Reviravolta no Brasileirão: Palmeiras desaba e Corinthians assume a ponta

Elias voltou ao time como titular e garantiu a vitória do Corinthians

Pois é, a lógica indicava que o Palmeiras deveria ter o trabalho mais fácil na 17ª rodada do Brasileirão, já que iria enfrentar o Botafogo, então no subsolo do campeonato, enquanto o Corinthians encararia o Saci colorado na casa do adversário.

Mas futebol não tem lógica: os periquitos em revista tombaram diante dos cariocas (3 a 1); os corintianos venceram os gaúchos (1 a 0) e assumiram a liderança.

Como desgraça pouca é bobagem, o Peixe também faturou os três pontos (2 a 0 na Raposa) e passou a perna no Palmeiras. A situação só não ficou pior porque o Grêmio empatou (‘oxo’) com o lanterna Coelho.

Isso posto, aos números: 1) Corinthians – 33 pontos; 2) Santos – 32; 3) Palmeiras – 32 (perde do Peixe no saldo de gols, 16 a 14); e 4) Grêmio, 31. Flamengo (30) e Galo (29) correm no vácuo do G4.

Depois de oito rodadas, o Palmeiras perdeu a ponta na Ilha do Governador (7.743 pagantes). Já o Botafogo saiu da zona do agrião queimado com dois gols de Neilton e um de Camilo (pênalti). Erik descontou para os palmeirenses, que sofreram a segunda derrota consecutiva, coincidentemente desde que o menino Jesus se mandou para a seleçãozinha olímpica.

O time botafoguense foi superior a maior parte do tempo. Disputou uma boa partida, principalmente no primeiro tempo, quando fez dois gols. A posição do Palmeiras é preocupante. Corre risco de ficar sem Fernando Prass pelo restante do Brasileirão – o goleiro se machucou na seleçãozinha e deve passar por cirurgia. E Gabriel Jesus pode se transferir para o exterior.

No Beira-Rio (30.098 pagantes), mesmo sem mostrar um grande futebol, o Corinthians derrubou o Saci colorado, com um gol de Elias, aos 41 minutos do primeiro tempo. A equipe corintiana voltou a vencer depois dois empates.

Só não conseguiu uma vitória bem mais tranquila porque, como sempre, o ataque negou fogo. André, por exemplo, jogou contra. É incrível a fase do centroavante. Se não bastasse perder gols, ainda serve como zagueiro adversário: de cabeça, cortou uma bola que deixaria Elias na cara do goleiro Marcelo Lomba.

O Saci colorado completou nove partidas sem ganhar (sete derrotas e dois empates), a maior sequência da história do clube no Brasileirão. Foi a quarta sapatada seguida dentro de casa. Resultado: os anjinhos colorados organizados pelo diabo promoveram um quebra-quebra depois da partida. A Brigada Militar teve de entrar em ação.

Em Santos, no aquário da Vila Belmiro (13.830 torcedores), o Peixe deu as boas-vindas ao ‘professor’ Mano Menezes, que retornou ao comando da Raposa: 2 a 0, gols de Vitor Bueno e Lucas (contra) no segundo tempo. A Raposa fez sena: sexto jogo sem triunfar (cinco pancadas e um empate).

Enquanto o Santos, mesmo sem Gabigol, Zeca e Thiago Maia, a serviço da seleção olímpica, além de Lucas Lima, machucado, briga pelas primeiras posições, o pão de queijo queima na zona do agrião queimado: penúltimo colocado, com 15 pontos 51 possíveis.

O time santista não sofre uma derrota desde 29 de junho, quando caiu diante do Grêmio, em Porto Alegre. Acumula sete confrontos sem perder, considerando os dois jogos contra o Gama, pela Copa do Brasil.

No café da manhã no Morumbi, com 54.996 convidados (recorde do campeonato), o soberano Tricolor sofreu para empatar com a Chapecoense em 2 a 2. O time catarinense abriu 2 a 0 em apenas 11 minutos de jogo, com Kempes e Thiego de cabeça, em falhas de Maicon, e o São Paulo só foi buscar o empate no segundo tempo, com o peruano Cueva, aos 15 e aos 40, em cobrança de pênalti.

Na bacia das almas, Denis fez duas belas defesas e evitou a derrota são-paulina. Com o resultado, as equipes chegaram a 23 pontos e flutuam na metade da tabela. Destaque do Tricolor, Cueva tomou o terceiro cartão amarelo e está fora do embate contra o Galo. O São Paulo completou três jogos sem vencer.

                                                     ###########

Pitaco do Chucky. É Olimpíada do Brasil ou da plim-plim?

Dom Chicote. O ‘rei’ Pelé está ganhando a corrida para acender a pira olímpica na festa de abertura dos Jogos. Depende apenas da liberação do empresário EA do Nascimento, dono dos direitos do ‘Atleta do Século’, que ainda não se recuperou totalmente de uma cirurgia de bacia. Guga, Robert Scheidt e Torben Grael são opções.

Zé Corneta. Fórmula 1 e transmissão da plim-plim, tudo a ver: uma chatice só. Corrida de tartaruga master é mais emocionante.

Rei da arquibancada. Com 35 milhões de torcedores, o Flamengo lidera o ranking da Conmebol, divulgado pelo site ‘Passion futbol’. Em segundo lugar entre os times mais populares aparece o Corinthians, com 26,3 milhões. O Boca Juniors fecha o pódio, com 16,5 milhões, colocação que deixou os hermanos irritados. Vasco e Galo não aparecem entre os 24. O top 10, em milhões de torcedores:

1) Flamengo – 35
2) Corinthians – 26,3
3) Boca Juniors (ARG) – 16,5
4) São Paulo – 16,1
5) River Plate (ARG) – 15,2
6) Alianza Lima (PER) – 12,8
7) Palmeiras – 12
8) Atlético Nacional (COL) – 11
9) Universitário (PER) – 9,8
10) Millonarios (COL) – 9,1

Sugismundo Freud. Só manda quem sabe obedecer.

Bem, amiguinhos. O legado olímpico caiu na boca dos cariocas, mais precisamente em 13 bares. O protesto percorreu algumas ruas de Copacabana, com direito a ‘tocha etílica’: uma latinha de cerveja pintada na ponta de um tabu. Treze boêmios carregaram a tocha, bebendo e descendo a mamona nos políticos.

Caiu na rede (by Zé Simão). Canguru chega à Vila Olímpica e tem a bolsa furtada.

Bem, diabinhos. Depois de quatro meses, fim da linha para o atacante Borges, 35 anos, no Coelho. Em 16 partidas com a camisa do time mineiro, ele marcou dois gols. Apresentado em 26 de março como grande estrela para a temporada, com mais de 200 gols no currículo, transformou-se num ‘matador’ de araque.

Cobras & Lagartos. É muita urucubaca para uma posição só. Há quatro anos, o goleiro Rafael, então no Peixe, foi cortado da seleçãozinha olímpica por causa de uma fratura no cotovelo direito, depois de ser o titular ao longo da preparação da equipe para Londres/12. Agora, a vítima foi o excelente Fernando Prass, também pelo mesmo problema. Xô, satanás!

Dona Fifi. Som na caixa: Martinho da Vila vai cantar ‘Carinhoso’, de Pixinguinha, no encerramento dos Jogos.

Minha casa meu entulho. A Vila Olímpica é mesmo sui generis. Na fachada, muito luxo e apartamentos de R$ 650 mil a R$ 4 milhões. Nos fundos, muito lixo e material ainda empacotado para ser aproveitado. Ocupa uma área reduzidíssima, mais ou menos do tamanho de um… campo de futebol. Uma visão privilegiadíssima para algumas delegações hospedadas em prédios próximos à ‘sala VIP’ armada pela Odebrecht.

Patolino na geral. Makoto Teguramuri, ‘professor’ da seleção japonesa, falou por mais de 15 minutos depois da derrota para a seleçãozinha olímpica. Os jornalistas brasileiros, porém, ficaram a ver navios. Simplesmente não havia um tradutor na sala.

Tiro curto. Galo bica Cobra Coral (3 a 0), engata a terceira vitória consecutiva (a quinta em casa) e segue na caça ao G4. Começa a justificar os prognósticos de sério candidato ao caneco. Robinho, Fred ‘Slater’ e Luan, um trio que vai dar o que falar.

Lance livre. Nau vascaína: metade da rota para a volta à elite do Brasileirão foi concluída: aos trancos e barrancos, bate Criciúma (2 a 1) e fecha o primeiro turno na liderança, com 38 pontos, quatro à frente do Ceará. Um sucesso de público: 3.949 testemunhas no porto de São Januário.

