Palmeiras mantém freguesia e passa fácil pelo soberano Tricolor, com direito a ‘olé’

Felipe Melo comemora o segundo gol do Palmeiras
Felipe Melo festeja o segundo gol

A maldição continua. Pela nona vez, o soberano Tricolor visitou a mansão Allianz Parque e foi embora sem festejar um triunfo. Na melhor apresentação da equipe desde que o ‘fratello’ Menezes assumiu o comando no lugar do ‘sargento’ Felipão, o Palmeiras venceu o Choque-Rei por 3 a 0, com direito a ‘olé’ da torcida (29.481 pagantes/R$ 1.731.916,80).

Agora, os periquitos em revista colecionam oito vitórias e um empate contra o coirmão. O time marcou 24 gols e sofreu apenas três como mandante. O retrospecto geral recente aponta seis triunfos do Palestra e três empates. A última vitória do Tricolor foi em maio de 2017.

A nove rodadas do pontapé final do Brasileirão, o Palmeiras diminuiu para sete pontos a vantagem do líder Flamengo. Soma 60 contra 67 do time carioca, que vai encarar o Goiás nesta rodada. No sábado, o Palestra receberá o Ceará. O Tricolor permanece com 49 pontos. No fim de semana, visitará a Chapecoense.

Mais ligado que mosca em tampa de xarope, o Palmeiras tomou conta do clássico no primeiro tempo. Explorou muito bem as avançadas pelas laterais e os erros da dupla Bruno Alves e Arboleda, com Dudu infernizando os säo-paulinos.

Aos 11 minutos, a superioridade do Palestra chegou ao placar. Arboleta vacilou numa disputa com Dudu e Deyverson, que arrematou e Volpi deu rebote. Bruno Henrique apareceu livre na área e concluiu de cabeça.

Apesar de ter mais posse de bola (58% a 42%), o São Paulo praticamente inexistiu ofensivamente. O momento mais perigoso aconteceu num chute de Vitor Bueno para fora, aos 28. O goleiro Weverton foi um espectador privilegiado.

Sempre mais objetivo, o Palmeiras quase aumentou aos 40. Dudu chutou e Volpi espalmou. Na sequência, após cobrança de escanteio, Felipe Melo subiu mais que Arboleda e encaçapou Volpi. Na bacia das almas, Dudu carimbou a trave. Balanço dos números da etapa inicial: finalizações – Palmeiras 12 x 3 São Paulo; chances reais de gol – 8 x 2; passes errados – 3 x 12; roubadas de bola – 8 a 8.

O Tricolor voltou do vestiário com o lateral Igor Vinicius no lugar de Luan. O ‘professor’ Fernando Diniz colocou Tchê Tchê de volante e Daniel Alves como meia. O Tricolor ameaçou pressionar, mas os periquitos em revista logo destruíram o adversário.

Em brilhante contra-ataque puxado por Zé Rafael, aos 11, Gustavo Scarpa ficou cara a cara com Volpi e nocauteou o coirmão. Cinco minutos depois, o inútil Pato saiu e entrou Raniel. Aos 21, o ‘fratello’ Menezes trocou Marcos Rocha por Jean e Felipe Melo (aplaudidíssimo) por Thiago Santos.

Com uma cômoda vantagem no marcador, o Palmeiras diminuiu o ritmo. Willian Bigode substituiu Zé Rafael. No Tricolor, Vitor Bueno (o mais eficiente do ataque) por Hernanes. O Palestra cozinhou o São Paulo em banho-maria até o final. Aos 44, o grande momento do Tricolor em 90 minutos: Reinaldo cruzou e Raniel, de cabeça, acertou a trave.

O aproveitamento do São Paulo em clássicos desde 2015 é inferior a 29,5%. Os números: 57 jogos, 12 vitórias, 15 empates e 31 derrotas. A equipe brigava pela terceira vitória em clássicos, já que havia vencido o Peixe (3 a 2, com mestre Cuca) e Corinthians (1 a 0, com Diniz), ambos no Morumbi. Desde 2014, o Tricolor não supera os três principais rivais na mesma temporada.

Image result for fotos CSA 2 x 1 corinthians"
Pedrinho, um dos poucos que se salvaram contra o CSA

Em mais um show de horrores, o Corinthians de Carille perdeu para o CSA por 2 a 1, no estádio Rei Pelé, em Maceió, e completou sete jogos sem vitória – quatro empates e três derrotas. De quebra, caiu para o sétimo lugar, com 45 pontos, e está fora até da pré-Libertadores. A pressão sobre o estrategista Fabio Carille é das maiores. O time alagoano segue na zona de rebaixamento, mas subiu para a 17ª colocação, com 29 pontos.

Mais uma vez, as apostas do ‘professor’ corintiano decepcionaram. O meio-campista Sornoza entregou o ouro no primeiro gol do CSA, marcado por Apodi, aos 24 da etapa inicial. Sornoza saiu jogando errado, João Vitor passou para Jonatan Gómez, que de primeira serviu Apodi. O lateral tocou na saída de Cássio.

No gol da vitória do CSA, assinalado por Ricardo Bueno, aos 34 da segunda fase, o zagueiro Manoel ficou apenas olhando o atacante cabecear. É inexplicável a insistência de Carille com Sornoza e Manoel, além da permanência de Danilo Avelar na lateral esquerda e Clayson na ponta.

Pedrinho, autor do tento corintiano, aos 44 do primeiro tempo, foi um dos poucos que se salvaram no novo vexame da equipe, que se manteve apática e sem um pingo de raça. Parece claro que Carille perdeu ‘o vestiário’. Só resistiria no cargo por conta da multa rescisória de R$ 6 milhões.

Após o jogo, o mandachuva e raios Andrés ‘Desmanchez’ ameaçou: se o time não reagir, muitos jogadores “entrarão de férias”. Como desgraça pouca é bobagem, domingo o Corinthians jogará contra o Flamengo, no ‘new Maraca’.

Outros jogos: Galo 0 x 2 Chapecoense, Avaí 1 x 3 Fortaleza, Ceará 2 x 0 Fluminense e Vasco 1 x 3 Grêmio.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Depois do caseiro, vai sobrar para o porteiro. Brasil, sil sil…

Bordoada em Leco. O ex-treinador e hoje comentarista ‘Muriçoca’ Ramalho decidiu desopilar o fígado e desceu a borduna na cartolagem do soberano Tricolor. Inimigo do chefão CA de Barros e Silva, o carismático Leco, ‘Muriçoca’ fuzilou: “Falo do São Paulo porque é meu clube, caralho. Não tenho nenhum interesse. Os dirigentes precisam entender que o clube é muito, um gigante, porra!” A metralhadora do analista da plim plim prosseguiu sem dó nem piedade. “Chega de ser zoado, caralho. Chega de os caras encherem o saco nas escolas das crianças. Chega de nossas crianças não quererem mais ser são-paulinas. Tô puto com esses caras”, desabafou o ex-técnico, num vídeo que circula pelas redes sociais.

Image result for fotos muricy ramalho"
Muricy: chega de ser zoado

Zé Corneta. Sócio-torcedor, o melhor plano de transferência de renda do país.

Cala-boca. A cartolagem do Santos resolveu dar ‘um calmante’ ao hermano Sampaoli, muito irritado com o diz que diz nos bastidores do aquário da Vila Belmiro. Se o Peixe conseguir a classificação direta à Libertadores, o ‘professor’ receberá um bônus de R$ 3 milhões. Se a equipe carimbar uma vaga apenas para a pre-Libertadores, Sampaoli ficará a ver navios na ponta da praia. O treinador tem contrato até dezembro de 2020, mas vem recebendo várias propostas para deixar o Santos.

Sugismundo Freud. Sofre muito mais quem não sabe o que quer.

Caneladas. Os 35 principais clubes deste Brasil varonil navegam, belos e formosos, numa dívida trabalhista de R$ 2,4 bilhões. O calote corresponde a 43% da receita obtida pelos times. Apenas de 2017 a 2018, houve um crescimento de 10%, de acordo com a Pluri consultoria. O top 5: Fluminense – R$ 212 milhões; Guarani – R$ 199 milhões; Botafogo – R$ 187 milhões; Vasco – R$ 164 milhões; Corinthians – R$ 98 milhões.

