Olimpíada: Força Nacional recebe ‘manual’ para evitar problemas com milícia da favela

Os homens da Força Nacional cuidarão da segurança nos Jogos

A Força Nacional chegou cheia de moral para garantir a segurança nos Jogos de R$ 40 bilhões. Após aterrissarem no conjunto Vila Carioca, localizado dentro da favela Gardênia Azul, na zona oeste da Cidade Maravilhosa das balas uivantes, os agentes receberam algumas recomendações dos oficiais.

Nada preocupantes. Apenas um ‘manual’ do dia a dia, de acordo com Rafael Soares, do ‘Extra’. Um dos conselhos: nada de andar sozinho pelo pedaço, principalmente à noite.

A tropa de 3.500 homens (PMs, policiais civis e bombeiros) está alojada num território dominado pela milícia. ‘Só ficamos sabendo quando chegamos aqui’, afirmou um deles, sob a condição de anonimato.

Outras sugestões para ‘bom comportamento’ ao longo da jornada olímpica: não portar identidade policial; andar sempre em grupo na hora das refeições e/ou compras; evitar bebidas alcoólicas; passar bem longe de bares e boates da favela; nada de papo com as mulheres do pedaço ou ficar olhando muito.

Também receberam instruções para esquecer a ideia de instalar internet nos apartamentos onde estão, porque o sinal a cabo é explorado pelos paramilitares (as operadoras de internet fixa são impedidas de atuar na área); fazer exercícios ou caminhadas apenas no entorno do alojamento; e não circular com armas pela favela.

O Ministério da Justiça garantiu, segundo a reportagem, que ‘não houve qualquer coação e nenhum contato desse tipo foi feito com profissionais da Força Nacional’. Prometeu apurar as denúncias e encaminhá-las à Polícia Federal, à Subsecretaria de Inteligência do Rio e à Draco (Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas).

O custo da operação das Forças Armadas na Rio-16 deverá girar em torno de R$ 80 milhões. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

                                                   ############

Pitaco do Chucky. Independiente del Valle, o Leicester da Libertadores. E estamos conversados.

Super-Tricolor. Há que se reconhecer: o soberano São Paulo merece todos os elogios, principalmente da mídia morumbática, pela surpreendente campanha na Libertadores. Realmente, o time caiu de pé depois de um desempenho inesquecível, memorável. Em 12 partidas, sofreu apenas… cinco derrotas. Conquistou quatro vitórias e três empates. Ou seja, se fosse um torneio de pontos corridos, o Tricolor teria acumulado 15 em 36 possíveis.

Zé Corneta. La Bombonera, um alçapão enferrujado. Quem te viu quem te vê!

Super-Tricolor 2. A campanha merecedora dos fantásticos elogios: primeira fase – duas vitórias, três empates e uma derrota, 50% de aproveitamento no grupo 1 (ficou em segundo lugar, com nove pontos, dois atrás do River Plate). Oitavas de final: 4 a 0 e 1 a 3 diante do Tolima; quartas de final – 1 a 0 e 1 a 2 contra o Galo; semifinais – 0 a 2 e 1 a 2 no mata-mata com o Atlético Nacional. Ninguém cala esse chororô: chora o presidente, chora o time todo, chora o torcedor, chora a mídia tricolor.

Sugismundo Freud. Se você quer um cachorro, aceite também as pulgas.

Bem, amiguinhos. Corintianos, gremistas e santistas esfregam as chuteiras de felicidade: o líder Palmeiras vai encarar um jejum de quase 19 anos sem vencer o Saci colorado no Beira-Rio. O último triunfo aconteceu em 6 de dezembro de 1997: 1 a 0, gol do lateral Wagner. De lá para cá, 11 derrotas e três empates.

Cobras & Lagartos. Não tem mais bobo no futebol: Atlético Nacional e Independiente del Valle na final da Libertadores. Pela sétima vez uma decisão não terá brasileiro ou argentino desde 1960, pontapé inicial do torneio.

Bem, diabinhos. Corinthians, Galo e soberano São Paulo demonstraram interesse no atacante Tardelli, mas logo passaram a pensar em uma alternativa. O brasileiro ganha a bagatela de R$ 1,2 milhão no Shandong Luneng. Tardelli foi colocado em disponibilidade pelos chineses após a contratação do italiano Graziano Pellè. Tardelli tem contrato com o Shandong até 20 de janeiro de 2019.

Patolino na geral. Ex-Santos, o meio-campista Serginho se apresentou ao Vitória em grande estilo: ‘Chego ao Bahia para ajudar o grupo.’ Ops, desculpe a nossa falha!

Tiro curto. A concorrência que se cuide: ‘Bem, Amigos’, de Galvão Bueno, no ‘SporTV’, será transmitido simultaneamente pela rádio ‘Globo’. A novidade irá ao ar nesta segunda, às 22 horas, novo horário do programa.

Lance livre. Jorge Ben Jor também soltará a voz na festa de abertura dos Jogos, em 5 de agosto, no ‘new Maraca’. O ‘coro’ olímpico terá ainda Gilberto Gil, Caetano Veloso, Paulinho da Viola, Luiz Melodia e… Anitta.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Torcedor brasileiro escreve Schweinsteiger sem olhar o Google e ganha Nobel de literatura.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo’: “Uma das grandes atrações da Olimpíada, o velocista Usain Bolt vai comemorar seus 30 anos numa festa de arromba, no dia 21 de agosto, na Casa da Jamaica. A noite vai ser animada por um show de Kymani Marley, o único filho de Bob Marley com a ex-campeã caribenha de ping-pong Anita Belnavis. O centro de hospitalidade jamaicano está sendo construído no Prado, dentro do Jockey. A apresentadora Glória Maria será convidada de honra.” A cobra vai fumar!

Dona Fifi. Pego na Lei Seca, o meio-campista Dudu Cearense, do Botafogo, se recusou a fazer o teste do bafômetro. Além de multa, teve o carro guinchado porque estava sem o licenciamento.

Tititi d’Aline. O pessoal do Porta dos Fundos também adotou a Olimpíada: lançará vídeos sobre a competição. A turma abordará, com a seriedade de sempre, a festa de abertura, o antidoping e modalidades esportivas, além da dinheirama gasta para organizar os Jogos.

Você sabia que… o canadense Milos Raonic, vice-campeão de Wimbledon, e a romena Simona Halep, quinta colocada no ranking da WTA, desistiram dos Jogos com medo do vírus da zika?

Bola de ouro. São Paulo. O soberano continua sendo um ótimo negociante: vendeu 70% dos direitos de Alan Kardec aos chineses do Chongqing Lifan por R$ 18 milhões. Em 2014, o Tricolor pagou R$ 14 milhões.

Bola de latão. CM Aidar. Cinisa Maturana. O MP pediu a quebra do sigilo bancário da empresa TML Foco Consultoria, de Cinisa Maturana, namorada do ex-presidente do São Paulo. É uma nova etapa da investigação de corrupção na gestão do ex-chefão do Tricolor.

Bola de lixo. Fernando de Carvalho Lopes. O treinador da seleção brasileira masculina de ginástica foi afastado pela confederação após ser acusado de abuso sexual. O caso teria acontecido com um ginasta menor de idade. Ele nega.

Bola sete. “Eu tenho muito a agregar ao clube. O São Paulo provou na Libertadores que é um time forte, que luta bastante. Eu venho para somar” (do centroavante Gilberto, ex-Santa Cruz, Lusa, Saci colorado, Sport, Vasco e Chicago Fire, dos EUA – a conferir).

Dúvida pertinente. O Brasil é Atlético Nacional ou Del Valle na final da Libertadores? 

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Calleri se manda, Ganso prepara as malas, tabu no Itaquerão e cofre vazio: vai Tricolor!

Calleri, 16 gols com a camisa do Tricolor:  Europa, o destino

Depois da tempestade, vem a gloriosa… enxurrada. Xodó da torcida, o hermano Calleri é página virada no soberano São Paulo. Emprestado pelo Deportivo Maldonado, do Uruguai, o centroavante deve ir para o futebol europeu e já se despediu do clube. ‘Passei seis meses maravilhosos. Falei para meus companheiros que, se não fôssemos para a final, seria minha despedida. Fico com o sentimento de um dia poder voltar.’

