Mestre Cuca pode adicionar mais uns pontinhos ao cálculo pelo grito de campeão

Resultado de imagem para treinos e jogos do palmeiras fotos
Mestre Cuca e o menino Jesus: mais 33 pontos, a matemática ideal

Pelo andar da carruagem sem rodas do Brasileirão, com tropeços surpreendentes das equipes que sonham soltar o grito de campeão, o mestre Cuca acredita que a volta olímpica poderá acontecer com a conquista de 74 pontos.

Ou seja, os periquitos em revista necessitariam de mais 31 em 48 possíveis para quebrar um jejum de 22 anos sem título. O time lidera com 43.

É vero. Mas o comandante do Palmeiras deveria adicionar mais dois pontinhos na luta pelo caneco para ficar mais sossegado na corrida pela taça. Atingiria 76.

Na era dos pontos corridos, iniciada em 2003, apenas três vezes o bambambã do campeonato colocou a faixa no peito com menos de 75 pontos.

O Flamengo fez a festa com 67, em 2009, menor índice de um vencedor em 13 campeonatos. Já Fluminense (2010) e Corinthians (2011) botaram banca com 71 pontos. O recorde de produtividade pertence à Raposa: 100, em 2003.

A dança dos campeões:

2015 – Corinthians – 81 pontos

2014 – Raposa – 80 pontos

2013 – Raposa – 76 pontos

2012 – Fluminense – 77 pontos

2011 – Corinthians – 71 pontos

2010 – Fluminense – 71 pontos

2009 – Flamengo – 67 pontos

2008 – São Paulo – 75 pontos

2007 – São Paulo – 77 pontos

2006 – São Paulo – 78 pontos

2005 – Corinthians – 81 ponto

2004 – Peixe – 89 pontos

2003 – Raposa – 100 pontos

                                               #############

Pitaco do Chucky. Amanhã será outro dia?

Bugre revoltado. Não convide um torcedor do Guarani para dividir um produto da Brasil Kirin. Você corre o risco de perder o amigo ou levar uma garrafada. Explica-se: pesquisa encomendada pela empresa colocou a galera do Bugre na sexta colocação entre os torcedores de Campinas, com apenas 3% das preferências. O Instituto Própesquisa ouviu 800 pessoas e apontou a Ponte em segundo lugar, com 20%. Perde apenas do Corinthians (22%). Está na frente de São Paulo (10%), Palmeiras (8%) e Peixe (4%). Nada menos que 29% não quiseram responder ou afirmaram não torcer por nenhum time.

Zé Corneta. Chora a situação, chora a oposição… mas ninguém resolve o drama do povão.

Bugre revoltado 2. O resultado deixou a cartolagem do Guarani tão irritada que, no duelo contra a Lusa, pela Série C, no fim de semana, o placar do Brincou de Ouro sapecou: “Não beba Schin. Consuma produto de qualidade”. Responsável pelo levantamento, Rodrigo Souza Queiroz afirmou ao ‘Globo.com’ que o Guarani apenas deu uma enorme divulgação à pesquisa ao chiar barbaridades, porque “o assunto duraria uma semana, no máximo”. Declarou ainda que o número reduzido pode estar ligado ao fato de o time disputar a terceira divisão do Brasileiro, enquanto a coirmã Ponte se encontra na elite.

Sugismundo Freud. O que seria dos fortes sem os fracos?

Bugre revoltado 3. O clube soltou até uma nota repudiando a pesquisa: “O Guarani expressar seu total descontentamento e repúdio à pesquisa encomendada pela Brasil Kirin e realizada pelo Instituto Própesquisa. O clube entende que o levantamento foi realizado de forma equivocada e que a empresa agiu de má fé para com os torcedores do Guarani.” É guerra!

Dom Chicote. Polícia identifica quatro baderneiros entre os… 500 que invadiram o CT do soberano Tricolor. Noooota deeeeez.

Bem, amiguinhos. O atacante Robinho chegou meio desacreditado ao Galo e hoje é a principal peça do setor ofensivo. Colocou Fred ‘Slater’ e Lucas Pratto no bico da chuteira. Tem 10 gols e divide a artilharia do Brasileirão com o menino Jesus do Palmeiras. O rei das pedaladas foi goleador do Mineirinho, com nove. Desde 2007, quando assinalou seis gols pela amarelinha desbotada na Copa América, não era o principal ‘matador’ de um torneio.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Histórico: Ricardo Gomes é o único profissional que saiu do Botafogo e foi para um time pior.

Bem, diabinhos. A parafuseta de Felipe Massa pode enferrujar na Williams se o piloto brasileiro e seu companheiro, Valteri Bottas, não pisarem fundo no acelerador e deixarem a Force India no retrovisor. Eles já foram avisados pela chefia que a escuderia não poderá perder os milhões de dólares proporcionados pela quarta posição no Mundial. Após 13 etapas do campeonato, a Force India acumula 103 pontos, dois à frente da Williams. Neste fim de semana, sinal verde para o GP da Itália.

Patolino na geral. O Saci colorado está de olho no atacante Emerson ‘Bitoca’, mas um problema pode entornar o caldo. O Sheik ganha algo em torno de R$ 500 mil no ninho do Urubu.

Legado. A licitação do Parque Olímpico poderá ganhar o interesse da Lusoarenas, empresa portuguesa que ficou apenas um ano administrando o Mineirão. O chamariz: a prefeitura do Rio promete repassar R$ 820 milhões durante 25 anos para ajudar nos custos de manutenção do Parque – centro de tênis, velódromo e três arenas.

Cobras & Lagartos. Os acordes da marcha fúnebre já ecoam no Coelho. Que o diga o goleiro João Ricardo! Após 22 rodadas e apenas 13 pontos em 66 possíveis, o jogador vê o time cada vez mais perto do rebaixamento: “O poço está ficando fundo.” Na lanterna do Brasileirão, o time mineiro está 13 pontos atrás do Coxa, primeiro time fora da zona do agrião queimado.

Dona Fifi. A rede hoteleira da Cidade Maravilhosa das balas voadoras reza aos pés do Cristo Redentor: menos da metade dos quartos está garantida antes da Paraolimpíada. Segundo a associação de hotéis, em setembro a média de ocupação gira em torno de 65% dos leitos.

Zé Colmeia. O ex-goleiro palmeirense Deola, 33 anos, treina no time do sindicato dos atletas à espera de um convite para voltar a jogar.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo’: “Assim como o futebol, o surfe feminino está anos-luz da versão masculina do esporte no Brasil. Como não há um circuito nacional (ninguém quer investir), as meninas vão disputar uma única etapa do campeonato brasileiro, em setembro. O organizador é o surfista paulista Wiggoly Dantas, top mundial que cansou de ver sua irmã, a também campeã Suellen Naraisa, sem competições para disputar. Até agora o único patrocinador é uma rede de cursos de inglês.” Lamentável!

Tiro curto. A poucas horas do fechamento da janela de transferências da Europa, o Galo negociou o lateral-esquerdo Douglas Santos ao Hamburgo por 7 milhões de euros (R$ 25 mi). O jogador ganhou o ouro olímpico.

Tititi d’Aline. O ‘professor’ Celso Roth ganhou o primeiro inimigo no Saci colorado: Pablo Betancur, agente do atacante Nico López. Motivo: colocou o uruguaio de 22 anos no banco, depois de quatro jogos sem balançar as redes. “É um treinador que gosta de se mostrar mais importante do que os jogadores”, alfinetou o empresário. O Inter não vence há 14 jogos – nove derrotas e cinco empates. Vai um chimarrão aí, gente?

Você sabia que… o Peixe ganhou apenas 11 dos 33 pontos que disputou como visitante no Brasileiro?

‘Bola de ouro’. Dagoberto. Aos 33 anos, o pentacampeão brasileiro rescindiu o contrato com o Vitória. Passagem inesquecível pelo time baiano: 20 jogos e nenhum gol. Ele foi apresentado como grande reforço em março, após passagem pelo Vasco mais apagado que arquivo morto.

Bola de latão. São Paulo. O soberano encontrou a fórmula para evitar outro quiproquó no CT: até sexta, só os jogadores poderão entrar no local. Nem a imprensa, coitada!, passará pelo portão.

Bola de lixo. Trogloditas russos. A lutadora Inna Trazhukova acusou o chefão da confederação de wrestling, Mikhail Mamiachvili, de agressão após perder a medalha de bronze olímpica para a polonesa Monika Michalik. O cartola foi ajudado por covardes da comissão técnica.

Bola sete. “Talvez, as seleções brasileiras, olímpica e principal, nunca tenham dependido tanto de um jogador como Neymar. Nem de Pelé, já que havia outros foras de série” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – fato).