Caiu na rede. O leão e as hienas merecem mais respeito.

Gilete press. De Fernando Calazans, no Ultrajano: “Sem qualquer demérito para o trabalho de Jorge Jesus e seus bons jogadores, um trabalho primoroso, eu pelo menos pretendo esperar mais um pouco para recolocar o Flamengo no topo do futebol daqui e de fora. Com todo o respeito outra vez, receio que parte deste sucesso e deste encanto possa se dever também à qualidade chinfrim do “resto” do futebol brasileiro. Espero que não. Saberemos disso mais para a frente.” No alvo.

Zapping. E a tchurminha que afundou uma revista e levou uma TV para o fundo do poço já se arrumou em uma nova casa.

Tititi d’Aline. Irmã do ‘menino Nei’ e namorada de Gabigol, Rafaella também é fera no Instagram. Possui cinco milhões de seguidores e deixa no vazio estrelas como o palmeirense Dudu (1 milhão), o corintiano Cássio (1,2 milhão), o cruzeirense Fred (3 milhões) e o são-paulino Pato (3,7 milhões). Rafaella perde para as mulheres de Messi e Cristiano Ronaldo. Antonella Roccuzzo, esposa do hermano, atrai 11,3 milhões de seguidores, enquanto Georgina Rodríguez possui 13,8 milhões.

Você sabia que… o presidente Romildo Bolzan foi reeleito por aclamação no Grêmio, agora com mandato até 2022?

Bola de ouro. Messi. O hermano continua um espetáculo à parte. No massacre sobre o Valladolid (5 a 1), o astro marcou o 50º gol de falta na carreira – 44 pelo Barcelona e seis pela Argentina, os últimos 20 em cinco temporadas do Campeonato Espanhol. Ou seja, mais do que qualquer outro time inteiro (Juventus 15, Roma 13, PSG 13, Lyon 13). A amarelinha desbotada não estufa a rede em cobrança de falta desde setembro de 2014: Neymar, na vitória por 1 a 0 sobre a Colômbia, em amistoso após a Copa do Mundo no Brasil.

Bola de latão. São Paulo. A matemática do soberano subiu no telhado. O clube esperava fechar agosto com um lucro de R$ 40 milhões, mas acumula um prejuízo de R$ 77 milhões. No mesmo período, a dívida do Tricolor cresceu em R$ 100 milhões em relação a dezembro de 2018. Hoje, gira em torno de R$ 435 milhões. CA de Barros e Silva, o popular Leco, é um poço de felicidade.

Bola de lixo. Palmeiras. Os bastidores do clube fervem mais do que vulcão em atividade: Paulo Serdan, o general da banda dos anjinhos manchados organizados pelo diabo, pode ser vice-presidente de futebol se a ‘titia’ Leila Crefisa assumir o poder em 2021.

Bola sete. “Na noite de quarta passada, entre 21h e 2h, o posto de saúde de São Gonçalo, cidade com mais de 1 milhão de habitantes, não registrou atendimentos. Foi justamente durante e após a goleada do Flamengo sobre o Grêmio” (de Ancelmo Gois, no Globo – Jesus salva).

Dúvida pertinente. Palmeiras, sete pontos atrás do Flamengo: milagre à vista?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Corinthians, 43 jogos sem derrota e bicampeão da Libertadores feminina

Timão derrotou a Ferroviária por 2 a 0 e conquistou a Copa Libertadores
Meninas do Corinthians: festa em Quito

Se o tico-tico sem fubá dos marmanjos deixa a Fiel de cabelo em pé, com um show de horrores a cada rodada do Brasileirão, a equipe feminina do Corinthians é só alegria. Com gols de Crivelari e Juliete, o time bateu a Ferroviária por 2 a 0, no estádio Olímpico de Atahualpa, em Quito, e conquistou a Libertadores pela segunda vez. Há dois anos, em parceria com o Audax, também levantou o caneco.

Corinthians e Ferroviária reeditaram a final do Brasileirão. O time de Araraquara faturou o título nos pênaltis. O bi corintiano é o oitavo caneco de um representante nacional em 11 edições da Libertafores. Santos (duas vezes), São José (três) e Ferroviária também fizeram a festa.

Apesar de ter dominado a maior parte do embate, as meninas corintianas só chegaram ao triunfo no segundo tempo. Aos 28 minutos, Tamires puxou um contra-ataque e serviu Crivelari, que levou a melhor numa dividida com a zaga de Araraquara e tocou para a rede.

Na bacia das almas, mais precisamente aos 44, Juliete tabelou com Victoria Albuquerque e bateu cruzado, sem chance para a goleira Luciana, o grande destaque da Ferroviária. Com excelentes defesas, ela evitou uma placar mais folgado para o Corinthians. O juiz também contribuiu ao anular um gol de Tamires na etapa inicial. Assinalou impedimento inexistente.

Pela primeira vez duas equipes brasileiras disputaram a decisão da Libertadores. A campanha corintiana até a volta olímpica foi sensacional. Ganhou cinco jogos e empatou um. O time sob o comando do ‘professor’ Arthur Elias marcou 16 gols e sofreu apenas quatro. Milene, com cinco tentos, foi a artilheira do time. O show no Equador:

Corinthians 3 x 1 Club Nañas
Corinthians 3 x 1 América de Cali
Corinthians 2 x 2 Libertad Limpeño
Corinthians 2 x 0 Santiago Morning (quartas)
Corinthians 4 x 0 América de Cali (semifinais)
Corinthians 2 x 0 Ferroviária (decisão).

As campeãs: Lelê, Paulinha (Crivelari), Pardal, Érika e Juliete; Grazi e Gabi Zanotti; Katiuscia, Milene e Tamires (Cacau); Victoria Albuquerque.

A equipe alcançou a incrível marca de 43 jogos sem derrota na temporada, somando-se o estadual, o Brasileirão e a Libertadores – 40 triunfos e três empates. Graças ao título, o time já está classificado para o torneio continental do próximo ano.

No próximo sábado, o Corinthians participará de mais uma decisão: enfrentará o soberano São Paulo, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista. O segundo duelo do mata-mata acontecerá em 16 de novembro, no Itaquerão, minha casa minha vida.

Corinthians: cinco triunfos e um empate

Pitaco do Chucky. Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo: STF – Supremo Teatro Federal.

Que venha o Tricolor! Os palmeirenses prometem estender o tapete verde ao soberano Tricolor no clássico da 29ª rodada do Brasileirão. O São Paulo é um convidado extremamente educado. Até hoje, não conseguiu vencer uma partida na mansão Allianz Parque. O Palestra ganhou sete jogos e empatou um. Marcou 21 gols e sofreu apenas três. O retrospecto geral recente do Choque-Rei também favorece o Palmeiras. A última vitória do Tricolor foi em maio de 2017. De lá para cá, cinco triunfos do Palestra e três empates.

Zé Corneta. Flamengo transforma o Brasileirão num campeonato mais chato do que pernilongo com fome. Torcer apenas por uma vaga na Libertadores mostra a disparidade de forças entre o time de Jesus e os coadjuvantes.

Barca verde. O colombiano Borja está mesmo por cima da grama queimada no Palmeiras. Corre atrás apenas de Luiz Adriano, Deyverson e Henrique Dourado pela camisa nove. Contratado por R$ 34 milhões em 2017, o atacante de 26 anos comanda a lista de negociáveis no Palestra. Em 109 partidas, marcou 35 gols. O goleiro Jailson e os zagueiros Edu Dracena e Antonio Carlos também devem participar da barca que deixará o ninho dos periquitos em revista após o Brasileirão.

Sugismundo Freud. A paz começa com um sorriso.

Baile do jiló. Os clubes mostraram uma independência inimaginável na reunião para definir o próximo Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. A democrática FPF, sob a batuta do maestro ditador Reinaldo Carneiro Bastos, comandou o baile e todos dançaram miudinho. Bastos é cria do imperador ostentação Del Nero, banido do esporte por corrupção. A bola vai rolar em 22 de janeiro, 15 dias depois de os jogadores voltarem ao batente, para felicidade de preparadores físicos e ‘professores’. O pontapé final acontecerá em 26 de abril. Atendendo à determinação do Circo Brasileiro de Futebol, o campeonato terá 16 rodadas, duas a menos que neste ano.

