Dudu e Robinho dão as boas-vindas a Cuca, 18º ‘professor’ do Palmeiras em 14 anos

Dudu, o melhor do Palmeiras, abriu o caminho da vitória sobre o Tricolor

O Palmeiras manteve a freguesia e derrotou o mistão do soberano São Paulo por 2 a 0, gols de Dudu e Robinho, no café da manhã do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago – 14.051 torcedores na casa alugada do Pacaembu.

Os periquitos em revista não perdem o Choque Rei desde novembro de 2014. Acumulam quatro vitórias e um empate. Se for levado em conta apenas o estadual, a freguesia se estende por sete anos. De quebra, quebraram um tabu de quase 14 anos sem vencer o coirmão como visitante.

A equipe tricolor esteve bem melhor no primeiro tempo. Pouco ou quase nada permitiu ao coirmão. No entanto, não soube aproveitar a superioridade. E ainda foi prejudicada por sua senhoria, Raphael Claus, que anulou um gol de João Schmidt, alegando impedimento inexistente.

O Palmeiras se acertou na etapa final, explorando muito bem os contragolpes. Aos 29, Allione armou o contra-ataque pela direita e tocou para Alecsandro, que avançou e cruzou para Dudu (o melhor do time) bater sem chance para Denis.

O Tricolor sentiu o golpe e, aos 41, foi a nocaute: Robinho recebeu de Allione e mandou no ângulo de Denis. Um golaço, o terceiro do meia em duelos contra os são-paulinos.

Com a vitória, o Palmeiras reassumiu a ponta do grupo B, com 15 pontos, um à frente do Ituano. E, assim, poderá recepcionar o mestre Cuca, o novo comandante, num ambiente bem mais saudável.

Cuca será o 18º ‘professor’ palmeirense nos últimos 14 anos. E o sexto do nobre Paulo Nobre desde que assumiu o trono. Ele substituirá Marcelo Oliveira, demitido após a derrota para o Nacional, do Uruguai. A dança das cadeiras:

2003: Jair Picerni
2004: Jair Picerni e Estevam Soares
2005: Estevam Soares, Candinho, Bonamigo e Leão
2006: Leão, Tite e Jair Picerni
2007: Caio Júnior
2008: Luxemburgo
2009: Luxemburgo e ‘Muriçoca’ Ramalho
2010: ‘Muriçoca’ Ramalho, Antonio Carlos Zago e Felipão
2011: Felipão
2012: Felipão e Gilson Kleina
2013: Gilson Kleina
2014: Gilson Kleina, Gareca e Dorival Júnior
2015: Oswaldo de Oliveira e Marcelo Oliveira
2016: Marcelo Oliveira e Cuca.
                                                              ############

Corinthians, fácil. Com gols de Felipe, Danilo e Maycon (um dos melhores em campo), o mistão do Corinthians bateu o Botafogo por 3 a 0, em Ribeirão Preto. O time vinha de duas derrotas seguidas. A equipe de Tite lidera o grupo D, com 20 pontos, melhor campanha do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, após nove rodadas.  O Corinthians não perde para o Botafogo há 25 anos. Em 18 duelos pela competição, faturou 12 e empatou seis.

Pitaco do Chucky. O caldo entornou. PT saudações!

Pachecada. O genial e absolutamente inútil Walter Feldman, secretário do Circo Brasileiro de Futebol, acredita ter encontrado a solução para a molecada voltar a se interessar pelo ludopédio nacional: a criação de um campeonato de videogame com times brasileiros. O supimpa cartola tem certeza de que a garotada deixaria de lado o Barcelona de Messi e Neymar, o Real Madrid de Cristiano Ronaldo, o PSG de Ibrahimovic, o Bayern de Munique de Lewandowski e as feras dos clubes ingleses, para adotar o Corinthians de Romero, o Palmeiras de Rafael Marques, o Peixe de Patito e o soberano Tricolor de Centurión. Brasil, ame-o ou deixe-o.

Sugismundo Freud. A emoção é como uma onda… também passa. 

Bem, amiguinhos. O futebol itinerante do Flamengo agrada a torcida rubro-negra em outros centros, mas deixa ‘Muriçoca’ Ramalho em pânico. Não pelo que pode acontecer dentro de campo. Acontece que o ‘professor’ tem pavor de avião. Já começa a fazer orações quando ouve a chamada ‘senhores passageiros… ‘

Zé Corneta. Diego Costa, sobrinho de Hannibal e primo-irmão de Suárez.

Bem, diabinhos. Mais que autógrafo e uma foto, boa parte dos torcedores do Furacão para o centroavante Walter nas ruas de Curitiba a fim de pedir a receita que o levou a derrotar um velho inimigo, a balança. O atacante fechou a boca e queimou 15 quilos. Agora, desfila com 90. Walter era ‘viciado’ em bolacha recheada e refrigerante.  

Dona Fifi. Por que o Peixe não assume o Pacaembu como segundo aquário?

Gilete press. De Lédio Carmona, no ‘Globo.com’: “Paulo Henrique Ganso jogou bem e fez um belo gol [contra o River Plate]. Mas já começou a ladainha de Seleção Brasileira, de onde ele pode jogar e chegar, e isso e aquilo. Ganso precisa se consolidar primeiro como um meia constante e decisivo. Depois, se firmar no Morumbi. A partir daí, poderemos discutir seu futuro. Ganso e seus debatedores só pensam no futuro, enquanto seu presente não sai do lugar. Vejamos se o Monumental de Nuñez marcará um divisor de águas em sua carreira.” É vero. 

Caiu na rede. Barça joga com um extraterrestre: Alien Messi.

Tititi d’Aline. ‘Papai’ Joel já decidiu: pedirá indenização de US$ 10 milhões (R$ 38 milhões) à revista americana ‘Time’ por danos morais. No fim de semana, a publicação estampou uma foto do ‘professor’ como se fosse o marqueteiro João Santana, da campanha da presidenta Dilma, em reportagem sobre a Lava Jato. ‘You tá the brinqueichon uite me, cara?’

Você sabia que… o soberano Tricolor só ganhou dois jogos nos últimos 16 confrontos contra seus adversários mais tradicionais? 

Bola de ouro. PSG. O milionário time francês estraçalhou o lanterna Troyes (9 a 0) e faturou o título nacional com oito jornadas de antecedência, recorde nas cinco principais ligas da Europa. A equipe do ‘matador’ Ibrahimovic (23 gols no campeonato) pode levantar mais três canecos: é semifinalista da Copa da França, finalista da Copa da Liga Francesa e está nas quartas da Champions.  

Bola de latão. Eduardo Ferreira. O cartola que surgiu do nada é dono de poderes incalculáveis no departamento de futebol do Corinthians. Com a carteirinha de diretor, manda barbaridades. Mais ou menos como o pipoqueiro que, às vezes, passa pelo CT do clube. 