Dúvida pertinente. A amarelinha desbotada voltará a brilhar com o ‘professor’ Tite?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Saci colorado acumula 51% de chances de degola; Palmeiras, 44% de volta olímpica

Resultado de imagem para fotos da torcida do internacional
A bandeira do Saci colorado nunca tremulou na segunda divisão do Brasileiro

Como acontece na primeira página da tabela, o bololô também toma conta da zona do agrião queimado.

Mergulhado no caldeirão do diabo depois de seis anos livre do pesadelo, o Saci colorado já fez os cálculos para escapar do inferno.

Com 24 pontos após 22 jornadas do Brasileirão, o time gaúcho precisa conquistar pelo menos mais 22 em 16 jogos para continuar no seleto grupo das cinco equipes que nunca foram rebaixadas – as outras são Flamengo, Raposa, Peixe e soberano São Paulo.

A matemática no Beira-Rio indica que 46 pontos serão suficientes para driblar o vexame da queda para a segunda divisão. Ao empatar com o Sport em 1 a 1, o Inter caiu para a 17ª posição.

Lidera o pelotão do subsolo do campeonato. Que tem ainda Figueira (24 pontos), Santa Cruz (19) e Coelho (13). Flertando com o Z4 estão soberano São Paulo (28 pontos), Sport (27), Botafogo (26), Raposa (26), Vitoria (26) e Coxa (26).

Desde 2010, a equipe gaúcha não figurava numa situação tão elogiável pelos gremistas. Naquele ano, ganhou apenas três pontos em 12 disputados no início do torneio. Bateu o Goiás e levou bala de Cruzeiro, Tricolor paulista e Vasco.

A situação mais dramática aconteceu em 2002, quando o Saci colorado escapou do rebaixamento na última rodada. De acordo com os cálculos do ‘Infobola’, do matemático Tristão Garcia, o Inter acumula 51% de chances de deixar a elite do Brasileirão pela primeira vez na história.

Na corrida pelo caneco, o líder Palmeiras navega com 44% de ventos a favor, mais da metade das chances do Flamengo, o segundo colocado. Os periquitos em revista acumulam 43 pontos, e o mestre Cuca acredita que o grito de campeão poderá sair com 72, 73 ou 74 pontos.

O põe, tira, deixa ficar na luta contra a Série B, segundo o ‘Infobola’:

Coelho – 99%
Santa Cruz – 85%
Saci colorado – 51%
Figueira – 37%
Vitória -30%
Coxa – 25%
Raposa – 23%
Sport – 16%
São Paulo – 14%
Botafogo – 8%

As chances título:

Palmeiras – 44%
Flamengo – 21%
Galo – 14%
Corinthians – 7%
Peixe – 5%
Grêmio – 5%

                                                     ############

Pitaco do Chucky. A caçada final ao pokémon está próxima em Brasília.

Pinóquio tricolor? O diretor de futebol do soberano São Paulo, José Jacobson Neto, deixou o mandachuva e raios CA de Barros e Silva numa situação extremamente cômoda, sem precisar recorrer ao ‘leco leco’. Ele garantiu que, após a invasão dos bárbaros ao CT do Tricolor no fim de semana, o clube deixaria de colaborar com os anjinhos organizados pelo diabo: ‘A relação foi rompida’. Nada mais elogiável… se o chefão não tivesse garantido que o divórcio já havia acontecido tempos atrás.

Caiu na rede. Porto Alegre ainda era uma cidade segura na última vitória do Inter.

Zapping. Apesar de estar em jogo a liderança do Palmeiras, o duelo contra o Fluminense não provocou muitos suspiros na plim-plim. O embate cravou 19,2 pontos no ibope da grande Pauliceia envolvida pela gatunagem. Já o GP da Bélgica de Fórmula 1 rendeu 8,7. Cada ponto representa 67 mil domicílios sintonizados. Nesta quinta, às 18 horas, a emissora deixará de mostrar a novela ‘Sol Nascente’. Entrará em campo Equador x Brasil, pelas eliminatórias da Copa de 2018. Estreia do ‘professor’ Tite.

Zé Corneta. Soberano São Paulo hoje é o Corinthians e Palmeiras de ontem.

Zapping 2. Fim da era Glenda Kozlowski e Alex Escobar no comando do ‘Esporte Espetacular’. A plim-plim decidiu substituí-los por Fernanda Gentil e Flávio Canto, que devem ter ótimos padrinhos na emissora. Glenda se dedicará a reportagens e narrações. Escobar apresentará o ‘Globo Esporte’ do Rio e continuará transmitindo jogos.

Sugismundo Freud. A palavra pode machucar mais do que uma facada.

Bem, amiguinhos. Uma pérola voltará ao mercado: ‘Flô, o goleiro ‘melhor do mundo”, obra do jornalista Thomaz Mazzoni, ícone da mídia esportiva. O livro foi lançado em 1941. Ele aborda as relações nada elogiáveis entre, clubes, federações e arbitragens na década de 40. O relançamento é parte do projeto Livros de Futebol. Mazzoni trabalhou durante muitos anos no jornal ‘Gazeta Esportiva’. Ele criou uma série denominações para os clássicos paulistas como Choque Rei (São Paulo x Palmeiras), Derby (Corinthians x Palmeiras) e Majestoso (São Paulo x Corinthians).

Dona Fifi. Uma vez Flamengo… Deixou chegar… o problema é passar.

Bem, diabinhos. Cansado dos jogos itinerantes por ser integrante do futebol sem teto, o Fluminense pretende encarar o Flamengo, em 12 de outubro, e o soberano São Paulo, quatro dias depois, no ‘new Maraca’. O estádio foi cedido até 30 de outubro à Rio-16. Mas o último compromisso no templo da bola tupiniquim será em 18 de setembro, a cerimônia de encerramento da Paraolimpíada. O Fluminense acredita que 15 dias serão suficientes para desmontar a estrutura olímpica.

Dom Chicote. Do ‘professor’ Levir Culpi, sobre o jogo contra o Palmeiras, em Brasília: “Apesar de o mando ser do Fluminense, não me senti em casa. Só ouvi a torcida do Palmeiras. Quero parabenizar quem veio nos apoiar. Não jogamos em casa. Vamos continuar assim sei lá até quando. Futebol sem torcida não tem graça.” Bingo.

Cobras & Lagartos. O global Henri Castelli não se intimidou com a possibilidade de ser processado pelo soberano São Paulo por ter incentivado o protesto dos anjinhos organizados pelo diabo, que terminou em invasão ao CT e furto de camisas e bolas. Em nota, o ator afirmou considerar “uma pena demonstrarem mais preocupação com o próprio ego e gastarem tempo e dinheiro em demandar contra mim, ao invés de terem a decência e humildade de pensar no que realmente deve ser feito pelo clube (…) Não vou me calar, continuarei com minhas paixões e ideais, sem falsidade em meus relacionamentos, mas acima de tudo em defesa a valores e um futebol digno e não mercenário.” Novos capítulos à vista.

Zé Colmeia. Tem jogador do soberano Tricolor mais perdido que analfabeto em concurso de soletração.

Rebimboca. O gajo José Mourinho provocou a primeira saia-justa no Manchester United. Uma das patrocinadoras do time inglês, a Chevrolet ofereceu um carro ao treinador, mas ele recusou o presente. Mourinho tem forte ligação com a Jaguar, segundo o jornal ‘Daily Star’. A montadora é umas das principais concorrentes da GM na Europa. A cartolagem dos Diabos Vermelhos torceu o nariz.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Minha esperança é que Tite, aos poucos e até a Copa de 2018, faça a seleção jogar como o Corinthians de sua época, porém, com muito mais qualidade e eficiência, por ter jogadores melhores. Pela convocação, imagino que Tite vai adotar a formação tática que usava no Corinthians, com quatro defensores, um volante (Casemiro), um meio-campista de cada lado que marque e avance (Paulinho e Renato Augusto), um jogador de cada lado que defenda e ataque (um mais atacante, como Neymar, e outro mais armador, como Willian), além de um centroavante (Gabigol ou Gabriel Jesus).” A conferir.

Tiro livre. O brasileiro Hulk ocupa a terceira colocação no ranking das 10 maiores transferências do mercado europeu no verão. Ele foi vendido pelo Zenit ao Shanghai por R$ 205 milhões. Perde para Pogba (R$ 385 mi/Manchester United) e Higuain (R$ 330 mi/Juventus).

Tititi d’Aline. Envolvido até o último fio de cabelo no escândalo de corrupção que tomou conta da mamãe Fifa em 2013, o jornalista e empresário J.Hawilla colocou à venda os direitos de transmissão da Copa do Brasil. O dono da Traffic precisa de dinheiro para fechar a conta com a Justiça dos EUA – só devolveu parte dos US$ 151 milhões (R$ 485 milhões) prometidos, de acordo com Camila Mattoso, da ‘Folha’. Hawilla já passou para frente os acordos que tinha da Libertadores e Sul-americana.

