Marcelo Oliveira navega entre a vitória na Libertadores e o RH do ninho dos periquitos

Marcelo Oliveira, 50 jogos no Palmeiras: 22 vitórias, 11 empates e 17 derrotas

Depois de deixar o XV de Piracicaba de quatro, colocando ponto final em um jejum de cinco jogos sem vitória, o Palmeiras virou esquadrão e jogou uma ducha de água fria na turma do amendoim, ávida por uma visita do ‘professor’ Marcelo Oliveira ao RH para acertar as contas.

Pois bem, a panela de pressão voltou a ferver três dias depois. O time retornou aos bons tempos de maria-mole, levou um baile da Ferroviária e o treinador respira novamente por aparelhos no ninho dos periquitos em revista.

São raras as palavras em defesa de M.O., apesar de ter conquistado o título da Copa do Brasil no fim de 2015. Um grito de campeão com boa parte (talvez a maior) de colaboração do Peixe. Que se achou o máximo e caiu do salto.

Os números do ‘professor’ alimentam as ensurdecedoras cornetas palestrinas: em 50 jogos no comando da equipe, soma 22 vitórias, 11 empates e 17 derrotas, com 51,3% de aproveitamento. Um ótimo balanço, levando-se em conta que o treinador foi aquinhoado com somente 33 reforços desde que assumiu a casamata – 25 em 2015 e oito nesta temporada.

É verdade que nem todos foram indicados por ele. Engoliu goela abaixo alguns atletas impostos pelo gerente remunerado Alexandre Mattos, o ídolo da torcida que gosta de desaparecer nos momentos ruins, de deixar o barco à deriva.

Com um panorama tão favorável, M.O. pode naufragar se o Palmeiras tropeçar diante do Rosário Central, nesta quinta, pela Libertadores. É vencer ou RH.

Desde que a bola começou a rolar na mansão Allianz Parque, o Palmeiras ganhou 24 jogos, empatou sete e perdeu 10. Entre os times mais badalados do país, nenhum apanhou tanto em seu estádio. Mi casa es su casa?
                                                  ############

Zé Corneta. Ferroviária, locomotiva; Palmeiras, maria-fumaça.

Zapping. O ibope da plim-plim desandou com a transmissão de Palmeiras x Ferroviária. A primeira partida dos periquitos em revista na telinha rendeu apenas 16 pontos no ibope da grande Pauliceia refém da bandidagem. A Band cravou três. Já Flamengo x Resende obteve 19 pontos na Cidade Maravilhosa das facadas malditas. A emissora paulista somou dois. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios sintonizados em SP e 42 mil no RJ. 

Sugismundo Freud. O presente vira passado em segundos. 

Voo do Urubu. Certamente a maioria dos torcedores rubro-negros desconhece dois importantes reforços que aterrissaram na Gávea: Iscout e Sportcoach. Os softwares comprados pelo clube entregam de bandeja uma avalanche de informações sobre as principais partidas pelo planeta bola, as estrelas dos times. Os gringos Cuéllar e Mancuello só foram contratados pelo Flamengo após estudo minucioso dos dados recolhidos. Cabra-cega, agora, apenas no playground do clube.

Pitaco do Chucky. Pé de obra brasileiro: esculhambado e largado.

Bem, amiguinhos. A surfista brasileira Silvana Lima, 31 anos, abriu o jogo numa entrevista à ‘BBC’: não arruma patrocínio porque não é modelo nem bonitinha, apenas surfista profissional. ‘As marcas de roupas de surfe, quando se trata de mulher, querem modelos e surfistas ao mesmo tempo. Para quem não é, como eu, não há patrocínio. Você é excluída, descartável’, desabafou. Bingo! Adriano de Souza, o Mineirinho, campeão mundial, fechou parceria com mais duas empresas e vai brigar pelo bi com 10 patrocinadores.

Dona Fifi. A Coreia do Sul recusou convite para disputar um amistoso contra a seleção olímpica. Motivo: medo da zika.

Bem, diabinhos. A frustrada transferência para a China não abalou o atacante Ricardo Oliveira. Que o digam os 45 minutos iniciais da partida contra o Red Bull Brasil! No embate em que festejou 100 jogos com o enxoval do Peixe, ele entrou calado e saiu mudo, chutou uma vez a gol e distribuiu apenas cinco passes. Nada de impedimento (coisa rara quando está em campo), desarme ou falta. Uma atuação mirabolante, made In China.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Mad Max ultrapassa Galo em número de títulos

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Neymar vem ao Brasil, em março, participar do jogo da seleção contra o Uruguai pelas eliminatórias. Mas sua banca de advogados está de cabelo em pé. Teme que a Justiça aproveite que ele estará em solo pátrio e o convoque para depor. A Procuradoria da Fazenda, como se sabe, acusa o nosso craque de sonegar R$ 63 milhões.” Borogodó à vista.

Tititi d’Aline. A modelo e atriz Fiorella Mattheis está de malas prontas para Londres. Ela vai morar com o namorado, o atacante Pato, durante o empréstimo de seis meses do amado ao Chelsea, mas não deixará o humorístico ‘Vai que cola’, do ‘Multishow’. Acertou uma ponte aérea com a produção do programa.

Você sabia que… 12 mil tochas serão usadas no revezamento por 329 cidades brasileiras a partir de maio?

‘Bola de ouro’. Bahêa. Uma inesquecível viagem aos EUA. Um bate e volta que encantou os americanos. O time foi arrasado pelo Orlando City, de Kaká: 6 a 1. De quebra, carimbou a cantora Claudia Leitte, que acompanhou o show: Mick Jagger do Tricolor baiano. O ‘leitte’ azedou.

Bola de latão. Carioquinha. O duelo entre os melhores times do campeonato, Vasco e Botafogo, despertou a paixão da torcida: nada menos que… 8.869 espectadores (7.921 pagantes) em São Januário.

Bola de lixo. Palmeiras. O time do ‘professor’ Marcelo Oliveira perdeu cinco dos últimos 10 jogos disputados na mansão Allianz Parque. Um belo sopro de esperança para o duelo contra o Rosario Central, pela Libertadores.

Bola sete. “O ‘professor’ Tite é competente, mas não pode ser colocado acima de São Jorge. Devagar com o andor” (de Wanderley Nogueira, da ‘Jovem Pan’ – fato).

Dúvida pertinente. A ‘Bauza’ está afundando no soberano Tricolor?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Trio de Ferro: mais um grande espetáculo de bico quadrado no Paulistinha

A Ferroviária fez a festa na mansão Allianz Parque: 2 a 1 no Palmeiras

O Trio de Ferro deu mais uma aula de bico quadrado na sétima rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Duas derrotas (Palmeiras e soberano Tricolor) e uma vitória (Corinthians) que só mesmo São Jorge poderia explicar.

O Palmeiras fechou a sensacional jornada com mais uma exibição de gala na mansão Allianz Parque (18.413 pagantes). A equipe foi dominada pela bem montada Ferroviária, do ‘professor’ português Sérgio Vieira, e levou ferro: 2 a 1. O time do interior chegou a ter 64% de posse de bola.