Bola de lixo. Diego Costa. Uma tarde de coroinha do brasileiro naturalizado espanhol na eliminação do Chelsea da Copa da Inglaterra: cuspiu nos pés do juiz, deu cotovelada num adversário, mordeu o pescoço de Barry, volante do Éverton, e foi expulso de campo.

Bola sete. “Não entendo por que a torcida pega sempre no meu pé. É normal a torcida cobrar, mas quando há uma derrota só culpar um jogador fica complicado. Eu não tenho intenção de sair, mas, se por algum motivo estiver atrapalhando, me falem” (desabafo de Michel Bastos, após a derrota para o Palmeiras – o Peixe vibrou).

Dúvida pertinente. Mestre Cuca: o amor é verde até quando?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Anúncios

‘Mestre’ Zidane entrega o cobiçado Troféu Pinóquio ao ‘professor’ Dunga

Aos fatos, com direito ao disputadíssimo Troféu Pinóquio, o Oscar da pátria das chuteiras furadas, mas sem tapete vermelho e comentários de Gloria Pires:

3 de março. O chefe dos anões da amarelinha desbotada, o ‘professor’ Dunga, anuncia a lista para os embates contra Uruguai e Paraguai, pelas eliminatórias da Copa de 2018, e justifica a ausência do lateral-esquerdo Marcelo:

“O médico da seleção conversou com o Real Madrid. Marcelo está machucado, vem de uma série de lesões constantes. Achamos melhor ele ficar no clube, se recuperar, para no futuro voltar.”

12 de março. Ao ser questionado sobre as explicações de Dunga para a ausência de Marcelo entre os convocados, o ‘mestre’ Zidane solta o verbo, depois de lembrar que o lateral já esteve em campo contra o Celta de Vigo (Campeonato Espanhol) e Roma (Champions) após a convocação:

“Cada treinador gosta de um ou outro jogador. Convocar ou não é algo que não vou debater. O que posso dizer é que nunca alguém falou com as pessoas daqui sobre o tema Marcelo. Isso é mentira. Marcelo está muito bem fisicamente, preparado para jogar pelo Real Madrid e por seu país.”

And the Pinoquio goes to… mister Carlos Caetano Bledorn Verri, the teacher Dunga!
                                       ############

Bem, amiguinhos. Os periquitos em revista estão em festa: Palmeiras lidera o ranking das principais equipes do país que mais perderam como mandante: 12 jogos em 44. A dupla Fla-Flu aparece em segundo, com 10 cacetadas cada. A Raposa fecha o pódio, com nove derrotas. Os que menos levaram bucha: Peixe (dois embates), Corinthians (três) e Saci colorado (quatro). 

Zé Corneta. Mais um jogo se passou e nada de Pato voar pela primeira vez com a camisa do Chelsea. E, desta vez, não esquentou nem o bumbum no banco contra o Everton.  

Bem, diabinhos. A torcida do soberano Tricolor tem mais é que acreditar num ótimo café da manhã no banquete do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Ano passado, o time virou freguês do Palmeiras: duas derrotas (3 a 0 e 4 a 0) e um empate (1 a 1).  

Pitaco do Chucky. ‘O futebol carioca está muito ruim’ – assinado Carlos Alberto Torres, capitão do tri. Fato.

Pica-Pau. O ‘professor’ da Inter de Milão, Roberto Mancini, não pretende liberar o zagueiro Miranda para a disputa da Olimpíada e Copa América. Dunga terá de optar por uma das competições. Segundo o treinador do time italiano, Miranda vai precisar de férias. É a mesma situação de Neymar, do Barcelona.  

Sugismundo Freud. Se você der sopa para a mosca, ela nada de braçadas. 

Bra$il olímpico. O turista vai se sentir em casa na Rio-16. A menos de seis meses da festa de R$ 40 bilhões, um coco gelado sai por módicos R$ 12 nas praias da Cidade Maravilhosa das balas voadoras. Um refrigerante custa até R$ 10. E um melão pode ser degustado por algo em torno de R$ 35. Nada que assuste o visitante.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Fifa aprova uso do replay em lances duvidosos e jogos de Flamengo e Corinthians podem durar uma semana. 

Gilete press. De Modesto Roma Júnior, mandachuva e raios do Peixe, após fechar contrato com o Esporte Interativo (TV fechada): “Não se trata apenas de inovação. Nossa intenção é buscar a modernidade. É uma posição saudável. Desta forma vamos disponibilizar aos nossos sócios e torcedores, que são mais de oito milhões, opções de escolha para acompanhar o Santos. É bom para o futebol o fim do monopólio da Rede Globo. Mas na TV aberta não mudará nada.” Plim-plim.

Dona Fifi. Em apenas 12 jogos na temporada, Ganso já fez mais gols que nas 53 partidas do último ano: 4 a 3.

Tititi d’Aline. O capitão gancho Eu-rico Miranda entregou à advogada Gracilia Portela o departamento de remo do Vasco. Pela primeira vez uma mulher comandará os atletas. Portela recebeu ordens do chefão para fazer cortes. Se a canoa não virar, olê olê olá…

Você sabia que… a velocista Ana Claudia Lemos, flagrada no antidoping, deixou de receber R$ 8 mil da Bolsa Pódio?

Bola de ouro. Buffon. O paredão da Juventus completou 926 minutos sem tomar um gol na vitória sobre o Sassuolo por 1 a 0. Superou Dino Zoff (903) e está a três minutos do recorde de Rossi, do Milan, obtido em 1993. A equipe de Turim lidera o Calcio, com 67 pontos, após 29 jornadas.

Bola de latão. São Paulo. Torcida, conselheiros e mídia com coração vermelho, branco e preto pegaram o goleiro Denis para Cristo. O jogador está sendo mais bombardeado que o Afeganistão. Interessante que Rogério Ceni cansava de caçar frango e ninguém falava nada.

Bola de lixo. Barcelona. Nem só de flores vive a máquina catalã (37 jogos sem derrota): primeiro time a perder oito pênaltis em uma mesma temporada do Campeonato Espanhol. Na goleada de 6 a 0 sobre o Getafe, a façanha foi de Messi. O hermano bateu e Guaita defendeu.

Bola sete. “Vamos ser sinceros, a gente diz que está trabalhando, que está punindo, mas não estamos resolvendo nada. As torcidas organizadas são gangues. É preciso reformular tudo. A situação vai piorar muito nos próximos anos” (do promotor Paulo Castilho, do Juizado do Torcedor de São Paulo – é falência do Estado). 

Dúvida pertinente. Até quando a dupla Fla-Flu aguentará as picuinhas imbecis da federação carioca? 