Você sabia que… o soberano Tricolor (45,5%), a Raposa (39,4%), o Santa Cruz (36,4%) e o Coelho (33,3%) têm o pior aproveitamento como mandantes no Brasileirão?

Bola de ouro. Diego. Caiu como luva no time do Flamengo. O meia está jogando muito, além de marcar gols. Melhor investimento do Urubu nos últimos tempos.

Bola de latão. Cristian. O papagaio corintiano: fala muito e joga pouco. No fim do mês, café no bule de R$ 400 mil.

Bola de lixo. Henrique Gomes de Lima. O chefe dos anjinhos são-paulinos organizados pelo diabo garantiu que as agressões aos jogadores foram ‘apenas uns ‘pedala Robinho’ e um pisão no pé. Não faz mal a ninguém.’ A declaração foi dada por Baby na 5ª DP. Fala sério!

Bola sete. “O São Paulo caminha para o cadafalso sem piscar. E a torcida sofre com a calculadora na mão” (do blogueiro Menon, no ‘Uol’ – no alvo).

Dúvida pertinente. Se ganhar 10 pontos nos próximos quatro jogos (soberano Tricolor, Grêmio, Flamengo e Corinthians), o Palmeiras já pode procurar uma costureira para fazer as faixas?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Periquito voa tranquilo na liderança, Tricolor decepciona e ‘He Man’ fisga Peixe

O menino Jesus levou a defesa do Fluminense à loucura em Brasília

Os periquitos em revista continuam voando tranquilos na liderança do Brasileirão depois de 22 rodadas. Viajaram até Brasília e simplesmente não tomaram conhecimento do Fluminense. Venceram por 2 a 0, com gols de Dudu e Jean, no estádio Mané Garrincha (12.037 pagantes). Quinto jogo sem derrota.

O Palmeiras chegou aos 43 pontos, três à frente do Flamengo, que pulou para o segundo lugar ao bater a Chapecoense por 3 a 1. O Galo empatou em 1 a 1 com o Grêmio e caiu para terceiro, com 39 pontos, dois a mais que o Corinthians, que fecha o G4.

O menino Jesus voltou ao time paulista, depois de conquistar a medalha de ouro olímpica, e bagunçou o coreto do Tricolor das Laranjeiras. Não marcou, mas infernizou a defesa da equipe carioca, uma das menos vazadas do campeonato.

Sem o garoto no período dos Jogos, o Palmeiras faturou apenas 44,4% dos pontos disputados; com ele em campo, o aproveitamento atinge 72%. Jesus foi caçado em campo e reclamou: “Rasgaram até a minha chuteira. Depois vêm reclamar comigo. Não tenho culpa se eles me batem.”

Os números mostram a superioridade palmeirense em campo: finalizações – 16 a 7; chances reais de gol – 5 a 2; bolas levantadas – 9 a 14; e desarmes – 14 a 6. Na verdade, o Fluminense deve agradecer ao Cristo Redentor por ter levado apenas dois gols. Merecia tomar quatro ou mais.

No Morumbi (7.836 torcedores), o soberano São Paulo voltou a decepcionar. Ficou no ‘oxo’ contra o Coxa, um dia após a invasão dos animais travestidos de torcedores ao CT da Barra Funda.

O Tricolor completou cinco jogos sem ganhar como mandante (quatro pelo Brasileiro e um pela Copa do Brasil). E o próximo adversário será o líder Palmeiras, na mansão Allianz Parque.

Pelo futebol apresentado, nenhuma das equipes merecia a vitória. O São Paulo foi o menos ruim. Teve mais posse de bola (61% a 39%), porém não soube finalizar com eficiência ao gol, apesar de 17 tentativas. O Coxa foi um time apático ao longo dos 90 minutos.

O São Paulo soma 28 pontos e segue flertando com a zona do agrião queimado. O Coritiba tem 26.

No café da manhã no aquário da Vila Belmiro, com 11.456 convidados, o atacante Gabigol se despediu em grande estilo do Peixe. Negociado à Inter de Milão por R$ 100 milhões, ele entrou no segundo tempo e participou da… derrota por 1 a 0 para o Figueira, que conseguiu a primeira vitória fora de casa. Rafael ‘He-Man’ Moura, de pênalti, marcou o gol aos 2 minutos da etapa final.

Foi o segundo triunfo do Figueira na casa santista em jogos do Brasileirão. Agora, são nove vitórias do Peixe e duas do time catarinense. O Santos estacionou nos 36 pontos e perdeu a chance de voltar ao G4. O Figueira pulou para 24 e continua na briga para fugir do rebaixamento.

Além de encontrar um forte bloqueio defensivo, nas poucas vezes em que conseguiu ameaçar o Figueira, a equipe santista parou nas luvas de Gatito Fernández.

Pela bolinha de gude apresentada, o Santos foi saudado com vaias na saída de campo. Já no intervalo, a torcida estava revoltada: ‘Não é mole não, está na hora de ganhar o Brasileirão’. Há 12 anos o time não dá a volta olímpica.

                                       ############

Pitaco do Chucky. O presidente CA de Barros e Silva é adepto do UFC: considerou os safanões dos animais organizados em Michel Bastos, Wesley e Carlinhos apenas um chutinho, um tapinha… Pelo jeito, queria ‘mata-leão’.

Vai Corinthians. O fim de semana foi dos mais alvissareiros para a Fiel. Começou com um baile da Macaca e terminou com o time caindo da terceira para a quarta posição. Entre um ‘paso doble’ e outro, acumulou a terceira derrota consecutiva fora de casa ao fracassar diante da Ponte (2 a 0). Antes, havia perdido do Grêmio (3 a 0) e Furacão (2 a 0). Ou seja, tomou sete gols e não festejou nenhum. Em 11 jogos do Brasileirão como visitante, o Corinthians perdeu sete.

Zé Corneta. Cristian, Rodriguinho, Romero e Yago: jogadores ou figurantes no Corinthians?

Vai Corinthians 2. Em agosto, a equipe disputou cinco porfias e faturou fantásticos quatro pontos em 15 possíveis, com excepcional aproveitamento de 26,7%. O único triunfo aconteceu sobre o Vitória por 2 a 1, aos trancos e barrancos. Além disso, empatou com a Raposa em 1 a 1. Números que já colocaram o ‘professor’ Cristóvão Borges a caminho do bico da cegonha sem asas. Que venha o Fluminense, quarta, pelo mata-mata da Copa do Brasil!

Caiu na rede. Moisés Lucarelli, urgente: Corinthians não aparece para jogar e Macaca vence por W.O.

Bem, amiguinhos. Aos 29 anos, o centroavante Jô está à procura de clube. Depois de 26 partidas e 11 gols a serviço do Jiangsu Suning, ele foi comunicado pelos chineses que poderia arrumar as malas porque a cota de estrangeiros havia estourado. Na mesma situação está Diego Tardelli, dispensado do Shandong Luneng. Na China, eles vinham ganhando mais de R$ 800 mil por mês.

Sugismundo Freud. O segredo para vencer é nunca parar de lutar.

Bem, diabinhos. A invasão dos anjinhos são-paulinos organizados pelo diabo ao CT deve respingar no ator Henri Castelli. O soberano Tricolor pensa em processá-lo, porque o global divulgou um vídeo prometendo comparecer ao protesto. De quebra, chamou a diretoria de ‘vagabunda’. Henri Castelli não foi visto no bafafá de sábado. Na gravação, o ator classificou a cartolagem de ‘um bando de safados e vagabundos’, que tem usado o Tricolor para objetivos pessoais. E considerou os vândalos a ‘verdadeira torcida do São Paulo’.

Zé Colmeia. Não está nada fácil a vida da Inter de Milão: gastou R$ 264 milhões com o brasileiro Gabigol (R$ 100 mi) e o gajo João Mario (R$ 160 mi).

Dona Fifi. Devolvido pela Odebrecht ao governo do Rio, o ‘new Maraca’ entrou na alça de mira do empresário Roberto ‘Rock in Rio’ Medina. A dupla Fla-Flu já não se mostra tão interessada em administrar o templo da bola.

Dom Chicote. A Adidas adiou a produção de roupas e tênis Reebok. A ideia inicial era entrar no mercado neste ano, mas os planos foram postergados para 2017. E na primeira fase o projeto será terceirizado.

