Corinthians chega à vice-liderança; São Paulo vence, mas perde Ganso na Libertadores

O paraguaio Romero marcou o primeiro gol do Corinthians na vitória sobre o Coelho

A superquarta dos paulistas na 12ª rodada do Brasileirão rendeu seis pontos em nove possíveis. Corinthians e soberano Tricolor venceram, enquanto o Peixe morreu na bacia das almas (Grêmio, 3 a 2).

Com o triunfo sobre o lanterna Coelho por 2 a 0, o time corintiano pulou para 22 pontos na vice-liderança. Perde do Palmeiras no saldo de gols (10 a 8). Os periquitos em revista jogam com o Figueira, na mansão Allianz Parque, no encerramento da jornada.

O São Paulo superou o Fluminense (2 a 1), mas não tem muitos motivos para comemorar: Ganso sofreu uma lesão e dificilmente jogará contra o Atlético Nacional, pelas semifinais da Libertadores, na próxima semana.

No Independência (1.788 testemunhas), em Belo Horizonte, mesmo com raros momentos de bom futebol, o Corinthians derrubou o Coelho, sério candidato ao rebaixamento.

Romero, aos 9 minutos de jogo, e Marquinhos Gabriel, cobrando pênalti mandrake aos 29 do segundo tempo, garantiram os três pontos ao time paulista. Que chegou a irritar com uma enxurrada de passes errados e alguns lances bisonhos.

Também falhou muito no setor ofensivo e não mostrou criatividade no meio de campo. Na verdade, o Corinthians só não se complicou porque encarou um adversário muito fraco – oito derrotas em 12 partidas.

A lamentar: Camacho entrou aos 20 da etapa final e, 16 minutos depois, saiu machucado.

No Morumbi (10.323 torcedores), o São Paulo passou pelo Fluminense com uma bela exibição no primeiro tempo, quando não deu chance ao time carioca e marcou dois gols – João Schmidt, a 60 segundos, e Alan Kardec, aos 39; havia 17 jogos que o atacante não corria para o abraço.

Na segunda etapa, o Fluminense melhorou e diminuiu com Cícero, em cobrança de pênalti – a bola bateu na mão de João Schmidt e sua senhoria apontou a cal. O Tricolor das Laranjeiras partiu com tudo para o ataque, em busca da igualdade. Aos 30, os cariocas reclamaram de um pênalti de Maicon em Osvaldo, não marcado pelo assoprador de apito, o gaúcho Anderson Daronco.

Aos 15 do segundo tempo, Ganso entrou no lugar de Michel Bastos. E, aos 42, começou o drama são-paulino: o meia se machucou (estiramento muscular) e deve ficar fora do primeiro duelo contra o Atlético Nacional, pelas semifinais da Libertadores.

Com a vitória, o São Paulo atingiu 18 pontos e assumiu a sétima posição; o Fluminense permaneceu com 16 e caiu para o 11º lugar.

Na Arena do Grêmio (14.865 espectadores), em Porto Alegre, o Peixe saiu perdendo por 2 a 0, gols de Giuliano e Douglas no primeiro tempo, reagiu no segundo e empatou com o estreante colombiano Copete e Zeca, mas bobeou na bacia das almas e permitiu a vitória ao time gaúcho.

Aos 43, o lateral-esquerdo Marcelo Hermes, que havia substituído Rafael Thyere, apareceu sozinho na área e tocou para a rede, sem chance para o goleiro Vanderlei.

O Grêmio se mostrou mais eficiente na etapa inicial, enquanto o Santos controlou o jogo na segunda etapa. E o 2 a 2 parecia definitivo, quando a equipe gaúcha encontrou a vitória nos últimos minutos. O Grêmio voltou a vencer depois de duas derrotas (Vitória e Furacão). Já o Peixe perdeu o pique após superar Fluminense e São Paulo.  

                                                      ############

Sugismundo Freud. Uma coisa é contar história, outra coisa é fazer história.

‘Vovô’ Prass 1. Mais do que merecida a convocação do paredão palmeirense Fernando Prass, 37 anos, para a seleçãozinha que lutará pela conquista do inédito ouro olímpico. Atravessa fase excepcional. Um líder que será muito importante no trabalho com a garotada, capaz de suportar com grandes defesas a pressão da torcida pela medalha dourada, além de transmitir a tranquilidade necessária aos moleques. Certamente a galera do Palmeiras está de biquinho com a inclusão de Fernando Prass (e do menino Jesus) na lista do ‘professor’ Micale.

Pitaco do Chucky. Em nome do ouro olímpico, Circo Brasileiro de Futebol arrebenta clubes no Brasileirão.

‘Vovô’ Prass 2. Se a equipe brasileira chegar à decisão dos Jogos, os periquitos em revista enfrentarão seis jornadas do Brasileirão sem Fernando Prass e Jesus. Eles ficarão fora dos embates contra Galo, Botafogo, Chapecoense, Vitória, Furacão e Ponte. Pior situação viverá o Peixe, que não poderá contar com três, Thiago Maia, Zeca e Gabigol, contra Vitória, Raposa, Flamengo, Coelho, Galo e Coxa. Também ficarão fora dos jogos diante do Gama, pela Copa do Brasil. Além do goleiro palmeirense, os outros ‘veteranos’ da equipe olímpica, com idade acima de 23 anos, são Neymar e Douglas Costa.

Zé Colmeia. Fernando Prass entrará para a história como o jogador do futebol brasileiro mais velho a participar de uma Olimpíada. Na estreia do time, ele estará com 38 anos. O recorde pertence a Bebeto: 32 anos, em 1996.

Pica-Pau. Boa parte dos palmeirenses torceu o nariz para o desfecho do imbróglio entre mestre Cuca e Lucas Barrios: tchau, Cristaldo! Explica-se: o paraguaio acertou os ponteiros com o ‘professor’ e permanecerá no clube, enquanto o argentino, xodó da galera, irá para o mexicano Cruz Azul. Cristaldo marcou 20 gols em 76 jogos. O talismã tatuou no braço a taça da Copa do Brasil de 2015. Renderá R$ 10 milhões. Barrios assinalou três gols em 11 jogos neste ano. É o maior salário do Palmeiras: R$ 1 milhão, bancado pela patrocinadora do clube.

Zé Corneta. Tudo tem conserto, menos o Circo Brasileiro de Futebol capitaneado pelo imperador ostentação Del Nero.

Bra$il olímpico. Na cidade dos Jogos de R$ 40 bilhões, mais uma medalha enferrujada: a Secretaria de Administração Penitenciária enfrenta um pequeno obstáculo para conduzir presos às audiências – está sem dinheiro para comprar gasolina. O pódio é deles, o suor é nosso.

Dona Fifi. Os organizadores da Rio-16 deram cartão vermelho ao álbum de figurinhas ‘Pateta nas Olimpíadas’. A Disney cancelou o lançamento porque não é parceira comercial dos Jogos.