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Soberano Tricolor, o patinho feio, surpreende. Mas continua no bico do corvo

Lugano contra o River: a situação ainda está complicada para o Tricolor

Três empates e duas derrotas. Três pontos em 15 possíveis. Ou 20% de aproveitamento. A semana dos brasileiros na Libertadores foi excepcional para os secadores de plantão. Show de bola.

Por incrível que possa parecer, o soberano São Paulo, que entrou como patinho feio depois da vergonhosa derrota para o Strongest na estreia, foi o time que se saiu melhor. Encarou o River Plate, no Monumental de Nuñes, e não se intimidou diante do atual campeão.

Com um pouco mais de sorte e ousadia, voltaria de Buenos Aires com a primeira vitória na bagagem e respirando bem melhor no grupo 1. ‘A situação está difícil. Precisamos de 12 pontos’, admitiu o xerife Lugano.

O Tricolor ocupa a terceira posição da chave, com um ponto. O Strongest lidera com seis, dois à frente do River. O Trujillanos é o lanterna, com zero. Dos cinco representantes da pátria das chuteiras furadas, o Tricolor foi o que mostrou mais serviço em campo.

O Galo também empatou fora, mas deve agradecer a ‘são’ Vitor pelo ‘oxo’ contra o Colo-Colo, em Santiago. O time mineiro é o único brasileiro que está por cima da carne seca na tabela. Ocupa o primeiro lugar no grupo 5, com sete pontos. O Colo-Colo acumula cinco, um a mais que o Independiente Del Valle. O Melgar está zerado. Apesar da tranquila situação na chave, o Galo ainda deve futebol.

O terceiro empate (1 a 1) foi do imortal Grêmio. Um resultado com sabor amargo diante do San Lorenzo, já que o embate aconteceu em Porto Alegre. De nada adiantou o apoio de 40 mil torcedores. O time gaúcho amealhou quatro pontos em três jogos pelo grupo 6. O líder é o Toluca, com sete. A LDU aparece em terceiro, com três, enquanto o San Lorenzo, time do papa, ilumina a chave, com dois.

Corinthians e Palmeiras atacaram de curupiras da rodada. O time corintiano chegou a dar alguma esperança para a Fiel e saiu na frente contra o Cerro Porteño. Mas tomou a virada (3 a 2) e terminou o glorioso embate com apenas nove – André e Rodriguinho resolveram colaborar com os paraguaios e saíram mais cedo de campo. Com a derrota, o Corinthians perdeu a liderança para o Cerro – sete pontos contra seis. O Santa Fe tem quatro, e o Cobresal, zero.

O amigo de fé e irmão camarada Palmeiras sucumbiu aos pés do Nacional do Uruguai (2 a 1), na mansão Allianz Parque, com mais de 39 mil periquitos. Jogou pedrinha mesmo com um a mais desde o final do primeiro tempo. Resultado: bye-bye ‘professor’ Marcelo Oliveira. Foi bom enquanto durou. Herança: segundo lugar no grupo 2, ao lado do Rosario Central, com quatro pontos, um atrás do Nacional e dois a mais que o River Plate, do Uruguai.

O drama: vai enfrentar Nacional e Rosario Central no campo do inimigo. Arma: mestre Cuca. Está a caminho do ninho dos periquitos em revista. Já acertou o café no bule e o tempo de contrato: até dezembro, quando se encerra a gestão do nobre presidente Paulo Nobre.

Próximos jogos

Grupo 1
16/03 – Strongest x River Plate
16/03 – Trujillanos x São Paulo

Grupo 2
17/03 – River Plate x Rosario Central
17/03 – Nacional x Palmeiras

Grupo 5
15/03 – Independiente x Melgar
16/03 – Galo x Colo-Colo

Grupo 6
15/03 – San Lorenzo x Grêmio
05/04 – Toluca x LDU

Grupo 8
15/03 – Santa Fé X Cobresal
16/03 – Corinthians x Cerro Porteño

############

Pitaco do Chucky. Choque Rei, domingo pela manhã: homenagem ao Desafio ao Galo?

Pica-Pau corintiano. O gerente remunerado do Corinthians, Edu Gaspar, está novamente no olho do furacão. Conselheiros e torcedores garantem que os equatorianos Cazares e Bolaños foram indicados ao clube, mas Edu Gaspar perdeu os atletas para o Galo e o Grêmio, respectivamente. Enquanto os coirmãos pegaram um Fórmula 1 para fechar negócio, o corintiano optou por um patinete motorizado e levou o maior chapéu. 

Zé Corneta. Dia D: pelo andar da carruagem sobre pregos, o domingo pode lembrar os piores momentos da história dos clássicos do ludopédio… fora das quatro linhas.  

Bem, amiguinhos. O dono da Crefisa, José Roberto Lamacchia, anda de nariz torcido: torrou mais de R$ 10 milhões na contratação de Barrios, mas o atacante não caiu nas graças do departamento profissional do Palmeiras. Os mais maldosos afirmam que o argentino naturalizado paraguaio só é titular do time CBD – come, bebe e dorme. A Crefisa ‘comprou’ o enxoval palmeirense por R$ 66 milhões/ano.

Sugismundo Freud. É bom ficar velho… tem gente que não consegue.

Bem, diabinhos. A Primeira Liga é um engodo: segue goleando os estaduais, mesmo sem merecer o devido crédito até de alguns participantes. Os 18 jogos da primeira fase atraíram 217.934 pagantes, média de 12.107 por confronto. Já os carismáticos e abandonados Paulistinha (média de 6.092 por jogo), Carioquinha (2.512) e Gauchinho (3.327), juntos, proporcionaram nada menos que… 11.931 torcedores por partida.

Caiu na rede. ‘Professor’ Tite: lugar de chororô é no Cantareira. 

Fla-Flu itinerante. Sem teto para a disputa do clássico da Taça Guanabara na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, Flamengo e Fluminense jogarão no Pacaembu, dia 20. A autorização foi dada pela federação carioca, com aval da FPF. Cada um deverá receber a cota de R$ 600 mil. Certamente deverá atrair ótimo público, melhor do que Peixe x Corinthians no aquário da Vila Belmiro (menos de 10 mil pagantes). O Rubro-negro tem a quinta maior torcida em São Paulo.

Gilete press. Do mestre Cuca, sobre as manifestações nas ruas: “Sou do povão. Elas mostram que o Brasil acordou. Quer saúde melhor, segurança boa, educação decente. Só tenho receio do vandalismo de um pequeno grupo. Mas a questão principal é que pagamos 27% de imposto e não temos nada em troca. Lá fora, você paga e tem retorno. Só acho que você tem que ter um rumo mais específico nas reivindicações, evitando as generalidades.” No alvo. 

Dona Fifi. O comitê organizador da Rio-16 acredita que o fluxo de passageiros no porto durante a Olimpíada será de sete mil por dia.  