Baile do jiló 2. Os ‘jênios’ não pensaram duas vezes para cumprir a ordem: eliminaram um jogo das quartas de final e outro da semifinal. Ou seja, cortaram parte do filé mignon. E protegeram 12 rodadas desinteressantes até a classificação às quartas. Uma maratona sem pé nem cabeça, apenas política. Carne de pescoço. A final será em dois jogos. Pela terceira vez consecutiva, a milionária entidade reforçará o caixa do campeão com um prêmio de R$ 5 milhões; o vice ganhará R$ 1,6 milhão. Nenhum centavo a mais. Em troca, uma ação de graças de Bastos: a FPF bancará o VAR… mas só na hora de a onça escovar os dentes (reta final).

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Poça d’água faz pênalti em Deyverson e não jogará a próxima rodada.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no Globo: “Um grupo de amigos está fazendo uma vaquinha. Cada um contribui com R$ 5 mil por mês para ajudar… Carlos Arthur Nuzman. O ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) continua morando em sua mansão no Jardim Pernambuco, no Leblon. Mas está com os bens bloqueados. Após 15 dias na prisão, em 2017, responde em liberdade a processo que o acusa de comprar votos no Comitê Olímpico Internacional para que o Rio fosse escolhido como sede da Olimpíada de 2016 (…) Três funcionários que trabalhavam com Nuzman entraram na Justiça do Trabalho contra o ex-dirigente.” Ô coitado!

Tititi d’Aline. Palmeirense desde criancinha, Bozo surfou no sucesso do pé de obra alheio e entregou ao presidente da China, Xi Jinping, um agasalho do Flamengo. Rasgou os maiores elogios ao time carioca, dono do melhor futebol do país: “O Brasil todo é Flamengo e, com toda a certeza, 1 bilhão e 300 milhões de chineses também serão Flamengo no mês que vem (decisão da Libertadores com o River)”. O oba-oba do presidente caiu como uma bomba no ninho dos periquitos em revista. Sobram críticas ao vira-casaca. No Rio, o populista Bozo é botafoguense.

Você sabia que… a venda do enxoval do Flamengo cresceu 420% nos últimos dias?

‘Bola de ouro’. Câmara do Rio. Com a população radiante pela eficiência na educação, saúde e segurança, os solertes vereadores decidiram também incrementar o esporte bretão na Cidade Maravilhosa entregue ao ‘salve-se quem puder… se puder’. O Projeto de Lei que pretende proibir o VAR em jogos na cidade irá mesmo a votação. A tramitação do PL havia sido interrompida porque o presidente da Câmara, Jorge Fellipe, entendera que o assunto fugia “à competência municipal”. O PL é de autoria do vereador Zico.

Bola de latão. Corinthians. A maioria dos jogadores aterrissou no aeroporto de Maceió com o rei na barriga, apesar de o time encarar um jejum de seis partidas sem vitória. Apenas Pedrinho, Gil, Cássio e Mateus Vital pararam para tirar fotos e dar autógrafos aos torcedores. Alguns sequer olharam para a galera. Ridiculos.

Bola de lixo. Avaí. Dos assíduos frequentadores da zona do agrião queimado do Brasileirão, o time catarinense é o campeão de audiência. A equipe mergulhou no subsolo do campeonato na terceira rodada e não saiu mais, ou seja, uma maratona de 26 jornadas. Orgulhosamente, o Avaí carrega a lanterna, com 17 pontos. Soma nada menos que 99% de chances de rebaixamento.

Bola sete. “O Flamengo é um choque num país que raciocina como Fábio Carille e reage como Felipe Melo” (de Carlos Andreazza, no Globo – no alvo).

Dúvida pertinente. Tite ou ‘fratello’ Menezes, quem é mais chato nas entrevistas após os jogos?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Diego Alves garante vitória do líder Flamengo sobre CSA em jogo com recorde de pagantes

Torcida do Flamengo bateu recorde no Maracanã
Torcida rubro-negra: mais um show na arquibancada

Quando Arrascaeta marcou aos 9 minutos de jogo, a torcida do Flamengo foi à loucura e já começou a sonhar com mais uma exibição de gala do time de Jesus. Mas o guerreiro CSA não jogou a toalha e deu muito trabalho ao líder do Brasileirão. Que só saiu ileso porque o goleiro Diego Alves operou ótimas defesas.

Com a vitória, o Urubu continua voando tranquilo na ponta da tabela. Tem 67 pontos, 10 a mais que o Palmeiras (venceu o Avaí por 2 a 1), depois de 28 rodadas. O Peixe, ao ficar no ‘oxo’ com o Corinthians, está 15 pontos atrás do Flamengo. As chances de o Rubro-negro soltar o grito de campeão são de 96%, de acordo com o site Infobola. O Palestra tem 3%, e o Santos, 1%.

Sem show e com uma vitória sofrida, restou à galera rubro-negra festejar a quebra de recorde de público pagante no esporte bretão nacional: 65.649 torcedores no ‘new Maraca’ (R$ 3.735.850,25). Superou os 65.418 do embate com o Vasco, no Mané Garrincha, em Brasília.

Possivelmente de ressaca, após a estupenda apresentação na goleada sobre o Grêmio, pelas semifinais da Libertadores, o Urubu foi menos intenso e, em vários lances, abusou da soberba nos lances finais. Deu espaços ao CSA de Argel Fucks, que soube aproveitar bem os contragolpes. Diego Alves salvou a pátria.

No ‘piscinão’ da Ressacada (8.815 torcedores/R$ 328.727), o Palmeiras bateu o Avaí por 2 a 1 e continua com remotíssimas chances de ser bicampeão. O Palestra fechou a etapa inicial com 70% de posse de bola, mas criou as mesmas ooportunidades que o time catarinense (três).

Aos 8 minutos do segundo tempo, Lucas Lima cobrou escanteio e Deyverson marcou de cabeça. Pouco depois, Dudu carimbou a trave. Aí, desabou uma tempestade e o gramado foi para o beleléu. Melhor para o Avaí. Que empatou aos 29, em pênalti assinalado pelo VAR.

O pitbull Felipe Melo falhou na saída de bola, Vinicius Araújo dividiu com o goleiro Weverton e sua senhoria, o assoprador de latinha Wilson Pereira Sampaio, apontou pênalti após consultar o VAR. João Paulo empatou.

A engenhoca entrou novamente em ação aos 38, depois que Deyverson caiu na área ao disputar lance com Ricardo. Gustavo Scarpa cobrou o pênalti e garantiu os três pontos ao Palmeiras. O Avaí segue na lanterna do campeonato, com 17 pontos.

Lance da partida entre Avaí e Palmeiras
Palmeiras: VAR garante pênalti e triunfo

No Morumbi, diante de 18.815 espectadores (R$ 745.836), o soberano São Paulo depenou o Galo. Dominou o adversário desde o início, mas só conseguiu mandá-lo para a panela no começo do segundo tempo. Igor Gomes abriu o placar aos 5 minutos e Vitor Bueno marcou o segundo aos 11.

Sob o comando de Fernando Diniz, o Tricolor agora soma quatro triunfos, dois empates e uma derrota. Tomou apenas dois gols em 630 minutos. Com a vitória por 2 a 0, o São Paulo chegou a 49 pontos, na quarta posição. Está quatro à frente de Saci colorado (quinto lugar) e Corinthians (sexto), e à três do Peixe. O Galo aparece apenas em 12º, com 35 pontos.

Na próxima quarta, pela 29ª rodada, o São Paulo visitará o Palmeiras na mansão Allianz Parque. Tira-teima que pode até alimentar o sonho de faturar o vice.

Resultados do fim de semana: Corinthians 0 x 0 Peixe, Ceará 1 x 1 Vasco, Bahêa 2 x 3 Saci colorado, Fluminense 1 x 1 Chapecoense, Raposa 1 x 1 Fortaleza, São Paulo 2 x 0 Galo, Furacão 4 x 1 Goiás, Grêmio 3 x 0 Botafogo, Avaí 2 x 1 Palmeiras e Flamengo 1 x 0 CSA.

Tricolor: festa no Morumbi

Pitaco do Chucky. E o Doria, hein? O Trumpinho da Pauliceia inaugura até campinho de bolinha de gude para aparecer na mídia. Topa tudo por um click.