Gilete press. De Rafael Bullara, no ‘Lance’: “A vitória do Cruzeiro sobre o Santa Cruz (2 a 0) teve o segundo maior público da temporada em jogos às 11h. Foram 49.208 pagantes e o jogo só ficou atrás de São Paulo 2 x 2 Chapecoense, partida da 17ª rodada, com 54.996. Foram 30 confrontos disputados na manhã de domingo e a média é de 18.834 pagantes. No ano passado, foram 34 partidas, com média de 24.573 pagantes.” A galera adora um aperitivo antes do almoço.

Patolino na geral. O Vasco continua queimando gordura na liderança da Série B: terceiro jogo sem vitória no empate de 2 a 2 com o Tupi. Também ficou no dois pra cá, dois pra lá contra Ceará e Sampaio Corrêa. De quebra, perdeu do Peixe na Copa do Brasil.

Tititi d’Aline. O Barcelona tem o elenco mais caro da Espanha. Messi & Cia. custam 585 milhões de euros (R$ 2,13 bilhões), segundo levantamento do jornal Sport. O Real Madrid de Cristiano Ronaldo vem no vácuo, com 580 milhões de euros (R$ 2,12 bilhões). O Atlético de Madrid fecha o pódio, com 391 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão).

Você sabia que… a última vitória do soberano Tricolor no Morumbi foi em 10 de julho, contra o Coelho, por 3 a 0?

Bola de ouro. Pedro Geromel. Mais que merecida a convocação do zagueiro do Grêmio para a amarelinha desbotada, em substituição ao lesionado Rodrigo Caio, do soberano Tricolor. Aos 30 anos, Geromel foi chamado pela primeira vez. Demorou!

Bola de latão. Andrés Sanchez. O eterno rei do sorriso perde força no Corinthians. Ao defender a continuidade do ‘chapão’ na eleição corintiana, o ex-mandachuva e raios foi vaiado. E, depois, viu naufragar sua jogada política.

Bola de lixo. CBF. O inominável Circo Brasileiro de Futebol vetou uma faixa de apoio às vítimas do terremoto na Itália que seria levada por Fluminense e Palmeiras antes do jogo em Brasília. Alegou que a “solicitação não foi feita dentro do tempo hábil”. Ridículo.

Bola sete. “O futebol masculino vende os direitos para a TV, enquanto o feminino pede para ser transmitido. Com o boom na Olimpíada, é provável que as TVs queiram exibir ao menos a fase final dos torneios femininos” (do coordenador Marco Aurélio Cunha – é vero).

Dúvida pertinente. Torcida ou quadrilha organizada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Só faltou a orquestra para o baile da Ponte no Corinthians ficar completo

O centroavante Roger comemora o primeiro gol da Ponte

A verdade, nua e crua: só não se pode falar que o Corinthians tomou um baile da Ponte porque faltou a orquestra. A equipe simplesmente assistiu ao bom futebol da Macaca. Apática, limitou-se a marcar como um jacaré – só pelos olhos. Resultado: Ponte 2 a 0, gols de Roger e Clayson, em Moisés Lucarelli (8.529 pagantes).

Está certo que o paraguaio Balbuena foi expulso no início da partida, mas a Ponte já estava melhor em campo. O Corinthians conseguiu a proeza de dar apenas um chute a gol. Apesar da derrota, o time segue em terceiro no Brasileirão, com 37 pontos, mas pode perder a vaga no G4 dependendo de outros resultados da 22ª rodada.

Mesmo com a vitória, a Ponte não deixa a sétima colocação. A diferença agora é que está a apenas três pontos do G4 (34 para 37).

Depois de um início banho-maria, a Ponte tomou conta do jogo, principalmente após a expulsão do zagueiro Balbuena, aos 18 minutos – fez falta em Roger na entrada da área. Na sequência, o ‘professor’ Cristóvão Borges trocou Guilherme por Pedro Henrique para recompor a zaga.

Com um a mais, a Macaca deitou e rolou. Roger perdeu duas ótimas chances até encaçapar Cássio, aos 35, depois de um cruzamento da esquerda. Pedro Henrique ficou tomando banho de sol e o centroavante finalizou quase sob a trave. Cássio também falhou. Aos 42, a trave evitou o segundo gol, após arremate de Clayson.

Alguns números mostram a bolinha de gude apresentada pelo time corintiano: posse de bola – Ponte 54% x 46% Corinthians; finalizações – Ponte 9 a 1; passes errados – Ponte 15 a 19; e escanteios – Ponte 6 a 0.

O Corinthians voltou com o paraguaio Romero no lugar de Marquinhos Gabriel. Se as esperanças de uma virada eram poucas, elas diminuíram ainda mais aos 5 minutos do segundo tempo. Rhayner tocou para Clayson, que girou sobre Pedro Henrique e fuzilou Cássio.

A equipe corintiana jogou a toalha. Embolada na defesa, frágil no meio de campo e inoperante no ataque, ficou só observando a Macaca tocar a bola. Aos 23, Lucca substituiu Rodriguinho. Nada mudou.

O time da Ponte só não aumentou o placar porque desperdiçou boas chances e pisou no freio depois dos 30 minutos. O Corinthians escapou de uma boa sova. “Jogar aqui é difícil, ainda mais com um a menos. (A expulsão) mudou a partida, a forma de jogar. Ainda conseguimos segurar uns 15 minutos”, afirmou Elias, uma figura decorativa no meio de campo, ao lado de Cristian e Rodriguinho.

                                       ############

Pitaco do Chucky. Corinthians contrata mal e vende ainda pior.

Barbárie no Tricolor. Os anjinhos são-paulinos organizados pelo diabo prometeram e cumpriram: invadiram o CT do soberano Tricolor para protestar contra a campanha do time. Os animais agrediram Carlinhos, Michel Bastos, Wesley e Wellington. De quebra, furtaram camisas e 14 bolas. Mais de 300 bandidos tomaram conta do centro de treinamento na Barra Funda. Não respeitaram nem uma viatura da polícia que estava na porta. A normalidade só voltou depois da chegada do reforço de vários carros da PM. Mesmo na rua, a horda repetiu as ameaças aos jogadores. Uma das principais críticas é a campanha no Brasileirão – o time é o 11º, a quatro pontos da zona de rebaixamento. “Se cair para segunda divisão, vocês vão morrer”, gritaram.

Zé Corneta. E o assalto ao CT do soberano Tricolor vai ficar na conta do Abreu?

Barbárie no Tricolor 2. Após a baderna, o presidente CA de Barros e Silva afirmou que os jogadores não pensaram em ir à polícia, porque ‘as agressões foram um tapinha e um chutinho’. Leco culpou a oposição pela arruaça. ‘Uma coisa é insatisfação da torcida. Outra coisa, muito diferente, é uma manifestação com fins políticos. Que ninguém se engane: os idealizadores não estão preocupados com o São Paulo. Eles serão desmascarados e não vão triunfar. Quem pagou os ônibus para o CT, quem financiou isso?’ E sugeriu: ‘É algo que vocês da imprensa devem investigar. Vamos responder dentro de campo.’ Novo capítulo neste domingo, contra o Coxa, no Morumbi.

Sugismundo Freud. O tempo voa quando se ama.

Neymar amansa Leão. Tudo certo entre o atacante Neymar e a Receita Federal. O jogador e seu pai concordaram em pagar R$ 460 mil ao Leão por ‘driblarem’ a mordida quando Neymar ainda defendia o Peixe, entre 2007/08, e já beliscava uma grana em direitos de imagem. Neymar não ficará de biquinho. Logo, logo cairá em sua poupança o prêmio do Circo Brasileiro de Futebol pelo ouro olímpico: R$ 500 mil.

Tiro curto. Galvão Bueno, narrador ou superstar?

Dom Chicote. O Barcelona saiu na frente na corrida pela ‘orelhuda’ nas casas de apostas. O time catalão aparece como favorito ao caneco da Champions, pagando quatro euros por um investido. Em segundo está o Bayern de Munique, com cinco por um. O supercampeão Real Madrid pinta apenas em terceiro, com seis por um. O Real lutará pelo 12º troféu. A fase de grupos começa em setembro. O Barça caiu no chamado ‘grupo da morte’, ao lado de Manchester City, Celtic e Borussia Moenchengladbach.

Dona Fifi. O trenó do Papai Noel vai fazer um belo pit stop na poupança do atacante Gabigol: 10 milhões de euros (R$ 36 milhões) e salários de 3,5 milhões de euros (R$ 12,6 milhões) por temporada para defender a Inter de Milão. O Santos embolsará 18 milhões de euros (R$ 64 milhões).

Bem, amiguinhos. O cardeal palmeirense Mustafá Contursi continua sendo um peso-pesado na política do clube. O nobre presidente Paulo Nobre deve anunciar Maurício Galiotte como candidato da situação na eleição de novembro. O primeiro vice de Nobre foi abençoado por Mustafá e ganhou a corrida contra o segundo vice, Genaro Marino. A vitória da chapa de Nobre é pule de 10 no ninho dos periquitos em revista.

