Dudu, uma noite especial: 300 jogos, gol da vitória, pênalti perdido e liderança do grupo

Dudu, 300 jogos: o dono da noite

O baixinho Dudu roubou a noite na mansão Allianz Parque (19.086 torcedores/R$ 1.011.248,14). Completou 300 jogos com a camisa do Palmeiras, garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, desperdiçou um pênalti e levou o time à liderança do grupo B na abertura da sétima rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago.

Ao final da partida, Dudu foi aplaudido pela galera. É o grande ídolo da equipe. Em 300 duelos, acumula 172 triunfos, 61 empates, 67 derrotas, 70 gols e 76 assistências. É o atleta que mais atuou no novo estádio: 125 embates, 89 vitórias, 33 gols e 33 passes como garçom. Artilheiro do Palestra no século, ganhou dois Brasileiros (2016/18) e uma Copa do Brasil.

É o 33º jogador que mais vezes defendeu o Palmeiras. O top 5: Ademir da Guia – 902 jogos; Emerson Leão – 621; Waldemar Fiume – 619; Dudu, o volante – 614; e Valdemar Carabina – 596.

Com a vitória, o Palmeiras chegou a 16 pontos no grupo B, um à frente do Santo André, que joga no fim de semana com o Bragantino. O Guarani soma nove pontos e continua na ponta da chave D, mas pode cair para terceiro se Corinthians e Bragantino vencerem na rodada. O time corintiano encara o Água Santa.

O Palmeiras mereceu a vantagem de 1 a 0 no primeiro tempo. Mesmo sem muita intensidade, a equipe conseguiu se impor ao Guarani, empurrá-lo para as cordas com boas trocas de passes. Faltou apenas explorar mais as descidas pelas laterais.

A equipe campineira encontrou dificuldades para sair da defesa, já que o Palestra adotou marcação alta. Levou perigo apenas numa jogada de Alemão, que deixou Felipe Melo no chão, arrematou e Weverton defendeu.

Dono das ações, o Palmeiras foi recompensado aos 26 minutos. Willian deu ótimo passe a Dudu na direita. O atacante fuzilou e correu para o abraço – 70º tento do baixinho com a camisa dos periquitos em revista.

Nos últimos minutos da etapa inicial, o Palmeiras diminuiu o ritmo, o Guarani cresceu um pouco, mas não o suficiente para merecer a igualdade no placar.

O Palmeiras manteve o domínio no início da segunda etapa e poderia ter aumentado o placar aos 7. Dudu passou por um adversário e caiu. Sua senhoria, o assoprador de latinha Vinicius Furlan, apontou pênalti. O palmeirense cobrou e Jefferson Paulino defendeu.

A equipe do interior ficou entusiasmada e se lançou ao ataque. O Palmeiras sentiu o golpe do pênalti perdido, passou a errar jogadas e permitiu ao Guarani sonhar com um empate. Giovanny desperdiçou ótima chance aos 12.

O ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo trocou Matías Viña por Victor Luis, Raphael Veiga por Luan e Luiz Adriano por Gabriel Veron. Com a entrada de Luan, Felipe Melo voltou à função de volante. Com a terceira vitória consecutiva, o Palmeiras ganha moral para enfrentar o Peixe no dia 29, no Pacaembu.

Pela Copa Sul-americana, o Galo bateu o Union Santa Fé por 2 a 0, mas não abocanhou a vaga à segunda fase. Os argentinos se classificaram graças ao triunfo por 3 a 0 no primeiro jogo, em casa. Otero e Hyoran (pênalti) marcaram os gols do time mineiro na primeira etapa. Público no Independência: 16.291 (R$ 187.170). Pelo Mineirinho, Tombense 2 x 0 Raposa.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo, à imagem e semelhança da barbárie.

Papa-títulos. Pelo ‘toco y me voy’ da pátria das chuteiras furadas até agora, a temporada promete ser mais frustrante para os coirmãos do Flamengo do que o trabalho de cameraman de filme pornô. Jesus distribuiu a cartilha da competência no segundo semestre de 2019, mas pelo jeito as sandálias da humildade continuaram mofando no quartinho das bugigangas. Ninguém absorveu os ensinamentos do mestre português. Optaram por deixar a banda rubro-negra desfilar na avenida, tomar conta da bola novamente e poder soltar o grito de campeão nos enredos Recopa Sul-americana, Carioquinha, Copa do Brasil, Brasileirão e Libertadores.

Image result for fotos flamengo comemorando titulo
Gabigol e Bruno Henrique: dupla infernal

Papa-títulos 2. O carnaval da vitória começou com a Supercopa do Brasil, que um cartola gaiato do Circo Brasileiro de Futebol ousou vendê-la como ‘Super Bowl’ do ludopédio tupiniquim. Queira ou não a turma que morde o cotovelo de inveja, o Urubu voa mesmo em outro patamar. O Flamengo só perde para ele mesmo, ou seja, para o time reserva – César, João Lucas, Léo Pereira, Gustavo Henrique, Renê, Piris da Motta, Diego, Vitinho, Pedro Rocha, Pedro e Michael. Um elenco de R$ 200 milhões. O reco-reco, o tamborim e o pandeiro só deverão atravessar no Mundial da mamãe Fifa. Jesus é abençoado, mas não milagreiro.

Zé Corneta. Salve-se quem puder: faroeste caboclo em ação.

Tilintar das moedas. A poupança de Pedrinho ganhará um substancial reforço com a transferência para o Benfica. O atacante embolsará R$ 580 mil por mês, mais algumas mordomias. No Corinthians, Pedrinho belisca R$ 180 mil para a xepa. Se a transação subir no telhado, o atleta terá um reajuste no clube paulista: R$ 380 mil mensais.

Sugismundo Freud. O esporte tem a capacidade de transformar pensamentos, educando pelo prazer.

Pizza baiana. Aos 31 anos, o meia Rodriguinho assinou com o Bahêa até dezembro de 2021. O clube adquiriu 40% dos direitos do atleta. A Raposa, ex-time, ficou com 20%, e Rodriguinho detém 40%. É o sétimo reforço do Bahêa para a temporada. Antes, chegaram o volante Jadson, os laterais Zeca e Juninho Capixaba, o meia Daniel e os atacantes Clayson e Rossi. Rodriguinho deverá receber R$ 350 mil por mês, mais bônus por objetivos alcançados. No Cruzeiro, beliscava R$ 750 mil.

Caiu na rede. Miojo, o prato de Honda no Botafogo – não há dinheiro para guloseima mais sofisticada.

Beija-mão. Boa parte da torcida do Flamengo ficou uma fera com o presidente Rodolfo Landim e os vices Marcos Braz e Luiz Eduardo Baptista, o Bap, que provoca a cizânia no clube. O trio parada dura pediu a ‘bênção’ de Bozo após a conquista da Supercopa do Brasil. Vira e mexe Landim se curva aos pés de Bozo.

Cassino Brasil. Bozo, o samaritano, pretende recriar sorteios para ajudar TVs amigas.

Drama francês. E o PSG está novamente no bico da cegonha sem asas na Champions, mesmo com a volta de Neymar. A derrota para o Borussia Dortmund (2 a 1) colocou a equipe no paredão: vencer o segundo embate em Paris ou dizer mais um adeus nas oitavas de final. O PSG do ‘menino Ney’ nunca chegou às quartas. Coleciona três eliminações consecutivas.

Esquindolelê. Curta o carnaval. Ninguém é de ferro. Até o Galo da Madrugada!

Gilete press. Do comentarista ‘Muriçoca’ Ramalho, no SporTV: “Os nossos jogadores estão muito valorizados pelo que jogam. A verdade é essa, sinceramente. O Soteldo é bom jogador? É. Mas não vale os R$ 50 milhões que o Atlético-MG queria dar. Não sei que realidade estamos que os clubes não têm dinheiro e continuam gastando, e gastando mal. Acho que aí está o problema. A montagem dos times. Aí pegamos qualquer time do Equador, que arma direitinho o time, e complica a gente.” No alvo.

Tititi d’Aline. Marcelo Moreno, jovem promessa de 32 anos, topou assinar um contrato de risco com a Raposa. Até dezembro deste ano, vai abocanhar R$ 200 mil por mês; se o time voltar à elite do Brasileirão, o atacante passará a faturar R$ 400 mil em 2021. Marcelo Moreno ganhava R$ 800 mil na equipe chinesa Shijiazhuang Ever Bright.

Você sabia que… o Corinthians é o clube que mais deve à União, com R$ 737,7 milhões de débitos, sem contar o financiamento do Itaquerão, minha casa minha vida?