De olho na molecada. Secretário técnico do Barcelona, o ex-jogador Eric Abidal deu as caras no Morumbi para acompanhar os garotos Igor Gomes, Antony e Liziero contra o Galo. E foi embora satisfeito com o que viu. Igor Gomes marcou o primeiro gol do Tricolor, após assistência de Antony. O meia também deu o passe para Vitor Bueno nocautear os mineiros. Já Liziero foi o mais discreto dos três.

Zé Corneta. Flamengo de Jesus, o lado cheio do copo; futebol brasileiro, o lado vazio. O mister mostrou por que só come pamonha quem planta milho.

Boca rica. De mansinho, o político César Sampaio comeu pelas beiradas e arrumou um reforço de caixa: é o novo auxiliar da comissão técnica do ‘professor’ Tite na amarelinha desbotada. O ex-volante do Palmeiras está com 51 anos e foi colaborador pontual nas últimas datas Fifa. César Sampaio se aproximou de Tite no curso de treinador do Circo Brasileiro de Futebol.

Sugismundo Freud. Otimismo é um pessimismo bem-sucedido.

Pichação. Os muros da mansão Allianz Parque foram usados novamente por vândalos que se dizem palmeirenses. ‘Fora Matto$’ e ‘presidente omisso’ logo desapareceram sob uma tinta verde escura. Dia sim e outro também, o gerentão Alexandre Mattos e o mandachuva e raios Mauricio Gagliotte são detonados pelos anjinhos manchados organizados pelo diabo.

Zapping. Que coisa chata o Linha de Passe da ESPN Brasil no domingo! André Kfouri, por exemplo, adotou um enfadonho ar professoral.

Gilete press. De Mathias Alencastro, na Folha: “Com a sua crista prateada e o seu jeito de taxista da Baixa lisboeta, Jesus destoa no universo do cada vez mais formatado e regulamentado do futebol mundial. Avesso a redes sociais, estranho quando sai na capa das revistas dos famosos, Jesus é um dos últimos representantes do Portugal rude e arcaico das casas em ruínas, do vinho tinto pesado e das tascas gordurosas, abandonado por uma nova geração de consumidores de Airbnb, latte e poke bowls.” Salve, Jesus!

Caiu na rede. Flamengo com Jesus não perde nunca mais, xô satanás, xô satanás…

Tititi d’Aline. Em mais uma das frequentes visitas à sede dos anjinhos manchados organizados pelo diabo, ‘titia’ Leila Crefisa prometeu “jamais” abandoná-los “em qualquer circunstância” e elevou o presidente da gangue, Paulo Serdan, ao patamar de general da banda: “O Palmeiras precisa de pessoas como você, Paulo.” Mais: ficou em silêncio quando Serdan afirmou que a atual gestão, comandada por Mauricio Galiotte, rouba o clube, patrocinado pela Crefisa (R$ 100 milhões por ano). ‘Titia’ Leila quer o trono palmeirense em 2021. E Serdan pode ser vice-presidente de futebol.

Você sabia que… o soberano São Paulo voltou a derrotar o Galo no Morumbi depois de duas pauladas e um empate em 2018?

‘Bola de ouro’. Corinthians. De empate em empate, o time do estrategista Fabio Carille vai traçando um sólido caminho para a classificação à cobiçada… Copa Sul-americana. A equipe já morreu abraçada aos coirmãos em 12 rodadas, ou seja, ganhou 12 pontos em 36 possíveis. Lidera o dois pra lá, dois pra cá do Brasileirão.

Bola de latão. Ganso. Os torcedores do Fluminense cometem uma tremenda injustiça ao vaiar o voo do meia com a camisa 10. Dono de um pequeno salário de R$ 850 mil, o craque das Laranjeiras marcou nada menos que cinco gols e deu uma assistência em 41 jogos nesta temporada. Noves fora, um tento a cada 720 minutos. Pelos serviços não-prestados, Ganso ficou no banco contra a Chape (1 a 1) e entrou aos 40 do segundo tempo.

Bola de lixo. CSA. Depois de vender o mando de campo no primeiro turno, frustrando a torcida (o jogo foi em Brasília), a cartolagem abriu mão dos ingressos (10%) da partida com o Flamengo no ‘new Maraca’. Mais um passa moleque na galera. Certamente tem gato na tuba.

Bola sete. “Os dez principais campeonatos de futebol do mundo são organizados por ligas de clubes, menos o Brasil. Todos eles têm clube-empresa — inclusive o da China comunista” (de Ancelmo Gois, no Globo – lamentável).

Dúvida pertintente. O Brasileirão virou sopa de chuchu após o Flamengo disparar na liderança?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘O Flamengo pode ter a hegemonia do futebol brasileiro’ – palavras de Jesus, o revolucionário

Image result for fotos jorge jesus"
Jesus: mister goleia brasileiros
“Eles acreditaram na nossa ideia de jogo. Uma coisa é ensinar e outra é saber ensinar. Um grande clube tem que ter história e títulos. Se calhar, esse será o primeiro passo para o Flamengo ter a hegemonia no futebol brasileiro.” Jesus é direto. E não tem nenhuma soberba em suas palavras.

Queiram ou não os invejosos e corporativistas ‘professores’ tupiniquins: em quatro meses, Jesus provocou a revolução dos cravos das chuteiras no esporte bretão nacional. Independentemente do futuro do time na Libertadores e no Brasileirão, o gajo devolveu ao rubro-negro uma alegria que estava represada havia muito tempo. E que deixa torcedores de outros times morrendo de inveja.

O milagre de Jesus em números: classificação do Flamengo às finais da Libertadores, após 38 anos; liderança do Brasileirão com 10 pontos de vantagem sobre o Palmeiras; 18 vitórias, seis empates e duas derrotas em 26 embates; 55 gols pró e 19 contra.

O treinador aterrissou sob desconfiança no ninho do Urubu, em agosto. Depois de um começo com dificuldades, absolutamente normais, incluindo a eliminação da Copa do Brasil pelo Furacão, a ressurreição. Desde a derrota por 3 a 0 para o Bahêa, em 4 de agosto, na Fonte Nova, sétimo duelo de Jesus no Brasileirão, o Urubu voa belo e formoso com 14 jogos de invencibilidade – 13 triunfos e um empate.

Matemática produzida por um time que adota variações táticas, jamais se preocupa com o maldito pragmatismo, empurra o coirmão para a defesa mesmo como visitante, marca por pressão, possui um meio de campo com rara inteligência e tem uma volúpia insaciável pelo gol – Bruno Henrique e Gabigol já assinalaram 60 tentos. E nada de ‘time alternativo’, de poupar atletas. Está bem, joga!

Resumindo: quem se desloca recebe, quem pede tem preferência, diria o filósofo Gentil Cardoso. Nas arquibancadas, o grito da galera: ‘Olê, olê, olê, Mister, Mister…’

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Quem é o inspetor Clouseau do STF?

Caviar & Panetone. O Urubu disputará com o River Plate uma ótima ceia de Natal na decisão da Libertadores, em 23 de novembro, no estádio Nacional de Santiago. O campeão embolsará US$ 12 milhões (R$ 48 milhões) de prêmio. O vice receberá US$ 6 milhões (R$ 24 milhões). Até agora, brasileiros e argentinos já beliscaram R$ 29,5 milhões – R$ 12,5 milhões na fase de grupos e R$ 17 milhões nos mata-matas. A Conmebol dobrou o cachê do torneio neste ano. No total, distribuirá R$ 648 milhões.

Zé Corneta. Calma, gremista! Nem tudo está perdido: somente 23 pontos separam o imortal do Flamengo, líder do Brasileirão.

Barba e cabelo. Jesus, Gabigol & Cia. podem derrubar um tabu de 56 anos. Desde 1963, um time brasileiro não conquista a Libertadores e o Brasileirão na mesma temporada. O Peixe de Pelé foi o último a faturar os dois torneios. Um ano antes, a supermáquina santista também havia levantado os canecos – ganhou a Libertadores e a Taça Brasil.

Sugismundo Freud. Oportunista é um serial killer que mata até com palavras.

