Clássico da Vila: propaganda enganosa. Procon nele!

Que o chororô domine santistas e/ou palmeirenses depois do primeiro embate pela decisão da Copa do Brasil, tudo bem. Virou mesmo moda em um futebol que sempre procura uma muleta para tentar justificar a incompetência.

Pior: sob o beneplácito da mídia caolha. Que entra na dança, trocando a razão pelo coração, vestindo uma camisa listrada e saindo por aí. Sem noção.

Simplesmente joga para escanteio o mais importante, o espetáculo. Pouco ou quase nada aborda sobre o que realmente interessa – uma análise mais real e não um simples blá-blá-blá para agradar a arquibancada.

O que se viu no aquário da Vila Belmiro foi um festival de horrores. Teve de tudo, menos futebol: apenas 42 minutos de bola rolando. Uma vergonha.

Mais do que reclamar da arbitragem, os torcedores deveriam mesmo é procurar o Procon e acionar Santos e Palmeiras por propaganda enganosa.

Se não bastasse o injustificável ‘roubo’ do tempo de jogo, a galera poderia apresentar outros números para reforçar o processo: 40 faltas (23 dos santistas e 17 dos palmeirenses); 10 cartões amarelos (quatro para o Santos e seis para o Palmeiras) e um vermelho (Lucas, lateral da equipe paulista); 61 chutões (22 dos santistas e 39 dos periquitos); e um show de caneladas.

Até quando o futebol será vilipendiado por amadores travestidos de profissionais?
############

Zapping. O primeiro duelo entre Peixe e Palmeiras, pela decisão da Copa do Brasil, rendeu 26 pontos de audiência à plim-plim na grande Pauliceia refém do bangue-bangue, recorde do torneio neste ano. O share (TVs ligadas) atingiu 41%. A Band amealhou cinco pontos (8%). Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, o embate cravou 20 pontos na emissora carioca e dois na Band. Já Shakhtar Donetsk x Real Madrid, pela Liga dos Campeões, marcou sete na Band. Cada ponto em SP representa 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil. 

Caiu na rede. Alô, santista: não conte com o ovo no sul da galinha, nada está decidido.

Pinguim. O programa ‘Bola da Vez’, da ESPN Brasil, virou um terror para os ‘professores’. Oswaldo de Oliveira, Doriva e Levir Culpi foram demitidos após entrevista dada ao programa. Saravá, pé de pato, mangalô três vezes.

Dona Fifi. O Circo Brasileiro de Futebol é mesmo imbatível: o lateral corintiano Fagner recebeu a medalha de ouro da… Série C. Manda para o Marin!

Happy birthday. No dia em que comemorou um ano da conquista da Copa do Brasil, o ‘professor’ Levir Culpi se despediu do Galo. Emocionado, anunciou a saída do clube: ‘No fundo, no fundo… (parou e chorou)… eu gostaria que vocês falassem: ‘Você é um cara legal’. Pronto. É isso! Até breve!’ Levir acumula 288 partidas no comando do Galo em quatro passagens, com 154 triunfos, 60 empates e 74 derrotas.

Zé Corneta. E a tartaruga ninja está em todas. Não deixa ninguém falar. 

Bem, amiguinhos. Rebuliço no Saci colorado: de surpresa, a comissão de controle de dopagem do Circo Brasileiro de Futebol decidiu colocar os jogadores para fazer xixi. O grupo passou por antidoping coletivo. Em setembro, os volantes Nilton e Wellington foram pegos num teste.

Sugismundo Freud. Nunca duvide, sempre acredite.

Bem, diabinhos. Agora vai: o imperador ostentação Del Nero entregou o cargo que ocupava no comitê executivo da mamãe Fifa. O carismático cartola indicou o badalado Fernando Sarney, um dos vices do Circo Brasileiro de Futebol. Sarney receberá R$ 735 mil por ano.

Gilete press. Do fofo Ronaldo, em entrevista promovida pela Poker Stars: “Não sei se eu seria um bom presidente da CBF. Nesse momento, acho que não é importante discutir quem será o próximo, mas limpar o ambiente do futebol e deixá-lo mais transparente. Coincidentemente, tecnicamente a seleção não está bem. Está devendo e muito. Eu faço uma ligação direta entre a má gestão e a falta de craques”. Há controvérsias?