Gilete press. De Márcio Porto, no ‘Lance’: “A trajetória de Michel Bastos no São Paulo pode terminar antes do previsto. O jogador tem contrato até dezembro de 2017, mas a intenção da diretoria é negociá-lo antes. A análise é semelhante a do argentino Centurión: o ciclo de Michel está chegando ao fim. Uma prova de que o camisa 7 não é mais peça-chave no planejamento é que o clube tentou envolvê-lo em uma troca com o Palmeiras pelo atacante Rafael Marques.” Na banguela.

Zé Colmeia. Sem ter o que comemorar nos últimos meses, cruzeirenses recorrem ao túnel do tempo: há 40 anos a Raposa conquistava pela primeira vez a Libertadores, com vitória sobre o River Plate por 3 a 2, num tira-teima em Santiago.

Tititi d’Aline. Estrela brasileira dos saltos ornamentais, Ingrid Oliveira mandou um recado à torcida: quer ser reconhecida por sua capacidade num trampolim e não pelas curvas que recheiam o maiô: ‘Não gosto quando me colocam como musa. Sou atleta.’ No Pan de Toronto, Ingrid ganhou a medalha de prata na plataforma sincronizada ao lado de Giovanna Pedroso. Ingrid também recebeu um zero ao cair de costas na água após um salto.

Você sabia que… o Manchester United já faturou mais de R$ 300 milhões com a venda da camisa 9 do sueco Ibrahimovic?

‘Bola de ouro’. CBF. O Circo Brasileiro de Futebol é de uma transparência ímpar: procurou esconder a gravidade da lesão de Fernando Prass ao longo da semana. Cansou de afirmar que o goleiro se recuperava muito bem. Nos próximos dias, o palmeirense será operado e poderá voltar apenas em 2017.

Bola de latão. Canteros. Pelos ótimos serviços não prestados ao longo de um ano ao Flamengo, o volante argentino foi emprestado ao Velez Sarsfield até junho de 2017. Em 96 jogos com a camisa rubro-negra, Canteros correu cinco vezes para o abraço.

Bola de lixo. Rio-16. Nada como um dia após o outro: a conta final da Olimpíada deverá fechar em R$ 42 bilhões, R$ 3 bilhões a mais do que havia sido previsto. Os números oficiais serão conhecidos apenas em setembro.

Bola sete. “Me empenhei muito para realizar o sonho de ser jogador da seleção, mas infelizmente não foi dessa vez. O exame apontou uma fratura [cotovelo direito] e não poderei disputar a Olimpíada. Vou me cuidar e voltar ainda mais forte para defender o Palmeiras e quem sabe a seleção novamente. Agradeço a torcida” (do goleiro Fernando Prass, nas redes sociais – #ForzaPrass).

Dúvida pertinente. Depois de levar 55 mil torcedores ao Morumbi, o soberano Tricolor aprendeu a lição e continuará com preços promocionais?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Trio ‘GJN’ de R$ 550 milhões dá conta do recado no teste para a corrida do ouro

Gabigol abriu o caminho da vitória contra os japoneses

Mais do que a esperada sapatada na equipe do Japão (2 a 0), no estádio Serra Dourada (32.517 pagantes), em Goiânia, a torcida brasileira estava ligada mesmo era no comportamento do trio ofensivo ‘GJN’ (Gabigol, Jesus e Neymar) da seleçãozinha olímpica, no último teste antes dos Jogos.

Avaliados em R$ 550 milhões, eles mostraram que a conquista da inédita medalha de ouro nunca esteve tão perto do peito. Pela qualidade do bico da chuteira e, principalmente, pelos futuros adversários, merecedores de pouco crédito. As grandes forças simplesmente decidiram ignorar a luta pelo pódio.

Gabigol (R$ 72 milhões), Gabriel Jesus (R$ 115 mi) e Neymar (R$ 361 mi) começaram o jogo sofrendo forte marcação, mas aos poucos foram superando a barreira japonesa com velocidade e trocas de posição.

Encurralado, o Japão tomou o primeiro gol aos 31, após bela jogada individual de Gabigol, que contou com o desvio de um adversário. Na sequência, duas bolas na trave, com chutes de Thiago Maia (boa exibição) e Neymar (cobrando falta).

O segundo gol era só uma questão de tempo, e não deu outra: aos 41, Neymar bateu escanteio e Marquinhos, de cabeça, concluiu para a rede. No apito final, aos 48, um fato raro nos últimos tempos: a torcida aplaudiu a equipe brasileira.

Na segunda final, o ‘professor’ Micale fez uma série de modificações e o futebol da seleçãozinha caiu de produção. Deixou de empolgar a galera. Mesmo assim, o time pouco permitiu ao Japão. A vitória jamais esteve ameaçada.

A equipe promete grandes emoções na Olimpíada, principalmente se jogar com objetividade, como no primeiro tempo do duelo diante dos japoneses, e deixar a firula de lado.

Às vezes, abusou da individualidade, especialmente o capitão Neymar. Que caminha para um ano sem marcar pela equipe nacional. Os dois últimos gols foram contra os EUA, em 8 de setembro do ano passado.

A seleçãozinha estreia contra a África do Sul, dia 4. Depois pega o Iraque, dia 7. Os jogos serão em Brasília. Fecha a fase de classificação contra a Dinamarca, dia 10, em Salvador.

                                                              ############

Dom Chicote. Há coisas que realmente só acontecem no Botafogo. No teste do telão do Engenhão, casa botafoguense cedida para os Jogos, os responsáveis pelo estádio não pensaram duas vezes e sapecaram o hino do… Flamengo, com imagens do time rubro-negro.

Pitaco do Chucky. O Rio continua lindo, mas a Olimpíada…

Super-Inter. O Saci colorado espera pelo Corinthians cheio de moral no Beira-Rio: nos últimos oito jogos, ganhou apenas dois pontos em 24 possíveis. Empatou com o Coxa e a Ponte, e tomou bordoadas de Santa Cruz, Palmeiras, Figueira, Botafogo e Flamengo, com aproveitamento de 8%. Desde 1999, o time gaúcho não ficava tanto tempo sem vencer no Brasileirão.

Zé Corneta. O ‘professor’ Cristóvão Borges esconde tanto o time nos treinos que na hora de a onça escovar os dentes o futebol do Corinthians não aparece.

Exército veta musa. Titular da seleção brasileira de esgrima, a paranaense Amanda Simeão, 22 anos, recebeu convite da ‘Playboy’ para incorporar o papel de ‘musa da Olimpíada’ em fotos sensuais. Nada de nudes. Topou. Mas não poderá fazer o trabalho. O Exército vetou a ideia. Amanda é terceiro sargento. Ao lado de mais 144 atletas que representarão o Brasil nos Jogos, ela faz parte do programa militar de alto rendimento: ‘Não ia aparecer nada demais. Estaria sempre coberta, seria uma forma de divulgar o esporte, porque as fotos seriam sempre com a espada e a máscara.’

Patolino na geral. Datena reforça equipe da Band nos Jogos: caso de polícia é com ele mesmo.

Exército veta musa 2. Amanda contou ainda que iria falar sobre a carreira de atleta e empresária, por estar abrindo uma academia de esgrima. ‘Eles tinham me escolhido como musa da Olimpíada’, contou Amanda à ‘Folha’. Acrescentou que entendia a posição do Exército e por isso não ficou chateada. Ela começou a tomar gosto pela esgrima ainda criança, quando foi morar na Itália. Depois, seguiu para Paris e passou a treinar com o francês Daniel Levavasseur, um dos melhores do mundo. Ano passado, em Toronto, Amanda ganhou a medalha de bronze no Pan-americano. Touché!

Sugismundo Freud. Viver é uma eterna luta.

Bem, amiguinhos. Pouco, ou quase nada, se falou sobre o invejável futuro do Gama após a eliminação da Copa do Brasil. Graças ao excepcional calendário da pátria das chuteiras furadas, o magnânimo representante do Distrito Federal entrou de férias depois da derrota para o Peixe e só voltará aos gramados no Candangão de… 2017. Brasil sil sil: 11,58 milhões de desempregados.

Caiu na rede (by ‘essediafoilouco’). WhatsApp é igual ao Fluminense: vive caindo, mas o advogado sempre resolve com um recurso.