Aleluia, Carille! O ótimo desempenho do Flamengo de Jesus já rende frutos. O ‘professor’ Fabio Carille decidiu abandonar a ideia de implantar um futebol mais ofensivo no Corinthians e voltará à retranca nas rodadas finais do Brasileirão. Acredita que o ‘meia-volta, volver’ será muito mais eficiente na luta por uma vaga na Libertadores. O Corinthians acumula cinco jogos sem vencer.

Voo do Urubu. Quando o Flamengo vai escalar o sub-15 para cumprir tabela no Brasileirão?

Campeão de audiência. O show do Urubu rendeu 32 pontos de audiência e 48% de share (TVs sintonizadas) para a plim plim na grande Pauliceia mergulhada no bangue-bangue. É o recorde do ano da competição. Ficou apenas um ponto atrás de Palmeiras x Boca Juniors, pela semifinal de 2018. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, a goleada rubro-negra sobre o Grêmio arrebentou: 52 pontos, com 70% de share – sete em cada 10 TVs ligadas na hora do embate, recorde da bola neste ano e maior da história na Libertadores desde 2000. Em Porto Alegre, a audiência também foi a mais alta do torneio em 2019, com 46 pontos e 66% de participação, dois pontos a mais que no primeiro jogo da semifinal.

Gancho. Mandachuva e raios do Palmeiras, Mauricio Gagliotte pega 15 dias de gancho por criticas ao VAR… Brasileirão está manchado.

Apito rosa choque. O boom do futebol feminino também chegou ao apito. Nada menos que 49 mulheres se inscreveram no curso de árbitros da FPF. Cada uma investiu R$ 4.400, pagos em 20 parcelas. Após receberem o canudo, elas vão à batalha nas categorias sub-11 e sub-23. Embolsam R$ 250 por rodada dupla, ou R$ 1.000 por mês. Os assopradores de latinha do Circo Brasileiro de Futebol ganham R$ 2.900 por embate na série A. As mulheres faturam o mesmo. Ano passado, apenas sete participaram do curso. O quadro da FPF tem mais de 450 homens e 14 juíza.Caiu na rede. Justiça quer interditar o Maracanã. Alega que o estádio só tinha alvará para jogo, não para baile.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Na maioria das estatísticas que vejo, citam apenas o número de gols, quando comparam artilheiros. Em grandes amostragens, muito mais importante que o número é a média de gols. Pelé tem 0,92 gol por partida, Messi, 0,81, e Cristiano Ronaldo, 0,71. Estatísticas são muito importantes, embora, às vezes, sejam usadas por pessoas que conhecem tudo de números e quase nada de futebol.” No alvo.

Papo na padoca. Bendito VAR: garante debates (e empregos) em rádios e TVs.

Tititi d’Aline. A Conmebol confirmou que 25 mil ingressos serão distribuídos aos torcedores de Flamengo e River Plate para a decisão da Libertadores, em 23 de novembro, no estádio Nacional do Chile. Cada clube receberá 12.500 entradas. Preço do bilhete: US$ 80 (R$ 320). A venda começará na próxima quarta pelo site da competição. Palco da final da Copa América de 2015, o estádio tem capacidade para 47 mil pessoas.

Você sabia que… o Flamengo espera fechar a temporada com R$ 90 milhões arrecadados apenas em bilheteria?

Bola de ouro. Jorge Jesus. Mostrou por que o esporte bretão está estagnado, leva chocolate até em categorias de base. Ninguém quer nada com a mandioca. Os ‘professores’ tupiniquins se acomodaram na zona do conforto, na tarde de Itapuã, na mesmice de muitos anos, com raríssimas exceções. Reciclagem já. Ou invasão de gringos à vista!

Bola de latão. Renato Gaúcho. Falou pelos cotovelos antes do tira-teima com o Flamengo e levou um banho de bola. Tomou nó tático de Jesus. Mesmo assim, continuou falando abobrinha depois do massacre rubro-negro: ‘Até mulher grávida faria gol no Grêmio.’ Só faltou ler uma carta de Dona Lúcia.

Bola de lixo. Mídia caolha. Que Jesus merece infindáveis elogios pelo trabalho no Flamengo, ninguém discute. Operou um milagre na casamata do Urubu. Mas aplaudi-lo ao final da coletiva é um pouco demais, mesmo sabendo-se que o time preferido da maioria é o Rubro-negro. Só faltou entoarem ‘Uma vez Flamengo, sempre Jesus…’

Bola sete. “Jesus veio de fora para reensinar futebol aos arrogantes do país, que há muito tempo nada acrescentam e ainda defendem reserva de mercado. O português deu uma aula” (de Mauro Cezar Pereira, na ESPN – no alvo).

Dúvida pertinente. Por que Renato Gaúcho não faz um estágio com o mister?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Flamengo de Jesus dá aula e ‘mata’ imortal gaúcho. Uma noite inesquecível no ‘new Maraca’

Gabigol comemora com Arascaeta e Bruno Henrique um de seus dois gols sobre o Grêmio Foto: Marcelo Regua / Marcelo Regua
Trem da alegria: Gabigol, Arrascaeta e Bruno Henrique

O esperto Renato Gaúcho bem que tentou se apegar aos mínimos detalhes para impulsionar o Grêmio a uma inesquecível epopeia no ‘new Maraca’ (69.981 torcedores/R$ 8.150.645), contra o Flamengo, pelas semifinais da Libertadores. Certamente não deixou passar em branco, por exemplo, o fracasso do Brasil na Copa de 50, contra um desacreditado Uruguai. Também deve ter lembrado que o time estava sendo tratado como coadjuvante e merecia mais respeito da mídia.

Renato Gaúcho se esqueceu, porém, que o brilho no bico da chuteira sempre fala mais alto. E prevaleceu a máquina rubro-negra, muito bem azeitada por Jesus. O Flamengo simplesmente estraçalhou o Grêmio: 5 a 0.

‘Matou’ o imortal com uma atuação de gala. Inesquecível. Um baile de competência: 5 a 0. Que venha o River Plate, 23 de novembro, em Santiago do Chile! Trinta e oito anos depois, o Flamengo está de volta à decisão da Libertadores. E como ‘favoritaço’!

O Grêmio até que chegou a dar trabalho no primeiro tempo, quando adotou a chamada marcação alta, além de explorar as investidas de Everton Cebolinha pelo setor de Rafinha, o ‘Máskara’. Perdeu ótima chance com Maicon.

Aos poucos, o Flamengo de Jesus foi engolindo o Tricolor de Renato Gaúcho. Aos 41, Bruno Henrique, um terror em campo, aproveitou rebote do goleiro Paulo Victor em chute de Gabigol e abriu o placar – 25º gol do atacante em 50 jogos. Números da etapa inicial: posse de bola – Flamengo 63% x 37% Grêmio; finalizações – 9 x 2; faltas – 6 x 11; passes certos – 202 x 60.

O Flamengo voltou do vestiário em ritmo de Formula 1, avassalador. E humilhou o ‘Fusquinha’ de Renato Gaúcho. Em apenas 25 minutos, aniquilou o time gaúcho. Gabigol marcou logo no primeiro minuto. Aos 10, de pênalti, fez o terceiro. Pablo Marí, aos 21, e Rodrigo Caio, aos 25, completaram o espetáculo de gala. Lembraram Brasil 1 x 7 Alemanha.

A equipe rubro-negra enlouqueceu a torcida e mostrou que pode, perfeitamente, conquistar a tríplice coroa: Carioquinha, Brasileirão e Libertadores. Barba, cabelo e bigode! Lembrou Alemanha 7 x 1 Brasil!

XXXXXXXXXXXXXXX

O show na mídia. “Flamengo impiedoso e espetacular. Uma noite histórica no Maracanã. Que jogão será contra o River Plate. Como é bom ver o Flamengo jogar!” (de Juca Kfouri, no Uol); “Foi um primeiro tempo apertado, justo. E no segundo, o Flamengo amassou o Grêmio” (de Galvão Bueno, na plim plim); “Impecável, Flamengo dá aula e maior goleada em semifinais em 30 anos” (de PVC, no Uol); “Que seja uma virada na forma de jogar, de encarar o futebol, o desejo pela vitória. Que isso acabe de vez com o domínio de técnicos covardes e retranqueiros que montam equipes apenas preocupados em não perder” (de Mauro Cezar Pereira, na ESPN Brasil); “É um Flashmengo, River” (do Olé, jornal argentino).