Deitou e rolou no primeiro tempo. Parecia até que jogava em Araraquara. E, com justiça, marcou aos 40: Fernando Gabriel, em cobrança de falta. O Palmeiras melhorou no segundo tempo após a entrada de Rafael Marques e Cristaldo, aos 16 – saíram Jean e Alecsandro (figura inútil). Na primeira bola, o gringo empatou.

A Ferroviária não se abalou. Manteve o toque de bola e, aos 48, assinalou o segundo gol: Rafinha recebeu ótimo lançamento e, cara a cara com Fernando Prass, bateu no canto esquerdo. Decretava a segunda derrota palmeirense. Mesmo apanhando, os periquitos em revista ainda lideram o grupo B, com nove pontos.

Feliz da vida com o futebol apresentado pelo time, a torcida já reza para San Gennaro: no meio desta semana, o Allianz Parque abre as portas para receber o Rosário Central, pelo grupo 2 da Libertadores. É vencer ou vencer

Também eufórica está a galera do Tricolor. O time perdeu da Ponte (1 a 0), em Moisés Lucarelli (5.288 torcedores), e segue sem vencer fora de casa. A Macaca, por sua vez, faturou os três primeiros pontos como mandante.

O São Paulo voltou a repetir o tico-tico sem fubá de outros jogos. O ‘professor’ Bauza Patón sacou Centurión do time, colocou Wesley, mas nada mudou. O meio-campo continuou mais preguiçoso que gato de açougueiro.

O único gol foi marcado por Reinaldo, lateral emprestado pelo Tricolor à Ponte, aos 42 do primeiro tempo. O São Paulo, com um jogo a menos, está em segundo no grupo C, com 10 pontos, três a menos que a Ferroviária.

Nos embalos de sábado à noite, no Itaquerão, minha casa minha vida (28.717 espectadores), a Fiel soltou o grito de gol apenas aos 45 minutos do segundo tempo: Uendel desceu pela esquerda, cruzou e Rodriguinho chutou de primeira – 1 a 0 mais sofrido que pegar metrô na hora de pico.

O Corinthians está se especializando em deixar a torcida com o coração na mão. Só conseguiu derrotar o Cobresal, na estreia da Libertadores, com um gol contra de Escalona aos 46 da fase final; no 2 a 2 com a Ferroviária, Giovanni Augusto evitou a derrota quando faltavam sete minutos para o encerramento do embate; e André, aos 44 do segundo, empatou o confronto contra o São Bento.

No jogo diante do Oeste, o Corinthians dominou, mas foi absolutamente ridículo nos chutes a gol. O próximo alvo é da Libertadores: receberá o Santa Fé, nesta quarta. No Paulistinha, o time canta de galo: comanda o grupo D, com 17 pontos, seis à frente do Água Santa.

                                                                    ############

Pitaco do Chucky. ‘Êta mundo bom’: novela preferida de Ricardo Oliveira no aquário da Vila Belmiro. Made in China.

2 + 2= 5. A aritmética é inquestionável: as gloriosas federações paulista e carioca são um sucesso de… bilheteria. Até a sexta rodada, o poderoso time dos engravatados de colarinho branco da FPF abiscoitou R$ 1 milhão e uns trocados em taxas. Ficou atrás apenas de Corinthians (R$ 2,7 milhões) e Palmeiras (R$ 1,7 milhão), de acordo com levantamento do ‘batebola.blogspot.com.br’. O esquadrão da cartolagem deu olé fácil nos outros 18 integrantes da magnânima pré-temporada com ingresso pago. O soberano São Paulo certamente anda vibrando com o sucesso alheio: está no cheque especial – R$ 68 mil. Já a fantástica equipe da Ferj tungou R$ 463 mil para seus insaciáveis cofres. Só comeu poeira de Flamengo (R$ 912 mil) e Fluminense (R$ 782 mil). Líder do campeonato, o Botafogo acumula um prejuízo de R$ 37 mil. Lucro garantido e seu dinheiro nunca volta.  

Zé Corneta. Por livre e absoluto desinteresse de clubes interessados no empréstimo de Cristian, o Corinthians fechou a lista de inscritos para o Paulistinha com o nome do volante de R$ 500 mil mensais.  

Chama o Kirobo! Idealizado para facilitar a chegada do público ao estádio de Cuiabá no Mundial de 2014, o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) já engoliu mais de R$ 1 bilhão e não andou um centímetro até hoje. O governo atual paralisou as obras e contratou uma auditoria para apurar o doce de coco. Descobriu que houve pagamento de R$ 80 milhões em propina, má execução técnica e a compra de 56 vagões que não terão utilidade no sistema, de acordo com Vinícius Segalla, do ‘Uol’. O autor da façanha: o ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB), que está na cadeia, No total, o equipamento custou R$ 120 milhões aos cofres públicos. Sai da rede, Brasil!

Sugismundo Freud. Ex é sempre perigoso.

Bem, amiguinhos. O atacante Neymar está de olho numa choupana em Castelldefels, o balneário dos craques perto de Barcelona. O brasileiro quer morar próximo a Messi e Luis Suárez. O casebre escolhido por Neymar abrigou Ronaldinho Gaúcho quando defendeu a equipe catalã. A casa ocupa quase um quarteirão, tem duas piscinas (uma externa e outra interna), vários quartos, sala de jogos e outras mordomias, além de um enorme jardim. Em 2014, Suárez comprou uma residência na cidade por R$ 13 milhões. Neymar mora hoje no pacato bairro de Pedralbes. 

Caiu na rede. Parabéns ao São Paulo pelo retorno de Lugano. Após a saída de Rogério Ceni, a torcida adversária havia ficado órfã de ídolos. 

Bem, diabinhos. O barraco comeu solto no enterro do pai da ex-tenista espanhola Arantxa Sanchez. Ela simplesmente foi expulsa do velório pelos irmãos. Nos últimos anos, Arantxa travou várias batalhas judiciais com a família. Em sua autobiografia, a ex-número 1 do mundo contou que era a galinha dos ovos de ouro do clã. Ela até processou os pais, exigindo a devolução de algumas propriedades. As rusgas aumentaram quando Arantxa casou com o ex-tenista Josep Santacana. 

Dona Fifi. Estadual não vale nada… só derruba ‘professor’.

Gilete press. De Jamil Chade, no ‘Estadão’: “A Fifa congelou todo o repasse de dinheiro para a CBF até que uma reforma na entidade brasileira seja feita, a situação de seu presidente seja esclarecida e controles independentes sejam realizados. A situação sul-americana é a mais dramática entre os membros afetados pelo escândalo de corrupção e que, desde as prisões de cartolas em maio de 2015, nada mudou na CBF. O Comitê de Ética prepara desde janeiro uma punição exemplar a Marco Polo Del Nero, presidente licenciado da CBF e denunciado por corrupção nos EUA.” É devagar, devagarinho…

Tititi d’Aline. Os são-paulinos que foram assistir ao show dos Rolling Stones no fim de semana torceram o nariz para a banda antes do espetáculo. No Instagram, eles publicaram a lista das músicas que iriam apresentar no ‘Morumbi-Panetone’. Os coirmãos futebolísticos adoram chamar o estádio de panetone – ‘redondo e cheio de frutinha dentro’.