Tititi d’Aline. A equipe feminina Iranduba, também conhecida como ‘Hulk da Amazônia, tem levado mais torcida ao estádio do que os marmanjos no estadual. Elas disputam o Brasileiro. No empate com o Peixe, atraíram 1.624 (849 pagantes), segundo o site ‘ESPNW’, quatro vezes mais que os homens. As meninas sonham colocar 20 mil contra o Corinthians, dia 23, na Arena Amazônia, um dos elefantes brancos da ‘Copa das Copas’. 

Você sabia que… o meia Ganso voltou a marcar gols em três jogos seguidos (Mogi, São Bernardo e River Plate) depois de seis anos?

Bola de ouro. Bauza Patón. O soberano São Paulo pode caminhar aos trancos e barrancos, mas o ‘professor’ argentino dá sempre uma aula nas entrevistas. Não faz média. Depois de elogiar Ganso, admitiu: o meia merecia o cartão vermelho após carrinho em D’Alessandro.

Bola de latão. Fórmula 1. A turma da parafuseta levantou a bandeira preta ao GP do Brasil: se o governo não investir uma grana, a prova de Interlagos pode ser cancelada. Ou seja, mordida à vista. É dando que se recebe.

Bola de lixo. Clubes brasileiros. Primeiro, vendem a alma ao diabo (plim-plim) e, depois, choram as pitangas e reclamam do horário dos jogos – 19h30 de domingo e 22h de quarta.

Bola sete. “O Santos é um ótimo time caseiro. Fora, mostra inúmeras deficiências, individuais e coletivas” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – fato). 

Dúvida pertinente. Por que o Circo Brasileiro do Futebol não compra o acervo do ‘rei’ Pelé que irá a leilão?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Denis entrega a rapadura e soberano São Paulo conquista primeiro ponto

Ganso, artilheiro do Tricolor com quatro gols na temporada

O soberano São Paulo não se intimidou diante do badalado River Plate, no Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, e empatou por 1 a 1. O Tricolor conquistou o primeiro ponto no grupo 1 da Libertadores. E o único do Trio de Ferro nesta semana, já que Corinthians e Palmeiras dançaram.

A classificação ao mata-mata ainda está difícil, mas o resultado contra os atuais campeões do torneio pelo menos dará um pouco de tranquilidade ao elenco são-paulino. Ganso marcou o gol do Tricolor. O River empatou numa falha de Denis.

A chave é liderada pelo Strongest, com seis pontos, dois a mais que o River. O São Paulo está em terceiro. O Trujillanos, da Venezuela, carrega a lanterna com zero. Na terceira rodada, dia 16, o Tricolor visitará o time venezuelano. Antes, encara o Peixe, pelo Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago.

Os primeiros minutos de jogo deram a impressão de que o River Plate iria engolir com facilidade o Tricolor.  A equipe argentina pressionou, criou boas chances e parou em Denis e na trave.

Aos poucos, o time brasileiro foi acertando a marcação e, aos 16, achou um gol: a defesa dos hermanos devolveu a bola, após cobrança de falta, Ganso pegou o rebote e colocou no canto do goleiro Barovero. Fim do jejum: primeiro gol do meia com a camisa tricolor na Libertadores em 21 jogos.

O River acusou o golpe, mas o São Paulo não soube aproveitar. Recuou demais e, aos 32, tomou o empate. Depois de uma cobrança de escanteio, Denis rebateu mal, a bola tocou em Thiago Mendes e entrou. Um lance bizarro. Que acabou fazendo justiça à luta argentina para chegar ao gol, mesmo sem mostrar o futebol que era cantado em prosa e verso pelos hermanos.

Sentindo que o bicho não era tão feio como havia sido apresentado, o São Paulo encarou o River de frente no segundo tempo. Passou a explorar bem as estocadas pelas laterais. Aos 13, Mena desceu pela esquerda, cruzou e Calleri perdeu o gol (o atacante completou nove jogos sem correr para o abraço).

Muito mais na base do grito da torcida do que da técnica, o River procurou o gol da vitória e deixou ótimos espaços ao Tricolor. Porém, a equipe de Bauza Patón não soube aproveitá-los. “A equipe esteve bem. Faltou tocar mais a bola. A bronca da diretoria não influiu em nada”, disse Ganso, o melhor do São Paulo, com passes precisos, domínio no meio de campo e gol. É o artilheiro do time na temporada, com quatro tentos.

                                       ############

Viúvas Porcinas. No Defensores del Chaco, em Assunção, e na mansão Allianz Parque, o blá-blá-blá foi o mesmo: corintianos e palmeirenses atribuíram à sua senhoria o fracasso na Libertadores. Jogaram a incompetência em campo, e fora dele, nas costas do assoprador de apito. Desculpa esfarrapada. Mais velha do que curso de datilografia. Apanharam de Cerro Porteño e Nacional, do Uruguai, simplesmente porque jogaram uma bola de quinta categoria, com jogadores que se acham craques sem nunca terem sido. Viúvas Porcina de chuteiras.

Sugismundo Freud. Quem não se liga em dinheiro não merece crédito.

Zapping. Palmeiras x Nacional, pela Libertadores, rendeu bons frutos à plim-plim. A audiência na grande Pauliceia dominada por chacinas cravou 23 pontos, com 38% de share (TVs ligadas). Bateu o soberano Tricolor nos confrontos contra o Cesar Vallejo (média de 21 pontos), mas ficou atrás do Corinthians no torneio continental: 24 pontos diante do Cobresal e 26 contra o Santa Fe. Na Band, Chelsea x PSG, pela Champions, obteve sete. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios sintonizados.

Pitaco do Chucky. Aleluia! Mídia caolha acorda, coloca óculos e pede a convocação do goleiro palmeirense Fernando Prass.

Bem, amiguinhos. As derrotas de Palmeiras e Corinthians dominaram as redes sociais. Algumas memes: ‘Palmeiras não ganha do Nacional e quer ter um Mundial’; ‘Corinthians, saudade da arbitragem brasileira’; ‘E o Palmeiras continua… sendo piada Nacional’; ‘Por que sumiram todos os corintianos do Face?’; ‘Au au au, perdeu pro Nacional’; ‘Cássio e 10 cones em Assunção’; ‘Procura-se o time da Champions’; ‘Bate no peito e diz: goool do Nacional’; ‘Cúmulo da ingratidão: corintianos descem o porrete no juiz’. Pano rápido.

Zé Corneta. O Corinthians vai passar a mão na cabeça de André e Rodriguinho, que entregaram o ouro aos paraguaios do Cerro?

Bem, diabinhos. A cinco meses da Olimpíada, os organizadores estão de cabelo em pé: apenas 47% dos ingressos foram vendidos. A arrecadação atingiu US$ 195 milhões. Cabines eletrônicas devem ser instaladas na Cidade Maravilhosa das balas uivantes para aumentar a comercialização dos bilhetes. O pódio é deles, o suor é nosso.

