Corinthians engata terceira vitória seguida, mantém freguesia tricolor e salta para terceiro na tabela

(Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)
Fagner, um dos melhores em campo, tenta marcar um gol de placa

A festa foi completa para a Fiel. A saber: Corinthians conquistou o terceiro triunfo consecutivo (dois pelo Brasileirão e um pela Sul-americana), manteve o tabu contra o soberano São Paulo e pulou para o terceiro lugar no campeonato após seis rodadas, com 11 pontos, cinco atrás do líder Palmeiras. Subiu cinco posições.

O Tricolor não vence há três jogos. Sofreu a primeira derrota no Brasileirão e caiu para a quarta posição, com 11 pontos. Perde do Corinthians no número de gols marcados, 7 a 6.

A vitória por 1 a 0, gol de Pedrinho logo no início da partida, decretou a nona coça do coirmão no Itaquerão, minha casa minha vida (39.378 pagantes/R$ 1.916.228,30), em 12 confrontos. Houve três empates.

O resultado também contribuiu para o ‘professor’ Fabio Carille aumentar sua eficiência nos clássicos. Em quatro embates contra mestre Cuca, ganhou três e empatou um.

Carille ainda coleciona 17 vitórias em 27 duelos diante de São Paulo, Peixe e Palmeiras. Apenas contra o Tricolor, são sete triunfos, quatro empates e uma derrota nas semifinais do Paulistinha/18.

Já o atacante Pato teve uma atuação apagada no reencontro com o ex-clube. Vaiado várias vezes pela Fiel, pouco fez. Começou mais centralizado e foi engolido pela marcação corintiana. No segundo tempo, aberto pela esquerda, nada conseguiu diante de Fagner, um dos melhores em campo. Quén, quén, quén…

Corinthians e Tricolor disputaram um primeiro tempo bem fraquinho, tipo leite C. Raríssimas emoções. Uma delas aconteceu logo aos seis minutos de jogo. O time corintiano atacou pela direita e Pedrinho arriscou de fora da área. A bola desviou em Arboleda e enganou o goleiro Tiago Volpi.

Os são-paulinos sentiram o golpe, mas o Corinthians não soube aproveitar para nocautear o coirmão. Que insistiu demais em centralizar as jogadas e facilitou o trabalho dos zagueiros Manoel (becão de fazenda) e Henrique.

Mais preocupado em tentar surpreender o Tricolor nos contragolpes, o Corinthians recuou, ‘entregou’ a bola ao adversário e ficou à espera de estocada mortal. Sem sucesso. No melhor lance, Júnior Urso, destaque no meio de campo, chutou de fora da área e Volpi pegou.

Cássio trabalhou apenas uma vez. Reinaldo bateu falta, o goleiro rebateu e Arboleda conclui a gol. Estava impedido.

No segundo tempo, mestre Cuca mexeu três vezes na tentativa de chegar ao empate. Sacou Everton, Vitor Bueno e Igor Vinicius, e colocou Hernanes, Helinho e Igor Gomes, respectivamente. O São Paulo continuou apático. Limitou-se a tocar a bola sem objetividade.

Muito mais ligado, o Corinthians não perdeu o domínio da partida. Carille também trocou três: Pedrinho por Mateus Vital, Clayson por Ramiro e Vagner Love por Gustagol. Que perdeu uma chance incrível na bacia das almas diante de Volpi.

Apesar de ter menos posse de bola (43% x 57%), o Corinthians mereceu a vitória. Foi mais agudo (chutou 14 vezes, contra 8 do Tricolor) e, principalmente, brigou pela bola com muito mais apetite.

Guerrero recebe a marcação de Lucas Veríssimo
Guerrero leva o Saci colorado ao ataque

À tarde, no aquário da Vila Belmiro (12.756 torcedores/R$ 479.440), Peixe e Saci ficaram no ‘oxo’. Estando bom para ambas as partes, o líder Palmeiras agradece. Com 16 pontos, abriu cinco de vantagem para o Santos e seis à frente dos gaúchos. O time gaúcho foi superior na etapa inicial, porém sem criar boas chances. A equipe paulista equilibrou na fase final, mas também sem oferecer muito perigo ao Inter.

