‘O Flamengo pode ter a hegemonia do futebol brasileiro’ – palavras de Jesus, o revolucionário

Image result for fotos jorge jesus"
Jesus: mister goleia brasileiros
“Eles acreditaram na nossa ideia de jogo. Uma coisa é ensinar e outra é saber ensinar. Um grande clube tem que ter história e títulos. Se calhar, esse será o primeiro passo para o Flamengo ter a hegemonia no futebol brasileiro.” Jesus é direto. E não tem nenhuma soberba em suas palavras.

Queiram ou não os invejosos e corporativistas ‘professores’ tupiniquins: em quatro meses, Jesus provocou a revolução dos cravos das chuteiras no esporte bretão nacional. Independentemente do futuro do time na Libertadores e no Brasileirão, o gajo devolveu ao rubro-negro uma alegria que estava represada havia muito tempo. E que deixa torcedores de outros times morrendo de inveja.

O milagre de Jesus em números: classificação do Flamengo às finais da Libertadores, após 38 anos; liderança do Brasileirão com 10 pontos de vantagem sobre o Palmeiras; 18 vitórias, seis empates e duas derrotas em 26 embates; 55 gols pró e 19 contra.

O treinador aterrissou sob desconfiança no ninho do Urubu, em agosto. Depois de um começo com dificuldades, absolutamente normais, incluindo a eliminação da Copa do Brasil pelo Furacão, a ressurreição. Desde a derrota por 3 a 0 para o Bahêa, em 4 de agosto, na Fonte Nova, sétimo duelo de Jesus no Brasileirão, o Urubu voa belo e formoso com 14 jogos de invencibilidade – 13 triunfos e um empate.

Matemática produzida por um time que adota variações táticas, jamais se preocupa com o maldito pragmatismo, empurra o coirmão para a defesa mesmo como visitante, marca por pressão, possui um meio de campo com rara inteligência e tem uma volúpia insaciável pelo gol – Bruno Henrique e Gabigol já assinalaram 60 tentos. E nada de ‘time alternativo’, de poupar atletas. Está bem, joga!

Resumindo: quem se desloca recebe, quem pede tem preferência, diria o filósofo Gentil Cardoso. Nas arquibancadas, o grito da galera: ‘Olê, olê, olê, Mister, Mister…’

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Quem é o inspetor Clouseau do STF?

Caviar & Panetone. O Urubu disputará com o River Plate uma ótima ceia de Natal na decisão da Libertadores, em 23 de novembro, no estádio Nacional de Santiago. O campeão embolsará US$ 12 milhões (R$ 48 milhões) de prêmio. O vice receberá US$ 6 milhões (R$ 24 milhões). Até agora, brasileiros e argentinos já beliscaram R$ 29,5 milhões – R$ 12,5 milhões na fase de grupos e R$ 17 milhões nos mata-matas. A Conmebol dobrou o cachê do torneio neste ano. No total, distribuirá R$ 648 milhões.

Zé Corneta. Calma, gremista! Nem tudo está perdido: somente 23 pontos separam o imortal do Flamengo, líder do Brasileirão.

Barba e cabelo. Jesus, Gabigol & Cia. podem derrubar um tabu de 56 anos. Desde 1963, um time brasileiro não conquista a Libertadores e o Brasileirão na mesma temporada. O Peixe de Pelé foi o último a faturar os dois torneios. Um ano antes, a supermáquina santista também havia levantado os canecos – ganhou a Libertadores e a Taça Brasil.

Sugismundo Freud. Oportunista é um serial killer que mata até com palavras.

Aleluia, Carille! O ótimo desempenho do Flamengo de Jesus já rende frutos. O ‘professor’ Fabio Carille decidiu abandonar a ideia de implantar um futebol mais ofensivo no Corinthians e voltará à retranca nas rodadas finais do Brasileirão. Acredita que o ‘meia-volta, volver’ será muito mais eficiente na luta por uma vaga na Libertadores. O Corinthians acumula cinco jogos sem vencer.

Voo do Urubu. Quando o Flamengo vai escalar o sub-15 para cumprir tabela no Brasileirão?

Campeão de audiência. O show do Urubu rendeu 32 pontos de audiência e 48% de share (TVs sintonizadas) para a plim plim na grande Pauliceia mergulhada no bangue-bangue. É o recorde do ano da competição. Ficou apenas um ponto atrás de Palmeiras x Boca Juniors, pela semifinal de 2018. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, a goleada rubro-negra sobre o Grêmio arrebentou: 52 pontos, com 70% de share – sete em cada 10 TVs ligadas na hora do embate, recorde da bola neste ano e maior da história na Libertadores desde 2000. Em Porto Alegre, a audiência também foi a mais alta do torneio em 2019, com 46 pontos e 66% de participação, dois pontos a mais que no primeiro jogo da semifinal.

Gancho. Mandachuva e raios do Palmeiras, Mauricio Gagliotte pega 15 dias de gancho por criticas ao VAR… Brasileirão está manchado.

