, pode esperar, a sua hora vai chegar’ e ‘o Palmeiras não tem Mundial, não tem Copinha, não tem Mundial’.

Domingo, o Urubu joga contra o Palestra, na mansão Allianz Parque, em um confronto de alto risco, segundo o Ministério Público, que sugeriu torcida única.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. A capa preta é um desastre no Brasil. Nem o Super-Homem tem tanta força.

Te cuida, Urubu! Fim do mistério: o Liverpool vai com as chuteiras mais badaladas ao Mundial da mamãe Fifa, no Catar. O ‘professor’ Jürgen Klopp optou pelo torneio mais importante, deixando a Copa da Liga Inglesa para o time sub-23, comandado por Neil Critchley. Em 17 de dezembro, os garotos enfrentarão o Aston Villa. Um dia depois, Salah, Firmino, Mané e companhia estrearão nas semifinais do Mundial contra o Monterrey, do México, ou Al Sadd, do Catar, ou Hienghène, da Nova Caledônia. A grande expectativa é por uma final entre Liverpool e Flamengo, repetindo a decisão de 1981 – 3 a 0 para os rubro-negros. O Mundial vai de 11 a 21 de dezembro.

Zé Corneta. Vem aí a black friday ou a black fraude?

Messi, 613 gols pelo Barcelona

Messi, 700 jogos. A vitória do Barcelona sobre o Borussia Dortmund por 3 a 1, pelo grupo F da Champions, foi especial para Messi. O hermano completou 700 jogos com a camisa do time catalão. Marcou 613 gols e deu 237 assistências. No duelo com os alemães, a ‘Pulga’ assinalou um tento e serviu de garçom para a festa de Suarez e Griezmann no estádio Camp Nou. Sancho descontou. Com o resultado, o Barça chegou a 11 pontos e garantiu a classificação às oitavas de final da Champions. Inter de Milão e Borussia têm sete e lutam pela segunda vaga. No outro jogo da chave, Slavia Praga 1 x 3 Inter.

Sugismundo Freud. Amor é igual a fumaça, sufoca mas passa.

Liverpool a perigo. Atual campeão da Champions, o Liverpool esperava definir a classificação ao mata-mata no embate com o Napoli, mas ficou no 1 a 1 e definirá a vaga na última rodada da fase de grupos. Mertens e Lovren marcaram os gols. O Napoli também briga por um lugar no grupo E. Na sexta jornada, o Liverpool (10 pontos) visita o RB Salzburg (7) na Áustria, enquanto o Napoli (9) recebe o Genk na Itália. Outros jogos: grupo E – Racing Genk 1 x 4 Red Bull Salzburg; G – Red Bull Leipzig 2 x 2 Benfica e Zenit 2 x 0 Lyon; H – Lille 0 x 2 Ajax e Valencia 2 x 2 Chelsea.

Papo de boteco. As peladas de fim de ano já começaram no São Paulo.

Zapping. Depois de 41 anos, o comentarista de automobilismo Reginaldo Leme deixou a plim plim. Ele tinha mais um ano de contrato e pediu demissão. O jornalista enviou e-mail em tom de agradecimento e lamentação para a redação de esportes da Globo. Leme já não vai trabalhar no GP de Abu Dhabi no fim de semana, prova de encerramento do Mundial de Fórmula 1.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Flamengo, vergonha, time sem vergonha: não ganha título desde domingo.

João-sem-braço. O poderoso chefão palmeirense, Mauricio Galiotte, se agarra com unhas, dentes e faxes ao ‘título mundial de 51’. Motivo da luta pela faixa contestada e ridicularizada por coirmãos: será muito difícil um time sul-americano voltar a soltar o grito de campeão no torneio da mamãe Fifa. Vale mais um periquito na mão do que dois elefantes voando.

Gilete press. De Fernando Calazans, no Ultrajano: “Houve uma certa esperança, nos dias que antecederam a final, de que o experiente e respeitado Jorge Jesus tivesse conseguido domar o temperamento indomável de Gabigol. Pelo menos, como se sabe, o treinador se dedicara a isso. Não conseguiu. Jesus está vitorioso na parte tática e técnica do Flamengo, consagrado pelos títulos, e está derrotado na parte comportamental. Digamos também, na parte educacional. Não dá jeito no Gabigol (…) Gabigol não é burro. Basta ver sua capacidade de decidir as jogadas. Gabigol é temperamental e mal-educado.” Fato.

Tititi d’Aline. Okay, okay: a Vênus Platinada é rubro-negra. Tanto que um dos herdeiros da família Marinho, Roberto Marinho Neto, até fretou um avião para ir com amigos e jornalistas acompanhar a decisão em Lima. Mas amigos, amigos, negócios à parte. A ordem é faturar no vácuo do pé de obra alheio. Nesta sexta, a emissora lança a série ‘Até o fim’, documentário em cinco episódios sobre a trajetória do Flamengo na Libertadores. Ela poderá ser acompanhada pelo GloboPlay.

Você sabia que… o Palmeiras ganhou 32 títulos nas categorias de base em 2019?

Bola de ouro. João Felix. O meio-campista português do Atlético de Madrid faturou o Golden Boy deste ano, prêmio dado aos melhores jogadores até 21 anos. Ele recebeu 332 votos, contra 175 do inglês Sancho, do Borussia Dortmund. O alemão Havertz, do Bayer Leverkusen ficou em terceiro. Os destaques brasileiros: Rodrygo e Vinicius Jr., em 12º e 13º, do Real Madrid.

Bola de latão. Neymar. A União cansou de esperar e recorreu à Justiça para receber do ‘menino Ney’ uma multa de R$ 88.148.707,21 aplicada pela Receita. A autuação é por irregularidades em negócios do atacante e da família entre 2011 e 2013, incluindo a transferência do Peixe para o Barcelona.

Bola de lixo. Futebol brasileiro. Nada menos que 53 casos de racismo já aconteceram no ludopédio nacional, de acordo com levantamento do Observatório da Discriminação Racial no Futebol. Uma vergonha! Ocorreram 47 em campeonatos nacionais e seis em torneios da Conmebol. Ano passado, houve 44 casos. No exterior, 13 jogadores brasileiros foram vítimas de cretinos nas arquibancadas.

Bola sete. “Cheguei ao meu sétimo gol, um bom número para um volante, mas espero conseguir ainda mais. Temos que comemorar essa reviravolta. Tínhamos um futebol triste e hoje temos um futebol diferente” (de Júnior Urso, após o triunfo sobre o lanterna Avaí – a Fiel aplaude).