Você sabia que… o atacante Ricardo Goulart, ex-Raposa, renovou contrato com o Guangzhou Evergrande até 2020?

Bola de ouro. Atlético de Madrid. O time do competente Simeone transformou o estádio Santiago Bernabéu em salão de festas. Ganhou os três últimos jogos do Campeonato Espanhol na casa do coirmão Real Madrid, o que não acontecia desde a década de 40.

Bola de latão. Ponte. De extremo mau gosto o enxoval amarelo, com calções azuis.

Bola de lixo. Bauza. Alguns ‘cardeais’ do soberano São Paulo já começam a pensar na extrema-unção do ‘professor’ argentino, há dois meses no cargo. O time não consegue decolar. Lento e sem criatividade, parece enceradeira: gira pra cá, gira pra lá, mas nada de brilho.

Bola sete. “Recompor é a palavra da moda, uma exigência de todos os treinadores. Recompor é preciso. Saber jogar bem não é preciso” (do grande Tostão, na ‘Folha’ – fato). 

Dúvida pertinente. Quando o acarajé invadirá o banquete da corrupção do ludopédio nacional?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

‘Tá tranquilo, tá favorável’: 29 ‘professores’ já dançaram no Fluminense em 13 anos

Eduardo Baptista: 13 derrotas, cinco empates e oito vitórias no Fluminense

A dança das cadeiras no reino encantado das Laranjeiras segue no ritmo alucinado de Mc Peter Siemsen: ‘Tá tranquilo, tá favorável’.

Desde que assumiu o dois pra cá, dois pra lá no Fluminense, em 15 de dezembro de 2010, ele já trocou passos com 10 ‘professores’, apesar de o time ter conquistado um título brasileiro e um Carioquinha.

O último foi Eduardo Baptista, dono de um sucesso invejável no Tricolor: 26 jogos, 13 derrotas, cinco empates e oito vitórias, aproveitamento de 37,18%. O time marcou 36 gols e sofreu 37. A equipe fechou o Brasileirão/15 em 13º lugar. No Carioquinha deste ano, ocupa uma honrosa quarta posição no grupo A, com sete pontos, atrás de Vasco (16), Boavista (12) e Bangu (10).

Baptista pode se orgulhar de ter sido apenas o 29º ‘mestre sem carinho’ nos últimos 13 anos e dois meses. O Fluminense é um dos clubes que mais acionaram o troca-troca na pátria das chuteiras furadas. E boa parte destes ‘professores’ ainda recebe indenização, parcelada em suaves prestações, por quebra de contrato.

2003: Renato Gaúcho, Joel Santana e Renato Gaúcho
2004: Valdir Espinosa, Ricardo Gomes e Alexandre Gama
2005: Abel Braga
2006: Ivo Wortmann, Paulo Campos, Oswaldo de Oliveira, Antônio Lopes e PC Gusmão
2007: PC Gusmão, Joel Santana e Renato Gaúcho
2008: Renato Gaúcho, Cuca e René Simões
2009: René Simões, Parreira, Renato Gaúcho e Cuca
2010: Cuca e ‘Muriçoca’ Ramalho
2011: ‘Muriçoca’ Ramalho, Enderson Moreira e Abel Braga
2012: Abel Braga
2013: Abel Braga, Vanderlei Luxemburgo e Dorival Júnior
2014: Renato Gaúcho e Cristóvão Borges
2015: Cristóvão Borges, Ricardo Drubscky, Enderson Moreira e Eduardo Baptista
2016: Eduardo Baptista e…
                                                                ############
Zé Corneta. Palmeiras, 4 a 1: Gelol para dor de cotovelo em promoção na mansão Allianz Parque. Procurar M.O.

Êta mundo bom. O ‘matador’ Ricardo Oliveira reúne ótima munição para continuar defendendo o Peixe. O centroavante fez de tudo, e mais um pouco, para conhecer a Muralha da China, mas o Santos não o liberou, mesmo oferecendo seis milhões de euros (R$ 26 mi) do próprio bolso. O clube exigiu oito mi de euros (R$ 34,8 mi). Ricardo Oliveira pagaria os R$ 26 mi com metade do salário que iria receber no Beijing Guoian – R$ 2,2 mi por mês. O café no bule cairia para R$ 1,1 mi. No Peixe, o atacante embolsa R$ 150 mil mensais. 

Sugismundo Freud. Só bebe água limpa quem chega primeiro. 

Pica-Pau hermano. Sempre de antena no mundo encantado da mamãe Fifa, Maradona saudou a eleição do ítalo-suíço Gianni Infantino, ex-secretário da Uefa e homem de confiança de Michel Platini: ‘É um traidor. Com o chefe nas cordas, seguiu trabalhando como se nada tivesse acontecido.’ Platini levou um gancho de oito anos por causa de R$ 8 milhões com miado de gato. Dieguito apoiava o príncipe Ali Bin Al-Hussein e o sheik Salman Ibrahim Al-Khalifa. Ele aproveitou para mandar um recado às autoridades: ‘Prisão perpétua’ à quadrilha dos Irmãos Metralha, estourada pelo FBI em maio do ano passado.

Pitaco do Chucky. Congresso da mamãe da Fifa: se gritar pega ladrão…

Bem, amiguinhos. O Circo Brasileiro de Futebol resolveu encarar para valer uma mudança de imagem após a prisão de Zé da Medalha e as acusações de corrupção ao imperador ostentação Del Nero e ao eterno rei da bola Ricardo Teixeira. A caridosa casa maldita do esporte aumentou de R$ 15 mil para R$ 25 mil a ajuda de custo mensal aos 27 presidentes de federações. Detalhe: as profícuas entidades já beliscam R$ 50 mil para a xepa.

Dona Fifi. A turma do contra chora: o enganador Neymar renovou com o Barcelona até 2021 e só ficará atrás de Messi na distribuição dos holerites para a xepa.

Bem, diabinhos. O tempo passa, o tempo voa, mas a dívida fica: somente agora o Peixe pagará à Ponte o empréstimo do atacante Rildo, hoje no Corinthians. Há dois anos, o Santos havia se comprometido a bancar R$ 400 mil em duas parcelas. Deu calote. Depois de recente reunião, topou quitar o débito em nove prestações – uma de R$ 100 mil e oito R$ 50 mil.

Caiu na rede. O santista Lucas Lima estava tão à vontade contra o Mogi que teve tempo até para pintar o cabelo de loiro.