Craque do time, Ganso também deve voar para outra equipe. As negociações com o Sevilla andam mais aceleradas que a Mercedes de Lewis Hamilton.

Calleri e Ganso marcaram 23 gols nesta temporada. O argentino correu 16 vezes para o abraço, e o meia, sete. O Tricolor assinalou 51 gols em 2016.

Rodrigo Caio, o ‘zagueiro de condomínio’ segundo um conselheiro, é outro que pode limpar o armário no CT. Ele está alça de mira da Lazio. Mas, ao contrário de Calleri e Ganso, vai encarar o Corinthians neste fim de semana.

Um Majestoso muito especial para os são-paulinos no Itaquerão, minha casa minha vida. O Tricolor ainda não saboreou um triunfo na casa corintiana. Em quatro jogos desde a inauguração do estádio, em 2014, levou quatro sapatadas. Marcou três gols e tomou 13.

Ano passado, foi humilhado pelos reservas do Corinthians na festa do campeão brasileiro: 6 a 1, com gols de Romero (dois), Edu Dracena, Bruno Henrique, Lucca e Cristian – maior goleada na história do clássico. Um dia inesquecível para a Fiel.

Fora de campo, o Tricolor também curte ótimo momento depois do apito amigo do chileno Patricio Polic diante do Atlético Nacional. Os cofres do Morumbi, abarrotados de vento, deixarão de ganhar substancial café no bule com a eliminação nas semifinais.

Se passasse pelos colombianos, o São Paulo beliscaria pelo menos o prêmio de US$ 1,5 milhão (R$ 4,8 milhões) dado ao vice-campeão pela Conmebol – a volta olímpica vale US$ 3 milhões (R$ 9,6 milhões). O clube ainda teria a renda de mais um duelo no Morumbi. No primeiro jogo contra o Atlético Nacional, o Tricolor papou R$ 7,5 milhões. Noves fora… tchau, querido!

                                                    ############

Zé Corneta. Chega de ‘leco leco’: quem torce distorce.

Bem, amiguinhos. Que o assoprador de apito Patricio Polic prejudicou o soberano Tricolor na Colômbia, ninguém discute. Mas não se pode despejar a metralhadora apenas no chileno. O futebol brasileiro está à míngua fora de campo. Ninguém o respeita mais nos bastidores. Desde a prisão de Zé da Medalha e do ‘autoexílio’ do imperador ostentação Del Nero numa cobertura da Barra, a pátria das chuteiras furadas é ignorada na Conmebol. Perde até da Bolívia nos subterrâneos contaminados por jogadas políticas. O saudoso Vicente Matheus, que tirou o Corinthians de uma fila de 22 anos, já dizia: ‘Futebol não se ganha apenas dentro de campo’. Agora Inês é morta, Tricolor!

Pitaco do Chucky. Bons tempos em que o assalto pelo menos tinha regras.

Bem, diabinhos. Se não tem tu, vai tu mesmo: Zé Ricardo foi efetivado como ‘professor’ do Flamengo, em substituição a ‘Muriçoca’ Ramalho, que se afastou para cuidar da saúde. Sob o comando de Zé Ricardo, o Urubu coleciona seis vitórias, um empate e quatro derrotas. Ocupa a sexta posição no Brasileirão, com 23 pontos, mesmo número do Peixe, último integrante do G4. Pela segunda vez na gestão Eduardo Bandeira de Mello, um interino é confirmado como ‘professor titular’. Em 2013, Jayme de Almeida ocupou o lugar de Mano Menezes e foi campeão da Copa do Brasil. Ganhou também o Carioquinha e, um mês depois, foi convidado a visitar o RH.

Patolino na geral. ‘Au, au, au… cadê a camisa que tava no varal?’; ‘Apito amigo: Corinthians colombiano está na final’; ‘Borja noite, são-paulinos’; SPFC – só perde futebol clube.

Zapping. O decisivo duelo entre Atlético Nacional e soberano São Paulo, pelas semifinais da Libertadores, rendeu 29,4 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia envolvida pela bandidagem. O primeiro embate, realizado no Morumbi, obteve 28 pontos. O recorde pertence a Corinthians x Nacional do Uruguai, pelas oitavas de final, no Itaquerão, minha casa minha vida: 32 pontos. Em segundo aparece Galo x Tricolor, com 31. Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. Não se omita: aprenda a dizer não.

Pé com pano, pé sem pano. A NFL, com o Dallas Cowboys, assumiu a liderança do ranking das equipes mais valiosas do planeta. O time da bola oval foi taxado em US$ 4 bilhões pela revista ‘Forbes’. Após três anos na ponta, o Real Madrid caiu para o segundo lugar, com US$ 3,65 bilhões. Pela primeira vez, desde 2011, uma equipe de futebol não comanda a festa. O Barcelona subiu um degrau e ocupa terceira posição, com US$ 3,55 bilhões, à frente do time de beisebol New York Yankees (US$ 3,4 bilhões). O Manchester United fecha o top 5, com US$ 3,32 bilhões. Entre as 50 mais valiosas, 27 disputam a NFL, oito são do futebol, oito brigam na NBA e sete na liga de beisebol.

Dona Fifi. A base corintiana é prestigiadíssima pelo clube. Uma das maiores promessa das categorias inferiores, o volante Maycon foi emprestado à Ponte. Cristian e Willians seguem no elenco sem dar retorno. Apenas prejuízo: Cristian ganha R$ 420 mil por mês, e Willians, R$ 180 mil.

Tiro curto. Mergulho no túnel do tempo, mais precisamente no duelo entre Galo e soberano Tricolor, pelas quartas de final da Libertadores deste ano. ‘É uma vergonha o que aconteceu. O árbitro [Andrés Cunha, do Uruguai] ignorou um pênalti claro do Hudson em Leonardo Silva no primeiro tempo’, protestou o goleiro Victor.

Zé Colmeia. Carrasco do Tricolor, Borja foi oferecido ao time brasileiro por R$ 7 milhões. O soberano não quis. Desprezou o artilheiro de 23 anos, que acabou trocando o Cortuluá pelo Atlético Nacional.

Lance livre. Há sete meses esperando inutilmente por um convite, o zagueiro Chicão, 35 anos, anunciou a aposentadoria. Seu último clube foi o Delhi Dynamo, da Índia. Ele também defendeu o Corinthians, onde faturou oito títulos, Figueira, Flamengo e Bahia.

Cobras & Lagartos. O jornalista Juca Kfouri, do ‘Uol’, disparou a metralhadora: “Torcedores são capazes de vaiar seus times, exigir a cabeça de treinadores, até agredir jogadores, mas permanecem alienados do verdadeiro problema de nosso futebol: a CBF.” No alvo.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Pela primeira vez, as baterias das 12 escolas de samba do Grupo Especial do Rio se reunirão para tocar, juntas, a mesma música. Será na cerimônia de abertura da Rio-2016, dia 5 de agosto. Os mais de 500 ritmistas tocarão uma melodia que vem sendo guardada a sete chaves.” Ziriguidum.

Caiu na rede. Acreditar no palmeirense Lucas Barrios é como esperar pelo Papai Noel no Natal.

Tititi d’Aline. Não está nada fácil o descanso do hermano Messi. Ao lado da mulher Antonela e dos filhos, o craque curte as férias numa canoa pelo Mediterrâneo. O barco tem quatro suítes, lancha auxiliar e jet-ski. O ‘Seven C’ foi alugado pelo jogador. Ele paga R$ 26 mil por dia.

Você sabia que… o ex-jogador holandês Patrick Kluivert, 40 anos, é o novo diretor de futebol do Paris Saint-Germain?

Bola de ouro. Atlético Nacional. É, sem dúvida, o melhor time da Libertadores. Esbanja categoria no toque de bola. Envolve o adversário no melhor estilo ‘tiki-taka’.

Bola de latão. Amarelinha desbotada. Pelo ótimo bico quadrado dos anões de Dunga na Copa América, o canarinho sem asas voou do sétimo para o nono lugar no ranking da mamãe Fifa. Campeã da Euro, a seleção de Portugal saltou da oitava para a sexta posição. A Argentina lidera. Depois vêm Bélgica, Colômbia, Alemanha e Chile.