‘Bola de ouro’. Corinthians. Vovó Mafalda só queria entender: até a eliminação do time no ‘vestibular’ da Libertadores, os atacantes Gustagol e Madson eram peças importantes no banco, armas para uma virada de jogo. Nesta semana, porém, foram rifados pelo ‘professor’ Tiago Nunes e emprestados ao Saci colorado e Fortaleza.

Bola de latão. Vasco. Encara apenas 180 processos na Justiça, metade de ex-jogadores, ex-técnicos ou ex-funcionários do futebol, entre eles Nei, Elder Granja, Léo Moura, Pedrinho, Felipe, Juninho, Edmundo e Viola. As dívidas superam R$ 8 milhões.

Bola de lixo. Fluminense. Fim da linha na Sul-americana. Um vexame histórico. Perdeu a vaga para o desconhecido Union la Calera, time pequeno do Chile. O ‘professor’ Odair Hellman já balança no cargo. Escalou mal e mexeu ainda pior. Foi bombardeado com críticas da torcida tricolor. Se chegasse ao caneco, o Fluminense embolsaria R$ 27 milhões.

Bola sete. “Acho que o Tite está sendo fritado. Sinto que as pessoas se cansaram do discurso do Tite e por isso o estão desgastando. Ele tem a maneira dele de falar e mostrar o futebol. Se o resultado não vem, o discurso é uma merda. Se o resultado vem, é ótimo. É futebol, cara” (de Vanderlei Luxemburgo, à revista Placar – o ‘pofexô’ conhece como poucos os bastidores do poder).

Dúvida pertinente. Juiz de garantias, o VAR da Justiça?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Joia norueguesa do Borussia derruba PSG de Neymar; Liverpool leva bala na Espanha

Haaland, 19 anos e 1,94m: em sete jogos, 11 gols pelo Borussia

O atacante norueguêErling Haaland, 19 anos, roubou a cena na abertura das oitavas de final da Champions. Já considerado um fenômeno, o garoto marcou os dois gols da vitória do Borussia Dortmund sobre o milionário PSG por 2 a 1, noWestfalenstadion. Neymar assinalou o tento dos franceses.

No jogo de volta do mata-mata (11 de março), em Paris, o time alemão garante a classificação às quartas com um empate. O PSG segue na luta com um triunfo por 1 a 0. Se vencer por 2 a 1, a vaga será decidida nos pênaltis. Triunfo do PSG por 3 a 2, 4 a 3, 5 a 4 beneficiará o Borussia pelo critério gol na casa do adversário.

Antes de ser contratado pelo Borussia por 20 milhões de euros (R$ 94 milhões) no final de dezembro, Haaland havia marcado oito gols na fase de grupos da Champions com a camisa do RB Salzburg. Na estreia no torneio, fez dois e igualou os 10 de Lewandowski, do Bayern de Munique – jogará contra o Chelsea na terça de carnaval.

Em sete confrontos pelo Borussia, incluindo a Bundesliga e a Copa da Alemanha, o matador norueguês balançou 11 vezes a rede do inimigo. Em 22 embates pelo RB Salzburg, Haaland, 1,94m, marcou 28 gols e deu seis assistências. A joia norueguesa tem contrato com o Borussia até 2024. Custou ao clube alemão o mesmo que o Ajax pagará ao soberano São Paulo por Antony, e o Benfica pelo corintiano Pedrinho.

Apesar de dominar o jogo desde o início, o Borussia só abriu o placar aos 24 do segundo tempo. Hakimi desceu pela direita e cruzou para Guerreiro finalizar. A bola desviou no meio do caminho e sobrou Haaland estufar a rede.

Sete minutos depois, Neymar empatou, após grande jogada de Mbappé, que passou por dois marcadores e tocou para o brasileiro concluir. Aos 33, o norueguês recebeu de Reyna e mandou uma bomba de canhota: 2 a 1. Justiça ao melhor time em campo.

Em Madri, o Liverpool perdeu do Atlético de Madrid por 1 a 0, gol de Saul, aos 4 minutos de partida. Atual campeão da Champions, o time inglês decepcionou. Conseguiu a proeza de não acertar um chute no gol de Oblak.

Com o triunfo, o time espanhol carimba uma vaga nas quartas sem empatar no segundo duelo, na Inglaterra, em 11 de março. O Liverpool precisa vencer por dois gols de diferença. Se devolver o 1 a 0, pênaltis. Se ganhar por 2 a 1, 3 a 2, 4 a 3, será eliminado.

Desde que Diego Simeone assumiu a casamata do Atlético de Madrid, em 2011, o time nunca foi derrotado como mandante em mata-mata da Champions. Em 11 partidas, obteve nove vitórias e dois empates. Levou somente dois gols.

O lateral brasileiro Renan Lodi, ex-Furacão, foi um dos destaques do Atlético de Madrid. Acertou 64% dos passes (total de 25). Defendeu e apoiou o ataque com eficiência. Já o atacante Salah foi mal no Liverpool. Substituído aos 26 minutos do segundo tempo, negou-se a cumprimentar o técnico Jürgen Klopp.

Renan Lodi, Atlético de Madrid, Salah, Liverpool
Salah e Renan disputam a bola em Madrid

Pitaco do Chucky. Não vai sobrar nem apito para os índios. É questão de tempo.

Circo do terror. O secretário-geral do Circo Brasileiro de Futebol, Walter Feldman, aproveitou os holofotes de uma CPI sobre o trágico acidente da Chapecoense para cantar de galo no Senado. Ele garantiu que um modelo de fair play financeiro inspirado no europeu será adotado ainda este ano no esporte bretão nacional: ‘Quem não seguir rigidamente as normas será punido, podendo até perder pontos’, ameaçou cartola. Porém o banimento do clube, como aconteceu com o Manchester City, está descartado: ‘Não temos ainda o sistema da Uefa, mas as punições ensinarão ao futebol brasileiro que tudo precisa ser feito de maneira correta.’ Os clubes devem discutir um modelo depois do carnaval. Poderiam aproveitar o embalo e sugerir um pente-fino nas contas da casa maldita do ludopédio nacional.

Zé Corneta. O atacante Pato resolveu mudar da água para o vinho, afastar o mau olhado: apareceu careca no treino tricolor. Quén quén…

Moscas em festa. Os estaduais empolgam cada vez mais. Nada menos que… 2.502 testemunhas assistiram à vitória do Coelho sobre o Coimbra por 2 a 0, no Horto, pela sexta rodada do Mineirinho. Um carro-forte foi requisitado para transportar a dinheirama da renda: R$ 11.480. Detalhe: o América lidera o campeonato.

Sugismundo Freud. Previsão do tempo: ele está passando… Aproveite.

Jogo de cena. Que o soberano Tricolor tem carradas de razão de protestar contra os assopradores de latinha, não se discute. Mas o exército Brancaleone, comandado pelo general Raí e pelo sargento Lugano, não pode se achar no direito de peitar Marques das Flores e bandeirinhas na trilha dos vestiários do Morumbi. Casa própria não significa sinal verde para tentar agredir sua senhoria, despejar ‘filho da puta’ e denunciar complô sem apresentar provas. O carismático CA de Barros e Silva, seus pares e ímpares deveriam montar uma barraca em frente à FPF, após o Majestoso, e ficar à espera do presidente Reinaldo Carneiro Bastos e da mandachuva do apito, ex-bandeirinha Ana Paula de Oliveira, para cobrar providências. Ou, então, retirar o time de um campeonato de ‘cartas marcadas’.

Caiu na rede. GreNal perde a graça. Imortal procura um novo coirmão.

Carneiro x lesões. Preocupados com uma série de problemas físicos nos jogadores, os cartolas do Raja Casablanca sacrificaram um carneiro para espantar a zica. De acordo com a mídia do Marrocos, a ‘cerimônia’ foi realizada no estádio do clube sob olhares incrédulos de trabalhadores. A carne foi repartida entre os funcionários. Doze atletas se machucaram desde o início da temporada. O Raja eliminou o Galo nas semifinais do Mundial da mamãe Fifa em 2013. Os jornais lembraram que o clube matou um bezerro em 2006 para trazer boa sorte.

Papo na padoca. Flamengo, hors concours no ludopédio nacional.

Gilete press. Do ex-árbitro Paulo César de Oliveira, no SporTV: “O racismo no futebol é um reflexo do que acontece na sociedade, da população carcerária que tem a sua maior parte negra, do desemprego que na população negra é maior… São poucos negros ocupando cargos de chefia, e isso é uma dívida muito antiga, desde o processo de colonização que a gente vive esse problema. Só que agora está chegando num ponto que a gente pode ter situações mais graves se os dirigentes não tomarem providências. As ações da Fifa não têm sido suficientes porque são pensadas por pessoas que não sofrem com atos discriminatórios.” No alvo.