Bem, diabinhos. Alô você, torcedor. Água, chá e suco em lata são vendidos por R$ 8 no Parque Olímpico, R$ 2 a mais do que na Copa do Mundo. Um sanduba de carne ou linguiça devora R$ 15. Na festa das chuteiras saia por R$ 10. Coxinha, pão de queijo e que tais são oferecidos a R$ 10, enquanto pratos como macarrão custam R$ 20. Opções para enganar o estômago: biscoito de polvilho – R$ 6; pipoca -R$ 12; e chocolate – R$ 10. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Zé Colmeia. A diversidade esportiva na ‘ilha da fantasia do mestre Tattoo’ é exemplar. Apenas 250 dos 465 atletas convocados para a Olimpíada pertencem a São Paulo (159) e Rio (91). Somos todos campeões.

Cobras & Lagartos. A poucos dias da abertura dos Jogos, Juca Kfouri, da ‘Folha’, é só elogios à organização medalha de diamante em bagunça e safadeza. ‘É de se pensar que quando tudo acabar sobre tempo para uma Operação Medalha de Lata, já que dá Copa do Mundo a Lava Jato se ocupa. Não se esqueça que grande parte da Rio-16 é feita com o seu, o meu, o nosso sofrido dinheirinho. Que, somados, valem um dinheirão.’ K.O.

Tiro curto. O gajo José Mourinho chegou chegando ao Manchester United: nove jogadores serão dispensados. O alemão Schweinsteiger deve comandar a barca. Ele tem contrato até 2018 e ganha 189 mil euros por semana (R$ 680 mil).

Lance livre. O imperador ostentação Del Nero garante que, independentemente do resultado de Marta & Cia. na Olimpíada, o Circo Brasileiro de Futebol manterá a seleção feminina permanente. Só falta definir a fórmula, talvez uma equipe sub-23.

Gilete press. Da revista britânica ‘The Economist’, sobre o Rio: “A cidade olímpica está em declínio desde os anos 60 e os Jogos não vão mudar sua direção. O sucesso dos Jogos pode elevar o ânimo. Mas isso não será suficiente para fazer da cidade uma potência econômica. O cenário espetacular faz as pessoas desejarem ir ao Rio, mas vai ser preciso mais que uma luta contra a violência, melhor gestão fiscal e melhora nos serviços públicos para fazer alguém querer ficar.” Aquele abraço!

Dona Fifi. E o Arnaldo Cezar Coelho continua impávido e colosso: só analisa um lance depois da repetição na telinha. É imbatível como ‘comentarista de videoteipe’ dos assopradores de latinha.

Tititi d’Aline. Caetano Veloso, Gil, Anitta e outros artistas estão gravando playback para a abertura da Olimpíada, em 5 de agosto, no ‘new Maraca’. A gravação prévia é uma forma de evitar possível vexame diante de milhões de pessoas.

Você sabia que… Flamengo, São Paulo, Cruzeiro e Coritiba são os clubes com mais estrangeiros (seis cada) no Brasileirão?

Bola de ouro. Torcida do Fortaleza. Um show nas arquibancadas do Castelão. Nada menos que 40.203 pagantes na goleada (4 a 1) sobre o Coelho, que classificou a equipe cearense para as oitavas de final da Copa do Brasil. Novo recorde de público no torneio, superando o jogo contra o Flamengo – 36.213 torcedores.

Bola de latão. Peixe. A renda do embate com a Raposa foi penhorada pela Justiça. Motivo: ação do empresário italiano Lodovico Spinosi, que levou o argentino Ledesma para o Santos em 2015. O bloqueio gira em torno de R$ 370 mil.

Bola de lixo. Pan(demônio). Parte dos cariocas curte adoidada a Vila que recebeu os atletas nos Jogos de 2007. Intermináveis problemas estruturais nos apartamentos e crateras pelas ruas dominam o legado da competição (17 prédios e urbanização). A obra custou R$ 230 milhões. E mais R$ 72 milhões já foram aplicados para tentar sanar a herança dos Jogos Abertos do Interior com grife.

Bola sete. “A Abin vem acompanhando com certa preocupação os preparativos de uma manifestação do Movimento Sem Terra para a abertura dos Jogos Olímpicos. Há suspeitas de que João Pedro Stedile não vai querer uma demonstração pacífica de descontentamento com o novo governo” (de Severino Motta, em ‘Veja’ – pancadaria à vista).

Dúvida pertinente. A seleçãozinha olímpica é melhor do que a principal, a amarelinha desbotada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Do Rio-São Paulo na Copa do Brasil ao minuto de silêncio para cartola vivo

Jabaquara x Grêmio Prudente, Estádio Espanha (Foto: Isabela Oliveira)
Jogadores do Jabaquara e Grêmio Prudente: um minuto de silêncio no estádio Espanha

A bolinha do sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil vai cair na próxima terça, no Circo Brasileiro de Futebol, e pode transformar parte do torneio em um Rio-São Paulo.

Isso porque Palmeiras, Corinthians, Peixe e soberano Tricolor estarão no pote 1, enquanto Botafogo, Fluminense e Vasco ficarão no 2.

Apenas o Santos participou das fases eliminatórias do torneio, porque os coirmãos palmeirenses, corintianos e são-paulinos disputaram a Libertadores.

O Flamengo foi barrado no baile. Brigará na Sul-americana por ter sido eliminado pelo Fortaleza na segunda fase da Copa do Brasil. O Urubu jogará contra o Figueira, que levou uma bordoada da Macaca (5 a 0) na quarta.

Além dos quatro grandes de São Paulo, o pote 1 receberá Galo, Grêmio, Raposa e Saci colorado. No 2, os cariocas receberão a companhia de Furacão, Ponte, Juventude, Botafogo/PB e Fortaleza ou América.

Já na segunda divisão do Paulistinha, ficou provado que nada é impossível na pátria das chuteiras furadas. O presidente do Jabaquara, Antônio Gilberto Amaral da Silva, 70 anos, morreu depois de ser homenageado com um minuto de silêncio.

Internado na UTI da Santa Casa de Santos, após cirurgia na coluna, o dirigente faleceu na madrugada de quarta-feira, três dias depois de uma das maiores gafes do esporte bretão.

Domingo, antes do jogo entre a equipe da Baixada Santista e o Grêmio Prudente, o locutor do estádio Espanha anunciou a morte de Silva, seguindo-se um minuto de silêncio.

A notícia provocou comoção em 237 torcedores e uma promessa do ‘professor’ do Leão da Caneleira, Darlan Santana: ‘Se Deus abençoar, vamos conquistar a vitória para o ‘seu’ Gilberto.’

Ao final dos primeiros 45 minutos, o locutor voltou a se manifestar: pediu desculpas e informou que o dirigente continuava vivo.

No relatório do jogo, ganho pelo Jabuca por 3 a 2, sua senhoria, o assoprador de latinha Cleber Luis Paulino, colocou que ‘foi respeitado 1 minuto de silêncio antes da partida devido a informação do falecimento meia hora antes do presidente do Jabaquara Atlético Clube, Sr. Antonio Gilberto Amaral da Silva, conforme documento enviado em anexo.’ E não retificou a informação.

Silva defendeu o Jabuca na década de 60. Assumiu a presidência em setembro de 2015, depois da morte de Manoel Rodriguez Gonzales, vítima de câncer,

                                                                      ############

Zé Corneta. É fantástico: chovem críticas à organização dos Jogos, mas o poderoso chefão do comitê organizador e do COB (caixinha, obrigado Brasil), Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman, pipoca aqui e ali como se não tivesse nada com a mandioca queimada.

Pitaco do Chucky.  Uma cobertura da Vila Olímpica custa R$ 4 milhões: mamão com açúcar… pedra e areia.

Zapping. O ibope da bola desabou na plim-plim. Peixe x Gama, pelo mata-mata da Copa do Brasil, cravou apenas 17,6 pontos de audiência na grande Pauliceia entregue às baratas. É a pior média do futebol das quartas. Perdeu de todas as novelas. Há uma semana, com a exibição do filme ‘Percy Jackson e o Mar de monstros’, a emissora obteve 21,9. Cada ponto em SP representa 67 mil domicílios sintonizados.

Sugismundo Freud. Quem não sabe nada nunca tem dúvida.

Mimo ao ladrão! Os turistas franceses receberam uma boa dose de tranquilidade de Thibaut Lespagnol, porta-voz da embaixada do país no Brasil: nada de carregar joias ou objetos de valor pelas ruas da Cidade Maravilhosa das balas voadoras e nunca sair do hotel sem uma nota de R$ 20 ou R$ 50, ‘para manter o ladrão feliz’. Meio milhão de turistas estrangeiros deve aterrissar no Rio para acompanhar os Jogos. O governo brasileiro escalou 88 mil homens para cuidar da segurança dos visitantes.

Zé Colmeia. O Palmeiras deve fechar o semestre com superávit de R$ 30 milhões. O clube só amargou déficit (R$ 1 milhão) em maio.

