Decacampeão Palmeiras quer transformar coirmãos em coadjuvantes e conquistar o planeta

Resultado de imagem para desenhos porco palmeiras

O torcedor palmeirense pode sonhar alto. O decacampeão brasileiro pretende reinar na pátria das chuteiras furadas, transformar os coirmãos em meros coadjuvantes e estar sempre no topo brigando por um caneco, como acontece com os grandes esquadrões europeus.

Os periquitos em revista desejam começar a escalada do sucesso e da hegemonia já na próxima temporada, quando disputarão a Libertadores, a Copa do Brasil e o Brasileirão – o estadual é tratado com desdém, como Paulistinha, um estrupício na rota do Palestra.

Com o aporte financeiro da ‘titia’ Leila Crefisa, dos milhões da TV, do açucarado café no bule do projeto Avanti e do dindim da mansão Allianz Parque, o Palmeiras também quer conquistar o planeta. “O negócio de bom e barato acabou. Chega! Estamos em outro patamar. Nosso projeto é para que o Palmeiras seja relevante mundialmente. Não é só no Brasil ou na América do Sul “, bradou Leila Crefisa, em entrevista ao Globo.com. O clube já investiu R$ 65 milhões em cinco reforços para 2019.

Conselheira e candidata à presidência em 2021, ela decretou o fim de quem pensa pequeno no clube, daqueles que só querem uma carteirinha. Indicou o caminho: o ostracismo. E mais: defendeu uma tese polêmica, a de expulsar o presidente que levar a equipe ao rebaixamento. “É uma sugestão que dou para o estatuto do clube: rebaixou, está fora. Acho que a torcida iria gostar muito”, fuzilou a patrocinadora.

Não será fácil ao Palmeiras, porém, atingir o mesmo prestígio das principais potências da Europa. Um exemplo: a Juventus renovou o contrato com a Adidas até o final da temporada 2026/27. Receberá 408 milhões de euros (R$ 1,8 bilhão) no período. Ou 51 milhões de euros (R$ 225,77 milhões) por temporada, sem contar bonificações.

O Palmeiras acertou com a Puma, nova responsável pelo enxoval do time, por R$ 22,5 milhões/ano (10% acima do que pagava a Adidas), sendo R$ 14,5 milhões em caixa e R$ 8 milhões em produtos. Ou seja, uma pequena diferença de R$ 200 milhões a cada 12 meses.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Uh uh ah ah, a propinolândia é nossa…

Volpi no paredão. O Querétaro, do México, colocou o goleiro Tiago Volpi, 28 anos, em xeque: só concordaria com seu empréstimo ao soberano Tricolor, por uma temporada, se topasse renovar o contrato com o clube. Após uma série de reuniões com a cartolagem, o jogador fechou um acordo até 2022. Volpi acredita que no São Paulo o caminho para a amarelinha desbotada ficará bem mais fácil.

Zé Corneta. América do Sul, a terceira divisão do futebol mundial.

Viva os estaduais! O pontapé inicial do Carioquinha /19 foi dos mais profícuos. O mandante Novo Iguaçu derrotou o Goytacaz por 2 a 1 e, depois do prélio, brucutus da equipe de Campos iniciaram uma troca de amabilidades com o goleiro Paulo Henrique, do próprio time. Bafafá formado, ameaça de invasão do vestiário e tiros para acalmar os ânimos. Seguranças do Novo Iguaçu e a Polícia Militar entraram em ação para distribuir o cachimbo da paz. O TJD também agiu: interditou o estádio Laranjão e proibiu os vândalos do Goytacaz de frequentar os jogos da equipe.

Sugismundo Freud. Com o coração cheio de amor, os olhos transbordam de felicidade.

Pitbull. O cão de guarda palmeirense Felipe Melo manteve o reinado: pela segunda vez, foi eleito o jogador mais violento na pesquisa do Uol com atletas do Brasileirão. O volante recebeu 51,8% dos votos. O corintiano Fagner (11,3%) e o cruzeirense Edilson (5,6%) completam o pódio de anjinhos.

Caiu na rede. Galvão Bueno é narrador, comentarista ou nenhum dos dois?

Urubu samba. Há dois anos, o Flamengo anunciou a chegada de um mecenas ao ninho do urubu, uma parceria milionária com a Carabao. O então presidente Eduardo Bandeira de Mello encheu o peito para apregoar um acordo até 2022. O Rubro-negro mergulharia em R$ 190 milhões, uma Mega da Virada, em seis anos, mas o vinho azedou, virou vinagre. A empresa tailandesa de energético rescindiu o contrato. O Flamengo recebeu R$ 15 milhões em 2017. Neste ano, porém, embolsou somente R$ 4 milhões dos R$ 10 milhões prometidos pela Carabao. Que se mandou do clube garantindo apenas pagar a dívida de R$ 6 milhões em suaves parcelas. Passando a régua: o Flamengo recebeu apenas 10% do ‘paitrocínio’.

Zapping. ‘Grande Círculo’, novo programa de Milton Leite no SporTV, é o ‘Bola da Vez’ da ESPN com grife. Nada se cria, tudo se copia…

Peso morto. Contratado em janeiro de 2016 por R$ 5,7 milhões, o meia-atacante Guilherme, ex-Antalyaspor da Turquia, transformou-se num ótimo investimento do Corinthians. Depois de fracassar com a camisa corintiana, o jogador foi emprestado ao Furacão. Ao longo de 20 meses, o time paranaense rachou o salário do atleta, em torno de R$ 400 mil, com a equipe paulista. Ou seja, custou R$ 4 milhões aos corintianos. Em 2019, Guilherme deverá defender o Bahêa, também por empréstimo. Só que os baianos querem pagar apenas 40% do holerite. O Corinthians contribuiria com R$ 240 mil durante um ano – mais uma sangria de R$ 3 milhões. O acordo de Guilherme com o Corinthians se encerra em dezembro do próximo ano.

Xepa. O sétimo título mundial de clubes, o terceiro consecutivo, rendeu um prêmio de 100 mil euros (R$ 430 mil) a cada jogador do Real Madrid, um terço do bicho da Champions.

Olho clínico. Em pouco mais de dois anos no comando do Manchester United, o gajo José Mourinho ganhou apenas três canecos antes de levar um bico nos fundilhos. Na temporada 2016/17, faturou a Liga Europa, a Copa da Liga Inglesa e a Supercopa da Inglaterra. Fracassou na Premier League e na Champions. Nada surpreendente, já que o clube investiu somente R$ 1,7 bilhão na contratação dos 11 reforços pedidos pelo ‘professor’, entre os quais o polêmico Paul Pogba, comprado por R$ 440 milhões.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Uma das razões da pouca qualidade das equipes brasileiras está na formação do elenco, com excesso de jogadores razoáveis e caros para a eficiência do time. Além da falta de um treinador por mais tempo e do desconhecimento técnico de dirigentes, há uma dependência de empresários, que querem empurrar seus atletas. Existe, ainda, o toma-lá-dá-cá e as relações promíscuas, práticas disseminadas no país, escancaradas pela Lava Jato.” No queixo. Nocaute!