Gilete press. Do blog do Perrone, no ‘Uol’: “Uma cobrança milionária da Receita Federal e a decisão da antiga diretoria do São Paulo de trocar uma defesa gratuita contra o órgão, sob a assinatura de um ‘cardeal’ do clube [Ives Gandra Martins], por advogados pagos. Esse é o enredo do novo atrito político no Morumbi. O escritório já cobrou cerca de R$ 8 milhões pelo serviço. Porém, o atual presidente, Carlos Augusto de Barros e Silva suspendeu o pagamento no momento em que ele estava aproximadamente na metade. Além disso, deixou o caso exclusivamente com Ives.” CM Aidar, um rei inesquecível no soberano.

Twitface. E o ‘vovô’ Donizete, hein? Por estar com problemas financeiros, o Pantera, 47 anos, deu um bico na aposentadoria e vai defender o Sport no Capixabinha.

Tititi d’Aline. Ajoelhou tem que rezar: a Sport 10, empresa que detém os direitos de imagem do ‘rei’ Pelé, entrou com mais uma ação contra o Peixe. Cobra R$ 410 mil por contrato de marketing. O primeiro processo gira em torno de R$ 2,3 milhões e já levou à penhora o aquário da Vila Belmiro. Muy amigo.

Você sabia que… o centroavante André recebeu R$ 4 milhões de luvas para assinar contrato com o Corinthians por quatro anos?

Bola de ouro. Botafogo. Mesmo sem dinheiro e sem craques, é o único com 100% de aproveitamento no Carioquinha – seis jogos, seis vitórias.

Bola de latão. Gianni Infantino. Uma das primeiras medidas do novo rei da cocada na mamãe Fifa: deve aumentar de 32 para 40 o número de seleções na Copa.

Bola de lixo. Coronel Nunes. Patética a entrevista do presidente interino do Circo Brasileiro de Futebol após a eleição na mamãe Fifa: ‘É uma vitória do Brasil. Infantino entende nossa picardia. Quando uma confederação se une, como a nossa [Conmebol], ninguém se mete com a gente.’

Bola sete. “A velha guarda segue no poder. Estão apenas trocando os nomes. Não acredito em mudanças profundas” (do jornalista britânico Andrew Jennings, autor de vários livros sobre a corrupção na mamãe Fifa, após a escolha de Infantino – é mais do mesmo).

Dúvida pertinente. Você acredita na recuperação do prestígio da mamãe Fifa com Infantino no trono? 

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Robinho e o menino Jesus dão show na goleada palmeirense em Piracicaba

O atacante Alecsandro marcou o terceiro gol do Palmeiras contra o XV

Fim do martírio. Depois de um jejum de cinco jogos, o Palmeiras voltou a vencer. Com show de bola de Robinho e do menino Gabriel Jesus, a equipe deixou o XV de Piracicaba de quatro, no estádio Barão de Serra Negra (10.836 torcedores).

Havia 25 dias que o Palmeiras não comemorava um triunfo. Os 4 a 1 levaram o time à liderança do grupo B do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, com nove pontos, um a mais que o Ituano.

Com toques rápidos, o Palmeiras envolveu o XV nos primeiros minutos de jogo. Chegou a dar a impressão de que logo faria um gol. Aos poucos, porém, o time de Piracicaba acertou a marcação, diminuiu os espaços no meio de campo e passou a explorar o baixinho Fabinho pela direita.

O atacante superou várias vezes o palmeirense Egídio Tanto que o ‘professor’ Marcelo Oliveira pediu para Robinho e Gabriel Jesus darem uma força ao companheiro na lateral esquerda. Também exigiu mais acertos nos passes.

O jogo ficou equilibrado, mas sem um pingo de emoção até os minutos finais. Aos 39, Julinho avançou pela esquerda e passou para Gerson Magrão. O meio-campista chutou e a bola tocou no braço direito de Roger Carvalho. Os jogadores do XV pediram pênalti. Mas o apito amigo de sua senhoria Thiago Luis Scarascati nada marcou.

Dois minutos depois, após cobrança de escanteio, o zagueiro Vitor Hugo subiu mais que a zaga do XV, tocou de cabeça e correu para o abraço: Palmeiras, 1 a 0.

Os times voltaram a mil por hora no segundo tempo. Logo a dois minutos, Gabriel Jesus aumentou para 2 a 0, após receber passe de Alecsandro. O XV não jogou a toalha e diminuiu aos cinco: Rivaldinho bateu, a bola tocou em Vitor Hugo e enganou Fernando Prass.

Animado, o XV partiu para o ataque e o caldo de cana entornou. Antes, o juiz tratou de dar mais uma forcinha aos periquitos em revista e não expulsou Lucas depois de um carrinho em Henrique Santos. O palmeirense já havia recebido um amarelo. Marcelo Oliveira trocou o lateral por Arouca.

Aos 16, Alecsandro assinalou o terceiro do Palmeiras. Na sequência, foi a vez de o Palmeiras ser prejudicado pelo assoprador de apito, que ignorou um pênalti em Alecsandro. Aos 20, o menino Jesus nocauteou o coirmão: Robinho fez belo lançamento ao garoto, que tocou por cobertura na saída de Bruno Brígido: 4 a 1. Um prêmio aos dois melhores jogadores em campo.

Na casa alugada do Pacaembu (11.371 espectadores), o Peixe também nadou bonito: 4 a 1 no Mogi Mirim. Substituto de Ricardo Oliveira, que pretende se transferir para o Beijing Guoian, da China, o atacante camaronês Joel foi um dos destaques. Ele marcou dois gols. Bruno Costa (contra) e Lucas Lima (pênalti) também conferiram. Wendel descontou para o Mogi.

Mais uma vez, Lucas Lima comandou os santistas. A goleada colocou o Santos na liderança do grupo A, com 12 pontos. O time é um dos três invictos do Paulistinha – os outros são Corinthians e São Bento.

                               ############

Zé Corneta. Se o ‘professor’ Tite pode insistir com o paraguaio Romero, por que Bauza Ratón não pode prestigiar o hermano Centurión?

Algemas de ouro. O carismático Zé da Medalha, ex-comandante do Circo Brasileiro de Futebol, gasta US$ 100 (R$ 400) por hora para manter a boa vida na prisão domiciliar, em Nova York. Banca equipe de seguranças particulares, sistema de vigilância e tornozeleira eletrônica. Toma lá, dá cá: US$ 75 mil (R$ 300 mil) mensais. Aos 83 anos, Marin é uma das estrelas do ‘Fifagate’, programa de ajuda à família dos ‘Irmãos Metralha’, elaborado pelo FBI.

Pitaco do Chucky. Nada se cria, tudo se copia: magnânimos integrantes de mesas-quadradas enchem o peito e repetem, com ‘exclusividade’, notícias de jornais e sites.

‘Paitrocínio’. Sem carimbo master no enxoval desde 2014, o soberano São Paulo pode substituir o coirmão Corinthians no time da Caixa Econômica Federal. Os corintianos exigiram mais de R$ 30 milhões para renovar contrato e não houve acordo. O Tricolor topa um casamento com a estatal por R$ 25 milhões. Atualmente, o clube fatura uns trocados com a Faculdade de Informática e Administração Paulista e Joli (material de construção).

