A derrota do jornalismo esportivo

Imagem relacionada

De José Trajano

Helvidio Mattos, exemplo de repórter, foi demitido da ESPN assim como haviam sido Roberto Salim e Lucio de Castro, outros grandes. A desculpa de que a ordem veio de longe, lá dos States, é cruel e desalentadora. E coloca no ar a pergunta, o que realmente esses caras querem?

Foram anos de luta incessante, muita garra, enfrentamento, suor e criatividade. Era uma equipe pra valer, que não tinha medo de nada. Verdadeiramente, era uma equipe. Encarava o que tivesse pela frente. E Helvidio, como o Salim e tantos outros destemidos, seguiam sempre na dianteira.

A demissão do Helvidio encerra um ciclo que vinha se fechando havia um tempo, com o pontapé na bunda dado em vários companheiros. Eu fui nessa leva. Estou triste e arrasado. Fundei o canal e vejo que o que plantamos está sendo destruído. A saída de Helvidio Mattos é um tapa na cara do verdadeiro jornalismo esportivo.

Há outros companheiros que foram mandados embora. Peguei o querido Helvidio como exemplo. Um velho repórter merece ser e ele faz jus. Há gente muito boa ainda por lá, que certamente deve estar profundamente incomodada com a situação. As demissões não levam em conta o talento, o caráter, o comprometimento.

Aos poucos, com frieza absurda, os mandachuvas atuais – colocados lá por nós – vão cumprindo ordens. Não enfrentam, não colocam suas cabeças em troca, como era comum nas redações de antigamente. Estão chateados sim, porém mais preocupados com o bônus de Natal e com a marca do carro que é trocado a cada dois anos.

Enfim, perdemos mais essa. Mas como disse meu Mestre Darcy e que Juca Kfouri usou em recente livro: ‘Detestaria estar no lugar de quem me venceu.’ A ESPN não acabou, nem vai acabar. O que acabou foi a nossa turma, a que ergueu aquilo lá.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

América aos pés do Grêmio pela terceira vez. Que venha o Real Madrid!

Festa gaúcha na Libertadores: Grêmio, tricampeão.

‘Até a pé nós iremos
Para o que der e vier
Mas o certo e que nós estaremos
Com o Grêmio onde o Grêmio estiver…’

Pois é, não tem para ninguém: o imortal é o rei da América! A equipe gaúcha derrotou o Lanús por 2 a 1, no caldeirão La Fortaleza, na Argentina, e conquistou a Libertadores pela terceira vez. Com o sensacional triunfo sobre os hermanos, o imortal carimbou o passaporte para o Mundial de clubes da mamãe Fifa, em Abu Dhabi.

Assim como o Real Madrid, o Grêmio entrará direto nas semifinais. Enfrentará o ganhador de Pachuca, do México, e Wydad Casablanca, do Marrocos – o duelo acontecerá em 12 de dezembro. Se jogar com a mesma seriedade apresentada contra o Lanús, chegará à decisão e dificilmente deixará de medir forças com o gajo Cristiano Ronaldo, o brasileiro Marcelo e companhia bela.

A equipe gaúcha voltou a ganhar o título depois de 22 anos de espera. Soy loco por tri América! Quebrou também o tabu de nunca ter derrotado um coirmão argentino na final da competição continental. E mais: diminuiu a vantagem dos hermanos na galeria dos campeões de nove triunfos contra cinco dos brasileiros.

Já Renato Gaúcho entrou para a história como primeiro tupiniquim a soltar o grito de campeão como jogador e treinador. Merece uma estátua. “Não tem muito o que falar. Não há palavras. Mérito total do meu grupo. É fantástico”, afirmou Renato, coroado o melhor ‘professor’ do campeonato.

Além de dar a volta olímpica na Argentina, o Grêmio abriu mais uma vaga no Brasileirão para a disputa da Libertadores da próxima temporada. Agora, é G8. Que pode aumentar para G9 se o Flamengo faturar a Copa Sul-americana.

O Grêmio precisou de apenas 45 minutos para liquidar o Lanús e enlouquecer cinco mil torcedores no estádio argentino. O ‘professor’ Renato Gaúcho prometeu um time ofensivo, e pimba na caxirola: Fernandinho, aos 27 minutos, e Luan, aos 41 garantiram a festa gaúcha. Sand, de pênalti, diminuiu aos 26 do segundo tempo. Na bacia das almas, Ramiro foi expulso. Luan foi eleito o bambambã do torneio.

                                        ############

Pitaco do Chucky. Brasil combate a corrupção ou enxuga gelo?

Calote corintiano. A situação no heptacampeão brasileiro é um mar de espinhos. Demitido depois do Brasileirão do ano passado, o ‘professor’ Oswaldo Oliveira até agora não recebeu um centavo do clube por quebra de contrato. E a grana é das melhores: R$ 1 milhão. Só São Jorge sabe quando OO reforçará a poupança. Ele havia assinado até dezembro de 2017. Comandou o time em nove jogos (duas vitórias, quatro empates e três derrotas). O Corinthians fechou o campeonato em sétimo lugar, fora da Libertadores. Prêmio: rua.

Zé Corneta. Ninguém é perfeito: ‘Muriçoca’ Ramalho indicou Muralha ao Flamengo, e o ‘professor’ Tite convocou o goleiro para a amarelinha desbotada.

Miserê. A NBA segue encestando os outros esportes com a maior média de salários do planeta: US$ 7,3 milhões (R$ 23,5 milhões). A informação é do site  ‘Sporting Intelligence’. A melhor porta da esperança do esporte está no Oklahoma City Thunder. A franquia das feras Carmelo Anthony, Steven Adams e Russell Westbrook paga em média US$ 9,3 mi (R$ 30 mil) por temporada. O Cleveland Cavaliers, de LeBron James, é o segundo, com US$ 9 mi (R$ 29 mi). O campeão Gold State Warriors fecha o pódio com US$ 8,9 mi (R$ 28,6 mi). Em segundo ranking aparece a MLB (liga americana de beisebol), com US$ 4,5 mi (R$ 14,5 mi).

Miserê 2. No futebol, o Campeonato Inglês continua como o mais rico do mundo, com US$ 3,5 mi (R$ 11 mi). O Barcelona é o primeiro clube de futebol do ranking: quarto lugar, com US$ 8,5 mi (R$ 27,3 mi). Em quinto está o PSG de Neymar: gasta US$ 8,4 mi (R$ 27 mi) com salários. Nas ligas femininas, a rainha é a WNBA, com média anual de US$ 74.700 mil (R$ 240 mil).

Sugismundo Freud. Uma mentira enterra mil verdades.

Patolino no Verdão. Torcedores palmeirenses respiram aliviados: lateral-direito Egídio voltou à Raposa após três anos. No pão de queijo, ele faturou o bicampeonato brasileiro. Egídio disputou 102 jogos com o Palestra e marcou três gols. Não deixará um pingo de saudade.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). O tema da redação do Enem deste ano foi ‘É possível ser feliz e botafoguense ao mesmo tempo?’ e gerou muita polêmica: não existem mais botafoguenses para responder.

