Palmeiras só empata com Raposa e Corinthians solta fogos: 70% de chances de pintar o hepta

Dudu cumprimenta o colombiano Borja, autor dos dois gols do Palmeiras

As preces da Fiel a São Jorge surtiram efeito: o Palmeiras apenas empatou em 2 a 2 com a Raposa, no Allianz Parque (37.961 pagantes/R$ 2.832.058,35), e não pode mais assumir a liderança do Brasileirão com cara de Brasileirinho no próximo fim de semana.

Mesmo se vencer o Dérbi no Itaquerão, minha casa minha vida, o Palestra continuará dois pontos atrás do Corinthians. Com o resultado diante do pão de queijo, os periquitos em revista chegaram a 54 pontos, cinco atrás dos corintianos. A Raposa assumiu a quinta colocação, com 48. Supera o Botafogo no saldo de gols (oito sete).

De acordo com os cálculos matemáticos do ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia, o Corinthians agora reúne 70% de possibilidades de conquistar o heptacampeonato. O Palmeiras acumula 20% de chances. O Peixe tem 6%, e o Grêmio, 4%.

O jogo que encerrou a 31ª rodada foi dos melhores. Apesar de não ter grandes ambições na competição, a Raposa deu muito trabalho ao Palmeiras. Por muito pouco, o time mineiro não retornou a BH com os três pontos. O colombiano Borja evitou a derrota palmeirense na bacia das almas.

A Raposa saiu na frente no início do jogo. Aos 6 minutos, Juninho tentou cortar um cruzamento e marcou contra. O Palmeiras não se abateu. Ao contrário. Aumentou a pressão sobre o coirmão. Adiantou a zaga e passou a fustigar o adversário com triangulações, além de boas jogadas de Dudu.

Aos 35, a torcida explodiu: o goleiro Fábio, um dos destaques da partida, deu rebote e Borja completou para a rede. Na sequência, o Palestra assinalou mais um gol, mas sua senhoria, o assoprador de latinha Heber Roberto Lopes, apontou falta do colombiano no zagueiro Manoel. Os palmeirenses reclamaram muito.

No segundo tempo, mais uma vez vingou a lei do ex: aos 19, Robinho apareceu livre na cara de Fernando Prass e tocou para o gol. Necessitando do triunfo para encostar no Corinthians, o Palmeiras foi para o tudo ou nada. Tomou conta da bola, criou algumas chances, parou em ótimas defesas de Fábio e finalmente empatou, aos 45: Borja recebeu na grande área, girou e evitou a derrota palmeirense. A torcida aplaudiu o time,

                                               ############

Pitaco do Chucky. E tem gente que ainda odeia pontos corridos por falta de emoções.

Falso brilhante? A Fiel está com uma manada de elefantes atrás da orelha. O time desabou no returno e a faixa de ‘super-herói’ do ‘professor’ Fabio Carille pode ir para o vinagre. Depois de um histórico primeiro turno, com a conquista de inacreditáveis 47 pontos (14 vitórias e cinco empates), o Corinthians faturou somente 12 pontos em 36 possíveis (três triunfos, três empates e seis pauladas). O time perdeu uma ótima gordura. Se deixar escapar o ‘título mais ganho’ da era dos pontos corridos, Fabio Carille poderá receber o carimbo de ‘falso brilhante’. Discípulo de Tite, ele adotou uma das principais lições do mestre: ‘morrer abraçado’ aos jogadores que o levaram ao topo. ‘Todos por um, eu por vocês’. E agora seja o que São Jorge quiser!

Zé Corneta. O Corinthians é como conta de luz: nunca se sabe o que vai acontecer…

Zapping. A derrota do Corinthians para a Ponte bombou no ibope da plim-plim na grande Pauliceia dominada pelos piratas do asfalto. O jogo rendeu 26,2 pontos, quatro acima da média do Brasileirão com cara de Brasileirinho. Já o especial com o gajo Cristiano Ronaldo cravou 13,7. E o VT do Grande Prêmio do México de Fórmula 1 alcançou 7. Na Band, Brasil x Mali, pelo terceiro lugar do Mundial sub-17, alcançou 1,1. A final entre Inglaterra e Espanha obteve 2,4. A RedeTV amealhou 1 ponto com a transmissão de Saci colorado x Ceará, pela Série B. Cada ponto corresponde a 70,5 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. O passado é o melhor profeta do futuro.

Animais. Revoltados com o empate de 1 a 1 com o lanterna Atlético/GO, vândalos que se dizem torcedores do Vitória detonaram 16 veículos que estavam no estacionamento do Barradão. A polícia já está de posse das imagens das câmaras de segurança do estádio. Cana neles!

Caiu na rede. HQ proibida no CT corintiano: Homem-Aranha.

Dona Fifi. “Acabou a paz: ou joga por amor ou joga por terror” – apoio de vândalos corintianos nos muros da velha Fazendinha, quatro dias depois de a cartolagem abrir as portas do CT para alguns anjinhos conversarem com o elenco.

Patolino na geral. O Flamengo será o fiel da balança na reta final do Brasileirão com cara de Brasileirinho. O Urubu jogará contra cinco dos seis primeiros colocados na tabela: Grêmio, Raposa, Palmeiras, Corinthians e Peixe.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “A 6ª Câmara Criminal do Rio extinguiu a ação que Ary Graça Filho, ex-presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, moveu contra Lúcio de Castro, o grande jornalista. Lúcio, à época na ‘ESPN’, publicou reportagens revelando diversas irregularidades na CBV. Segundo o Sidi & Andrade Advogados, os desembargadores entenderam que não houve excesso por parte do jornalista.” Xô, cartola!

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Os garotos Gabriel Jesus, do Manchester City, e Vinicius Júnior, já negociado pelo Flamengo ao Real Madrid, estão na lista dos 12 prodígios do planeta bola da revista ‘France Football’. Eles são definidos pela publicação como ‘novos monstros que estão na vanguarda do futebol’. Segundo a revista, os moleques vão ‘dominar o amanhã’. Também fazem parte do ranking: Donnaruma, goleiro do Milan; Mbappé, atacante do PSG; Delle Ali, meia do Tottenham; e o atacante Asensio, do Real Madrid.

Você sabia que… o gaúcho Anderson Daronco apitou 15 jogos do Brasileirão, com sete triunfos dos mandantes, três dos visitantes e cinco empates?

Bola de ouro. Lewis Hamilton. O piloto inglês da Mercedes Benz faturou pela quarta vez o título mundial de Fórmula 1. Aos 33 anos, entrou para a história como um fenômeno, a exemplo de Michael Schumacher e Ayrton Senna. Coleciona, além dos canecos: 72 poles, 62 vitórias e 177 largadas na primeira fila.

Bola de latão. Diego Souza. Um exímio cobrador de pênaltis: perdeu dois na derrota do Sport diante do Coxa. Por muito pouco, não pediu música no ‘Fantástico’.

Bola de lixo. Vitória. Um terror como mandante: três meses sem vencer em casa. O sócio-torcedor está feliz da vida.

Bola sete. “Carille, para com essa conversa mole que vai dar. Não vai dar, o Palmeiras vai ser campeão, infelizmente. Esses zé ruelas não merecem nem laranja descascada. É uma vergonha” (do ex-jogador e hoje comentarista Neto, na Band – vai Corinthians!).