Sugismundo Freud. Quem ganha pouco só consegue manter em dia o estômago, e olhe lá!

Bem, amiguinhos. A torcida de Macaé estava muito ansiosa para assistir ao duelo do mistão do Flamengo contra a Cabofriense. Nada menos que… 1.988 testemunhas pagaram ingresso. A renda atingiu fantásticos R$ 65.310. As despesas chegaram a R$ 105.802 – R$ 5.112 para a federação carioca, R$ 13 mil para despesas operacionais, R$ 14 mil para ingressos promocionais e outra tungadas. O Urubu usou mais um cheque especial: R$ 47 mil.

Dona Fifi. Se depender de Neymar e do Barcelona, os anões de Dunga contarão com a pérola brasileira somente na busca pelo inédito ouro olímpico.

Bem, diabinhos. O ‘professor’ uruguaio Diego Aguirre foi calorosamente recompensado com vaias pela torcida do Galo ao trocar Juan Cazares por Robinho. A estreia do rei das pedaladas enferrujadas era esperada, mas a galera ficou uma fera com a saída de Cazares na vitória por 1 a 0 sobre Independiente del Valle, pela Libertadores. O equatoriano gastava a bola até ser sacado pelo treinador. Que também foi ovacionado com gritos de ‘burro’.

Caiu na rede. Ana Paula, a Ronda Rousey do BBB. É elaaaaaaa!

Gilete press. De Gerson Bordignon, superintende de marketing da Caixa, ao ‘Correio Braziliense’, sobre o fim da parceria com o Corinthians: “Não sei se te falei, mas aqui a gente trabalha com o seguinte fato: o choro é livre, a mamadeira é que é regrada. Quem determina a quantia paga não é o clube, é a gente. O cara pode pedir o que quiser. Se não tiver…” O Corinthians ganhava R$ 30 mi e queria R$ 35 mi para renovar.

Twitface. Placar do Clássico Vovô na história do Carioquinha, após 228 jogos: Fluminense 90 vitórias x 74 Botafogo.    

Tititi d’Aline. O ex-secretário geral da Uefa Gianni Infantino, um dos candidatos à presidência da mamãe Fifa, abocanhou cabos eleitorais de peso: Pelé, José Mourinho, Fabio Capello e até o ‘sargento’ Felipão. O colégio que escolherá o novo rei da cocada reúne 209 associações.

Você sabia que… o novo ‘professor’ do Chelsea, provavelmente o italiano Antonio Conte, terá apenas 165 milhões de euros (R$ 720 milhões) para gastar em reforços?

Bola de ouro. São José/RS. Fogo de palha ou não, pouco importa: o Zeca lidera o Gauchinho, com 16 pontos em 18 possíveis. Juventude (16) e São Paulo (15) completam a festa do interior. Grêmio (12) e Saci colorado (11) aplaudem.

Bola de latão. Independente. Lamentável a idiota perseguição dos dependentes ‘torcedores’ são-paulinos ao meia Michel Bastos. É um dos poucos jogadores do time com capacidade técnica para resolver uma partida.

Bola de lixo. Fluminense. Virou a casa da mãe Joana. Bagunça geral nas Laranjeiras. Muito cacique para pouco índio. Lembra os bons momentos do Tricolor paulista. A demissão de Eduardo Baptista foi uma novela.

Bola sete. ”Gosto que as mulheres me chamem de Cristiano. Os homens podem me chamar de Ronaldo e os amigos próximos de Cris” (do gajo Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, em um momento doçura).

Dúvida pertinente. Neymar deve defender a amarelinha desbotada na Olimpíada ou na Copa América?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Entre tapas e beijos, Michel Bastos abre o caminho da vitória do soberano Tricolor

Rubens Cavallari/Folhapress
Michel Bastos marcou o primeiro gol

O soberano São Paulo fez a lição de casa e derrotou o Novorizontino por 2 a 0, no Pacaembu (3.333 testemunhas), pela sexta rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. A equipe apresentou o mesmo futebol macambúzio do magro triunfo sobre o Rio Claro no fim de semana. Michel Bastos foi o grande personagem da noite. De volta ao time, ele marcou um dos gols e dividiu a torcida. Ganhou aplausos, mas também foi hostilizado.

O primeiro tempo do Tricolor foi bem chinfrim. Nos 15 minutos iniciais, as poucas emoções ficaram por conta do duelo entre torcedores. Quando a bola passava por Michel Bastos, os anjinhos organizados pelo diabo apitavam, enquanto outra parte incentivava o meia, principal alvo do protesto da organizada no domingo.

Saiu de Michel Bastos o primeiro gol são-paulino. Aos 16, ele lançou Rogério, o ‘Neymar do Nordeste’. O atacante, que substituiu Centurión (lesionado), invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Anderson.

Michel Bastos cobrou o pênalti com categoria e abriu o placar. Depois, correu até o banco de reservas e abraçou os companheiros, ‘para mostrar a união do grupo’. Nas arquibancadas, a dependente Independente protestou com ofensas e lembrou que Lugano é o verdadeiro capitão.

Em vantagem, o São Paulo procurou atrair o Novorizontino para contragolpear. Sem sucesso. O time do interior começou a ter mais posse de bola, porém sem criatividade para fustigar o goleiro Denis.

O Tricolor voltou para o segundo tempo com Calleri no lugar do apagado Kardec. Pouca coisa mudou. Os dois times continuaram sem inspiração. Aos 14, Rayllan fez boa jogada e obrigou Denis a praticar bela defesa.

Três minutos depois, o ‘professor’ Bauza Patón procurou dar mais criatividade ao time e trocou Rogério por Ganso. Não adiantou. Feliz da vida com a bolinha de gude do Tricolor, a torcida retribuiu com vaias. Que desapareceram aos 36 minutos: Wesley bateu escanteio, Ganso desviou e, de cabeça, Rodrigo Caio fechou o caixão do Novorizontino. Com a vitória, o Tricolor chegou a 10 pontos no grupo C, mesmo número que a líder Ferroviária.

Em Sorocaba, diante de 8.156 pagantes, o Corinthians escapou da derrota diante do São Bento com um golaço de André na bacia das almas.

O time da casa foi mais efetivo na etapa inicial, quando abriu o placar. Aos 21 minutos, Serginho Catarinense cobrou falta, Edílson afastou e Rossi chutou na sobra. A bola desviou em Guilherme Arana e enganou o goleiro Matheus Vidotto.

O Corinthians melhorou no segundo tempo, principalmente depois da entrada de Lucca no lugar do inexpressivo Romero e de Luciano no de Willians. Pressionou o São Bento e, aos 43, André deixou tudo igual. O centroavante dominou na coxa e, depois, mandou a bola no ângulo do gol de Hellal.

Com o 1 a 1, as equipes mantiveram a invencibilidade. O Corinthians lidera o grupo D, com 14 pontos. O São Bento está em primeiro no A, com 10.                                                                                                                                           ###############

Sugismundo Freud. O desejo normalmente termina em inveja. 