‘Pai-de-‘todos’. Que o futebol, principalmente o brasileiro, é um inesgotável contêiner de surpresas, ninguém discute. Nem os apaixonados pelo emocionante badminton. Tudo é possível. Sempre. Até o dedo médio ou ‘pai-de-todos’, principal mão de obra dos urologistas, substituir o bico da chuteira e transformar-se em grande atração do espetáculo no espaço de uma semana, com os personagens Vizeu (Flamengo) e Rodrigo (Ponte).

Gilete press. De Silvio Nascimento, em ‘Veja’: “O banco espanhol Santander anunciou que vai deixar a Fórmula 1 para ser patrocinador oficial das próximas temporadas da Liga dos Campeões, até 2021. O banco deixa a F1 depois de 11 temporadas e a Ferrari, com quem esteve ligado por oito anos, e reforça seus vínculos com o futebol, de olho no crescimento da Liga dos Campeões na América Latina. O Santander já patrocina há uma década a Libertadores e a Liga Espanhola.” Bela jogada.

Tititi d’Aline. Atolado em dívidas, Emerson Fittipaldi perdeu parte do patrimônio em um leilão. Uma área de 160 alqueires do bicampeão mundial de Fórmula 1, localizada em Araraquara, foi arrematada por R$ 10,5 milhões. O terreno não tem edificações. A penhora foi pedida por Bradesco, Santander e LAAD América. Os peritos judiciais avaliaram o local em R$ 12,2 milhões.

Você sabia que… Guerrero (Flamengo), Luan (Grêmio), Scocco (River), Acosta (Lanús) e Benedetto (Boca) concorrem ao prêmio ‘Rei da América’, dado anualmente pelo jornal uruguaio ‘El País’?

Bola de ouro. Marcelo Grohe, Edílson, Geromel, Bressan, Raphael Thyere, Cortez, Jailson, Arthur, Michel, Ramiro, Luan, Fernandinho, Lucas Barrios, Cícero e ‘professor’ Renato Portaluppi. Simplesmente os reis da América.

Bola de latão. River/PI. Jogadores estão sem receber desde maio, quando acabou a Copa do Nordeste. Eles criaram um grupo no whatsapp, chamado de “cadê o dinheiro?”, e incluíram cartolas e jornalistas. Detalhe: o clube está gastando uma boa grana na reforma do CT.

Bola de lixo. São Paulo. Apesar das críticas de muitos conselheiros, o presidente CA de Barros e Silva e o aprendiz de diretor Vinicius Pinotti abriram as portas do CT aos anjinhos organizados pelo diabo. A horda discutiu o planejamento do soberano para a próxima temporada. É o fim do mundo!

Bola sete. “Não sei se é alívio [escapar do rebaixamento], afinal o São Paulo é um time grande. Eu sinto vergonha. O São Paulo tem de brigar por títulos, por Libertadores” (do peruano Cueva, curto, grosso e certeiro).

Dúvida pertinente. Cesar, dois anos afastado, ou Muralha, destruído moralmente: quem deve jogar no gol do Flamengo contra o Junior Barranquilla?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘Até a pé nos iremos’: Grêmio goleia Lanús na matemática e aposta no túnel do tempo

Resultado de imagem para soy loco por tri america grêmio fotos]

A torcida do Grêmio já pode ensaiar o grito de ‘é campeão’. O túnel do tempo aponta: em disputas de mata-mata na Libertadores, o imortal gaúcho saiu em vantagem 13 vezes e só morreu em duas.

O primeiro funeral aconteceu em 1996. O Grêmio derrotou o América de Cali por 1 a 0, no estádio Olímpico, e levou o troco no jogo de volta: 3 a 1 para os colombianos nas semifinais. Já em 2013, sob o comando do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo, a equipe gaúcha bateu o Independiente de Santa Fé por 2 a 1, mas tombou no estádio El Campin (1 a 0) e caiu fora nas oitavas de final.

Nesta quarta, no caldeirão La Fortaleza, na Argentina, o Grêmio precisa apenas de um empate diante do Lanús para dar a volta olímpica, conquistar a América pela terceira vez e consagrar Renato Gaúcho como primeiro brasileiro a faturar o cobiçado caneco como jogador e ‘professor’.

A matemática do ‘Chance de Gol’ indica o imortal como superfavorito ao título do principal torneio do continente. O placar: Grêmio 70,7% x 29,3% Lanús.

Se os hermanos vencerem por um gol de diferença, a partida irá para a prorrogação. Ninguém marcando no tira-teima, título na marca da cal. Nas bolsas de apostas, o Lanús aparece como candidato mais indicado à festa. Paga 2,30 por um apostado; Grêmio, 3,60 por um.

A força argentina está apoiada no duelo das semifinais contra o River Plate. O time perdeu o primeiro jogo para o ‘bicho-papão’ por 1 a 0 e, em seu estádio, chegou a estar em desvantagem por 2 a 0. Mas conseguiu uma reação histórica e ganhou por 4 a 2. Nas quartas de final, o Lanús também conseguiu um grande feito: apanhou do San Lorenzo por 2 a 0 e, em La Fortaleza, devolveu o placar. Levou a melhor nos pênaltis: 4 a 3.

                                                 ############

‘Entre as nádegas‘. A tucanagem chegou ao apito nacional. Sua senhoria, o assoprador de latinha Ricardo Marques Ribeiro, que o diga: “Expulsei com cartão vermelho direto, aos 19 minutos do primeiro tempo, o atleta n. 03, sr. Rodrigo da Costa, da equipe da A,A. Ponte Preta, após ser informado pelo quarto árbitro sr. Felipe Alan Costa de Oliveira, que o referido atleta havia introduzido, por duas vezes, seu dedo médio entre as nádegas de seu adversário de número 22, sr. Santiago Trellez Vivero, isto quando a bola se encontrava fora de jogo.” Ou seja: dedada no fiofó.

Pitaco do Chucky. Tira, põe, deixa ficar: os últimos serão sempre os primeiros… a cair.

‘Titia’ Leila. O que todo mundo já sabia, agora é oficial: ‘titia’ Leila Crefisa quer mesmo sentar no trono palmeirense. Em entrevista à ‘Folha’, a empresária confessou que pretende se candidatar a presidente do clube nas eleições de 2021, quando poderá concorrer: “Os sócios vão decidir. Vou poder fazer muito mais coisas pelo Palmeiras, apesar de que como conselheira também posso faze bastante”, disse a dona das principais chuteiras do Palestra. Que confessou ter rompido com o cardeal Mustafá Contursi, responsável por ter colocado a patrocinadora do clube no conselho. Neste ano, ‘titia’ Leila investiu mais de R$ 100 milhões em reforços. Não ganhou nenhum título.