Tititi d’Aline. O goleiro Alisson, considerado o melhor do mundo, revelou uma das armas do sucesso do Liverpool: pratica o futebol-tubarão. Ou seja: ‘Sente cheiro de sangue na água, fica cego e ataca.’ Resultado: rei da Champions 2018/19, campeão do Mundial da mamãe Fifa, líder disparado da Premier League, com 76 pontos – 25 vitórias e um empate. Garantiu uma vaga na próxima Liga dos Campeões com sete meses de antecedência, um recorde.

Você sabia que… o atacante Hulk, objeto de desejo do Palmeiras, ganha R$ 7 milhões por mês no chinês Shanghai SIPG?

Bola de ouro. Messi/Hamilton. O hermano e o piloto dividiram o prêmio Laureus, o Oscar do esporte. Pela primeira vez na história (20 anos) a votação terminou empatada. Eles superaram o golfista Tiger Woods, o tenista Rafael Nadal, o motociclista Marc Maquez e o maratonista Eliud Kipchoge. A melhor esportista foi a ginasta americana Simone Biles.

Bola de latão. Ana Paula de Oliveira. A chefe dos assopradores de latinha do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, até agora não respondeu às pesadas acusações do soberano Tricolor ao comportamento dos juízes no Morumbi. Uma delas, segundo Raí: ‘Estamos sendo roubados dentro de casa.’ Quem cala consente.

Bola de lixo. Wagner Pires. Depois de mergulhar a Raposa num tsunami financeiro, o ex-mandachuva e raios continua auxiliando com ótimos fluidos o pão de queijo: ninguém vai contratar o zagueiro Dedé porque ‘ele está fodido, não passa no exame médico’. De quebra, ganha R$ 800 mil por mês.

Bola sete. “Enfim, ele admitiu um erro e aprendeu a pedir desculpas. Antes tarde do que nunca!” (do jornalista Renato Maurício Prado, desafeto de Galvão Bueno, sobre o mea-culpa do narrador, que maltratou a repórter Nadja Mauad no duelo Flamengo x Furacão – desce o pano).

Dúvida pertinente. Norueguês Haaland, do Borussia, a nova pérola do planeta bola?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

 

De virada, Palmeiras detona Mirassol em 8 minutos; Flamengo de Jesus, mais um título

Luiz Adriano comemora gol pelo Palmeiras
Luiz Adriano comemora terceiro gol do Palmeiras

De virada, na nova relva da mansão Allianz Parque, o Palmeiras derrotou o Mirassol por 3 a 1. O bem armado time do interior saiu na frente, com um gol de Rafael Silva no segundo tempo. O Palestra partiu para a pressão e marcou três em apenas oito minutos (Gustavo Gómez, Raphael Veiga e Luiz Adriano), levando a galera à loucura – 26.538 espectadores/R$ 1.543.471,14.

O lateral-esquerdo Matiñas Viña estreou muito bem no Palmeiras. Que teve um torcedor ilustre: o atacante Hulk, acompanhado da nova mulher e dos filhos. Palmeirense, ele assistiu à partida nos camarotes, próximo ao atacante Dudu (suspenso). Hulk pertence ao Shangai SIPG, da China.

Os periquitos em revista continuam na segunda colocação do grupo B, agora com 13 pontos, dois atrás do Santo André, dono da melhor campanha do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, depois de seis rodadas. O Novorizontino tem três e o Botafogo, dois.

A equipe do Mirassol também está em segundo no grupo C, com nove pontos, mesmo número de Inter de Limeira (líder) e soberano Tricolor (terceiro lugar, fora da zona de classificação às quartas de final).

O Palestra dominou a etapa inicial, mas foi pouco vertical, permitindo o bloqueio do Mirassol a partir da intermediária. Criou raras chances de gol. Gabriel Veron substituiu Dudu, suspenso, e pouco produziu.

Na volta do vestiário, duas mudanças do ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo: Mayke e Lucas Lima saíram. Gabriel Menino entrou na lateral e Raphael Veiga no de campo. O time ficou mais agressivo, porém tomou o gol aos 14. Maranhão deixou Gustavo Gómez na saudade, cruzou e Rafael Silva concluiu para a rede.

O Palestra apertou o cerco ao Mirassol e nocauteou o coirmão em oito minutos. Gómez empatou aos 24. Quatro minutos depois, Raphael Veiga assinalou o segundo, desviando cruzamento de Bruno Henrique (havia entrado no lugar de Zé Rafael). E, aos 32, Luiz Adriano nocauteou o Mirassol.

O Palmeiras abrirá a sétima rodada do campeonato na próxima quinta. Receberá o Guarani. O Mirassol jogará na sexta, contra o Novorizontino, na casa do adversário.

Jogadores do Flamengo comemoram a conquista da Supercopa — Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Flamengo, a mesmice de sempre: campeão

No café da manhã em Brasília, com 48.009 convidados (R$ 7.423.760), o Flamengo simplesmente transformou o Furacão numa brisa e conquistou a Supercopa do Brasil. Em ritmo de treino, ganhou por 3 a 0, gols de Bruno Henrique, Gabigol e Arrascaeta, o trio parada dura do Rubro-negro.

O Urubu conquistou o caneco pela primeira vez. A taça voltou a ser disputada depois de 29 anos. Antes, Grêmio (1990) e Corinthians haviam feito a festa. Em oito meses na casamata do Rubro-negro, mister Jesus papou o terceiro título. Ano passado, deu a volta olímpica no Brasileirão e na Libertadores.

A equipe da Gávea dominou o Furacão desde o início da partida. Nem o forte calor de Brasília diminuiu a intensidade do Flamengo. Bruno Henrique abriu o placar aos 15 minutos de jogo. Gabigol aumentou aos 28. E Arrascaeta fechou o caixão aos 23 do segundo tempo. Nos minutos finais, a galera gritou ‘olé’ no estádio Mané Garrincha.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Não se preocupe com a família Dó-Ré-Mi-Ferrou, dias piores ainda virão.

Boavista x Fla. O Verdão de Saquarema decidirá a Taça Guanabara (primeiro turno do Carioquinha) contra o Flamengo, no próximo fim de semana. A equipe empatou em 1 a 1 com o Volta Redonda, no estádio Elcyr Resende. O Boavista tinha a vantagem da igualdade. Caio Dantas marcou no primeiro tempo. O Voltaço empatou no segundo com Marcelo, cobrando pênalti, após revisão do VAR. O embate Boavista x Flamengo será no sábado de carnaval, no ‘new Maraca’. Ninguém tem é favorecido pelo empate.

Zé Corneta. Soberano São Paulo: é muito chororô para pouco lenço.

Game over. A Fiel está frustradíssima com o novo vexame do Corinthians no ‘vestibular’ da Libertadores. Cinco anos depois, o David paraguaio voltou a matar o Golias brasileiro. Em 2015, o Guarani eliminou o Corinthians nas oitavas de final. Venceu por 2 a 0, em Assunção, e 1 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida. Ou seja, não aprendeu a lição. Levou outra bordoada de uma equipe que torra nada menos que R$ 1,3 milhão por mês para manter o elenco. Uma fortuna! O Corinthians investe módicos R$ 12 milhões no bico quadrado das chuteiras. Quarta desclassificação da competição atuando em seu estádio, com direito a uma sangria de R$ 20 milhões somente em premiações. Vai Corinthians… sentar em frente à TV, comer uma pipoquinha, tomar uma tubaína sem gelo e secar os coirmãos.

Game over 2. A equipe corintiana agora só poderá brigar pelo Paulistinha, Copa do Brasil e Brasileirão. Voos domésticos, e olhe lá! Passaporte na gaveta até o começo de 2021, à espera de um convite para disputar a badalada ‘Copa Mickey’, caça-níquel que apenas complica a preparação de qualquer time depois das férias. Parabéns, Andrés ‘Desmanchez’!

Sugismundo Freud. Sorriso para dias bons, paciência para dias ruins e cerveja para todos os dias.

Marega decide deixar o campo, e Alex Telles tenta acalmá-lo — Foto: Miguel Riopa/AFP
Marega decide deixar o campo

Vergonha portuguesa. Inconformado com os insultos racistas de imbecis da torcida do Vitória de Guimarães, o atacante Moussa Marega, do Porto, abandonou a partida aos 23 minutos do segundo tempo. Foi substituído por Wilson Manafa. Marega deixou o campo mostrando o dedo do meio para os torcedores rivais. Nas redes sociais, criticou os árbitros “por não me defenderem e por terem me dado um cartão amarelo porque defendo minha cor de pele”. Lamentável. O Porto ganhou por 2 a 1. Mareta marcou o segundo gol.

Papo na padoca. Nada mudou: Lucas ‘Lesma’ continua o mesmo no Palmeiras.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Flamengo é proibido de disputar competições oficiais para dar chance aos outros times.