Gabigol comemora um de seus dois gols nos 5 a 0 do Flamengo sobre o Grêmio Foto: Guito Moreto / Guito Moreto
Hoje tem gol do Gabigol, sim senhor

Pitaco do Chucky. Santo gás: Eduardo’s Hambúrguer queimou na chapa.

Esperança verde. Palmeirenses ainda acreditam no bicampeonato e, mais do que nunca, no genial Nelson Rodrigues: toda unanimidade é burra. Apenas 10 pontos separam o Palestra do líder Flamengo, faltando 11 rodadas. O Urubu voa com 97% de possibilidades de levantar o caneco, contra 3% do Palmeiras e 1% do Peixe.

Zé Corneta. Palmeiras do ‘fratello’ Menezes, clone do time do ‘sargento’ Felipão, apenas menos antipático com a mídia.

Messi recordista. Mais uma façanha do hermano: na vitória do Barcelona por 2 a 1 sobre o Slavia Praga, pelo grupo F, entrou para a história como primeiro jogador a marcar em 15 torneios seguidos, desde 2005/06. Messi abriu o placar. Boril empatou, e Olayinka, contra, garantiu os três pontos ao Barça. Em outro jogo da chave, Inter 2 x 0 Borussia. Demais duelos: grupo E – RB Salzburg 2 x 3 Napoli e Genk 1 x 4 Liverpool; G – RB Leipzig 2 x 1 Zenit e Benfica 2 x 1 Lyon; H – Ajax 0 x 1 Chelsea e Lille 1 x 1 Valencia.

Sugismundo Freud. Acorde arrependido, mas nunca durma com vontade.

Farsa na TV. Os jornalistas Benjamin Back e Fábio Sormani confirmaram, com deboche, que o quiproquó no Fox Rádio Sports foi uma tremenda armação – Sormani deixou o programa por ‘desavenças’ com Benjamin. Ou seja, vale tudo por um pingo de audiência, até perder a credibilidade.

Caiu na rede. Feliz ano novo, Grêmio!

Bronze no peito. Depois de 11 anos, Bruno Barros, José Carlos Moreira, Sandro Viana e Vicente Lenilson ‘subirão no pódio’ para receber a medalha pelo terceiro lugar no revezamento 4x100m da Olimpíada de Pequim, em 2008. O quarteto chegou na quarta posição, mas um corredor da Jamaica correu dopado, segundo apurado em 2016, e o time perdeu o ouro.

Gilete press. De Paulo Cezar Caju, no Globo: “O universo exige menos cursos da CBF e mais lambretas, como a do menino Talles Magno, e mais dribles, como os do ensaboado Michael, do Goiás. Enfim, os astrólogos me confidenciaram que as posições do sol e da lua influenciarão diretamente na retomada de nosso futebol e que é chegada a hora da tão sonhada substituição ser anunciada nos alto-falantes do Maraca: a Suderj informa, saem os gladiadores e entram os bailarinos.” Bingo!

Tititi d’Aline. A torcida palmeirense pode tirar o cavalinho da chuva. Dificilmente vai cruzar com o ídolo Dudu em padoca ou restaurante depois das 21 horas. O craque é vidrado na novela ‘A Dona do Pedaço’. Prefere, às vezes, ver a trama global do que um jogo. E se liga nos bolos de Maria da Paz: “Você vai na padaria e vem ‘mó’ pedacinho. Lá é ‘mó’ pedação. Se o pessoal da novela quiser convidar para comer um bolo, vou aceitar.” Guloso.

Você sabia que… o soberano Tricolor é o único, após 27 rodadas, que conseguiu tirar pontos do líder Flamengo nos dois turnos do Brasileirão, com empates em 1 a 1 e 0 a 0?

Bola de ouro. Pelé. Quem foi rei nunca perde a majestade. Quem viu, viu; que não viu, só pode mesmo abrir a boca para cometer uma devastadora heresia e compará-lo a Maradona, Messi ou Cristiano Ronaldo. Vida longa ao rei, 79 anos! O Peixe vai homenageá-lo com o bordado de uma coroa sobre o escudo do clube na camisa 10, hoje com baixinho Soteldo. O símbolo será usado até o final do Brasileirão.

Bola de latão. Palmeiras. Deve terminar o ano com R$ 20 milhões a menos de bilheteria em relação a 2018, quando faturou R$ 79,5 milhões em 37 jogos como mandante – 31 na mansão Allianz e seis no Pacaembu. A média de público foi de 32 mil torcedores por embate. Em 2019, o Palestra já embolsou R$ 47,6 milhões. Ainda tem mais seis partidas em casa.

Bola de lixo. Polícia. Os cambistas agiram livremente antes da decisão Flamengo x Grêmio. Uma das passarelas que levavam a galera até o portão do estádio transformou-se num balcão de negócios. Com uma boa pechincha, o preço do ingresso caía de R$ 700 para R$ 350. Valor oficial: R$ 70. Tudo sob o beneplácito da polícia.

Bola sete. “(O Mister) chegou e entendeu o que é ser Flamengo. Ele é muito dedicado em tudo que faz. Mesmo ganhando de cinco sempre pede para jogar e desfrutar em campo. Fala sempre isso. Que temos que ter alegria, prazer de jogar futebol diante de uma torcida apaixonada e um clube tão grande. É isso que sempre fala para gente” (do atacante Bruno Henrique, sobre o ótimo trabalho de Jesus – simples e eficaz).

Dúvida pertinente. O River Plate é páreo para o Flamengo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

River à espera de Flamengo ou Grêmio na decisão de Santiago, em novembro

Comemoração dos jogadores do River Plate após o apito final
River, festa na casa do maior rival

O River Plate, atual campeão, decidirá o caneco da Libertadores contra Flamengo ou Grêmio. A equipe perdeu para o Boca Juniors por 1 a 0, com gente saindo pelo ladrão na Bombonera, mas se classificou para a final por ter vencido o primeiro embate por 2 a 0, no Monumental de Nuñes.

Tetracampeão da Libertadores e duas vezes vice, o River vai encarar a sétima final do torneio. No entanto, será apenas a segunda vez que enfrentará um time brasileiro – em 1976, pegou a Raposa (fez a festa).

Considerado pela torcida o melhor treinador da história do clube, Marcello Gallardo chega pela terceira vez à final da competição. Levantou o caneco em 2015 e 2018. A final será em 23 de novembro, no Chile.

O primeiro tempo no alçapão do Boca foi mais enrolado que namoro de cobra. A equipe da casa, incentivada por uma torcida enlouquecida, tentou se impor sobre o River, mas faltou-lhe competência. Insistiu muito na ligação direta e nos cruzamentos para a área.

Em vantagem no tira-teima, depois de vencer o primeiro duelo por 2 a 0 no Monumental Nuñes, o River procurou esfriar o ânimo do Boca, com toques no meio de campo e investidas pelas laterais, principalmente com Matíaz Suarez na esquerda.

Em um irritante toma lá dá cá, recheado de erros e faltas, o melhor momento aconteceu aos 43 minutos. Mac Allister cobrou escanteio e Almendra cabeceou de raspão. Na sobra, Enzo Pérez tentou cortar e quase marcou contra. Armani espalmou para outro escanteio e salvou o River.

O Boca voltou do vestiário apostando no tudo ou nada. O River, por sua vez, se acomodou no regulamento, recuou e foi pressionado, porém sem que o goleiro Armani passasse por maus momentos.

Aos 15, o ‘professor’ Gustavo Alfaro trocou dois no Boca: o volante Almendra pelo atacante Zárate e o centroavante Ábila por Hurtado. Seis minutos depois, Marcelo Gallardo sacou Borré e colocou o ex-são-paulino Pratto. Depois, Casco por Paulo Diaz. Aos 34, a Bombonera explodiu: Hurtado aproveitou uma sobra na pequena área e cutucou para o fundo da rede.

Boca substituiu MacAllister por Villa, enquanto o River optou por Scocco em lugar de Matias. Aos trancos e barrancos, o Boca tentou chegar ao segundo gol a fim de levar a decisão da vaga para os pênaltis. Fracassou. Como recompensa, aplausos da galera.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Brasil, o reino encantado da panelinha.