Que dureza! O blogueiro vai tirar uns dias de folga para curtir as festas com muita tubaína e pipoca de micro-ondas. Ninguém é de ferro.

Tititi d’Aline. O zagueiro Thiago Silva recebeu a visita dos amigos do alheio enquanto defendia o PSG contra o Nantes, na rodada do fim de semana. Eles invadiram sua residência, localizada numa área nobre e muito segura de Paris, às margens do rio Sena, e levaram relógios, joias e ‘muitas centenas de milhares de euros’, de acordo com a mídia francesa. Isabelle, mulher do jogador, está no Rio.

Você sabia que… o Palmeiras levantou 23 taças e teve 31 moleques convocados nesta temporada, da categoria sub-11 até a sub-20?

Bola de ouro. Gabriel Medina. O rei da prancha foi o grande destaque brasileiro no mundo dos esportes. Faturou o bicampeonato mundial de surfe com uma campanha brilhante. E já desponta como uma das principais esperanças de ouro na Olimpíada do Japão, em 2020. No próximo ano, a fera lutará pelo sonho do tri e pela classificação aos Jogos.

Bola de latão. Mundial de clubes. Virou um torneio mais chato do que dançar com a irmã. Emoção zero. Um recreio para os europeus organizado pela mamãe Fifa. Nos últimos 13 anos, só não fizeram festa duas vezes – em 2006 (Saci colorado) e 2012 (Corinthians). Diante de tanta comoção da torcida, a cartolagem criou um grupo de estudos para apresentar uma nova fórmula no encontro da entidade em 14 de março, de 2019, na cidade de Miami.

Bola de lixo. Palmeiras. O menosprezo à garotada continua no ninho dos periquitos em revista. Os moleques conseguiram uma batelada de títulos nesta temporada, estão à espera de uma promoção ao elenco principal, mas o clube prefere ir às compras e gastar milhões com reforços de qualidade duvidosa. Carlos Alberto, 22 anos, por exemplo. Pagou US$ 6 milhões (R$ 23,5 milhões) ao Pyramids, do Egito, por um atacante que marcou um gol em 10 jogos. E, no Goiás, assinalou 30 em 157 partidas.

Bola sete. “Tite disse que não foi um fracasso a participação do Brasil na Copa. Mas, não é fracasso empatar com Suíça, sofrer com Costa Rica e perder para a Bélgica? Não é fracasso ter um rendimento pior do que o de Felipão em 14 e jogar menos que o time de Dunga em 2010?” (do blogueiro Menon, no Uol – é vero).

Dúvida pertinente. Adeus bola velha, feliz bola nova?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Milionário Real Madrid goleia árabes e conquista o sétimo título mundial, o terceiro consecutivo

Real Madrid é campeão mundial pela sétima vez

Só há uma maneira de um carro pequeno superar uma Mercedes esporte numa corrida: o motor da Mercedes quebrar. A otimista previsão partiu do ‘professor’ do Al Ain, o croata Zoran Mamic, antes de a bola rolar na decisão do Mundial de clubes da mamãe Fifa, em Abu Dhabi. Bingo na caxirola! Bem azeitada, a máquina do Real Madrid não rateou, deixou o ‘Pois É’ na poeira e ganhou o tricampeonato por 4 a 1.

A briga pela bandeirada de chegada reuniu um elenco avaliado em 971 milhões de euros (R$ 4,3 bilhões) contra um carrinho de 15,5 milhões de euros (R$ 69 milhões).

Nada menos que 20 campeões do Real Madrid valem mais de 10 milhões de euros (R$ 44,5 milhões), enquanto a engrenagem mais cara do Al Ain é o atacante Marcus Berg, 32 anos, que defendeu a Suécia na Copa, cotado em 4,5 milhões de euros (R$ 20 milhões).

O Real Madrid chegou ao sétimo título mundial de sua história jogando praticamente em ritmo de treino diante do esforçado time árabe. Não obteve um placar mais elevado porque exagerou no preciosismo, além de parar nas luvas de Khalid.

A conquista espanhola manteve um tabu no torneio, que poderá ter outro desenho a partir do próximo ano. Um time europeu não é derrotado desde 2012, quando o Corinthians bateu o Chelsea na decisão por 1 a 0, gol de Guerrero. Nunca um representante fora da Europa ou da América do Sul se sagrou campeão.

O Al Ain até que começou assustando. Aos 13, El Shahat passou pelo gigante belga Courtois, chutou e Sérgio Ramos salvou em cima da linha. Um minuto depois, Lucas Vázques cruzou, Benzema ajeitou e Modric, o melhor do mundo, fuzilou para o gol.

A equipe espanhola tomou conta da festa, mas desperdiçou várias chances. Chegou à goleada no segundo tempo. O meio-campista Llorente aproveitou uma rebatida da zaga e aumentou o placar aos 14, com um belo chute de primeira. Aos 20, após cobrança de escanteio, Sérgio Ramos fez o terceiro de cabeça.

Na bacia das almas, aos 40, alegria árabe: depois de falta cobrada pelo brasileiro Caio (destaque do Al Ain), Shiotani cabeceou no ângulo de Courtois e diminuiu. Aos 45, o ex-rubro-negro Vinicius Junior, que havia acabado de entrar, avançou pela esquerda, chutou e Yahia marcou contra. Festa espanhola. A terceira consecutiva.

Na disputa do terceiro lugar, o River Plate, mesmo recheado com reservas, goleou o Kashima Antlers por 4 a 0, gols de Zuculini, Pity Martinez (dois) e Borré, de pênalti. O embate marcou a despedida de Pity Martinez, negociado ao Atlanta United, dos Estados Unidos.

A classificação final do Mundial: 1) Real Madrid; 2) Al Ain; 3) River Plate; 4) Kashima Antlers; 5) Espérance, da Tunísia; 6) Chivas do México; 7) Team Wellington, da Nova Zelândia, eliminado na fase preliminar.

xxxxxxxxxxxx

Papa-títulos. Com a conquista do caneco, o lateral brasileiro Marcelo e o zagueiro Sergio Ramos chegaram ao 20º título com a camisa do Real Madrid. Ocupam o terceiro lugar no ranking dos maiores vencedores a serviço do time espanhol. Perdem apenas do ex-atacante Gento, com 23 taças, e do ex-zagueiro Manolo Sanchís, com 21. O top 10:

1) Paco Gento – 23 caneco
2) Manolo Sanchís – 21
3) Marcelo – 20
Sérgio Ramos – 20
5) Iker Casillas – 19
José Antonio Camacho – 19
7) Chendo – 18
8) Alfredo Di Stéfano – 17
Fernando Hierro – 17
10) Raúl – 16

Pitaco do Chucky. Cadê o Queiroz? Pergunte no posto Ipiranga.