Dúvida pertinente. Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero, Jô e Fábio Carille: a tropa do halloween da Fiel?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Homem-Aranha para o Corinthians e coloca fogo na reta final do Brasileirão; Palmeiras numa boa

Desconsolado, Cássio assiste à festa da Ponte: gol de Lucca. ex-Corinthians

O líder Corinthians parece mesmo disposto a entregar o ouro ao coirmão Palmeiras. A equipe perdeu para a Ponte por 1 a 0, no estádio Moisés Lucarelli (12.328 pagantes/R$ 119.620), e completou quatro jogos sem vencer. Antes de fracassar em Campinas, o time havia caído diante do Bahêa e Botafogo, e empatado com a Raposa.

Na ponta da tabela desde a quinta rodada do Brasileirão com cara de Brasileirinho, o Corinthians pode deixar de ser o rei da cocada no próximo fim de semana.

Se o Palmeiras derrotar a Raposa nesta segunda, na mansão Allianz Parque, no encerramento da 31ª rodada, e ganhar o clássico contra os corintianos, no Itaquerão, minha casa minha vida, bye-bye liderança alvinegra. As duas equipes ficariam com 59 pontos, mas o Palestra assumiria o primeiro lugar porque teria mais triunfos (18 a 17).

O único gol em Campinas foi assinalado por Lucca, emprestado pelo Corinthians até dezembro. A maldição do ex vingou aos 39 minutos do primeiro tempo. O goleiro Aranha foi o grande destaque da Ponte. Garantiu os três pontos com defesas incríveis na segunda etapa. No Corinthians, a escrita de sempre: Jadson, Rodriguinho, Romero e Guilherme Arana simplesmente pífios. Mas permanecem intocáveis no Corinthians do Carille.

O primeiro tempo em Campinas foi equilibrado: 6 a 6 nas finalizações, 5 a 5 nos cruzamentos e 8 a 8 em faltas. Mas a Ponte mostrou muito mais ambição, com os jogadores se desdobrando em campo para marcar o adversário.

A equipe corintiana tocou a bola sem profundidade, não teve um pingo de inspiração no meio de campo com Rodriguinho e Jadson e falhou nas laterais – Fagner e Guilherme Arana permitiram boas investidas da Ponte.

O melhor momento do Corinthians aconteceu aos 33 minutos: após uma rebatida de Aranha, Gabriel aproveitou a sobra e mandou na trave. Depois de Rodrigo, em impedimento, obrigar Cássio a fazer ótima defesa, a Ponte chegou ao gol, aos 39: Jefferson desceu pela esquerda, cruzou e Lucca, de cabeça, concluiu, sob os olhares complacentes de Arana. O ex-corintiano Lucca voltou a correr para o abraço depois de 13 jogos. A lei do ex é impiedosa.

Na volta para o segundo tempo, o ‘professor’ Fabio Carille trocou Gabriel por Clayson. E o Corinthians partiu para a pressão. Clayson entrou bem, levando perigo à zaga da Ponte pelo lado esquerdo. Na direita, porém, nada de útil: outra pífia atuação do paraguaio Romero.

Mesmo desordenado, o Corinthians tomou conta da partida, já que a Ponte optou por defender-se e tentar o contra-ataque. Aos 29, Romero deu o lugar ao garoto Pedrinho. Pouco depois, Kazim substituiu Maycon.

O Corinthians aumentou o cerco à Macaca e aí encontrou pela frente as luvas de Aranha. O goleiro da Ponte evitou o empate, com defesas sensacionais. A última delas, aos 50: Jô cabeceou e Aranha operou um milagre.

############

Pitaco do Chucky. Palmeiras, com a faca, o queijo e o macarrão da mamma na mesa do bi.

É o Levir? Tchau querido. Depois de ser demitido e recontratado em menos de 24 horas, o ‘professor’ Levir Culpi recebeu um telefonema do mandachuva e raios do Peixe, Modesto Roma Júnior, após a derrota para o soberano São Paulo. O cartola foi rápido no gatilho: tchau querido! As portas do RH estão abertas no aquário da Vila Belmiro. “Decidimos encerrar o ciclo. O desempenho do time caiu muito nos últimos jogos. Elano ficará até o final do ano”, comunicou Modesto Roma, depois da coça dada pelo Tricolor. Ao saber que o excesso de folgas havia sido uma das razões para o cartão vermelho da diretoria, Levir Culpi contra-atacou: “Jogador não é máquina, precisa de repouso. Se eles não concordam, tudo bem contratem um técnico que treina três vezes por dia.”

Caiu na rede. Levir Culpi faz história no Peixe: demitido, recontratado e demitido.

É o Levir? Tchau querido 2. Se o Santos tivesse vencido, o ‘professor’ daria dois dias de folga ao elenco. Com o interino Elano, os atletas voltarão ao batente nesta segunda. Levir vai embolsar salário (R$ 350 mil por mês) até dezembro como multa. O Gamba Osaka, do Japão, deseja contratar o treinador. Que comandou o Peixe em 25 jogos – 11 triunfos, 11 empates e três derrotas. O time foi eliminado da Copa do Brasil, pelo Flamengo, e da Libertadores, pelo Barcelona de Guayaquil. Outra crítica a Levir Culpi no Santos: o time havia perdido o DNA ofensivo.

Zé Corneta. O Corinthians é como conta de luz: nunca se sabe o que vai acontecer…

‘Pojeto’ já era. Após quase cinco meses de muitas promessas não-cumpridas, o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo foi para o espaço no Sport. O ‘mestre dos mestres’ foi convidado a se retirar da casamata do Leão pernambucano depois da derrota por 2 a 0 para o Junior Barranquilla, no primeiro jogo pelas quartas de final da Copa Sul-americana. Luxemburgo acumulou 11 vitórias, oito empates e 15 derrotas à frente do Sport. O ‘pofexô’ garantiu que levaria o time à Libertadores; a equipe luta para evitar o rebaixamento.

Sugismundo Freud. É melhor adormecer com fome do que acordar com dívida.

Papo furado. A cartolagem do soberano São Paulo adora fazer média com a torcida. Prometeu ‘não medir esforços’ para manter Jucinei, 29 anos, no elenco. O meio-campista é um dos xodós da galera e seu empréstimo termina depois do Brasileirão com cara de Brasileirinho. Os chineses do Shandong Luneng já informaram que ficarão extremamente felizes em negociar o atleta para o Tricolor. Exigem apenas R$ 15 milhões pelos direitos de Jucilei. Resolvido esse pequeno probleminha, o São Paulo terá de convencer o volante a reduzir o atual salário, algo em torno de R$ 1 milhão para a xepa (o Shandong paga mais da metade).

Gilete press. De André Kfouri, no ‘Lance’: “A demissão do Sport, com aproveitamento sofrível em pouco tempo de trabalho, reforça a noção de que Luxemburgo estacionou em 2004 e o futebol o deixou para trás. É uma distância muito mais longa do que se poderia aceitar, especialmente para quem tem se notabilizado por declarações engraçadas sobre a linha do tempo do jogo. Desconectado do conteúdo, e, talvez, da genuína ambição para realizar trabalhos atualizados, o desejo de protagonismo não passa de uma fonte de frustrações.” No alvo.

Rosamundo, o pensador. Não há como negar: sexo é uma grande gozação.

Tititi d’Aline. O dadivoso Eike Batista pode ser envolvido em mais uma caridade: a compra de votos para a Rio-16. Ele era amigo de fé e irmão camarada do ex-governador e hoje presidiário Sérgio Cabral quando a Cidade Maravilhosa das balas voadora venceu a corrompida corrida olímpica. O jatinho de Eike, por exemplo, levou Cabral e o ex-prefeito Eduardo Paes até Copenhagen, local da escolha da sede com cartas marcadas.