Bem, amiguinhos. A transmissão da Eurocopa rendeu bons frutos à plim-plim. Itália x Espanha cravou 10 pontos de audiência na grande Pauliceia entregue às traças. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, o jogo amealhou 16 pontos. Já a Band, com Inglaterra x Islândia, obteve 7,5 pontos na capital paulista.

Caiu na rede (by ‘Humor Esportivo’). Porto descobre piada de português no Twitter de Lucão e desiste de troca por Maicon.

Bem, diabinhos. O Guaratinguetá ocupa a 60ª posição no ranking de público entre os 60 clubes das três divisões do Brasileiro. Carrega a lanterna com a extraordinária média de… 47 testemunhas. Arrecadou R$ 7.290 na Série C.

Tiro curto. O presidente do Huracan, Alejandro Nadur, abriu o jogo: a Raposa pagará US$ 3,82 milhões (R$ 12,6 milhões) por 50% dos direitos econômicos do atacante Ramón Ábila. O pão de queijo dará US$ 2,7 milhões agora, e o restante, US$ 1,1 milhão, em dezembro.

Twitface. Dos quatro grandes de São Paulo, apenas o Corinthians ficar a ver navios na convocação olímpica. Parabéns à turma da base!

Lance livre. À medida que se aproxima o início dos Jogos, o aluguel de carros blindados dispara no mercado carioca. De acordo com Ancelmo Gois, do ‘Globo’, um grupo de turistas ingleses alugou um Santa Fé para o período olímpico por R$ 20 mil.

Gilete press. De Mauro Cezar Pereira, no ‘ESPN’: “Só a quantia que será paga (R$ 22 milhões) ao Porto para ter Maicon equivale a dois anos do custo total do atacante Paolo Guerrero para o Flamengo. Sem contar os 50% dos dois jovens cedidos aos portugueses [Lucão e Inácio] e os salários do zagueiro. ‘Loucura’ é uma palavra que resume bem a cartada que mais parece uma aposta desesperada do que algo planejado. Há quem ache um bom negócio. Olhando para a dívida do São Paulo, que cresceu 127% em quatro anos (de R$ 158,5 milhões para R$ 359,4 milhões), é preocupante. Se o roteiro dessa história for de final feliz, com o título da Libertadores, valerá a pena. O valente Maicon terá que jogar como nunca para fechar essa conta.” Na mosca.

Cobras & Lagartos. Número 1 do mundo e atrás do 22º Grand Slam em Wimbledon, a americana Serena Williams soltou o verbo: “Dizem que sou muito musculosa e masculina, e na semana seguinte, que sou muito atrevida e sexy. Por isso, não dá para levar muito a sério. As pessoas dão opinião até sobre seus pés, não há limites.” Ace!

Tititi d’Aline. O senador pitbull Romário (PSB) confirmou presença na tribuna de honra durante a festa de abertura da Olimpíada, em 5 de agosto, ‘new Maraca’. Candidato à prefeitura do Rio, ele pretende testar a popularidade. Provocará uma saia justa, já que o prefeito Eduardo Paes estará a tiracolo com seu indicado, Pedro Paulo.

Você sabia que… Robinho marcou 13 gols em 24 jogos pelo Galo, com a média de 0,54 por partida, a melhor por um time em 14 anos como profissional?

Bola de ouro. Peixe. Cedeu três jogadores para a seleçãozinha: o lateral-esquerdo Zeca, o volante Thiago Maia e o atacante Gabriel. A base santista funciona às mil maravilhas.

Bola de latão. Willians. Um dos reforços do Corinthians para a temporada, o volante parece mais queimado no clube que cabeça de fósforo.

Bola de lixo. Mídia caolha. Assumiu descaradamente o papel de porta-voz do time que torce. Lamentável!

Bola sete. “A qualidade do árbitro, hoje, não está mais no escudo da Fifa. Não oferece mais a garantia de bom trabalho no Brasileirão” (de Luiz Zini Pires, no ‘Zero Hora’ – assoprador de apito com carimbo).

Dúvida pertinente. O soberano São Paulo acertou ao empenhar até a cueca para contratar Maicon?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Maicon, o xerife de R$ 22 milhões: estouro da boiada ou bom negócio do soberano Tricolor?

Maicon: um final feliz de R$ 22 milhões para a torcida tricolor

Cada um sabe muito bem onde aperta o calo na sandália Havaiana. Mas não pode passar em céu de brigadeiro, recheado de nuvens negras, a memorável irresponsabilidade cometida pelo soberano São Paulo ao fechar a contratação do zagueiro Maicon, 27 anos.

Um bom jogador, sem dúvida. Responsável por arrumar a cozinha tricolor e comandar uma virada de jogo que parecia impossível, principalmente na Libertadores.

No entanto, depositar 6 milhões de euros (R$ 22 milhões) na poupança do Porto, além de ceder 50% dos direitos econômicos dos garotos Lucão (zagueiro) e Inácio (lateral), extrapola o bom senso em um ludopédio atolado na miséria financeira. Na ponta do lápis, a transação chegará facilmente a 8 milhões de euros (R$ 30 milhões).

O xerife é a segunda contratação mais cara da história do São Paulo. Só fica atrás de Ganso – o clube pagou R$ 24 milhões por 32% dos direitos. E o salário, ó!

Empréstimos à vista. De Erich Beting, do ‘Máquina do Esporte’: “Se, em janeiro, o São Paulo não tinha dinheiro para investir em atleta, como pode, cinco meses depois, o clube ‘encontrar’ R$ 22 milhões para trazer um zagueiro? É essa a pergunta que mais incomoda em todo o negócio envolvendo Maicon. O patrocínio da Prevent Senior não gera esse dinheiro ao São Paulo. Da mesma forma, o programa de sócio-torcedor deve bater hoje essa arrecadação em um ano. O Tricolor, portanto, terá de recorrer a empréstimos, expediente que o levou a ser um dos clubes com maior dívida de curto prazo do país, tornando insustentável a gestão do clube. A contratação de Maicon é um acerto pelo momento dentro de campo do São Paulo. Mas ela é um tremendo erro do ponto de vista de gestão do clube, algo que deveria ser a preocupação maior da diretoria nesse instante.”

Na crise, um gigante. Do blog do Menon, no ‘Uol’: “O São Paulo acertou [ao contratar Maicon]. Um grande clube, na hora de crise, precisa mostrar que é gigante. Um clube como o São Paulo precisa sanar suas finanças, mas precisa também ganhar títulos. Com títulos, fica mais fácil pagar dívida. O São Paulo ganha também o respeito de sua torcida. Os fanáticos dirão que tem um zagueiro de 6 milhões de euros. Mais que o Cyborg, que era o homem de 6 milhões de dólares. Torcida confiante vai ao estádio. A renda aumenta. O dinheiro aumenta. Assim, é possível montar time melhor. Com time melhor, é possível ser campeão etc. Clube grande precisa fazer loucura. O São Paulo fez.”