Enxoval. A Fiel festeja em dose dupla. A camisa do Corinthians em homenagem a Ayrton Senna foi eleita a segunda mais bonita do mundo pelo site “Footy Headlines”, especializado em uniformes de clubes, e o terceiro enxoval do Palmeiras ficou entre os mais feios (12º lugar). Na liderança do ranking das mais estilosas está a da Nigéria, utilizada durante a Copa do Mundo, e das mais horrosas, a do Rostov, da Rússia.

Zé Corneta. Tempos modernos: não se pode mais brincar, só brigar.

Pontapé milionário. Convidado a se retirar da casamata do Manchester United após dois anos, o gajo José Mourinho, 55 anos, deixou o clube com um simpático e invejável pontapé nos fundilhos: embolsará a multa de 26,7 milhões de euros (R$ 118 milhões) por quebra de contrato.

Sugismundo Freud. Quem está por baixo pelo menos está livre de cair.

‘Craque Casas Bahia’. O soberano São Paulo conseguiu um feito: convencer o chefão do Furacão, Petraglia, a vender o atacante Pablo, estrela do time, em suaves prestações. O Tricolor pagará 7 milhões de euros (R$ 31 milhoes) em parcelas semestrais (janeiro e julho) de um milhão de euros. A última será dividida em três vezes. O São Paulo comprou 70% dos direitos de Pablo, 26 anos, o ‘craque Casas Bahia’.

Caiu na rede. Flamengo, campeão de cheirinho até em contratações.

Na crista da onda. Os brasileiros deram um show na temporada de surfe. O bicampeonato mundial de Gabriel Medina, conquistado no Havaí, apenas coroou um ano de ouro dos ‘brasucas’. Das 11 etapas do campeonato, venceram nove, um aproveitamento de 81,8%. Americanos, havaianos e australianos morreram na praia. Dos últimos cinco títulos, o Brasil faturou três – dois com Medina (2014/18) e um com Adriano de Souza, o Mineirinho (2015). Em 2016/17, a festa foi de John John Florence, do Havaí. Medina foi vice no ano passado.

Na crista da onda 2. Já Jesse Mendes aumentou o domínio nacional ao beliscar o título da Tríplice Coroa havaiana (duas etapas da segunda divisão e uma da elite). O Brasil ainda sagrou-se campeão júnior com Mateus Herdy, em Taiwan, e tem quatro surfistas entre os top 13 do ranking de acesso ao Mundial: Peterson Crisanto, Jesse Mendes, Deivid Silva e Jadson André.

Zapping. Quando a ESPN Brasil vai se tocar que o programa ‘Futebol no Mundo’ já caducou?

Gilete press. De Ancelmo Gois, no Globo: “Casagrande, o comentarista de TV, ganhará cinebiografia produzida pela Media Bridge. O longa ‘Casagrande e seus demônios’ aborda também a luta do ex-jogador contra a dependência química. A direção será de Rogério Gomes, o Papinha.” Um grande personagem.

Dona Fifi. O golpe do joão-sem-braço está em baixa: dos mais de cinco mil exames antidoping na temporada da bola, apenas 11 deram positivo, sete a menos do que em 2017.

Titti d’Aline. Depois do ótimo presente de Natal dado antecipadamente à torcida, com o rebaixamento à terceira divisão do Brasileiro, o Paysandu decidiu aplacar um pouco a revolta da galera e, de quebra, dar um bom exemplo aos coirmãos. A cartolagem anunciou uma ação beneficente para a próxima temporada. O Papão cadastrou torcedores com renda inferior a um salário mínimo (R$ 954) ‘para terem acesso gratuito aos jogos com mando do clube em 2019’. A repercussão da postagem no Twitter foi das melhores. Em pouco tempo, mais 10 mil curtidas. No campeonato deste ano, o Paysandu cravou a média de 4.996 pagantes por embate. Fechou a temporada em 30º lugar no ranking envolvendo as três séries do Brasileiro.

Você sabia que… Bélgica (1.727 pontos), França (1.726) e Brasil (1.676) terminaram a temporada nos três primeiros lugares do ranking da mamãe Fifa?

Bola de ouro. Major League Soccer. A liga americana cresceu mais de 77% nos últimos quatro anos. Na temporada 2017, faturou US$ 778 milhões, aproximando-se do Brasileirão, que arrecadou US$ 1,1 bilhão. Segundo a agência Sports Value, a MLS ocupa o sexto lugar no mercado das chuteiras, atrás de Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França.

Bola de latão. Basquete. A confederação brasileira e a liga nacional estão às turras. A CBB só permitirá que a LNB, administrada pelos clubes, continue organizando o NBB se aceitar algumas regras: espaço gratuito publicitário para os patrocinadores da confederação e porcentagem de tudo o que a liga arrecadar, além da obrigatoriedade de utilizar STJD e árbitros da entidade.

Bola de lixo. Calçada da Fama. Acredite se quiser: os pés de Sócrates, Bellini, Nilton Santos, Dirceu Lopes, Pepe, Cláudio Adão, Zinho e outras feras do ludopédio simplesmente desapareceram da calçada da fama do ‘new Maraca’. Com as seguidas obras no estádio, as peças sumiram. Uma vergonha!

Bola sete. “É um absurdo a falta de carinho com os jogadores. Depois reclamam que o Brasil é um país sem memória. Homenagem depois de a pessoa estar morta não adianta nada” (protestou Cláudio Adão, uma das ‘vítimas’ de outro histórico vexame da pátria das chuteiras furadas, a deterioração da calçada da fama).

Dúvida pertinente. Fabio Carille ou Jorge Sampaoli, quem vai cair primeiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Saci colorado sai da mídia esportiva e pedala para as manchetes policiais

Terceiro colocado no último Brasileirão, o Saci colorado deixou as mídias esportivas e mergulhou nas manchetes policiais. Sem boia e pé de pato, de acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Sul. “Uma organização criminosa, com braços nos principais setores do clube e com participação direta do ex-presidente, apoderou-se do Internacional”, garantiu o MP.

Samaritanos cartolas estão na linha de tiro por suspeitas de desvio de recursos e outros crimes durante a gestão do ex-mandachuva e raios Vitorio Piffero, no biênio 2015/16, quando premiaram a torcida com o rebaixamento à Série B.

O Papai Noel do MP cumpriu 20 mandados de busca e apreensão em residências e empresas de Porto Alegre, Eldorado do Sul e Viamão ligadas a ex-dirigentes do clube: além de Piffero, o ex-vice de Finanças Pedro Affatato, o ex-vice de Administração Alexandre Limeira, o ex-vice de Patrimônio Emídio Marques Ferreira, o ex-vice de futebol Carlos Pellegrini e o ex-vice jurídico Marcelo Domingues de Freitas e Castro. Os envolvidos juraram inocência.