Você sabia que… Renato Gaúcho, do Grêmio, pode entrar para a história como o primeiro brasileiro a ganhar uma Libertadores como jogador e técnico?

Bola de ouro. Girona. De virada, o estreante da primeira divisão espanhola derrotou o poderoso Real Madrid por 2 a 1. Stuani e Portu garantiram a inesquecível vitória do Girona (Isco abriu o placar). Desde 1990, o Real não levava bala de uma equipe estreante. De quebra, perdeu 100% de aproveitamento fora de casa. O Real acumula 20 pontos, oito a menos que o coirmão Barcelona, líder do campeonato.

Bola de latão. Corinthians. O time naufraga, mas o ‘professor’ Fabio Carille se recusa a mexer nos ‘amigos’ que estão jogando com o nome há muito tempo.

Bola de lixo. Vândalos. Antes da partida entre rubro-negros e vascaínos, 77 marginais (seis deles menores), ligados aos anjinhos organizados da Força Jovem, foram detidos. O chefão da horda, Sávio Agra Sássi, também foi preso. A PM encontrou pedaços de pau, protetores bucais, soco inglês e fogos com os animais, que preparavam uma emboscada contra a torcida do Flamengo.

Bola sete. “Todos têm [responsabilidade]: 50% minha e da comissão, 50% dos jogadores. Não é toda minha, é mentira, dentro de campo a bola não fica no meu pé” (do ‘professor’ Fabio Carille, após a derrota para a Ponte.- nervos à flor da pele).

Dúvida pertinente. Olha o cavalo paraguaio aí, gente?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Soberano São Paulo corre atrás de 10 pontos para escapar das garras do diabo

Resultado de imagem para calculos matemáticos fotos e desenhos

O cálculo é simples: o soberano São Paulo precisa conquistar 10 pontos em 24 possíveis para dar um solene bico no fantasma do rebaixamento à Série B. O Tricolor ocupa a 14ª colocação, com 37 pontos. A matemática indica que 47 é o número ideal para escapar da degola, sem a necessidade de fazer promessas ou mandinga para poder sobreviver por mais uma temporada na elite.

Na aritmética do ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia, o São Paulo está cada vez mais longe do caldeirão do diabo. As chances de cair, que chegaram a superar 35%, hoje repousam em apenas 11%. E certamente ficarão ainda mais reduzidas se a equipe derrotar o Peixe na 31ª jornada do Brasileirão com cara de Brasileirinho.

Ao final do primeiro turno, o São Paulo ocupava a 17ª colocação, com 19 pontos (cinco vitórias, quatro empates e 10 derrotas). No returno, após 11 confrontos, a equipe tricolor aparece na sexta posição, com 18 pontos (cinco triunfos, três empates e três coças).

Se a situação do Tricolor paulista é tranquila, a do Atlético/GO parece irremediavelmente solidificada: 95% de possibilidades de mergulhar na segundona. A Ponte aparece com 72%. O Coxa vem na cola, com 62%. Vitória e Avaí dividem a quarta posição, com 50% cada um. O Sport acumula 31%. O Bahêa tem 10%. Depois, vêm Chapecoense (9%), Fluminense (8%), Galo é Furacão (1%).

Na luta pelo título de campeão, o toma lá dá cá indica: Corinthians – 71%; Palmeiras – 18%; Peixe – 7%; e Grêmio – 4%.

############

Pitaco do Chucky. Corintiano, decime qué se siente.

Desespero corintiano. Apesar de o time estar na liderança do Brasileirão com cara de Brasileirinho, com seis pontos de vantagem para Palmeiras e Peixe, a atitude da cartolagem ao abrir a porta do CT aos anjinhos organizados pelo diabo mostrou que o emocional do grupo não anda nada legal. A decisão do mandachuva e raios Roberto de Andrade foi lamentável. Quem acompanha o dia a dia dos clubes sabe que os atletas odeiam a ‘democracia-cobrança’. Só topam dialogar com a horda por livre e espontânea exigência dos dirigentes.

Zé Corneta. O futebol brasileiro anda mais chato que cabeça de prego.

Sofrência no PSG. O atacante Neymar é apenas ‘mais um’ no serpentário do PSG. Que o diga o jornal ‘Le Parisien’! O brasileiro de 222 milhões de euros (R$ 850 milhões) tem que se contentar com dois fisioterapeutas exclusivos; não pode sofrer marcação pesada nos treinamentos; é o único atleta a usar mala de um patrocinador pessoal (os outros utilizam a do PSG, com o escudo do clube); tem o direito de dividir as cobranças de pênaltis com o uruguaio Cavani; saboreia o café no bule mais doce do elenco (30 milhões de euros por temporada); receberá bonificações especiais por metas alcançadas. Enfim, Neymar sofre barbaridades para tentar levar o time à inédita conquista da Champions. Ô coitado!

Sugismundo Freud. A ambição fecha o coração à tranquilidade.

A vida é bela. Enquanto o próximo campeão do Paulistinha receberá um invejável prêmio de R$ 5 milhões da milionária Federação Paulista de Futebol, após uma maratona de jogos, a pobre Uefa paga ridículos R$ 5,6 milhões por vitória na fase de grupos da Champions, ou pouco mais de R$ 62 mil por minuto de bola rolando. Tremenda crueldade com a turma da Europa.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Fluminense se afasta da zona de rebaixamento e STJD dá férias coletivas.

Gilete press. De Igor Siqueira, no ‘Lance’: “O preparador físico da Seleção Brasileira, Fabio Mahseredjian, contou no Simpósio na CBF em qual momento o consumo de bebida alcoólica é permitido no grupo de Tite: o pós-jogo. ‘O ideal seria nada de álcool. Mas liberamos na Seleção um copinho de cerveja para quem quiser ou uma tacinha de vinho’, disse Fabio, ressaltando que não há excessos ou consumo de álcool fora do período mencionado.” Tintim.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Campeão mundial de surfe em 2014 e na briga pelo bi neste ano, o brasileiro Gabriel Medina está na crista da onda: lidera o ranking do dindim distribuído ao longo da competição. Vencedor de duas etapas, Medina já reforçou a poupança em US$ 360 mil (R$ 1,1 milhão). Filipe Toledo, o Filipinho, aparece em segundo, com US$ 293 mil (R$ 950 mil).

Você sabia que… a Ponte lidera o ranking de cartões vermelhos do Brasileirão com cara de Brasileirinho, com seis?

Bola de ouro. Grêmio. Provou por a+b+o diabo a quatro que se pode ter sucesso na Libertadores jogando apenas futebol. Nada de guerra, de pontapés, de vandalismo. Sob o comando de Luan, o imortal gaúcho triturou o Barcelona de Guayaquil, que fez Palmeiras e Peixe de gato e sapato.

Bola de latão. Modesto Roma Jr. O mandachuva e raios do Peixe atacou de professor de jornalismo no aquário da Vila Belmiro. Passou os últimos dias sugerindo como a mídia deveria se comportar na cobertura do Santos, ou seja, adotar o esquema água com açúcar.

Bola lixo. Hector Trujillo. O ex-secretário da federação da Guatemala foi condenado a oito meses de cadeia. Também precisará devolver US$ 415 mil para a entidade. É o primeiro cartola sentenciado no ‘Fifagate’, escândalo de corrupção que se apoderou do futebol mundial. O brasileiro José Maria Marin, o Zé da Medalha, será julgado em 6 de novembro.