Bola de lixo. Rio-16. Policiais e bombeiros da Força Nacional de Segurança foram aquinhoados com belos apartamentos do programa Minha Casa Minha Vida para repousar durante os Jogos: quarto sem cama, banheiro sem chuveiro, falta de água, comida azeda e vizinhança de primeira qualidade – favelas dominadas pelo tráfico. De quebra, diárias atrasadas. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Bola sete. “Depois de algumas ações no Rio, com a prisão e soltura de Fernando Cavendish e Carlinhos Cachoeira, a Lava-Jato deve trabalhar mais lentamente nas semanas da Olimpíada. Quando a tocha se apagar, no entanto, a operação retorna com força total, especialmente no seu desdobramento carioca” (de Maurício Lima, em ‘Veja’ – a conferir).

Dúvida pertinente. O presidente interino Michel Temer tem o direito de cobrar medalha dos atletas olímpicos?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Soberano São Paulo vive ‘dia de Corinthians-Amarilla’ e cai fora da Libertadores

São-paulinos reclamam contra o assoprador de apito Patric Polid 

Depois de o Leicester levantar o caneco inglês, o Chile dar a volta olímpica na Copa América e Portugal soltar o grito de campeão na Eurocopa, os deuses da bola resolveram dar férias à zebra e o soberano São Paulo tombou nas semifinais da Libertadores.

O milagre da multiplicação dos gols contra o superfavorito Atlético Nacional ficou apenas no sonho. Pior: acabou se transformando em pesadelo no apito amigo do chileno Patricio Polic, decisivo para o triunfo dos colombianos por 2 a 1, no estádio Atanasio Girardot, em Medellin. Sua senhoria ignorou um pênalti em Hudson no final do primeiro tempo, quando o placar apontava igualdade por um gol.

Polic lembrou o carismático paraguaio Carlos Amarilla no duelo entre Corinthians e Boca Juniors, pelas oitavas de final, em 2013. Amarilla operou o time brasileiro. Deixou de marcar pênaltis para o Corinthians e ainda anulou gols. Polic não foi tão cirúrgico, mas influiu no resultado.

O equilíbrio marcou o primeiro tempo. O São Paulo começou melhor, calou a fanática torcida colombiana com um gol de cabeça do hermano Calleri, aos 8, mas bobeou na marcação e permitiu o empate sete minutos depois. Berrío lançou Borja, Lugano e Bruno falharam e o atacante fuzilou Denis. Na sequência, a trave evitou o segundo gol são-paulino, depois de testada de Calleri.

Aos poucos, o Atlético Nacional foi impondo seu toque de bola, algumas vezes exagerando na soberba, e criou duas boas chances, desperdiçadas por Marlos Moreno.

Na bacia das almas, o assoprador de apito fechou os olhos vergonhosamente para um pênalti em Hudson. ‘Não é possível. Eu estava de frente para o gol, absoluto para fazer o gol, e um colombiano me empurrou por trás’, protestou o são-paulino.

O Atlético Nacional voltou melhor no segundo tempo. Sempre atacando pela ‘avenida Mena’, os colombianos perderam ótimas chances. Numa delas, Borja driblou Denis, a bola sobrou para Berrío, que chutou de primeira e Bruno evitou o gol. Antes, Denis havia praticado excelente defesa em arremate do endiabrado Borja.

Superior em campo, o time colombiano chegou ao segundo gol em pênalti de Carlinhos (mão na bola): Borja, 2 a 1. E a barca tricolor foi a pique com a expulsão de Lugano e Wesley antes de o time dar a saída.

Fim da linha para o soberano na Libertadores. O clube tem razões de sobra para reclamar do apito amigo, mas não pode jogar toda a culpa nas costas de Patricio Polic. E a inútil escalação de Ganso no segundo tempo de um jogo sem nenhuma importância do Brasileirão, que acabou afastando o craque por lesão? E a ridícula expulsão de Maicon no primeiro embate contra o Atlético Nacional? E a derrota por 2 a 0 no Morumbi? E as limitações do elenco? E os erros cometidos pelo ‘professor’ Bauza Patón no planejamento para as semifinais?

Pelo que apresentou ao longo do torneio, o Tricolor até que foi longe demais.

O Atlético Nacional já ganhou a Libertadores uma vez, em 1989, quando derrotou o Olímpia, do Paraguai, na decisão. Em 1995, perdeu a taça para o Grêmio. A equipe jogará a final contra o vencedor de Boca Juniors e Independiente del Valle, do Equador.

                                                           ############

Pitaco do Chucky. Tour da tocha olímpica reforça o Brasil do pão e circo com o seu, o meu, o nosso rico dinheirinho.

‘Professor’ nota 5. Se como jogador Paulo Roberto Falcão entrou para a história do Saci colorado como um dos mais brilhantes, como treinador ainda não marcou território. Na primeira passagem pela casamata do Beira-Rio, em 1993, acumulou cinco vitórias, quatro empates e cinco derrotas – aproveitamento de 50% (as vitórias valiam dois pontos). O time marcou 17 gols e tomou 20. De volta ao clube em 2011, obteve oito triunfos, cinco empates e levou seis cacetadas – 50,87% de aproveitamento. A equipe assinalou 30 gols e sofreu 24. Ganhou o Gauchinho.

Zé Corneta. Festa de arromba no Grêmio: Falcão volta pela terceira vez ao Saci colorado.

Bem, amiguinhos. A volta do meia Diego ao futebol brasileiro é mamão com açúcar. Ele quer apenas R$ 5 milhões de luvas, mais uma xepa mensal em torno de R$ 800 mil. Já o Fenerbahçe deseja R$ 5,5 milhões para liberar o ex-santista, que tem contrato por mais uma temporada com o clube turco. Ao conhecer os valores pedidos por Diego, o Flamengo puxou o freio de mão e estuda outro nome para o meio de campo.

Sugismundo Freud. Sofrimento não é exclusividade de ninguém.

Bem, diabinhos. O milionário futebol inglês acaba de bater mais um recorde de transferência: o goleiro irlandês Colin Doyle foi negociado pelo Blackpool ao Bradford City por… uma libra (R$ 4,2). Uma cláusula no contrato do atleta previa a venda pela exorbitante quantia se o time caísse para a quarta divisão. E não deu outra. O Bradford disputará a terceira divisão. Em 2010/11, o Blackpool participou da Premier League.

Caiu na rede. Juiz mata o São Paulo em Medellín… e Corinthians vai enterrar no domingo.

Bra$il olímpico. O dadivoso COB (caixinha, obrigado Brasil), capitaneado pelo irrequieto Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman, decidiu apertar o cinto: reservou quartos em um transatlântico e em hotéis da Cidade Maravilhosa das balas voadoras para abrigar familiares de atletas. De acordo com Marcel Merguizo e Paulo Roberto Conde, na ‘Folha’, serão gastos R$ 850 mil. Há 41 quartos reservados para familiares de 45 atletas em condições de ganhar medalha. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Zé Colmeia. Vôlei olímpico perde uma tonelada de beleza: Mari Paraíba cortada da equipe brasileira.

Patolino na geral. ‘Anitta na abertura da Olimpíada: primeiro 7 a 1’; ‘Diga-me quem abrirá sua Olimpíada e eu te direi quem és… se os ingleses têm Paul McCartney, nós temos Anitta’.

Dona Fifi. Organizadores da Rio-16 evitam contar detalhes da festa de abertura ao prefeito Eduardo Paes. Motivo: o alcaide é um tremendo linguarudo e adora um holofote para revelar novidades olímpicas.

Tiro curto. A bruxa decidiu passear pelo ninho dos periquitos em revista. Autor do gol no empate contra o Peixe, o zagueiro colombiano Mina ficará dois meses de chinelinho, recuperando-se de lesão na coxa esquerda.

Lance livre. Oito clubes já trocaram de ‘professor’ neste Brasileirão, com direito a cinco demissões: Aguirre no Galo, Gilson Kleina no Coxa, Givanildo no Coelho, Argel no Saci colorado e Vinícius Eutrópio no Figueira.