As suspeitas de apropriação indébita, estelionato, organização criminosa, falsidade documental e lavagem de dinheiro vieram a público em 2017, após a conclusão de uma auditoria no clube.

O saudável balanço do levatamento, segundo o MP: desvio de recursos para obras que nunca foram realizadas, superfaturamento de gastos, como a compra de passagens aéreas, e pagamento de propina na contratação de jogadores, além de acordos trabalhistas com atletas prejudiciais ao clube em favorecimento de terceiros.

De acordo com o subprocurador geral do MP, Marcelo Dornelles, o gato miou à vontade: “A investigação comprova que houve sacanagem na gestão do departamento de futebol, com o repasse de dinheiro ao vice Carlos Pellegrini.” Ele ainda classificou como “escandalosos” os adiantamentos de R$ 10 milhões pelo vice de finanças Pedro Affatato.

Uma das jogadas, segundo Dornelles: “Nós provamos que há vários contratos em que claramente houve a contratação, o pagamento da contribuição do intermediário e depois, através da simulação com outras empresas, o dinheiro voltou para o dirigente.” A investigação revelou que ao menos um jogador sabia do golpe.

Foi apurado que 94% das notas fiscais de empresas terceirizadas não correspondiam aos serviços prestados. Os nomes de atletas e empresários são mantidos em sigilo. Não há ainda um valor definitivo dos valores desviados.

Por enquanto, não foi feita qualquer solicitação de prisão. Uma das penas pode ser o ressarcimento dos valores ao Saci colorado. Que pretende pedir na Justiça ressarcimento de pelo menos R$ 10 milhões aos cartolas citados no escândalo.

O clube já tem montado plano que prevê a contratação de uma banca de advogados. Os bons ventos do MP gaúcho poderiam soprar em outros clubes e, principalmente, no Circo Brasileiro de Futebol.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Bale devora sashimi e Real Madrid briga pelo tricampeonato mundial contra zebra árabe

O milionário Real Madrid deu um bico na zebra japonesa e ficou a 90 minutos (ou 120, se houver prorrogação) do tricampeonato mundial de clubes da mamãe Fifa. O time espanhol derrotou o Kashima Antlers por 3 a 1, no Zayed Sports City, e decidirá o caneco contra o Al Ain, que despachou o River Plate na abertura das semifinais. O grito de campeão sairá neste sábado, em Abu Dhabi. A bola rolará a partir das 14h30. Antes, hermanos e japoneses brigarão pelo terceiro lugar.

Gareth Bale foi a grande estrela do Real Madrid. O galês marcou os três gols. O lateral brasileiro Marcelo também se destacou no triunfo da equipe espanhola, que aterrissou em baixa nos Emirados Árabes, pois disputa uma temporada muito irregular no campeonato nacional e na Champions. Doi assinalou o gol do Kashima.

O time japonês até chegou a perturbar o goleiro Courtois no início da partidas. Aos poucos, porém, o Real Madrid foi impondo seu toque de bola e dominou o adversário. Embora dono do espetáculo, só abriu o placar na bacia das almas do primeiro tempo. Aos 44, Bale recebeu de Marcelo e fuzilou o goleiro Sun Tae.

Na segunda etapa, o Real Madrid precisou apenas de 10 minutos para liquidar o Kashima. Aos 8, a zaga japonesa lembrou os bons momentos dos Trapalhões e permitiu o segundo gol de Bale. Um minuto depois, Marcelo colocou o galês na cara do gol e pimba na caxirola: 3 a 0.

O Real Madrid puxou o freio de mão, consciente de que a partida estava liquidada, e o Kashima diminuiu com Doi, aos 33. Sua senhoria, o assoprador de latinha brasileiro Wilton Pereira Sampaio, só confirmou o tento depois de consultar o VÁR, porque o bandeirinha havia assinalado impedimento, erradamente.

O time do ‘professor’ Santiago Solari terminou com 17 finalizações a favor contra sete do Kashima. Depois de superar Kashima Antlers (2016) e Grêmio (2017), o Real Madrid vai encarar na final o representante do país sede, responsável por tirar o River Plate. O time espanhol lutará pelo sétimo caneco mundial.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Não tem mais bobo no futebol, só jornalista metido a pai de santo em mesa-quadrada.

Pé de obra. O Corinthians decidiu recorrer ao sucesso do bico das chuteiras do poderoso Fluminense nos últimos tempos para dar um banho de alegria na Fiel. Virou uma filial das Laranjeiras: Henrique, Douglas, Richard e Sornoza, a última aquisição por 2,5 milhões de euros (R$ 11,1 milhões).

Zé Corneta. Ganhar do Boca é fácil, quero ver derrotar o Al Ain.

Bebum. O lobby dos clubes funcionou: os deputados gaúchos aprovaram por 25 votos contra 13 a venda de bebidas alcoólicas nos estádios do Rio Grande do Sul. O projeto do parlamentar Gilmar Sossella (PDT) prevê a comercialização até o intervalo e depois do jogo. A lei depende agora da sanção do governador. A venda está proibida desde 2008.

Sugismundo Freud. As coisas boas são lembradas, as más são sentidas.

Lotomania. O pires na mão é uma terrível realidade no terreiro do Galo. O clube ofereceu ao zagueiro Réver, 33 anos, apenas R$ 500 mil mensais por um contrato de três temporadas. Ou módicos R$ 6 milhões por ano. Ou irrisórios R$ 18 milhões até o final do acordo. Réver ganha R$ 400 mil por mês no Flamengo, que não pensa em cobrir a proposta dos mineiros.

Enxoval maldito. Os torcedores do River Plate já encontraram uma muleta para tentar justificar o vexame da eliminação do Mundial da mamãe Fifa: a camisa azul. Há algumas semanas, o campeão da Libertadores também usou o mesmo enxoval na Copa da Argentina contra o Gimnasia La Plata e perdeu o caneco nos pênaltis, após empate em 2 a 2 no tempo normal. A história se repetiu diante do Al Ain, nos Emirados Árabes. Nos dois embates, o River dançou nas semifinais.

Caiu na rede. Conmebol ou Bressan, do que o River sentiu mais falta contra o Ai Ain?

Zapping. O SporTV estreia neste sábado, às 21 horas, o programa ‘Grande Circulo’, comandado pelo narrador Milton Leite. O pontapé inicial será com o ‘professor’ Tite, da amarelinha desbotada. No dia 29, irá ao ar um papo com Kaká.

Gilete press. De Carolina Canossa, no Uol: “A Justiça do Paraná determinou o bloqueio das contas bancárias e de quatro automóveis do levantador Ricardinho por conta de uma denúncia de desvio de verbas públicas. O bloqueio também vale para a sogra do jogador, Carmen Panza, e do clube que ele é presidente, o Maringá Vôlei. De acordo com o Ministério Público, a prefeitura de Maringá teria repassado ao Maringá Vôlei R$ 880 mil para dois eventos em 2014: Liga Mundial e Copa Brasil. Porém, foram justificados apenas R$ 204 mil. Segundo a acusação, há provas de que R$ 255 mil foram parar em contas de Ricardinho e Carmen. O MP diz ainda que o advogado do clube, Rogério Rodrigues, teria sacado R$ 550 mil. O dinheiro da bilheteria, cerca de R$ 325 mil, também teria sumido.” Que festa!