Zé Colmeia. A Raposa festeja: em pouco mais de três meses, a nova camisa já vendeu 40 mil peças, apesar de o time andar mal das pernas. O pão de queijo recebe 17% de cada enxoval da Umbro, que substituiu a Penalty. A mais popular custa R$ 239,90, e a top, R$ 289,90.

Bem, diabinhos. A torcida do Barcelona em festa: lateral-direito Douglas foi emprestado ao Gijón por uma temporada. O clube catalão se livrou de um tremendo mico, um dos maiores dos últimos tempos. Em dois anos, o ex-são-paulino jogou apenas oito partidas. Queimou o bumbum de tanto ficar no banco. De acordo com levantamento da ‘ESPN’, Douglas custou R$ 51 mil por minuto ao Barça.

Patolino na geral. O Furacão defenderá um tabu de oito anos sem derrota para o Botafogo em Curitiba. A equipe paranaense acumula quatro triunfos e um empate desde 2008.

Cobras & Lagartos. Do canoísta Isaquias Queiroz, três medalhas olímpicas, à ‘Rádio Ubaitaba’, antes de desfilar pela cidade: “Tem muitas pessoas ingratas em Ubaitaba. Não vou aceitar que um monte de gente hipócrita, mal-educada, fique falando mal da minha namorada na rua. O que ela fez para as pessoas? Não foi ela que pediu para namorar comigo, não. Eu que pedi. Dizem que Larissa é isso, aquilo… Um monte de gente chamou ela de p… nas redes sociais. Já estou de saco cheio.” Covardes anônimos.

Escadinha. Os homens de ouro de Bernardinho voltarão à ativa no início de setembro. Mas não em um ginásio. A seleção jogará contra Portugal na Arena da Baixada, em Curitiba, e no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Os jogos marcarão a despedida do brilhante líbero (e não levantador, desculpe a nossa falha) Serginho Escadinha, 40 anos, da seleção de vôlei.

Gilete press. De Mauro Cezar Pereira, no ‘ESPN’: “Estranho que Tite, tendo nas mãos a seleção, faça suas escolhas mais uma vez pautado no 4-1-4-1 do ano passado. Mesmo podendo contar com todo e qualquer jogador brasileiro, obviamente um privilégio para qualquer treinador. Seria essa a melhor opção, ainda mais com períodos curtos de treino e viagens? Ou para desenvolver algo novo seria preciso outro período sabático? Ele está preso ao Corinthians de 2015? Falta repertório a Tite? As respostas serão dadas a partir do duelo de Quito, quinta-feira, contra o Equador.” A conferir.

Tititi d’Aline. O farsante Ryan Lochte encontrou um ombro amigo após perder quatro milionários contratos de publicidade, entre eles Speedo e Ralph Laurent. O nadador americano receberá um reforço de caixa da Pine Brothers, que produz pastilhas para a garganta.

Você sabia que… Robinho já marcou 20 gols em 35 jogos com a camisa do Galo, nove a mais que Lucas Pratto em 30 partidas?

‘Bola de ouro’. Corinthians. Uma política futebolística das mais elogiáveis: empresta o volante revelação Maycon à Ponte, troca o garoto Marciel pelo veterano e pouco utilizado Willians e investe R$ 800 mil no desconhecido Jean, do Paraná. Que maravilha!

Bola de latão. Coelho e Figueira. Únicas equipes que ainda estão ‘virgem’ como visitante no Brasileirão. O time mineiro só conseguiu dois pontos fora de casa, um a menos que a equipe catarinense.

Bola de lixo. Jose Angulo. O atacante de 21 anos da seleção equatoriana e destaque do Independiente Del Valle na Libertadores foi flagrado no antidoping. O teste acusou cocaína. Depois do torneio continental, Angulo foi negociado ao Granada, da Espanha.

Bola sete. “Gostaria de pedir à torcida de Brasília para comparecer ao estádio, menos o pessoal envolvido na Lava-Jato” (do ‘professor’ Levir Culpi, do Fluminense, sobre o embate com o Palmeiras – é uma peça).

Dúvida pertinente. Cristóvão Borges ou Ricardo Gomes, quem vai cair primeiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Soberano Tricolor, um ano histórico até agora: 20 derrotas e 9% de rebaixamento

Resultado de imagem para torcida do são paulo fotos
A torcida está ‘feliz da vida’ com o desempenho do soberano neste ano

Os números são impecáveis. Mostram a excepcional temporada do soberano Tricolor na luta pela glória. Há muito tempo não se vê no Morumbi um time tão eficiente.

Em 52 jogos até agora, o São Paulo coleciona apenas 20 derrotas, 14 empates e sensacionais 18 triunfos que o levaram do nada a lugar nenhum no bico quadrado da chuteira. Marcou 62 gols e tomou 57. Brilhante saldo de cinco. Nos últimos nove embates, um resultado positivo.

A caminhada do sucesso e da felicidade dos coirmãos começou no Paulistinha. O time caiu nas quartas de final, após seis triunfos, quatro empates e seis cacetadas. A eliminação veio num baile do Audax (4 a 1).

Na Libertadores, um momento sublime: chegou até as semifinais, mas só Deus sabe como. A equipe derrotou cinco inimigos, morreu abraçada a quatro e sucumbiu diante de cinco.

No Brasileirão, o São Paulo dança valsa em ritmo de axé: sete vitórias, seis empates e oito bordoadas. Flutua na segunda página da tabela, com 27 pontos em 11º lugar. Está a quatro pontos do Vitória, que abre a cobiçada zona do agrião queimado. Média de pontos: 1,4 em casa e 1,18 como adorável visitante.

Possibilidades no campeonato, de acordo com a matemática do ‘Chance de Gol’: volta olímpica – 0,02%; terminar no G4 – 0,4%; e rebaixamento – 9%. Ou seja, a Copa do Brasil é a grande esperança para salvar a temporada.

E o início da disputa foi fulminante: perdeu por 2 a 1 para o Juventude, magnânimo representante da Série C, no Morumbi. Navega com 15,6% de chances de classificação às quartas de final, contra 84,4% do time gaúcho. Que decidirá a vaga em Caxias do Sul, com a vantagem de poder empatar e até perder por 1 a 0.

O Tricolor ficou numa situação tão privilegiada após a derrota, a nona como mandante no ano, que o xerife Maicon não conteve a euforia:

“O São Paulo é time grande e está jogando como time pequeno. Os jogadores têm que mostrar responsabilidade e vergonha na cara. A diretoria precisa intervir e descobrir onde está o erro. Isso passa pelos atletas e pela comissão técnica também”, bradou Maicon aos quatro ventos do ventilador enferrujado.

                                                           ############

Pitaco do Chucky. Calma, são-paulino! Nem tudo é espinho. Jornal inglês elegeu escudo do clube como o mais bonito do planeta bola. Salve o Tricolor paulista…

Super-Moisés. Certamente o goleiro Fernando Prass (lesionado) e o menino Jesus fazem muita falta ao líder Palmeiras. Mas o mestre Cuca coloca mais um ingrediente importantíssimo no tempero da boa campanha dos periquitos em revista: Moisés. O meio-campista é peça fundamental na equipe, porque ‘ganha a primeira bola, encorpa a segunda, e faz a função de meia e de volante’. Forma com Tchê Tchê um meio de campo dos mais eficientes. Em 14 jogos com os dois em campo, o Palmeiras colecionou nove vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. Sem eles, o time sofreu quatro das cinco sapatadas no Brasileirão.

Zé Corneta. Não tem mais bobo no futebol: André assina contrato com o Sporting de Lisboa por três anos.

Bem, amiguinhos. Surpreendendo 0,09% de torcedores do badminton, o gajo Cristiano Ronaldo foi eleito pela Uefa o melhor jogador da Europa em 2015/16. Ele ganhou apenas a Eurocopa com Portugal (e não o Espanhol, desculpe a nossa falha) e a Champions com o Real Madrid. Deixou na poeira Bale e Griezmann. Entre as mulheres, a bambambã foi a norueguesa Ada Hegerberg, campeã e artilheira da Champions com o Lyon.

Sugismundo Freud. Escrever é transformar os piores momentos em dinheiro.

Bem, diabinhos. O futebol feminino pegou no breu após as exibições de Marta & Cia. na Olimpíada: nada menos que… 194 testemunhas pagaram ingresso para assistir União, do Rio Grande do Norte, e Caucaia, do Ceará, pela Copa do Brasil, na Arena das Dunas, em Natal. Preço do ingresso: R$ 10. O União venceu por 3 a 1.