Zé Corneta. Há sempre o outro lado da moeda: rebaixada, a Ponte voltará a enfrentar o coirmão Guarani depois de cinco anos. O Dérbi acontecerá duas vezes na badalada Série B, com torcida única.

Promessinha. O eterno rei do sorriso, Andrés Sanchez, adotou o condenável populismo para tentar voltar ao trono corintiano nas eleições de fevereiro. Por onde passa, o ex-presidente despeja uma enxurrada de promessas, tipo parceria com o rechonchudo Ronaldo, planos espetaculares para tirar o clube do buraco financeiro, naming rights para o Itaquerão, minha casa minha vida e reforços de peso, como o meia Scarpa (em janeiro, o Fluminense recusou R$ 20 milhões do Palmeiras), e o atacante argentino Tevez.

Caiu na rede. Zé Roberto se despediu do Palmeiras com gritos de ‘au, au, au, estou indo embora sem Mundial’?

Fim da linha. Depois de 218 jogos e cinco títulos, o goleiro Júlio César rescindiu contrato com o Benfica. Aos 38 anos, o brasileiro deve pendurar as luvas. Nesta temporada, jogou apenas quatro partidas, já que passou boa parte de chinelinho, lesionado. Dono do maior salário do elenco, ele virou a terceira opção para o gol. Na despedida dos companheiros, chorou. Júlio César também defendeu o Flamengo, Inter de Milão, Chievo, Rangers e Toronto, além da amarelinha desbotada.

Sugismundo Freud. Quem não cultiva a história renega o passado e vive mal o presente.

Herança. O heptacampeonato corintiano também rendeu frutos no ninho dos periquitos em revista. Ao ver a banda alvinegra passar, o Palmeiras deixou de ganhar um bônus de R$ 8 milhões, prêmio que a ‘titia’ Leila Crefisa daria pela conquista do bi. Já a WTorre, dona da mansão Allianz Parque, perdeu pelo menos R$ 2 milhões com a decisão de não alugar o estádio para shows, porque o Palestra disputaria o título nas últimas rodadas.

Zapping. Chiliques de Neto deram resultado: renovou contrato com a Band até 2019. Ele está na emissora desde 1999.

Gilete press. De Gabriel Mascarenhas, em ‘Veja’: “Flamengo e Vasco ainda nutrem esperança de uma classificação para a Libertadores. A Odebrecht também. Mais do que isso. A construtora torce fervorosamente pelo sucesso da dupla por acreditar que os donos das duas maiores torcidas do Rio não terão como abrir mão do Maracanã na Libertadores. A Odebrecht está disposta, inclusive, a reduzir o valor fixo cobrado pelo uso do estádio – hoje, em cerca de R$ 350 mil – aos clubes dispostos a assinar contrato de um ano para mandar seus jogos na mais simbólica arena esportiva do país.” SOS futebol.

Rosamundo, o pensador. Quem deita no chão não cai.

Tititi d’Aline. Pelo jeito, o imperador Adriano já começou a comemorar o retorno ao futebol. Dia sim e outro também, ele curte uma balada, sempre cercado de belas mulheres, já que ninguém é de ferro. Adriano adoraria retornar ao Flamengo. A torcida aprova, mas a cartolagem tem um elefante de dúvidas atrás da orelha.

Você sabia que… as prisões de torcedores no futebol inglês caíram de 3.089 para 1.638 (47%) nos últimos seis anos?

Bola de ouro. Bahêa. É o rei do Nordeste: melhor média de público entre os representantes da região nas quatro séries do Brasileiro. O Bahêa cravou
21.541 torcedores por partida, de acordo com o ‘sr.goool’. O clube tem a quinta melhor marca do ranking envolvendo os 128 times. Perde apenas de Corinthians (40.007), soberano São Paulo (33.825), Palmeiras (29.998) e Saci colorado (23.328).

Bola de latão. Peixe. O estafe do centroavante Ricardo Oliveira abriu o jogo: o clube deve quatro meses de salários, além de premiações. Por isso, a renovação de contrato do jogador está se arrastando no aquário da Vila Belmiro. Flamengo, Raposa e Galo estão de olho no atacante.

Bola de lixo. Del Nero. Por não ter gostado do design do bracelete preparado pelo FBI para recebê-lo com honrarias em Moscou, o imperador ostentação decidiu permanecer no país e assistir pela TV ao sorteio dos grupos da Copa do Mundo, nesta sexta. Em protesto, despachou seus asseclas para a Rússia.

Bola sete. “O bom time do Grêmio não precisa de drone para ganhar a Libertadores” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – fato).

Dúvida pertinente. O Grêmio é Brasil na Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

No adeus de Zé Roberto, Palmeiras derruba Botafogo e assume a vice-liderança

Festa para Zé Roberto, 43 anos: um exemplo de profissional

A festa foi completa na mansão Allianz Parque, com 23.562 convidados (R$ 1.230.114,47): na despedida de Zé Roberto, o Palmeiras derrotou o Botafogo por 2 a 0, gols de Dudu e Keno, no encerramento da 37ª rodada do Brasileirão com cara de Brasileirinho. Com o resultado, o Palestra assumiu a vice-liderança. O time chegou a 63 pontos, um à frente de Grêmio e Peixe. O Botafogo permaneceu com 52, na oitava posição.

Roger Machado, o novo ‘professor’, acompanhou o triunfo em um camarote. E deve ter ficado entusiasmado com Keno, o melhor da partida. O atacante marcou um golaço: pedalou para cima de Gilson e João Paulo e acertou o ângulo de Gatito Fernández.

Os números do primeiro tempo mostram a disparidade entre palmeirenses e botafoguenses na luta para chegar ao gol. Enquanto o Palestra criou sete chances reais para abrir o placar, o time carioca teve duas. Em finalizações, 6 a 4. Já o placar dos escanteios indicou 7 a 1 para os periquitos em revista. Que não souberam aproveitar a superioridade por falhar no toque final. E, também, porque o centroavante Borja jogou contra, trabalhando como ótimo zagueiro para o Botafogo.

No segundo tempo, o Palmeiras precisou de apenas 10 minutos para enlouquecer a torcida. Keno cruzou rasteiro e Dudu completou para a rede. Justiça no marcador ao time com melhor desempenho na partida. O Botafogo sentiu o golpe. E foi a nocaute aos 18, com um golaço de Keno, o grande destaque do embate. Depois de boa jogada, o atacante chutou na gaveta, sem chance para o goleiro Gatito Fernández.

Dez minutos depois, com o Botafogo entregue, Moisés saiu e entrou Willian. Na sequência, Felipe Melo deu o lugar a Thiago Santos. Finalmente, Hyoran apareceu na vaga de Dudu. Triunfo garantido, festa para o polivalente Zé Roberto, um exemplo a ser seguido.

Chorando e aplaudido pela torcida, Zé Roberto deu a volta olímpica: “Quando cheguei, o Palmeiras era grande. Hoje, é um gigante. Dei o máximo e consegui deixar um legado. Vou descansar agora, aproveitar as férias e pensar no que vai acontecer daqui para frente.” Au, au, au, Zé Roberto é animal.