Bruna Griphao usa biquíni preto nada básico!  — Foto: Reprodução Instagram / Bruna Griphao

Tititi d’Aline. As marias-parafina curtem um ‘caldo’: o bicampeão mundial de surfe Gabriel Medina, 24 anos, está trocando figurinhas carimbadas com a atriz Bruna Griphao, 19 (foto). A troca de chamegos começou no fim de novembro, em Maresias. Bruna participou da novela ‘Orgulho e paixão’.

Você sabia que… o campeão da Libertadores não vai à decisão do Mundial há quatro anos?

Bola de ouro. Ana Marcela Cunha/Isaquias Queiroz. A maratonista aquática e o canoísta foram eleitos os atletas de 2018 por jornalistas, cartolas e personalidades do esporte. Eles receberam o troféu durante a festa do Prêmio Brasil Olímpico, que também definiu os bambambãs de cada modalidade.

Bola de latão. Paulistinha. Passa ano, entra ano, e nada muda: o enfadonho campeonato começará em 19 de janeiro e terminará em 21 de abril. Uma maratona de jogos inexpressivos, exceção de alguns clássicos.

Bola de lixo. River Plate. Vexame histórico no Mundial de clubes da mamãe Fifa. Rebolou e dançou diante de um limitado Al Ain. A eliminação dos hermanos é um reflexo da decadência do futebol sul-americano.

Bola sete. “Quem não quer jogar no Corinthians? Gosto de desafios e, se Deus quiser, vou ser campeão. É um presente de Natal antecipado” (do meio-campista equatoriano Sornoza, 24 anos, novo reforço corintiano – a conferir).

Dúvida pertinente. River Plate, decime qué se siente?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Medina conquista o bicampeonato mundial de surfe e salva o Natal da Fiel

Após título mundial, Medina fecha ano com vitória inédita do Havaí:

O bando de loucos está em festa. Se dentro de campo o Corinthians foi um fiasco, escapando da degola na penúltima rodada do Brasileirão, na prancha conquistou o planeta pela segunda vez. Gabriel Medina faturou o título mundial de surfe em Pipeline, no Havaí. Ele ganhou o bicampeonato ao ‘dar um caldo’ no sul-africano Jordy Smith na semifinal.

Em 2014, Medina entrou para a história como o primeiro brasileiro a dominar o circuito. Agora, volta a cravar seu nome como único brasuca bicampeão.

Medina disputava o título com o australiano Julian Wilson, que também foi à final, mas a classificação à decisão garantiu o título antecipadamente. Na luta contra Wilson, o corintiano levou a melhor, tornando-se o segundo brasileiro a vencer no Havaí, repetindo a façanha de Adriano de Souza, o Mineirinho, em 2015.

O paulista superou o australiano por 18.43 a 16.70. “Pipe Masters é diferente de tudo. Eu trabalhei muito duro para conseguir isso”, comemorou Medina.

A regularidade foi a grande arma de Medina no campeonato deste ano. Ele começou mal em Gold Coast, na Austrália, mas se recuperou e entrou na briga para valer com vitórias seguidas no Taiti e no Surf Ranch, nos EUA.

Depois, chegou às semifinais na França e em Portugal. Aterrissou em Pipeline como grande favorito e não decepcionou. O surfista corintiano de Maresias estreou no circuito em 2011. No dia 22, Medina completará 25 anos. O campeão voltou.

Os reis da última década
2018 – Gabriel Medina (BRA)
2017 – John John Florence (HAV)
2016 – John John Florence (HAV)
2015 – Adriano de Souza (BRA)
2014 – Gabriel Medina (BRA)
2013 – Mick Fanning (AUS)
2012 – Joel Parkinson (AUS)
2011 – Kelly Slater (EUA)
2010 – Kelly Slater (EUA)
2009 – Mick Fanning (AUS)
2008 – Kelly Slater (EUA)

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Viva 2019: apenas 11 feriados e só três prolongados. Que dureza!

Viagem corintiana. O mandachuva e raios Andrés ‘Desmanchez’, seus pares e ímpares viajam no espeto de farofa: apostam em um faturamento de R$ 42 milhões com patrocínios no enxoval corintiano em 2019, metade do que o coirmão Palmeiras faturou neste ano. O clube também sonha com outros dividendos: R$ 240 mi de direitos de TV, R$ 21 mi da Nike, R$ 9,9 mi de licenciamentos, R$ 6 mi do Fiel Torcedor e R$ 75 mi de bilheteria (destinados ao pagamento do Itaquerão). Depois do toma lá dá cá, o Corinthians espera fechar o ano com superávit de R$ 650 mil.

Zé Corneta. João de Deus, o diabo na terra de Abadiânia.

Farsa. Quando a esmola é demais o santo desconfia. Pois é, era mesmo muito molho para o macarrão da mamma. Nada menos que R$ 1,4 bilhão por um carimbo no enxoval palmeirense ao longo de uma década. Uma farsa eleitoreira apresentada pela oposição (Genaro Marino) um dia antes de o presidente Mauricio Gagliotte ser referendado pelos associados para continuar por mais três anos no trono dos periquitos em revista. A máscara do engodo caiu rapidamente. O Palestra foi atrás de informações sobre a Blackstar International e descobriu que a bilionária proposta feita por Rudnei Quicoli, representante da empresa com sede em Hong Kong, tinha o mesmo valor de uma nota de R$ 3. Uma cascata maior que a cachoeira de Paulo Afonso. O Palmeiras recebeu um e-mail do HSBC informando que os documentos apresentados eram falsos, a Blackstar não tinha conta e nem depósito na instituição.

Sugismundo Freud. A tolice é uma planta que cresce sem precisar de água.

Luvas de pelica. O oba-oba em torno do presidente eleito Jair Bolsonaro na festa do decacampeão Palmeiras, ao final do embate contra o Vitória, no pontapé final do Brasileirão, ainda enche de orgulho alguns jogadores. Um dos líderes do grupo, o goleiro Fernando Prass rasgou elogios à presença de Bolsonaro na entrega das medalhas no palco da mansão Allianz Parque: ‘Ali é um momento dos jogadores. As festas para a entrega de troféus em nosso país são sempre muito complicadas.’ A muralha de luvas guardou ótimas recordações do carnaval. Uma delas em especial: os companheiros saíram para dar a volta olímpica e ele simplesmente ficou a ver navios, não conseguiu pegar a taça porque havia um paredão humano a sua frente.