Gilete press. De Leonardo Oliveira, no ‘Zero Hora’: “Mano Menezes nem abriu conversa. Abel Braga mandou avisar que voltar agora estava fora de cogitação. A cinco meses de uma eleição, o presidente Vitorio Piffero partiu para uma solução mágica. Trazer Falcão é apostar na imagem do ídolo, no camisa 5 de futebol clássico, elegante e, principalmente, de extrema qualidade. É um analgésico poderoso para aplacar a crise. ” A conferir.

Cobras & Lagartos. O ‘professor’ Valdir Espinosa, 68 anos, soltou os cachorros no jornal ‘Extra’: “Está difícil voltar a trabalhar porque há muito preconceito contra a idade, contra os mais velhos. Outro problema é que não tenho empresário, e isso pesa muito.’ Lamentável.

Tititi d’Aline. É uma festa: a Confederação Brasileira de Vôlei contabilizou uma receita de R$ 107 milhões em 2015, mas torrou R$ 134 milhões. Só os gastos com salários cresceram 60% e atingiram R$ 9 milhões. Uma jornada nas estrelas. Ace em competência.

Você sabia que… o Aberto dos EUA distribuirá US$ 46,3 milhões em prêmios, 10% a mais do que em 2015, com os campeões de simples levando um cheque de US$ 3,5 milhões?

Bola de ouro. Palmeirenses. Um show na mansão Allianz Parque: mais de 40 mil pagantes no clássico contra o Peixe. Time assumiu a ponta do ranking de público, com a média de 31.854 torcedores por jogo, contra 31.011 do coirmão Corinthians.

Bola de latão. Peixe. Atacou de Pinóquio ao soltar comunicado informando que Gabigol havia renovado até 2021. Jogador garantiu que nada está acertado e por isso ainda pode se mandar para um clube europeu. A Juventus estaria disposta a pagar R$ 70 milhões pelos 40% dos direitos econômicos que pertencem ao Santos.

Bola de lixo. Everson de Assis Camilo. Um recorde histórico: flagrado no antidoping com 15 substâncias proibidas. Campeão brasileiro de resistência em 2015, o ciclista está suspenso provisoriamente pela confederação brasileira desde 27 de junho. O teste foi realizado após a Volta do Rio Grande do Sul, em abril. Especialista em ciclismo estrada, Everson não foi convocado para a Rio-16.

Bola sete. “Quando a Olimpíada acabar, vou tomar um porre… Vou para Madureira, curtir um samba e beber cerveja! Bye bye!” (do prefeito Eduardo Paes à ‘AFP’ – o povo fica com a conta).

Dúvida pertinente. Só a arbitragem tirou o soberano Tricolor da Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Com recorde de público, Palmeiras e Peixe ficam no 1 a 1 – o Corinthians agradece

Tempo quente no início do clássico: Gabigol x Moisés

Sob os olhares do ‘professor’ Tite, da amarelinha desbotada, e com recorde de público na mansão Allianz Parque (40.035 torcedores), Palmeiras e Peixe ficaram no 1 a 1, no encerramento da 14ª jornada do Brasileirão.

Os periquitos em revista continuam sem perder para os santistas na nova casa (colecionam três vitórias e dois empates), seguem na liderança do campeonato, mas agora com apenas um ponto de vantagem sobre o Corinthians (29 a 28). O Santos chegou ao G4 (23 pontos, na quarta posição).

Antes de a bola rolar, o meia santista Elano avisou que Cuquinha, irmão de mestre Cuca, estava com um celular no banco de reservas do Palmeiras, o que não é permitido. O auxiliar se livrou do aparelho.

Mais uma vez, a blitz adotada pelo Palmeiras no início dos jogos rendeu frutos. Aos 6 minutos, Dudu bateu escanteio e o zagueiro Mina, livre de marcação, completou de cabeça, sem chance para o goleiro Vanderlei.

Pouco depois, o time palmeirense vacilou numa cobrança de falta e Vitor Bueno chutou para fora. Na sequência, Arouca substituiu Moisés, que havia levado amarelo num bate-boca com Gabigol (também foi advertido). O jogo ficou quente. Erik pegou Lucas Lima e foi amarelado.

Apesar de ter menos posse de bola, o Palmeiras se mostrou mais objetivo em campo. Autor do gol, o colombiano sentiu uma lesão e cedeu o lugar para Edu Dracena antes de o árbitro encerrar a primeira etapa.

‘Todos sabem que o forte do Palmeiras é a bola parada e vacilamos. Também estamos dando espaço para o contra-ataque’, analisou o santista Renato. ‘Estamos pecando na posse de bola (63% a 37% para o Peixe). Precisamos ter mais paciência, além voltarmos mais ligados no segundo tempo’, advertiu o ‘vovô’ Zé Roberto.

Palavras ao vento do palmeirense. Aos 10 minutos, Rodrigão serviu Gabigol, que arriscou de fora da área. A bola tocou em Vitor Hugo e matou Fernando Prass: 1 a 1.

O Peixe continuou com mais posse de bola (64% a 36%), porém não soube aproveitar a superioridade. Nos últimos minutos, sob as vaias da torcida, a equipe santista procurou trocar passes à espera do apito final. Garantiu um ponto e um lugar no G4.

Já Palmeiras sentiu muito a falta do menino Jesus e de Roger Guedes, suspensos. Pela primeira vez no Brasileirão, não venceu em casa. O empate acabou sendo o justo porque, segundo Lucas Lima, ‘o primeiro tempo foi mais do Palmeiras, e o segundo do Santos’.

                                                        ############

Terror tricolor. Criador de Jason, da série ‘Sexta-feira 13’, Victor Miller confessou estar radiante com a incorporação do personagem ao grito de guerra da torcida do soberano São Paulo na Libertadores. Há pouco tempo, o roteirista afirmou ao blog ‘FuteRock’ estar feliz por saber que Jason encontrou ‘alguma coisa para fazer além de matar pessoas’. Na juventude, Miller jogava como goleiro.

Pitaco do Chucky. Placar do ‘Chance Gol’ sobre as possibilidades de classificação à final da Libertadores: Atlético Nacional 99,6% x 0,4% São Paulo. Vai soberano!

Terror tricolor 2. A galera do Tricolor adotou Jason em 2009, quando o time ressurgiu das cinzas e chegou a brigar pelo título do Brasileirão. Terminou em terceiro, com 65 pontos, dois atrás do campeão Flamengo. Miller disse ainda sentir-se orgulhoso ‘por saber que Jason vive nos corações dos fãs de futebol no Brasil.’ Jason ganhou forma em 1979.

Zé Corneta. É uma festa: nunca se viu tanto engenheiro de obras feitas no ludopédio nacional.

Voa Ganso, voa. Chefão do soberano Tricolor, CA de Barros e Silva deixou o ‘leco leco’ de lado e praticamente confirmou a venda de Ganso ao Sevilla. O time espanhol ofereceu 9,5 milhões de euros (R$ 34,8 milhões) pelos direitos econômicos do atleta. O novo treinador, Jorge Sampaoli, é fã de carteirinha do são-paulino. O Tricolor detém 32% dos direitos de Ganso, e o grupo DIS, 68%. Mas o clube deve abocanhar uma fatia maior.

Sugismundo Freud. Dói mais o sentimento de pena do que a inveja.

Bem, amiguinhos. O gajo Cristiano Ronaldo é o grande favorito ao trono de rei da bola da mamãe Fifa após Portugal conquistar a Eurocopa. O atacante também levantou a Champions com o Real Madrid. Em 55 jogos na temporada, ele marcou 54 gols, média de praticamente um por partida. CR7 já faturou o prêmio três vezes. O uruguaio Luis Suárez corre por fora. Ganhou três títulos com o Barcelona (Espanhol, Copa do Rei e Supercopa da Europa) e assinalou 55 gols em 53 confrontos (média de 1,03 por duelo).

Patolino na geral. E o Cristiano Ronaldo é o novo queridinho da torcida brasileira. De marrento e vaidoso a humilde, generoso e líder. Um exemplo dentro e fora das quatro linhas. Passou a perna em Neymar.