                                                       ############

Pitaco do Chucky. Benfica informa: fechado o armazém de secos e molhados do chef Cabral.

Segredo corintiano. Pouca gente sabe, mas o meia Jadson, 34 anos, poderia ter deixado o Corinthians em julho. O Wuhan Zall, da segunda divisão chinesa, queria contratá-lo por 5 milhões de euros (R$ 19 milhões). E daria ao jogador mais de R$ 1,5 milhão por mês durante dois anos e meio. Jadson chegou a balançar, mas decidiu ficar depois de uma reunião com a cartolagem corintiana. O clube prometeu prorrogar seu contrato por mais um ano (o atual termina em dezembro de 2018). Ele agora está à espera de um chamado para colocar o preto no branco. É dando que se recebe.

Segredo corintiano 2. O clube também manteve longe da mídia um drama vivido pelo artilheiro Jô. Em abril, uma das irmãs do jogador foi sequestrada. Ao receber a notícia, o centroavante pediu para ficar fora da partida contra o Saci colorado, no dia 12, pela Copa do Brasil. A informação foi dada pelo site ‘Meu Timão’ e confirmada por Jô após a entrega da taça de heptacampeão. Para justificar a ausência do atacante, o ‘professor’ Fabio Carille alegou desgaste físico. Acionada, a Polícia Civil encontrou a irmã do jogador no mesmo dia.

Zé Corneta. Os anjinhos organizados da Independente serão recebidos pela cartolagem do soberano Tricolor para discutir o planejamento de 2018. Ridículo.

Muralha no divã. Okay, okay: Muralha nunca foi um goleiro brilhante, apesar de já ter sido convocado pelo ‘professor’ Tite para defender a amarelinha desbotada, mas também nunca foi um contumaz colecionador de frangos, inigualável mão de alface. Mais que treinos, o jogador do Flamengo está precisando mesmo é de um papo cabeça, de deitar em um sofá.

Sugismundo Freud. O preguiçoso inventou a desculpa e o sábio a paciência.

Zapping. O ibope da plim-plim patinou com a transmissão de Coxa x Tricolor, pela penúltima rodada do Brasileirão. A audiência na grande Pauliceia abandonada pelos governantes cravou apenas 20,8 pontos de média. Pela manhã, o GP de Abu Dhabi, última prova do ano e despedida de Felipe Massa, também não agradou: 9,5. Cada ponto em SP corresponde a 70,5 mil domicílios sintonizados.  

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Done do Grêmio tentou espionar o Inter na Série A, mas não foi possível.

Dona Fifi. Frustração total no GP de Abu Dhabi: prova mais fraca que sopa de chuchu, Massa despedindo-se apenas em 10º lugar e Galvão Bueno anunciando que… continuará como narrador em 2018.

Gilete press. Do zagueiro Lugano ao ‘Esporte Interativo’, explicando por que recusou uma festa de despedida do soberano São Paulo: “Eles me propuseram fazer um jogo no fim do ano, do tamanho do de Rogério. Não pode haver maior prestígio para um gringo, eu só tenho gratidão. Mas disse à diretoria: não me sinto desse tamanho. Se Careca não teve despedida, Dario Pereira não teve despedida, Raí não teve despedida, eu não posso aceitar. Eu morreria de vergonha, passaria mal. Não preciso desse momento e não acho justo com outras figuras do São Paulo, de um tamanho muito maior que o meu. Não vou fazer, e não tem discussão.” Golaço do xerife uruguaio.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho pode sair candidato ao Senado ou Câmara pelo Partido Ecológico Nacional (PEN), legenda que deve mudar o nome para Patriota. O partido pode receber também a candidatura do deputado Jair Bolsonaro, hoje no PSC/RJ, à Presidência. Que beleza! Já o treinador Bernardinho, se sair candidato ao governo do Rio, pretende contar com José Mariano Beltrame como vice.

Você sabia que… o Vasco voltou a derrotar a Raposa (1 a 0) no Mineirão depois de 17 anos?

Bola de ouro. Zé Roberto. Um exemplo de jogador ao longo de mais de duas décadas como profissional. O ‘vovô’ de 43 anos merece um jogo de despedida exemplar. Lateral, ala, volante e meia, Zé Roberto passou com sucesso por grandes times e também pela seleção. Coleciona uma série invejável de títulos. Merece a gratidão de todos que gostam do esporte.

Bola de latão. Governo do Amazonas. Deve R$ 1 milhão à empresa Greenleaf, que cuida da Arena de Manaus e de mais dois estádios da capital amazonense. Sem receber desde janeiro, ela ameaça paralisar o trabalho. Se isso acontecer, em menos de um mês os campos ficarão sem condições de uso. Os estádios foram construídos ou reformados para a ‘Copa das Copas’. O principal, que sediou quatro jogos, devorou R$ 670 milhões.

Bola de lixo. Del Nero. Certamente com receio dos imensuráveis e festivos gritos da Fiel que receberia no Itaquerão, minha casa minha vida, o imperador ostentação Del Nero optou por acompanhar pela TV a entrega da taça ao heptacampeão Corinthians. As medalhas e o troféu do Circo Brasileiro de Futebol foram entregues pelo menino de recados Walter Feldman.

Bola sete. “O Brasil tem 31 milhões de pessoas que se declaram fãs de basquete. Desses, 13 milhões se consideram como ‘superfãs’ e 3 milhões como praticantes. Esse é o resultado de uma pesquisa que a CBB encomendou ao Ibope” (de Lauro Jardim, no ‘Globo’ – chuá).

Dúvida pertinente. Junior Barranquilla ou Muralha, qual o maior adversário do Flamengo no segundo jogo das semifinais da Sul-americana?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Com 10 dias de atraso, o Corinthians finalmente levanta a taça do heptacampeonato

Cássio e a taça: só o começo da celebração em Itaquera (Foto: Marcos Ribolli)
Cássio comanda a festa do Corinthians no Itaquerão, minha casa minha vida

A pátria das chuteiras furadas é mesmo inigualável: heptacampeão brasileiro há 10 dias, somente agora o Corinthians recebeu a taça do Circo Brasileiro de Futebol. Em jogo cheio de alternativas, com gols espetaculares e até uma furada incrível do goleiro Cássio, Corinthians e Galo empataram em 2 a 2, no Itaquerão, minha casa minha vida (46.030 pagantes/R$ 2.892.594). Antes e depois do jogo, a Fiel fez um mosaico formando a palavra ‘Hep7a’. Cássio levantou o caneco.

Apesar de ter procurado mais o gol adversário, o Corinthians saiu atrás no marcador. Aos 28 de jogo, Otero cobrou magistralmente uma falta e abriu o placar. Colocou a bola no ângulo esquerdo. Cássio nem se mexeu. Foi o 12º tento do venezuelano pelo Galo, sendo nove de fora da área.