Dúvida pertinente. Alberto Valentim já mostrou mais serviço que mestre Cuca na casamata do Palmeiras?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Grêmio dá show e detona o carrasco dos brasileiros na Libertadores

Destaque do Grêmio, Luan (à dir.) marcou dois gols em Guayaquil 

‘Até a pé nós iremos… ‘ A torcida do Grêmio pode estufar o peito e soltar a voz a plenos pulmões. O imortal gaúcho só deixará de disputar a final da Libertadores se chover canivete ou jacaré dançar o quadradinho.

A equipe derrotou o Barcelona por 3 a 0, no Monumental de Guayaquil, e ficou numa situação privilegiadíssima nas semifinais: garantirá a classificação mesmo se perder por dois gols de diferença na próxima quarta, em Porto Alegre. Os gaúchos lutam para chegar à quinta decisão do torneio. O meia Luan foi o grande destaque do triunfo.

O Grêmio praticamente matou o carrasco de Palmeiras e Peixe nos primeiros 20 minutos de jogo. Aos sete, o lateral Cortez fez ótima jogada pela esquerda e cruzou. A defesa equatoriana não conseguiu cortar e Luan abriu o placar.

Treze minutos depois, Edilson cobrou uma falta e aumentou para 2 a 0. Em vantagem, o Grêmio tratou de fechar a casinha e pouco permitiu ao Barcelona, que abusou dos chuveirinhos.

A equipe equatoriana partiu para o tudo ou nada no segundo tempo. E, aos 3, só não diminuiu o prejuízo porque o goleiro Marcelo Grohe operou um milagre num arremate cara a cara de Ariel.

Na sequência, mais precisamente aos 6, Luan liquidou o Barcelona. Edilson desceu pela direita, passou pelo marcador e tocou para o atacante, que bateu de primeira, sem chance para Banguera.

O time equatoriano sentiu o golpe. No desespero, tentou chegar ao primeiro gol, sem sucesso. O Grêmio poderia ter ampliado o resultado, mas não soube aproveitar a intranquilidade do Barcelona. Além disso, optou por trocar passes à espera do apito final.

Se passar à final, o Grêmio enfrentará o vencedor de River Plate x Lanús. No primeiro embate, o River ganhou por 1 a 0.

No ‘new Maraca’ (27.014 pagantes/R$ 1.208.050), com um gol de Everton, aos 27 minutos de jogo, o Flamengo derrotou o Fluminense por 1 a 0, no primeiro mata-mata das quartas de final da Copa Sul-americana.

No segundo duelo, o Urubu se classificará com um empate. Apesar de ser um clássico estadual, com as duas partidas no Maraca, existe o gol fora de casa como critério de desempate (o Fluminense foi o mandante).

                                ############

Pitaco do Chucky. A rotatividade de goleadores no returno do Corinthians é invejável: apenas Jô e Clayson correram para o abraço nos oito gols.

Pinguim global. A plim-plim decidiu pegar carona no sucesso da molecada brasileira no Mundial sub-17 da Índia, e pimba na caxirola: fim do sonho do tetracampeonato. O time brasileiro mostrou muitas falhas no sistema defensivo e foi derrotado pela Inglaterra por 3 a 1, em Calcutá. O grande destaque da partida foi o atacante Brewster, do Liverpool. Ele marcou os três gols e lidera a artilharia do campeonato, com sete. O lateral Wesley, do Flamengo, assinalou o tento do Brasil, que vinha de triunfo sobre a Alemanha por 2 a 1, de virada.

Pinguim global 2. A seleção inglesa jamais havia chegado entre os semifinalistas de um Mundial sub-17. O Brasil vinha lutando por uma vaga entre os quatro melhores do torneio desde 2011. A seleçãozinha soltou o grito de campeão em 1997/99/03. Agora, vai brigar pelo terceiro lugar contra Mali, que perdeu da Espanha também por 3 a 1. Ingleses e espanhóis decidirão o caneco no fim de semana.

Zé Corneta. Os periquitos do microfone estão ensandecidos: já fazem cálculos para a conquista do bicampeonato.

Dois pra cá, dois pra lá. O ‘professor’ Tite e o ‘sargento’ Felipão continuam fiéis ao quanto mais longe, melhor. Preferem dividir o café da manhã com o diabo a trocar um simples bom dia. O ótimo relacionamento começou a ganhar pontos importantes há mais de seis anos, quando o Corinthians precisava de uma vitória do Palmeiras sobre o Fluminense e Felipão ironizou a dependência, e atingiu o auge no ‘fala muito’ de Tite durante o Dérbi de 2011. Em entrevista à ‘Folha’, o treinador da amarelinha desbotada mostrou que o barco da amizade navega na calmaria de um tsunami. “Tentei contato por e-mail duas vezes ao assumir a seleção e não obtive resposta. Vi que não ia ter diálogo e desisti”, contou Tite. A troca de amabilidades segue firme e forte. Em julho, ao ser indagado pelo ‘Zero Hora’ se havia mantido contato com Tite, Felipão foi rápido no gatilho: “Não, e nem pretendo.”

Sugismundo Freud. As pessoas mais infelizes no mundo são as que se preocupam demais com o que os outros pensam.

Pinóquio Nero. Após estufar o peito e prometer árbitro de vídeo com a máxima urgência a fim de acabar com a chiadeira contra os assopradores de latinha, o imperador ostentação Del Nero comunicou aos quatro ventos do ventilador quebrado: a engenhoca dificilmente será utilizada na reta final do Brasileirão com cara de Brasileirinho. O Pinóquio só pretende estrear o árbitro de vídeo quando as 10 partidas da rodada puderem entrar na dança. Ou seja, em 2018, e olhe lá!

Caiu na rede (by ‘Bola Murcha’). Até Paul McCartney é bi no Mineirão, e o Galo nada.

Gilete press. De Jorge Nicola, no ‘Yahoo Esportes’: “Depois de ver sua vantagem para o Palmeiras cair de 17 para seis pontos em nove rodadas, o Corinthians estuda alternativas para sair do péssimo momento. E uma delas é aumentar o período de concentração no CT do Parque Ecológico, ou até viajar para uma intertemporada numa cidade do interior paulista. Tudo contra os baladeiros. A comissão técnica foi avisada de que alguns jogadores têm abusado das festas, apesar da péssima fase do time no Brasileirão.” Na alça de mira estariam: Arana, Rodriguinho e Jadson.

Zapping. O programa ‘Jogo Aberto’ (debate) da Band aos sábados é mais gelado que iceberg.

Tititi d’Aline. Neymar pai, 52 anos, e a atriz Franciely Freduzeski, 39, deixaram de trocar figurinhas ao pôr do sol. O relacionamento terminou porque o casal passou a ser alvo de muitas críticas nas redes sociais. O romance era mantido em sigilo até setembro. Apesar de separado de Nadine, o pai de Neymar ainda não se divorciou oficialmente da ex-mulher. A família contribuiu, e muito, para o love story com a atriz subir no telhado. Franciely já foi capa da ‘Playboy’.

Você sabia que… o Liverpool pediu 150 milhões de euros (R$ 575 milhões) para liberar o brasileiro Philippe Coutinho ao Barcelona na próxima janela de transferências?