Bem, diabinhos. A vingança tarda, mas não falha. O ‘professor’ Mano Menezes deu o troco no Saci colorado e recusou proposta para substituir Argel Fucks na casamata do Beira-Rio. Em um passado recente, mais precisamente em 2014, o mandachuva e raios do clube, Vitorio Piffero, declarou que Mano não tinha o perfil para trabalhar no Inter. À noite, o Saci colorado anunciou Falcão. Ele vai dirigir o time pela terceira vez.

Caiu na rede. ‘Professor’ Argel Fucks deixa o Inter e volta ao Figueira… de trator.

Cobras & Lagartos. Da ex-jogadora de vôlei Ana Paula, eleitora de Donald Trump, à ‘BBC Brasil’: “Antes de morar aqui [EUA], confesso que torcia o nariz para o patriotismo americano e enxergava os atletas americanos como esnobes. Mas quando você mora aqui, vê que é algo que vai bem além do esporte: é um patriotismo de não aceitar corrupção, de brigar para melhorar seu bairro, de estar em eterna vigília.” I love Tio Sam.

Bra$il olímpico. A menos de 24 dias da abertura dos Jogos, a agência de notícias ‘Reuters’ garantiu um sono tranquilizador aos brasileiros. Uma fonte informou que o comitê organizador flutua sobre um déficit de R$ 400 milhões a R$ 500 milhões. O orçamento da Rio-16 gira em torno de R$ 40 bilhões, a maior parte para infraestrutura (R$ 24,5 bilhões). Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Zé Colmeia. O ‘professor’ português Paulo Bento recebeu com tranquilidade os incentivos de ‘burro’ da torcida do Cruzeiro na derrota para o Furacão (3 a 0). Garantiu estar vacinado: não há diferença entre o futebol europeu e o sul-americano.

Tiro curto. O Galo pediu 10 milhões de euros (R$ 36,5 milhões) a um time chinês para liberar o atacante argentino Lucas Pratto. Os chineses acenaram com 7,5 mi de euros (R$ 27 mi). A janela de transferências na China fecha nesta sexta.

Lance livre. A presidente afastada Dilma Rousseff queria tanto, mas queria tanto, receber convite do comitê organizador da Rio-16 para a abertura dos Jogos que… decidiu acompanhar a festa pela TV após ser convidada. O comitê também abriu as portas da tribuna de honra aos ex-presidentes Lula, FHC, Collor e Sarney.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Não houve nada surpreendente na Eurocopa. As estratégias usadas são as mesmas dos últimos dez anos, que, apenas recentemente, passaram a ser adotadas no futebol brasileiro, como alternar a marcação mais recuada e por pressão, diminuir os espaços entre os setores e a distância entre o jogador mais atrás e mais à frente, priorizar a troca de passes, ter meio-campistas e jogadores pelos lados que atuem de uma área à outra e vários outros detalhes.” Na mosca.

Dona Fifi. Mais uma estrela está fora dos Jogos: o espanhol Alberto Contador, bicampeão do Tour de France. O ciclista sofreu uma lesão na perna esquerda.

Tititi d’Aline. O alemão Schweinsteiger e a sérvia Ana Ivanovic, uma das musas do tênis, trocaram alianças no Palazzo Cavalli, em Veneza. O jogador do Manchester United e a ex-número 1 do tênis começaram a namorar em 2014, depois da Copa no Brasil. Entre os convidados estavam o técnico da seleção alemã Joachim Löw, o meia Thomas Müller, o tenista Andy Murray, campeão de Wimbledon, e Angelique Kerber, vice do Grand Slam inglês. Os familiares e amigos teriam pegado avião alugado pelos noivos sem saber onde seria o casamento.

Você sabia que… Santa Cruz, Coxa, Figueira e Coelho são os únicos times ainda ‘virgens’ fora de casa no Brasileirão?

‘Bola de ouro’. Série D. Sucesso absoluto de público: Goianésia 0 x 1 Desportiva Ferroviária atraiu… cinco testemunhas ao estádio Waldeir de Oliveira. A renda atingiu invejáveis R$ 90. Detalhe: 17 torcedores entraram sem pagar. O pior público da história quarta divisão do Brasileiro pertence a Villa Nova/MG 0 x 2 CRAC/GO: cinco heróis, de acordo com o ‘sr.goool’.

Bola de latão. Clubes. É no mínimo surreal: chegaram à conclusão de que precisam ter mais poder de decisão no Circo Brasileiro de Futebol. Ora bolas, quem manda no esporte? Os times sobrevivem sem a casa maldita do ludopédio, já o Circo e federações inexistem sem os clubes. Demorô!

Bola de lixo. Raposa. O time mineiro é o melhor anfitrião do Brasileirão: ganhou apenas seis pontos (uma vitória e três empates) em 21 disputados como mandante, com aproveitamento de 28,57%. Marcou sete gols nos convidados e tomou 11. O pão de queijo perde até para o lanterna Coelho, que obteve dois triunfos em casa.

Bola sete. “Além de Caetano Veloso, Anitta e Gilberto Gil, a cerimônia de abertura da Olimpíada contará com um elenco de cantores que inclui um trio carioca da pesada: Luiz Melodia, Seu Jorge e Paulinho da Viola” (de Ancelmo Gois, no ‘Globo’ – som na caixa).

Dúvida pertinente. Eusébio, Figo ou Cristiano Ronaldo: quem merece o título de rei do bacalhau?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Viva Portugal e o Mané da padoca! Mas nada de festa ao futebol campeão da Eurocopa

O gajo Cristiano Ronaldo (7) comandou a festa portuguesa em Paris

E o patinho feio levou o caneco da Eurocopa.

Na fase de grupos, sobreviveu após três empates; nas oitavas, passou pela embalada Croácia com um gol na prorrogação; nas quartas, vitória sobre a Polônia nos pênaltis (5 a 3); nas semifinais, o único triunfo em 90 minutos (2 a 0 no País de Gales); e na decisão, uma festa portuguesa com certeza: 1 a 0 na França, na prorrogação.

Que Portugal curta exaustivamente a primeira grande conquista internacional! Que o gajo Cristiano Ronaldo levante mais uma vez a Bola de Ouro da mamãe Fifa! Que o Mané da padoca dance o vira e beba vinho até cair!

Nada mais justo. O esforço do coletivo deve ser premiado.  Mas em nome da sobrevivência do bom futebol, que os frutos da campanha dos portugueses não contaminem os gramados. Em nenhum momento a equipe empolgou. Tanto que um de seus principais destaques foi o goleiro Rui Patrício, muito bem assessorado pela zaga.

Não se deve agora, em nome de um futebol que deixa a desejar tecnicamente, transformar o espetáculo num ganha e perde sem o mínimo brilho. No odioso pragmatismo de que ‘o importante é vencer’.

Muito menos considerar o brasileiro naturalizado Pepe um novo Beckenbauer, e Thiago Silva, um tremendo perna de pau. Falácia dos incompetentes.

Até hoje, a seleção brasileira de 1982, a equipe húngara de 1954 e a laranja holandesa de 1974 reinam na galeria dos imortais, com Zico, Puskas, Cruyff e outros gênios.

Já alguns campeões simplesmente perderam espaço na memória do torcedor e sobrevivem apenas em almanaques de colecionadores. Ora, pois!

Por falar na casa portuguesa… A equipe contribuiu com quatro jogadores para a formação da seleção da Euro: Rui Patrício (Portugal); Kimmich (Alemanha), Boateng (Alemanha), Pepe (Portugal) e Guerreiro (Portugal); Toni Kroos (Alemanha) e Joe Allen (País de Gales); Griezmann (França), Aaron Ramsey (País de Gales) e Payet (França); Cristiano Ronaldo (Portugal). O francês Griezmann, artilheiro com seis gols, foi eleito o melhor do torneio.

A equipe ideal e Griezmann foram eleitos por um conselho de treinadores, capitaneado por Sir Alex Ferguson. Outros bambambãs: Alain Giresse, David Moyes e Milosevic

                                                    ############

Sugismundo Freud. Vitórias vêm ou não, mas só o talento é eterno.