Tombo palmeirense. Após dois resultados ruins do Palmeiras (empate com o Peixe e derrota para o Galo), o imortal Grêmio passou a reinar como mandante no Brasileirão. Os gaúchos acumulam 87,5% de aproveitamento (sete vitórias e uma sapatada). Em segundo aparece o Peixe, com 85,7%, à frente do Furacão, com 83,3%. Os periquitos em revista caíram para a quarta posição, com 81,5%. Por uma daquelas coincidências que só San Gennaro poderia explicar, a queda aconteceu após a saída do menino Jesus.

Patolino na geral. Flamengo jogou a primeira rodada na segunda, e o Vasco, a 93ª.

Bem, amiguinhos. O Manchester City agiu rápido e acertou a contratação do meia-atacante Marlos Moreno, 19 anos, um dos destaques do Atlético Nacional, campeão da Libertadores. O time inglês pagou 9 milhões de euros (R$ 32 milhões) pelo atleta. Segundo o jornal ‘Mundo Deportivo’, Moreno será emprestado ao La Coruña para ganhar experiência.

Caiu na rede. Acabou o caô, o Guerrero voltou.

Bem, diabinhos. O fogo da Rio-16 entrará para a história olímpica. Pela primeira vez os Jogos terão duas piras. Uma delas queimará no ‘new Maraca’, depois de acesa na festa de abertura. É considerada a oficial. A outra será instalada na zona portuária, no centro da cidade. Ficará sob os cuidados do município. Já é chamada de ‘a pira do Paes’.

Cobras & Lagartos. A americana Abigail Johnston, do nado sincronizado, anda mais irritada pelo Parque Olímpico do que mãe de juiz homenageada pela torcida. Vira e mexe desabafa: ‘Quer saber a pior coisa da Vila dos Atletas? Não tem Pokémon.’ Chama o Pateta!

Tiro curto. O atacante Walter trocou a camisa 18 pela 19, e pimba na caxirola: depois de nove jogos, voltou a estufar a rede do inimigo no empate de 1 a 1 do Furacão contra a Chapecoense, resultado que classificou o time paranaense para as oitavas de final da Copa do Brasil. Xô, uruca!

Lance livre. O soberano Tricolor vai virar canarinho. Os conselheiros aprovaram o lançamento do terceiro uniforme em amarelo, com detalhes em vermelho e preto, para homenagear Adhemar Ferreira da Silva, bicampeão olímpico de salto triplo. Ano passado, o time usou uniforme na cor bordô.

Gilete press. De João Carlos Assumpção, no ‘Lance’: “O Tricolor está dividido e a diretoria pressionada por um grupo de conselheiros no Morumbi, grupo que vê o clube refém de Edgardo Bauza. Mesmo integrantes do corpo diretivo do São Paulo acham que o departamento de futebol tem errado feio ao dizer amém a tudo o que pede e fala o técnico argentino. Pressionam a presidência para que exija uma definição do treinador, que sonha em deixar o Brasil para treinar a Argentina, e insista para ele parar de pressionar o São Paulo a contratar atletas estrangeiros mandando recados pela imprensa de seu país. O receio é que, caso o técnico realmente saia, os jogadores argentinos tenham vida curta no clube.” O soberano ferve.

Dona Fifi. O chefão da AFA, Armando Pérez, prometeu anunciar até o fim da próxima semana o novo ‘professor’ da seleção argentina. Depois de conhecer as ideias de Bauza Patón e Miguel Angel Russo, o cartola pretende conversar com Ramon Diaz e Carlos Bilardo.

Tititi d’Aline. O ‘rei’ Roberto Carlos também está integrado à Rio-16. Ele autorizou o comitê organizador a usar ‘Emoções’ em uma campanha na TV para aumentar a sintonia entre os torcedores e os Jogos. As imagens mostram momentos especiais de vários esportes.

Você sabia que… os clubes do Brasileirão abrigam 68 jogadores estrangeiros, um aumento de 40% em comparação ao campeonato de 2015?

Bola de ouro. Atlético Nacional. Dono de ótima campanha, o time colombiano faturou pela segunda vez a Libertadores. Carrasco do soberano Tricolor nas semifinais, o Atlético fechou o desempenho com 33 pontos em 14 jogos, recorde na competição. Superou o Boca Juniors, campeão com 32 pontos em 2003. Os colombianos conquistaram a América com 10 vitórias, três empates e apenas uma derrota.

Bola de latão. Tour da tocha. Ouro no vôlei de praia em Atlanta/96, Jackie Silva e Sandra foram ignoradas pelos organizadores do passeio da tocha olímpica. A dupla quebrou um tabu nos EUA: pela primeira vez atletas brasileiras subiram ao lugar mais alto do pódio. Merecia mais respeito.

Bola de lixo. Prefeitura do Rio. Sob a alegação de que precisava concluir obras atrasadas dos Jogos, acertou 12 contratos sem licitação. Valor: R$ 233 milhões. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Bola sete. “Embevecida com o sucesso do Brexit, a premiê Theresa May convocou um plebiscito em que os britânicos irão decidir se saem ou não da Vila Olímpica. Como as obras foram tocadas pela Odebrecht Imobiliária, o plebiscito recebeu o apelido de Odebrexit” (do impagável ‘Piauí Herald’ – pano rápido).

Dúvida pertinente. O Atlético Nacional tem condições de encarar o Real Madrd numa possível final do Mundial da mamãe Fifa?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Alô, Palmeiras: a maioria dos ‘campeões’ do turno conquista o título brasileiro

Torcida palmeirense festeja a liderança do Brasileirão há oito rodadas

Com uma longa bagagem no bico da chuteira, o ‘vovô’ palmeirense Zé Roberto não tem dúvidas: pelo menos quatro equipes brigarão pelo título até as últimas rodadas do Brasileirão, ‘um dos mais equilibrados dos últimos anos’.

Ninguém vai disparar e nadar de braçadas na liderança. Por isso, ele acredita que ainda é muito cedo para se apontar um favorito ao caneco.

O importante é permanecer sempre entre os primeiros colocados e na reta final, quando faltarem nove ou oito jornadas, aumentar o ritmo na corrida pelo caneco.

Faltando três rodadas para o final do primeiro turno, há uma boa razão para o Palmeiras pisar fundo no acelerador e fechar a fase inicial na ponta da tabela.

Desde 2006, quando o campeonato começou a ser disputado por 20 equipes na era dos pontos corridos, apenas três conquistaram o simbólico título do turno, mas deram chabu após 38 jornadas.

Os cavalos paraguaios: Grêmio em 2008 (o soberano Tricolor fez a festa); Saci colorado em 2009 (o Flamengo deu a volta olímpica); e Galo em 2012 (o Fluminense colocou a faixa no peito).

Há oito rodadas os periquitos em revista estão na liderança. Acumulam 32 pontos, dois à frente dos coirmãos Corinthians e Grêmio, e poderão chegar a 41 se detonarem Botafogo e Chapecoense fora de casa, e o Vitória na mansão Allianz Parque.

Corintianos e gremistas também terão dois jogos como visitantes e um em casa. O Corinthians sairá para encarar o Saci colorado e o Furacão, e receberá a Raposa. Já o time gaúcho jogará contra o Coelho em BH, o Santa Cruz em Porto Alegre e o Botafogo no Rio.

‘Campeões’ de turno (*)

2015 – 40 pontos – Corinthians
2014 – 43 pontos – Raposa
2013 – 40 pontos – Raposa
2012 – 43 pontos – Galo
2011 – 37 pontos – Corinthians
2010 – 38 pontos – Fluminense
2009 – 37 pontos – Saci colorado
2008 – 41 pontos – Grêmio
2007 – 40 pontos – São Paulo
2006 – 38 pontos – São Paulo

(*) Fonte: ‘Globo.com’.

                                                                   ############

‘Pontos cegos’. Profundamente preocupado com a frustração dos torcedores que ficaram sem ingresso para as provas de natação e os jogos de polo aquático, o comitê organizador sacou uma ideia genial. Sob as bênçãos do chefão Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman, colocou à venda bilhetes para os ‘pontos cegos’ do parque aquático. Eles ficam atrás de colunas e têm 20% da visibilidade comprometida.

Sugismundo Freud. A vida só é dura para quem é mole.

‘Pontos cegos’ 2. As entradas custam menos. Na natação, R$ 80 nas eliminatórias e R$ 130 nas finais; no polo aquático, entre R$ 25 e R$ 70. Há meia-entrada. O Papai Noel fora de época explicou o louvável gesto: alta demanda. Com a samaritana atitude, o comitê poderá reduzir o prejuízo calculado em R$ 10 milhões com os lugares comprometidos. O pódio é deles, o suor é nosso.