Caiu na rede (by Zé Simão). E a menina que tava no motel com o Bolt: ‘Nem reconheci que era ele’. Então o cara é rápido mesmo! É tum-tum, acabolt!

Cobras & Lagartos. Ouro no taekwondo do Pan (demônio) do Rio, em 2007, Diogo Silva comemorou a Operação Nemeus da PF, que caça cartolas de confederações acusados de desvio de dinheiro público. “É um dos melhores legados dos Jogos. Espero que mexam nesse vespeiro, assim como estão fazendo com a política do Brasil. Tem mais coisa para aparecer, principalmente com o COB e o Ministério do Esporte. São eles que liberam dinheiro para as confederações. É impossível não ter envolvimento deles”, disse o lutador ao ‘Globo’. Na mosca.

‘Vovô’ Paraíba. E o interminável Marcelinho Paraíba, hein? Aos 41 anos, o atacante assinou com o Ypiranga/RS e disputará a Série C. O time gaúcho será o 22º clube na carreira do jogador. Revelado pelo Campinense/PB, Marcelinho Paraíba defendeu grandes equipes, como Peixe, Grêmio, São Paulo e Flamengo, e também passou pela amarelinha desbotada no início dos anos 2000.

Dom Chicote. Nada como um dia depois da noite: tinta da ciclovia do entorno do Parque Olímpico está perdendo a cor e/ou saindo do piso como se fosse uma pena. Secretaria de Obras culpa falta de aderência à época excessivamente úmida, em julho: choveu mais do que o esperado. É ouuuuuuro!

Zapping. Somos todos campeões: SporTV atingiu 38 milhões de espectadores ao longo do Jogos, número 27% maior que a soma dos três concorrentes, ESPN, Fox e BandSports. A informação é do colunista Maurício Stycer, do ‘Uol’. “Ou seja, os três canais alcançaram, juntos, cerca de 27 milhões de pessoas.”

Dona Fifi. O museu do COB (caixinha, obrigado Brasil) vai ganhar uma tela com o time de futebol e a equipe de vôlei que levaram o ouro olímpico. A ilustração será de Fernando Sawaia, o Cazé, que transformou o hall de entrada do Espaço Time Brasil num grande mural de atletas do país.

Gilete press. Do ex-treinador Carlos Alberto Parreira, à ‘Super Deportivo Radio’, da Argentina: “Para nós, era uma obrigação ganhar a medalha de ouro por jogar em casa. Hoje, o Brasil é só Neymar. Está jogando em um grande nível há muito tempo. Antes, havia três ou quatro jogadores deste nível. Sem ele não poderíamos ter conquistado o ouro. A vitória sobre a Alemanha na final não significou uma revanche do 7 a 1.” Um belo bico no oba-oba.

Zé Colmeia. Fabiana Murer, 35 anos, abandonou a vara, depois de três Olimpíadas frustradas. Ela será manager-cartola do São Caetano.

Tititi d’Aline. O jamaicano Usain Bolt tem fôlego de sete gatos: na última terça, em Londres, depois de uma balada até as 4h30, ele deixou a boate e se mandou para o hotel. E, em sua luxuosa suíte, recebeu 10 mulheres para uma festinha. O raio caiu várias vezes no mesmo lugar.

Você sabia que… Rafael Moura, o He Man, é o maior carrasco do Flamengo no século 21, com nove gols em 19 partidas, os últimos três na vitória do Figueira por 4 a 2?

Bola de ouro. Piotr Malachowski. Prata no lançamento de disco da Rio-16, o polonês encerrou com três dias de antecedência o leilão de sua medalha para pagar o tratamento de um menino de 3 anos com câncer no olho. Conseguiu rapidamente o dinheiro. Malachowski estava à procura de US$ 84 mil (R$ 272 mil).

Bola de latão. EUA. A musa do futebol americano Hope Solo pegou um gancho de seis meses da federação por ter considerado o time sueco ‘um bando de covardes’. A Suécia eliminou os EUA nas quartas de final da Rio-16. A goleira só poderá voltar a atuar pela seleção em fevereiro de 2017. EUA, um exemplo de democracia.

Bola de lixo. Americano. O exemplar time carioca foi excluído da segunda divisão do estadual por manipulação de resultados. O julgamento no Pleno do STJD foi dos mais equilibrados: 7 a 1 pela expulsão.

Bola sete. “O comentário de Hope Solo é inaceitável e não está de acordo com os padrões de conduta requeridos para as jogadoras da nossa seleção” (do presidente da U.S.Soccer, Sunil Gulat – cheira vingança por Hope ter reivindicado os mesmos prêmios da equipe masculina).

Dúvida pertinente. O Brasil olímpico resistirá por mais um mês?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Peixe atropela Vasco e nada numa boa; soberano Tricolor dá vexame

Santistas festejam o segundo gol, marcado por Ricardo Oliveira

Um vacilo do Peixe na bacia das almas, mais precisamente aos 50 minutos do segundo tempo, deu um pingo de sobrevida ao Vasco no mata-mata das oitavas de final da Copa do Brasil.

O Santos vencia tranquilamente por 3 a 0, com gols de Renato, Ricardo Oliveira e Lucas Lima, no aquário da Vila Belmiro (6.130 pagantes), quando Eder Luís aproveitou um rebote do goleiro Vanderlei e diminuiu o placar.

No segundo embate, em 21 de setembro, em São Januário, o time paulista poderá perder por até um gol de diferença que avançará às quartas de final.

Durante o intervalo, anjinhos organizados pelo diabo se envolveram num quebra pau fora do estádio. A PM teve de entrar em ação para acabar com o vandalismo entre os animais santistas e vascaínos.

A polícia usou bombas e gás de pimenta, que invadiu o estádio e obrigou o assoprador de latinha, Heber Roberto Lopes, a paralisar o jogo por três minutos.

Ao longo da partida, o Santos sempre esteve melhor, ou seja, mostrou a superioridade de uma equipe da primeira divisão do Brasileirão sobre um coirmão da segunda.

Até que nos 20 minutos iniciais o Vasco conseguiu neutralizar um pouco o Santos, com forte marcação no meio de campo, mas a casa começou a cair aos 30. Lucas Lima cruzou da direita, Diguinho e William trocaram figurinhas e Renato, de cabeça, concluiu para as redes.

Seis minutos depois, em cobrança de falta, Ricardo Oliveira aumentou o placar. Um golaço, o de número 299 na carreira do atacante. O Peixe diminuiu o ritmo e permitiu ao Vasco importunar o goleiro Vanderlei com Ederson e Andrezinho.

No início do segundo tempo, o time carioca esboçou uma reação e Andrezinho acertou a trave. Aí o Santos resolveu jogar novamente e, aos 20, Renato passou de calcanhar a Lucas Lima, que bateu no canto de Martín Silva: 3 a 0. O time da Baixada se trancou, à espera do apito final, e foi castigado com o gol de Eder Luís. O Vasco respira na UTI.

Em 20 jogos fora de casa, entre Carioquinha e Copa do Brasil, o Vasco havia sofrido apenas duas derrotas, com 14 vitórias e quatro empates.

No Morumbi (6.643 torcedores), o soberano São Paulo foi recompensado com muitas vaias após brilhante exibição contra o Juventude, quinto colocado na… Série C do Brasileirão. A equipe comandada por Ricardo Gomes perdeu por 2 a 1 para os gaúchos, invictos há 12 partidas.

No jogo de volta, em 21 de setembro, na cidade de Caxias do Sul, o Tricolor precisa ganhar por dois gols de diferença para chegar às quartas de final. Ou então por um, desde que faça três ou mais (3 a 2, 4 a 3…). A equipe gaúcha pode empatar e até perder por 1 a 0.

Aos 9 minutos de jogo, Roberson chutou e abriu o placar, em falha do goleiro Denis. Aos 39, Chavez, de cabeça, empatou para o São Paulo. No segundo tempo, em pênalti duvidoso, aos 29, Roberson garantiu o triunfo do Juventude, gritos de ‘olé’ da torcida e uma bela crise pelos lados do Tricolor. Que joga tudo na Copa do Brasil para salvar a temporada.

“Todos sabem que o elenco do São Paulo é limitado, mas não pode perder em casa para um time da Série C”, comentou Casagrande, na plim-plim. É vero. Ainda mais porque o adversário ficou com 10, aos 35 da etapa final: Ruan foi expulso.

                                                  ############

Pitaco do Chucky. O presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior, explicou bem-humorado porque pensa em usar a mansão palmeirense em alguns jogos: ‘O estádio é da WTorre. É quem construiu e administra a arena.’