Tititi d’Aline. O bochicho é um só no ninho do Urubu: independentemente dos resultados das eleições, o ‘professor’ Oswaldo de Oliveira vai dançar. ‘Muriçoca’ Ramalho é o bola da vez.

Você sabia que… a tropa brasileira já marcou 26 gols na Champions deste ano, oito a mais que os alemães?

Bola de ouro. Instituto E. Lançou a campanha ‘Água limpa é a onda’. Projeto cobra a despoluição das praias cariocas, começando por São Conrado.

Bola de latão. Nilson. O centroavante santista perdeu um gol incrível contra o Palmeiras, daqueles que ‘até a minha avó fazia’. Sem goleiro e marcação, pode ter chutado para fora o título. Detalhe: emprestado pelo Cianorte/PR, Nilson chegou ao Peixe falando grosso: ‘Faço bem o pivô e sou bom de cabeça, de perna esquerda e de direita’.

Bola de lixo. Brasileirão. Um triturador de ‘professores’. Com a saída de Levir Culpi, só um clube terminará o campeonato com o mesmo técnico, o Corinthians de Tite. Trinta foram decapitados ao longo do torneio, um recorde.

Bola sete. “A arbitragem foi muito boa no clássico. Não tem o que falar. O problema é que se criou uma cultura de reclamação no futebol brasileiro” (do chefão do apito, Sérgio Corrêa – viajou na maionese).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Marcelo Oliveira resistirá a um fracasso do Palmeiras na Copa do Brasil?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Gabigol desencanta e coloca o Peixe na frente

Mergulhou na Vila, a Baleia trucida – a torcida do Peixe compareceu em peso ao aquário da Vila Belmiro (14.116 pagantes) para assistir a uma grande vitória sobre o Palmeiras, mas só conseguiu soltar o grito de gol uma vez: Gabigol, aos 35 do segundo tempo. Havia 350 minutos que o atacante não corria para o abraço.

A vantagem do Santos poderia ter sido maior, mas Gabigol perdeu um pênalti e Nilson, aos 50 da etapa final, chutou para fora o segundo gol santista.

O Palmeiras jogou mal, mereceu perder, porém foi prejudicado pelo apito amigo, que não marcou um pênalti em Barrios na segunda fase.

A primeira partida da final da Copa do Brasil foi nervosa, catimbada e até com troca de juiz.

No segundo confronto, o Santos garante o caneco com um empate na mansão Allianz Parque, na próxima semana. O Palmeiras precisa vencer por dois gols. Se ganhar por um, leva a decisão para os pênaltis.

A trave e o goleiro Fernando Prass garantiram o ‘oxo’ do primeiro tempo. Depois de passar por um susto aos dois minutos (Jackson, livre na pequena área, cabeceou para fora), o Santos começou a se impor.

Aos cinco, Gabriel cobrou pênalti na trave. Sete minutos depois, as coisas ficaram ainda mais fáceis para a equipe santista: o menino Jesus, lesionado, cedeu o posto a Kelvin no ataque palmeirense.

Apesar de mandar no jogo, explorando muito bem o lado direito, o Peixe não soube traduzir em gol a superioridade em campo. Aos 39, perdeu uma grande chance: Victor Ferraz fez ótima jogada e tocou para Ricardo Oliveira. O ‘matador’ bateu de primeira e Fernando Prass operou um milagre.

Os números mostram o domínio santista: sete chutes a gol, contra três do Palmeiras, e 58% de posse de bola, contra 42% do coirmão. Que saiu feliz da vida com o placar e voltou para o segundo tempo com Amaral no lugar de Matheus Sales (entrou apenas para vigiar Lucas Lima e não conseguiu).

Logo no início, mais uma grande defesa de Fernando Prass, em arremate de Gabriel. Pouco depois, Barrios foi derrubado na área por David Prass, mas sua senhoria, Luis Flavio de Oliveira, ignorou o pênalti.

Aos 22, uma substituição rara: troca de apito. Luis Flávio reclamou de uma contusão e deu o lugar para Marcelo Aparecido de Souza.

Feliz com o placar, o Palmeiras procurou se fechar e explorar os contra-ataques. Aos 35, o castigo: Gabriel passou por Amaral e tocou no canto de Fernando Prass.

O jogo ficou tenso e o palmeirense Lucas foi expulso. Na bacia das almas, Nilson perdeu uma oportunidade incrível: com o gol vazio, chutou para fora. Após o término da partida, aconteceu um bafafá entre reservas do Palmeiras e alguns santistas. Ninguém foi expulso.