Pitaco do Chucky. Pau que dá em Chico dá em qualquer um.

Bem, amiguinhos. O hermano Higuaín virou o rei da cocada na Juventus. Contratado por R$ 325 milhões, o ex-artilheiro do Napoli receberá a modesta quantia de R$ 27 milhões por temporada, R$ 10 milhões a mais que Pogba, Pjanic e Daniel Alves. Goleador do último Campeonato Italiano, com 36 tentos (recorde), Higuaín tornou-se o atleta mais bem pago do Calcio. O argentino assinou por cinco anos.

Zé Corneta. A vice-liderança do tico-tico sem fubá do Corinthians é mais que suficiente para mostrar que o Brasileirão está nivelado por baixo.

Bem, diabinhos. O ‘professor’ Marcelo Bielsa se recusou a conversar com o presidente da AFA, Armando Perez, sobre a possibilidade de assumir o comanda da seleção argentina. ‘El Loco’ justificou: não é a pessoa adequada para o cargo. Bauza Patón (soberano Tricolor) e Miguel Ángel Russo (Velez Sarsfield) são os únicos que se reuniram com o cartola até agora.

Patolino na geral. Vila Olímpica: pode entrar, mas não repara a bagunça.

Maquiagem. ‘Estamos matando um leão por dia. Nos primeiros prédios que olhamos, mais de 300 apartamentos apresentavam problemas. Entregaram a obra do jeito que estava porque tinham prazo’ – o tira-teima é de um engenheiro que trabalha a toque de caixa para tentar colocar em ordem as acomodações da Vila Olímpica. O caderninho de problemas, de acordo com o ‘Jornal Nacional’: buracos no gesso, fios soltos, janelas sem vidro, banheiros com canos aparentes, infiltrações, lixo na garagem, falta de lâmpadas e chuveiros sem água. O COB (caixinha, obrigado Brasil) jura que tudo estará em perfeitas condições até sexta. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Caiu na rede. Centurión no Boca ou River: São Paulo vende gelo para esquimó.

Cobras & Lagartos. Apenas 60% dos brasileiros acreditam que os Jogos trarão mais prejuízos que benefícios ao país. Os otimistas chegam a 32%; nem um, nem outro 4%; e 4% não sabem/não respondeu. A pesquisa, divulgada pelo ‘Estadão’, ouviu 2.002 pessoas. Detalhe: a região mais pessimista é o Sudeste, incluindo o Rio, com 66%.

Dona Fifi. Outra reclamação de atletas toma conta da Vila Olímpica, além das condições dos apartamentos: não dá para jogar Pokémon Go. O monstrinho da Nintendo ainda não aterrissou no Brasil.

Tiro curto. O Corinthians já arrumou uma boquinha para começar 2017 com café no bule. O time participará pela terceira vez do torneio da Flórida, em janeiro. Também estão confirmados Bayer Leverkusen e Barcelona de Guayaquil. O Galo ganhou o caneco neste ano.

Zé Colmeia. Os apartamentos da Vila Olímpica são um sucesso de vendas: das 3.604 unidades, nada menos que… 200 foram comercializadas pelo consórcio Carvalho Hosken/Odebrecht.

Gilete press. De Martin Fernandez, no ‘Globo.com’: “O jogo entre Palmeiras e Atlético-MG teve a maior renda bruta do Campeonato Brasileiro deste ano: R$ 2.935.305. O valor supera a arrecadação de 13 clubes da Série A como mandantes até agora – incluindo São Paulo (R$ 2.758.554), Santos (R$ 2.389.420), Fluminense (R$ 1.654.347) e Botafogo (R$ 1.319.050). Para o jogo contra o Galo, o Palmeiras vendeu 100% dos ingressos pelo site da FutebolCard. Dono de cinco dos dez maiores públicos do Brasileiro, o Palmeiras tem em média dois terços de seu estádio ocupados por sócios-torcedores.” Avanti, Palestra!

Lance livre. Estudo do Itaú BBA garante que o soberano Tricolor foi o clube que mais investiu na base nos últimos seis anos. O São Paulo aplicou R$ 167,5 milhões. Depois vêm Corinthians, Peixe, Raposa, Vasco e Palmeiras.

Tititi d’Aline. O mundo sertanejo e a turma do axé pisam em ovos de codorna: nenhuma nota musical na festa de abertura dos Jogos, em 5 de agosto. ‘Aquele Abraço’, de Gilberto Gil, na voz de Luiz Melodia, abrirá o show. Que terá as rappers Karol Conka e MC Soffia.

Você sabia que… os assopradores de latinha já distribuíram 723 cartões amarelos e 40 vermelhos em 160 jogos do Brasileirão?

Bola de ouro. Serginho. Ouro com a seleção de vôlei e um dos indicados para carregar a bandeira na abertura dos Jogos, o líbero deu uma bela alfinetada na cartolagem: a missão deveria ser entregue a um cidadão normal, que ‘pega ônibus às 5 horas e vai trabalhar para colocar um prato de comida em casa’.

Bola de latão. Rússia. Dia sim e outro também, a delegação sofre baixas por causa do escândalo de doping. Dos 387 convocados para os Jogos, mais de 100 já foram cortados, entre eles o canoísta Alexander Dyachenko, ouro em Londres/12, e sete nadadores e 19 remadores.

Bola de lixo. Vândalos. O campo do Itanhangá Golf Club no Rio sofreu um ataque de bárbaros na madrugada de terça. Os animais destruíram as áreas onde ficam os buracos do jogo e a grama parece um tapete. O clube alugou o local para a Nike por US$ 3 milhões durante a realização dos Jogos. Não há pistas da horda.

Bola sete. “A vítima do golpe fugiu da festa de abertura da Olimpíada para safar-se da maior vaia de todos os tempos. Se acreditassem nas vigarices que recitam, Dilma e Lula não perderiam a chance de roubar a cena no Maracanã” (de Augusto Nunes, em ‘Veja’ – há controvérsias?).

Dúvida pertinente. Você compraria um apartamento de dois quartos e 78 metros quadrados na Vila Olímpica por R$ 650 mil?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Voo de Pato no Corinthians rende 17 gols e rombo de R$ 62 milhões. Quem vai pagar o pato?

O primeiro-ministro corintiano Andrés Sanches estufou o peito e vociferou aos quatro ventos sem moinho ou ventilador de teto, após a milionária transferência de Pato para a lagoa do Villarreal: “Vocês (jornalistas) achavam que não venderíamos, mas vendemos.”

O Corinthians receberá nada menos que 3 milhões de euros (R$ 10,8 milhões) do time espanhol. Um verdadeiro negócio da China. Que, num clube minimamente profissional, daria muito pano pra manga.

Uma caça ao genial economista que apostou R$ 40 milhões em 60% dos direitos econômicos do atacante de 26 anos. Os outros 40% pertencem ao atleta, contratado em 2013.

O voo de Pato pelo ninho do Gavião consumiu mais de R$ 26 milhões apenas em salários. Em 62 partidas pelo Corinthians, Pato marcou 17 gols. Cada corrida para o abraço custou pouco mais de R$ 3 milhões, e cada jogo, R$ 840 mil.

Participou da festa das conquistas do Paulistinha e da Recopa de 2013. Caiu em desgraça ao bater um pênalti ridículo contra o Grêmio pelas quartas de final da Copa do Brasil há três anos (por muito pouco não apanhou no vestiário depois da partida).

Em fevereiro de 2014, foi trocado por Jadson, do soberano Tricolor. Ficou dois anos a serviço do São Paulo, marcando 38 gols. De volta ao Corinthians, recusou proposta da China (R$ 5 milhões por mês) e foi emprestado ao Chelsea. Disputou apenas dois jogos em cinco meses.

Se permanecesse no Corinthians até dezembro, como queria o ‘professor’ Cristóvão Borges, Pato sairia de graça no fim do ano.

De acordo com o ‘Uol’, já com a correção pela inflação (índice IPC- A), a matemática do furacão Pato aponta: compra – R$ 52,7 milhões; salários – R$ 26,5 milhões; venda de Jadson ao Tianjin Quanjian, da China – R$ 6,5 milhões (30% dos direitos); e transferência ao Villarreal – R$ 10,8 milhões.

Noves fora… um pequeno prejuízo de R$ 61,9 milhões. Quem vai pagar o pato? Dinheiro na mão da cartolagem é mesmo vendaval.

                                                               ############

Pitaco do Chucky. Quem não tem competência não se estabelece e fica fora do jogo.