Dúvida pertinente. Palmeiras x Flamengo: guerra à vista na mansão Allianz Parque?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Na volta de Neymar, PSG consegue empate com sabor de vitória e garante primeiro lugar

PSG comemora o segundo gol

A quinta rodada da fase de grupos da Champions marcou a volta de duas estrelas. Uma em campo e outra na casamata. Ausente desde dezembro de 2018, por conta de lesões e gancho em dois jogos, Neymar começou no banco do Paris Saint-Germain contra o Real Madrid. Já o gajo José Mourinho, afastado há quase um ano, comandou o Tottenham diante do Olympiacos.

Fora de forma, o ‘menino Ney’ entrou no segundo tempo e apareceu pouco no 2 a 2 com o Real, que jogou muito mais e merecia a vitória no grupo A. Finalizou 28 vezes e acertou 13 no alvo. O goleiro Navas pegou muito.

O Real abriu 2 a 0, gols de Benzema, mas bobeou e o PSG empatou em três minutos. Mbappé e Sarabia evitaram a derrota em Madrid. Neymar foi muito vaiado pela torcida espanhola. O PSG garantiu o primeiro lugar da chave com uma rodada de antecipação. Chegou aos 13 pontos, cinco à frente do Real, também classificado. Os espanhóis foram beneficiados pelo empate de 1 a 1 entre Galatasaray e Club Brugge.

Em Londres, José Mourinho retornou em grande estilo. Bicampeão da Champions, ele dirigiu o Tottenham num triunfo espetacular: de virada, bateu o Olympiacos por 4 a 2. O time inglês carimbou a vaga nas oitavas de final da Champions. A equipe está em segundo no grupo B com 10 pontos, cinco a menos que o Bayern de Munique – goleou o Estrela Vermelha por 6 a 0, com quatro tentos de Lewandowski.

Os gregos surpreenderam o Tottenham e abriram 2 a 0. O marroquino El-Arabi e o português Ruben Semedo assinalaram os tentos. Na bacia das almas do primeiro tempo, Delle Alli diminuiu.

Na etapa final, Kane empatou logo aos 5, com a ajuda do gandula (repôs rapidamente a bola). Após comemorar com a comissão técnica e os reservas, José Mourinho abraçou o gandula. Aurier, aos 27, virou o placar. Pouco depois, Kane, de cabeça, assinalou o quarto gol.

Os resultados da rodada: grupo A – Real Madrid 2 x 2 PSG e Galatasaray 1 x 1 Brugge; B – Tottenham 4 x 2 Olympiacos e Estrela Vermelha 0 x 6 Bayern de Munique; C – Manchester City 1 x 1 Shakhtar Donetsk e Atalanta 2 x 0 Dínamo Zagreb; D – Lokomotiv Moscou 0 x 2 Bayer Leverkusen e Juventus 1 x 0 Atlético de Madrid.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo e Witzel confundem palanque com estádio e segurança com distribuição de balas.

Mezzo a mezzo. Estando bom para ambas as partes, o astuto Circo Brasileiro de Futebol declara: judicialmente, o Sport é o campeão brasileiro de 1987; sob o ponto de vista esportivo, a título de opinião, o Flamengo merece a designação de heptacampeão. E segue o baile comandado pelo mureteiro ‘presidente fantasma’ Rogério Caboclo. Na lista de canecos do Rubro-negro, a casa maldita do ludopédio nacional qualifica o campeonato como ‘Copa União’.

Zé Corneta. “Não se assustem se alguém pedir o AI-5” – desta vez, o tiro de canhão partiu do democrata ministro Paulo Guedes. Sem coturno, farda e baioneta. Por enquanto.

Jogada de mestre. A cartolagem da Raposa acertou em cheio ao trocar Rogério Ceni por Abel Braga. Em dois meses como senhor dos anéis sem dedo na Toca, Abelão conseguiu três vitórias, oito empates e duas derrotas. Ou seja, disputou 39 pontos e ganhou 17. Noves fora: o Cruzeiro abre a zona do agrião queimado com 36 pontos em 34 rodadas do Brasileirão. Reúne 50% de chances de cair pela primeira vez para o inferno da série B. De acordo com a matemática do Infobola, do professor Tristão Garcia, a briga para escapar do rebaixamento envolve sete times, faltando quatro jornadas para o final do campeonato:

Avaí – 100%
Chapecoense – 99%
CSA – 99%
Raposa – 50%
Ceará – 30%
Fluminense – 14%
Botafogo: 6%
Galo: 2%

Sugismundo Freud. Ciúme e inveja, juntos para sempre.

Cabeça a prêmio? O ‘professor’ Tite que trate de colocar as barbas de molho. O secretário do Circo Brasileiro de Futebol, Walter Feldman, chefiou a delegação do Flamengo na final da Libertadores, em Lima, e voltou rasgando os maiores elogios ao trabalho de Jesus. O braço direito do ‘presidente fantasma’ Rogério Caboclo é uma espécie de ‘primeiro-ministro’ da casa maldita do ludopédio nacional. Não são poucos os que pedem Jesus no comando da amarelinha desbotada. ‘Olê, olê, olê, mister, mister’.

Papo na padoca. O Ministério da Saúde adverte: Jesus faz mal aos acomodados e invejosos ‘professores’ do ludopédio nacional.

Abadá. Os rubro-negros festejam ano de ouro: Flamengo, campeão brasileiro e ‘Rei da América’; Furacão, bambambã da Copa do Brasil; e Sport, de volta à elite do Brasileirão.

Zapping. O narrador Gustavo Villani sobe como cometa na plim plim. Assumir o microfone número 1 é só uma questão de tempo. Galvão Bueno vai se afastar cada vez mais. Pode virar comentarista. Cleber Machado seguirá como segundo na escala.

Gilete press. De Juca Kfouri, no Uol: “Membros da Mancha Alviverde deixaram bananas (foto) na frente da empresa de Mauricio Galiotte. Foram injustos e covardes. Injustos porque Galiotte apenas exerce a função de rainha da Inglaterra no Palmeiras. Caberiam laranjas. E covardes porque não têm coragem de levar as bananas na porta certa, a de Leila Pereira, quem, de fato, preside o clube. O motivo é óbvio: ela financia o Carnaval da Mancha além de outras coisitas mais.” No alvo.

Tititi d’Aline. As feras do Los Angeles Lakers, capitaneadas por LeBron James, bebericaram um conhaque muito especial em jantar para homenagear Anthony Davis. Eles devoraram uma garrafa de Louis XIII até a última gota. Uma botelha custa a bagatela de R$ 12,5 mil. A bebida, envelhecida em até 100 anos, é servida em garrafa de cristal.