Lula Lá. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou o Conselho Deliberativo do Corinthians. Nomeado conselheiro vitalício em 2003, na gestão de Alberto Dualib, ele nunca apareceu numa reunião na velha Fazendinha. Por isso, havia sido notificado que tinha faltas não justificadas. Lula respondeu que gostaria de continuar sendo apenas um torcedor do clube. Foi atendido. Padrinho político do ex-presidente do clube e deputado federal do PT Andrés Sanchez, Lula é considerado o grande responsável pela construção do Itaquerão, minha casa minha vida.

Zé Corneta. O discurso de Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman finalmente tem prazo para acabar: Tóquio/20.

Caça ao gato. Depois dos anéis olímpicos, as algemas: Operação Nereus, deflagrada pela Polícia Federal, cumpre 16 mandados judiciais contra uma quadrilha responsável por fraude em licitações e desvio de recursos do Ministério do Esporte destinados a confederações. Um dos alvos: Carlos Fernandes, chefão do taekwondo. Outro: Sérgio Borges, dono da empresa SB Marketing, ex-diretor da confederação de vôlei, considerado o bambambã da safadeza. Também está na mira a confederação de tiro esportivo. O toma lá, dá cá ultrapassa os R$ 30 milhões.

Sugismundo Freud. A única forma de vencer uma discussão é evitá-la.

Dom Chicote. O presidente interino Michel Temer também é chegado numa carona no sucesso alheio como os antecessores. Nos próximos dias, abrirá as portas do Palácio do Planalto aos medalhistas olímpicos. A cartolagem do COB (caixinha, obrigado Brasil) entrará no vácuo como papagaio de pirata.

Cobras & Lagartos. Depois da festa, o seguro-desemprego. Que o diga Ancelmo Gois, do ‘Globo’: “Navalha na carne: sem dinheiro, o Comitê Rio 2016 encerrará, em 31 de agosto — antes da Paralimpíada, portanto — os contratos de cerca de três mil funcionários que só terminariam em 30 de setembro.” É a conta chegando.

Bolt na cama. A carioca Jady Duarte, 20 anos, abriu o jogo numa entrevista ao ‘Daily Mail’: o homem-bala Usain Bolt é uma tartaruga na cama. Devagar, devagarinho. Ela confessou ter ficado surpresa, porque “esperava que ele fosse rápido, mas foi o sexo mais lento que já tive. Fizemos por cerca de 40 minutos, aí ele descansou e transamos de novo”. Dono de três medalhas na Rio-16, o jamaicano emplacou apenas dois pódios com Jady. Não recuperou o fôlego para uma terceira largada. Segundo ela, o velocista tem o corpo de um campeão, porém “suas partes masculinas não correspondem”.

Dona Fifi. Placar da Lei Seca no Rio: Copa do Mundo 938 casos (média de 30,2 por dia) x 828 (média de 48,7) Jogos Olímpicos.

Bolt na cama 2. Jady, que recebeu um belo dindim pela entrevista ao jornal inglês, afirmou ainda que estranhou o fato de Bolt não tê-la levado a um hotel depois da boate, mas para um quarto simples da Vila Olímpica: “A cama era pequena. Os pés dele ficavam para fora quando dormia.” Os dois trocaram poucas palavras no bate e rola. Usaram a ferramenta de tradução do Google, “mas Bolt não precisou de tradutor para me dizer que queria sexo”. Outra confidência da brasileira: durante o sexo, Bolt colocou para tocar ‘Work’, de Rihanna. “Acho que ele gosta de ouvi-la quando faz amor”, contou Jady (foto), que ganhou 100 euros “pagar o táxi”. A estudante carioca tem dois filhos, um menino de dois anos, e uma menina que vai fazer um.

Jady Duarte posa para o EXTRA

Patolino na geral. David Lucca, nome do filho de Neymar, ganhou a corrida pelo pódio do batismo em maternidade do Rio durante os Jogos.

Bem, amiguinhos. O ex-goleiro atleticano João Leite (PSDB) lidera a pesquisa eleitoral do Ibope para a prefeitura de BH, com 21% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece o ex-presidente do Galo Alexandre Kalil (PHS), com 11%.

Caio na rede (by ‘Olé do Brasil’). Bauza assume a Argentina e confirma: ‘Centurión será o substituto natural de Messi’.

Bem, diabinhos. Ecos do sensacional público de Corinthians 2 x 1 Vitória, no Itaquerão, minha casa minha vida: com os 20.207 pagantes, o time levou uma rasteira do Palmeiras e perdeu a liderança do ranking de melhor média por jogo no Brasileirão, após 21 rodadas. O time corintiano acumula 31.936 espectadores, contra 32.242 dos periquitos em revista (29.138 pessoas assistiram o 2 a 2 com a Ponte na mansão Allianz Parque). O Flamengo aparece em terceiro, com 20.467, à frente de Grêmio (21.798) e Saci colorado (22.578).

Gilete press. De Gabriela Moreira, no ‘ESPN’: “Passados dois dias do fim da Olimpíada, Carlos Arthur Nuzman obteve mais um ouro nos tribunais. O presidente do Comitê Olímpico do Brasil conseguiu decisão que impede que ele tenha oposição nas próximas eleições. O dirigente, que já está há 21 anos no poder, está prestes a ter o mandato renovado até 2020. A decisão foi do desembargador Marcelo Lima Buhatem, da 20ª Segunda Câmara Cível do Rio, que havia decidido o contrário em maio, mas reconsiderou sua análise e votou contra pedido do presidente da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa, Alaor Azevedo, que tenta se candidatar. A decisão ainda é liminar.” Brasil sil sil.

Tititi d’Aline. O atacante Gabigol também decidiu eternizar as emoções da conquista do ouro. O santista tatuou na panturrilha da perna esquerda os anéis olímpicos, a bandeira do Brasil, o nome Rio-2016, o ‘new Maraca’ e o Cristo Redentor. O responsável pelo carimbo é Adão Rosa, o mesmo tatuador que cravou o logo dos Jogos e os anéis no punho de Neymar.

Você sabia que… futebol (18%), atletismo (14%) e vôlei (10%) foram os esportes mais citados nas redes sociais ao longo dos Jogos?

Bola de ouro. Kelly Slater. Aos 44 anos, o americano tirou três notas 10 e venceu a etapa do Taiti, sétimo desafio do Mundial de surfe. Onze vezes campeão, Slater chegou à 55ª vitória numa prancha depois de um longo jejum: não festejava um triunfo desde dezembro de 2013, em Pipeline.

Bola de latão. Mario Balotelli. O atacante foi oferecido ao Manchester United, mas o gajo José Mourinho recusou e sugeriu ao atleta procurar um time da segunda divisão para reencontrar seu futebol. Nos últimos tempos, Balotelli passou por Milan e Liverpool sem deixar saudade.

Bola de lixo. Douglas. O lateral-direito está em alta no Barcelona. Como ninguém se interessou pelo ex-são-paulino, o clube espanhol topa emprestá-lo de graça e ainda se dispõe a pagar o salário de 250 mil euros. Mesmo assim, está difícil aparecer um clube.

Bola sete. “Neymar foi chutar o pênalti da vitória, e confesso que eu e milhões de brasileiros pensamos juntos: ‘Dinheiro demais é o cacete, se essa bola entrar tem que pagar o dobro’. A bola entrou, nós estamos mais pobres, mas de barriga cheia e, como diz o torcedor fanático, ‘chuuuupa, Alemanha’!” (do apresentador Jô Soares, fã de carteirinha do atacante – 7 a 2).

Dúvida pertinente. O soberano São Paulo já morreu no mata-mata da Copa do Brasil?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Neymar divide a Catalunha depois dos Jogos: de ‘rei do Rio’ a ‘bon vivant’

Resultado de imagem para fotos neymar
Atacante Neymar, entre tapas e beijo na Espanha

A exemplo do que acontece no Brasil atualmente, o atacante Neymar também provoca borogodó na Espanha, mais precisamente na Catalunha. O craque ganhou destaque nos dois principais jornais de Barcelona, após a conquista do ouro olímpico.

Um deles, o ‘Mundo Deportivo’, estendeu o tapete vermelho para Neymar. Com uma foto do atleta vibrando com a vitória da seleçãozinha no ‘new Maraca’, sapecou em manchete: ‘Rei do Rio’.

E dá-lhe confete e serpentina ao maior astro da pátria das chuteiras furadas, com boa dose de exagero: ‘A Neymarmania inunda as ruas do Brasil, que celebram o triunfo olímpico. Pelé agradece ao craque, que fez realidade seu sonho de ouro.’

Não foram poucas as vezes que Pelé lamentou nunca ter participado dos Jogos Olímpicos, reconhecendo que a falta de uma medalha lhe provocava grande frustração.