Luvas de pelica 2. A convite do Circo Brasileiro de Futebol, Bolsonaro não apenas levantou o caneco, como também entregou medalhas aos atletas, comissão técnica e cartolagem. Não foram poucos os jogadores que bateram continência ao presidente antes de receberem o mimo. Fernando Prass optou por um cumprimento discreto: ‘É sempre muito complicado misturar futebol, política e religião.’ O atleta isentou o Palestra da politicagem. Culpou a casa maldita do ludopédio nacional, ávida por voltar a viver uma lua de mel com os poderosos de Brasília, após a derrocada da ‘bancada da bola’ nas últimas eleições.

Caiu na rede. Fluminense: zum zum zum, não vai sobrar nenhum.

Zapping. O facão continua afiado no SporTV. Depois do comentarista Lito Cavalcanti (24 anos de casa), o RH chamou Paulo César Vasconcellos para um cafezinho amargo. O ex-diretor de redação deixará a emissora após 23 anos.

Mico mineiro. O presidente da Raposa, Wagner Pires de Sá, é extremamente meticuloso: não pôde embarcar para assistir ao sorteio da Libertadores, no Paraguai, porque esqueceu o passaporte em BH. O cartola até pegou um avião para São Paulo, mas na hora agá….

Gilete press. De Jaeci Carvalho, do Estado de Minas: “Os clubes brasileiros vivem mesmo no país da fantasia e da ilusão. Quando vejo equipes interessadas em repatriar Paulo Henrique Ganso, percebo o quanto os dirigentes são irresponsáveis com o dinheiro alheio. Ganso é um excepcional artista com a bola, espécie “foca de circo”, mas péssimo jogador do ponto de vista de ajudar o time. Foi para o Sevilla, vendido a peso de ouro, e não conseguiu jogar lá. Emprestado ao Amiens, também não consegue ser titular. Aí a gente abre os jornais brasileiros e lá está a disputa de São Paulo, Internacional, Flamengo e outros clubes pelo atleta. Uma brincadeira de mau gosto.” Há controvérsias?

Tititi d’Aline. Cansado de ouvir conversa fiada da cartolagem do Besiktas sobre as dificuldades de caixa, o zagueiro brasileiro naturalizado português Pepe, 35 anos, rescindiu o contrato com o time turco. O acordo iria até junho de 2019. Antes de limpar o armário, Pepe pagou os salários atrasados de alguns funcionários do clube, como cozinheiros e cortadores de grama. Ex-Real Madrid, Pepe marcou cinco gols em 17 jogos pelo Besiktas.

Você sabia que… a contratação do hermano Jorge Sampaoli quebrou um jejum de 40 anos sem o Peixe ter um ‘professor’ gringo?

Bola de ouro. Messi. O hermano está estraçalhando no Barcelona. Um show a cada jogo. É o rei.

Bola de latão. Marinho. O atacante do Grêmio escorregou feio na casca de banana ao se oferecer para o Flamengo. Provocou o maior auê, irritou a torcida gaúcha e agora deve ser negociado, mas não para o Rubro-negro. Vai ficar só na vontade.

Bola de lixo. José Mourinho. O gajo do Manchester United parou no tempo e vem acumulando uma série de fracassos. Adepto do pragmatismo, o ‘professor’ tomou um passeio do Liverpool. A torcida dos Diabos Vermelhos pede a cabeça do treinador. O ‘Special One’ já era.

Bola sete. “O Facebook montou um departamento de esportes no país. A ideia é disputar os direitos de transmissão de competições como o Campeonato Brasileiro” (de Maurício Lima, em Veja – plim plim).

Dúvida pertinente. Jorge Sampaoli, um ‘professor’ com prazo de validade no aquário da Vila Belmiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Nem fotos nem autógrafo: árabes ignoram campeão da América no Mundial da Fifa

Os hermanos do River Plate vivem uma experiência inusitada em Al Ain, nos Emirados Árabes, à espera da estréia no Mundial de clubes da mamãe Fifa. Ninguém está dando a mínima bola para os campeões da América. Nada de fotos ou autógrafo. Muito menos uma bandeira ou um grito de apoio. Lembra retiro espiritual.

Não há necessidade nem de cordão de segurança para a equipe deixar o hotel. “Uma situação bem diferente da loucura vivida em Madri, na decisão da Libertadores, contra o Boca Juniors”, disse Mariano Dayan, do jornal ‘Olé’.

Os organizadores mantêm representantes no lobby do luxuoso hotel para qualquer problema, mas até agora não passaram de decoração. O ‘professor’ Gallardo e os jogadores certamente estão estranhando tanta tranquilidade.

O isolamento se deve ao fato de a cidade ficar longe do burburinho do torneio. “Não é Dubai, o coração turístico, cidade que abriga trabalhadores argentinos, nem a capital Abu Dhabi, local da final do Mundial”, afirmou Dayan.

Em Al Ain, não há grandes atrações. A cidade fica a uma hora e meia dos grandes centros. O River estreará nas semifinais contra o Al Ain, nesta quarta. O time árabe despachou o Esperance por 3 a 0 nas quartas de final.

O outro jogo será Real Madrid x Kashima Antlers. A equipe japonesa, que tem Zico como diretor, eliminou o Chivas, do México, por 3 a 2.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. O Congresso tem gabinete ou lavanderia?

Recordar é viver. O futebol é mesmo uma adorável caixinha de surpresas. Um vulcão de incríveis caneladas. Há pouco mais de duas semanas, Renato, 39 anos, despediu-se do futebol no aquário da Vila Belmiro, na vitória sobre o Galo por 3 a 2. Bicampeão brasileiro (2002/04) e paulista (2015/16) com a camisa do Santos, o meio-campista de toque refinado atraiu nada menos que… 4.591 pagantes (R$ 89.946,50) ao estádio. Um tributo elogiável para quem defendeu apenas 425 vezes o Peixe e marcou 34 gols em duas passagens pelo clube (2000/04 e 2014/18). No próximo ano, Renato exercerá o cargo de diretor-executivo do Santos.

Recordar é viver 2. Negociado ao Milan por 35 milhões de euros, Lucas Paquetá, 21 anos, disse adeus ao Flamengo na última rodada do Brasileirão. A saideira do moleque foi prestigiada por somente 66.046 torcedores (R$ 697.255). Um recorde de público ridículo no Brasileirão, já que Paquetá disputou 95 partidas pelo Rubro-negro e assinalou 18 gols. Ganhou três títulos inesquecíveis: Copa São Paulo de juniores (2016), Carioquinha (2017) e Taça Guanabara. Não precisa explicar, vovó Mafalda só queria entender.

Zé Corneta. Felipe Melo mais requisitado que Papai Noel. Pobre futebol!