As maiores emoções ao longo da partida ficaram por conta do VAR. No primeiro tempo, entrou em campo e anulou um gol dos gaúchos, marcado por Parede, após impedimento de Guerrero.

No final do segundo, o VAR abortou um pênalti no garoto Rodrygo, o destaque do time paulista. Após três minutos, sua senhoria, o assoprador de latinha paranaense Rodolpho Toski, voltou atrás em sua decisão. Durante a partida, Toski distribuiu 10 cartões amarelos aos atletas. Advertiu ainda os treinadores.

O Santos de Jorge Sampaoli completou três confrontos consecutivos sem vencer. Pior: fechou 270 minutos e alguns quebrados sem balançar a rede – também passou em branco contra o Furacão, pela Copa do Brasil, e na goleada do Palmeiras por 4 a 0, pelo Brasileirão.

Já o Saci de Odair Hellmann continua sem ganhar fora de casa. Com 100% no Beira-Rio, perdeu no campo do inimigo para a Chape (2 a 0) e Palmeiras (1 a 0), e agora ficou no 0 a 0 com os santistas.

Na história do Brasileirão, o Peixe goleia: 11 triunfos contra três derrotas. Aconteceram cinco empates.

Recém-contratado pelo Santos por R$ 5 milhões, o atacante Marinho assistiu ao jogo em um dos camarotes da Vila Belmiro. Ex-Grêmio, ele assinou acordo de três anos e meio com o Peixe, que liberou o zagueiro David Braz aos gaúchos.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Políticos brigam pelo poder… e o povo pela sobrevivência.

Acorda, Tite! A cada jogo que passa, o baixinho Dudu prova por a+b+o diabo a quatro que o ‘professor’ Tite comete uma imperdoável injustiça ao ignorá-lo na amarelinha desbotada. O atacante é, hoje, o melhor jogador do país. Dudu acumula nada menos que 58 gols e 65 assistências em 253 jogos com a camisa do Palestra. Só neste ano, já marcou três e atacou nove vezes de garçom em 25 duelos. Ou seja, participou de 12 dos 45 tentos do Palmeiras em 2019. Números mais que suficientes para merecer uma boquinha no escrete.

Zé Corneta. UFC aposta todas as fichas, e muito mais, em Jéssica ‘Bate-Estaca’ para recuperar o prestígio no Brasil. A porradaria está em crise.

Roda da fortuna. O ‘menino’ Neymar é o único brasileiro na seleção dos jogadores mais valiosos do planeta. O site ‘Transfermarkt’, especializado em transferências internacionais, avaliou Neymar em 180 milhões de euros (R$ 800 milhões), superado apenas por Mbappé, o mais caro do mundo, com 200 milhões de euros (R$ 885 milhões). A seleção (em euros):

Jan Oblak (ESL, Atlético de Madrid) – 80 milhões
Dani Carvajal (ESP, Real Madrid) – 60 milhões
Virgil van Dijk (HOL, Liverpool) – 75 milhões
Raphaël Varane (FRA, Real Madrid) – 80 milhões
Jordi Alba (ESP, Barcelona) – 70 milhões
Saúl Ñíguez (ESP, Atlético de Madrid) – 90 milhões
N’Golo Kanté (FRA, Chelsea) – 100 milhões
Lionel Messi (ARG, Barcelona) – 160 milhões
Kevin de Bruyne (BEL, Manchester City) – 150 milhões
Neymar (BRA, Paris Saint-Germain) – 180 milhões
Kylian Mbappé (FRA, Paris Saint-Germain) – 200 milhões

Sugismundo Freud. Quanto menor é o ego maior é o homem.

‘Extorsão’. Torcedores de Liverpool e Tottenham, finalistas da Champions, estão em pé de guerra contra a cartolagem da Uefa e dos clubes. Segundo eles, a alegria pela classificação à decisão foi substituída pela “extorsão”. O preço da passagem Londres-Madri-Londres aumentou 850% e superou os R$ 8 mil. A diária dos hotéis espanhóis gira em torno de R$ 4.800. E o preço do ingresso, R$ 2.600. O duelo será no estádio do Atlético de Madrid, com capacidade para 63.500 torcedores, em 1º de junho. Mas cada clube só receberá 17 mil bilhetes. O restante será distribuído a convidados.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Após chineses pedirem Goulart de volta, palmeirenses torcem para que o antigo time de Carlos Eduardo faça o mesmo.