Você sabia que… o Botafogo arrecadou R$ 263.028, gastou R$ 416.533 e acumulou um prejuízo de R$ 153.505 na vitória sobre o Corinthians por 1 a 0?

‘Bola de ouro’. Dyego Coelho. Fala pelos cotovelos, mas faz muito pouco na casamata do Corinthians. É muita areia para o caminhãozinho do ex-lateral, abençoado pelo chefão Andrés ‘Desmanchez’.

Bola de latão. São Paulo. O soberano nada em berço esplêndido com o ‘professor’ Fernando Diniz. Nos últimos quatro jogos, ganhou dois pontos em 12 possíveis. Perdeu seis em casa (Fluminense e Furacão) e faturou dois como convidado (Peixe e Ceará). Só está no G4 da Libertadores porque foi ‘abençoado’ por Flamengo e Furacão, classificados para o torneio com as faixas do Brasileirão e da Copa do Brasil.

Bola de lixo. ‘Fratello’ Menezes. O palmeirense pisa em ovos com a ‘virgindade’ do time nesta temporada. Além do gerentão Alexandre Mattos, ex-Mittos, boa parte da galera também exige a cabeça do ‘professor’. A torcida chegou à conclusão de que nada mudou com a troca do ‘sargento’ Felipão pelo ‘fratello’ Menezes. Mais do mesmo tecnicamente. Sofrimento!

Bola sete. “Existe, entre os treinadores brasileiros, uma mistura de admiração pelo trabalho de Jorge Jesus e também de inveja, que, às vezes, beira a xenofobia. Os sentimentos humanos são, com frequência, contraditórios. Inveja, no sentido ruim, de desgosto pelo outro ter o que você não tem” (do pequeno grande Tostão, na Folha – no fígado).

Dúvida pertinente. Soberano Tricolor, Saci colorado e Corinthians merecem disputar a Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Grêmio mata o Periquito e garante segundo carnaval ao Flamengo em 24 horas; Corinthians apanha

Os jogadores do Flamengo chegaram ao centro do Rio de Janeiro, dando início à festa de consagração pelo título da Taça Libertadores da América
Flamengo: dois canecos no fim de semana

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo… Pois é, o ano dourado do Rubro-negro continua até sem o time entrar em campo. Depois da épica virada sobre o River Plate na final da Libertadores, o time colocou mais uma faixa de campeão no peito em menos de 24 horas, um fato inédito no esporte bretão. Também pela primeira vez na era dos pontos corridos, uma equipe fatura o caneco sem jogar.

Os jogadores souberam da conquista quando estavam no ônibus a caminho do clube, após passeata pela cidade. Em festa, gritaram ‘é campeão’ e ‘volta para o trio elétrico’ – desfilaram por mais de quatro horas após o retorno de Lima; a festa acabou depois de um confronto entre policiais e torcedores.

Graças ao triunfo do Grêmio diante do Palmeiras por 2 a 1, na mansão Allianz Parque, o Urubu voou para o heptacampeonato brasileiro (ou seria hexa?), faltando quatro rodadas para o pontapé final do campeonato.

O time lidera com 81 pontos, 13 à frente de Peixe e Palestra, e não pode ser mais alcançado. Em 34 jornadas, o Flamengo venceu 25, empatou seis e perdeu três. Tem os dois artilheiros do torneio, Gabigol (22 gols) e Bruno Henrique (18). Está invicto desde a 13ª rodada, quando foi derrotado pelo Bahia por 3 a 0. De lá para cá, 18 triunfos e três empates. Possui o melhor ataque, com 73 tentos. Levou 30.

O ‘Rei da América’ se tornou o primeiro time desde 1963 a ganhar o Brasileirão e a Libertadores no mesmo ano. Repetiu o feito do Santos de Pelé. O Flamengo faturou a tríplice coroa, já que levantou o Carioquinha no início da temporada.

E o carnaval mais animado do que escola de samba na avenida pode prosseguir em dezembro. Entre os dias 11 e 21, o time participará do Mundial da mamãe Fifa, em Doha, no Catar. O Rubro-negro estreia dia 17, contra o campeão da Ásia ou o Espérance, da Tunísia.

O Grêmio derrotou o Palmeiras com gols de Everton (pênalti) e Pepê, resultado que garantiu o imortal na Libertadores. Bruno Henrique (pênalti) marcou para o Palestra, que perdeu a segunda posição para o Santos (goleou a Raposa por 4 a 1). Palmeirenses e santistas têm 68 pontos, mas o time da Baixada soma uma vitória a mais (20 a 19).

Ao final da partida, a torcida (22.767 pagantes/R$ 1.292.109,15) protestou muito, gritou ‘vergonha, time sem vergonha’. Exigiu ainda a cabeça do diretor Alexandre Mattos, ex-Mittos: ‘Mattos, ladrão, fora do Verdão’. Os periquitos em revista não perdiam como mandante no Brasileirão desde 26 de maio de 2018: Sport, 3 a 2. Depois, 26 triunfos e cinco empates.

Diego Souza marca o gol do Botafogo

No estádio Nilton Santos, o Niltão (22.666 presentes/R$ 263.028), o Botafogo provou que o Corinthians é mesmo um tremendo freguês quando joga no Rio.

Com um gol de Diego Souza, marcado no primeiro tempo, venceu por 1 a 0 e agora soma cinco triunfos e um empate contra o coirmão. O último triunfo do Corinthians foi em 20 de julho de 2011: 2 a 0 em São Januário, gols de Liedson e Paulinho.

A equipe paulista dominou a maior parte do jogo, mas se mostrou incompetente para furar o bloqueio botafoguense. Sem inteligência e/ou jogadas ensaiadas, abusou de inúteis cruzamentos para Gustagol e Vagner Love.

O Botafogo de Alberto Valentim tem agora 39 pontos, quatro acima do Fluminense, líder da zona do agrião queimado. O Corinthians de Coelho, derrotado pela primeira vez no cargo, continua com 50 pontos, em oitavo lugar, dentro do grupo que vai à pré-Libertadores. O Goiás é o nono, com 46.

No Castelão, em Fortaleza, o soberano São Paulo ficou no 1 a 1 com o Ceará. O Tricolor abriu o placar com Vitor Bueno no primeiro tempo. Felipe Baxola, aos 50 minutos da etapa final, empatou. O time paulista foi a 54 pontos. Manteve a sexta colocação. O Ceará está em 15º, com 37.

Outros jogos: Galo 0 x 1 Furacão, Goiás 4 x 3 Bahêa, Avaí 0 x 1 Chape e Saci colorado 2 x 2 Fortaleza.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Aliança pelo Brasil: #ForaFamiliaDoReMiFerrou.