Pica-Pau palmeirense. O nobre presidente Paulo Nobre garante que não se renderá às cornetas da turma do amendoim: o ‘professor’ Marcelo Oliveira permanecerá até o final do contrato, em dezembro. Justifica: não pode mandar embora um treinador que faturou três títulos nos últimos anos – bi brasileiro pela Raposa e campeão da Copa do Brasil com o Palmeiras. O pessoal do contra se apoia nos números de Marcelo Oliveira: em 47 confrontos, 21 vitórias, 11 empates e 15 derrotas, com 51,7% de aproveitamento. Ele estreou em 20 de junho de 2015, com derrota para o Grêmio.

Pitaco do Chucky. Corinthians: a casa caiu. Ou melhor, desabou.

Chucrute indigesto 1. Paulistas e cariocas morrem de rir com o sufoco que passam as equipes alemãs na Bundesliga. Enquanto as médias de público do Paulistinha e Carioquinha atingem números estratosféricos (7.161 e 3.087 pagantes, respectivamente), as arquibancadas no Campeonato Alemão são um Deus nos acuda. A média de público no primeiro turno foi de apenas 42.344 torcedores, um aumento de 2,88% em relação ao torneio de 2014/15 (41.155).

Chucrute indigesto 2. As 153 partidas realizadas atraíram 6.478.680 pessoas aos estádios. O Borussia Dortmund lidera o ranking de sofrimento: 81.076 espectadores por jogo. A segundona alemã também é um tremendo fiasco. A média chega a 18.769 torcedores por embate. A última temporada fechou com 17.367 por partida. A competição de 2015/16 já levou 2.871.592 pessoas aos confrontos, contra 2.657.116 do campeonato anterior.

Zé Corneta. Soberano São Paulo, a união da incompetência com a prepotência.

Bem, amiguinhos. O Barcelona do tridente MSN (Messi, Suárez e Neymar) está a um jogo de igualar o recorde de invencibilidade do Real Madrid, 34 jogos sem derrota, marca obtida na temporada 1988/89. Ninguém ficou tanto tempo sem perder na história do futebol espanhol. O Barça acumula 27 vitórias e seis empates, com 100 gols a favor e 18 contra. Currículo do Real: 25 triunfos e nove empates, com 85 gols assinalados e 34 sofridos. O último tropeço da equipe catalã foi contra o Sevilla, por 2 a 1, em 3 de outubro, fora de casa. Neste fim de semana, receberá o Sevilla no Camp Nou. Vem troco, com juros e correção?

Dona Fifi. WTorre, empresa que administra o Allianz Parque, encara uma série de processos por calote. Ora, bolas: Crefisa, crédito para negativados.

Bem, diabinhos. O pessoal da esgrima anda radiante com o trabalho dos mosqueteiros da confederação brasileira. Entre outras coisas porque a nobre entidade mantém um CT na sala de armas da Escola de Educação Física do Exército, no Rio, com funcionários administrativos, preparador físico, fisioterapeuta e até uma empresa de planejamento e marketing. Gasta mais de R$ 15 mil por mês. Há somente um pequeno problema: nenhum atleta da equipe de alto rendimento treina na Cidade Maravilhosa das facadas criminosas. Sai da rede, Brasil! 

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Verdão e Guarani/PAR cobram explicações por desabamento no Itaquerão: ‘Estragaram o salão de festas’.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “A pira olímpica, que ficará acesa desde a abertura dos Jogos, em 5 de agosto, até seu encerramento, dia 21, consumirá, veja só, uns 500 mil m³ de gás natural da CEG, a companhia que abastece o Rio. No total, para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, será 1,7 milhão de m³ de gás, o equivalente ao consumo mensal de 131 mil casas.” O pódio é deles, a conta é nossa.

Twitface. A mamãe Fifa teve apenas oito presidentes desde sua fundação, em 1904.

Tititi d’Aline.  As vendas dos apartamentos da Vila Olímpica estão superaquecidas numa pedra de gelo: dos 3.604 construídos para os Jogos, nada menos que… 300 já foram negociados. Elefantes brancos verticais à vista.

Você sabia que… a tocha olímpica passará por 300 cidades em 27 estados?

Bola de ouro. Chelsea. Acertou parceria com a Gay Football Supporters Network, que representa torcedores homossexuais, bissexuais e transgêneros no Reino Unido, para criar sua primeira torcida LGBT. O clube inglês festejou a união e garantiu portas abertas a todos, ‘independentemente de etnia, religião ou opção sexual’.

Bola de latão. Tênis. Até hoje a JP Empreendimentos, de Juliano Tavares, não pagou o prêmio à dupla campeã do Challenger de São Paulo de… 2014. Os alemães Gero Kretschmer e Alexander Satschko aguardam ansiosamente o extraordinário cheque de US$ 7.600 (R$ 30 mil). Papelão. 

Bola de lixo. Arena Cuiabá. Uma das pérolas falsificadas da ‘Copa das Copas’. A sujeira tomou conta do estádio, o gramado está cheio de buracos e poças de água são uma tentação para o Aedes Aegypti. Uma vergonha que devorou mais de R$ 650 milhões. Brasil sil sil.

Bola sete. “Divido os narradores em dois times, os talentosos e os que gritam” (de Maurício Stycer, do ‘Uol’ – lamentavelmente, a turma dos decibéis nas alturas está goleando).

Dúvida pertinente. Dez anos depois: Itaquerão ou sucatão?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Pesquisa: 19% apostam nas boas intenções da mamãe Fifa, e 69% preferem o diabo

A maioria dos argentinos não acredita mais na mamãe Fifa

Os escândalos que eclodiram no planeta bola desde maio do ano passado não abalaram o prestígio da mamãe Fifa.

Pesquisa da ONG Transparência Internacional indicou que apenas 69% deixaram de confiar na rainha. Preferem um tête-à-tête com o diabo.

Já extraordinários 19% continuam apostando todas as fichas na imaculada casa das chuteiras mundiais. Outros 12% não souberam responder.

A enquete ouviu 25 mil torcedores, distribuídos por 28 países – no Brasil foram 200 pessoas. A maioria dos votos saiu de Alemanha, EUA, Portugal, Reino Unido e Dinamarca.

O maior número de cartões vermelhos pintou no Chile (88%) e na Argentina (80%). Sinal verde: Tailândia (55%) e Japão (53%).

A mamãe Fifa faz parte de um relatório de quase 400 páginas, que também aborda corrupção, doping, manipulação de resultados, Comitê Olímpico Internacional, patrocinadores.

O prefácio é do ex-jogador Raí. ‘O relatório define a forma como o esporte pode corrigir as deficiências e recuperar a confiança do torcedor’, afirmou Gareth Sweeney, responsável pelo documento, ao ‘Globo.com’.

A escolha do novo rei da cocada acontecerá nesta sexta. Antes da votação para presidente, as 209 associações filiadas deverão aprovar um pacote de reformas. As principais: apenas três mandatos seguidos (12 anos no trono) a fim de evitar cadeiras cativas como as de João Havelange (1974-1998) e Joseph Blatter (1998-2015); ficha limpa para ocupar o cargo; e salários revelados.