Herança. Pobre Fabio Carille: sob o guarda-chuva ‘salvador da pátria’, o ‘professor’ receberá um Corinthians em frangalhos, com uma série de recordes negativos nesta temporada. Alguns feitos: perdeu 27 das 72 partidas oficiais que fez (16 delas no Brasilerão), maior número de pauladas no século 21, superando as 25 de 2006; igualou a pontuação da esquadra rebaixada em 2007, com 44 pontos, e terminou em 13º, pior colocação desde a volta à elite em 2008; obteve fantásticos 18 pontos no returno, com aproveitamento de 31,5% (desde 2003 não realizava um turno tão ruim); e levou sete bordoadas no Itaquerão, recorde negativo em uma temporada no estádio. Até agora, os reforços não são nada animadores, exceção do meio-campista Ramiro, ex-Grêmio.

Sugismundo Freud. Quem tem fama de madrugador pode dormir até tarde.

Zapping. A plim plim já conta os dias que faltam para a bola voltar a rolar na telinha. O primeiro domingo sem chuteiras foi catastrófico. Exibido no horário do esporte bretão, o filme ‘King Kong’ cravou apenas 14,2 pontos de audiência na grande Pauliceia entregue às traças. Uma semana antes, Chapecoense x São Paulo rendeu 18,6 pontos, mesmo sem valer muita coisa. Cada ponto no ibope equivale a 71,8 mil domicílios sintonizados.

Caiu na rede. Kashima batiza Chivas no Mundial.

Gringo na Vila. Depois das experiências pouco elogiosas com Juan Carlos Osorio, Ricardo Gareca, Bauza ‘Patón’, Daniel Passarella, Paulo Bento e Reinado Rueda, mais um gringo vai aterrissar numa casamata do ludopédio nacional. O hermano Jorge Sampaoli comandará o Peixe. Adepto do futebol ofensivo, uma das características do Santos, conhece a mandioca. Mas é um péssimo administrador de vestiário. Que o diga a sua passagem pela seleção da Argentina. Um caos na Copa! Sampaoli receberá US$ 2 milhões (R$ 7,7 milhões) por temporada no aquário da Vila Belmiro, mais premiações altíssimas por metas alcançadas. Aposta de risco.

Gilete press. De Jaeci Carvalho, no Estado de Minas: “Na enquete que fiz, via Instagram e e-mail, recebi 98% das mensagens a favor da negociação de Luan com o Corinthians. A esmagadora maioria dos torcedores do Galo entende que ele dá prejuízo ao clube, pelo pouco que joga e pelo muito que recebe. O novo contrato, assinado recentemente, lhe dá R$ 400 mil mensais, sem que o futebol esteja à altura desse valor. De 2013 a 2017, Luan ficou mais no departamento médico do que em campo. Porém, faz muita média com a torcida e isso o mantém no grupo. A melhor solução para o Galo é se desfazer do jogador, economizando, assim, R$ 20 milhões nos próximos quatro anos, tempo do contrato dele.” Maluquinho em baixa.

Tititi d’Aline. O incrível Hulk já começou a preparar o terreno para trocar as chuteiras pela vida de empresário. Aos 32 anos, o brasileiro do Shanghai inaugurou um supermercado em João Pessoa, está construindo um hotel cinco estrelas na capital paraibana e entrou de sócio numa rede de restaurantes, que planeja ampliar para 10 cidades brasileiras. Que dureza!

Você sabia que… a maioria dos torcedores do River Plate (70%) considera que ganhar o Mundial com uma vitória sobre o Real Madrid não vai superar o triunfo diante do Boca Juniors na decisão da Libertadores?

Bola de ouro. Nicholas Santos (foto) Aos 38 anos, o brasileiro faturou o ouro nos 50m borboleta do Mundial de piscina curta em Hangzhou, na China. Ele se tornou o nadador mais velho da história a ser campeão. Cravou o tempo de 21s81. Menção honrosa. Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Leonardo Santos e Breno Correa. O quarteto brasileiro ganhou o revezamento 4x200m livre, com direito a recorde mundial – 6m46s81, dois segundos abaixo da antiga marca (6m49s04).

Bola de latão. Corinthians. Decidido a montar um time campeão depois de uma abominável temporada, o chefão Andrés ‘Desmanchez’ foi ao mercado e conseguiu cinco reforços: o meia Ramiro, o volante Richard, o lateral-direito Michel e os atacantes André Luis e Gustavo Mosquito. Centroavante matador que é bom, nada. Em êxtase, a Fiel chora de raiva.

Bola de lixo. São Paulo. O soberano continua parado no tempo. Até agora, nenhum reforço para a próxima temporada. E dinheiro, pelo que se sabe, não falta.

Bola sete. “Comparação entre resultado e desempenho é avanço para o Brasil. Parafraseando Tom Jobim, o futebol e o mundo não são mais para principiantes” (do pequeno grande Tostão, na Folha – na mosca, como sempre).

Dúvida pertinente. O Palmeiras deve trocar o carimbo da Crefisa pelo da Blackstar no enxoval?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Furacão varre os colombianos nos pênaltis e levanta a primeira taça internacional

Atlético-PR x Junior Barranquilla Copa Sul-Americana

A torcida do Furacão vai comemorar como nunca as festas de fim de ano. O time derrotou o Junior Barranquilla nos pênaltis por 4 a 3, após empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, numa Arena da Baixada abarrotada (40.273 torcedores, recorde) e faturou a Copa Sul-americana. Pela primeira vez a equipe deu uma volta olímpica internacional.

De quebra, garantiu vaga na fase de grupos da Libertadores ao lado de Palmeiras, Flamengo, Saci colorado, Grêmio e Raposa – o soberano São Paulo e o Galo disputarão o ‘vestibular’ do torneio continental.

O Furacão também se classificou para a Recopa Sul-americana (dois embates contra o River Plate, atual campeão da Libertadores) e Copa Suruga (ganhador do Campeonato Japonês). O clube paranaense garantiu um prêmio de R$ 17,3 milhões com o título da Sul-americana.

O cofre poderá ficar ainda mais recheado se a equipe levantar a Recopa, que distribuirá R$ 2,4 milhões ao campeão e R$ 1,3 milhão ao vice. A Libertadores e a Suruga significarão pelo menos mais R$ 8 milhões. O Furacão participará pela sexta vez da Libertadores. Já sonhou em 2000/02/05/14/17.

As partidas diante do River Plate deverão acontecer em 20 de fevereiro e 6 de março. O time argentino não poderá contar com o apoio da torcida em seu estádio, já que foi punido pela Conmebol após a selvageria no segundo jogo com o Boca Juniors. A Suruga, que existe desde 2008, será realizada em agosto, no Japão.

No embalo de uma enlouquecida torcida, o Furacão procurou pressionar os colombianos desde o início da partida. Chegou a acuar o adversário com trocas rápidas de bola e muita velocidade.

Aos poucos, o Junior foi se soltando e equilibrou a partida, mas sem oferecer perigo ao goleiro Santos. Bem armada, a defesa paranaense soube conter o ímpeto do time colombiano.