Gilete press. Do ex-juiz Sandro Meira Ricci, no Globo.com: “A Federação Paulista, a exemplo da CBF, não profissionaliza seus árbitros, mas mantém uma estrutura de arbitragem inchada que não entra em campo. O modelo de preparação dos árbitros, com minitemporadas e reuniões esporádicas, está falido há anos e ninguém faz nada. Os árbitros precisam treinar todos os dias, assim como os jogadores. Os clubes sabem de tudo isso e nada fazem, a não ser reclamarem quando são prejudicados. Preferem esperar a polêmica para criarem teorias da conspiração.” No alvo.

Zapping. Terceiro Tempo, da Band, um dinossauro esportivo na telinha. Que coisinha ruim!

Tititi d’Aline. Está complicadíssima a xepa do ‘menino Ney’ em Paris. Tem que se virar nos 30 com 3 milhões de euros (R$ 14,1 milhões) por mês no PSG, sem contar as premiações. Ou seja, pouco menos de R$ 500 mil por dia. De acordo com o ‘L’Equipe’, Neymar é o rei do cascalho no futebol francês. Oh céus, oh vida…

Você sabia que… Gabigol já marcou 47 gols com a camisa do Flamengo, um a mais que Adriano, o Imperador?

Bola de ouro. Flamengo. Um banho de futebol na disputa da Supercopa do Brasil. Passou como trator por cima do Furacão e soltou o primeiro grito de campeão na temporada. Nunca foi tão fácil faturar um prêmio de R$ 5 milhões e provar, mais uma vez, estar em outro patamar.

Bola de latão. Furacão. Quem te viu quem te vê: desmontou o time, com a saída de Bruno Guimarães (um craque), Marcelo Cirino, Camacho, Pedro Henrique, Leo Pereira e Marco Ruben, e jogou pedrinha contra o Flamengo. Também perdeu o ‘professor’ Tiago Nunes, substituído por Dorival Júnior.

Bola de lixo. Arbitragem. Os assopradores de latinha estão uma lástima no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. A chefe dos apitos, Ana Paula de Oliveira, foi com muita sede ao pote da renovação e se complicou.

Bola sete. “A diretoria do São Paulo comemora vendas e não troféus. E vai passar para a história como aquela que mais arrecadou e menos venceu. Parabéns aos envolvidos” (de Arnaldo Ribeiro, no Uol – é vero).

Dúvida pertinente. O Flamengo vai passar o rodo nesta temporada, enfileirando Supercopa, Carioquinha, Recopa Sul-americana, Copa do Brasil, Brasileirão e Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘O São Paulo está sendo roubado dentro de casa’, desabafa Raí após empate com Corinthians

 

Camacho x Igor Gomes: Tricolor pediu penalti

Então, ficamos assim: se está bom para ambas as partes, vamos morrer abraçados no ‘oxo’, comer uma pizza depois da partida e deixar o chororô contra sua senhoria, o assoprador de latinha Wagner Marques das Flores, à cartolagem do soberano Tricolor. ‘Estamos sendo roubados dentro de casa, seja em clássico, seja contra time pequeno. O São Paulo não pode mais ser cobaia de árbitro’, esbravejou o gerentão Raí.

No vácuo das críticas do mandachuva da bola são-paulina, alguns dirigentes partiram para cima do juiz no túnel do vestiário. O ex-zagueiro Lugano precisou ser contido por policiais. E sapecou: ‘É muita coincidência. Os últimos três jogos foram escandalosos. Desde que voltei ao Brasil, cada clássico com o Corinthians é um pênalti que não dão. Eles têm muita influência. Corinthians e Flamengo levam sempre vantagem.’

O Tricolor ficou ensandecido porque Marques das Flores ignorou um pênalti de Camacho em Igor Gomes aos 47 minutos do segundo tempo. O meia invadiu a área e caiu após contato do corintiano. Para o comentarista de videoteipe de arbitragem da plim plim, o ex-juiz Salvio Spinola, houve falta de Camacho.

Ao longo da partida, São Paulo e Corinthians criaram boas oportunidades, mas fracassaram na hora de a onça escovar os dentes, no arremate final. Pato e Boselli desperdiçaram chances incríveis. Também encontraram pela frente as luvas de Cássio e Tiago Volpi. Eles pegaram muito e garantiram o 0 a 0.

Com o resultado, o Tricolor segue fora da classificação no grupo C do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Depois de seis partidas, acumula nove pontos, mesmo número de Inter de Limeira e Mirassol, porém perde nos critérios de desempate. O Mirassol pode assumir a ponta se empatar com o Palmeiras na mansão Allianz Parque, neste domingo.

Já o Corinthians está em segundo no grupo D, com oito pontos, um atrás do Guarani. O Bragantino também tem oito, mas perde do time corintiano no saldo de gols, 3 a 1. No sábado de carnaval, o tricampeão paulista visitará o Água Santa. O São Paulo vai enfrentar o Oeste, na casa do coirmão.

Outros resultados da sexta rodada: Botafogo 1 x 1 Água Santa, Inter 0 x 1 Santo André, Guarani 1 x 1 Novorizontino e Bragantino 3 x 0 Oeste.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. O som dos coturnos está cada vez mais forte na Pátria Amada Brasil.

Roda da fortuna. Pelo quinto ano consecutivo, o New York Knicks manteve a liderança do ranking de franquias mais valiosas da NBA. A equipe foi avaliada em US$ 4,6 bilhões (R$ 20 bi). O Los Angeles Lakers, do astro LeBron James, aparece em segundo na lista da revista Forbes, com US$ 4,4 bilhões (R$ 19,1 bilhões). O Golden State Warriors, de Stephen Curry, pinta em terceiro, com US$ 4,3 bilhões (R$ 18,6 bilhões). Pela primeira vez na história, as 30 franquias da liga valem pelo menos US$ 1,3 bilhão (R$ 5,6 bilhões). O valor médio de uma equipe, que era de US$ 1,9 bilhão (R$ 8,2 bilhões) em 2019, hoje está em US$ 2,12 bilhões (R$ 9,2 bilhões), um crescimento de 14%.

Roda da fortuna 2. No futebol, o valor médio das 20 equipes mais valiosas do mundo é de US$ 1,75 bilhão. O Real Madrid está no topo, com valor estimado em US$ 4,2 bilhões. Depois aparecem Barcelona (US$ 4 bilhões), Manchester United (US$ 3,8 bilhões), Bayern de Munique (US$ 3 bilhões) e Manchester City (US$ 2,69 bilhões).

O top 15 da NBA (em dólares):

1- New York Knicks: 4.6 bilhões
2- Los Angeles Lakers: 4.4 bilhões
3- Golden State Warriors: 4.3 bilhões
4- Chicago Bulls: 3.2 bilhões
5- Boston Celtics: 3.1 bilhões
6- Los Angeles Clippers: 2.6 bilhões
7- Brooklyn Nets: 2.5 bilhões
8- Houston Rockets: 2.47 bilhões
9- Dallas Mavericks: 2.4 bilhões
10- Toronto Raptors: 2.1 bilhões
11- Philadelphia 76ers: 2 bilhões
12- Miami Heat: 1.95 bilhão
13- Portland Trail Blazers: 1.85 bilhão
14- San Antonio Spurs: 1.8 bilhão
15- Sacramento Kings: 1.77 bilhão

Zé Corneta. Paulo Guedes, um ministro ‘parasita’ e discriminador de classes.

Plim plim na saudade. O campeão de audiência Corinthians voltou a fracassar na Libertadores e a supimpa Vênus Platinada chora o leite derramado no Itaquerão. O time da Fiel é garantia de ótimos números no ibope da grande Pauliceia dominada pela bandidagem. Corinthians x Guarani cravou 31,1 pontos. Ano passado, soberano Tricolor e Palmeiras registraram índices bem inferiores. O São Paulo amealhou 25,4 pontos contra o Talleres no segundo embate e 22,3 no primeiro. O Palestra pintou três vezes na telinha: duas diante do Junior Barranquilla (23,2 e 22,1) e uma contra o San Lorenzo (21,2 pontos). Em 2018, na fase de grupos, o Corinthians obteve mais de 30.

Sugismundo Freud. Casamento, uma prisão com festa, bebidas e final frustrado.

Sorria, Fiel! Há sempre o outro lado da moeda: com o fracasso no ‘vestibular’ da Libertadores, o Corinthians deixará de encarar o coirmão Palmeiras na fase de grupos. E o Dérbi não vai virar arroz de festa. Corintianos e palmeirenses poderiam disputar até 11 clássicos nesta temporada: três pelo Paulistinha, dois pelo Brasileirão, dois pela Copa do Brasil e quatro pela Libertadores.