Um dos candidatos, o príncipe da Jordânia Ali Al-Hussein, procurou o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e pediu o adiamento da eleição. Motivo: falta de transparência.

Os números da pesquisa da Transparência:

Você acredita na Fifa?
Sim: 19%
Não: 69%
Não sei: 12%

A Fifa vai recuperar a credibilidade?
Sim: 50%
Não: 25%
Não sei: 25%

Os torcedores deveriam votar na eleição da Fifa?
Sim: 69%
Não: 24%
Não sei: 7%

Os escândalos da Fifa afetaram a forma como você curte o futebol?
Sim: 43%
Não: 52%
Não sei: 5%

Em quem você votaria para presidente da Fifa?
Príncipe Ali Al Hussein: 9%
Sheikh Salman Bin Al Khalifa: 4%
Jérôme Champagne: 6%
Gianni Infantino: 19%
Tokyo Sexwale: 3%
Nenhum deles: 60%

O futebol é mais corrupto que outros esportes?
Sim: 57%
Não: 31%
Não sei: 11%

As mulheres representam apenas 1% dos votos na eleição da Fifa. O número de mulheres deveria aumentar?
Sim: 64%
Não: 21%
Não sei: 15%
                                                                 #############

Sugismundo Freud. Uma sociedade de respeito se constrói com pequenas atitudes.

Chapéu 1. O Galo passou a perna no Corinthians e acertou a contratação do atacante Clayton, do Figueira, por R$ 16 milhões (50%) dos direitos. O Palmeiras também chegou a pensar no garoto de 20 anos. É o sexto reforço do time mineiro. Antes dele, o clube contratou o zagueiro Erazo, o volante Júnior Urso, o meia Cazares e os atacantes Hyuri e Robinho. Clayton só deverá ser inscrito nas oitavas de final da Libertadores, se o Galo garantir uma vaga.

Chapéu 2. Clayton marcou 27 gols em 95 partidas com a camisa do Figueira. No último Brasileirão, encaçapou sete. O atacante é mais um bom exemplo de como funciona a pizzaria Brasil. Até ele ser negociado, a pizza estava assim: Figueirense -10% dos direitos; Alliance, empresa do presidente do clube Wilfredo Brillinger – 30%; BMG – 10%; agente Eduardo Uram – 20%; empresário Jorge Machado – 15%; e pai do jogador – 15%.

Pitaco do Chucky. Vídeo no Brasileirão/16: vem aí o comentarista do comentarista de arbitragem. 

Pica-Pau corintiano. As previsões mais otimistas se confirmaram: Guilherme, um dos reforços do Corinthians, já está de chinelinho. Dores musculares afastaram o atleta do embate contra a Ferroviária. Ele deveria participar dos treinos de segunda, mas não pintou no gramado do CT. Ficou à disposição do preparador físico e do fisioterapeuta na academia. O meia disputou dois jogos desde que aterrissou no Corinthians. Marcou um gol. Nos tempos de Galo, vivia mais no estaleiro do que no campo. Elias e Marlone farão companhia a Guilherme no departamento médico.

Zé Corneta. A mamãe Globo inventa, e os filhotes amestrados vão atrás.    

Bem, amiguinhos. O hermano Messi implodiu o último jejum que o atazanava: depois de sete jogos, conseguiu correr para o abraço num duelo contra o tcheco Petr Cech. O argentino marcou os dois gols que garantiram o triunfo do Barça sobre o Arsenal por 2 a 0, pelas oitavas de final da Champions.

Caiu na rede. O São Paulo tem solução… basta trocar a cartolagem, o ‘professor’, a comissão técnica e o elenco. 

Bem, diabinhos. O Flamengo perderá mais uma casa, depois de ser desalojado do ‘new Maraca’ e do Engenhão. Para felicidade do MST ‘Muriçoca’ Ramalho, também o Mané Garrincha, em Brasília, ficará à disposição dos Jogos Olímpicos. Ele será entregue à Rio-16 em 3 de julho. A devolução deverá ocorrer em 20 de agosto. Dez jogos acontecerão no estádio mais caro da ‘Copa das Copas’, algo em torno de R$ 1,7 bilhão. Os anões de Dunga estrearão no Mané Garrincha.

Dona Fifi. Praia do Botafogo acolherá neste fim de semana um enterro simbólico da Baía de Guanabara, agradável palco da Rio-16. Slogan: a raia que o parta. 

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Chuva de merda: no evento-teste de saltos ornamentais, sábado, no Maria Lenk, na Barra, uma das arenas dos Jogos, um cano de esgoto estourou em cima do pessoal que trabalhava numa sala emprestada pela equipe de judô que treina por lá.” O pódio é deles, o suor (e a merda) é nosso.

Tititi d’Aline. O Circo Brasileiro de Futebol garante: dos 28.203 jogadores registrados, 82,40% ganham menos de R$ 1 mil por mês. Apenas um fatura mais que R$ 500 mil (Pato), registrados em carteira. 

Você sabia que... 17 hermanos defendem times brasileiros e que a Raposa, com seis atletas estrangeiros, tem o maior número de pés de obra importado?

‘Bola de ouro’. FPF. Finalmente, a ínclita entidade decidiu colocar ordem no apito amigo e elaborou uma cartilha à juizada. Entre outras coisas, exige honestidade, relatar qualquer ameaça de suborno, recusar presentes, não se envolver em apostas relacionadas aos jogos, não xingar os atletas e ser discreto dentro e fora de campo. Fala sério!

Bola de latão. Mixto. Os jogadores da equipe de Mato Grosso cruzaram os braços no treino de segunda por causa do salário atrasado. A folha de pagamentos gira em torno de R$ 70 mil mensais. O time foi terceirizado para a Assiciação Tigre da Vargas. Que maravilha!

Bola de lixo. Itaquerão, minha casa minha vida. Parte do teto de um dos andares do estádio do Corinthians desabou na última quinta. A área tem 50m². O material que cedeu (gesso e madeira) pesa meia tonelada. Ninguém estava no local no momento do acidente. A Odebrecht já iniciou o conserto. 

Bola sete. “Pelé, Garrincha, Cruyff, Beckenbauer e Maradona são os melhores da história, mas Messi já está começando a superá-los” (do Galinho Zico à TV do Barcelona – há controvérsias).

Dúvida pertinente. Marcelo Oliveira: locomotiva ou vagão no Palmeiras?  

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Americanos convocam Neymar para a Copa América. Que se dane a Olimpíada!

Os organizadores da Copa América Centenária, promovida nos EUA para festejar os 100 anos da impoluta Conmebol, não perderam tempo ao saber que Neymar poderá ficar fora do torneio a fim de participar da Olimpíada do Rio.

O Barcelona pretende liberar o atacante apenas para uma competição. O Circo Brasileiro de Futebol deseja utilizá-lo nas duas, mas se tiver que optar, dificilmente deixará de escolher os Jogos na Cidade Maravilhosa das facadas mortais.