Bola de ouro. Gabriel Medina. O brasileiro faturou a etapa de Peniche, com uma vitória sobre o australiano Julian Wilson, e continua na briga pelo bicampeonato mundial de surfe. Para fazer a festa novamente, Medina (50.250 pontos) precisa fechar o desafio de Pipeline duas posições acima do líder John John (53.350). Ou seja, ganhar a prova e torcer para o gringo cair nas quartas de final. A disputa acontece entre 8 e 20 de dezembro, no Havaí. O sul-africano Jordy Smith (47.600) e Wilson (45.200) também têm chances de título.

Bola de latão. Corinthians. Abriu as portas do CT aos anjinhos organizados pelo diabo apenas para ‘incentivar e apoiar’ os jogadores. Conversa fiada!

Bola de lixo. ABC/Náutico. A gente se vê na Série C: o time potiguar e a equipe pernambucana reúnem apenas 99% de chances de cair. O ABC carrega a lanterna, com 25 pontos após 31 jogos; o Náutico vem na cola, 28.

Bola sete. “Eu comentei com minha esposa: o Santos tem a mesma pontuação e só se fala do Palmeiras. Não sei se querem jogar uma pressão maior para o nosso lado, mas não vai colar. Nosso único pensamento é o G4” (do volante Moisés, sobre a caça ao líder Corinthians – pés no chão).

Dúvida pertinente. Mais do que nunca, o Grêmio é Brasil na Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Palmeiras e Peixe em festa: chances do Corinthians caem para 71% após paulada do Botafogo

Corinthians perdeu o jogo e a cabeça: Clayson foi acusado de agredir um policial

O líder Corinthians voltou a marcar passo e colocou um elefante atrás da orelha da Fiel. O time do Carille repetiu as péssimas atuações dos últimos jogos e perdeu do Botafogo por 2 a 1, no estádio Nilton Santos, o Niltão (7.566 pagantes/R$ 224.725,00). O Corinthians completou quatro jogos sem derrotar o Botafogo na Cidade Maravilhosa das balas uivantes. A última vitória aconteceu em 2011.

A equipe paulista ainda lidera o Brasileirão com cara de Brasileirinho, mas a vantagem para Palmeiras e Peixe caiu para seis pontos: 59 a 53. É a mesma que o Corinthians tinha na 15ª rodada para o então vice-líder Grêmio. O Botafogo assumiu a sexta colocação no campeonato, com 47 pontos. O time carioca vinha de dois jogos sem vencer.

O Corinthians sofreu a quinta derrota em 11 jogos no returno (ganhou 12 pontos em 33 possíveis). Acumula três partidas sem vencer. As chances de soltar o grito de heptacampeão caíram de 80% para 71%, de acordo com os cálculos do ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia.

Já as possibilidades de o Palmeiras conquistar o bi cresceram de 13% para 17%. E o sonho do Santos pulou de 5% para 7%. O Grêmio também foi favorecido com o tropeço do Corinthians. Pulou de 2% para 4%.

Os erros de passes foram novamente um dos principais problemas do Corinthians. Rodriguinho, Fagner e, principalmente, Jadson falharam constantemente no serviço a um companheiro, para desespero do ‘professor’ Fabio Carille. A bola parecia queimar no bico da chuteira dos três corintianos.

Com isso, a criatividade nas jogadas ofensivas foi prejudicada. O melhor momento do time no primeiro tempo foi um chute de Marquinhos Gabriel na trave, aos 15. Já o Botafogo, depois de um início pouco convincente, foi se acertando e explorando bem os contra-ataques, além de arriscar chutes de longa distância.

O Corinthians voltou para o segundo tempo com Romero no lugar de Jadson. Ameaçou pressionar a zaga botafoguense, sem sucesso. Pior: aos 8 minutos, tomou um gol. Após cobrança de escanteio, Pimpão desviou de cabeça e Brenner completou para a rede. A zaga corintiana falhou feio.

O Botafogo recuou e se deu mal. Em boa jogada ofensiva, Jô finalizou no canto esquerdo de Gatito Fernandez e empatou a partida, aos 15. Inexplicavelmente, o Corinthians diminuiu o ritmo e permitiu ao Botafogo voltar a equilibrar o jogo. Aos 31, em mais uma falha em jogada aérea depois de cobrança de escanteio, a defesa corintiana permitiu a cabeçada de Igor Rabello: 2 a 1.

Na sequência, o estrategista Fabio Carille trocou Gabriel por Clayson. Aos poucos, o desespero tomou conta do líder. Tanto que Kazim entrou no lugar de Marquinhos Gabriel. No minuto final, Jô matou a bola na área e caiu após carrinho de Igor Rabello. Os corintianos reclamaram pênalti, mas sua senhoria, o assoprador de latinha Rodrigo Batista Raposo, nada marcou.

Depois da partida, o time paulista voltou a soltar os cachorros contra o juiz, que prejudicou a equipe. O atacante Clayson foi levado ao Juizado Especial Criminal do estádio acusado de ter agredido um policial durante a confusão. Só foi liberado uma hora depois. No próximo fim de semana, o Corinthians visitará a Ponte, em Campinas, e o Botafogo jogará contra o Galo, em BH.

                                                     ############

Pitaco do Chucky. Parte da torcida do Peixe já começou a contagem regressiva para se despedir do ‘enceradeira’ Lucas Lima.

Voo do Urubu. Cinco vitórias e um empate (16 pontos) na reta final do Brasileirão com cara de Brasileirinho: esse é o cálculo do Flamengo para chegar a Libertadores sem precisar disputar a fase preliminar. Com 62 pontos, o Urubu acredita que estará garantido. O time hoje tem 46. Mas o Rubro-negro poderá dar um solene bico nos cálculos se conquistar a Copa Sul-americana. Aí a vaga direta estará no papo. O Flamengo enfrentará o Fluminense no mata-mata, nesta quarta e em 1º de novembro, no ‘new Maraca’, pelas quartas de final do torneio.

Zé Corneta. Jadson/Romero e cerveja sem álcool, tudo a ver: não fazem mal a ninguém.

Freguês tricolor. A torcida da Chapecoense adora quando a equipe vai enfrentar o Fluminense. Tem certeza de que pelo menos um ponto está no papo. Dentro ou fora de casa. Em oito partidas, a Chape ganhou seis e empatou duas. Os duelos começaram em 20 de agosto de 2014, com uma vitória por 1 a 0. No mesmo ano, aconteceu a maior goleada: 4 a 1. A última coça foi no fim de semana, com o time catarinense vencendo por 2 a 0. Nos oito embates, a Chape marcou 17 gols e tomou oito.

Sugismundo Freud. Errar é humano, persistir no erro já é bigamia.

Zapping. O embate entre Grêmio e Palmeiras obteve 22,6 pontos para a plim-plim no ibope da grande Pauliceia dominada pelos piratas do asfalto. Na quarta, o choque envolvendo Fluminense e São Paulo cravou 30, um dos melhores índices do Brasileirão em SP. O recorde pertence a Palmeiras x Corinthians, com 41 pontos de média. Já o UFC Combate Especial amealhou 12,7 pontos, enquanto o VT dos EUA de Fórmula 1 conseguiu 7. Na Band, Alemanha x Brasil, pelo Mundial sub-17, marcou 3,6 pontos. E Criciúma x Saci colorado, na RedeTV, 1,3. Cada ponto em SP corresponde a 70,5 mil domicílios sintonizados.

Tá na rede. Time grande não cai… o juiz não deixa.