‘Chupa strogonoff’. Após receber a confirmação de que permaneceria no São Paulo (assinará por quatro anos), Maicon sapecou: “Se é para o bem de todos e felicidade da nação tricolor, diga ao povo que fico. Chupa strogonoff.” O prato final é uma homenagem ao The Strongest, da Bolívia, que perdeu a vaga na Libertadores para o Tricolor – no jogo de ida, no Pacaembu, os bolivianos cutucaram os são-paulinos após vencer por 1 a 0 – ‘Adeus, bambi’.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Corinthians manda Grêmio imitar chineses e coloca Palmeiras na rota do título

Cássio: contrato até dezembro de 2019 e multa de R$ 20 milhões

Mandachuva e raios do Corinthians, Roberto de Andrade abriu as portas do clube ao imortal Grêmio, interessado na contratação do gigante Cássio, 29 anos.

O cartola admitiu negociar o goleiro, titular há quatro temporadas. Mandou apenas um recadinho aos coirmãos de Porto Alegre: seguir o exemplo dos chineses, levantar o valor da multa no Circo Brasileiro de Futebol, depositar o cascalho na conta do Corinthians e festejar o reforço.

Caso contrário, tchau e benção. Empréstimo, nem pensar! Cássio permanecerá no clube, porque ‘não está à venda, não está à disposição, não está nada… É atleta do Corinthians’.

O poderoso chefão confirmou que representantes do Grêmio contataram o Corinthians para sondar a possibilidade de levar Cássio. ‘Oficialmente, ninguém falou comigo. Se me procurarem, direi que Cássio só deixará o Corinthians se bancarem a multa, porque aí não posso fazer nada. Será como os chineses, pagam e levam’, afirmou Andrade, em entrevista ao ‘Fox Sports’.

Cássio está vinculado ao Corinthians até 31 de dezembro de 2019. O goleiro ganha R$ 420 mil por mês. É o segundo salário mais alto do clube. Perde apenas para o meio-campista Elias, que embolsa R$ 500 mil para a xepa.

A multa gira em torno de R$ 20 milhões. Cássio coleciona cinco títulos com a camisa do Corinthians: Libertadores e Mundial da mamãe Fifa de 2012, Paulistinha e Recopa Sul-americana de 2013 e Brasileirão de 2015.

Andrade confirmou ainda que o Corinthians está atrás de ‘um nove que chegue para jogar’. Também colocou a bola de cristal para funcionar e cravou:

1) Nenhum carioca brigará pelo título brasileiro; 2) Grêmio é candidato, mas o Saci colorado não passa de coadjuvante; 3) Galo e Raposa estão crescendo; 4) Palmeiras pode dar samba, ‘porque ficou um time muito chato de se enfrentar’. A conferir.

                                                    ############

Pitaco do Chucky. Comentarista nunca perde um jogo nem empata. Ganha sempre.

Te manca, portuga! O soberano Tricolor está certíssimo em encerrar as negociações envolvendo o zagueiro Maicon após o Porto recusar 5 milhões de euros (R$ 19 milhões) pelos direitos federativos do atleta. Na verdade, até foi longe demais. O São Paulo encara grave crise financeira e não pode fazer loucuras. A proposta ao clube português não merece um centavo a mais. Maicon acertou a zaga, é verdade, mas está longe de ser um craque. O Porto deseja 10 milhões de euros (R$ 38 milhões).

Sugismundo Freud. A vida é uma eterna educação.

Bem, amiguinhos. O presidente da Argentina, Mauricio Macri, reforçou o coro para Messi continuar na seleção, esquecer a aposentadoria. Macri usou as redes sociais para rasgar elogios ao time vice-campeão da Copa América Centenário e pedir ‘ao melhor do mundo’ para permanecer muitos anos com a seleção. #NoTeVayasLio, publicou o presidente.

Zé Corneta. Inglaterra eliminada pela Islândia nas oitavas de final da Eurocopa. Nas arquibancadas, o rei dos pinguins Mick Jagger. Satisfaction!

Bem, diabinhos. O futuro continua cada vez mais complicado para o incrível Hulk. Negociado pelo Zenit por 55 milhões de euros (R$ 204 milhões), o atacante brasileiro receberá a bagatela de 12,5 milhões de euros (R$ 42,4 milhões) por temporada no Shangai. Hulk entra para a história como a contratação mais cara do ludopédio asiático. Ele será companheiro de Elkeson e do hermano Conca.

Zé Colmeia. O atacante Neymar continua mais serelepe do que nunca. No fim de semana, roubou a cena numa boate da Barra. Bancou muito champanhe com velas que piscam, no melhor estilo rei do camarote.

‘Migué’ no taco. De volta aos Jogos depois de 112 anos, o golfe perdeu mais uma atração: o australiano Jason Day, 28 anos, líder do ranking mundial, não disputará a Rio-16 por temer o vírus zika. Outras feras do taco também desistiram com medo de contrair a doença: o irlandês Rory McIlroy, o sul-africano Branden Grace, o fijiano Vijay Singh e o australiano Marc Leishman. A mídia especializada garante que usam a zika apenas como desculpa, porque a competição não distribui premiações milionárias, como nos principais torneios do mundo – superam os US$ 3 milhões.

Dona Fifi. Se realmente deixar a seleção, Messi sairá no prejuízo contra a amarelinha desbotada: quatro derrotas, um empate e dois triunfos. Marcou quatro gols.

Cobras & Lagartos. Do provocador Antonio Conte, ‘professor’ da Azzurra, após a classificação para as quartas de final da Eurocopa: “Como eu sempre digo, mata-mata é um jogo que não tem amanhã. Não tem amanhã para a Espanha. Tem para nós.” A Itália não vencia a Espanha em jogo oficial desde a Copa de 1994 (2 a 1).

Caiu na rede (by ‘Humor Esportivo’). Flamengo no G4 é como casamento de famosos: acontece, mas dura pouco.

Tiro curto. Em 110 jogos do Brasileirão, os assopradores de apito mostraram 494 cartões amarelos (o Coxa lidera o ranking com 33) e 31 vermelhos (a Raposa comanda com cinco). Foram marcados 277 gols – 166 dos mandantes e 111 dos visitantes.

Lance livre. O ‘clássico da paz’ contra o soberano São Paulo rendeu R$ 391.654 aos combalidos cofres do Peixe. As despesas atingiram R$ 471.065, com destaques para o aluguel do Pacaembu (R$ 71 mil), a taxa da FPF (R$ 43 mil) e despesas diversas (R$ 148 mil).

Gilete press. De Lauro Neto, no ‘Globo’: “O McDonald’s, um dos patrocinadores oficiais das Olimpíadas, vende um sanduíche de frango na Ásia como típico ‘churrasco brasileiro’ para promover a Rio-16. O ‘McSpicy’, bastante picante, tem ingredientes-base da culinária asiática, como frango e pimenta, além de tomate, pepino, cebola, alface e maionese. Apesar disso, a embalagem diz que a ‘mistura especial de sabor do rico churrasco brasileiro dará a sensação do típico gosto picante do Brasil, um prazer inesquecível.’ A promoção do McSpicy, com fritas e refresco, custa R$ 11,50.” Gato por lebre.