Coirmão colorado. Muitos gremistas adoraram a ideia e certamente até chegaram a imaginar como poderia ser a peça publicitária. Mas o presidente Romildo Bozan Júnior não gostou e vetou a possibilidade de o time aceitar o patrocínio pontual de uma fábrica de tratores. Explicou: não se pode tripudiar sobre os outros, porque as coisas no futebol são como um bumerangue – vão e voltam. O último Gre-Nal entrou para a história como o ‘duelo do trator’. Antes do clássico, vazou um áudio do ‘professor’ Argel, do Saci colorado, garantindo que o Grêmio seria atropelado por um trator no Beira-Rio. O imortal ganhou por 1 a 0.

Pitaco do Chucky. Goleiro Denis tranquiliza a torcida do soberano Tricolor: renovou contrato até dezembro de 2017.

Zapping. Portugal x França rendeu 21 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia entregue às baratas. Na Band, a final da Eurocopa cravou sete. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, o embate amealhou 24 pontos à emissora carioca. Pela manhã, os motores da Fórmula 1 conquistaram 9 pontos com o GP da Inglaterra. Já o embate Chapecoense x Corinthians, realizado sábado, amealhou 18 pontos à plim-plim. Cada ponto em SP significa 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil.

Zé Corneta. Depois de Argel, o DVD do Saci colorado ganharia ares de superprodução com a volta de Dunga.

Bem, amiguinhos. Enquanto os anjinhos do octógono trocam carícias em troca de centavos, os donos do show enchem a burra: os irmãos Fertitta venderam o UFC ao grupo chinês WME-IMG por US$ 4 bilhões (R$ 13 bilhões). Em 2001, os Fertitta pagaram US$ 2 milhões pela empresa. O careca fanfarrão Dana White continuará como presidente e com 1% do negócio.

Caiu na rede. Vasco e Botafogo estão fora da Primeira Liga porque não há rebaixamento.

Bem, diabinhos. A família olímpica já está ligada. Atletas, treinadores e cartolas só poderão exibir patrocinadores oficiais dos Jogos a partir do dia 20. E ai daquele que não respeitar a decisão do COI. Pode levar um gancho e até perder a medalha que conquistou durante a Rio-16.

Patolino na geral. Depois de 2008, o São Paulo virou time de Sul-americana.

Cobras & Lagartos. O jornalista Mauro Beting vibrou com a festa portuguesa em Paris, mas torceu o nariz para o futebol apresentado pelos campeões: ‘Portugal merece todos os parabéns pela vitória, não necessariamente pelo seu futebol. Para o meu gosto, melhor seria a Alemanha campeã. Ou a França’, escreveu no ‘Uol’.

Twitface. Peixe, o grande teste do Palmeiras?

Tiro curto. Finalmente, o pinguim Mick Jagger deu uma dentro. O líder dos Rolling Stones pintou no Stade de France e torceu pela seleção portuguesa.

Lance livre. A associação de hotéis do Rio garante: 92% dos quartos estão reservados para o período dos Jogos. Barra da Tijuca e São Conrado têm 98% de ocupação.

Dona Fifi. O paraguaio Romero anda falando pelos cotovelos no Corinthians. Até parece o craque do time. Menos, menos…

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “Na esteira dos Jogos Olímpicos, Pelé, o rei, assinou contrato com a MCA, selo da Universal Music França, para lançar a música ‘Esperança’. A canção é um tributo à juventude e traz uma mensagem de esperança no futuro. O lançamento mundial será no dia 15, seguido por um videoclipe. Pelé, como se sabe, já se aventurou em soltar a voz outras vezes.” E jamais agradou.

Zé Colmeia. Aos 40 anos, Tim Duncan deixou o garrafão. Uma das maiores estrelas da NBA, ele defendeu apenas o San Antonio Spurs. Duncan se aposenta com cinco títulos.

Tititi d’Aline. A zaga do Fluminense com Gum e Henrique é um eterno convite a grandes emoções, mas o clube não está nem aí e se dá ao luxo de emprestar Marlon ao Barcelona. O garoto de 20 anos defenderá o time B do time catalão. Ele acertou contrato até 30 de junho de 2017. O time carioca confirmou que a opção de compra foi fixada em 6 milhões de euros (R$ 22 milhões). O Fluminense detém 70% dos direitos do zagueiro.

Você sabia que… o Peixe ganhou apenas 19 dos 177 jogos que disputou como visitante desde 2011, com aproveitamento de 10,7%, segundo o ‘ESPN’?

Bola de ouro. Cristiano Ronaldo. Mostrou na Eurocopa que também é um craque fora de campo. Liderou a seleção em cobranças de pênalti (‘anda a bater, anda a bater! Tu bates bem! Se perder que se f…’, disse a João Moutinho contra a Polônia) e orientações táticas diante dos franceses à beira do campo, após sair lesionado.

Bola de latão. Argel Fucks. O ‘professor’ deixou o Saci colorado depois de 11 meses, 33 vitórias, 14 empates e 14 derrotas em 61 jogos, com 61,7% de aproveitamento. Faturou o Gauchinho, mas nunca agradou a torcida com seu estilo pragmático de jogar. Não deixará saudade. Menção honrosa: Vinícius Eutrópio. Também foi convidado a se retirar no Figueira após cinco partidas sem vencer.

Bola de lixo. CBF. O Circo Brasileiro de Futebol decidiu enxugar o quadro de funcionários. A turma de salário baixo é a mais atingida pelo facão de Rogério Caboclo, o amigo de fé e irmão camarada do imperador ostentação Del Nero. O café no bule de Caboclo: R$ 150 mil por mês.

Bola sete. “Ainda não recebi convite do Comitê Olímpico Internacional, tão pouco do brasileiro. Mas não irei em condições que me diminuam. Acho que seria justo um convite, porque foi o meu governo que assegurou os recursos necessários aos Jogos” (de Dilma Rousseff, ao jornal português ‘Diário de Notícias’ – faz sentido?).

Dúvida pertinente. A presidenta afastada Dilma Rousseff merece um lugar na tribuna de honra na abertura da Olimpíada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Com reservas, soberano Tricolor faz a lição de casa depois da noite de terror

Lyanco e Kardec marcaram os gols

Depois da inesquecível noite de terror no meio da semana, dentro e fora de campo, o soberano São Paulo fez a lição de casa e passou fácil pelo Coelho mineiro, lanterna do Brasileirão: 3 a 0, gols de Alan Kardec (dois) e Lyanco.

Entusiasmados com a histórica quarta-feira de selvageria proporcionada pelos anjinhos organizados pelo diabo, nada menos que… 8.198 torcedores compareceram ao Morumbi.

Apostando no milagre da multiplicação dos gols no duelo contra o Atlético Nacional nas semifinais da Libertadores, o Tricolor entrou em campo recheado de reservas.

Mesmo assim, o time se impôs tranquilamente diante da pior equipe do campeonato, com apenas oito pontos em 42 possíveis. Com o triunfo, o São Paulo foi a 21 pontos e ocupa o sétimo lugar. Ou seja, se não conseguir o milagre da classificação no torneio continental, continuará em boa situação para brigar pelo G4 e voltar à Libertadores.

Após perder algumas chances, o São Paulo começou a construir a vitória aos 33: Centurión cobrou falta e Kardec completou de cabeça. Nove minutos depois, o zagueiro Lyanco arrancou em velocidade, limpou um adversário e bateu de perna direita. Um belo gol, o primeiro do garoto tricolor: ‘Eu nunca vou esquecer. Eles foram abrindo, e eu pensei: não vou tocar agora. Aí eu chutei.’

Aos 14 do segundo tempo, Kardec enterrou o Coelho. Luiz Araújo invadiu a área pela direita, tocou rasteiro para o meio e o atacante desviou para as redes.

Ao final da partida, torcedores gritaram ‘eu acredito’, em referência ao jogo da Libertadores. O São Paulo precisa apenas repetir o mesmo placar. Há, porém, um pequeno obstáculo: o Atlético Nacional é muito superior, e põe superior nisso, ao Coelho mineiro.