Pelé na tela. Vem aí ‘Pelé – O Nascimento de Uma Lenda’. O filme aborda a vida do ‘rei’ desde as peladas nos campinhos de terra em Bauru à conquista do primeiro título mundial na Copa da Suécia, em 1958. O ator Milton Gonçalves interpreta Waldemar de Brito, o olheiro que levou Pelé para o Peixe. Kevin de Paula faz o papel de Pelé aos 17 anos. O longa estreia nesta quinta.

Gilete press. De Juliana Braga, no ‘Globo’: “Na operação Luz na Infância, deflagrada com apoio do Ministério da Justiça, impressiona o perfil dos alvos dos mandados de prisão. Tem de servidores públicos a donos de escolinha de futebol. De acordo com o Ministério da Justiça, trata-se de uma das maiores ações do mundo em combate à pedofilia. Foram seis meses de investigação, com trabalho das agências de inteligência nos estados, o ministério e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.” Cana neles!

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. O cantor Justin Timberlake vai soltar a voz no intervalo do próximo Super Bowl. Ele volta ao evento de maior audiência dos EUA depois de 14 anos. Timberlake participou como coadjuvante do show de Janet Jackson, em 2004. E deixou sua marca: puxou a roupa da estrela durante a coreografia de uma música e milhões de telespectadores puderam ver um dos seios de Jackson. A grande final do futebol americano será disputada em 4 de fevereiro, na casa do Minnesota Vikings, uma das mais modernas da NFL.

Você sabia que… pela primeira vez o soberano Tricolor fica quatro pontos à frente da zona do agrião queimado desde a 11ª rodada do Brasileirão com cara de Brasileirinho?

Bola de ouro. Cristiano Ronaldo. O gajo ganhou pela quinta vez o prêmio de melhor do mundo e igualou o recorde do hermano Messi. CR7 também faturou o troféu da mamãe Fifa em 2008/13/14/16. O atacante do Real Madrid superou Messi e Neymar. Entre as mulheres, a eleita foi a holandesa Lieke Martens. Os melhores ‘professores’: o francês Zidane e a holandesa Sarina Wiegman (campeã da Eurocopa). A seleção do ano ficou assim: Buffon (Juventus), Daniel Alves (PSG), Sergio Ramos (Real Madrid), Bonucci (Milan) e Marcelo (Real); Modric (Real), Kroos (Real) e Iniesta (Barça); Neymar (PSG), Messi (Barça) e Cristiano Ronaldo.

Bola de latão. Mídia caolha. O Peixe tem o mesmo número de pontos que o Palmeiras e pouco, ou quase nada, se fala sobre a possibilidade de o time da Baixada conquistar o título brasileiro. Só considera o Palestra como maior ameaça ao Corinthians.

Bola de lixo. Sassá. O atacante da Raposa voltou a ganhar pontos importantes no coração da torcida: curtiu nas redes sociais uma foto dos jogadores do Galo festejando a vitória por 3 a 1 no clássico mineiro. Dormindo com o inimigo é pouco.

Bola sete. “A maioria das equipes brasileiras joga do mesmo jeito, do início ao fim. A repetição excessiva leva ao empobrecimento do futebol e da vida. Sem diversidade, imaginação e poesia, não há graça” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – é vero).

Dúvida pertinente. Lá vem o pocotó, pocotó, pocotó paraguaio?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Placar da matemática na corrida pelo título: Corinthians 80%, Palmeiras 13% e Peixe 5%

Festa palmeirense no Sul: 3 a 1 no Grêmio  

O Corinthians fecha a 30ª rodada, nesta segunda, sob uma forte pressão. Palmeiras e Peixe venceram Grêmio e Atlético/GO, respectivamente, e agora estão a somente seis pontos da equipe corintiana. Acumulam 53, contra 59 do líder coirmão, que enfrentará o Botafogo, no estádio Nilton Santos, o Niltão. Faltam oito jornadas para o pontapé final do Brasileirão com cara de Brasileirinho. O Palmeiras é o vice-líder do campeonato. O Santos ocupa a terceira posição (perde para os palmeirenses no número de vitórias, 16 a 14).

De acordo com os cálculos do ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia, o Corinthians ainda está tranquilo na matemática: reúne 80% de chances de conquistar o hepta. Com o triunfo no Sul, o Palmeiras passou a saborear 13% de possibilidades de faturar o bi. Depois, aparecem o time santista, com 5%, e o Grêmio, com 2%.

Em Porto Alegre (16.238 pagantes/R$ 536.774), o Palmeiras derrotou os reservas do Grêmio por 3 a 1. O time paulista não vencia o Grêmio no Sul desde 2010.

Depois de um primeiro tempo equilibrado, o Palmeiras precisou de apenas 20 minutos no segundo para matar o imortal gaúcho. A festa dos periquitos em revista começou aos 3: Dudu chutou de fora da área, a bola desviou e entrou no canto.

Cinco minutos depois, após rebote de Paulo Victor, Moisés ampliou o placar. O Grêmio sentiu a paulada, ficou grogue e foi a nocaute aos 20: Mayke cruzou rasteiro e Dudu completou da pequena área. Fatura resolvida, o Palestra puxou o freio de mão e permitiu um pequeno suspiro aos gremistas: Michel, aos 34, diminuiu o marcador.

Uma vitória mais que merecida do Palmeiras, principalmente pelo segundo tempo arrasador. Se a equipe paulista tivesse forçado o jogo, certamente aplicaria uma goleada. Mais preocupado com a Libertadores (joga na quarta contra o Barcelona), o Grêmio colheu o que plantou ao escalar os reservas.

O ‘professor’ interino Alberto Valentim está invicto no comando palmeirense: três jogos, três vitórias. Na 31ª jornada, o Palestra receberá a Raposa na mansão Allianz Parque.

No aquário da Vila Belmiro (4.245 testemunhas/R$ 117.270), o Santos sofreu para derrotar o lanterna Atlético/GO por 1 a 0, gol de Ricardo Oliveira, aos 30 minutos de jogo – Lucas Lima cobrou escanteio e o centroavante cabeceou, sem chance para o goleiro Marcos.

A torcida não ficou satisfeita com a exibição do Peixe e chegou a vaiar a substituição de Copete por Lucas Crispim no final da segunda etapa. Marcado pela galera, o meia Lucas Lima foi vaiado várias vezes. Teve uma atuação apenas discreta.

O resultado deve tranquilizar o ambiente no clube, que viveu momentos conturbados com a demissão e posterior recontratação do ‘professor’ Levir Culpi. O triunfo também manteve o Peixe na briga pelo caneco. Com a derrota, o Dragão segue na rabeira, com 26 pontos, virtualmente rebaixado.

Na próxima rodada, o Santos vai encarar o soberano São Paulo. Que conseguiu ótimo resultado na briga para fugir da degola: 2 a 0, no Pacaembu (31.285 pagantes/R$ 887.460). Com a vitória, o Tricolor foi a 37 pontos e se afastou um pouco mais da zona do agrião queimado. Ocupa a 14ª posição. Já o Urubu permaneceu estacionado nos 46 pontos, em sexto lugar.

O time paulista aproveitou a apatia rubro-negra na etapa inicial e liquidou a partida. Chegou ao primeiro gol aos 13 minutos. Hernanes cobrou escanteio, Edimar desviou de cabeça e Lucas Prato, com a ajuda do braço, guardou. Aos 39, Hernanes ampliou, depois de cruzamento de Cueva, em jogada que começou chutão de Sidão.