Vingança. O Palestra também participou da festa rubro-negra na capital peruana. Na comemoração no hotel, entre um gole e outro de ‘tubaína especial’ e ‘uma vez Flamengo, sempre Flamengo…’, um coro especial tomou conta do rega-bofe comandado por Gabigol: ‘O Palmeiras não tem Mundial… Não tem Copinha, não tem Mundial…’ Ano passado, após faturar o título brasileiro, jogadores do time paulista provocaram os rubro-negros com menção ao ‘cheirinho’ quando passaram por uma loja de produtos do coirmão.

Zé Corneta. As chances de Sampaoli ir embora do Peixe são de 99,99%, com margem de erro de 0,01% para cima e nada para baixo.

‘Pimpolho’ aos hermanos. O atacante Gabigol também deixou sua marca fora de campo. Na bacia das almas do jogo com o River Plate, o herói rubro-negro tomou cartão vermelho por fazer gestos obscenos (sacudiu o ‘pimpolho’) para o banco dos hermanos e para a torcida adversária. O bandeirinha e o quarto árbitro flagraram e comunicaram ao assoprador de latinha chileno Roberto Tobar.

Sugismundo Freud. Os ausentes nunca têm razão.

Debandada santista. A torcida do Peixe que se prepare para viver grandes emoções na próxima temporada. O solerte presidente José Carlos Peres conseguiu a proeza de brigar com o superintendente Paulo Autuori e o ‘professor’ Sampaoli. Resultado: Autuori já saiu e o hermano deve limpar o armário depois do Brasileirão. A paciência foi para o brejo após constantes botinadas do cartola – atrasos salariais, falta de planejamento, contratações de atletas sem aval da comissão técnica e até palpites na escalação do time. Alguns jogadores também devem deixar o Santos – o goleiro Vanderlei, o zagueiro Gustavo Henrique, os meias Jean Mota, Bryan Ruiz e Cueva, o lateral Jorge, o atacante Uribe…

Papo na padoca. Choro dos antis provoca inundação no Rio.

Zapping. Plim plim vibra: a audiência da final da Libertadores foi maior do que a registrada nas últimas quatro finais de Copas do Mundo. A sensacional vitória do Flamengo sobre o River Plate cravou 45 pontos e 76% de share, ou seja, a cada 100 televisores, 76 estavam ligados no jogo na Cidade Maravilhosa das balas uivantes. Já na grande Pauliceia dominada pela bandidagem, o ibope alcançou 32 pontos (51% de participação), maior do que nas finais das Copas de 2010 e 2014.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Renato Gaúcho fica um dia sem dizer que o Flamengo gastou 200 milhões e bate recorde.

Gilete press. De Jesus, após a conquista da Libertadores: “Não tenho dúvida do que disse e volto a frisar: o Flamengo é o maior clube do mundo em termos de torcedores. Mas o maior do mundo é quem ganha títulos. No dia em que o Flamengo começar a ganhar Brasileiro, Libertadores e outros campeonatos fora poderá dizer que é o maior. Títulos é que fazem a diferença, isso é que manda.” No alvo.

Tititi d’Aline. Recado do ‘professor’ Pep Guardiola aos amantes do pragmatismo, do importante é vencer a qualquer custo: um time de futebol precisa emocionar, não pode jogar apenas pelo resultado. O desempenho é fundamental. Se não mostrar competência, pode conquistar triunfos, mas não garante sucesso.

Você sabia que… a Raposa gasta R$ 15 milhões por mês com o departamento de futebol?

Bola de ouro. Flamengo. Uma lição de competência dentro e fora de campo, principalmente ao coirmão milionário Palmeiras. Nada de baciada, contratações pontuais, e planejamento com sabedoria. Montou uma máquina.

Bola de latão. Neymar. Mais oportunista no vácuo do sucesso do Flamengo. Apareceu nas redes sociais imitando a celebração de Gabigol, namorado de sua irmã, Rafaella. De quebra, colocou dois corações, um vermelho e outro negro. Boa parte da galera rubro-negra torceu o nariz para a homenagem.

Bola de lixo. Londrina, São Bento, Criciúma e Vila Nova. Pelo futebol não-apresentado ao longo da temporada, os quatro foram agraciados com o rebaixamento para a série C do Brasileiro. O Figueira, que encarou paralisação do elenco por calote nos salários e tomou até WO, escapou do inferno.

Bola sete. “Fabio Wajngarten, chefe da Secom, disse a Jorge Kajuru (senador) que, se depender do Palácio do Planalto, a CPI dos Esportes vai sair do papel e partir para cima da CBF. Enquanto Davi Alcolumbre não pensar o mesmo, porém, as noites de sono dos cartolas não correm risco algum” (de Gabriel Mascarenhas, no Globo – pobre Brasil).

Dúvida pertinente. O Flamengo vai dar bicho de vitória aos gremistas?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Festa na favela depois de 38 anos com virada histórica; obrigado, Jesus!

Diego Ribas ergue a taça de campeão do Flamengo, a segunda Libertadores da história do clube carioca
Jogadores comemoram conquista do caneco

O River Plate já comemorava o penta da Libertadores quando os deuses do ludopédio resolveram entrar em campo, no estádio Monumental de Lima, e abençoar as chuteiras de Gabigol na bacia das almas da decisão.

Até então mais apagado que lâmpada queimada, o ‘matador’ rubro-negro marcou dois gols em três minutos (aos 43 e 46) e dinamitou um jejum de 38 anos no torneio continental. O Flamengo estava na fila do gargarejo desde 1981.

Os hermanos saíram na frente com um gol de Borré, aos 14 do primeiro tempo. Mesmo com menos posse de bola, o River parou o Flamengo e criou as melhores chances.

Pouco inspirado, o Rubro-negro só incomodou para valer aos 11 da etapa final. Everton Ribeiro aproveitou uma sobra na área, fuzilou e Armani defendeu.

Na sequência, Gerson se machucou e foi substituído por Diego. Que deu mais dinâmica ao time. Willian Arão e De Arrascaeta também saíram. Jesus colocou Vitinho e Piris da Motta.

O River tentou cozinhar o Urubu, mas se deu mal. Tomou uma virada épica, com dois tentos de Gabigol, aos 43 e 46 minutos. Nos segundos finais, o herói e Palacios foram expulsos.

Como Zico em 1981 (fez os dois gols da vitória por 2 a 0 contra o Cobreloa, em Montevidéu), Gabigol salvou o Urubu. O artilheiro chegou a 40 gols em 54 jogos pelo Flamengo. Bruno Henrique, que não fez uma boa partida, foi eleito o craque da Libertadores pela Conmebol.