Outras patacoadas da 14ª rodada do Brasileirão:

1) Com um gol de Keno, Santa Cruz derruba Saci colorado, volta a vencer depois de cinco derrotas e manda o ‘professor’ Argel para o espaço – apesar da vitória, Cobra Coral permanece na zona do rebaixamento (18º, com 14 pontos); time gaúcho chega a sexta partida sem ganhar (oitavo, com 20) e demite o treinador após a derrota;

2) Garoto Vizeu substitui Guerrero, dá duas estilingadas no Galo no péssimo gramado do Mané Garrincha (23.390 torcedores), comanda o voo do Urubu aos 23 pontos (quarto no G4) e dá ‘as boas-vindas’ ao novo reforço, Leandro Damião – time mineiro perde invencibilidade de cinco jogos e permanece com 20 pontos na 10ª posição;

3) Bobô sai do banco, marca na bacia das almas e Grêmio derrota Figueira por 2 a 1, na Arena (36.381 espectadores) – imortal mantém terceira colocação, agora com 27 pontos, enquanto a equipe catarinense (15) navega na zona do agrião queimado;

4) Corinthians supera apito amigo, engata a quarta vitória consecutiva com o ‘professor’ Cristóvão Borges e segue na cola do Palmeiras – as duas equipes têm 28 pontos, mas os corintianos perdem no saldo de gols (13 a 10);

5) Coxa e Botafogo morrem abraçados no ‘oxo’ diante de 10.922 pagantes e continuam mal das pernas na tabela – paranaenses estão em 16º, com 15 pontos, um a menos que os cariocas (14ª); nos embalos de sábado à noite, na discoteca Moisés Lucarelli, com 3.086 convidados, Macaca coloca o Leão pernambucano para dançar (2 a 1) – Ponte fatura a terceira seguida e pula para 23 pontos, e Sport amarga 18 no subsolo do campeonato.

############

Pitaco do Chucky. Mais de 10 mil pessoas vão ao Ibirapuera assistir a final de um torneio de videogame: se liga, futebol!

Paris, uma casa portuguesa. Mesmo sem Cristiano Ronaldo (saiu machucado aos 23 minutos do primeiro tempo), Portugal derrotou a França por 1 a 0, gol de Eder, aos quatro minutos do segundo tempo da prorrogação, e conquistou a Eurocopa. Havia 41 anos que os portugueses não derrotavam os franceses. É o primeiro título na história do país. A redenção vem 12 anos depois do fracasso diante da Grécia na final em casa. Portugal agora faz parte do grupo de campeões, que tem Alemanha (3 canecos), Espanha (3), França (2), União Soviética, Itália, Tchecoslováquia, Holanda, Dinamarca e Grécia. CR7 chorou muito ao deixar o campo lesionado e, depois, na festa do título. Finalmente, ele levantou uma taça por Portugal, o que seu maior rival, Messi, nunca conseguiu pela Argentina.

Zé Corneta. Viva o grito da Fiel em Chapecó: CBF da corrupção. #euapoio

Cobras & Lagartos. O grito de advertência partiu da mexicana Teresa Ulloa Ziáurriz, diretora da Coalizão Regional contra o Tráfico de Mulheres e Meninas na América Latina e no Caribe: “Diga não ao turismo sexual! Comprar sexo não é um esporte”. A campanha se estenderá até o final da Olimpíada. Ela lembrou que o Brasil caminha para tornar-se o país com maior número de crianças em situação de exploração sexual no mundo. E mais: “Na última Copa do Mundo, fora dos estádios, venderam serviços sexuais com meninas de 10 anos em troca de R$ 6.” Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Sugismundo Freud. Nada se consegue sem sonhar.

Bem, amiguinhos. Depois de 123 jogos e 18 gols com a camisa do Galo, o hermano Dátolo pode deixar o clube. Contratado em agosto de 2013 e campeão do Mineirinho de 2015, da Copa do Brasil e da Recopa Sul-americana em 2014, Dátolo acredita ter chegado a hora de respirar novo desafio. Cansou de ficar na reserva ou de chinelinho no departamento médico. O meio-campista tem mais seis meses de contrato com o Galo, mas espera rescindi-lo até agosto. Pode se mandar para a China, Flu ou Boca.

Patolino na geral. Apesar da barbárie na última quarta, os anjinhos organizados pelo diabo ainda encontram defensores na mídia. Aliás, uma defesaça.

Bem, diabinhos. A cartolagem ri à toa: o Bom Senso FC fechou as portas depois de três anos combatendo as mazelas no ludopédio nacional. De acordo com Camila Mattoso, na ‘Folha’, o grupo não aparecerá mais criticando o Circo Brasileiro de Futebol e os dirigentes. A classe acredita ter saído vitoriosa por despertar a atenção para os problemas do esporte e pela aprovação do Profut. O grupo foi taxado de ‘rebelde’ e, por isso, alguns atletas encontraram problemas para continuar na profissão. O Bom Senso FC gastou R$ 500 mil desde a fundação.

Zé Colmeia. Dos seis milhões de ingressos colocados à disposição dos torcedores para a Rio-16, um milhão foi comprado por estrangeiros – EUA, França, Argentina, Alemanha e Japão lideram a lista. No total, já foram vendidos 4,3 milhões de bilhetes (R$ 950 milhões).

Tiro curto. O atacante Leandro Damião se apresentará ao Flamengo cheio de moral: correu para o abraço pela última vez na Raposa, em novembro de 2015. No Bétis, da Espanha, disputou apenas três jogos em 2015/16.

Lance livre. A turma da prancha está eufórica: o Comitê Olímpico Internacional pretende anunciar antes da abertura da Rio-16, em 5 de agosto, a inclusão do surfe nos Jogos de Tóquio, em 2020.

Gilete press. Do ex-jogador Casagrande, hoje comentarista, a Mariana Godoy, na ‘RedeTV’: “É muito difícil pra mim, que fiz parte dessa classe, olhar e não ver nenhum jogador preocupado com a situação política e social do país, com a corrupção no governo e na CBF. O Magrão [Sócrates] falava uma coisa que é verdade: o futebol é uma política muito importante dentro do país, porque é o país do futebol e a palavra do jogador tem um peso muito grande, uma interferência na sociedade.” Bons tempos da democracia corintiana…

Caiu na rede. Mariana Becker, repórter da plim-plim, avisa pelo ‘rádio’ que precisa fazer um pit stop com urgência: xixi.

Tititi d’Aline. O ‘estilista’ Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman, também chefão do COB (caixinha, obrigado Brasil), decidirá as mudanças que o enxoval dos entregadores de medalha na Rio-16 sofrerá. Ao ser lançado, o uniforme foi comparado a roupas de festa junina. Só faltou chapéu de palha aos manequins. Um horror!

Você sabia que… o interino Zé Ricardo acumula seis vitórias, quatro derrotas e um empate no comando do Flamengo?

Bola de ouro. Meninas do vôlei. Mostraram no Grand Prix que estão no caminho do pódio olímpico. A seleção comandada por Zé Roberto Guimarães cortou as americanas (3 sets a 2) e levantou pela 11ª vez o caneco. Brasil e EUA são favoritos ao ouro nos Jogos. A ponteira Natália foi eleita a melhor jogadora do torneio. A equipe brasileira lutará pelo tri no Rio.

Bola de latão. Mídia caolha. Inacreditável o comportamento de alguns gênios da imprensa: a seleção brasileira feminina de vôlei ganha pela 11ª vez o Grand Prix, mas é derrotada no noticiário por uma noitada dos anjinhos do octógono. Amanda Nunes, José Aldo e Anderson Silva ganham mais destaque que Thaísa, Fabiana, Sheilla, Garay, Jaqueline & Cia.

Bola de lixo. Luciano. Não está jogando nada no ataque do Corinthians e ainda faz biquinho quando é substituído. Já passou a hora de colocar o bumbum no banco.

Bola sete. “Cristóvão Barak – é a cara do Corinthians” (de um torcedor após a vitória sobre a Chapecoense – pano rápido).

Dúvida pertinente. Portugal, o melhor da Eurocopa?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Pressionado, poderoso chefão do Tricolor rompe com os vândalos organizados

Torcida exigiu tomada de posição do clube contra a organizada

Demorou, mas finalmente o mandachuva e raios do soberano Tricolor, CA de Barros e Silva, resolveu agir e acabou com a mamata dos anjinhos organizados pelo diabo.