Dona Fifi. O Gigante, programa de sócio-torcedor do Vasco, já tem mais de 30 mil pré-cadastrados.

Gilete press. De Jill Sergeant, da ‘Reuters’: “O tricampeão mundial Pelé irá leiloar dois mil objetos, incluindo as três medalhas que ganhou em Copas do Mundo e uma réplica da taça Jules Rimet que pode chegar a um milhão de dólares. O ex-jogador também está vendendo a bola do milésimo gol, além de camisas que usou no Santos e no New York Cosmos. É a primeira vez que põe à venda objetos de sua carreira, informou a casa de leilões Julien’s Auctions. O leilão acontecerá em junho. Pelé contou que parte da renda será doada ao hospital infantil Pequeno Príncipe, em Curitiba.” Quem dá mais?

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Robinho não pede a música ‘Maria, Maria’ no Fantástico após marcar três gols e decepciona atleticanos.

Tititi d’Aline. A bola lançada em homenagem ao ex-goleiro Rogério Ceni sofreu uma redução de preço. O mimo chegou ao mercado por R$ 229,90 e agora pode ser comprado por R$ 150. A EuroSports se curvou à pressão das redes varejistas, já que a gorduchinha estava encalhando na prateleira.

Você sabia que… a BMW produzirá as cadeiras de rodas que serão utilizadas pelos atletas americanos na Paraolimpíada do Rio-16?

Bola de ouro. Bahêa. Está deitando e rolando: 10 jogos, 10 vitórias. Melhor início de temporada da história do clube. Detalhe: o recorde foi obtido com dois jogos no mesmo dia – 4 a 0 no Galícia, pelo Baianinho, e 2 a 1 no Juazeirense, pela Copa do Nordeste.

Bola de latão. Thiago Ribeiro. Em baixa no Galo, o atacante será devolvido ao Peixe após final do empréstimo, em junho. Mas não deve continuar no aquário da Vila Belmiro. O Santos já abriu a porta para negociações. Thiago Ribeiro ganha R$ 250 mil por mês, R$ 100 mil a mais que Ricardo Oliveira. O atleta tem contrato até o fim de 2017.

Bola de lixo. Ana Claudia Lemos. Uma das principais esperanças de medalha olímpica, a velocista foi flagrada no antidoping (esteroide) durante treinamento no Rio. A recordista sul-americana dos 100 e 200 metros rasos vai pedir contraprova.

Bola sete. “As coisas não estão evoluindo, o coletivo não está funcionando e por isso mudamos” (de Alexandre Mattos, gerente remunerado do Palmeiras e responsável por mais de 35 contratações, explicando a demissão de Marcelo Oliveira, 24 vitórias, 11 empates, 18 derrotas e campeão da Copa do Brasil/15).

Dúvida pertinente. Marcelo Oliveira, o único culpado pela crise palmeirense?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Rodada trágica dos brasileiros na Libertadores; Marcelo Oliveira sai do Palmeiras

O ‘professor’ Marcelo Oliveira caiu depois da derrota para o Nacional

Antes de a bola rolar pela Libertadores, os cálculos indicavam: duas vitórias (Palmeiras e Grêmio) e pelo menos um empate (Corinthians). Sete pontos em nove possíveis. Uma superquarta feliz para os brasileiros.

Pois bem, após o apito final, a dura realidade: Corinthians e Palmeiras perderam para o Cerro Porteño (3 a 2) e o Nacional do Uruguai (2 a 1), respectivamente, enquanto o Grêmio só empatou (1 a 1) com o San Lorenzo, em Porto Alegre.

Um ponto e nada mais. Tremendo papelão. Festa dos gringos. Pior: corintianos, palmeirenses e gremistas se complicaram na luta para chegar ao mata-mata do torneio continental. Depois da derrota para o Nacional, a diretoria do Palmeiras demitiu o ‘professor’ Marcelo Oliveira. Mestre Cuca pode ser o substituto.

No estádio Defensores Del Chaco, em Assunção, o Corinthians levou bucha do Cerro Porteño. Bye-bye invencibilidade e liderança do grupo 8. Culpa de dois jogadores, André e Rodriguinho, expulsos no segundo tempo. Entregaram o ouro aos paraguaios, que também contaram com uma eficiente colaboração da zaga – Cássio foi o único que se salvou.

Mesmo sem apresentar um futebol de primeira, com muitos passes errados na saída de bola, o Corinthians poderia ter finalizado a fase inicial com uma boa vantagem. Depois de abrir o placar aos 12, aproveitando rebote do goleiro Silva, André mandou uma bola na trave e perdeu um gol incrível de cabeça. O Cerro tentou acuar o Corinthians, mas só levou perigo com o meia Diaz, que infernizou a zaga do time brasileiro.

O Corinthians ainda se ajeitava no segundo tempo quando o Cerro empatou: Leal desceu pela ‘avenida’ Uendel, cruzou e Beltran conferiu de cabeça.  Três minutos depois, aos 6, André complicou a vida corintiana e foi expulso. O Cerro partiu para o ataque e só não marcou o segundo porque Cássio fechou o gol. Aos 27, Rodriguinho também decidiu colaborar com a reação dos paraguaios e tomou o vermelho.

Com nove em campo, o Corinthians virou uma presa fácil e, aos 29, Diaz fez 2 a 1. Aos 37, Beltran marcou o terceiro e fechou o caixão corintiano. Que ainda deu o último suspiro e achou um pênalti na bacia das almas: Giovanni Augusto conferiu e diminuiu o prejuízo.

O Corinthians agora está na segunda colocação do grupo 8, com seis pontos, um a menos que o líder Cerro. O Santa Fe, que bateu o Cobresal (2 a 1), chegou a quatro e entrou na disputa pela classificação (duas vagas). Os chilenos seguem com zero. Na próxima quarta, os corintianos recebem o Cerro no Itaquerão, minha casa minha vida. É vencer ou… vencer.

No Allianz Parque (37.073 pagantes), o Palmeiras voltou a repetir os velhos erros (meio de campo sem criatividade, defesa vulnerável e excesso de chuveirinhos) e tomou duas sapatadas do cascudo Nacional do Uruguai, gols de Nico Lopez e Barcia.

Os periquitos em revista diminuíram com Gabriel Jesus no final do primeiro tempo, quando os uruguaios já estavam com 10 (Fucile), mas se mostraram incompetentes para conquistar pelo menos o empate no segundo tempo. Pressionaram sem oferecer muito perigo ao goleiro Conde, a não ser no último minuto – Lucas, sozinho, acertou a trave. Nem o segundo cartão vermelho ao Nacional (dado a Leo Gamalho), nos instantes finais, impediu a derrota por 2 a 1 dentro de casa.