Zapping. SporTV lidera a briga pela audiência na TV paga, com 0,93 ponto. O Fox Sports aparece em 11º, com 0,40, e a ESPN Brasil na poeira, em 19º, com 0,29.

Tchau, patrício! O ‘professor’ português Augusto Inácio, 64 anos, precisou de apenas 630 minutos, ou sete jogos, para curtir a louca dança das cadeiras no esporte bretão nacional. Contratado em 18 de dezembro de 2019 pelo Avaí, ele foi convidado a se retirar da casamata após dois triunfos, um empate e quatro tamancadas, com 33% de aproveitamento. O time catarinense marcou cinco gols e tomou sete. O acordo de Inácio terminaria em dezembro. Ai Jesus!

Papo na padoca. Um ano perdido em 40 dias: Corinthians mais rápido que Usain Bolt.

Gilete press. De Demétrio Vecchioli, no Uol: “Sai uma judoca suspensa por doping, entra uma judoca que acabou de cumprir suspensão por doping. A situação constrangedora é o caminho para o Brasil superar a ausência de Rafaela Silva e tentar classificar outra atleta na categoria até 57kg aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Jéssica Pereira, também do Instituto Reação, recém-liberada de uma suspensão, é a nova aposta da Confederação Brasileira de Judô (CBJ)”. Ippon.

Caiu na rede. Defesa do Corinthians anda mais exposta que frango de padaria.

Tititi d’Aline. Campeão do Super Bowl com o Kansas City Chiefs, o técnico Andy Reid também é conhecido por algumas patacoadas. Uma delas: ‘Nem todos os quadros de Mozart eram perfeitos. Mesmo assim, ele vendia por milhões de dólares.’ O genial compositor Johannes Wolfgangus Mozart nunca pegou um pincel na mão.

Você sabia que… o Corinthians amarga um jejum de seis jogos sem vitória contra o soberano Tricolor no Morumbi, colecionando um triunfo, dois empates e três sapatadas?

Bola de ouro. Robert Scheidt. Maior medalhista olímpico do país, com dois ouros, duas pratas e um bronze, o velejador de 46 anos carimbou o passaporte na classe Laser para a Olimpíada de Tóquio, em julho. O brasileiro participará pela sétima vez dos Jogos, um recorde, já que nenhum atleta do país competiu em tantas edições. Formiga (futebol feminino), Rodrigo Pessoa (hipismo) e Jaqueline Mourão (ciclismo) também podem atingir essa marca.

Bola de latão. Manchester City. Recebeu cartão vermelho da Uefa por maracutaias no fair play financeiro. O time foi suspenso por dois anos de competições europeias, além de multado em 30 milhões de euros (R$ 140 milhões). De acordo com a Uefa, o City adotou o 2+2= 5 nas receitas de patrocínio. Em 2016, por exemplo, indicou 67,5 milhões de libras da Etihad Airways, mas embolsou apenas 8 milhões de libras. A diferença foi bancada pelo dono do clube, Sheik Mansour bin Zayed Al Nahyan, da família que governa Abu Dhabi. O City vai recorrer ao Tribunal Arbitral do Esporte.

Bola de lixo. Flamengo. Um ano depois da tragédia no Ninho do Urubu, a cartolagem rubro-negra continua tratando a morte de 10 garotos sem um pingo de sensibilidade, ética, moral e o escambau. Segue empurrando com a barriga o problema da indenização, criticando ‘a fortuna que estão pedindo’, mas se vangloria de ter o elenco mais caro em um país que não respeita os mortos. Que acredita poder substituir a dor da perda de um filho por uma pensão de R$ 10 mil.

Bola sete. “O Corinthians perdeu protagonismo depois de ter dominado a segunda década do século 21. E perdeu porque Andrés Sanchez é o Eurico Miranda do Parque São Jorge. Arrogante, péssimo gestor, mal-educado, e certo de que é a última bolacha do pacote. Pois não é” (de Juca Kfouri, no Uol – no queixo).

Dúvida pertinente. Há um complô da federação contra o soberano São Paulo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘Paraguaio’ Pedrinho dá uma força e maldição continua: Corinthians eliminado da Libertadores

Boselli comemora o segundo gol do Corinthians

O filme voltou a se repetir. Com extraordinária participação do ‘paraguaio’ Pedrinho, o galã de 20 milhões de euros (R$ 95 milhões), o Guarani eliminou o Corinthians no ‘vestibular’ da Libertadores, apesar de ter perdido por 2 a 1, no Itaquerão, minha casa minha vida (40.327 pagantes/R$ 2.255.657,34). A equipe carimbou a vaga à próxima fase por ter marcado um gol no estádio da Fiel – no primeiro jogo, em Assunção, ganhou por 1 a 0.

A desclassificação representará uma sangria de R$ 20 milhões aos cofres do Corinthians em premiações da Conmebol, valor previsto no orçamento para 2020. O clube esperava chegar pelo menos às oitavas de final da Libertadores.

Expulso aos 29 do primeiro tempo, Pedrinho colaborou decisivamente para que a maldição continuasse de pé: há duas décadas o Corinthians não consegue reverter uma vantagem em mata-mata do torneio continental.

O jovem atacante entrou pilhado em campo. Tanto que tomou um cartão amarelo logo a dois minutos de jogo. Mesmo sabendo que estava no bico da cegonha sem asas, aplicou um bicicleta inútil e atingiu o rosto de um adversário. Sua senhoria, o assoprador de latinha argentino Nestor Pitana, acertou ao mandá-lo esfriar a cabeça no vestiário.

Ao longo da partida, o hermano usou dois pesos e duas medidas, agindo com rigor nas advertências aos corintianos e mais suave no papo com os paraguaios. Seu maior erro, porém, foi assinalar a falta que propiciou ao Guarani diminuir o placar – Fernando Fernandez, aos 7, com ajuda de Cássio. O zagueiro Gil nada fez em Bobadilla.

O Corinthians, com Vagner Love e Boselli na frente, e Luan e Pedrinho pelas laterais, pressionou o Guarani e abriu o placar aos 8. Luan limpou a zaga, bateu no canto esquerdo e o goleiro Servio colaborou. Aos 15, sinal de perigo: Pedrinho, Camacho e Cantillo pendurados com amarelo. Cinco minutos depois, Redes, em rebote de Cássio, perdeu a chance do empate.

A equipe corintiana retomou o controle do jogo e, mesmo sem Pedrinho, aumentou para 2 a 0, aos 31: Love recebeu de Luan, invadiu a área e cruzou na medida para Boselli estufar a rede e levar a Fiel ao delírio. Na bacia das almas, Servio operou um milagre em cabeçada de Love.

No segundo tempo, o Guarani apertou o Corinthians e empatou na cobrança de falta de Fernando Fernandez. O ‘professor’ Tiago Nunes trocou Sidcley por Piton (deveria ter começado o jogo), Love por Gustagol (voltou a matar a bola de canela) e Camacho por Janderson (só correria). Não adiantou.

E a Fiel foi embora frustradíssima com mais um vexame na Libertadores. O time não disputará nem a Sul-americana. Só brigará pelo Paulistinha, Copa do Brasil e Brasileirão. Ou seja, passaportes na gaveta até 2021. O David paraguaio (R$ 1,3 milhão por mês com seu elenco) matou o Golias brasileiro (R$ 12 milhões mensais).

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Somados, os dois principais bancos do país, Itaú e Bradesco, obtiveram um lucro líquido superior a R$ 50 bilhões no ano passado. Há algo de podre no reino da Dinamarca.

Galo bica Tardelli. Depois de rejeitar a contratação de Diego Tardelli (‘o Atlético não é asilo’), o chefão do Galo, Sérgio Sette Câmara, curvou-se à pressão da torcida e acertou o retorno do atacante ao clube. Livre no mercado desde o início do ano, após rescindir com o Grêmio (sete gols em 47 duelos), Tardelli, 34 anos, assinou até dezembro. O atleta vestirá pela terceira vez a camisa do Galo. Defendeu o time de 2009 a 2011 e de 2013 a 2014. Marcou 110 gols em 219 embates. Ganhou a Libertadores (2013), a Recopa Sul-americana (2014), a Copa do Brasil (2014), e duas vezes o Mineirinho (2010/13). É o sétimo reforço do Galo. O lateral-direito Mailton, o lateral-esquerdo Arana, o volante Allan, o meia Dylan Borrero e os meia-atacantes Hyoran e Savarino. No Grêmio, Tardelli ganhava R$ 1 milhão para a xepa.

Zé Corneta. Quem não tem cão caça com pardal meia-boca: sem os direitos do Flamengo, plim plim trocou Fla-Flu por Altos x Vasco. Tudo a ver.

Sob nova direção. Comandante do time campeão brasileiro de 1995, o ‘professor’ Paulo Autuori está de volta ao Botafogo. Ele substituirá Alberto Valentim, demitido depois da derrota para o Fluminense por 3 a 0. Será a quarta passagem de Autuori pelo clube – também dirigiu a equipe em 1998 e 2001.