No vestiário, o nobre presidente Paulo Nobre reclamou muito da arbitragem: ‘Houve um pênalti claro no Barrios. E o jogador do Santos (David Braz) seria expulso. O Palmeiras foi terrivelmente prejudicado.’

Neymar no pódio dos mais valiosos

A espanholização chegou ao café no bule. Os 10 jogadores mais valiosos do planeta pertencem ao Barcelona e Real Madrid, de acordo com o levantamento do site ‘Transfermarkt’.

O moleque Neymar ocupa a terceira posição, com 100 milhões de euros, para desespero da turma do contra. Ele está atrás do hermano Messi (120 milhões) e do gajo Cristiano Ronaldo (110 milhões).

A pérola brasileira foi o jogador que mais colocou euros no bico da chuteira desde o início da temporada: o preço subiu 20 milhões, deixando na poeira o uruguaio Luis Suárez.

Já o patrício Cristiano Ronaldo perdeu 10 milhões. O ranking, segundo o ‘Transfermarkt’, em milhões de euros:

1) Messi – 120
2) Cristiano Ronaldo – 110
3) Neymar – 100
4) Luis Suárez – 90
5) Bale – 80
James Rodriguez – 80
7) Benzema – 50
Modric – 50
Kroos – 50
Busquets – 50

############

Sugismundo Freud. Fazer tudo sozinho não passa de um conto de fadas.

Tô fora. E o soberano Leco, hein? Tirou o time de campo: garantiu que não carregará nas costas o vexame contra os reservas do Corinthians, apesar de estar sentado no trono são-paulino desde 27 de outubro. Jogou a conta nas costas de CM Aidar, que renunciou há mais de 40 dias.

Zé Corneta. Ver um político preso é tão bom quanto vibrar com um gol do time de coração numa final de campeonato.

Peroba nele. Preocupadíssimo em resolver os problemas do esporte bretão, o carismático imperador ostentação Del Nero pretende cumprir o mandato até abril de 2019 e candidatar-se à reeleição no Circo Brasileiro de Futebol. O FBI apoia a decisão. Os gatos muito mais.

Dona Fifi. Trio MSN (Messi, Suarez e Neymar), o maior espetáculo da terra. E estamos conversados.

 

Bem, amiguinhos. O hexacampeão Corinthians também dá show nas arquibancadas. Lidera o ranking de público, com a média de 33.636 por jogo e ocupação média de 72%. Deixou na poeira o Flamengo (31.897/42%) e o Palmeiras (30.444/70%).

Caiu na rede. PT saudações: Poderoso Timão saudações.

Bem, diabinhos. Finalmente uma luz no fim do túnel: Del Nero, o imperador ostentação, tem ficado longe dos folguedos (entrega de taças, por exemplo) porque não quer aparecer ‘na foto ou na fita’. Palavra do aparecido secretário Walter Feldman.

Gilete press. De Lúcio de Castro, no ‘Uol’: “As faturas da Confederação Brasileira de Basquete revelam uma vida de mordomias e luxos do presidente Carlos Nunes e família. Cobertos em sua maior parte com verbas de origem pública, estão débitos de passagens para incontáveis viagens da mulher do dirigente, Clarice Mancuso Garbi. E no cartão de crédito corporativo da presidência estão mesas fartas, restaurantes de chefes badalados mundo afora, com refeições regadas por bons vinhos, e até compras de roupas em butiques europeias.” E deixa rolar a festa: mais de R$ 2,3 milhões em gastos.

Tititi d’Aline. O corintiano Renato Augusto comunica às marias-chuteiras: vai se casar com a maquiadora Fernanda Klarner em 11 de dezembro, no Rio, com direito a show de Belo e Péricles para 600 convidados. Já o recém-casado Fred ‘Slater’ será pai pela segunda vez. A publicitária Paula Armani está grávida de um mês. Ripa na chulipa.

Você sabia que… o Zenit, time do incrível Hulk, é o único com 100% de aproveitamento na Champions (fez a quina no grupo H)?

Bola de ouro. Golden State Warriors. O atual campeão da NBA encestou fácil os Lakers (111 a 77) e quebrou o recorde de invencibilidade em início de temporada, com 16 triunfos consecutivos, superando as 15 vitórias de Houston Rockets (1993/94) e Washington Capitols (1948/49).