O título deu ao Flamengo a classificação para o Mundial de clubes, entre 11 e 21 de dezembro, em Doha, no Catar. O Rubro-Negro estreia dia 17, contra o campeão da Ásia ou o Espérance, da Tunísia.

Neste domingo, o time carioca pode confirmar o caneco do Brasileirão, mesmo sem jogar. Segundo colocado, o Palmeiras enfrenta o Grêmio, na mansão Allianz Parque, e se não vencer não poderá mais alcançar o Rubro-Negro.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. ‘Olê, olê, olê, mister, mister’.

Preço do campeão. O Urubu voou com a faixa de ‘primo pobre’ na final de Lima. O novo ‘Rei da América’ tem um elenco de 125 milhões de euros (R$ 575 milhões), de acordo com o ‘Transfermarkt’, site especializado em valores de mercado do planeta bola. Emprestado pela Inter de Milão até janeiro, Gabigol, 23 anos, é o atleta mais caro do Rubro-negro, avaliado em 18 milhões de euros (R$ 83 milhões). O clube italiano quer 27 milhões de euros pelos direitos do ‘matador’ da Libertadores, com nove gols. O garoto Reinier é o segundo mais valorizado, com 15 milhões de euros (R$ 69 milhões). O River Plate entrou na briga com um plantel estimado em 155 milhões de euros (R$ 710 milhões). Jogador mais valioso: atacante Ezequiel Palacios, 21 anos, com 20 milhões de euros (R$ 92 milhões).

Apagado no jogo, Gabigol apareceu no fim
Gabigol, artilheiro com nove tentos

Zé Corneta. Nossos ‘professores’ continuarão menosprezando o trabalho de Jesus?

Show do milhão. A primeira Libertadores com jogo único na decisão distribuirá premiação recorde. O campeão Flamengo receberá US$ 12 milhões (R$ 48 milhões), enquanto o vice River Plate embolsará US$ 6 milhões (R$ 24 milhões). Brasileiros e argentinos já paparam, cada um, US$ 7 milhões (R$ 28 milhões) por jogos até as semifinais. Ano passado, o River foi recompensado com US$ 6 milhões pela volta olímpica; o Boca Juniors faturou US$ 3 milhões (R$ 12 milhões) com o segundo lugar. No total, a Conmebol bancou US$ 162 milhões (R$ 648 milhões) aos 47 participantes da competição.

Sugismundo Freud. Se está ruim para você, imagina para o torcedor do River.

Show do milhão 2. Semifinalistas, Grêmio e Boca ganharam, cada um, US$ 7 milhões. Cerro Porteño (Paraguai), Liga Deportiva Universitaria (Equador), Saci colorado e Palmeiras foram premiados com US$ 5,2 milhões por terem chegado às quartas de final. O Libertad também superou os US$ 5 milhões, porque saiu da fase pré-grupos e avançou até as oitavas.

Papo na padoca. Rodrigo Caio, o ‘craque de condomínio’, agora é ‘síndico’ do ninho do Urubu. Chora Tricolor!

Numerologia. Flamengo e River se enfrentaram pela 14ª vez, a primeira numa decisão de caneco. Cada time venceu cinco duelos. Os rubro-negros marcaram 21 gols e tomaram 17. Campanha do Urubu na Libertadores/19: sete vitórias, três empates, três derrotas, 25 gols a favor e 10 contra. River: quatro triunfos, sete empates, duas pauladas, 16 gols feitos e 10 sofridos.

Caiu na rede. Botafogo, Fluminense e Vasco brigam agora pelo cheirinho.

Hermanos goleiam. Pela 15ª vez, brasileiros e argentinos brigaram pelo título mais importante do continente. Placar: Argentina 9 x 6 Brasil. Estudiantes de La Plata e Boca Juniors são os principais carrascos, com três taças cada. Os hermanos possuem o maior número de troféus da Libertadores, com 25. Depois aparecem Brasil (19), Uruguai (8), Colômbia (3), Paraguai (3) , Chile (1) e Equador (1).

Tiro rápido. “Respeita meu homem, querido” (de Rafaella, irmã de Neymar e namorada de Gabigol).

Dona Fifi. Jesus, Gabigol & Cia. derrubaram um tabu de 56 anos em Lima. Desde 1963, um time brasileiro não conquistava a Libertadores e o Brasileirão na mesma temporada. O Peixe de Pelé havia sido o último.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Os técnicos são importantes, mas não são os únicos nem os principais responsáveis pelas derrotas e pelas vitórias. Há uma obsessão pelo trabalho dos treinadores, como se houvesse um segredo que precisasse ser desvendado pelos analistas, para compreender o desempenho e os resultados das partidas. A estratégia é importante, mas o futebol é muito mais do que isso. É a associação da técnica, da tática, da ciência, da lógica, do preparo físico e mental e do imprevisto. Conhecimento não é apenas informação. Além disso, a compreensão do jogo vai além da explicação dos detalhes técnicos e táticos.” Bingo!

Tititi d’Aline. O lateral Rafinha entrou para o seleto grupo de brasileiros que faturaram a Champions e a Libertadores. A galeria de honra: Ronaldinho Gaúcho (Galo e Barcelona), Neymar (Peixe e Barcelona), Cafu (São Paulo e Milan), Dida (Raposa e Milan), Roque Jr. (Palmeiras e Milan) e Danilo (Peixe e Real Madrid). Rafinha ganhou a Liga dos Campeões pelo Bayern de Munique em 2013.

Jorge Jesus comemora com a bandeira de portugal

Você sabia que… Jorge Jesus (foto) se tornou o segundo europeu a conquistar a Libertadores como treinador, trilhando o caminho do croata Mirko Jozic, campeão com o Colo-Colo, do Chile, em 1991?

Bola de ouro. Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Filipe Luís, William Arão, Vitinho, Éverton Ribeiro, Gérson, Diego, De Arrascaeta, Piris da Motta, Gabigol, Bruno Henrique e mister Jorge Jesus. Eternizados na história do Flamengo.

Bola de latão. Pratto. O ex-centroavante do Galo e São Paulo deu a maior força para o Flamengo no gol de empate. Fora de forma, ele já havia prejudicado o River em dois chutes medíocres ao gol de Diego Alves.

Bola de lixo. Rogério Caboclo. O ‘presidente fantasma’ do Circo Brasileiro de Futebol não está nem aí para os clubes, mas sempre aparece no pódio para entregar medalha aos campeões. Usurpador do sucesso alheio.

Bola sete. “Eu sou um treinador como outro qualquer. Não é minha nacionalidade que me faz diferente. Tem outros melhores e outros piores. Não foram todos, mas alguns não aceitaram muito. Os grandes treinadores não se incomodaram” (de Jorge Jesus, após a conquista da Libertadores – um gentleman).