Sugismundo Freud. Amor é como um par de meias: tem de combinar.

Sofrência. Dupla Maiara & Maraísa, também conhecida como ‘Maionese e Margarina’, soltará a voz na Supercopa do Brasil, entre Flamengo e Furacão, em 16 de fevereiro, no estádio Mané Garrincha. O Rubro-negro faturou o Brasileirão/19; o Athletico ganhou a Copa do Brasil. Cariocas e paranaenses disputarão a terceira edição do torneio. Em 1990, o Grêmio (vencedor da Copa do Brasil/89) superou o Vasco. Ano seguinte, o campeão brasileiro Corinthians bateu o Flamengo.

Papo na padoca. Ao raspar a cabeça, o ‘menino Ney’ ficou com a cara de Álvaro, o empresário vilão da novela das nove.

Gilete press. De Felipe Cardoso, um dos sobreviventes da tragédia do Ninho do Urubu, dispensado em janeiro: “Aprendi mais uma dura lição da vida em busca do sonho de ser jogador. Ao ser liberado pelo Flamengo, por telefone, não entendi e chorei, gritei, culpei tudo e todos, não quis falar com ninguém por um período, a dor foi gigante em meu peito. (…) Após refletir muito cheguei à conclusão de que somos apenas números para muitos.” No queixo.

Caiu na rede. Lata d’água na cabeça, lá vai Witzel, lá vai Witzel…

Tititi d’Aline. O casamento do palmeirense Dudu subiu no telhado. A ex-mulher do atacante, Mallu Ohanna, informou nas redes sociais que a união terminou após traição do atleta. No final do Brasileirão, estourou um caso extraconjugal: Dudu teria um filho com uma garota de programa e pagaria uma mesada para que ela não falasse sobre o caso. Dudu também seria o pai do filho da viúva de seu amigo. Com Mallu, o atacante tem dois filhos: Cauê e Pedro.

Você sabia que… o baixinho Soteldo recebia R$ 300 mil por mês e renovou com o Peixe por R$ 450 mil até 2023?

‘Bola de ouro’. CA de Barros e Silva. O querido presidente dos são-paulinos ganhou mais algumas cobiçadas estrelinhas no currículo: o salário dos jogadores está atrasado há um mês. Já o calote dos direitos de imagem varia entre dois e três meses. O soberano Tricolor fechou a última temporada com um rombo de R$ 180 milhões.

Bola de latão. Vasco. Os funcionários do clube pararam de trabalhar nesta quarta por atrasos de salários. Quem ganha até R$ 1,8 mil ainda não recebeu dezembro, 13º e janeiro; quem fatura mais também não viu a cor do dinheiro em novembro. Com prestadores de serviço, o calote chega a setembro.

Bola de lixo. CBF. Enquanto os clubes vivem de chapéu na mão, cortando até o cafezinho, o glorioso Circo Brasileiro de Futebol esbanja riqueza. Cada jogador da seleçãozinha vai receber R$ 200 mil pela classificação aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em julho. De acordo com Danilo Lavieri, do Uol, o prêmio combinado era um pouco menor, mas aumentou após conversa do elenco com os cartolas na concentração da Colômbia. O time ficou em segundo, atrás da Argentina. É uma festa!

Bola sete. “São Paulo precisa definir se Hernanes é um meio-campista, formando um trio com Tchê Tchê e Daniel Alves, ou se é um meia à frente dos dois. Daniel Alves tem jogado muito bem no meio-campo. Além da falta de gols, o São Paulo dá muitos espaços para o contra-ataque do adversário” (do pequeno grande Tostão, na Folha – é vero).

Dúvida pertinente. Corinthians fora: praga do Carille?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

São Jorge, jogai por nós: Corinthians encara tabu de 20 anos na Libertadores

Tiago Nunes: primeira prova de fogo

Os números seguem incendiando o otimismo da Fiel para a decisão contra o Guarani, nesta quarta, pelo ‘vestibular’ da Libertadores, no Itaquerão, minha casa minha vida. O Corinthians só conseguiu uma virada no torneio continental depois de sair em desvantagem num mata-mata.

A histórica façanha aconteceu em 2000, num embate com o Rosario Central, da Argentina. Lá se vão apenas duas décadas e 10 fracassos.

Os paraguaios do Guarani ganharam os três jogos disputados contra os corintianos. Marcaram quatro gols e não levaram nenhum. Tratam o Corinthians como freguês. O time de Tiago Nunes coleciona três pauladas consecutivas.

Por ter perdido por 1 a 0, em Assunção, o Corinthians precisa vencer por dois ou mais gols de diferença para se classificar à terceira fase. Vitória por 1 a 0 leva a decisão para a marca da cal. Triunfo por um tento de vantagem, com os paraguaios marcando gol (2 a 1, 3 a 2, 4 a 3…), tchau e bênção. Inês é morta para a Fiel. Depois de servir a seleçãozinha no Pré-olimpico, o atacante Pedrinho volta ao ataque corintiano.

Mudando de pato para ganso… O Peixe é isso, o Peixe é aquilo, e as viúvas do hermano Sampaoli mordem as costas de felicidade: após cinco rodadas do inebriante Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, o time do ‘professor’ Jesualdo Ferreira é o único dos grandes que comanda seu grupo.

Com a vitória sobre o Botafogo por 2 a 0, no encerramento da jornada, o Santos chegou a 10 pontos e lidera com uma chuteira nas costas o grupo A. A Ponte aparece em segundo, com seis, dois à frente que Água Santa e Oeste. Na chave B, o Santo André canta de galo, com 12 pontos. O Palmeiras vem na poeira com 10, um a mais que o Novorizontino. O Botafogo carrega a lanterna com um.

No grupo C, o soberano São Paulo ficaria curtindo a banda passar se o campeonato terminasse hoje. Ocupa apenas a terceira posição, com oito, um atrás de Inter de Limeira e Mirassol. O Ituano tem três. Já no D, quem reina é o Índio campineiro. O time acumula oito pontos. O Corinthians vem em segundo, com sete. O Red Bull Bragantino tem 5, e a Ferroviária, quatro.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. A chapa branca brilha como ouro na midia: com raríssimas exceções, poucos falaram que o prefeito Covas usou apenas R$ 474 milhões dos R$ 973 milhões previstos no orçamento para combater o caos das enchentes.

‘Pofexô’ enlouquece. As estocadas de Vanderlei Luxemburgo aos ‘professores’ estrangeiros, principalmente ao português Jorge Jesus, continuam em alta. Convidado do programa ‘Jogo Sagrado’, do Fox Sports’, o mestre dos mestres fuzilou: ‘Quando eu sou contratado e levo minha comissão técnica, todo mundo cai de pau. Ele (Jesus) trouxe muita gente e ninguém falou nada.’ Sem ficar ruborizado, Luxemburgo comparou o Brasileirão a Champions: ‘Temos um futebol de primeiro nível. Pega o Campeonato Brasileiro na disputa com a Liga dos Campeões, você vai ver que o nosso campeonato bate pau a pau.’ Desce o pano!

Zé Corneta. Luan, por enquanto, uma enceradeira com grife no meio de campo corintiano.

Happy birthday. ‘Lá vem o Pato, pata aqui, pata acolá…’ Pois é, a torcida do soberano Tricolor está em festa: na derrota para o Santo André, o carismático ‘Quén Quén’ são-paulino completou seis meses sem correr para o abraço. Pato marcou o último gol no clássico com o Peixe, em 10 de agosto de 2019 – anotou dois e foi o melhor em campo no triunfo por 3 a 2. Em 27 embates pelo Tricolor, desde que retornou em março do ano passado, Pato assinalou cinco gols. Em sua primeira passagem (2014/15), marcou 38 vezes em 98 jogos.

Sugismundo Freud. Parceria não é submissão.

‘Orgasmo’ proibido. Chefão do apito nacional, Leonardo Gaciba recorreu ao bom senso e determinou: quem subir no alambrado ou comemorar um gol com a torcida na escadinha (foto) receberá cartão amarelo no Brasileirão, e não tem reco-reco. É regra, sem exceção. ‘Está escrito na lei do jogo’, justificou o democrático comandante de arbitragem do Circo Brasileiro de Futebol, a casa dos coveiros do esporte bretão, capitaneada pelo ‘presidente fantasma’ Rogério Caboclo. Segundo o ex-assoprador de latinha de qualidades técnicas raramente convincentes, já houve jogador que perdeu o dedo e torcedor esmagado na festa de um gol. A lei tem de ser cumprida!