Twitface. O goleiro brasileiro Helton, 38, deixará o Porto depois de 11 anos, sete títulos nacionais, uma Liga Europa, quatro Taças de Portugal e seis Supertaças.

Tititi d’Aline. O filme sobre José Aldo, fera do MMA, atraiu 130 mil espectadores no fim de semana de estreia. ‘Mais forte que o mundo – A história de José Aldo’ rendeu R$ 2,1 milhões. No ranking dos 10 melhores, o longa ficou em sexto lugar. Uma decepção!

Você sabia que… os mandantes venceram 57 partidas (51,8%), perderam 25 (22,7%) e empataram 28 (25,5%) até agora no Brasileirão?

Bola de ouro. Islândia. De virada, despachou a badalada Inglaterra e carimbou uma vaga nas quartas de final da Eurocopa. Estreante, a seleção vive um conto de fadas. Agora, o Leicester do torneio vai pegar a França.

Bola de latão. Romero. O paraguaio é um tremendo cara de pau. Reclamou do ‘professor’ Tite por ter esquentado o bumbum no banco de reservas. Nem lá deveria ficar.

Bola de lixo. Saci colorado. Vira e mexe o time gaúcho insinua que o Brasileirão está armado para o Palmeiras. Por isso, está sendo perseguido pelos assopradores de apito. Conversa mole.

Bola sete. “A Inglaterra foi derrotada por um país com mais vulcões que jogadores profissionais de futebol. Humilhante” (de Gary Lineker, terceiro maior artilheiro da seleção inglesa, sobre o histórico vexame contra a Islândia).

Dúvida pertinente. Sem atacantes, o Corinthians deve dar uma nova chance a Pato?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Messi, um gênio desprezado por uma nação: #NotevayasLeo, o espetáculo não pode parar

Messi, fim da linha: 55 gols, maior artilheiro da história da seleção argentina

Fecham-se as cortinas e termina o espetáculo… Certamente o saudoso Fiori Gigliotti ainda acrescentaria outras sábias palavras para anunciar o adeus de Lionel Messi, 29 anos, da seleção argentina.

O craque decidiu jogar a toalha após colecionar mais um vice-campeonato: ‘Terminou para mim. Lutei muito, tentei, são quatro finais e não consegui ganhar. Fiz o possível. Desejava mais que ninguém um título com a seleção e infelizmente não aconteceu.’

Mais que a frustração por não ter soltado o grito de campeão, a ‘Pulga’ resolveu colocar ponto final nas estúpidas críticas que o perseguiram ao longo de um merecido reinado com a 10, herdada de Dieguito Maradona, ‘El Pibe de Oro’.

Por ter solidificado a carreira no Barcelona, Messi sempre foi olhado com desdém por muitos hermanos. Rejeitado por cretinos e invejosos. Pacóvios intolerantes.

Incapazes de ouvir uma ópera no teatro municipal de Buenos Aires sem comer pipoca e/ou amendoim.

Bocós que enaltecem ‘Higuaruim’ e ignoram um dos maiores talentos de todos os tempos do esporte bretão. Um craque com lugar cativo entre os cinco maiores da história. Maior artilheiro da seleção, com 55 gols, um a mais que Batistuta.

Um gênio que, de saco cheio com tanta ingratidão em seu país, anunciou o último tango na final da Copa América Centenário, contra o Chile, em Nova Jersey.

Acordes que despertaram os argentinos para uma realidade que teimaram em desprezar por muitos anos e hoje, órfãos, clamam #NotevayasLeo #QuedateMessi. O espetáculo não pode parar.

                                                              ############

Pitaco do Chucky. Hit chileno: don’t cry for me, Argentina!

Lava Jato. O ex-deputado e hoje secretário do ínclito Circo Brasileiro de Futebol, Walter Feldman, deve ter reforçado o estoque de Rivotril para poder curtir o sono dos inocentes. Terceira colocada na corrida presidencial de 2014, Marina Silva teria recebido dindim das sempre prestativas empreiteiras, segundo delação premiada. Feldman seria o responsável por passar o chapéu para arrecadar fundos para a campanha. A ex-senadora se defendeu em nota oficial: “Nunca usei um real em minhas campanhas que não tivesse sido regularmente declarado.”

Zé Corneta. Festa chilena, drama argentino: geração amaldiçoada.

Zapping. A bola do Brasileirão voltou a patinar no ibope da plim-plim. Peixe x São Paulo cravou 20,2 pontos de audiência na grande Pauliceia refém de milícias. Mesmo assim, superou o ‘Fantástico’ (18,2) e o ‘Domingão do Faustão’ (17,2). Na quarta-feira, Galo x Corinthians obteve 24 pontos. Já uma semana atrás, Flamengo x São Paulo rendeu 20 pontos. Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. Desaprender é o melhor caminho para se aprender.

Bem, amiguinhos. O Galo está a uma bicada de fechar o ciclo estabelecido quando curtia a zona do agrião queimado. Bombardeados por críticas, os jogadores fizeram um pacto: conquistar 12 pontos nos quatro jogos que disputariam em BH a fim de se aproximar do G4 e acalmar a torcida. Nove já estão na conta: 3 a 0 na Ponte, 2 a 1 no Corinthians e 1 a 0 no Coelho. Que venha o Botafogo! As esporas estão afiadas.

Dona Fifi. Héber Roberto Lopes, magnânimo representante dos assopradores de apito da pátria das chuteiras furadas na final da Copa América: um pavão desfilando incompetência pelo gramado. Ridículo!

Bem, diabinhos. A Fiel está de cabelo em pé: se no Itaquerão, minha casa minha vida o time consegue domar os adversários, fora a situação é bem diferente. Em cinco jogos, o Corinthians devorou apenas uma vez a cereja do bolo como visitante – venceu o Sport, no Recife. Perdeu para Vitória, Palmeiras, Fluminense e Galo. No meio desta semana, a equipe vai encarar o Coelho, lanterna do Brasileirão, no Independência.

Caiu na rede. Messi da Gama: 2014/15/16. Pode pedir tango no ‘Fantástico’.

Cobras & Lagartos. A Associação de Futebol Argentino está mergulhada em um mar de rosas. Envolvida em malversação de verbas, a nobre entidade simplesmente não paga o ‘professor’ Tata Martino há oito meses. A maioria dos jogadores não se bica com a cartolagem.

Zé Colmeia. Queimou o açúcar de Caramelo no soberano Tricolor após o chocolate do Peixe.

Tiro curto. A decisão entre Chile e Argentina atraiu 82.026 torcedores, recorde de público em Nova Jersey. A Copa América Centenário cravou a média de 46.199 espectadores por jogo.