Bola de latão. Peixe. Deixou de pagar duas parcelas do acordo que fez com Aranha. O agora goleiro do Palmeiras cobra R$ 97 mil.

Bola de lixo. Felipe Griotti. O preparador de goleiros do sub-15 do Saci colorado foi preso por suspeita de ligação com o tráfico de drogas em Canoas.

Bola sete. “Não seria legal o Ronaldinho Gaúcho defender o Fluminense na Florida Cup. O torneio será uma pré-temporada para nós. Não é jogo de apresentação” (de Fred ‘Slater’, sobre a presença do meia na competição – na mosca).

Dúvida pertinente. Corinthians x Barcelona: dá jogo?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

 

Agora quem dá bola é o Santos

Os periquitos em revista podem colocar o bico de molho: o Peixe soltará o grito de campeão da Copa do Brasil. Não tem choro nem vela, muito menos chorumelas.

De acordo com a matemática do ‘Chance de Gol’, o Santos nada em 63,1% de possibilidades de colocar a faixa no peito e degustar uma ótima ceia de Natal. Já o Palmeiras soma 36,9%.

O time santista acumula 57,9% de chances de ganhar o primeiro duelo no aquário da Vila Belmiro, contra 21,3% do coirmão. Empate: 20,8%.

A equipe palmeirense vai encarar outro pequeno desafio na Baixada: Ricardo Oliveira, Gabigol, Lucas Lima & Cia. perderam somente uma vez no alçapão da Vila. Venceram 24 jogos e empataram cinco nesta temporada.

Como desgraça pouca é bobagem, o retrospecto das finais do torneio abona a matemática do ‘Chance de Gol’: das 25 decisões em que houve mandante, os visitantes foram campeões em 15, o que corresponde a 60%. O segundo embate do mata-mata será na mansão Allianz Parque.

Em 2004, por exemplo, o Santo André calou o Maraca ao bater o Flamengo por 2 a 0, depois de empate em casa por 2 a 2. Ano passado, o Galo deu duas bicadas na Raposa no Independência e depois superou o rival por 1 a 0 em um Mineirão com 90% de cruzeirenses. Vai Palmeiras!

############

Sugismundo Freud. Fazer tudo sozinho não passa de um conto de fadas.

Zé Corneta. Nada contra, ao contrário. Mas por que Rogério Ceni, o M1to, nada fala sobre a bela situação do soberano São Paulo?

Bem, amiguinhos. O atacante Emerson ‘Bitoca’ e o Urubu voam para a renovação de contrato – R$ 450 mil por mês.

Dona Fifi. Argel Fucks só evitará fantasmas na casamata do Saci colorado se garantir vaga na Libertadores.

Bem, diabinhos. Soberano Tricolor se vira nos 30 para arrumar R$ 25 milhões a fim de bancar contas de dezembro. Calote à vista!

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Com América/MG na Série A, Atlético/MG perde Horto e recorre ao Minha Casa, Minha Vida.

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “A estagnação do mercado imobiliário fez a venda de imóveis da Vila dos Atletas, que a Carvalho Hosken e a Odebrecht estão erguendo na Barra da Tijuca, praticamente parar. Apenas 8% dos 3.604 apartamentos espalhados em 31 prédios foram negociados.” Que maravilha.

Tititi d’Aline. ‘Conheço teu fogo’, clipe lançado por Ronaldinho Gaúcho, vai mal das pernas: menos de 250 curtidas no Instagram do ex-craque em atividade.

Você sabia que… Yop, anunciado na camisa do São Paulo no Majestoso, é uma rede social da Argentina que tenta se firmar no Brasil?

Bola de ouro. Dorival Júnior. Um tiro mortal do ‘professor’ santista na ‘Folha’: ‘O brasileiro está com o DNA comprometido pela corrupção, safadeza e sacanagem’.

Bola de latão. Armero. Pelos ótimos e inúteis serviços prestados numa maratona de seis jogos, o gringo comandará a barca do Flamengo após o campeonato

Bola de lixo. São Paulo. Uma temporada memorável do soberano nos clássicos: nove derrotas, três empates, duas vitórias, 11 gols pró e apenas 31 contra.

Bola sete. “Ele não é nenhum Pelé e chegou como se fosse um Deus” — do ex-centroavante Nunes, sobre Guerrero no Urubu. Fato?

Dúvida pertinente. ‘Professor’ Tite já chegou ao patamar do mestre Telê?

O que você achou?

jr.malia@bol.com.br