Janderson festeja com torcida gol que custou segundo amarelo e vermelho

‘Orgasmo’ proibido 2. Há controvérsias. A mamãe Fifa, por exemplo, mandou ignorar a cretinice na Copa da Rússia, em 2018. Deixou o ‘orgasmo’ acontecer no ponto G da bola, o gol. A mão de ferro do benevolente autoritarismo também atacou na amarelinha desbotada. O coordenador Juninho Paulista praticamente jogou uma pá de cal no sonho do rubro-negro Gerson de ser chamado para as eliminatórias da Copa de 2022. Gerson foi condenado porque ousou recusar a seleçãozinha. Alegou que necessitava de férias, pois vinha de duas temporadas ininterruptas correndo atrás da bola. Tremendo disparate em tempos de Pátria Amada Brasil. Ame-o ou deixe-o!

Papo na padoca. Corinthians lembra time sem compromisso – do goleiro ao ponta-esquerda. Tanto faz ganhar, perder ou empatar. O importante é o salário no dia 10.

Mega-Sena. Estrela do Kansas City Chiefs, campeão do Super Bowl, o quarterback Patrick Mahomes pode colocar o burro na sombra aos 24 anos. Ele deve renovar por cinco temporadas pela bagatela de US$ 200 milhões (R$ 847,8 milhões), ou seja, US$ 40 milhões (R$ 169,7 milhões) por ano. Atualmente, Mahomes embolsa US$ 645 mil (R$ 2,7 milhões) por temporada. Se conseguir bater o martelo em US$ 200 milhões, ele se tornará o jogador mais bem pago da história da NFL. O trono hoje pertence ao quarterback Aaron Rodgers, do Green Bay Packers, com US$ 135 milhões (R$ 571 milhões) por quatro anos. Mahomes é o primeiro quarterback com menos de 25 anos a conquistar um título e ser eleito o MVP do Super Bowl.

Zapping. Descontente com os serviços prestados pelo Fox Sports, o Facebook mudou de canal: transmitirá a Libertadores em parceria com o Esporte Interativo.

É hora da fuzarca. A Copa do Brasil é mesmo uma pândega, um torneio raiz. O glorioso Operário de Várzea Grande utilizou um ônibus circular, o badalado ‘busão’, para chegar a Arena Pantanal, um dos ‘elefantes brancos’ do Mundial de 2014, devorador de R$ 630 milhões. O time recebeu o Santa Cruz, ficou no ‘oxo’ e caiu fora da competição que distribui R$ 54 milhões ao campeão. Em Teresina, nada menos que 3.972 testemunhas assistiram a histórica vitória do River sobre o Bahêa por 1 a 0 – o time de Salvador foi eliminado. A renda atingiu estratosféricos R$ 66.245. As despesas chegaram a R$ 42,6 mil. O River, como vencedor, papou R$ 3.749,69 (60%), e o Bahêa, R$ 2.499,80. Que festança!

Caiu na rede. Volta ‘professor’ Carille!

Gilete press. Do apresentador Faustão, na plim plim: “É inadmissível, indecente o comportamento dos dirigentes do Flamengo no caso do incêndio. O problema não é dinheiro, até porque dinheiro algum vai trazer as vidas de volta. O problema é principalmente caráter, ter a sensibilidade, um tanto de humanismo. Como é que esses dirigentes conseguem chegar em casa e olhar os filhos e olhar os netos, sem nenhum respeito a quem perdeu as crianças? É revoltante em todos os aspectos.” Na mosca.

Tititi d’Aline. Depois de participar de algumas novelas, Jeniffer Setti, 34 anos, resolveu pegar carona no funk. Jey (nome artístico) é casada há 20 anos com o ‘professor’ Oswaldo de Oliveira, 69, campeão mundial com o Corinthians em 2000. Ela lançou o clipe ‘A Máscara Caiu’. As divas Beyoncé, Taylor Swift e Jenifer Lopez servem de inspiração para a ex-modelo, que promete gritar pelos direitos da mulher.

Você sabia que… o lateral-esquerdo Matías Viña será o 20º uruguaio a vestir a camisa do Palmeiras?

Bola de ouro. Jesus. O ‘professor’ do Flamengo voltou ao batente chutando o pau da barraca. Sem papas na língua, detonou o horário das 11 horas para o duelo com o Furacão, dia 16, pela Supercopa do Brasil. O treinador também esculhambou o Carioquinha, uma maratona de jogos inúteis. ‘Não acrescentará nada ao meu currículo internacional’, fuzilou Jesus, em mais uma demonstração de independência aos mestres nacionais, vaquinhas de presépio da cartolagem.

Bola de latão. Basquete. Vítima de uma péssima administração da cartolagem, a seleção brasileira de basquete feminino sucumbiu no pré-olímpico. Perdeu para Porto Rico, França e Austrália. As meninas lutaram muito, mas foram derrotadas por equipes que levam o esporte a sério, com planejamento, organização e competência das confederações. A seleção não ficava fora dos Jogos desde 1992. Xô, cartolas medíocres.

Bola de lixo. Tricolor. O soberano do ‘professor’ Fernando Diniz ganhou apenas um ponto em seis disputados nos últimos embates do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. O time marcou dois gols. De quebra, perdeu a invencibilidade na derrota para o Santo André por 2 a 1. E mais: caiu para a terceira colocação no grupo C, com oito pontos, fora da zona de classificação à próxima fase.

Bola sete. “Recentemente, o Vasco anunciou, com pompas, o grande ‘sucesso’ de seu plano de ‘Sócio Torcedor’. Adesão de 57 mil pessoas, disseram. A realidade, porém, é bem diferente. Destes, somente 22,8 mil pagaram, ao menos, uma mensalidade. Ou seja, 34,2 mil sequer deram R$ 1 ao clube. Dos que sobraram, apenas 3,9 mil seguem pagando as mensalidades. Um fiasco absoluto’ (do blogueiro Paulinho – a máscara caiu).

Dúvida pertinente. Luxemburgo (Palmeiras), Tiago Nunes (Corinthians), Jesualdo (Peixe) ou Fernando Diniz (São Paulo), quem já mostrou mais serviço?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Fiel já começa a rezar para São Jorge: carrasco paraguaio ganha a terceira do Corinthians

Jogadores do Guaraní-PAR comemoram gol de Morel
Festa paraguaia aos 7 minutos de jogo

O Corinthians já está no bico da cegonha sem asas na Libertadores, mais precisamente no ‘vestibular’ do torneio. O time perdeu do Guarani por 1 a 0, no estádio Nueva Olla, em Assunção, e agora vai precisar vencer por dois gols de diferença na próxima quarta, no Itaquerão, minha casa minha vida, para chegar à terceira fase – a última antes da etapa de grupos.

Se ganhar por 1 a 0, o Corinthians decidirá a vaga nos pênaltis; qualquer triunfo por um gol de diferença (2 a 1, 3 a 2, 4 a 3…) classificará o Guarani pelo critério gol fora de casa. Empate também garante o time paraguaio.

A Fiel já começou a rezar para São Jorge. O Guarani transformou o Corinthians em freguês. Nas oitavas de final da Libertadores de 2015, os paraguaios venceram duas vezes – 2 a 0, em Assunção, e 1 a 0, no Itaquerão, terminando com uma invencibilidade de 32 jogos do Corinthians em casa.

Horripilante. Assim foi os minutos iniciais do Corinthians. Perdido em campo, não viu a bola. Na pressão, o Guarani encurralou o time paulista. De cara, Redes recebeu na direita, pedalou na frente de Sidcley e chutou na trave direita de Cássio.

Aos 7, festa paraguaia nas arquibancadas. Sua senhoria, o assoprador de latinha venezuelano Alex Herrera, ignorou uma falta em Boselli e na sequência assinalou uma de Camacho em Ivan Ramirez. O Guarani tocou na direita, Ramirez cruzou e Morel finalizou de primeira. A linha de impedimento do Corinthians fracassou. Culpa de Sidcley.

Satisfeito com a vantagem, o Guarani diminuiu a intensidade e tratou de aumentar o poderio ofensivo, sair para o ataque apenas na boa, principalmente pela direita, aproveitando o péssimo desempenho de Sidcley – para alegria da Fiel, o garoto Lucas Piton entrou na etapa final.

O Corinthians tomou o controle da partida. Só que errou muitos passes, insistiu em penetrações pelo meio, facilitando o trabalho da defesa adversária, e fraquejou na criatividade, especialmente Luan. Apenas na reta final do primeiro tempo, o time conseguiu criar dois bons momentos: aos 37, Boselli mandou na trave, e aos 44, Everaldo obrigou o goleiro Servio a fazer boa intervenção.

A equipe corintiana manteve o domínio no segundo tempo, mas continuou agredindo pouco. O Guarani fechou a cozinha e soube se defender muito bem. Aos 13, o ‘professor’ Tiago Nunes trocou Sidcley por Lucas Piton e Everaldo por Mateus Vidal.