Lance livre. O mandachuva e raios do Peixe, Modesto Roma Jr., recebeu com bom humor o interesse do Zenit, da Rússia, pelo maestro Lucas Lima: ‘Ele pediu conselhos ao Hulk? Então, eu vou falar com o Super-Homem…’

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Em minha lista dos cinco melhores do mundo de todos os tempos, que não precisa ser seguida por ninguém, Pelé é o primeiro, Messi, o segundo, Maradona, o terceiro, Garrincha, o quarto, e o quinto, um jogador europeu, que pode ser Cristiano Ronaldo, Euzébio, Cruyff, Zidane ou Beckenbauer.” Há controvérsias?

Tititi d’Aline. A ESPN festeja: sétimo e decisivo jogo entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers garantiu a maior audiência dos últimos anos. Superou a transmissão da final da Copa da Alemanha e do SuperBowl deste ano. A audiência cresceu 72% em relação às finais da temporada 2014/15 da NBA.

Você sabia que… Messi perdeu cinco pênaltis na temporada 2015/16?

Bola de ouro. Chile. Chi chi chi, le le le… viva Chile. Bicampeão da Copa América. Um, dois, três… Argentina é freguês.

Bola de latão. Lugano. O uruguaio parece que resolveu incorporar para valer o papel de xerife sem estrela e brilho no soberano Tricolor. Precisa jogar mais e deixar a truculência de lado.

Bola de lixo. Argentina. Mais uma vez morreu na praia. Há 23 anos não conquista um título. Nesse período, colecionou sete vices. Caiu duas vezes na Copa das Confederações (1995/05), quatro na Copa América (2004/07/15/16) e uma no Mundial (2014).

Bola sete. “O problema da Argentina nunca foi Messi. Craques são a solução. O gênio jamais teve a cercá-lo um bom time. Obviamente Messi tem sua parcela de responsabilidade por não conseguir um título com a seleção. Mas atribuir ao craque a pecha de omisso é injusto. Parte de quem detesta os craques e contra eles incondicionalmente torce contra” (de Mauro Cezar Pereira, no ‘ESPN’ – no alvo).

Dúvida pertinente. Dieguito Maradona ou Lionel Messi?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Lucas Lima coloca o soberano Tricolor na roda e garante Peixe no G4

O santista Lucas Lima deu show de bola na vitória do Peixe no Pacaembu

O Peixe não tomou conhecimento do soberano São Paulo. Com excelente atuação de Lucas Lima, que está na mira do Zenit, da Rússia, a equipe santista atropelou o coirmão na casa alugada do Pacaembu (24.830 torcedores). Ganhou por 3 a 0 e pulou para a terceira posição na tabela do Brasileirão, com 19 pontos, três atrás do líder Palmeiras. Já o Tricolor ocupa a 10ª posição, com 15.

Vitor Bueno, Rodrigão e Lucas Lima correram para o abraço e garantiram a invencibilidade do Santos no Pacaembu: 13 vitórias consecutivas. A última derrota foi em 2014, diante do Ituano, na final do Paulistinha. O São Paulo, por sua vez, jogou 10 confrontos no estádio, faturou seis e perdeu quatro.

O Peixe largou na frente, com um gol de Vitor Bueno aos 45 segundos de jogo, após falha grotesca do goleiro Denis, e se impôs ao longo do primeiro tempo. O Tricolor foi envolvido por toques rápidos do Santos, sempre coordenados pelo maestro Lucas Lima, e quase não ameaçou a meta de Vanderlei.

Aos 38, a superioridade santista foi premiada: após bela triangulação entre Lucas Lima, Gabriel e Victor Ferraz, o lateral entregou de bandeja a Rodrigão, que só completou para as redes. Segundo gol do centroavante em duas partidas.

O São Paulo esboçou uma reação no segundo tempo, mas parou nas luvas do competente Vanderlei. Primeiro, o goleiro frustrou a comemoração de Calleri. Depois, evitou a festa de João Schmidt em uma cabeçada.

O Peixe manteve-se fiel ao toque de bola, colocou o Tricolor na roda e marcou o terceiro, aos 44, em cobrança de falta de Lucas Lima com raro brilho.

Três pontos confirmados, o time santista tratou de segurar a bola à espera do apito final, enquanto a torcida festejava nas arquibancadas aos gritos de ‘olé’ e Lugano saía expulso.

Balanço das horas sem ponteiros: o Peixe jogou, e o São Paulo só assistiu. Um passeio santista no velho e aconchegante Pacaembu.

                                                           ############

Pitaco do Chucky. Brasileirão: se o problema é lotação, chama o Safadão.

Bem, amiguinhos. San Gennaro não brinca em serviço. Os periquitos em revista rezaram e não deu outra: o Saci colorado levou bala do Botafogo (3 a 2), no Beira-Rio, e continua só no retrovisor do time palmeirense. Que segue belo e formoso na ponta do Brasileirão, com 22 pontos, dois à frente dos gaúchos.

Zé Corneta. Cuquinha trabalha com o irmão Cuca no Palmeiras. Lucas Silvestre colabora com o pai, Dorival Júnior, no Peixe. E Matheus Bachi é o braço direito do papai Tite na amarelinha desbotada. Isso tem nome, certo?

Bem, diabinhos. O imortal Grêmio cansou de sofrer com o apito amigo de Sandro Meira Ricci. Inimigo público número 1 de cartolas, comissão técnica e jogadores do clube gaúcho, o assoprador de apito ganhará um dossiê com as barbaridades que cometeu nos jogos do imortal e um sonoro veto a futuras partidas.

Sugismundo Freud. Os acionistas são cordeiros ou leões.

Bra$il olímpico. A Rio-16 aumenta a coletânea de sucessos. A última medalha: o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (Ladetec), na Universidade Federal do Rio, foi descredenciado pela Agência Mundial Antidoping (Wada). Motivo: não atingiu o padrão de qualidade necessário. Os exames deverão ser enviados ao Canadá ou Suíça. Mais de cinco mil testes antidoping serão feitos durante os Jogos. O governo aplicou R$ 190 milhões na reforma do Ladetec. O pódio é deles, o suor é nosso.

Dona Fifi. Em represália à punição aplicada pela federação internacional ao atletismo russo (suspenso por doping), o presidente Vladimir Putin não aterrissará na Cidade Maravilhosa das balas voadoras para assistir aos Jogos.

Tiro curto. A cartolagem do Fluminense resolveu se mexer: estuda um jeito de melhorar os números nas redes sociais. O clube acumula 1,1 milhão de torcedores no Facebook. Só bate o Botafogo.

Lance livre. A Líder Aviação acredita que 1.600 pousos e decolagens, com 17 mil passageiros só de aviação executiva, deverão agitar o Galeão-Tom Jobim durante a realização da Rio-16.

Caiu na rede. Tem jogador do soberano São Paulo mais perdido que açúcar dentro d’água.