Dúvida pertinente. Dá para o Flamengo encarar o Liverpool numa final do Mundial da mamãe Fifa?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Rubro-negros dividirão mais de R$ 65 milhões se o time faturar o Brasileirão e a Libertadores

Image result for gols comemoracaoo flamengo fotos"
Flamengo a caminho de um Natal milionário
Se o Flamengo conquistar o Brasileirão (já está no papo) e a Libertadores depois de 38 anos, Jesus, Gabigol & Cia. curtirão as festas de fim ano com caviar, champanhe e ‘muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender’. O Papai Noel descerá pela chaminé com um saco abarrotado de capim gordura.

Atletas, comissão técnica e funcionários do futebol dividirão um prêmio superior a R$ 65 milhões, ou seja, metade do que o Urubu receberá com o grito de campeão nos dois torneios. Pelo caneco nacional, eles embolsarão R$ 28 milhões dos R$ 33 milhões bancados pelo Circo Brasileiro de Futebol.Há, ainda, um reforço para o café no bule ficar mais açucarado: R$ 200 mil por rodada no G4, o seleto grupo que não precisa participar da pré-Libertadores. Multiplicando-se por 31 jornadas, aleluia: R$ 6,2 milhões.

Além do dindim da casa maldita das chuteiras, o Flamengo vai abocanhar bônus dos patrocinadores, algo em torno de R$ 1,3 milhão (pela Libertadores serão R$ 2 mi).

Já a Conmebol apimentará o banquete com US$ 22 milhões (R$ 90 mi), somando todas as etapas da competição. Jorge Jesus tentará ser o segundo técnico europeu a ganhar a Libertadores, depois de Mirko Jozic no Colo Colo, em 1991. A máquina de calcular, de acordo com o ‘Globo.com’:

Flamengo
Libertadores – R$ 90 milhões
Brasileirão – R$ 33 milhões
Fornecedor – R$ 1,3 milhão pelo nacional/R$ 2 milhões pela Libertadores
Total: 147,3 milhões

Elenco
Libertadores – R$ 33 milhões
Brasileirão – R$ 28 milhões
Rodadas no G-4 – R$ 6,2 milhões
Total: R$ 67,2 milhões

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Flamengo é Brasil na decisão? Sai fora! O país está uma merda!

Ataque de riso. O soberano São Paulo é uma máquina de fazer gols. Pablo, Pato & Cia. correram nada menos que 33 vezes para o abraço em 33 jogos, estabelecendo a excelente média de uma alegria por partida no Brasileirão. A equipe tem o pior poder de fogo entre as 13 primeiras do campeonato. Na temporada, assinalou 50 tentos em 55 embates. Festejou 17 no Paulistinha. Passou em branco na pré-Libertadores e na Copa do Brasil. Se não marcar nove gols nos últimos cinco confrontos do Brasileirão, o Tricolor fechará a gloriosa campanha com a pior média de gols de sua história. O recorde pertence a 1973, com um tento por jogo. Pablo é o artilheiro do time, com sete gols, um à frente de Reinaldo e dois a mais que Pato.

Image result for pablo fotos jogador sao paulo"
Pablo: sete gols

Ataque de riso 2. O Tricolor completou três jogos sem ganhar, marcou apenas um gol em 270 minutos e fechou a temporada de clássicos com seis coças, cinco empates e apenas dois triunfos, mas atletas, cartolas e mídia tricolor sorriem como se o Morumbi abrigasse o mundo encantado das chuteiras. Uma estranha felicidade para quem encara ainda um jejum superior a mil dias sem vencer fora de casa um coirmão paulista – 13 pauladas e cinco empates contra Peixe, Corinthians e Palmeiras.

Zé Corneta. Tite, um ‘professor’ cabeça dura: adora morrer abraçado aos amigos de fé e ignora a molecada que pede passagem.

Boicote já! É simplesmente estarrecedor: os cartolas da Associação Ucraniana de Futebol puniram com um jogo de gancho o brasileiro Taison, do Shakhtar Donetsk, por ter reagido aos ataques racistas de imbecis do Dínamo de Kiev. Taison mostrou o dedo do meio e chutou a bola em direção aos cretinos que estavam na arquibancada. Até agora, o ‘presidente fantasma’ do Circo Brasileiro de Futebol, Rogério Caboclo, está vergonhosamente calado. E os pupilos da amarelinha desbotada também colocaram um zíper na boca.

Sugismundo Freud. O dia mais tranquilo para uma garota é o dia de seu casamento: acorda e já sabe o que vai vestir.

Pão de queijo. A Raposa aposta numa dupla do barulho para fisgar o Peixe no aquário da Vila Belmiro: David e Marquinhos Gabriel. Em 91 jogos somados, eles marcaram nada menos que… oito gols. David balançou a rede pela última vez em 20 de março, contra a Caldense, pelo Mineirinho. Neste ano, assinalou três tentos em 43 embates. Já Marquinhos Gabriel, emprestado pelo Corinthians, curte jejum desde a decisão do estadual, contra o Galo.

Zapping. Plim plim, a casa da Libertadores; Fox Sports, a garagem.

Sinal verde. O VAR continuará dando as cartas no Brasileirão. O chefão do apito, Leonardo Gaciba, informou que a engenhoca foi aprovada por jogadores, integrantes de comissão técnica e cartolas em pesquisa do Circo Brasileiro de Futebol. Das 584 pessoas ouvidas, 94,1% aprovaram a chegada do VAR e querem sua permanência.

Caiu na rede. Tirar selfie com celular de última geração não ameniza a feiura.

Gajo de volta. O Tottenham decidiu apostar em José Mourinho, 56 anos. Sem clube desde dezembro do ano passado, quando deixou o Manchester United, o gajo substituirá o argentino Mauricio Pochettino, demitido na terça. ‘The Special One’ retorna ao futebol inglês depois de passar por Chelsea e Manchester United. Dono de 25 canecos, com direito a Champions pelo Porto e Inter de Milão, Mourinho assinou com o Tottenham até o fim da temporada 2022/23.

Olho da rua. O técnico americano George Morris foi banido do esporte nos EUA por abuso sexual de menores nos anos 60 e 70. Morris treinou a equipe brasileira de hipismo nos Jogos do Rio, em 2016.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Jorge Jesus e Sampaoli não são excelentes porque são estrangeiros. Existem técnicos bons e ruins na Europa, na América do Sul e em todo o mundo. O trabalho inovador e eficiente dos dois não significa que todos os técnicos brasileiros são uma porcaria. Porém, mesmo os que têm ótimo conhecimento teórico deveriam sair da mesmice, abandonar a preguiça e os vícios acumulados durante longo tempo e se reinventar.” É vero.