Mordomia e bandidagem. Gente fina é outra coisa: ingresso para camarote no ‘new Maraca’ foi vendido a R$ 3.704,24, com direto a comes e bebes. A polícia acredita que 70 mil torcedores assistirão Flamengo x Grêmio, pela Libertadores. Os bilhetes para os pobres mortais custaram entre R$ 70 e R$ 620. Nas mãos de cambistas, superaram os R$ 2 mil. A polícia descobriu que 150 bandidos pretendiam invadir o estádio e promover arrastões antes do embate.

Zé Corneta. Brasileirão emocionante: só resta a briga pelo vice, o primeiro derrotado.

City e PSG arrasam. Com show de Sterling (três gols), o Manchester City atropelou o Atalanta na terceira rodada do grupo C da Champions. O time de Guardiola saiu perdendo. Sergio Agüero assinalou dois tentos. A equipe inglesa lidera com nove pontos. Os italianos seguem zerados. Outro jogo da chave: Shakhtar Donetsk 2 x 2 Dínamo. O PSG também arrasou o Brugge: 5 a 0, na casa dos belgas. Mbappé saiu do banco e marcou três gols em 22 minutos. Pela quarta vez na história, um atleta deixa a reserva e carimba três gols no inimigo. O francês também se tornou o jogador mais jovem a marcar 15 vezes na Chamipions, superando Messi. O PSG lidera o grupo A, com nove pontos, seis à frente do Real Madrid, que superou o Galatasaray por 1 a 0.

Raheem Sterling marca para o Manchester City contra o Atalanta pela Liga dos Campeões - Jason Cairnduff/Reuters
Sterling, três gols no massacre do City

Sugismundo Freud. Sorrir é a melhor maneira de enfrentar os problemas e esmagar o medo.

Juve, de virada. Pelo grupo D da Champions, Dybala salvou a Juventus. O atacante argentino marcou dois em três minutos e garantiu o triunfo por 2 a 1 sobre o Lokomotiv Moscou em Turim. Miranchuk abriu o placar no primeiro tempo. Em outro embate pela chave, Atlético de Madrid 1 x 0 Bayer Leverkusen. No grupo B, Olympiacos 2 x 3 Bayern de Munique e Tottenham 5 x 0 Estrela Vermelha.

Zapping. TNT na Champions, um campeonato de gritos. Beira o insuportável. Pobre Mauro Beting!

Exército Brancaleone. Oito dos 13 principais times da pátria das chuteiras furadas já recorreram à importação de estrangeiros nesta década, para tentar acabar com o troca-troca de ‘professores’ na casamata. O levantamento é do colunista PVC, da ‘Folha’. O soberano Tricolor, por exemplo, apostou em Bauza, Osorio e Diego Aguirre. Mas apenas dois vingaram, o português Jorge Jesus, no Flamengo, e o hermano Jorge Sampaoli, no Peixe. Os demais foram embora sem deixar um pingo de saudade.

Caiu na rede. Corinthians: quem com VAR fere, com VAR será ferido.

Gilete press. De Ricardo Perrone, no Uol: O episódio em que torcedores do Palmeiras são acusados de agredir a mulher de Bruno Henrique, Bhel Dietrich, é gravíssimo. Porém, tão grave quanto é a falta de reação enérgica de jogadores e dirigentes do clube (…) Enquanto a resposta se der apenas por meio de pronunciamentos óbvios e burocráticos, o ambiente estará propício para que os atos hostis aumentem. Pelo jeito, mais uma chance para impor limites aos torcedores sem noção será perdida” – lamentável.

Tititi d’Aline. A vida do atacante Cristiano Ronaldo está complicadíssima. A estrela da Juventus recebeu irrisórios R$ 200 milhões por 34 posts nas redes sociais. Nenhum boleiro faturou tanto. O hermano Messi ganhou R$ 100 milhões. CR7 embolsa R$ 140 milhões por temporada no clube italiano. Noves fora, R$ 340 milhões – sem contar patrocínio e direitos de imagem.

Você sabia que… o ‘menino Ney’ disputou 63 dos 126 jogos do PSG desde que foi contratado, ou seja, 50% das partidas, devido a quatro suspensões e 11 problemas físicos, além de ser poupado em alguns embates?

Bola de ouro. Bragantino. Valeu a pena a transformação do clube em empresa com a chegada da Red Bull. A equipe paulista tem 99% de chances de subir para a elite do Brasileirão, segundo a aritmética do site ‘Infobola’. Precisa de mais quatro pontos em oito rodadas. Em segundo aparece o Sport, com 93%.

Bola de latão. Saci colorado. Demitiu Odair Hellmann e contratou o tampão Zé Ricardo, 48 anos. O ‘professor’ chega cheio de moral: acordo de três meses, com a obrigação de garantir uma vaga na Libertadores. Em 2020, o time gaúcho retomará as conversas com Eduardo Coudet, treinador do Racing. Zé Ricardo passou como um foguete pelo Fortaleza, sua última equipe: em sete jogos, quatro derrotas, dois empates e uma vitória.

Bola de lixo. ‘Professores’. As entrevistas depois da rodada estão insuportáveis. Mimimi de gato gago sem parar. Na maior cara de pau, Carille, Diniz, ‘fratello’ Mano e outros menos votados elogiam desempenho que ninguém vê ou usam a muleta do VAR para justificar o péssimo espetáculo.

Bola sete. “José Luís Moreira, o Zé do Táxi, português que foi vice de futebol do Vasco em três mandatos do falecido Eurico Miranda, acaba de ganhar uma bolada. A 19ª Vara Cível decidiu que o clube deve a ele exatos R$ 7.774.422” (de Ancelmo Gois, no Globo – que paulada!).

Dúvida pertinente. Renato Gaúcho ou Jorge Jesus, quem é mais vaidoso?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Só invasão de bruxas tira o título do Flamengo: 10 pontos de vantagem e 97% de chances

Comemoração de Bruno Henrique e Gabigol no primeiro gol do Flamengo
Bruno Henrique e Gabigol comemoram primeiro gol do Flamengo

E o milagre de Jesus está cada vez mais próximo. Só mesmo uma chuva de canivetes ou uma invasão de bruxas poderá evitar a festa rubro-negra no Brasileirão após uma década na fila de espera. A faixa no peito é só uma questão de tempo. Apenas 10 pontos separam o Flamengo do Palmeiras depois de 27 rodadas.

O Rubro-negro lidera com 64. O Palestra come poeira com 54. Antes da parada da Copa América, o time palmeirense estava oito pontos à frente da equipe carioca.

Faltando 11 rodadas para o pontapé final do campeonato, o Flamengo navega com 97% de possibilidades de soltar o grito de campeão, de acordo com a matemática do site ‘Infobola’. O Palmeiras reúne 2%, e o Peixe, 1%.

O Flamengo simplesmente atropelou o Fluminense no ‘new Maraca’ (52.279 torcedores/R$ 2.565.378,25), com gols de Bruno Henrique e Gerson, um em cada tempo. Sobrou em campo. Poderia ter goleado. O gajo Jorge Jesus fez barba, cabelo e bigode nos clássicos: superou Botafogo, Vasco e Tricolor das Laranjeiras.

Já o Palmeiras empatou em 1 a 1 com o Furacão na Arena da Baixada. E deve agradecer a San Gennaro. Depois de um primeiro tempo razoável, equilibrando o confronto, o Palestra foi devastado pelo Furacão na etapa final. Correu atrás do adversário ao longo da maior parte dos 45 minutos. Voltou aos tempos do ‘sargento’ Felipão. Ligação direta defesa-ataque e nenhuma criatividade.

O Furacão abriu o placar com Marcelo Cirino, aos 6. Deyverson deixou tudo igual aos 40, ainda na primeira fase. Havia 13 jogos que o atacante não corria para o abraço. O último gol de Deyverson havia sido em 13 de junho, contra o Avaí.

O jogo foi quente, com muitas discussões e faltas, sem que sua senhoria, o assoprador de latinha mineiro Ricardo Marques Ribeiro, agisse. É um campeão de blá-blá-blá. Irrita jogadores, treinadores e torcedores dos dois times, mas tem uma força incrível no Circo Brasileiro de Futebol.