Do outro lado da linha, o diário ‘Sport’ alfinetou a licença dada pelo ‘professor’ Luis Enrique para que Neymar se reapresente ao Barcelona somente depois dos jogos da amarelinha desbotada contra Equador e Colômbia, em 1º e 6 de setembro, pelas eliminatórias da Copa.

Sob uma foto do brasileiro, questionou se ele merece o mesmo tratamento dispensado ao hermano Messi, a superestrela da companhia. E fuzilou: ‘Mais férias para Neymar. Ele ficará três meses e meio sem pisar no Camp Nou.’

O brasileiro defendeu o Barça pela última vez em 22 de maio, quando a equipe bateu o Sevilla por 2 a 0, na prorrogação da final da Copa do Rei, no estádio Vicente Calderón, em Madri. Neymar foi o destaque do time, marcando o segundo gol.

Uma semana antes, o Barça havia levantado a taça do Campeonato Espanhol, com vitória sobre o Granada por 3 a 0, os três de Suárez, também fora de casa. O último duelo no Camp Nou foi contra o Espanyol: 5 a 0, gols de Messi, Suárez (2), Rafinha e Neymar.

Por falar no atacante… Ainda magoado com as críticas de Galvão Bueno ao longo da Olimpíada, Neymar resolveu dar o troco: a primeira entrevista após a conquista do ouro será para o humorista Fábio Porchat, da Record. Nada de plim-plim.

A relação entre Galvão e Neymar ficou abalada depois das pífias exibições na primeira fase dos Jogos. O narrador desceu o porrete no time. Virou até meme nas redes sociais. O programa de Porchat estreará nesta quarta. Vai concorrer com Danilo Gentili (SBT) e Jô Soares (Globo).

                                                             ############

Pitaco do Chucky. Alô, você: é melhor engolir Neymar ou Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman?

Tite, gol contra. O ‘professor’ Tite entrou na alça de mira da maioria da galera antes mesmo de estrear no banco da amarelinha desbotada. De acordo com pesquisa do ‘Globo.com’, 73,77% dos torcedores não gostaram da primeira convocação de Tite, porque ‘faltaram nomes e alguns não mereciam a vaga’. Já 26,23% aplaudiram o treinador por ‘ser justo e chamar os jogadores que conhece bem’. O time vai encarar Equador e Colômbia, pelas eliminatórias da Copa, em 1º e 6 de setembro.

Zé Corneta. COB (caixinha, obrigado Brasil) apoia literalmente a máxima do Barão de Coubertin ‘o importante é competir’: louva o número de finais dos brasileiros. Medalha é apenas um detalhe.

Bem, amiguinhos. O Corinthians continua cheio de amor para dar: o mandachuva e raios Roberto de Andrade confirmou a saída do volante Bruno Henrique (Palermo) e dos atacantes Luciano (Leganés, da Espanha) e André (Sporting). Devem chegar o centroavante Gustavo (Criciúma) e o meio-campista Jean (Paraná). Ou seja, qualquer semelhança com um balcão de negócios não é mera coincidência. É mesmo uma queima de estoque.

Sugismundo Freud. Sem risco a vida não tem valor.

Bem, diabinhos. O ludopédio é mesmo uma caixinha de surpresas. Demitido no Saci colorado em 10 de julho, o ‘professor’ Argel foi defenestrado pelo Figueira após quatro empates por 1 a 1, três derrotas e uma vitória. Período em que o time gaúcho manteve impressionante regularidade: continua sem festejar três pontos (completou 13 partidas sem vitória, recorde na história do clube).

Zé Colmeia. A Caixa Econômíca Federal pensa em redirecionar o patrocínio esportivo para duas modalidades olímpicas: canoagem e boxe, dos medalhistas Isaquias Queiroz, Erlon Souza e Robson Conceição.

Chuá. O ‘professor’ Rubén Magnano foi convidado a se retirar do comando da seleção brasileira masculina de basquete. Não resistiu à eliminação do time no garrafão olímpico – três derrotas e duas vitórias. Auxiliar do hermano, o treinador do Flamengo, José Neto, está na bica para assumir o cargo. Campeão olímpico em 2004, com a Argentina, Magnano aterrissou no Brasil em 2010, para substituir outro estrangeiro, o espanhol Moncho Monsalve. O treinador da equipe feminina, Antônio Carlos Barbosa, também dançou.

Caiu na rede. Treinador que escala Yago devia ser demitido por justa causa.

Cobras & Lagartos. O meia Lucas Lima reconheceu que a situação não está nada fácil para os cofres do Peixe, mas deu uma leva cutucada na cartolagem: “É triste ver o clube com a grandeza do Santos atrasando salário. Sei que a folha não é uma das maiores, mas compreendemos as dificuldades do futebol brasileiro.” O Santos deve dois meses de direitos de imagem.

Dom Chicote. Mais um legado olímpico: apesar das vaias que recebeu no encerramento dos Jogos, Eduardo Paes (PMDB) sonha com vitória nas eleições para governador do Rio em 2018. Já está em campanha.

Dona Fifi. Fim dos Jogos, a volta para a dura realidade: funcionários do comitê organizador da Rio-16 já começaram a receber o aviso prévio.

Tiro curto. Mestre Cuca respira aliviado: menino Jesus volta ao ataque no jogo contra o Fluminense, no Mané Garrincha. Sem o garoto, o Palmeiras disputou 18 pontos e faturou apenas oito. Poderia estar muito mais tranquilo na ponta da tabela. Bobeou também na mansão Allianz Parque: só ganhou um dos quatro últimos jogos que disputou em casa.

Lance livre. O homem-peixe Michael Phelps liderou o ranking dos atletas mais citados no Twitter durante os Jogos. Depois vêm o supercampeão Usain Bolt e o atacante Neymar. A ginasta Simone Biles e o nadador farsante Ryan Lochte completam o top 5. Os esportes mais mencionados na rede foram natação, futebol, atletismo, ginástica e tênis.

Gilete press. Do hilário ‘Piauí Herald’: “Constrangido com o comportamento dos nadadores americanos, o candidato Donald Trump apresentou propostas enérgicas para que seu país não volte a causar constrangimentos no exterior. ‘Vamos construir um muro em volta de Ryan Lochte’, discursou. Em seguida, mandou realizar um exame de DNA no nadador. ‘Caso seja identificado algum gene mexicano nele, iremos extraditá-lo’.” Pano rápido!

Patolino na geral. Nada de Romário, Zico, Ronaldinho Gaúcho ou Cristiano Ronaldo. O ‘Dream Team’ do fofo Ronaldo tem Buffon, Cafu, Maldini, Cannavaro e Roberto Carlos; Pirlo, Zidane, Maradona e Messi; Pelé e… ele.

Tititi d’Aline. O nadador Ryan Lochte mergulha de cabeça na colheita da farsa: perdeu os quatro patrocinadores – Speedo, Ralph Lauren, Airweave e Syneron Candela. Deixará de faturar US$ 1 milhão, ou 92% de sua receita. O patrimônio de Lochte chega a US$ 6 milhões.

Você sabia que… alguns voluntários estão vendendo o enxoval olímpico por até R$ 900?

Bola de ouro. Jogadores uruguaios. Lugano, Godin, Luis Suárez e companhia decidiram peitar a federação do país: ou aceita a proposta da Nike ou ninguém atenderá à convocação para a seleção. A entidade defende a Puma. Os atletas arrumaram o patrocínio por US$ 3,5 milhões anuais (R$ 11,5 milhões), bem mais do que a Puma oferece (US$ 750 mil ou R$ 2,4 mi). Há 18 anos, a federação tem uma nebulosa relação com a empresa Tenfield, que cuida dos direitos da seleção.

Bola de latão. Ana Amélia. A senadora do PP/RS é expert em esportes. Na sessão do plenário para homenagear os atletas brasileiros, a nobre parlamentar chamou a ginasta Flávia Saraiva de ‘Fabíola’, o goleiro Weverton de ‘Weverson’ e Isaquias Queiroz de ‘menino da canoagem’ por não lembrar o nome do medalhista. Veio, então, o ‘gran finale’: trocou Neymar por Romário, ao criticar a TV por só mostrar ‘o gol de Romário’.

Bola de lixo. Rússia. A Corte Arbitral do Esporte rejeitou a apelação do país contra sua exclusão da Paraolimpíada do Rio por causa do escândalo de doping bancado pelo governo. O cartão vermelho foi dado pelo Comitê Paraolímpico Internacional em 7 de agosto. Pelo menos 250 atletas russos estarão fora dos Jogos, entre 7 e 18 de setembro.

Bola sete. “O tempo, as incertezas e os imprevistos do futebol são muito mais sábios que nossos pretensiosos conhecimentos técnicos, táticos e científicos” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – é vero).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Cristóvão Borges tem razão em criticar o descontentamento da Fiel?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br