Cobras & Lagartos. O sempre polêmico Eric Cantona desceu o porrete nos gramados da Eurocopa. Para o ex-jogador francês, é ‘vergonhoso’ uma nação que tem os jardins do Palácio de Versalhes apresentar ‘campos de batata, com pisos pintados de verde’.

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “Tite deixou o Corinthians para ganhar da CBF um salário de R$ 600 mil mensais para treinar a seleção. Nessa remuneração, não estão computadas bonificações extraordinárias. Se ganhar a Copa de 2018, por exemplo, bota no bolso R$ 5 milhões. Já pela classificação do Brasil nas Eliminatórias, não ganhará um tostão a mais — é, pelo visto, uma espécie de obrigação de Tite.” Que dureza!

Zé Colmeia. A plim-plim bateu o martelo: todos os telejornais da casa serão ancorados do Parque Olímpico. O pontapé inicial será em 31 de julho. Até o ‘Fantástico’ entrará na dança.

Tititi d’Aline. A maioria dos cariocas (89,5%) está preocupada com a segurança (‘deixa a desejar’) durante a Rio-16, de acordo com pesquisa da LeadPix. O levantamento indicou que a mobilidade urbana aparece em segundo lugar (77,4%). A enquete ouviu 3.870 pessoas.

Você sabia que… o peruano Guerrero marcou 10 gols em 22 jogos com a camisa do Flamengo nesta temporada?

Bola de ouro. Lucas Lima. O meia do Peixe está jogando muito. Deu mais um recital na vitória sobre o soberano São Paulo, no Pacaembu

Bola de latão. Palmeiras. Um visitante extremamente participativo: em cinco jogos, três derrotas, um empate e apenas uma vitória. Aproveitamento pífio: quatro pontos em 15 possíveis.

Bola de lixo. Cássio. A cada jogo o gigante corintiano aumenta a coleção de falhas. Vive momento difícil sob a trave. Errou feio nas últimas partidas. Ainda tem crédito com a Fiel.

Bola sete. “Peço desculpas à torcida, aos companheiros. Não estou bem extracampo, mas ninguém quer saber. A morte da minha avó… Quem me conhece sabe como eu sou com a minha família. Eu errei, mas às vezes a gente não está com a cabeça boa. Venho me recuperando, tive uma perda muito grande, uma das pessoas que eu mais amava, que me criou, fez tudo por mim” (do goleiro Cássio, após o jogo contra o Santa Cruz).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Bauza está certo em poupar jogadores no soberano Tricolor para a disputa da Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Palmeiras perde de virada da Raposa e agora reza para San Gennaro

Willian marcou os dois gols da Raposa na vitória sobre o Palmeiras

A liderança do Palmeiras está por um fio. O time perdeu da Raposa por 2 a 1, de virada, e agora reza por um tropeço do Saci colorado diante Botafogo, penúltimo colocado, no Beira-Rio. Só assim continuará na liderança do Brasileirão.

Os periquitos em revista comandam a tabela com 22 pontos, dois à frente dos gaúchos. Depois de frequentar o subsolo do campeonato, a Raposa respira mais aliviada. Ocupa a nona colocação, com 14 pontos, após 11 jornadas.

Gabriel Jesus e Willian (dois) marcaram os gols no Mineirão (18.082 pagantes). Pela primeira vez o Cruzeiro venceu em casa. Já o Palmeiras viu naufragar uma invencibilidade de seis partidas.

Os melhores momentos do primeiro tempo pertenceram à Raposa. Apesar de ter tomado um gol aos 10 minutos (Gabriel Jesus, após receber passe de Dudu), o time mineiro não se perturbou.

Procurou marcar forte o Palmeiras e chegar rápido ao ataque, principalmente pelas laterais. Deu certo: aos 14, Arrascaeta tocou de cabeça e Willian encaçapou Fernando Prass.

O pão de queijo manteve a pressão e poderia ter marcado o segundo gol, mas Henrique perdeu um gol incrível. Sem goleiro e sem marcação, chutou para fora.

Com Arrascaeta inspirado, o Cruzeiro envolveu a zaga palmeirense várias vezes. Sem Jean e com Cleiton Xavier apagado no meio de campo, o Palmeiras só conseguiu equilibrar a partida no final da etapa inicial.

Alguns números mostram a superioridade mineira: posse de bola – 56% a 44%; finalizações – 7 a 4; chances de gol – 4 a 2; e cruzamentos – 12 a 2.

O Palmeiras voltou do vestiário com Thiago Santos no lugar de Egídio. Ainda se ajeitava em campo quando tomou o segundo gol, aos 2 minutos: Alisson escapou de Fabiano, cruzou e Willian conferiu de cabeça.

O Cruzeiro não se deu por satisfeito e só não aumentou o placar na sequência porque parou duas vezes em Fernando Prass. Antes, mestre Cuca havia trocado o apático Cleiton Xavier por Luan. Depois, sacou Roger Guedes e colocou Cristaldo. Não resolveu muita coisa.

A Raposa seguiu perdendo ótimas chances por excesso de preciosismo na frente de Fernando Prass, um dos poucos que se salvaram no Palmeiras, ao lado de Gabriel Jesus. Uma atuação para os palmeirenses esquecerem. A noite era mesmo Celeste.

Nos embalos de sábado à noite no Itaquerão, minha casa minha vida, com 25.501 convidados, o Corinthians colocou o Santa Cruz para dançar: 2 a 1. Luciano e Romero marcaram os gols corintianos. Grafite descontou, com uma bela ajuda de Cássio. Terceiro erro nos últimos três jogos.

Luciano não balançava as redes desde agosto do ano passado, contra o Avaí. Sofreu uma lesão, ficou muito tempo afastado. Curtia 18 jogos de jejum nesta temporada. Após marcar, Luciano chorou.

O garoto Pedro Henrique, que falhou na derrota para o Galo, teve boa atuação. Fagner e Uendel também se destacaram.

Com o primeiro triunfo sob o comando do ‘professor’ Cristóvão Borges, o time corintiano assumiu a terceira colocação na tabela, com 19 pontos. O Santinha está em 16º, com 11.

                                                       ############

Zé Corneta. É simplesmente fantástico: paulistas promovem clássico da paz para… torcida única. E a gente ainda tira sarro dos patrícios.

Tchau, gringo 1. As chances de o argentino naturalizado paraguaio Lucas Barrios permanecer no ninho dos periquitos em revista são as mesmas de o Íbis conquistar invicto o Brasileirão até a virada do século. Mestre Cuca não é fã do futebol do gringo. Sempre que pode, ele coloca Barrios no fim da fila. Não faz a mínima questão de escalá-lo no ataque. Ao perder Alecsandro por doping, Cuca cobrou a contratação de um centroavante – Leandro Pereira deve chegar do Brugge, da Bélgica, por empréstimo.

Pitaco do Chucky. Em uma tacada só a Raposa acerta com dois atacantes, Ábila e Rafael Sóbis. Já o Corinthians fica só no blá-blá-blá, enrolando a Fiel.