Com o triunfo, o time uruguaio assumiu a ponta do grupo 2, com cinco pontos, um a mais que Palmeiras e Rosario Central, que goleou o River Plate, do Uruguai, por 4 a 1. O River tem dois.

Na Arena Grêmio (39.176 pagantes), a equipe gaúcha decepcionou e ficou no 1 a 1 com o San Lorenzo. Apático e cometendo muitas falhas, o Grêmio passou por maus momentos contra um adversário bem montado e perigoso nos ataques pelos lados. Fred abriu o placar, em cobrança de falta. Cauteruccio empatou ainda no primeiro tempo.

O Grêmio e Toluca dividem a liderança do grupo 6, com quatro pontos. A LDU soma três, e o San Lorenzo, 2. Nesta quinta, a LDU recebe o Toluca. Ou seja, o Imortal será ultrapassado na tabela.

                               ############

Sugismundo Freud. Nem tudo que vai volta. O dinheiro que o diga! 

Pica-Pau tricolor. O voo do Ganso é uma das boas armas do soberano Tricolor para superar o River Plate, em Buenos Aires, e sobreviver na Libertadores. O meia já disputou 20 jogos pelo torneio continental com a camisa são-paulina e não balançou a rede nenhuma vez. O saudável jejum começou na primeira fase da Libertadores de 2013. Ganso saiu do banco para substituir Jadson.

Zé Corneta. Cidade Maravilhosa das balas voadoras: quem não tem Libertadores caça com Carioquinha.

Bem, amiguinhos. O carismático imperador ostentação Del Nero quer mais é ficar na sombra e continuar mexendo os pauzinhos sem ser incomodado. Ele pretende prolongar a licença do Circo Brasileiro de Futebol por mais um bom tempo. A atual se encerra em maio. Assim, o coronel Nunes permanecerá no trono, com liberdade total… depois de fazer tudo o que seu mestre mandar. Gol da Alemanha.

Pitaco do Chucky. Rússia, a terra do joão-sem-braço no esporte: doping rola como vodca. 

Bem, diabinhos. TV alemã denunciou que treinadores russos suspensos após escândalo de corrupção e doping no atletismo continuam trabalhando no esporte e/ou fornecendo drogas a atletas. A Rússia foi suspensa pela federação internacional até colocar ponto final no doping. Se não conseguir, ficará fora da Rio-16. 

Dona Fifi. O atacante Neymar acrescentou mais um carimbo ao corpo. Ele tatuou a mensagem ‘Que Deus me abençoe’ na perna direita.

Kirobo. O futebol paulista segue firme e forte em direção ao céu: a Polícia Civil investiga, desde outubro de 2015, denúncias de acerto de resultados para favorecer a máfia das apostas. O América de Rio Preto teria recebido proposta de R$ 160 mil para entregar a rapadura num jogo da quarta divisão do Paulistinha. Catanduvense, São José, Assisense e Grêmio Barueri também entraram na alça de mira dos mafiosos. 

Troca-troca. Os alto-falantes das Laranjeiras informam: sai o Cartola e entra o Guerrerinho como mascote do Fluminense. O velho símbolo virou sinônimo de maracutaia, de jogadas extracampo.

Caiu na rede. Momento stand-up: Corinthians reclamando de arbitragem.

Tiro curto. A bola rola e Dagoberto gira: o atacante de 32 anos, único pentacampeão brasileiro, assinou com o Vitória baiano até dezembro. Ele já passou por Furacão, São Paulo, Saci colorado, Raposa e Vasco.

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “A CBF está oferecendo no mercado o patrocínio do calção de treinos da seleção brasileira. Pede R$ 7 milhões por ano. Nada conseguiu até agora. Em compensação, a CBF fechou com a SKy um patrocínio no uniforme dos juízes, válido para as competições nacionais.” Caixinha, obrigado!

Twitface. E o volante Casemiro, hein? O ex-são-paulino foi aplaudido de pé ao ser substituído na vitória do Real Madrid sobre a Roma pela Champions.

Tititi d’Aline. A atriz Vanessa Giácomo, 32 anos, a Tóia da novela ‘A Regra do Jogo’, foi a garota-propaganda da campanha do Volta Redonda no Dia Internacional da Mulher. Ela nasceu na Cidade do Aço. ‘Toda mulher é única, mas reconhecemos as mil mulheres que existem em cada uma’, anunciou a campanha estrelada por Giácomo.

Você sabia que… o gajo Cristiano Ronaldo é o recordista em jogos de mata-mata da Champions, com 57 duelos?

Bola de ouro. Premier League. Acabou com a festa do caqui: o preço dos ingressos para visitantes no Campeonato Inglês terá um teto de 30 libras (R$ 150) nas próximas três temporadas. Era uma das principais reivindicações dos torcedores. Já no Brasil os clubes do interior enfiam a faca na galera quando recebem um dos chamados grandes.

Bola de latão. Maria Sharapova. A musa do tênis sabia que a substância meldonium havia entrado na lista de drogas proibidas aos atletas e não deu a mínima. Foi alertada mais de uma vez que poderia cair no antidoping se não parasse de tomar o medicamento.

Bola de lixo. Grenal. O clássico gaúcho extrapolou o gramado depois da mandíbula quebrada de Bolaños. A cartolagem trocou uma série de acusações, com o pessoal do Grêmio transformando o lateral William em inimigo público número um enviado pelo diabo. Por muito pouco não houve cotovelada pelas redes sociais. Os jogadores das duas equipes e o ‘professor’ Roger entraram em campo para acalmar o ambiente.

Bola sete. “Quem está no meio do futebol precisa ter responsabilidade com as palavras. Nossas ações refletem muito entre os torcedores. Temos de parar com as acusações” (do goleiro Alisson, do Saci colorado, puxando a orelha dos cartolas gaúchos – na mosca).

Dúvida pertinente. Corinthians, Palmeiras ou Grêmio: quem está mais perto do precipício da Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Recorde no UFC: irlandês belisca US$ 1 milhão, só 35 vezes menos que pugilista

Não há nada que você podia ter feito, Conor. Lutar contra a maldição é tolice. Ou não.
Conor McGregor apanhou, mas saiu do octógono com US$ 1 milhão de prêmio

O mundo encantado do UFC vibra: apesar de ter levado uma surra de Nate Diaz, o irlandês Conor McGregor foi para casa com um cobiçado prêmio de US$ 1 milhão (R$ 4 milhões), recorde no octógono.

Diaz embolsou US$ 500 mil (R$ 2 milhões). Holly Holm, que dançou nas mãos de Miesha Tate, recebeu o mesmo valor. E a nova campeã, US$ 92 mil (R$ 368 mil).

Números que deixaram o ex-pugilista Floyd Mayweather profundamente enciumado.