Sete minutos depois, Jadson, também de falta, empatou (o meia confessou depois que queria cruzar). Justiça no resultado, já que o Corinthians foi superior ao longo da fase inicial. Mandou até bola na trave, num arremate de Jadson. Mesmo necessitando mais da vitória, o Galo se preocupou muito com a defesa. Tanto que deu apenas dois chutes a gol.

O Corinthians voltou para o segundo tempo com Marquinhos Gabriel no lugar de Camacho. Manteve a intensidade da primeira etapa e poderia ter aumentado o placar aos 7 minutos, mas ‘são Victor’ apareceu e operou um milagre em conclusão de Rodriguinho dentro dá área. Aos 12, o goleiro do Galo nada pôde fazer em chutaço de Marquinhos Gabriel no ângulo direito.

Na sequência, mudança no time mineiro: Valdivia saiu e entrou Luan. Aos 15, uma furada histórica de Cássio quase permitiu o empate. Que aconteceu aos 19, depois de cobranças perigosas de escanteio por parte de Otero: Fred cabeceou sozinho e conferiu. Aos 22, o centroavante perdeu excepcional chance de assinalar o terceiro. Após ser lançado por Robinho, Fred driblou o goleiro corintiano e chutou para fora. Pouco depois, foi substituído por Cazares.

O Corinthians trocou Rodriguinho por Maycon e, no final, Jadson por Pedrinho. O Galo sacou Otero e pôs Rafael Moura. Na bacia das almas, à espera da festa da taça, a Fiel começou a gritar ‘olé’ e ‘é campeão, é campeão’. Os números da agradável batalha: posse de bola – 55% a 45% para o Corinthians; 18 a 11 em finalizações; 10 a 4 em chances de gol e 7 a 7 em escanteios.

                                                  ############

Convidados indigestos. Desde 2003, início da era de pontos corridos no Brasileirão, somente duas vezes os visitantes estragaram a festa do campeão no jogo da taça, reforçaram o chope da torcida com farta mistura de água. Em 2012, o Fluminense foi derrotado pela Raposa por 2 a 0, no Nilton Santos, o Niltão, na 36ª rodada. Um ano depois, o Bahêa sapecou 2 a 1 na Raposa, no Mineirão, pela 37ª jornada. A dança, segundo o ‘Superesportes’:

2003 – Raposa 5 x 2 Fluminense – Cruzeiro ergueu a taça na 45ª jornada
2006 – São Paulo 2 x 0 Raposa – Tricolor levantou o caneco na 37ª
2007 – São Paulo 2 x 2 Botafogo – Soberano mostrou a taça na 37ª
2012 – Fluminense 0 x 2 Raposa – Fluminense pegou o troféu na 36ª
2013 – Raposa 1 x 2 Bahêa – Cruzeiro ergueu a taça na 37ª
2014 – Raposa 2 x 1 Fluminense – Cruzeiro levou o caneco na 38ª
2015 – Corinthians 6 x 1 São Paulo – Corinthians fez a festa na 36ª
2016 – Palmeiras 1 x 0 Chape – Periquito pegou a taça na 37ª
2017 – Corinthians 2 x 2 Galo – Corinthians fez a festa na 37ª

Pitaco do Chucky. As denúncias contra a cartolagem do Circo Brasileiro de Futebol pipocam diariamente, mas os braceletes da Justiça permanecem em ritmo de tartaruga aposentada, não brilham nos pulsos dos malfeitores.

Xerife. Pela amabilidade como trata os atacantes no Campeonato Português, o ex-zagueiro corintiano Felipe, 28 anos, ganhou um carinhoso apelido: ‘Felipe Vale tudo’. O brasileiro é o xerife da zaga do Porto, líder da competição. Os maiores elogios partem dos jogadores do Benfica e Sporting. Após uma chuva de confetes dos adversários, o zagueiro filosofou: “Todos são rápidos para julgar a vida dos outros, mas são cegos e mudos para a própria vida.” Em 61 jogos pelo Porto, Felipe não tomou nenhum vermelho. Recebeu 15 cartões amarelos.

Zé Corneta. O carismático Ricardo Teixeira, eterno rei da bola, está tão preocupado com os problemas na Justiça, mas tão preocupado, que sempre dá uma escapadinha até Angra para curtir sua mansão e um passeio de lancha.

Íbis italiano. Não tem para ninguém nas principais ligas europeias: o Benevento Calcio sofreu 13 derrotas em 13 jogos do campeonato da Velha Bota e quebrou um recorde de 87 anos. Desde a temporada 1930/31, quando o Manchester United encarou um jejum de 12 jogos, nenhum time havia apanhado tanto no início de uma competição. O Benevento subiu este ano para a elite italiana. Marcou seis gols e tomou 33.

Sugismundo Freud. Meia verdade é sempre uma mentira inteira.

Faxina. Por ótimos serviços não prestados na disputa da Série B, nada menos que… 23 jogadores foram convidados a visitar o RH do Goiás. A vassourada inclui o goleiro Renan (campeão da Libertadores pelo Saci colorado em 2010), os volantes Toró e Willians, o meia Andrezinho e o atacante Gustavo, o Gustagol, ex-Corinthians.

Caiu na rede. Primeiramente, boa noite; em segundo lugar, Inter.

Piscina vazia. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos recebeu singelo recado da Fina (Federação Internacional de Natação): se não convocar rapidamente novas eleições, poderá sofrer até desfiliação. A entidade considera irregular a eleição de Miguel Cagnoni, ex-chefão da Federação Aquática Paulista. Tchibum!

Dona Fifi. Ao derrotar o Fluminense por 2 a 1 na abertura da 37ª rodada, o Sport quebrou um tabu de duas décadas no Brasileirão. A última vitória havia sido em 1997: 3 a 0, nas Laranjeiras.

‘Pulga’ valiosa. O hermano Messi, 30 anos, renovou contrato com o Barcelona até 2021. A multa rescisória é canja de galinha: apenas 700 milhões de euros (R$ 2,7 bilhões). Supera com incrível dificuldade a de Neymar: o PSG pagou 222 milhões euros ao time catalão.

Gilete press. Do colunista Leo Dias, em ‘O Dia’: “Juninho Pernambucano não comenta mais jogos do Flamengo este ano. A censura partiu da diretoria do clube carioca, que pediu para a TV Globo colocar o comentarista na geladeira, por discordar de sua postura no último Fla x Flu. Juninho criticou o goleiro rubro-negro, afirmando que estava fazendo cera, mas não reclamou do antijogo dos atletas do Fluminense quando o placar estava a favor dos tricolores. Não é a primeira vez que os atuais dirigentes flamenguistas censuram profissionais de comunicação. Em setembro, proibiram um jornalista de O Globo e do Extra de fazer perguntas ao técnico Reinaldo Rueda.” Lamentável.