Tchau, gringo 2. Barrios, 31 anos, disputou apenas um jogo do Brasileirão (estreia contra o Furacão), se machucou, mas voltou aos treinos e segue desprezado por Cuca. Não é sequer relacionado. Barrios tem contrato até julho de 2018. É o salário mais alto do elenco, algo em torno de R$ 1 milhão, bancado pela Crefisa, patrocinadora do clube. Que pretende negociá-lo até o final da janela de transferência, em 31 de agosto. Hoje, Cuca tem à disposição: Dudu, Erik, Gabriel Jesus, Róger Guedes, Rafael Marques, Luan, Cristaldo e Barrios.

Sugismundo Freud. O poder é o afrodisíaco mais forte do mundo

Bem, amiguinhos. O Bom Senso FC mandou um recado ao ministro do Esporte, Leonardo Picciani: quer comandar a Autoridade Pública do Futebol, que fiscalizará os clubes. A cartolagem pisa em ovos só de pensar na possibilidade de perder a mamata.

Dona Fifi. Há sempre o outro lado da moeda: cariocas curtirão três feriados durante a Olimpíada (5, 18 e 22 de agosto) para facilitar a mobilidade pela cidade.

Bem, diabinhos. Uma das regiões-chaves da Rio-16, Deodoro pode ter o Exército no esquema de segurança porque o governo federal não deverá dispor de homens da Força Nacional. Eles serão responsáveis pela ordem na Barra, Copacabana e Maracanã.

Tiro curto. O Barcelona colocou as cartas na mesa: ofereceu R$ 60 milhões anuais, livres, para Neymar renovar por quatro temporadas. Mas o Paris Saint-Germain está disposto a pagar R$ 95 milhões.

Lance livre. A Estação Primeira de Mangueira vai desfilar na festa de abertura e no encerramento dos Jogos, em agosto, no ‘new Maraca’. Esquindolelê.

Cobras & Lagartos. O cerco ao imperador ostentação Del Nero, dono do Circo Brasileiro de Futebol, está se fechando. Cinco deputados querem ver o carismático cartola na próxima reunião da CPI da Máfia do Futebol, na Câmara.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Olimpíada: Apodi é a esperança do Brasil nos 100 metros rasos.

Gilete press. Do atacante Ramon Ábila, novo reforço da Raposa, ao jornal ‘Olé’: “Pareço gordo pela televisão, mas muita gente depois que me vê diz que não é bem assim. Mas eu não me importo. Não me sinto gordo, nem pesado. Sou capaz de jogar os 90 minutos e fazer gols.” A conferir.

Zé Colmeia. O soberano Tricolor já vendeu 41 mil ingressos para o embate contra o Atlético Nacional, pelas semifinais da Libertadores, em 6 de julho. Só há entradas para camarotes, cativas e sócios patrimoniais.

Tititi d’Aline. A ‘ilha da fantasia do mestre Tattoo’ é um exemplo de austeridade às grandes potências mundiais. Enquanto a Cidade Maravilhosa das balas voadoras acelera as últimas obras dos Jogos de R$ 40 bilhões, repousa num terreno em Pinhais o velódromo construído para o Pan (demônio) de 2007. A ferrugem domina o material, que se encontra largado. Ele devorou R$ 21 milhões. Era uma das pérolas da competição disputada no Rio. Pequena lembrança: o velódromo olímpico já engoliu R$ 150 milhões.

Você sabia que… o Madureira bateu o Novo Hamburgo por 1 a 0, pela Série D do Brasileiro, e encerrou um jejum de quatro meses sem vitória?

‘Bola de ouro’. Série D. A quarta e última divisão do Brasileiro bomba nos estádios. A média de público, após 68 partidas, atinge 949 testemunhas, segundo o ‘sr.goool’. Nada menos que 63.598 torcedores pintaram nos estádios.

Bola de latão. São Paulo. Tremenda patacoada a história da contratação de Getterson, do J.Malucelli. Depois de tudo resolvido, o soberano desfez o negócio porque o atleta se declarou corintiano nas redes sociais, em 2012, e se referiu aos são-paulinos como bambis.

Bola de lixo. Sandro Meira Ricci. Sua senhoria anda abusando dos erros. Desde a Copa de 2014, o assoprador de apito esbanja prepotência em campo. Se acha o máximo sem nunca ter sido acima da média. Pior: pode ser o juiz brasileiro no Mundial de 2018.

Dúvida pertinente. O Palmeiras briga para conquistar o quinto ou o nono título brasileiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Galo bica o Corinthians na estreia do ‘professor’ Cristóvão; Peixe devora Fluminense

Após jogada irregular, Fred abriu o caminho da vitória do Galo

As boas-vindas do ‘professor’ Cristóvão Borges à Fiel não foram nada agradáveis. Desfalcado, o Corinthians perdeu para o Galo por 2 a 1, no Mineirão (34.426 torcedores), e caiu fora do G4.

O futebol apresentado pelo time paulista na estreia do substituto de Tite decepcionou. Mas Cristóvão é o menos culpado, já que teve pouco tempo para mostrar serviço.

Ficou evidente, porém, que terá muito trabalho para acertar o time, principalmente o ataque. É impossível, por exemplo, continuar apostando no paraguaio Romero.

O Corinthians sofreu a terceira derrota nos últimos quatro jogos. Soma 16 pontos na sexta colocação após 10 rodadas do Brasileirão. O Galo saltou para 12º, com 13.

O Galo procurou aplicar uma blitz no Corinthians nos primeiros minutos de jogo e chegou a ter 75% de posse de bola. Dominou o adversário, mas sem competência para criar jogadas de perigo.

Aos 24, poderia ter aberto o placar. No entanto, o apito amigo de Wilton Pereira Sampaio ignorou um pênalti cometido por Marquinhos Gabriel (puxou a camisa de Erazo).

Acuado e sem criatividade no meio de campo, o time corintiano rifou várias vezes a bola. Aos poucos, o Galo foi diminuindo o ritmo e permitiu ao Corinthians equilibrar a partida e criar a melhor chance da fase inicial, desperdiçada por Romero, aos 34.

Na sequência, Rodriguinho chutou e a bola tocou no braço de Leonardo Silva. Os corintianos pediram pênalti. Apesar de ter ficado menos com a bola (57% a 43% para o Galo), o Corinthians levou mais perigo.

No início do segundo tempo, Robinho reclamou de cansaço e foi substituído por Dátolo. O Corinthians esboçou uma melhora, mas acabou surpreendido aos 21 minutos: Marcos Rocha recebeu em impedimento na direita, cruzou e Fred ‘Slater’ completou para o gol.

O treinador Cristóvão Borges trocou o indolente Guilherme por Lucca. Também poderia ter sacado o inútil Romero. Mais perdido em campo que político honesto em Brasília, o Corinthians desabou aos 37. O jovem zagueiro Pedro Henrique recuou mal para o goleiro Cássio, Cazares chegou antes e tocou para a rede.