Na despedida dos ringues, contra Andre Berto, Floyd teve que se contentar com uma ridícula bolsa de US$ 35 milhões (R$ 140 milhões). Berto beliscou US$ 4,5 milhões (R$ 18 milhões). ‘Mata-leão’.

Por falar em ‘mata-leão’… A luta entre Ronda Rousey e Miesha Tate ainda nem está marcada, mas já ferve nas casas de apostas. A ex-campeã Ronda é superfavorita: quem apostar US$ 625 (R$ 2,5 mil) obterá um lucro de US$ 100 (R$ 400 mil) se a loira vencer. Miesha pagará US$ 350 (R$ 1,4 mil) por US$ 100 investidos.
                                      ############

Troco. A cartolagem do soberano Tricolor colocou o elenco no paredão: cobrou mais comprometimento e empenho dos jogadores. O recado foi dado pelo gerente remunerado Gustavo Vieira de Oliveira. Soou como vingança porque os atletas cobraram recentemente direitos de imagem atrasados, promovendo até greve de silêncio.   

Pitaco do Chucky. É mais fácil tomar sopa de garfo do que o hermano Centurión cair nas graças da torcida tricolor.

Se a moda pega… Casada há 15 anos com o ex-jogador de basquete Andrei Kirilenko, bronze olímpico em 2012, Masha Lopatova abriu o jogo: o marido pode pular a cerca uma vez por ano. Justificou: tudo o que é proibido é mais tentador. ‘Se eu deixo, não é traição’, disse Masha ao ‘Salt Lake Tribune’. O ‘sai que é tua, Kirilenko’, começou em 2006. O casal tem três filhos.

Zé Corneta. Circo Brasileiro de Futebol fecha temporada de 2015 com R$ 230 milhões em caixa: todo mundo faz a festa, menos o torcedor.

Muy amigo. Em processo movido pela Sport 10 Licenciamento do Brasil Ltda., o ‘rei’ Pelé cobra uma dívida de US$ 100 mil (R$ 400 mil) do Peixe, referente a uma parcela do contrato vitalício que assinou com o clube. A Justiça deu três dias para o Santos abater o papagaio. O clube corre risco de ter o aquário da Vila Belmiro penhorado. Tem 15 dias para apresentar sua defesa, caso não reconheça o calote. A Sport 10 detém os direitos da marca Pelé, que exige R$ 3 milhões em dois processos.

Dona Fifi. Bauza Patón adora uma corneta: sacou Rodrigo Caio, o melhor em campo nos últimos jogos do soberano Tricolor, mas manteve Centurión.

Bem, amiguinhos. Pela enésima vez, o primeiro-ministro corintiano, o deputado Andrés Sanchez (PT), garantiu aos conselheiros que o naming rights do Itaquerão, minha casa minha vida está saindo do forno. O eterno rei do sorriso informou que o clube deverá faturar R$ 20 milhões por temporada. A conferir.

Sugismundo Freud. Não há nenhuma surpresa quando se começa a ler um livro pela última página.

Bem, diabinhos. A musa Maria Sharapova colhe os amargos frutos do doping no Aberto da Austrália: perdeu o patrocínio da Nike, da montadora alemã Porsche e da marca de relógios TAG Heuer. Ano passado, a tenista russa faturou US$ 23 milhões (R$ 92 milhões) apenas como garota-propaganda.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Após Fifa aprovar uso de recurso eletrônico na arbitragem, Corinthians e Flamengo correm risco de desaparecer. 

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “O melhor investimento do Brasil, hoje, não está no dólar ou ouro, mas nos bancos… de reservas do futebol. O Flamengo vendeu o atacante Kayke, reserva do Guerreiro, para o clube japonês Yokohama Marinos por US$ 2 milhões (R$ 7,5 milhões). O Rubro-negro havia comprado o jogador do ABC de Natal, em agosto, por módicos R$ 300 mil. Ou seja, Kayke valorizou 2400% em sete meses.” O futebol é uma mãe.

Twitface. E o ex-gigante vai despencando no ibope. O blá-blá-blá esportivo tornou-se insuportável.

Tititi d’Aline. Estrela do aniversário de 20 anos da irmã Rafaella, Neymar só obteve autorização para viajar até São Paulo depois de receber o sinal verde do ‘professor’ Luis Enrique e, principalmente, dos líderes do elenco – Messi, Iniesta, Busquets, Piqué e Mascherano. A festa invadiu a madrugada de terça numa boate da capital paulista. Os santistas Lucas Lima e Gabigol deram o ar da graça.

Você sabia que… o centroavante Ricardo Oliveira marcou 15 gols nos principais coirmãos paulistas (seis no Tricolor, cinco no Corinthians e quatro no Palmeiras) desde que retornou ao Peixe, no início de 2015?

Bola de ouro. Stephen Curry. O superastro do Golden State Warriors quebrou mais um recorde na vitória sobre o Orlando Magic (119 a 113): primeiro jogador da NBA a acertar 300 chutes de três pontos em uma temporada. Já a equipe da Califórnia cravou 45 triunfos consecutivos em Oakland e superou a marca de 44 vitórias seguidas em casa do Chicago Bulls. 

Bola de latão. Willian. O lateral do Saci colorado pegou pesado: dividiu o queixo do gremista Bolaños em dois com uma cotovelada. Merece um gancho exemplar. Willian está se especializando em UFC: ano passado, a vítima foi Barbio, da Chapecoense

Bola de lixo. Russos. Mais três atletas foram flagrados no doping com a droga meldonium, a mesma substância usada pela tenista Maria Sharapova: o jogador de vôlei Alexander Markin, o campeão olímpico de patinação no gelo Sermion Elistratov e o campeão mundial de patinação Pavel Kulizhnikov.

Bola sete. “Eu não quero encerrar a carreira desta maneira. Espero que me deem uma chance para jogar tênis de novo” (da russa Maria Sharapova, flagrada no antidoping e suspensa pela federação de tênis – o mundo da bolinha chora).

Dúvida pertinente. Quanto tempo Paulo Autuori resistirá no Furacão, que trocou de ‘professor’ quatro vezes em um ano?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Estaduais brilham: promoção pague um e leve dois atrai 459 testemunhas a estádio da Copa

A vibração nas arquibancadas tem sido contagiante nos estaduais

Nunca na história da pátria das chuteiras furadas os populares estaduais estiveram tão em moda. É torcedor saindo pelo ladrão a cada porfia.

O sucesso é tanto que vale até promoção pague um e leve dois. Por R$ 10 (meia R$ 5), a torcida mato-grossense pôde assistir recentemente a dois jogos pelo espetacular e nada atraente campeonato.

Dom Bosco e Araguaia empataram em 1a1, enquanto o Operário/VG bateu o Cacerense por 2 a 1. A jornada dupla aconteceu na Arena de Cuiabá.