Bra$il olímpico. Alô, você! Prepare o bolso para saborear as guloseimas ao longo da Olimpíada. Os comes e bebes nas instalações do Parque estão bem mais salgados do que na ‘Copa das Copas’. A sonhada ‘loura gelada’ é vendida por R$ 13, com direito a copo temático. Ou seja, 30% mais cara do que no Mundial da mamãe Fifa, em 2014. Parceira dos Jogos, a cerveja Skol será a dona do pedaço. Não adianta pedir outra marca. O refrigerante custa a bagatela de R$ 10, setor dominado pela Coca Cola, também patrocinadora da competição.

Zé Corneta. Baía de Guanabara: prometeram uma Ferrari para os Jogos. mas vão entregar um carro com pneu queimado, carburador furado e motor ferrado.

Bem, amiguinhos. O ‘professor’ Bauza Patón goza de muito prestígio entre os hermanos. Nada menos que 58% reprovam a possibilidade de o treinador do soberano Tricolor assumir o comando da seleção argentina. A pesquisa, feita pelo jornal ‘Olé’, envolveu mais de 65 mil pessoas. A preferência é por Marcelo Bielsa e Diego Simeone, que não querem papo com a AFA.

Sugismundo Freud. O mundo vive de resultados.

Bem, diabinhos. Era só o que faltava: polícia apreende papelotes de droga com o… símbolo olímpico, os famosos anéis que tomaram conta do Rio. Os papelotes de cocaína (93) e crack (28) foram recolhidos numa batida na Lapa, tradicional bairro boêmio da cidade. Nos pacotes, uma preocupante recomendação: ‘Use longe das crianças’. Ninguém foi preso. Esquindolelê.

Zé Colmeia. Papa-títulos do vôlei, Bernardinho quase caiu da cadeira num papo com representantes da federação japonesa: colocaram na mesa um cheque em branco pelos serviços do treinador depois dos Jogos. Querem Bernardinho de qualquer jeito na seleção asiática.

Enxoval. Mesmo sem ter feito uma grande temporada, o hermano Messi continua na liderança dos jogadores que mais vendem camisa no planeta das chuteiras. O gajo Cristiano Ronaldo, que levantou a Champions, permanece em segundo, apesar da procura por sua camisola ter aumentado em 100%. O francês Anthony Martial, do Manchester United, fecha o pódio. O brasileiro Neymar aparece em sétimo. Philippe Coutinho, do Liverpool, ocupa a 10ª posição, segundo levantamento do ‘Total Sportek’.

Patolino na geral. A ex-jogadora Janeth chegará rapidamente à conclusão de que era bem mais fácil uma enterrada na WNBA do que gerenciar a Vila Olímpica.

Tiro curto. Os protestos da torcida do Peixe contra a não transmissão do primeiro jogo com o Gama deram resultado: a plim-plim mostrará o segundo duelo pela terceira fase da Copa do Brasil, nesta quarta. Há uma semana, a emissora optou por um filme.

Caiu na rede (by ‘Piauí Herald’). Após pedir o impeachment do síndico da Vila Olímpica, Eduardo Paes importará 30 mil eletricistas cubanos.

Lance livre. A associação nacional dos hospitais acredita que haverá um crescimento de 60% nos casos de excesso de bebidas alcoólicas ao longo da Olimpíada. Outras previsões: 40% de traumas e lesões, 48% de hipertensão e 70% de intoxicação. SOS Samu.

Cobras & Lagartos. A Vila Olímpica recheou as manchetes da mídia espanhola. O ‘Marca’ elogiou as acomodações para os atletas: ‘Caos na Vila. Procura-se um encanador para resolver vazamento de água e banheiros quebrados.’ Garantiu ainda que a organização dos Jogos mandou a delegação procurar o consulado espanhol. Que farra!

Dona Fifi. Tênis dos Jogos perde uma grande atração: Roger Federer está fora da luta por causa de uma lesão no joelho esquerdo.

Discípulo. Sob inspiração do ‘professor’ Paulo Autuori, do Furacão, o ex-jogador Dodô estreará como treinador no comando do Rio Negro, de Manaus. O artilheiro dos gols bonitos considera Autuori um exemplo de profissional. Na área técnica e fora de campo.

Gilete press. Do ‘professor’ Mano Menezes, festejando no Twitter o retorno à Raposa depois de sete meses: “Alô, torcida Cruzeirense! Estou chegando! Que honra poder vestir o manto celeste do Cruzeiro outra vez! #TimeDoPovo.” Tilintar das moedas: R$ 500 mil.

Tititi d’Aline. Nada como um dia após o outro: o glorioso comitê olímpico, capitaneado pelo irrequieto Carlos ‘Rolando Lero’ Nunes, deve fechar os Jogos com um rombo de R$ 300 milhões. Nada preocupante, pois a conta sobrará para o governo, ou melhor, para o seu, o meu, o nosso bolso. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Você sabia que… um milhão de turistas deve aterrissar na Cidade Maravilhosa das balas uivantes para assistir aos Jogos?

Bola de ouro. Austrália. Atendeu ao conselho do prefeito Eduardo Paes e colocou no prédio, ao lado do balcão de mezanino, o boneco de um canguru. Tapa com luva de pelica.

Bola de latão. Neymar. O atacante teve um chilique na coletiva da seleçãozinha olímpica porque não gostou de uma pergunta sobre seu comportamento na amarelinha desbotada – cartões, suspensões, vida fora de campo… Respondeu: “Imagina você com 24 anos, ganhando tudo o que eu ganhei. Você seria igual. Próxima pergunta.”

Bola de lixo. Coelho. Sete derrotas consecutivas e lanterna com folga do Brasileirão: a marcha fúnebre já pode embalar o sonho do time mineiro de retornar à segunda divisão.

Bola sete. “Se o Gabriel for embora, não vamos aplicar o dinheiro em reforços. A base tem que fabricar o substituto” (do mandachuva e raios do Peixe, Modesto Roma Júnior, sobre o futuro dos R$ 72 milhões que poderão entrar no cofre santista – a conferir).

Dúvida pertinente. Se o hermano Higuain, reforço da Juventus, custou 90 milhões de euros, quanto vale o menino Jesus?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Copa do Brasil, um sucesso nas arquibancadas: leva baile até da Série B

Fluminense 1 x 1 Ypiranga, em Volta Redonda: 492 gatos pingados 

O mata-mata da Copa do Brasil é uma verdadeira rajada de emoções nas arquibancadas. Considerado o torneio mais democrático da pátria das chuteiras furadas, ele conseguiu a proeza de cravar até agora média de público inferior à da Série B do Brasileiro.

Em 125 tiroteios, a Copa do Brasil atraiu 483.547 torcedores, com a média de 3.868 testemunhas por embate, de acordo com levantamento do ‘Sr.goool’. A segundona do Nacional seduziu 694.626 espectadores em 170 confrontos, com a média de 4.086 pagantes.

Um dos campeões de audiência da Copa do Brasil, o Fluminense provocou frisson na galera contra o Ypiranga: 492 gatos pingados no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. A renda atingiu R$ 12.220, e as despesas, R$ 86.486. Noves fora, o Tricolor das Laranjeiras pagou mais de R$ 74 mil para jogar, e empatar em 1 a 1.

Outro destaque: Coelho 1 x 0 Fortaleza, no Independência: 924 fiéis (R$ 12.440, prejuízo de R$ 47 mil).

O recorde de público pertence ao jogo Fortaleza x Flamengo, com 36.213 torcedores no Castelão. As bilheterias arrecadaram R$ 900.597, e o time cearense fez a festa. Além de ganhar por 2 a 1, embolsou R$ 583 mil.

No segundo jogo, no Raulino, menos de cinco mil assistiram à eliminação do Urubu, que ainda entrou no cheque especial (R$ 27 mil).

Dois jogos não levaram nem 100 testemunhas ao estádio. O Resende encarou o Ceará diante de 90 pessoas, enquanto o Brasília enfrentou o Bragantino sob os olhares de 94 pagantes.

Com tanto entusiasmo nas arquibancadas, a Copa do Brasil pode se orgulhar de deixar na poeira a Série C (2.738 de média) e a D (994). Mas vê de binóculos os números do Brasileirão, que não são nenhuma obra-prima: 13.961 torcedores por partida.

Nesta semana serão conhecidos os últimos classificados às oitavas de final. Os duelos: Ypiranga/RS x Fluminense, Fortaleza x Coelho, Botafogo x Bragantino, Ponte x Figueira, Paysandu x Juventude, Chapecoense x Furacão e Peixe x Gama. Mais prejuízo à vista!