O Flamengo esboçou uma reação no segundo tempo, mas o Tricolor segurou a pressão e o resultado. O São Paulo manteve um tabu: não perde para o time carioca na capital paulista desde 2011. São quatro vitórias e dois empates.

                                      ############

Pitaco do Chucky. Nunca o ‘se’ jogou tanto contra o Corinthians nas mesas-quadradas do esporte.

Pega ladrão! O goleiro Jefferson viveu momentos de terror na manhã deste domingo. O botafoguense foi assaltado próximo ao estádio Nilton Santos, o Niltão. Os amigos do alheio levaram o carro do atleta. Jefferson foi rendido quando chegava para treinar. Acompanhado de funcionários do Botafogo, ele foi à delegacia (24ª DP) prestar queixa e fazer boletim de ocorrência. Jefferson não sofreu nenhuma agressão física.

Zé Corneta. Discípulo do mestre Tite, Fabio Carrile também é fiel à meritocracia. Que o diga o paraguaio Romero, 21 jogos sem marcar!

Palhaçada. Nada mais ridículo do que o pedido da Conmebol para a mamãe Fifa reconhecer os títulos intercontinentais de Peixe (1962/63), Flamengo (1981), Grêmio (1983) e soberano Tricolor (1992/93) como Mundiais. Foram e sempre serão, independentemente do que a entidade decidir. O desafio reunia os bambambãs da América do Sul e da Europa em dois jogos. Muito mais empolgante do que atualmente, com um monte de bambalas na parada.

Sugismundo Freud. Às vezes, se afastar é andar para frente.

Super-City. O Manchester City, time de Pep Guardiola, anda estraçalhando. Ganhou pela 11ª vez consecutiva na temporada (3 a 0 no Burnley) e igualou sua melhor sequência na história. Já o hermano Agüero, de pênalti, marcou seu 177º gol com a camisa do City e se tornou o maior artilheiro do clube ao lado de Eric Brook (1927-1940). O City tem o melhor ataque da Premier League, com 32 gols (média de 3,5 por jogo. Lidera o campeonato com 25 pontos (oito triunfos e um empate).

Caiu na rede. São Paulo estuda marketing geriátrico para contratar Kaká.

Neymar, 6ª expulsão. O atacante Neymar roubou a cena no empate do PSG com o Olympique por 2 a 2, no campo do inimigo. O brasileiro marcou o primeiro gol do PSG, virou alvo preferido dos objetos da torcida do Olympique e ainda foi expulso quando seu time perdia por 2 a 1. Mas Cavani, cobrando falta na bacia das almas, evitou a primeira derrota do PSG no Campeonato Francês. Neymar levou o cartão vermelho no segundo tempo, após tirar satisfação com Ocampos, que o pegou por trás. Antes, havia tomado amarelo por cometer uma falta. Pela sexta vez na carreira, o brasileiro foi para o vestiário mais cedo. Neste ano, cravou a segunda expulsão (recebera o vermelho em abril, contra o Malaga, quando defendia o Barcelona). O Paris Saint-Germain lidera, com 26 pontos, quatro a mais que o Monaco. O Olympique está em quinto, com 18.

Zapping. Os gritos dos narradores da telinha após a marcação de um gol já beiram o intolerável.

Gilete press. De André Kfouri, no ‘Lance’: “O Santos demitiu Levir Culpi na sexta, mas os jogadores convenceram os dirigentes a recontratá-lo. Dessa forma, Levir é o terceiro técnico do time nesta temporada, depois de Dorival Júnior e do próprio Levir. E Elano, que assumiria com a demissão de Culpi, caiu antes disso. Loucura? Não, o futebol brasileiro de elite é feito assim.” É uma tremenda várzea, com todo respeito ao pessoal da várzea.

Tititi d’Aline. O marketing do Manchester City agiu rápido e já fatura uma grana com a comemoração do menino Jesus após a marcação de um gol. O time inglês colocou à venda a camisa #Alomae em sua loja online. O torcedor paga US$ 35 (R$ 110). Em 12 jogos pelo City, o brasileiro marcou oito gols. Desde que aterrissou no clube, ele ainda não perdeu. Jesus é um dos xodós do ‘professor’ Guardiola.

Você sabia que… o Corinthians não derrota o Botafogo como visitante há três partidas?

Bola de ouro. Audax/Corinthians. O time feminino derrotou o Colo Colo nos pênaltis (5 a 4), após empate em 0 a 0 no tempo normal, e faturou Invicto a Libertadores. A festa aconteceu no estádio Arsenio Erico, em Assunção. Pela sexta vez em oito edições, uma equipe brasileira soltou o grito de campeã. Antes de Audax/Corinthians, levantaram o troféu: Peixe (2009/10), São José (2011/13) e Ferroviária (2015).

Bola de latão. Rio-16. O rombo do comitê organizador é muito maior do que foi anunciado. A dívida supera os R$ 160 milhões, R$ 30 milhões a mais sobre os cálculos divulgados há cinco meses. Ou seja, fica cada vez mais difícil pagar os credores. Calote geral à vista.

Bola de lixo. CA de Barros e Silva. O chefão do soberano São Paulo é um cartola extremamente generoso. Ele adora levar uma tropa de convidados nas viagens do time. Boca livre das melhores: passagens aéreas, hospedagem em choupanas cinco estrelas, ingressos e condução até o estádio, tudo bancado pelo clube.

Bola sete. “Nuzman sai da cadeia, mas estará preso, perpetuamente, à fama de ladrão. Para alguém com sua notória vaidade trata-se quase de uma sentença de morte” (do blogueiro Paulinho – fato).

Dúvida pertinente. Palmeiras ou Peixe, qual a maior ameaça ao Corinthians?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Roda gigante do Brasileirão com cara de Brasileirinho mantém Corinthians perto do céu

Imagem relacionada

A nove jogos do pontapé final do Brasileirão com cara de Brasileirinho, a roda gigante da matemática mantém o Corinthians como grande favorito ao heptacampeonato.

Os cálculos do ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia, apontam 83% de possibilidades de a Fiel fazer a festa pela sétima vez, apesar de o time estar apresentando uma bolinha bem chinfrim no returno da competição.

No segundo turno, a equipe do teimoso Carille obteve apenas 12 pontos em 30 possíveis, graças três vitórias e três empates. Levou quatro coças. Na histórica primeira fase, o Corinthians faturou 47 pontos (14 triunfos e cinco empates). Hoje, acumula 59 pontos.

O Palmeiras renasceu para a disputa do bi ao derrotar a Ponte por 2 a 0, no encerramento da 29ª rodada. Mesmo atrás do vice-líder Grêmio, os periquitos em revista voam com 7%, contra 5% dos gaúchos. As duas equipes têm 50 pontos. O imortal supera o Palestra no saldo de gols: 19 a 13. No fim de semana, a jiripoca vai piar: gremistas e palmeirenses se encontram em Porto Alegre.

O Santos, que também soma 50 pontos, perdeu a chance de ficar a apenas sete dos corintianos ao empatar em 1 a 1 com o Sport. O Peixe nada em 3% de probabilidades. Raposa e Flamengo respiram com 1% cada.

Na briga para fugir do inferno da Série B, o soberano São Paulo se complicou um pouco depois da derrota para o Fluminense por 3 a 1. O Tricolor corre com 21% de chances de conhecer a segundona pela primeira vez.