Tremendo sucesso. Trânsito congestionado e filas gigantescas na porta do estádio: nada menos que… 459 testemunhas deram o ar da graça no elefante branco de R$ 670 milhões, construído para a ‘Copa das Copas’.

Um superesquema de segurança foi montado às pressas para levar a astronômica renda de…R$ 3.605. Pela primeira vez a cerveja correu solta nos bares e a torcida chiou barbaridades contra o preço de R$ 5 por uma latinha. Muito cara por um show de quinta categoria.

Já o Carioquinha chegou à última rodada da fase de classificação como exemplo de marcha fúnebre: Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco conseguiram reunir, juntos, 7.402 pagantes, com destaque para os botafoguenses – 1.128 abnegados contra o Boavista.

No Paulistinha, mais confete de tachinha e serpentina de arame farpado: Peixe x Corinthians atraíram 9.635 torcedores ao aquário da Vila Belmiro.

O Palmeiras, por sua vez, comemora uma queda de 38% na renda bruta de quatro jogos na mansão Allianz Parque, em relação ao mesmo período de 2015. A bilheteria caiu de R$ 7,2 milhões (95.946 pagantes) para R$ 4,4 milhões (83.863 espectadores).

Ninguém, porém, saboreou tanto as glórias do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, quanto o soberano São Paulo. Na partida contra o Mogi, quebrou até recorde: pior público (3.013) em pouco mais de 10 anos.

                                  ############

Zapping. Peixe x Corinthians levou sorrisos à plim-plim. O ibope na grande Pauliceia entregue aos ratos cravou 21 pontos. A Band conseguiu cinco. Foi a segunda maior audiência do Paulistinha neste ano. A primeira continua com Corinthians x São Paulo: 23 na plim-plim e cinco na emissora carioca. Fluminense x América, pelo Carioquinha, obteve 16 na Globo e dois na Band na Cidade Maravilhosa das balas voadoras. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios sintonizados em SP; no RJ, 42 mil.

Zé Corneta. Lateral Marcelo, craque no Real Madrid, defenestrado na amarelinha desbotada.

Pica-Pau gaúcho. Okay, okay: o ludopédio nacional é mesmo uma obra-prima, o maior espetáculo da terra. O Grenal do ‘oxo’ e da mandíbula quebrada de Bolaños valeu pelo Gauchinho e pela Primeira Liga. Beleza. Mas o zagueiro colorado Paulão, expulso na bacia das almas, só cumprirá suspensão no estadual. E estamos conversados.

Sugismundo Freud. As pessoas nas redes sociais são como Ki-Suco… 100% artificial.

Pedaladas. O atacante Robinho teve razões de sobra para dançar sem parar após marcar três gols na vitória do Galo (4 a 1) sobre o mamão com açúcar Tombense. Havia sete anos e quatro meses que ele não corria três vezes para o abraço em uma partida. Mais precisamente desde 26 de outubro de 2008, quando o Manchester City derrotou o Stoke por 3 a 0. Robinho fechou a temporada inglesa com 14 gols.

Dona Fifi. A festa de abertura da Olimpíada custará a mixaria de R$ 160 milhões.

Bem, amiguinhos. Apesar de odiar futebol, o ‘patrão’ Silvio Santos foi convencido pelo dono do Orlando City, o brasileiro Flavio Augusto da Silva, a acompanhar a estreia do time contra o Salt Lake, diante de 60 mil espectadores no Citrus Bowl, em Orlando. Sem saber diferenciar tiro de meta de escanteio, SS viu o City empatar depois de estar perdendo por 2 a 0 até os 48 minutos do segundo tempo. Vocês querem dinheiro?

Pitaco do Chucky. Soberano São Paulo, um exemplo de união a ser seguido: cada um por si e dane-se o resto. Não me comprometas.  

Bem, diabinhos. O goleiro Cássio tirou a segunda-feira para se defender… atacando. Primeiro, garantiu não ter falhado no lance que deu chance para o santista Ricardo Oliveira abrir o placar: ‘Se pegar um goleiro decente, não um que fale merda, vai ver que não errei’. Depois, criticou a mídia: ‘A repercussão da nossa derrota é maior que a do São Paulo para um time de menor expressão [São Bernardo, 3 a 1[‘. Chama o Pluto!

Caiu na rede. Sem leco leco, um timeco. Pobre Tricolor!

Bomba. A musa Maria Sharapova anunciou ter sido flagrada no antidoping durante o Aberto da Austrália. Substância: Meldonium. A tenista russa afirmou que usou a droga nos últimos 10 anos, mas só neste ano ela foi incluída na lista de doping e não sabia.

Gilete press. De Marco Antônio Martins, na ‘Folha’: “Uma empresa contratada pelos Correios para atuar na logística da Olimpíada está sendo investigada pela Polícia Federal por suspeita de empregar pessoas envolvidas com tráfico de drogas, roubos e furtos. A Empreza (com ‘z’) Gestão de Pessoas e de Serviços, maior grupo empresarial do país em mão de obra terceirizada, venceu em 2015 a concorrência para auxiliar os Correios na logística da Rio-2016. A previsão é que dois mil temporários sejam contratados. Além da Rio-2016, a companhia tem um contrato de R$ 400 milhões com os Correios.” O pódio é deles, o suor é nosso.

Tititi d’Aline. O brasileiro Caio Ibelli, 22 anos, contará com uma torcedora muito especial na disputa do Mundial de surfe: a bela modelo havaiana Alessa Quizon, 24, também surfista. Eles formam o único casal da elite da prancha. Alessa disputará pela terceira vez o campeonato. Já colocou US$ 260 mil na poupança.

Você sabia que… o ‘professor’ Bauza Ratón soma quatro derrotas em 11 partidas e já viaja no bico da cegonha sem asas no soberano Tricolor?

Bola de ouro. Levir Culpi. O ‘professor’ voltou em grande estilo, colocando molho especial nas entrevistas no Fluminense. Chega de chatice, do blá-blá-blá que tomou conta das coletivas. 

Bola de latão. Tite. O ‘professor’ corintiano confessou ter ficado surpreso com o desempenho de Lucas Lima. O diabo loiro do Peixe é simplesmente o melhor meio-campista do país. Acorda, Tite!

Bola de lixo. Parque Maria Lenk. Recebeu de braços abertos a Copa do Mundo de nado sincronizado, evento-teste da Rio-16: atletas reclamaram da alta temperatura da água e da falta de limpeza dos vestiários e do fundo da piscina, além de azulejos soltos.

Bola sete. “Pato é uma das contratações mais inúteis da história do Chelsea. Nem mesmo a ausência de Diego Costa foi suficiente para finalmente Pato estrear” (do jornal ‘The Telegraph’ – devolução à vista). 

Dúvida pertinente. Curtir o próprio status ou se parabenizar nas redes sociais, o que é pior?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br