Acertou em cheio na lateral e errou feio na frente. Everaldo vinha bem, era um dos mais produtivos. O treinador deveria ter sacado o indolente Luan, o intocável. Aos 28, nova alteração: Janderson por Madson. Tiago Nunes pisou na bola outra vez. O mais indicado seria a entrada de Vagner Love, mais cascudo.

Aos 39, Camacho tocou para Madson na grande área, o jovem arrematou e Servio defendeu. O meio-campista reclamou muito porque o atacante não devolveu a bola. Estava em condições bem melhores para empatar. Na bacia das almas, o Corinthians partiu para o sufoco, sem sucesso. E sofreu a terceira derrota para o Guarani em Libertadores.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. ‘Quem Deu, Deu; Quem Não Deu, Não Damares’ – novo bloco de BH. Homenagem à ministra Damares Alves, defensora da abstinência sexual entre adolescentes.

Rei da arquibancada. O Urubu voa como senhor absoluto dos estádios entre 1967 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa) e 2019, com a média de 29.159 pagantes por jogo como mandante. A pesquisa do cearense João Ricardo de Oliveira, publicada no site Verminosos por futebol, computou 804 duelos do Flamengo. Total: 23,444 milhões de espectadores. Além da série A, entraram na conta as séries B (a partir de 2003), C (2005) e D (2009), além da Copa do Brasil, que começou em 1989. Em segundo lugar ficou o Corinthians, com 25.842 – 19,924 milhões em 771 embates. O Galo fechou o pódio, com a média de 22.917.

Image result for fotos torcida flamengo
Flamengo, 29.159 pagantes por partida

Rei da arquibancada 2. O Palmeiras apareceu em quarto (21.371), à frente da Raposa (21.360). O Bahêa surpreendeu na sexta colocação (20.658), deixando na poeira Grêmio, soberano São Paulo, Saci colorado, Vasco e Fluminense. Já a galera do Peixe decepcionou: apenas 20º lugar. O ranking, de acordo com João Ricardo de Oliveira/Verminosos por futebol:

1) Flamengo – 29.159 pagantes
2) Corinthians – 25.842
3) Galo – 22.917
4) Palmeiras – 21.371
5) Raposa – 21.360
6) Bahêa – 20.658
7) Grêmio – 19.554
8) São Paulo – 19.381
9) Saci colorado – 19.332
10) Vasco – 17.625
11) Fluminense – 16.797
12) Ceará – 16.501
13) Fortaleza – 15.508
14) Sport – 15.450
15) Santa Cruz – 15.083
16) Botafogo – 14.256
17) Coxa – 13.485
18) Nacional-AM – 12.737
19) Remo – 12.588
20) Santos – 12.557
21) Vitória – 12.434
22) Paysandu – 12.305
23) Furacão – 11.988
24) CSA – 10.595
25) Goiás- 10.211
26) Náutico – 9.709
27) Sampaio Corrêa – 8.898
28) Figueirense – 8.048
29) Botafogo-SP – 7.721
30) Joinville – 7.549

Zé Corneta. Estaduais andam mais chatos que CD riscado.

Facão mineiro. Os novos gestores da Raposa garantem: a folha salarial do departamento profissional diminuiu de R$ 15 milhões para R$ 3 milhões, com a saída de vários jogadores – os atacantes Sassá, Pedro Rocha, David, os laterais Egídio e Dodô, os zagueiros Manoel e Dedé, o volante Henrique, os meias Rodriguinho, Marquinhos Gabriel e Thiago Neves. O pão de queijo estava a caminho da falência. Outros cortes acontecerão porque o Cruzeiro deve mais de R$ 800 milhões.

Sugismundo Freud. Por que o go­ver­no não pro­í­be os jo­gos de azar e só li­be­ra os que dão sor­te?

Japonês na área. Se vai dar jogo, só mesmo os deuses da bola podem saber. Mas a jogada foi brilhante. Os torcedores pressionaram e os cartolas do Botafogo abriram os olhos para o japonês Honda. Havia muito tempo que a Estrela Solitária não resplandecia na mídia, ocupava manchetes até internacionais. Aos 34 anos, o meia pode ser uma incógnita dentro de campo, o que é pouco provável pelo atual estágio em que se encontra o ludopédio nacional. Fora das quatro linhas, porém, o marketing botafoguense certamente ganhou um excepcional produto para colocar na gôndola da publicidade. Um invejável banquete a preço de miojo.

Image result for fotos japones honda botafogo
Honda: bela jogada do Botafogo

Japonês na área 2. Honda topou receber R$ 150 mil, mais bônus por jogos e participação em patrocínios, menos da metade do que Diego Souza ganhava. No Vitesse, da Holanda, seu último clube, o meia embolsava 200 mil euros (R$ 950 mil) mensais para a xepa. A gasolina do clube carioca impulsionará Honda até depois dos Jogos de Tóquio. O serviço poderá ser prorrogado até dezembro. Dono de dois times de futebol (um em Uganda e outro no Camboja), Honda vestirá uma nova camisa pela oitava vez na carreira.

Caiu na rede. Palmeiras não dá muita sorte com bebida: perde pro Red Bull, apanha do Água Santa e sonha que 51 é Mundial.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: Luxemburgo disse umas mil vezes, após a derrota para o Bragantino, que faltou atitude ao Palmeiras. É uma atitude frequente entre alguns treinadores, para encobrir os erros técnicos e táticos. Pressinto, sem ter nenhuma certeza, já que ainda estamos no início da temporada, que o Palmeiras perdeu qualidade no meio-campo, com as ausências de Bruno Henrique e de Felipe Melo, que passou a jogar de zagueiro, sem melhorar a defesa.” No alvo.

Papo na padoca. Nada menos que 17 milhões de americanos deixaram de trabalhar na segunda por conta de comemorações no Super Bowl.

Tititi d’Aline. A sensacional vitória sobre o San Francisco 49ers por 31 a 20 derrubou um jejum de meio século do Kansas City Chiefs sem faturar o Super Bowl e acabou com a ‘virgindade’ do técnico Andy Walter Reid. Apesar de ter 221 triunfos no currículo, em 21 temporadas, o simpático gorducho nunca havia soltado o grito de campeão. O treinador de 61 anos é adorado até por adversários. Garoto humilde, trabalhou como vendedor num estádio da Califórnia. Mórmon, viveu um drama: Garrett, o mais velho de seus cinco filhos, morreu há oito anos por overdose. Reid ganha US$ 7,5 milhões (R$ 31,8 mi) por ano. Uma de suas curtições: dirigir um carro 1940, comprado pelo pai por US$ 25.

Você sabia que… o atacante Pedrinho, negociado ao Benfica, embolsará 1,2 milhão de euros (R$ 5,6 milhões) por ano, mais bônus de 100 mil euros (R$ 465 mil) a cada 10 jogos completados?

Bola de ouro. Liverpool. A máquina inglesa precisa apenas de 18 pontos em 39 possíveis para faturar a Premier League. Ou seja, seis triunfos em 13 jogos. Uma missão das mais complicadas para um time que venceu 24 em 25 jornadas. Ou 33 em 34, levando-se em conta o torneio da última temporada. Somente 22 pontos separam a equipe do alemão Jürgen Klopp do Manchester City do espanhol Guardiola. É a maior diferença entre primeiro e segundo já registrada na história do campeonato. Se os times vencerem os próximos seis embates, o Liverpool garantirá o caneco na 31ª rodada, contra o Crystal Palace, em Anfield.

Bola de latão. Vanderlei Luxemburgo. É realmente um estrategista de mão cheia. O ‘pofexô’ perdeu um excelente volante e ganhou um zagueiro de qualidades técnicas para lá de discutíveis ao mudar de posição o pitbull Felipe de Melo. De quebra, deixou um artilheiro esquentando o bumbum no banco de reservas, Willian, e apostou num ‘matador’ sem balas, Luiz Adriano. Sem falar em Ramires e Lucas Lima no meio.

Bola de lixo. Luan. A Fiel continua à espera da estreia da principal contratação do clube. Está jogando com o nome. Passou da hora de o ‘professor’ Tiago Nunes colocar o meio-campista no banco. Indolente. Menção honrosa: Sidcley. Não merece a titularidade. Lucas Piton está muito melhor. Técnica e fisicamente. Acorda Titi!

Bola sete. “Empresários confessaram na polícia que fizeram rachadinha com ex-dirigentes do Cruzeiro em transferências e renovações de contrato de jogadores” (Jaeci Carvalho, no Superesportes – política e futebol, tudo a ver).

Dúvida pertinente. Neymar, 28 anos: ainda menino deslumbrado ou craque a caminho da Bola de Ouro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br