Zapping. Plim-plim venceu a corrida com TVs fechadas e comprou os direitos do Mundial da mamãe Fifa. Agora, reza para o Grêmio chegar a Dubai. E, se o Cristo Redentor ajudar, disputar o caneco com o Real Madrid.

Tititi d’Aline. Um dos Irmãos Metralha mais envolvidos no escândalo de corrupção do ‘Fifagate’, o jornalista e empresário J.Hawilla está desesperado à procura de comprador para sua emissora, a TV Tem, afiliada da plim-plim. Hawilla é carne, unha e bolso de Ricardo Teixeira.

Você sabia que… o Botafogo perdeu por 1 a 0 na única partida contra o Palmeiras na mansão Allianz Parque?

Bola de ouro. América/MG. Faturou o caneco da Série B ao bater o CRB por 1 a 0, gol do zagueiro Rafael Lima. O Coelho fechou o campeonato com 73 pontos (20 vitórias, 13 empates e cinco derrotas, 46 gols a favor e 25 contra). Mesmo com um orçamento bem inferior, o time deixou o Saci colorado na poeira (segundo, com 71 pontos). Também subiram Ceará e Paraná.

Bola de latão. Saci colorado. Torcida festeja com lágrimas de crocodilo o retorno à elite do Brasileirão. É o terceiro time grande que volta sem faturar o caneco. Agora, faz companhia ao Botafogo (vice em 2003) e Vasco (terceiro em 2016).

Bola de lixo. Corinthians. Tudo bem: amigos, amigos… negócios à parte. Que a cartolagem colocasse ponto final na novela envolvendo a contratação em definitivo do zagueiro Pablo, é um direito. Não houve acordo financeiro, e segue a vida. Cada um para o seu lado. Mas o Corinthians errou feio ao proibir o jogador de participar da festa da entrega da taça no Itaquerão, minha casa minha vida. Pablo merecia mais respeito pela entrega na luta pelo hepta brasileiro. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é uma coisa bem diferente.

Bola sete. “A pior coisa que tem para um goleiro é terminar a temporada sabendo que vai chegar outro. O São Paulo não precisaria contratar Jean. Tem bons jogadores para a posição. Por mim, jogaria o Renan. O próximo ano será mais uma vez terrível para os goleiros do clube. Continuarão sob a desconfiança de todos, porque o São Paulo insiste em ter um novo Rogério Ceni” (do ‘professor’ Emerson Leão – no alvo).

Dúvida pertinente. Felipe Massa: missão cumprida na Fórmula 1?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

No sufoco e com Muralha, Flamengo vence de virada e só precisa de um empate para ir à final

Com um golaço, Vizeu garantiu a vitória do Flamengo

Haja coração: Flamengo perde Diego Alves no início da partida, toma gol em seguida, joga bolinha de gude, mas consegue virar a partida contra o Junior Barranquilla: 2 a 1, no ‘new Maraca’ (33.854 pagantes/R$ 2.049.522,50). Juan e Vizeu, com um golaço, garantiram a festa rubro-negra. O time colombiano saiu na frente com Teo Gutierrez.

Com o triunfo, o Flamengo depende apenas de um empate no segundo jogo para chegar à final da Copa Sul-americana. A partida decisiva será na próxima quinta, no estádio Metropolitano, em Barranquilla, na Colômbia.

O mau futebol do Flamengo deixou o ‘professor’ Reinaldo Rueda tão atordoado que, de acordo com o repórter Eric Faria, da plim-plim, mandou o garoto Lincoln se aquecer, mas já havia feito as três modificações permitidas pela lei da bola. O próprio atacante avisou ao treinador que não poderia entrar.

A bola precisou rolar por apenas 17 minutos para a torcida do Flamengo trocar a euforia pelo desespero nas arquibancadas: Diego Alves sofreu uma lesão em dividida com um adversário e teve de ser substituído por Muralha. Após a entrada do goleiro, mais precisamente 54 segundos, Gonzalez desceu pela esquerda, cruzou rasteiro, Muralha não cortou e Teo Gutierrez conferiu.

Pouco depois, Everton Ribeiro centrou na cabeça de Vizeu, que perdeu a chance do empate. Sem criatividade no meio de campo, com Diego muito burocrático e Arão perdido, o Flamengo partiu para inúteis jogadas aéreas. O mais correto seria explorar as laterais, já que o Junior Barranquilla estava bem plantado na defesa.

Em vantagem, o time colombiano procurou atrair o Flamengo e explorar os contra-ataques, principalmente com lançamentos para Chará às costas do irregular Trauco. Descontente com a exibição da equipe, a torcida do Urubu vaiou muito ao final do primeiro tempo e exigiu mais raça.

Apesar dos protestos da galera, o ‘professor’ Reinaldo Rueda não mudou a equipe para o segundo tempo. O Junior Barranquilla também não alterou a maneira de jogar, procurando sempre as jogadas pelas pontas. Aos 8, o elétrico Vinicius Junior entrou no lugar de Mancuello. A torcida vibrou. O Flamengo ganhou mais objetividade com o moleque de 17 anos.

Aos 22, nova alteração no time carioca: saiu Everton Ribeiro, inexplicavelmente plantado na direita desde o início da partida, e pintou Paquetá. O Flamengo partiu para a pressão. Depois de Réver obrigar o goleiro Viera a fazer ótima defesa, explosão no ‘new Maraca’: aos 31, após cobrança de escanteio, o ‘vovô’ Juan cabeceou para o fundo da rede.

A equipe colombiana decidiu, então, sair um pouco da defesa e criou duas boas chances depois tomar o empate. O jogo ficou mais aberto. Aos 37, a virada rubro-negra: Arão tocou de cabeça para Vizeu, que acertou um chutaço no ângulo. Vitória garantida. E uma certeza: se não tem sofrimento, não é Flamengo. Haja coração no segundo embate, em Barranquilla.

                                               ############

Pitaco do Chucky. PMDB – Presídio Municipal De Benfica. Nova sede do governo do Rio, com direito a BBB (Big Brother Benfica) e debate entre Cabral e Garotinho em cadeia nacional.

Café amargo. O atacante Fernandinho, do Grêmio, é um dos alvos do Corinthians para a próxima temporada. Há, porém, um probleminha: o jogador ganha R$ 450 mil por mês, mais um reforço de luvas. O heptacampeão brasileiro considera um café no bule muito amargo. O contrato do atleta com o imortal termina em 31 de dezembro. Mesmo se o time gaúcho sagrar-se campeão da Libertadores, Fernandinho deve deixar o clube. O atleta e a torcida não se bicam.

Zé Corneta. Menino mimado + uruguaio marrento = show no PSG.

Zapping. O primeiro tiroteio do mata-mata entre Grêmio e Lanús, pelo título da Libertadores, rendeu 25 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia dominada pelos piratas do asfalto. Há uma semana, a partida entre Corinthians e Fluminense, que deu o heptacampeonato brasileiro ao time paulista, cravou 42 pontos, repetindo a média mais alta da bola nesta temporada. Na Band, o confronto Juventus x Barcelona, pela Champions, obteve sete. Cada ponto em SP significa 70,5 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. A natureza dá a vida, mas só a vida ensina a viver.