Tititi d’Aline. Os cartolas do Flamengo acreditam que 50 mil torcedores assistirão a decisão contra o River Plate nos telões espalhados pelo ‘new Maraca’. Mais de 25 mil ingressos já foram vendidos. Os preços variam entre R$ 30 e R$ 640 (com buffet e open bar de cerveja). O estádio receberá 10 telões de LED, com 60 metros quadrados. O esquenta será com Ludmilla, Buchecha, DJ Marlboro, Ivo Meirelles e MC Poze, fãs do Rubro-negro. A ‘loura geladinha’ custará R$ 7, 30% mais barata do que em dia de jogo. O duelo em Lima começará às 17 horas de sábado.

Você sabia que… o Golden State Warriors, tricampeão da NBA nos últimos cinco anos, virou saco de pancadas e acumula 13 derrotas em 16 jogos, com direito a uma surra histórica do Dallas Mavericks por 142 a 94, a pior do time em 46 anos?

Bola de ouro. Sport. O Leão pernambucano voltará a rugir na elite do Brasileirão em 2020. A equipe derrotou a Ponte por 2 a 1, de virada, na Ilha do Retiro, e levou à loucura mais de 22 mil torcedores com o acesso à série A, faltando uma rodada para o pontapé final. Guilherme marcou os dois gols. Guto Ferreira é o ‘professor’ do Sport.

Bola de latão. CA de Barros e Silva. O carismático Leco, chefão do soberano Tricolor, ganhou uma hashtag que liderou os assuntos no Twitter por muitas horas: #Somos18milhoesForaLeco. A campanha nasceu no jogo de basquete São Paulo x Pinheiros, pelo NBB, quando o cartola foi homenageado com vaias e atribuiu a amabilidade a ‘um pequeno grupo de torcedores, uma coisa encomendada’.

Bola de lixo. Zé Elias. O ex-jogador e comentarista da ESPN aderiu à campanha para detonar o trabalho de Jesus no Flamengo. Garantiu que os ‘professores’ brasileiros não têm inveja do gajo, ‘apenas defendem opinião diferente’. E estendeu o tapete vermelho para o amigo de fé Vanderlei Luxemburgo: ‘O que Jorge Jesus está fazendo no Flamengo, o Vanderlei Luxemburgo já fez no Palmeiras, no Corinthians, no Santos e no Cruzeiro (…) E ele ficou muito mais tempo no auge. São 30 anos sendo considerado um técnico de ponta, que ganha os maiores salários.’ Calado, é um poeta!

Bola sete. “Marcos Braz, o vice-presidente de futebol do Flamengo, será citado pela Justiça por causa da dívida que tem junto ao Jockey Club Brasileiro. A 7ª Vara Cível do Rio ordenou que o dirigente pague R$ 358 mil por dois cheques emitidos em julho de 2017, ambos sem fundos. Braz deve recorrer” (de Nelson Lima Neto, no Globo – borrachudos).

Dúvida pertinente. Flamengo vai dançar samba ou tango em Lima?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Com estádio às moscas, amarelinha desbotada vence ‘treino’ contra coreanos na saideira de 2019

Paquetá abre o placar para a amarelinha desbotada

Depois de cinco jogos sem vencer, quatro tentos a favor e seis contra, finalmente a amarelinha desbotada voltou a festejar um triunfo. Na saideira da temporada 2019, a equipe do ‘professor’ Tite derrotou a poderosa Coreia do Sul por 3 a 0, gols de Paquetá, Philippe Coutinho e Danilo, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Os sul-coreanos, 37 no ranking da mamãe Fifa, entraram em campo animados pelos dois últimos resultados das eliminatórias da Copa de 2022: ‘oxo’ contra os irmãos da Coreia do Norte e Líbano.

O duelo despertou tanto interesse que os organizadores foram obrigados a abrir os portões de parte das arquibancadas para espantar as moscas do estádio Mohammed Bin Zayed. O canarinho pistola se exibiu para um dos menores públicos de sua história. Uma vergonha!

Tite & Cia. agora só voltam a se encontrar em março, início das eliminatórias sul-americanas para o Mundial do Catar, em 2022. A tabela será conhecida em 3 de dezembro. O sorteio acontecerá em Cartagena, na Colômbia. Participarão 10 países. A briga por vagas será em turno e returno.

O grande destaque do ‘treino’, que rendeu mais US$ 2 milhões aos cofres do paupérrimo Circo Brasileiro de Futebol, foi o lateral-esquerdo Renan Lodi. Ele deu assistência para dois gols.

Aos 8 minutos de jogo, o ex-jogador do Furacão, hoje no Atlético de Madrid, cruzou e Paquetá completou de cabeça. Na etapa final, aos 15, deu o passe para Danilo fuzilar o goleiro Jo Hyeon-Woo e marcar o terceiro.

O segundo tento brasileiro foi marcado por Philippe Coutinho, aos 35 da primeira etapa, em cobrança de falta. Havia cinco anos, dois meses e 14 dias, que o time não corria para o abraço após uma batida de falta. Ou 72 jogos.

A última festa havia sido em 5 de setembro de 2014: Neymar, 1 a 0, contra a Colômbia em Miami.

Além de Lodi, também corresponderam Fabinho (substituiu Casemiro), Coutinho, Eder Militão e Paquetá. Decepcionaram: Richarlison e o menino Jesus. Os estreantes Douglas Luiz e Emerson foram discretos.

Já o garoto Rodrygo participou muito pouco. Entrou apenas aos 40 do segundo tempo. Tite pisou na bola ao aproveitar o ex-santista apenas na bacia das almas.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Favoritismo do Flamengo contra River Plate cresce ainda mais: o pinguim palmeirense Bozo não irá a Lima para assistir a decisão da Libertadores.

Tite durante a partida contra a Bélgica Foto: LUIS ACOSTA / AFP

Tite balança. O triunfo da amarelinha desbotada sobre a fraquíssima seleção da Coreia do Sul, acabando com um jejum de cinco confrontos sem vitória, aliviou a pressão sobre o ‘professor’ Tite (foto), mas só até a página três. O trabalho do treinador é muito contestado nos bastidores do Circo Brasileiro de Futebol. Se o time engatar resultados ruins no começo das eliminatórias, dificilmente o presidente ‘fantasma’ Rogério Caboclo vai mantê-lo na casamata. Apesar da conquista da Copa América, a performance de Tite vem sendo muito questionada na casa maldita do ludopédio nacional.