Quer porque quer conquistar a inédita medalha de ouro, único troféu que falta à pátria das chuteiras furadas.

Ciente da posição da casa maldita do ludopédio nacional, os americanos já convocaram Neymar para a Copa, entre 3 e 26 de junho: o moleque é, ao lado do hermano Messi, o principal garoto-propaganda do torneio.

Está em todos os cartazes promocionais. Um deles diz: ‘Não perca Messi, Neymar, James, Chicharito, Bradley e outras estrelas na Copa América. Os melhores do mundo virão aos Estados Unidos’.

Na cidade de Orlando, local da segunda partida da amarelinha desbotada, os ingressos à venda têm uma foto de Neymar. Outra arma dos organizadores: a Nike é patrocinadora da competição, do Circo e de Neymar. Manda quem pode, obedece quem recebe.

Os clubes não são obrigados a ceder atletas acima de 23 anos para a disputa de uma Olimpíada. A Rio-16 acontecerá entre 3 e 20 de agosto. Pouco depois, em 2 e 6 de setembro, os anões de Dunga participarão dos duelos contra Equador e Colômbia, pelas eliminatórias do Mundial de 2018.

Já Messi vive situação bem diferente. O ‘professor’ da Argentina, Gerardo Martino, informou que a ‘Pulga’, ouro olímpico em 2008, só defenderá a seleção na Copa América. Nada de estressar o craque.

                                       ############

Bolsa Bola 1. O capitão gancho Eu-rico Miranda está preocupadíssimo com os pobres e oprimidos. Em um arroubo histórico de bondade, ele pretende implantar uma cota de ingressos grátis no porto de São Januário para os torcedores de baixa renda, no melhor estilo Bolsa Família. O samaritano cartola teme que, com o preço dos ingressos subindo como foguete, ocorra uma elitização do ludopédio nacional e boa parte dos ‘geraldinos’ seja barrada no baile por estar com o bolso mais vazio que cabeça de minhoca.

Sugismundo Freud. Não há vazio pior do que o da carteira. 

Bolsa Bola 2. O poderoso chefão do Vasco garante estar pensando numa fórmula. ‘O torcedor comprovaria sua renda no cadastro e nós daríamos o ingresso. Tenho que arrumar uma maneira de não marginalizar a camada popular’, vociferou o cartola ao ‘Globo’. Ano passado, o clube cobrava R$ 15 o ingresso para os jogos contra as babas do Carioquinha; hoje, a mordida é de R$ 50. Eu-rico jura que não se trata de fazer média com a torcida visando a um possível retorno à política – num passado recente, foi eleito duas vezes deputado federal explorando a força vascaína nas urnas.

Pitaco do Chucky. Imprensa esportiva, com raras exceções, foi tomada pela ‘midiotização’.

Bem, amiguinhos. O duelo São Paulo x Rio Claro, pelo Paulistinha, patinou no ibope global na grande Pauliceia refém dos piratas do asfalto: 18 pontos. Na Band, cravou três. Na Cidade Maravilhosa das balas perdidas, Botafogo x Cabofriense, pelo Carioquinha, rendeu 17 pontos à plim-plim e dois à emissora paulista. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios sintonizados em SP; no RJ, 42 mil. 

Zé Corneta. Que Vasco que nada. O verdadeiro gigante da colina atende por Nenê. Uma Ferrari num estacionamento de Fuscas.  

Bem, diabinhos. Era só o que faltava: um animal que seria torcedor do Santo André teria invadido o ônibus da galera da Barbarense, no momento em que o motorista havia ido ao banheiro, e soltado o freio de mão. Desgovernado, o veículo saiu do estacionamento, atravessou uma avenida e parou apenas no guard rail, que o impediu de cair num córrego. O bandido atacou nos minutos finais do jogo da segundona do Paulistinha, vencido pela Barbarense por 1 a 0. A PM deteve um suspeito.

Caiu na rede. Naming rights para o Itaquerão? Com Sanchez, sem chances.

Trio esperança. Tridentes em ação: Barcelona – MSN (Messi, Suárez e Neymar); Real Madrid – BBC (Bale, Benzema e Cristiano Ronaldo); soberano Tricolor – KKK (Kardec, Kelvin e Kieza). 

Dona Fifi. Currículo de Eduardo Baptista no Fluminense: 11 derrotas e quatro empates em 23 jogos – apenas oito vitórias. Vai Dudu!

Gilete press. De Kitty Chiller, chefe da delegação australiana à Rio-16, para o jornal ‘Herald Sun’: “Nós não queremos ser Big Brother, não queremos atletas trancados em seus quartos a partir das 20h, mas temos o dever de cuidar deles. Algumas áreas serão banidas. Nós não permitiremos que entrem nas favelas. Nem nos passeios oficiais. As atletas não devem sair por conta própria, não podem vestir nada que não possa ser perdido e devem sempre ter 10 dólares no bolso em caso de ameaça.” O pódio é deles, o suor é nosso.

Twitface. Bom Senso festeja: ‘A democracia falou mais alto! FPF liberou as faixas nos estádios. 

Tititi d’Aline. Eterna musa do vôlei, Isabel distribui sorriso até em trem fantasma: as filhas Carolina e Maria Clara estão grávidas. Os rebentos nascerão no segundo semestre. Será o segundo filho de Carolina com o fotógrafo Fernando Young (são pais de José, 3 anos), e o primeiro de Maria Clara com Jeremy Casebeer, também jogador de vôlei de praia.

Você sabia que… os clubes paulistas lideram o programa de sócio-torcedor, com 458 mil integrantes, contra 225 mil dos gaúchos e 124 mil dos mineiros e cariocas?

Bola de ouro. Anderson Varejão. Chuá: assinou com o Golden State Warriors, atual campeão e melhor time da temporada da NBA. O brasileiro vai se juntar ao compatriota Leandrinho e ao superastro Stephen Curry. Varejão defendeu o Cleveland Cavaliers por 12 anos. Nesta temporada, beliscou US$ 9,7 milhões (R$ 38,8 mi).

Bola de latão. Tite. O ‘professor’ corintiano precisa deixar de lado o nhenhenhém de apoio aos que já estavam no clube e começar a escalar os novos jogadores. Giovanni Augusto, por exemplo, não pode permanecer no banco.

Bola de lixo. Ferroviária. Em campo, o time cumpre excelente campanha, mas fora… é um desastre. A cartolagem aumentou para R$ 100 o ingresso e apenas nove mil torcedores assistiram ao jogo contra o Corinthians, menos da metade da capacidade da bela Fonte Luminosa.

Bola sete. “Não vejo como um frango, mas um goleiro do meu nível não pode tomar um gol daquele jeito” (mea-culpa do corintiano Cássio, sobre o segundo gol da Ferroviária – o gigante também se destacou como ‘caçador de borboleta’ no jogo aéreo).

Dúvida pertinente. Qual é o mistério que cerca a eterna escalação de Centurión no ataque tricolor?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br