Estupro. Um tribunal de Milão condenou Robinho, ex-Milan e hoje no Galo, a nove anos de prisão por ‘violência sexual em grupo’ contra uma albanesa de 22 anos. O ataque teria acontecido em conjunto com mais cinco homens numa boate da cidade italiana, em 22 de janeiro de 2013, quando o brasileiro defendia o Milan. Cabe recurso. A advogada de Robinho, Marisa Alija, informou que o atleta não tem qualquer participação no episódio: “Todas as providências legais já estão sendo tomadas.” Em 2009, Robinho também foi acusado de estupro numa casa noturna na cidade de Leeds, na Inglaterra, quando atuava pelo Manchester City. Após investigação policial, ficou constatado que a jovem havia mentido.

Patolino na geral. Grêmio usa drones, e o Lanús, ladrones.

Freguês carioca. O voo do Urubu na ponte aérea Rio/SP é um prato de primeira para os paulistas. O Flamengo não saboreia um triunfo em São Paulo desde 2 de outubro de 2011, quando bateu o soberano Tricolor por 2 a 1. O Rubro-negro acumula apenas 17 confrontos sem vencer na capital paulista. A última estilingada: Palmeiras, 2 a 0, na mansão Allianz Parque. Nesta temporada, também levou bala do São Paulo e Peixe (jogou no Pacaembu) e empatou com o Corinthians. Que é o maior carrasco dos cariocas, com direito a duas coças por 4 a 0 (em 2013/16).

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). De olho no jogo de volta, Grêmio usará drone para espionar treino da arbitragem.

Que dureza! A ordem no soberano São Paulo é para apertar o cinto em 2018. Todos os departamentos do clube terão de cortar custos e enxugar a folha de pagamento. Até o cafezinho nosso de cada dia pode evaporar. Apesar de ter faturado horrores com a venda de atletas, o Tricolor fechará a temporada deste ano no vermelho. Empréstimos e juros devoraram o dindim do clube.

Gilete press. De Douglas Ceconello, do ‘Globo.com’: “Depois da desgraça absoluta, a completa ausência de graça. Assim se deu a volta do Inter à elite do futebol brasileiro e a própria passagem do clube pela Segunda Divisão, após um ano que deveria ser sabático e se mostrou apenas melancólico. O legado que 2017 deixa para o Inter é nulo em termos de desempenho e reformulação. Como um limbo. Como uma temporada em estado de coma.” No fígado do Saci.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Neymar, Thiago Silva, Marquinhos e Daniel Alves comemoraram os 7 a 1 no Celtic, da Escócia, em um dos salões do Parque dos Príncipes, local da partida. O pagode ficou por conta do cantor Dilsinho. A festa foi organizada por Thiago Silva, que também soltou a voz ao lado de Neymar. A dupla cantou ‘Refém’, sucesso de Dilsinho.

Você sabia que… o Lille suspendeu provisoriamente o ‘professor’ Marcelo Bielsa por causa da má campanha do time na temporada (três vitórias, quatro empates e sete derrotas), penúltimo colocado no Campeonato Francês?

Bola de ouro. Neymar. Voltou a estraçalhar na goleada do Paris Saint-Germain sobre o Celtic por 7 a 1. Marcou dois, deu assistência e desfilou um repertório de dribles fantásticos. Um show à parte, para desespero da turma do contra. Ao carimbar duas vezes o Celtic, Neymar chegou a 27 tentos e se igualou a Rivaldo como o segundo maior artilheiro brasileiro na Liga dos Campeões. Kaká lidera com 30. Em cinco jogos pela Champions, o PSG de Neymar & Cia. assinalou 24 gols (média de 4,8 por jogo), recorde na fase de grupos do torneio, superando a marca de 21 obtida pelo Borussia Dortmund, em 2016/17.

Bola de latão. Galvão Bueno. Tudo bem, o assoprador de latinha chileno Julio Bascuñan cometeu vários erros, mas o narrador da plim-plim exagerou no chilique ao vestir a camisa gremista no final da partida contra o Lanús.

Bola de lixo. Palmeiras. Apesar de o ‘professor’ Roger Machado só começar a trabalhar em janeiro, conselheiros e torcedores já detonam a contratação do substituto de mestre Cuca. Afirmam que será um novo Eduardo Baptista, treinador que teve vida curta no ninho dos periquitos em revista. Ou seja, o maior adversário do Palestra ainda é ele mesmo.

Bola sete. “Po…, vocês estão chatos demais” (de Neymar, ao ser indagado sobre a possibilidade de trocar o PSG pelo Real Madrid – perguntar não ofende).

Dúvida pertinente. Lanús, um São Caetano com grife?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Grêmio, a um empate da volta olímpica na Libertadores: ‘Soy loco por tri, América’

O ex-são-paulino Cícero entrou no segundo tempo e garantiu a vitória gremista

O imortal Grêmio ficou muito perto da conquista da América pela terceira vez. Com um gol de Cícero, que saiu do banco no segundo tempo, a equipe gaúcha derrotou o Lanús por 1 a 0, na Arena gremista (51.256 pagantes/R$ 6.526.427), e agora depende apenas de um empate para dar volta olímpica.

Como não existe o gol qualificado na decisão, vitória dos argentinos por diferença mínima levará o duelo para os pênaltis. O segundo jogo será na próxima quarta, em Buenos Aires. No último lance do jogo, o centroavante Jael sofreu pênalti e sua senhoria, o assoprador de latinha chileno Julio Bascuñán, nada marcou.

O Grêmio procurou pressionar o Lanús desde o início da partida. Adiantou a marcação e chegou a ter mais posse de bola, porém se mostrou inoperante para furar o forte bloqueio dos argentinos. Muito bem armado pelo ‘professor’ Jorge Almirón, o Lanús foi se soltando, equilibrou as ações aos 30 minutos e fechou o primeiro tempo com as melhores chances para abrir o placar.

Só não conseguiu fazer a festa porque o goleiro Marcelo Grohe fez duas grandes defesas. Aos 33, após boa jogada de Silva pela direita, Martinez bateu forte e Grohe espalmou. Sete minutos depois, Braggieri cabeceou na grande área e Grohe evitou o pior. Na sequência, o gremista Kannemann recebeu cartão amarelo e cumprirá suspensão na segunda partida contra os hermanos.

O Grêmio voltou mais objetivo e agressivo no segundo tempo, enquanto o Lanús se acomodou no ‘oxo’, acreditando que seria possível garantir o empate. Aos 12, o ‘professor’ Renato Gaúcho sacou Fernandinho e colocou Everton. O Grêmio aumentou a blitz sobre a equipe argentina, que não conseguiu sair da defesa, incomodar Grohe como na etapa inicial.