Luan comemora o primeiro gol do Atlético
Luan festeja gol do Galo contra o Peixe 

No Independência, diante de 21.771 torcedores (havia menos gente), o hermano Sampaoli recebeu o espírito do ‘professor Pardal’, deixou o artilheiro Sasha e o jovem Tailson no banco, colocou o baixinho Soteldo de centroavante e pimba na caxirola: Galo, 2 a 0. Tchau sonho de caneco!

Luan, no início da partida, e Leonardo Silva, 40 anos, aos 22 minutos do primeiro tempo, derrubaram uma invencibilidade de seis jogos do Santos (quatro triunfos e dois empates) e garantiram a vitória do Galo após cinco rodadas sem vencer.

Com o resultado, o Galo deu uma bicada no ‘fantasma’ do rebaixamento. Chegou a 35 pontos, em 12º lugar, a nove da zona do agrião queimado. O Peixe continua em terceiro, com 51 pontos. No próximo fim de semana, vai encarar a crise corintiana no Itaquerão, minha casa minha vida. O Galo enfrentará o soberano Tricolor, fora de casa.

E o São Paulo entrará animado com a vitória sobre o Avaí por 1 a 0, gol de Arboleda, aos 5 minutos da etapa final. Daniel Alves cobrou escanteio e o zagueiro completou de cabeça. Com o triunfo no Morumbi, o Tricolor superou o Corinthians na tabela (46 a 44 pontos) e entrou no G4, grupo da Libertadores. Ocupa a quarta posição.

O desempenho são-paulino não agradou a torcida (20.763 presentes/R$ 714.527) contra o lanterna do campeonato, com apenas 17 pontos. O time jogou com um a mais desde 22 minutos do primeiro tempo. Brenner foi expulso ao cometer falta. Chegou a ser vaiado.

Pato, mais uma vez, decepcionou. E perdeu um gol incrível. Sem goleiro, chutou para fora, aos 4 da etapa final. Arboleda, que completou 100 jogos com a camisa do Tricolor, foi o destaque do time. O meia Igor Gomes, que entrou no intervalo, no lugar do machucado Bruno Alves, também foi bem. Já merece a titularidade.

Nos últimos quatro jogos com o Avaí no Morumbi, o soberano ganhou três e empatou um. Os catarinenses não vencem desde 2010.

Gol de Arboleda em São Paulo x Avaí
Arboleda garante triunfo do Tricolor

Em Porto Alegre, o Vasco quebrou um tabu de 12 anos: derrotou o Saci colorado no Beira-Rio. O atacante Marrony marcou o gol da vitória. O time do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo agora tem 37 pontos e se afastou de vez da zona de rebaixamento. Os gaúchos estão em sexto, com 42. O time colecionava cinco triunfos e um empate como mandante. No outro jogo da rodada, Chape 2 x 2 Goiás.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. A corrupção em Brasília é incurável.

Vá catar coquinho. Manda quem pode, obedece quem precisa… e tem uma gota de juízo. Gigante pela própria natureza, o Flamengo decidiu enquadrar o Circo Brasileiro de Futebol, mostrar à cartolagem parasita que o clube é o senhor das chuteiras. Chega de chupa-cabra, de exploradores do pé de obra alheio. O Rubro-negro deu uma solene banana aos engomadinhos de colarinho branco da casa maldita do ludopédio nacional e se negou a ceder o atacante Reinier para defender a seleçãozinha no Mundial sub-17. Um ótimo pontapé nos fundilhos da cartolagem que não paga um tostão aos clubes pela cessão do atleta, mas se acha a dona do pedaço. Só falta tomar o bolo da Maria da Paz.

Vá catar coquinho 2. A equipe carioca não se intimidou com as ameaças do chefão Rogério Caboclo e sua corriola, como aconteceu, lamentavelmente, com Santos e Furacão. Eles foram advertidos que sofreriam graves consequências, até perda de pontos, se não liberassem o atacante Rodrygo e o lateral Renan Lodi para o Torneio de Toulon, um autêntico balcão de negócios. Ou seja, manequins fardados de verde-amarelo. Senhor dos anéis sem dedos, o cartola-mor acreditou que poderia fazer o mesmo com o Flamengo e dançou o quadradinho de oito. O buraco é mais embaixo. Uma vez Flamengo, sempre Flamengo… Que venha a liga!

Zé Corneta. Borja, mais ignorado no Palmeiras que a frase ‘Só para maiores de 18 anos’

Jogadores estátuas. Sem receber há seis meses, o time do Veracruz cruzou os braços no início da partida com o Tigres pelo Campeonato Mexicano. O adversário respeitou o protesto durante um minuto, esperou o goleiro Jurado colocar a bola em jogo e marcou dois gols em três minutos, já que os atletas do Veracruz permaneceram como estátuas. Aí o jogo começou para valer e terminou 3 a 1 para o Tigres. A situação do Veracruz é caótica. Falta até remédio, além de bolsas de gelo. A equipe carrega a lanterna com quatro pontos. Se a moda pega, a média de gols do Brasileirão vai explodir!

Sugismundo Freud. Aprenda a rir nos tropeços.

Garoto em baixa. O atacante João Pedro, namorada da atriz Mel Maia, passou de garoto sensação (oito gols em sete jogos) a vilão no Fluminense. Sem correr para o abraço há nove jogos, ele divide as vaias da torcida com Ganso. Fora de campo, a vida de JP, 18 anos, também está complicada. Dias atrás, foi pressionado num restaurante quando jantava com familiares e Mel Maia. E ganhou muitas críticas porque foi ao Rock in Rio com a amada. JP já está vendido ao Watford, da Inglaterra.

Caiu na rede. Nem Libertadores, nem Brasileirão, nem Copa do Brasil: feliz ano novo, Palmeiras!

Gilete press. De Gabriel Mascarenhas, no Globo: “O Corinthians estava com uma reunião marcada para o fim deste mês na China. Iria negociar a venda do “naming rights” do Itaquerão com um grupo de empresários locais. Ronaldo Fenômeno, que está ajudando o clube na interminável busca por interessados em emprestar um nome ao estádio, havia se colocado à disposição para marcar presença na empreitada asiática. Nada feito. Os chineses pediram para remarcar a reunião para o fim deste ano ou início do próximo.” Água no chope.

Tititi d’Aline. O ‘pofexô’ Vanderlei Obama Luxemburgo ataca em São Januário. O ‘mestre dos mestres’ discursou aos jogadores: quer uma vaga na Libertadores. “Quando falo para vocês que não nasci para perder, é porque eu nasci para ganhar. Quando chegamos, éramos os últimos colocados. Eu quero coisa boa. Vamos trabalhar para c… agora, porque o Vasco é forte para c… Podemos ser precursores da volta do Vasco para a elite do futebol brasileiro.” Só faltou ‘yes, we can’.

Você sabia que… o Botafogo coleciona três vitórias, três empates e uma derrota contra o Avaí no Brasileirão?

Bola de ouro. Bahêa. Os jogadores entrarão em campo para encarar o Ceará com uma camisa ‘manchada de óleo’. O protesto é contra o vazamento de óleo que tomou conta de praias nordestinas. Um exemplo de clube fora de campo, o Bahêa também divulgou um manifesto: “Quem derramou esse óleo? Quem será punido por tamanha irresponsabilidade? Será que esse assunto vai ficar esquecido?”. Mais um gol de placa dos baianos.

Bola de latão. Paulistinha. A maior cidade do país vai para nesta terça: a ínclita FPF definirá os grupos do próximo estadual, a pré-temporada com ingresso pago. Um disputadíssimo campeonato de bolinha de gude na Pauliceia desvairada.

Bola de lixo. Corinthians. Extraordinária campanha no Brasileirão: um jogo ruim e outro meia-boca. Entre os 10 primeiros do Brasileirão, só o time do estrategista Carille conseguiu a proeza de não vencer nas últimas cinco rodadas. Faturou apenas três pontos em 15 disputados. Ninguém aguenta mais o chororô de Carille após os jogos.

Bola sete. “Difícil entender como funciona a cabeça dos técnicos e Fábio Carille não é exceção. Escala um time mais leve, de toque de bola e, em vez de Boselli, o mais inteligente do elenco, que se coloca como nenhum outro, põe o poste Gustagol” (de Juca Kfouri, no Uol – cabeça dura).

Dúvida pertinente. Vale a pena o Corinthians esperar até dezembro para demitir Carille?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br