Sete minutos depois, Lucca diminuiu e o Corinthians partiu para o sufoco. Inutilmente. Na saída de campo, Pedro Henrique chorou muito e foi consolado pelos companheiros, Robinho e Fred ‘Slater’.

Em Cariacica (Espírito Santo), o Peixe engoliu o Fluminense (4 a 2) e se aproximou do G4. Ocupa a quinta posição, com 16 pontos, um atrás do Flamengo. O time carioca tomou a segunda cacetada consecutiva e parou nos 13 pontos (13º).

O centroavante Rodrigão estreou no Santos e deixou sua marca. Gabigol (dois) e Luiz Felipe marcaram os outros gols. Marcos Júnior descontou. O goleiro Vanderlei e Gabigol foram os grandes destaques do time santista, que obteve a segunda vitória fora de casa.

                                                ##############

Pitaco do Chucky. Messi, o Carlos Gardel da bola.

O gato miou. Aos poucos, o Botafogo vai tomando conhecimento da ótima gestão de Maurício Assumpção no comando do clube (2009/14). Os primeiros resultados da auditoria ‘Ernst & Young’ mostraram que o gato miou legal na contratação do meio-campista Renato, hoje no Peixe. O Botafogo comprou 100% dos direitos do jogador em maio de 2011. E, um mês depois, adquiriu mais 80%. Ou seja, contratou duas vezes o atleta.

Sugismundo Freud. A burrice é contagiosa, o talento não.

O gato miou 2. Renato aterrissou no clube como principal reforço para a temporada. Defendia o Sevilla e também estava na mira de Santos e Corinthians. Assinou por três anos, com salário de R$ 380 mil. O atual mandachuva e raios do clube, Carlos Eduardo Pereira, espera concluir o processo de expulsão de Assumpção até agosto, de acordo com o ‘Globo.com’. As contas de 2014 do ex-presidente foram reprovadas. Usou e abusou da matemática 2+2 = 5.

Zé Corneta. Enquanto Messi encanta o mundo, Neymar se diverte com selfies.

Bem, amiguinhos. O polêmico Ibrahimovic, 34 anos, confirmou a aposentadoria na seleção sueca. Ele estreou em 2001, quando tinha 19 anos e defendia o Malmo. Ibra marcou 62 gols em 116 partidas pela seleção. Participou de duas Copas do Mundo (2002/06), mas não conseguiu anotar nenhum gol em cinco partidas. Pela quarta vez, o atacante disputou a Eurocopa. Marcou seis tentos em 12 embates. Desta vez, passou em branco e foi eliminado.

Dona Fifi. O meia Ronaldinho ‘Globetrotters’ Gaúcho receberá um cachê de US$ 100 mil (R$ 340 mil) para disputar um amistoso pelo Cienciano, do Peru. Ganhará mais R$ 4 mil por minuto em campo.

Bem, diabinhos. O ataque mais valioso da Eurocopa pertence à Inglaterra. Com Sturridge, Vardy, Sterling, Kane e Rooney, ele foi cotado em R$ 695 milhões pelo site especializado ‘Transfermarkt’. Mas seu poder de fogo até agora decepcionou. Marcou apenas três vezes, a metade dos gols assinalados pelo País de Gales, primeiro do grupo B. O ataque de Gales, com a estrela Bale, foi avaliado em R$ 450 milhões.

Cobras & Lagartos. ‘A saúde e a família estão acima de qualquer coisa’ – em poucas palavras o golfista irlandês Rory Mcllroy, um dos favoritos ao ouro olímpico, anunciou que ficará fora dos Jogos. Teme o zika vírus. Outras feras do taco, como o fijiano Vijay Singh e o australiano Marc Leishman, também desistiram.

Calote. A festa do caqui pode prosseguir depois da porta arrombada com o empréstimo de R$ 3 bilhões ao governo do Rio para ‘salvar a Olimpíada’. Sete estados querem empurrar com a barriga o pagamento de empréstimos que tomaram para a realização de obras da ‘Copa das Copas’. A negociação com o BNDES envolve a mixaria de R$ 2,4 bilhões. Rio, Paraná, Pernambuco, Ceará, Bahia, Mato Grosso e Amazonas desejam o adiamento.

Caiu na rede (by ‘Sensacionalista’). Narradores de lutas já estão treinando para não usar a palavra ‘golpe’ na Olimpíada.

Tiro curto. Um dos integrantes do MSE (movimento sem estádio), o Fluminense vendeu o mando de seis jogos do Brasileirão para a empresa do ex-jogador Roni. A maratona começou contra o Corinthians, em Brasília, e terminará contra o soberano Tricolor em 16 de outubro (local ainda indefinido). O Flu reforçará a xepa em R$ 4,5 milhões.

Lance livre. Quem fica parado é poste: as universidades de Kentucky e Duke já tentam laçar o filho do superastro da NBA LeBron James, do Cleveland Cavaliers. De acordo com a ‘ESPN’ americana, LeBron James Jr., 11 anos, teria recebido proposta de bolsa de estudos dos dois times da NCAA, a liga de basquete universitário.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo’: “Os catálogos da cerimônia de abertura da Olimpíada acabam de ser enviados à gráfica — e é Michel Temer quem vai aparecer como presidente do Brasil. A questão nome-do-presidente vinha afligindo a organização dos Jogos. O cineasta Fernando Meirelles, um dos diretores da cerimônia, chegou a desabafar sobre isso em seu Twitter.” Fim da novela?

Zé Colmeia. O italiano Alex Schwazer, campeão olímpico de marcha atlética, foi flagrado no antidoping e deve ficar fora da Rio-16. Ele testou positivo para testosterona num exame em janeiro. É reincidente.

Tititi d’Aline. Os rumores crescem a cada dia: Felipe Massa deve ficar a pé no fim da temporada. Ele pode perder o cockpit na Williams para Jenson Button, que começou na escuderia, em 2000. Stock Car à vista?

Você sabia que… a Argentina disputará a terceira final seguida na luta para acabar com um jejum de 23 anos sem soltar o grito de campeão?

Bola de ouro. Argentina. Os hermanos atravessam momento excepcional. Messi & Cia. estão sobrando na Copa América Centenário. O último tango acontecerá neste fim de semana, em Nova Jersey.

Bola de latão. Cristiano Ronaldo. O gajo teve mais um chilique na Eurocopa. O atacante ficou irritado com a abordagem de um repórter português durante uma caminhada por Lyon, na França, e atirou o microfone do jornalista num lago.

Bola de lixo. Ucrânia. Participação superespecial na Eurocopa: único time que não conseguiu um mísero pontinho na fase de classificação. Também não marcou.

Bola sete. “Sempre sonho com a seleção. Até os 44 me dou o direito de sonhar. Nunca fui chamado, mas vou esperar até o último dia da minha carreira” (do paredão palmeirense Fernando Prass – está jogando muito).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Cristóvão Borges vai dar conta do recado no Corinthians?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br