Aos 27, Cícero entrou no lugar de Jailson. O imortal ficou ainda mais ofensivo. Aos 29, terceira troca no time gaúcho: Jael substituiu Barrios. Aos 37, finalmente o merecido grito de gol dos gaúchos, pelo desempenho apresentado na segunda fase: depois de um balão para a área, a defesa do Lanús vacilou, o ex-são-paulino Cícero apareceu na cara do goleiro Andrada e tocou para a rede.

Vitória garantida. E merecida. Aos trancos e barranco, pouco importa. Basta um empate no segundo jogo para o Grêmio dar a volta olímpica. ‘Soy loco por tri, América’.

                                                      ############

Roger, novo periquito. Reviravolta no Palmeiras: Roger Machado é o novo ‘professor’. Ele substituirá o interino Alberto Valentim, que chegou a sonhar com a efetivação no cargo. Roger assinará contrato por um ano. No início da semana, o Palestra colocou Abel Braga, do Fluminense, na alça de mira. Mas decidiu ir atrás de Roger porque Abelão não topou deixar o clube carioca antes de conversar com os cartolas, além de ser alvo também do Saci colorado.

Pitaco do Chucky. O ‘professor’ Renato Gaúcho confirmou a utilização de drones para espionar os adversários. E fuzilou: ‘O mundo é dos espertos’. Só faltou sapecar: ‘Malandro é malandro e mané é mané’.

Cheque especial. O Fluminense continua pagando para jogar. No duelo com a Ponte, no ‘new Maraca, 17.606 torcedores proporcionaram a renda de R$ 247.960, grana insuficiente para cobrir as despesas, que chegaram a R$ 481.724,09. Noves fora, mais um rombo de R$ 233.764 para a coleção. Apenas o aluguel do estádio e as despesas operacionais devoraram R$ 292.343. A federação carioca tungou R$ 12.398. Na ‘Ilha do Urubu’, o Flamengo também ficou no vermelho. Faturou R$ 294.198 (13.491 espectadores) e os descontos atingiram R$ 394.143. Prejuízo de R$ 99.945. Somente o custo da operação do jogo chegou a R$ 199.289. A samaritana Ferj papou R$ 13.918.

Zé Corneta. Departamento Jurídico do Fluminense em férias: time se livrou do rebaixamento em campo.

Dança dos cartões. O heptacampeão Corinthians lidera o ranking dos times mais disciplinados do Brasileirão com cara de Brasileirinho. A equipe tomou apenas um cartão vermelho em 36 rodadas. O volante Gabriel foi expulso contra o Bahêa. A Ponte carrega a lanterna, com oito. Já o soberano São Paulo é o time que levou menos amarelos, com 65; o Coxa está na ponta, com 101.

Sugismundo Freud. O sábio brilha porque não se exibe.

Soberano na lanterna. De papa-taças até o início da última década, o soberano São Paulo agora carrega orgulhosamente a lanterna entre os grandes paulistas que mais soltaram o grito de campeão. A partir de 2011, o Tricolor mergulhou numa seca de fazer inveja à caatinga. Só ganhou a Copa Sul-americana, em um duelo mequetrefe contra o Tigre – só teve 45 minutos de jogo. O Corinthians aparece na contramão do coirmão do Morumbi. A Fiel vibrou com oito canecos desde 2011. Nenhuma equipe brasileira colocou tantas faixas no peito: Mundial da mamãe Fifa, Libertadores (invicto), Recopa Sul-americana, dois Paulistinhas e três Brasileiros. O Peixe faturou seis troféus (Libertadores, Recopa e quatro Paulistinhas), e o Palmeiras, quatro (duas Copas do Brasil, um Brasileirão e a cobiçada Série B de 2013).

Caiu na rede. Há que se reconhecer: no domingo, o Flamengo sentiu para valer o cheirinho de hepta na ‘Ilha do Urubu’.

Fenômeno. Nascido em Camarões, o moleque Youssoufa Moukoko é a grande sensação do Campeonato Alemão sub-17. Com apenas 13 anos, completados nesta semana, ele marcou 23 gols em 12 jogos com a camisa do Borussia Dortmund, líder do torneio – 12 vitórias e um empate, 51 gols pró e 11 contra. Seu pai Joseph, que é alemão, revelou que a mãe do menino, Marie, tem apenas 28 anos. Moukoko já defendeu a seleção alemã sub-16. Assinalou dois tentos na estreia.

Gilete press. De Fernanda Pontes, no ‘Globo’: “Chegou a ser comovente. A Igreja Santa Rosa de Lima, na Barra, estava lotada na missa das 10h30 de domingo — mas havia um clarão ao lado de um senhor barrigudinho. Era o presidente do Vasco, Eurico Miranda. Segundo um dos fiéis, ninguém queria ficar ao seu lado provavelmente para não ter que cumprimentá-lo na hora da Paz de Cristo (quando o padre pede para os presentes darem um abraço na pessoa ao lado).” Xô, capitão gancho!

Rosamundo, o pensador. Eu amo o próximo, porque amar o atual está difícil.

Tititi d’Aline. Mandachuva e raios do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello está mesmo decidido a brigar nas eleições de 2018. O cartola sonha com o trono de governador do Rio pelo partido Rede, da amiga Marina Silva. Se não for possível, topa sair candidato ao Senado. E, em último caso, a deputado.

Você sabia que… o soberano São Paulo terá de vender o centroavante Lucas Pratto se aparecer uma proposta de 11 milhões de euros a partir de janeiro?

‘Bola de ouro’. Flamengo. O clube lidera o ranking de reclamações do site ‘Reclame Aqui’. Até 31 de outubro, a torcida registrou 122 queixas contra o Urubu. Em segundo aparece a Chapecoense, com 37. Os times do Brasileirão acumularam 318 broncas. Apenas Raposa, Grêmio, Avaí, Ponte e Vitória passaram em branco.

Bola de latão. Jemerson. O zagueiro brasileiro, do Monaco e da amarelinha desbotada, foi apontado pela ‘France Football’ como ‘símbolo do naufrágio’ do time francês na eliminação da Champions. Marcou um gol contra e contribuiu em outro na derrota de 4 a 1 do Monaco para o Red Bull Leipzig. ‘Em três minutos, Jemerson acabou com os sonhos de seu time. A noite foi um pesadelo para ele’, disse a revista.

Bola de lixo. CBV. A supimpa confederação de vôlei deve mais de US$ 1,5 milhão em prêmios às seleções feminina e masculina. Até agora, não pagou a premiação do Grand Prix, Liga Mundial e Copa do Mundo.

Bola sete. “Pelo insucesso na Libertadores e irregularidade no Brasileiro, vencer a Sul-americana é vital” (do ‘professor’ Reinaldo Rueda, sobre o torneio continental – o Flamengo encara o Junior Barranquilla, nesta quinta, pelas quartas de final).

Dúvida pertinente. O Grêmio já pode fazer as faixas de tricampeão da Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br