O Dragão goiano está virtualmente condenado: 91%. Na poeira do desespero aparecem Avaí (70%), Coxa (58%), Ponte (54%) e Vitória (33%). O Sport, como o São Paulo, tem 21%. Bahêa e Chape carregam 18% cada.

############

Pitaco do Chucky. O Corinthians pode decepcionar, mas os coirmãos nunca…

Tite Tour. O ‘professor’ Tite chamou nada menos que 25 jogadores para os últimos amistosos da amarelinha desbotada nesta temporada: em 10 de novembro, contra o Japão, em Lille, e quatro dias depois, diante da Inglaterra, em Londres. O treinador convocou seis atacantes. O trio parada dura de sempre (menino Jesus, Neymar e Roberto Firmino), mais Taison (Shakhtar Donetsk), Douglas Costa (Juventus) e Diego Souza (Sport). Diego Tardelli dançou. Os meio-campistas Arthur e Fred também ficaram fora. Giuliano (Fenerbahce) ganhou nova chance.

Tite Tour 2. Apesar de ter feito várias mudanças em relação aos jogos das eliminatórias da Copa, Tite voltou a ignorar o goleiro Vanderlei. Que vem fechando o gol do Peixe há muito tempo. Parece não haver mais dúvidas que os três goleiros do Mundial serão Alisson, Éderson e Cássio. Vanderlei merecia pelo menos uma oportunidade.

Zé Corneta. O sonho palmeirense subiu no telhado: o ‘professor’ Mano Menezes renovou com a Raposa. O café no bule oferecido pelo Palmeiras/Crefisa era dos mais doces, mas Mano optou por continuar na Toca.

Canelada santista. Tira, põe, deixa ficar: depois de decidir pela demissão do ‘professor’ Levir Culpi, o mandachuva e raios do Peixe, Modesto Roma Júnior, atendeu pedido dos jogadores e mudou de ideia. O treinador permanecerá na casamata da equipe até o final do campeonato. “No Santos, todo mundo é ovo e ninguém é galinha no omelete de bacon. Ouvimos o grupo e a comissão para ter um foco melhor nas decisões. E optamos pelo melhor para o Santos”, justificou o filósofo Roma. Além de resultados ruins (três empates seguidos), Levir balançou porque discutiu com o atacante Copete e deixou o atleta no banco diante do Sport. A cartolagem tomou as dores de Copete, já que espera vendê-lo por 12 milhões de euros. O elenco, porém, ficou do lado de Levir.

Canelada santista 2. A era Levir Culpi começou em junho no aquário da Vila Belmiro. Ele foi contratado para substituir Dorival Júnior. Assumiu a rapadura nas oitavas de final da Libertadores. Passou à fase seguinte ao eliminar o Furacão. Nas quartas, o Santos foi eliminado pelo Barcelona de Guayaquil. Em 29 jogos, Culpi coleciona 13 vitórias, 12 empates e quatro derrotas.

Caiu na rede. Levir pede desculpas à torcida santista, e a torcida pede a demissão de Levir.

Mamma Bruschetta. O meio-campista Giovanni Liberti, do poderoso Turris Calcio, da Série D do Campeonato Italiano, certamente entrará para a história… pela porta dos fundos. Ele foi expulso na partida contra o Sarnese enquanto se aquecia para entrar em campo. Durante o pique no lugar, Liberti abaixou o calção e fez xixi em direção aos torcedores adversários, além de gestos obscenos com o bilau. Recebeu o cartão vermelho. No tribunal da federação, o jogador pegou um gancho de cinco jogos. O presidente do Turris, Antonio Colantonio, saiu em defesa do atleta: “Ele estava bebendo água e ajeitando a camisa para dentro do calção.” Que cara de pau!

Sugismundo Freud. Só os humildes têm força para perdoar.

‘Caixa-preta’ no Fla. O bicho está pegando no ninho do Urubu. Em carta aberta, a turma da Chapa Verde, derrotada nas eleições de 2015, pediu a renúncia do mandachuva e raios Eduardo Bandeira de Mello da vice-presidência de futebol. O grupo liderado por Wallim Vasconcellos, ex-aliado do presidente Bandeira de Mello, quer um ‘rubro-negro que tenha pulso firme’ no comando das chuteiras do Flamengo. Cobra ainda promessas do chefão na campanha eleitoral, como remuneração dos profissionais ‘atrelada a resultados’, e considera o departamento profissional uma ‘caixa-preta, em que um grupo muito reduzido de amigos define o que fazer sem dar satisfações aos associados e à torcida’. Uma vez Flamengo…

Zapping. Dia sim e outro também, pimba na caxirola: demissão no departamento de esportes da Globo/SporTV.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo’: “Cerimônia que anualmente homenageia os atletas de destaque do país, a versão 2017 do Prêmio Brasil Olímpico já tinha data e local para acontecer: 21 de dezembro, na Cidade das Artes. Tinha. O COB, que promove a festa, decidiu cancelar a premiação, considerada ‘o Oscar do esporte nacional’. Oficialmente, o motivo alegado é “o momento difícil pelo qual estamos passando”. Não há qualquer menção nominal ao presidente afastado, Carlos Arthur Nuzman, acusado de fraude. Ele chegou a ser preso e renunciou ao cargo. Internamente, a conclusão é que nada pode ser mais inoportuno e constrangedor neste momento do que uma festa como essa.” Era só o que faltava!

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Depois de quase três anos no comando do Guangzhou Evergrande, o ‘sargento Felipão deixará o time chinês. O contrato com o clube se encerra em 30 de novembro e ele já abriu os olhos dos chineses: vai embora. Neste fim de semana, Felipão poderá conquistar o tricampeonato nacional. O herói dos 7 a 1 contra a Alemanha, na Copa de 2014, também informou que não pretende voltar ao mercado brasileiro. Sonha com uma boquinha numa seleção que disputará o Mundial da Rússia.

Você sabia que… o campeão brasileiro receberá um prêmio de R$ 18 milhões, R$ 1 milhão a mais que o Palmeiras em 2016?

Bola de ouro. Willian José. O ex-atacante são-paulino marcou quatro gols na vitória da Real Sociedad sobre o Vardar por 6 a 0, na Macedônia, pela Liga Europa. Pela primeira vez, um brasileiro marcou quatro vezes numa partida da Liga.

Bola de latão. CBF. Depois de embolsar R$ 50 milhões livres com os nove jogos da amarelinha desbotada como mandante nas eliminatórias, o dadivoso Circo Brasileiro de Futebol decidiu aumentar substancialmente a premiação do Brasileirão com cara de Brasileirinho. O simpático imperador ostentação Del Nero aprovou a distribuição de R$ 63,7 milhões aos 16 times mais bem colocados. Ano passado, autorizou R$ 60 milhões.

Bola de lixo. Alexandre Mattos. O gerente do Palmeiras tem um olho clínico de fazer inveja a lince: gastou R$ 35 milhões em reforços para o meio de campo (Guerra, Bruno Henrique, Felipe Melo, Hyoran, Michel Bastos e Raphael Veiga), mas nenhum deles vingou para valer.

Bola sete. “O Palmeiras de Alberto Valentim é um time mais jovial, mais leve, mais solidário, mais competitivo do que na época de Cuca. E, por ter se mostrado mais eficiente, parece também mais feliz!” (de Gilmar Ferreira, no ‘Extra’ – é vero).

Dúvida pertinente. A cartolagem palmeirense deve prestigiar Alberto Valentim ou contratar um ‘professor’ com grife?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br