                                                       ############

Pitaco do Chucky. Eduardo ‘Canguru’ Paes: por qué no te callas, prefeito? Quem fala demais dá bom dia a cavalo!

Gasolina batizada. E a Lava Jato chegou ao automobilismo, mais precisamente à Stock Car. Delatores garantiram ter patrocinado a categoria para lavar dinheiro que seria usado no pagamento de propinas no vácuo da Petrobras. O café no bule passava por Adir Assad, já condenado e alvo de operações da PF em junho. Assad era dono de uma empresa de marketing com atuação na Stock, além de principal parceiro de uma escuderia na divisão de acesso da categoria, de acordo com Felipe Bachtold, da ‘Folha’. Uma das maneiras de justificar o dinheiro para pagar a propina era superfaturar os contratos de patrocínio. Os milhares de reais a mais eram devolvidos para saciar o carburador de ex-diretores da estatal e políticos.

Sugismundo Freud. O fogo da tocha arde… e o bolso do povo queima.

Cassino gaúcho. Vice-presidente do Saci colorado, Carlos Pellegrini admitiu que o apito amigo deu aquela força ao time no empate (2 a 2) com a Macaca. Sua senhoria, o carioca Leonardo Cavaleiro, não marcou um gol legítimo da Ponte, além de ter fechado os olhos para dois pênaltis contra o Inter. Lembrou, porém, que os assopradores de latinha cometem falhas em todos os jogos, a favor ou contra: ‘A banca paga e recebe.’ Blackjack.

Zé Corneta. Viva o soberano São Paulo de Bauza ‘Fracón’: 18 triunfos, 12 empates e… 17 derrotas em 47 jogos – aproveitamento de 46,8%, ou seja, de ‘professor’ reprovado.

Bem, amiguinhos. O ‘professor’ Mano Menezes volta ao comando da Raposa depois de sete meses. Ele substituirá o demitido Paulo Bento. No final de 2015, Mano trocou a Toca pelo Shandong Luneng. Saiu do time chinês em maio. No banco da equipe mineira, Mano obteve oito vitórias, seis empates e duas derrotas. Tirou o pão de queijo de uma crise.

Patolino na geral. Caio Ribeiro, comentarista da plim-plim ou corneteiro do soberano São Paulo?

Bem, diabinhos. A conta dos Jogos não vai demorar a chegar. O diz que diz nos anéis olímpicos de Copacabana informa que 30 mil serão dispensados depois da competição. Boa parte já começará a cumprir o aviso-prévio durante a briga por medalhas.

Caiu na rede. O São Paulo está com um pé na Cueva.

Zapping. O ibope da bola patinou na plim-plim no fim de semana. Grêmio x São Paulo cravou 18,8 pontos na grande Pauliceia refém do bangue-bangue, marca que provocou poucos sorrisos na emissora. Perdeu para o ‘Fantástico’, que registrou 19,6. O GP da Hungria de Fórmula 1 também decepcionou: 7,7 pontos. Em SP, cada ponto equivale a 67 mil domicílios sintonizados.

Zé Colmeia. O espírito ‘Brasil, ame-o ou deixe-o’ já contaminou alguns jornalistas: consideraram perfeitamente normais os vergonhosos problemas apresentados na Vila Olímpica. Somos todos campeões?

Cobras & Lagartos. Bronze no vôlei de Atlanta/96 e presidente da Atletas pelo Brasil, a ex-jogadora Ana Moser não tem dúvidas: a banda vai passar sem deixar legado aos brasileiros. ‘Construímos uma estrutura para receber apenas a Olimpíada. Pensamos unicamente nisso. Investimos em atletas de alto rendimento, e nada mais. Esporte não é só medalha.’ Fulminante.

Tiro curto. Depois de fechar os olhos para um gol legítimo e duas penalidades a favor da Ponte, sua senhoria, o carioca Leonardo Cavaleiro, será homenageado pelo Saci colorado: receberá o troféu ‘Assim que se faz’ antes do lançamento do DVD com erros de assopradores de latinha contra o clube gaúcho.

Lance livre. Os turistas estão com o burro na sombra às vésperas da Rio-16: um tomate custa a bagatela de R$ 5. E o quilo do pão de queijo sai por irrisórios R$ 60.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Não entendo por que o Flamengo contrata o bom centroavante Guerrero e paga a ele como se fosse um Suárez. Pior, contrata outro centroavante, Leandro Damião, pior que Guerrero, e paga a ele como se fosse Ibrahimovic. Pior, atrapalha a carreira de um promissor jovem centroavante, Vizeu. Não entendo muitas coisas. Às vezes, também não me entendo.” Brilhante!

Dona Fifi. Uma das figurinhas carimbadas no aniversário de Ricardo Teixeira era o imperador ostentação Del Nero. Não se sabe até agora a lembrancinha dada ao eterno rei da bola, amigo de fé e irmão camarada de Nero. O happy birthday aconteceu em junho.

Tititi d’Aline. O medo do vírus da zika afastou mais duas personalidades da Rio-16: o príncipe William e Kate Middleton. Harry, irmão de William, também não dará o ar da graça, de acordo com o jornal ‘Daily Express’. O duque e a duquesa de Cambridge estariam considerando um terceiro filho e foram aconselhados a evitar a viagem por causa da dengue.

Você sabia que… o goleiro Vanderlei já vestiu 86 vezes a camisa do Peixe e tomou 80 gols?

Bola de ouro. Peixe. Mesmo esfacelado pela seleçãozinha olímpica, que ‘roubou’ Zeca, Thiago Maia e Gabigol, a equipe está no G4. Às vezes, o ‘professor’ Dorival Júnior é obrigado a tirar leite de pedra para escalar o time santista.

Bola de latão. Paulo Bento. Depois de seis triunfos, três empates e oito derrotas, o patrício foi chamado para um tête-à-tête com o RH da Raposa. Pelo ótimo aproveitamento de 41%, receberá um prêmio de R$ 7 milhões – valor da multa rescisória. O ‘professor’ deixa a equipe na vice-lanterna do Brasileirão, com 15 pontos.

Bola de lixo. ‘Torcedores do Vitória’. Os vândalos voltaram a atacar depois da derrota do time baiano para o Peixe. Os animais cercaram o carro do zagueiro Victor Ramos, que estava com a família, e partiram para a agressão. O jogador prestou queixa na 10ª Delegacia. Além de ter o veículo apedrejado, ele recebeu ameaças de morte. Ninguém foi preso.

Bola sete. “Na saída do Barradão fui agredido de forma covarde por alguns marginais que se dizem torcedores. Algo que nunca havia acontecido comigo. Por pouco não houve algo mais grave. Minha família está muito assustada, abalada. O Vitória faz parte da minha vida. Não posso aceitar o que aconteceu” (de Victor Ramos, vítima dos anjinhos organizados pelo diabo – lamentável).

Dúvida pertinente. Por que a grande maioria da torcida aparece apenas como papagaio de pirata no tour da tocha?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Galo bica o Palmeiras, mantém tabu e dá aquela força ao coirmão Corinthians

Leandro Donizete Atlético-MG Palmeiras (Foto: Leandro Martins / Agência Estado)
Leandro Donizete marcou o gol da vitória do Galo sobre o Palmeiras

O ‘professor’ Marcelo Oliveira retribuiu com inesquecível carinho as imensuráveis vaias que levou da torcida palmeirense antes de a bola rolar no café da manhã do Brasileirão, na mansão Allianz Parque (39.400 pagantes).

Campeão da Copa do Brasil com os periquitos em revista na temporada 2015, ele montou um time extremante eficiente na marcação, com três cães de guarda (Lucas Cândido, Rafael Carioca e Leandro Donizete) na proteção da zaga, e um meio de campo com Robinho esbanjando talento.

Resultado: o Galo bicou o Palmeiras e evitou que o adversário disparasse na liderança do campeonato, para felicidade geral da nação corintiana. Os palmeirenses continuam com 32 pontos após 16 rodadas, dois à frente do Corinthians.

Já o Galo chegou aos 26 pontos e segue na caça ao G4, depois de frequentar a zona do agrião queimado em algumas jornadas.

Leandro Donizete, aos 14 minutos do segundo tempo, marcou o único gol. Que garantiu um tabu de cinco anos sem derrota do time mineiro para os paulistas.

A última vitória do Palmeiras aconteceu em 30 de julho de 2011, quando o time, comandado pelo ‘sargento’ Felipão, venceu por 3 a 2, no Canindé. De lá para cá, foram nove vitórias do Galo e um empate.