Zé Corneta. Educação brasileira: invasões escolares, facadas, revólveres, estupros, reféns, mortes…

Roleta russa. Ao ficar no ‘oxo’ com a Raposa na 33ª rodada do Brasileirão, o Avaí carimbou a primeira vaga do rebaixamento ao inferno da série B. O time catarinense soma 18 pontos em 99 possíveis – três triunfos, nove empates e 21 pauladas. Marcou 16 gols e levou 51. De acordo com a matemática do Infobola, oito equipes estão na luta pelas outras três vagas à segundona. As chances de sucesso: Avaí – 100%; Chapecoense – 99%; CSA – 95%; Fluminense – 39%; Raposa – 31%;Ceará – 19%; Botafogo – 15%; Galo – 1%; Fortaleza – 1%.

Sugismundo Freud. Pai velho ou roupa remendada não é desonra.

Zapping. O duelo entre a seleção sub-17 e o México, pelo título mundial, rendeu 20 pontos ao ibope da plim plim na grande Pauliceia dominada pela bandidagem. Cravou a mesma audiência do amistoso Brasil x Argentina, na Arábia Saudita. Cada ponto corresponde a 73 mil domicílios sintonizados.

Papo na padoca. Se chorei ou se sorri, tanto faz… o importante é que a amarelinha desbotada eu não vi.

Ziriguidum. Muitos parlamentares já avisaram: nada de batente no Congresso a partir desta quarta. Vão viajar para Lima. De pandeiro e reco-reco, esperam comemorar a vitória do Flamengo contra o River Plate, na decisão da Libertadores, sábado. Ao contrário dos pobres mortais, não encontraram nenhum problema para arrumar passagem. Eles fretaram um avião, certamente com o seu, o porque ninguém é de ferro.

Pachecada. Deixemos de lado o oba-oba, o oportunismo: até ganhar o tetra, a seleção sub-17 era ignorada solenemente por cartolas, torcedores e mídia. Um time ‘fantasma’.

Jesus arrasa. Já encheu o papo do sapo o nhenhenhém de resultadistas com a divulgação de estatísticas sobre o desempenho de ‘professores’ do ludopédio nacional, responsáveis por anos de mais do mesmo, pelo abominável pragmatismo que se apoderou das equipes, pela zona de conforto ‘o importante é vencer e garantir a xepa mensal’. Jesus salva: mais do que os números do gajo no Flamengo, deve-se aplaudir, e copiar, o futebol da equipe carioca. Jesus goleia a concorrência, o corporativismo. Onze de cada 10 torcedores aplaudem a revolução portuguesa!

Caiu na rede. Empate com o Vasco, apenas um cisco nos olhos do Urubu.

Mayday, mayday… A saúde financeira do Barcelona está complicadíssima. Levantamento da revista Forbes, em parceria com a Deloitte, descobriu que o time catalão faturou a bagatela de 852 milhões de euros (R$ 3,9 bilhões) neste ano. Pela primeira vez superou o coirmão Real Madrid, que se virou nos 30 com ridículos 757 milhões de euros (R$ 3,5 bi). Em 2018, o Barça beliscou 690 milhões de euros (R$ 3,2 bi), contra 750 milhões de euros (R$ 3,4 bi) do Real. Também pedem socorro à União Europeia o Manchester United (R$ 3,4 bi) e o Bayern de Munique (R$ 3 bi), que completam o top 4 do ranking de receitas.

Gilete press. De Arthur Leal, no Globo: “No Parque Olímpico, na Barra, onde está concentrada boa parte das arenas dos Jogos de 2016, dois grandes estádios chamam a atenção. Em suas fachadas, sinais do tempo sugerem que, desde o fim das competições, nem um fio de cabelo foi movido por ali. São o Estádio Olímpico Aquático e a Arena do Futuro: duas estruturas apresentadas à época como nômades, que, ao fim da Olimpíada, seriam desmontadas e transformadas em escolas e equipamentos esportivos. Legado que, mais de três anos depois, não deu um passo adiante.” E ninguém vai preso…

Tititi d’Aline. O suíço Roger Federer aproveitará uma folguinha até domingo para visitar a América do Sul, distribuir raquetadas em cinco jogos ‘me-engana-que-eu-gosto’ e voltar para casa com mais US$ 10 milhões (R$ 41 milhões) na poupança. Cada exibição renderá US$ 2 milhões ao tenista.

Você sabia que… o Vasco ganhou apenas um ponto nos últimos nove jogos disputados em São Januário?

Image result for milesimo gol de pele fotos"

Bola de ouro. Pelé (foto). Meio século do milésimo gol. Um atleta tão incrível e inigualável que conseguiu transformar um pênalti em manchete mundial. Um gol de placa em 19 de novembro de 1969, às 23h23, no Maracanã, contra o Vasco, diante de 65 mil torcedores. Só mesmo um ‘rei’ poderia eternizar um pênalti, cantado em prosa e verso depois de 50 anos. “Se tivesse o VAR, não sei se seria pênalti”, confessou Pelé, aos 79 anos. O ‘Atleta do Século’ marcou 1.281 gols em 1.363 partidas. É o maior artilheiro da história do futebol.

Bola de latão. José Carlos Peres. O chefão do Peixe adora aporrinhar o hermano Sampaoli. Ele afirmou que ficaria extremamente feliz se o ‘professor’ usasse o ‘bom senso’ e voltasse a escalar o peruano Cueva, a fim de colocar o atleta na vitrine em busca de interessados. No início do próximo ano, o Peixe terá de pagar R$ 26 milhões ao Krasnodar, da Rússia, pelos direitos de Cueva. Sampaoli ficou irritado com a sugestão do cartola.

Bola de lixo. Alberto Valentim. O ‘professor’ do Botafogo vive fase estupenda. Em oito jogos, venceu dois e perdeu apenas seis, com aproveitamento de 25%. No comando do Avaí, ele havia cravado três triunfos, quatro empates e oito coças em 15 partidas do Brasileirão. Valentim é um dos treinadores brasileiros que detonam o trabalho de Jesus campeão no Flamengo.

Bola sete. “Imagem lamentável! A Seleção Brasileira pentacampeã do mundo joga diante de um público inferior a jogos pequenos de campeonato estaduais. Que vergonha. O silêncio é tão grande que dá pra ouvir o Tite passando instruções. E a gente está na tribuna de imprensa, que fica no alto da arquibancada. O que fizeram com a Seleção Brasileira, gente… Que absurdo!” (de Fernando Kallas, do SporTV, jornal As e BBC Brasil – parabéns ao Circo Brasileiro de Futebol, capitaneado pelo presidente ‘fantasma’ Rogério Caboclo).

Dúvida pertinente. Flamengo de Jesus x amarelinha desbotada de Tite, quem vence?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br