O clube não distribuirá mais centenas de ingressos para os jogos do São Paulo e muito menos abrirá o cofre para ajudar a quadrilha a colocar o bloco na rua durante o carnaval.

Pressionado por conselheiros e torcedores, o cartola deu um bico no ‘leco leco’ e rompeu com os vândalos. O fim da promiscuidade entre o clube e os trogloditas foi anunciado no final da tarde desta sexta, em nota oficial:

‘O São Paulo Futebol Clube vem a público manifestar seu veemente repúdio aos episódios de violência ocorridos no entorno do Estádio do Morumbi, após o jogo da última quarta-feira. Inúmeros relatos e imagens deixam evidente a associação entre os atos lamentáveis e membros de torcidas organizadas (…) Em nome dos verdadeiros torcedores, o São Paulo formaliza que não vai manter mais nenhum tipo de relação com as torcidas organizadas.’

Antes de dar um solene bico nos fundilhos da horda, CA de Barros e Silva foi bombardeado por conselheiros e sócios- torcedores, inconformados em ver o São Paulo refém de um bando de marginais.

Choveram protestos nas redes sociais. ‘Eu e minha namorada vivemos momentos aterrorizantes na frente do estádio. Pago caro para ser sócio e o São Paulo oferece benefício ao bandido? Lugar de vagabundo é na cadeia, não no estádio. Estou arrependido de ser sócio’, desabafou um deles na página oficial do sócio-torcedor.

Já uma torcedora questionou: ‘Qual a vantagem de ser sócia e ser atacada pela organizada que o próprio clube financia?’.

A maioria cobrava uma atitude da diretoria, como acontecera no Palmeiras e ameaçava deixar o programa de sócio-torcedor. Desde 2013, os periquitos em revista não se rendem aos delinquentes.

Resultado: o clube nada na segunda melhor média de público do país. O nobre presidente Paulo Nobre pouco se lixou para os protestos dos bandidos, e hoje saboreia os frutos da alforria.

O programa sócio-torcedor é uma das boas fontes de renda do Tricolor. Ocupa a quarta posição no ranking, com 108 mil integrantes, atrás de Corinthians (129 mil), Palmeiras (126 mil) e Saci colorado (112 mil).

Um boicote seria um golpe mortal, um nocaute de consequências imprevisíveis para CA de Barros Silva. Mas o cartola acordou e enfim desceu do muro.                                            

                                            ############
Pitaco do Chucky.
Torcida organizada ou crime organizado?

I love Peixe. Nada contra, ao contrário. Mas não deixa de ser quiçá interessante e, por que não dizer, extremamente enaltecedor o amor de Gabigol pelo Peixe. O atacante abdicou de receber R$ 620 mil por mês no Chelsea, além de bonificações, para ganhar R$ 300 mil no Santos, sem plano de carreira e porcentagem em direitos de arena. Gabigol prorrogou o contrato até 2021. O Chelsea iria pagar R$ 110 milhões pelo jogador. Aí tem!

Zé Corneta. Olimpíada, uma torradeira de dinheiro.

Bem, amiguinhos. Os periquitos em revista estão por cima da carne seca. O clube possui a maior folha de pagamento entre os bambambãs de São Paulo. A xepa para o elenco gira em torno de R$ 9 milhões. O Palmeiras paga R$ 5,6 milhões em carteira, e o restante, R$ 3,4 milhões, em direitos de imagem. O Corinthians aparece em segundo lugar no ranking, com R$ 7 milhões, R$ 1,4 milhão a mais que o soberano Tricolor. O Peixe fecha o quarteto, com pouco mais de R$ 4 milhões.

Sugismundo Freud. Sempre fica um pouco de cheiro na mão de quem oferece rosas.

Bem, diabinhos. A goleira Luciana, do Rio Preto e da seleção, está sob a suspeita de ter facilitado as coisas para o Flamengo soltar o grito de campeão brasileiro. A denúncia foi feita pelo próprio clube da atleta. Que teria tomado atitudes estranhas, como ‘saídas estabanadas’, cera na hora errada e displicência na tentativa de defender um pênalti. Também apareceu no vestiário de mala e cuia antes da segunda partida, ou seja, não participaria da festa se o Rio Preto fosse campeão. O STJD pediu investigação sobre o caso.

Patolino na geral. Superfantástico: há dois anos a amarelinha desbotada não toma um gol da seleção da Alemanha. Parabéns, Felipão!

Dona Fifi. O Corinthians tentou, inutilmente, convencer Pato a aceitar uma redução salarial. O atacante recebe R$ 800 mil por mês. É o maior holerite do clube. Depois vem Elias, com R$ 500 mil.

Tiro curto. O ‘professor’ Bauza Patón já escolheu o substituto de Calleri, que deve se mandar para a Europa: Milton Caraglio, 27 anos. O argentino defende o Tijuana, do México. Já passou por Vélez Sarsfield, New England (EUA), Pescara (Itália) e Arsenal (Argentina). Em 49 jogos pelo Vélez, marcou 12 gols, metade de pênalti.

Caiu na rede (by ‘Piauí Herald’). Delegação brasileira terá atletas do Comando Vermelho na prova de tiro.

Lance livre. O goleiro Victor fez os cálculos e concluiu: se o Galo bicar 12 pontos até o final do primeiro turno, continuará na briga pelo título do Brasileirão. O time mineiro ainda vai encarar três duelos como mandante (Coxa, Santa Cruz e Chapecoense) e três como convidado (Flamengo, Palmeiras e São Paulo). O Galo ocupa a nona colocação, com 20 pontos, após 13 rodadas.

Cobras & Lagartos. O Galinho Zico voltou a distribuir elogios à administração de Edmundo Bandeira de Mello no ninho do Urubu: “O Flamengo está pegando reservas de outros times, que não deram certo, como solução. Estão contratando mal, no desespero. E tem um monte de gente lá fazendo scout. Pelo amor de Deus.” Fato.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Sabe esse Sérgio Borges, diretor da SB Marketing, investigada pela PF sob a suspeita de falsificar documentos para justificar sua vitória em concorrências de verbas do Ministério dos Esportes? Pois bem. Ele foi gerente de Relações Institucionais da Confederação Brasileira de Voleibol na gestão de Ary Graça, que renunciou em 2014, após denúncias de irregularidades num contrato com o Banco do Brasil.” Ace!

Zé Colmeia. O hermano Tevez recusou R$ 650 mil por semana do West Ham. O atacante só admite deixar o Boca Juniors se receber R$ 1 milhão a cada sete dias.

Tititi d’Aline. A ex-nadadora Rebeca Gusmão lançou o livro ‘Virada Olímpica’. Ela abre o jogo na autobiografia. Vai muito além do mergulho na piscina. Conta, por exemplo, duas tentativas de suicídio. Aborda também o doping que a baniu no esporte. Rebeca está grávida de Zeus, que deve nascer em agosto.

Você sabia que… a média de público da nau vascaína no porto de São Januário é de 6,1 mil torcedores por jogo?

Bola de ouro. Eurocopa. O desfile dos melhores jogadores do Velho Continente termina neste domingo com um belo prato na TV: bacalhau x caviar, Cristiano Ronaldo x Griezmann.

Bola de latão. Maxi Rolón. A aventura do hermano no aquário da Vila Belmiro chegou ao fim depois de cinco jogos (nenhum como titular). O atacante pintou no Peixe sem o aval do ‘professor’ Dorival Júnior.

Bola de lixo. Gustavo Vinagre. Azedou o vinagre do chefão do Tricordiano, de Três Corações: foi preso numa boca de fumo da cidade mineira e portava ilegalmente um revólver calibre 32. Pagou fiança e foi liberado.

Bola sete. “Não há uma data para ele voltar. Vai ser quando estiver em forma. Pato está um bom tempo parado. Posso garantir apenas que está muito motivado” (do ‘professor’ Cristóvão Borges, sobre o retorno de Pato ao ataque do Corinthians – mergulho à vista?).

Dúvida pertinente. Vale a pena o Flamengo apostar R$ 300 mil por mês no centroavante Leandro Damião?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br