Apito rosa choque. O boom do futebol feminino também chegou ao apito. Nada menos que 49 mulheres se inscreveram no curso de árbitros da FPF. Cada uma investiu R$ 4.400, pagos em 20 parcelas. Após receberem o canudo, elas vão à batalha nas categorias sub-11 e sub-23. Embolsam R$ 250 por rodada dupla, ou R$ 1.000 por mês. Os assopradores de latinha do Circo Brasileiro de Futebol ganham R$ 2.900 por embate na série A. As mulheres faturam o mesmo. Ano passado, apenas sete participaram do curso. O quadro da FPF tem mais de 450 homens e 14 juíza.Caiu na rede. Justiça quer interditar o Maracanã. Alega que o estádio só tinha alvará para jogo, não para baile.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Na maioria das estatísticas que vejo, citam apenas o número de gols, quando comparam artilheiros. Em grandes amostragens, muito mais importante que o número é a média de gols. Pelé tem 0,92 gol por partida, Messi, 0,81, e Cristiano Ronaldo, 0,71. Estatísticas são muito importantes, embora, às vezes, sejam usadas por pessoas que conhecem tudo de números e quase nada de futebol.” No alvo.

Papo na padoca. Bendito VAR: garante debates (e empregos) em rádios e TVs.

Tititi d’Aline. A Conmebol confirmou que 25 mil ingressos serão distribuídos aos torcedores de Flamengo e River Plate para a decisão da Libertadores, em 23 de novembro, no estádio Nacional do Chile. Cada clube receberá 12.500 entradas. Preço do bilhete: US$ 80 (R$ 320). A venda começará na próxima quarta pelo site da competição. Palco da final da Copa América de 2015, o estádio tem capacidade para 47 mil pessoas.

Você sabia que… o Flamengo espera fechar a temporada com R$ 90 milhões arrecadados apenas em bilheteria?

Bola de ouro. Jorge Jesus. Mostrou por que o esporte bretão está estagnado, leva chocolate até em categorias de base. Ninguém quer nada com a mandioca. Os ‘professores’ tupiniquins se acomodaram na zona do conforto, na tarde de Itapuã, na mesmice de muitos anos, com raríssimas exceções. Reciclagem já. Ou invasão de gringos à vista!

Bola de latão. Renato Gaúcho. Falou pelos cotovelos antes do tira-teima com o Flamengo e levou um banho de bola. Tomou nó tático de Jesus. Mesmo assim, continuou falando abobrinha depois do massacre rubro-negro: ‘Até mulher grávida faria gol no Grêmio.’ Só faltou ler uma carta de Dona Lúcia.

Bola de lixo. Mídia caolha. Que Jesus merece infindáveis elogios pelo trabalho no Flamengo, ninguém discute. Operou um milagre na casamata do Urubu. Mas aplaudi-lo ao final da coletiva é um pouco demais, mesmo sabendo-se que o time preferido da maioria é o Rubro-negro. Só faltou entoarem ‘Uma vez Flamengo, sempre Jesus…’

Bola sete. “Jesus veio de fora para reensinar futebol aos arrogantes do país, que há muito tempo nada acrescentam e ainda defendem reserva de mercado. O português deu uma aula” (de Mauro Cezar Pereira, na ESPN – no alvo).

Dúvida pertinente. Por que Renato Gaúcho não faz um estágio com o mister?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Um comentário sobre “‘O Flamengo pode ter a hegemonia do futebol brasileiro’ – palavras de Jesus, o revolucionário”

  1. Estat[sticas

    O que Tostão disse é uma verdade parcial, creio que por falta de espaço na coluna. Há que olhar de perto os dados primários antes de que qualquer continha seja feita.

    Exemplos:

    1) Quantos gols foram feitos batendo pênalti? Essa cobrança exige treino e habilidade, mas é muito mais fácil marcar um gol de pênalti do que com a bola rolando;

    2) Quantos gols foram feitos exclusivamente pelo chamado artilheiro ou foram fruto de passes maravilhosos de outros jogadores ou de jogadas coletivas, tendo o artilheiro somente a tarefa de empurrar a bola para dentro do gol (no chamado gol da vovó)? Lembrar de Sócrates e Geraldão no Botafogo de Ribeirão. Geraldão era artilheiro, mas quem era o deixava na boca do gol?

    3) Quantos artilheiros não são simplesmente jogadores “de referência” que se plantam dentro da área e são ágeis para pegar uma bola espirrada (o que, reconheço, é uma qualidade)? No society sucatão que eu ainda jogo aos domingos pela manhã normalmente escala-se o mais perna de pau como centro-avante por duas razões: a) Ele não fica atrapalhando com pixotadas na defesa ou meio de campo e b) Depois que os melhores jogadores fizeram a bola chegar redonda na área adversária, dar um chutão para dentro do gol ele sabe…

    Lembrei a opinião de Tostão sobre o tal centro-avante “de referência”: serve de referência para a dupla de zaga adversária se posicionar..

    Tive um livro, que emprestei e sumiu (aprendi a não emprestar livro…) chamado “How to lie with statistics”. Quem sabe ainda acho em um sebo? Na introdução ele contava a estória do jornal de uma cidadezinha que manchetou assim: – Metade dos contadores de nossa cidade são desonestas… Até que era verdade, mas era uma cidade pequena que só tinha dois contadores e um deles tinha sido pego fazendo algo errado…

    No futebol a coisa fica mais feia. Uma vez perguntei a alguém do ramo se um chute que tinha ido parar na bandeira de escanteio era considerado como chute a gol nas estatísticas. A resposta foi que sim… Pano rápido…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s