Coelho no espeto. Terceira força mineira, o América é só alegria: carrega a lanterna da série B, com apenas um ponto em 15 possíveis. A última paulada: Brasil de Pelotas, 2 a 1, de virada.

Salvação chinesa. Depois de mandar o italiano Marcelo Lippi dançar a tarantela no RH em janeiro, a federação chinesa mandou um SOS ao ‘professor’: precisa arrumar uma boquinha para a seleção na Copa do Catar, em 2022. Lippi, 71 anos, foi convidado a se retirar após a equipe fracassar na Copa da Ásia. Ruim com ele, pior sem ele.

Resultado de imagem para fotos philippe coutinho

Gilete press. Do jornal espanhol As, sobre o futuro do brasileiro Philippe Coutinho (foto) no Barcelona, após a derrota na final da Copa do Rei para o Valencia: “Não pode seguir vestindo a camisa do Barcelona nem por um minuto a mais. Sua preguiça e falta de intensidade são tantas que não importa mais se tenta um chute ou um calcanhar. Sua carreira no Barcelona terminou, goste ele ou não. O crédito já acabou e está claramente em dívida.” O Marca também detonou Coutinho: “O Barça tem uma batata muito quente nas mãos: recuperar o máximo possível do que pagou e ainda achar uma equipe que lhe pague o salário de 13,5 milhões de euros.” Tchau, querido!

Zapping. A ESPN ficará na saudade: não fechou acordo com a Record para transmitir o Pan de Lima.

Tititi d’Aline. As finais da Taça das Favelas serão realizadas em 1º de junho, no Pacaembu. O torneio mobilizou mais de 40 mil jovens, segundo os organizadores. Complexo Casa Verde e Paraisópolis disputarão o título feminino, às 12 horas. Favela do 1010 e Parque Santo Antônio decidirão o caneco masculino, às 14 horas.

Você sabia que… Mbappé, 20 anos, fechou a temporada com 33 gols e se tornou o primeiro jogador francês a ser o artilheiro do campeonato nacional desde 1966?

Bola de ouro. Toronto Raptors. Varreu o Milwaukee Bucks na final da Conferência Leste. O time canadense fechou a série em 4 a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0, e decidirá o caneco da NBA contra o bicampeão Golden State Warriors. Pela primeira vez, uma equipe de fora dos Estados Unidos disputará o título. A briga pela taça do melhor basquete do planeta começou em 1947.

Bola de latão. Caio Ribeiro. O ex-jogador e comentarista da plim plim esculhambou Deyverson antes de o VAR apontar pênalti no palmeirense. Classificou o atacante de ‘cara de pau’ por simular a falta. A torcida do Palestra detonou o tricolor Caio nas redes sociais.

Bola de lixo. Roni. O ex-atacante de Fluminense, Flamengo, São Paulo e Peixe foi preso em Brasília antes da partida entre Botafogo e Palmeiras, no estádio Mané Garrincha. Daniel Vasconcelos, presidente da federação do Distrito Federal, também foi detido. Dono da empresa Roni7, que comprou o mando do jogo, o ex-jogador e o cartola são suspeitos de fraudar borderôs de jogos realizados no DF. A polícia investiga entre 15 e 20 jogos organizados pela Roni7.

Bola sete. “Estava lutando com o espírito de Niki. Sei que ele está olhando para baixo e tirando o chapéu. Tentei fazê-lo orgulhoso” (do inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, após vencer o GP de Mônaco – um show de pilotagem).

Dúvida pertinente. Os Trapalhões estão no comando do Flamengo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br 

Anúncios

Um comentário sobre “Corinthians engata terceira vitória seguida, mantém freguesia tricolor e salta para terceiro na tabela”

  1. O VAR anda uma gracinha (obrigado, Hebe!). Vi o lance do Deyverson e o do Rodrygo. O último foi muito mais caracterizado. Um verdadeiro atropelamento. Já no primeiro, fico com Caio.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s