Depois de um toma lá dá cá, a galera explodiu nas arquibancadas aos 26 minutos. O Junior saiu jogando errado e Léo Pereira lançou Pablo. O atacante tabelou com Veiga e bateu na saída do goleiro Viera. Quinto gol do artilheiro do torneio e 34º em 171 jogos com a camisa atleticana.

Após abrir o placar, o Furacão se acomodou na vantagem, o Junior cresceu e passou a fustigar a equipe brasileira, mas sem tranquilidade para chegar à igualdade.

Com Roni no lugar de Marcelo Cirino, lesionado, o Furacão perdeu ótima chance com Pablo no começo do segundo tempo e depois sumiu. O Junior tomou conta da partida e empatou aos 12: após cobrança de escanteio, Gomez cabeceou e Teo Gutiérrez concluiu para o gol.

O Furacão sentiu o golpe. Passou a bater cabeça no meio de campo (Lucho Gonzales saiu e entrou Wellington) e na zaga. Nos contragolpes, o Junior, sob o comando de Teo Gutiérrez, perdeu quatro excelentes chances para virar o jogo.

Apreensiva, a galera só voltou a vibrar quando os alto-falantes anunciaram o público: 40.273 espectadores, novo recorde do estádio. E ficou aliviada com o final do tempo regulamentar.

Na prorrogação, o Junior continuou melhor. O Furacão, sem os machucados Pablo e Nikão (entraram Bergson e Marcinho), quase não incomodou. Aos 5, da segunda etapa, o time colombiano desperdiçou um pênalti – Barreta, destaque do time, chutou para fora.

A decisão da taça foi para a marca da cal e o Furacão fez a festa: 4 a 3. Renan Lodi fracassou, mas Jonathan, Rafael Veiga, Bergson e Thiago Heleno garantiram o primeiro caneco internacional do clube.

xxxxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. A torcida do Vasco pode esperar uma virada sensacional na próxima temporada. O clube terá nada menos que… R$ 4,5 milhões para investir em reforços. A folha salarial vai girar em torno de R$ 3 milhões mensais, como a de muitos times da Série B.

Se não tem tu… Sem dinheiro para investir em grandes matadores, o Corinthians deve recorrer mesmo a Gustagol. O atacante de 24 anos será reintegrado ao elenco depois das férias. Gustagol marcou 30 tentos em 45 jogos pelo Fortaleza. Balançou a rede 16 vezes em 17 duelos do estadual e 14 em 28 na conquista da Série B do Brasileiro. Terminou a temporada como ‘artilheiro do Brasil’. O grande teste do jogador será no Paulistinha. Ele tem contrato com o Corinthians até dezembro de 2020.

… vai tu mesmo. Gustagol aterrissou no clube em 2016, após se destacar no Criciúma. Disputou nove jogos e não fez gol. Ano passado, foi emprestado ao Bahêa e Goiás. Em 2018, arrebentou no Fortaleza. O Corinthians detém 45% dos direitos do atacante. O restante pertence a Criciúma (35%) e Taboão da Serra (20%).

Zé Corneta. O problema do soberano São Paulo não é dinheiro, é saber como gastar o dinheiro.

Pagando para jogar. Além de ter ficado na mira da guilhotina até a última jornada do Brasileirão, o Fluminense também conseguiu mais um feito: fechou a temporada com um rombo de R$ 4,5 milhões nos jogos como mandante. De 35 partidas, teve lucro em apenas sete, a maior no Fla-Flu que levou para Brasília, quando faturou R$ 500 mil. De 24 duelos no ‘new Maraca’, o Tricolor ficou no cheque especial em 19 deles.

Sugismundo Freud. Um bom mentiroso precisa de uma boa memória.

Estrelas. Os heróis olímpicos ganharão um presente de Natal no dia 18: será inaugurado um hall da fama no Parque Aquático Maria Lenk. A lista deve começar com a dupla de vôlei de praia Jackie Silva e Sandra Pires, o nadador Cesar Cielo e o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). O Athletico mudou de escudo, nome e camisa. O Vasco poderia seguir esse caminho e mudar de esporte.

Lar doce lar. O santista Bruno Henrique trabalha em silêncio como todo bom mineiro. De mansinho, o atacante comprou um casebre de R$ 1,6 milhão em Lagoa Santa, região metropolitana de BH. O atleta colocou no negócio um apartamento de cobertura, também localizado na capital mineira. Bruno Henrique é cobiçado por Raposa e Grêmio.

Zapping. Nada contra, mas quem nasceu para Taynah Espinoza TNT) jamais chegará a Fernanda Gentil (plim plim) ou Marcela Rafael (ESPN).

Gilete press. De Diego Borges, Jornal do Commercio: “Em 2019, após sete anos de representatividade na elite, Pernambuco não terá um clube na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro, onde o Nordeste segue com a maior representatividade na era nos pontos corridos, com quatro equipes. Pior ainda, além do rebaixamento do Sport para a Série B após duas temporadas escapando no fim, Náutico e Santa Cruz não conseguiram o acesso e disputarão novamente a Série C. Até o Salgueiro caiu para a Série D.” Que fase!

Tititi d’Aline. Dos 65 inscritos para obter a licença de técnico do Circo Brasileiro de Futebol, apenas uma mulher participa do curso: a ex-técnica da seleção feminina Emily Lima. Atualmente, ela comanda as Sereias da Vila. Destinado a convidados, o curso custa mais de R$ 19 mil.

Você sabia que… o Corinthians ofereceu R$ 10 milhões, mais Clayson, pelo atacante Sassá, mas a Raposa recusou?

Bola de ouro. Eder Militão. O ex-são-paulino foi eleito o melhor zagueiro do Campeonato Português em outubro e novembro pelos treinadores da primeira divisāo. Titular do Porto, Militão está na mira do Manchester United e de outros gigantes europeus.

Bola de latão. Peixe. No ritmo alucinante de uma tartaruga master, a cartolagem santista segue atrás de um ‘professor’ para substituir mestre Cuca. Há um mês Cuca anunciou que deixaria o aquário da Vila Belmiro por problemas de saúde.

Bola de lixo. Brucutus da prancha. O brasileiro Michael Rodrigues e o havaiano Tanner Hendrickson quebraram o pau em Oahu, no Havaí. Eles trocaram carícias durante entrevista para o canal OFF. Michael sofreu uma pancada forte na cabeça, mas passa bem. A Liga Mundial de Surfe suspendeu provisoriamente o havaiano até a conclusão do bafafá. Hendrickson está fora das triagens do Pipe Masters.

Bola sete. “A prefeitura publicou o aviso do edital para a construção do novo autódromo do Rio. Orçado em R$ 697 milhões, o projeto prevê a manutenção da pista no bairro de Deodoro. Quem vencer terá direito a operar o autódromo por 35 anos. A licitação será feita em janeiro” (de Ernesto Neves, em ‘Veja’ – vale a pena?).

Dúvida pertinente. Abelão, um ‘professor’ à altura do cheirinho rubro-negro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br