De quebra, o Atlético/MG acabou com a invencibilidade do Palmeiras em casa sob o comando de mestre Cuca (nove jogos no Allianz Parque e um no Pacaembu). Em 212 jogos com a camisa do Galo, Leandro Donizete assinalou apenas quatro gols.

Contratado no início do ano, o goleiro Vagner substituiu o paredão Fernando Prass, a serviço da seleçãozinha olímpica, e não decepcionou a torcida.

Já a ausência do menino Jesus, também na equipe brasileira sub-23, foi muito sentida pelo time palmeirense. O trio Erik, Dudu e Róger Guedes pouco conseguiu diante do bloqueio atleticano, que teve o trabalho ainda mais facilitado quando o Palmeiras recorreu aos ‘chuveirinhos’ na área, com inúteis cruzamentos de Zé Roberto.

Nem as entradas de Lucas Barrios no lugar do dorminhoco Cleiton Xavier e de Alecsandro no de Erik melhoraram o poderio ofensivo do time. Não há como negar: o Palmeiras, hoje, é Jesus e mais 10.

Em Porto Alegre, o Grêmio superou o soberano São Paulo por 1 a 0, gol de Douglas no segundo tempo, e se aproximou do líder Palmeiras. Soma 30 pontos, empatado com o Corinthians (vence no saldo de gols, 14 a 7) e a dois da equipe palmeirense. O Tricolor, com 22, dança na parte do meio da tabela.

O time paulista foi amplamente dominado pelo Grêmio. Só não levou uma histórica sapatada porque o criticado Denis fechou o gol na arena gaúcha (37.069 pagantes). O goleiro foi simplesmente bombardeado.

‘Perdemos jogadores importantes. Até os novos entrarem no ritmo, vai demorar um pouco, mas não dá para perder tantos pontos. Lá na frente vamos sentir isso. O São Paulo precisava pelo menos de um empate’, analisou Denis, que recebeu os parabéns do gremista Marcelo Grohe, um privilegiado espectador – o Tricolor não acertou um chute a gol.

Pela primeira vez o Grêmio venceu o São Paulo na nova arena. Antes, havia empatado um jogo e perdido dois.

                                                             ############

Pitaco do Chucky. O mar já não está para peixe na praia do ‘professor’ Cristóvão Borges. Três semanas para treinar a equipe e nada de novo apresentou.

Quem dá mais? O leilão do menino Jesus ganha novos lances dia sim e outro também. O pregão começou com modestos 19 milhões de euros do Barcelona. Subiu para 24 milhões de euros com o Real Madrid. O Manchester City entrou na briga com 32 milhões de euros. O leiloeiro Paulo Nobre já estava no ‘dou-lhe duas’, para alegria de Pep Guardiola, quando o Manchester United resolveu participar do jogo no ninho dos periquitos em revista: ofereceu 35 milhões de euros (R$ 125 milhões), mas admitiu chegar a 40 milhões de euros. Os direitos econômicos de Gabriel Jesus, 19 anos, estão fatiados em quatro pedaços: 30% do Palmeiras, 32,5% do agente Cristiano Simões, 22,5% do empresário Fabio Caran e 15% do jogador. Independentemente do futuro comprador, está decidido que o atacante só deverá deixará o Palestra depois do Brasileirão.

Sugismundo Freud. O feijão virou mito.

Bem, amiguinhos. Pelo jeito, a crise atingiu em cheio o programa sócio-torcedor do Peixe. Mais da metade dos 64 mil integrantes está inadimplente. O mandachuva e raios Modesto Roma Jr. pensa em modificar as regras do jogo, porque considera que algumas categorias ficaram muito caras. Os planos variam de R$ 23,50 a R$ 100 por mês. O Santos ocupa a sétima posição no ranking do ‘Torcedômetro’.

Zé Corneta. Seleçãozinha olímpica: ganhar o ouro é obrigação. Só tem bambala nos Jogos. Mas a mídia caolha insiste em manter o blá-blá-blá como se o time fosse disputar uma Copa do Mundo.

Bem, diabinhos. Incrível: a Raposa contratou 17 jogadores e pouco adiantou. O patrício Paulo Bento continua quebrando a cabeça para montar um time. Desembarcaram na Toca: os laterais Ezequiel, Lucas, Bryan e Edimar; os volantes Federico Gino, Lucas Romero, Denílson e Marciel; os meias Robinho, Bruno Nazário, Rafinha e Sanchez Miño; e os atacantes Sobis, Pisano, Douglas Coutinho, Rafael Silva e Ábila.

Patolino na geral. Uni dune tê: Rodriguinho, Giovanni Augusto e André, o trio parada dura (de aguentar) da Fiel.

Bra$il olímpico. A ‘ilha da fantasia do mestre Tattoo’ é inacreditável. Está sempre de braços e bolsos abertos para receber os visitantes. O Ministério das Relações Exteriores, comandado pelo supimpa José Serra, desembolsará R$ 1,7 milhão para bancar quatro jantares de autoridades na Cidade Maravilhosa das balas uivantes. Anéis olímpicos, algemas brasileiras.

Zé Colmeia. O Peixe está com um mico no anzol: o atacante Paulinho. Emprestado pelo Flamengo até dezembro, o jogador não correspondeu e o Santos tenta empurrá-lo para uma equipe da Série B, porque o atleta já disputou mais de seis jogos pelo Brasileirão.

Caiu na rede. Corintiano Cássio nocauteia Dodô e garante vaga na equipe olímpica de taekwondo.

Tiro curto. O gajo José Mourinho entrou na onda do Pokémon Go: proibiu os jogadores do Manchester United de caçarem o monstrinho 48 horas antes de cada partida. Quer todo mundo ligado apenas no jogo.

Lance livre. A cúpula do Borussia Dortmund perdeu o sono: até agora, apenas 99,88% dos ingressos para a Bundesliga foram vendidos. A média de público supera 81 mil torcedores por partida. O Bayern já fechou a bilheteria: 100% dos bilhetes comercializados.

Cobras & Lagartos. O Ministério da Defesa deve fazer uma varredura no Maracanã nesta segunda. Usará o Sigis, equipamento que permite detectar até amônia, material para bombas caseiras, na urina de torcedores que forem ao banheiro. O seguro morreu de velho.

Gilete press. De Lauro Jardim, em ‘Veja’: “A Rio-2016 convidou todos os ex-presidentes do Brasil para a cerimônia de abertura da Olimpíada. José Sarney, Fernando Collor, FH e Lula já declinaram. Dilma Rousseff ainda não respondeu oficialmente ao comitê, mas aos seus assessores diz que não irá, pois recebeu um convite para ficar ao lado dos ex-presidentes. Ao fim e ao cabo, os ex decidiram deixar Michel Temer ser vaiado sozinho.” Sambarilove!

Dona Fifi. O futebol olímpico é tão importante para os europeus, mas tão importante, que o ‘professor’ de Portugal, Rui Jorge, chorou as pitangas para conseguir 18 jogadores.

Tititi d’Aline. Aos 37 anos, o ‘vovô’ Danilo disputou o 178º jogo do Brasileirão com a camisa do Corinthians. Ele marcou 13 gols, segundo o ‘Uol’. Ao longo da carreira, o meia participou de 369 partidas do campeonato. Danilo estreou em 2000 pelo Goiás. É o quinto atleta com mais jogos no Brasileirão, ao lado de Zinho. O líder é Rogério Ceni, com 575, à frente do goleiro Fábio (495), do lateral Léo Moura (428) e do meia Paulo Baier (404).

Você sabia que… a delegação dos EUA terá 555 atletas na Rio-16, sendo 292 mulheres (recorde) e 263 homens?

‘Bola de ouro’. Vila Olímpica. As portas se abriram em grande estilo: longas filas, muitas reclamações (vazamentos de pias, banheiros entupidos e falta de iluminação) e até acusação de objetos furtados no condomínio. O comitê da Austrália definiu a Vila como ‘inabitável’. Que beleza!

Bola de latão. Felipe Massa. Impressionante o desempenho do piloto brasileiro como coadjuvante do circo: 18º no GP da Hungria. Apareceu duas vezes na telinha.

Bola de lixo. Pirataria olímpica. A polícia carioca apreendeu no fim de semana nada menos que 1.300 produtos falsificados numa feirinha em Copacabana. Os comerciantes vendiam camisas, chaveiros, canetas e outras quinquilharias com a marca dos Jogos. A polícia encanou 23.

Bola sete. “Se o Brasil ganhar a medalha de ouro – tem grandes chances –, não será motivo para a imprensa festiva dizer que renasceu a magia de nosso futebol” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – no queixo).

Dúvida pertinente. Há vida sem Jesus no ataque do Palmeiras?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br