Endiabrado, Pedrinho dá show e comanda a vitória do Corinthians sobre o Botafogo

Boselli festeja o primeiro gol do Corinthians
Boselli comemora primeiro gol corintiano

Com Pedrinho estraçalhando a boia, o Corinthians derrotou o Botafogo por 2 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida – 39.122 espectadores (38.882 pagantes/R$ 2.245.956). Além de participar dos gols (Boselli e Everaldo, um em cada tempo), Pedrinho infernizou a zaga carioca, com dribles e tabelas. Mateus Vital, Gabriel, Boselli e Everaldo também provocaram fartos elogios na Fiel. O placar só não foi maior porque o goleiro Gatito Fernández fez grandes defesas.

Invicto depois das ‘férias’ da Copa América, o Corinthians chegou a 27 pontos na quinta colocação. Em sete embates desde o reinício do Brasileirão, a equipe obteve quatro vitórias e três empates – também venceu duas partidas pelas oitavas de final da Sul-americana.

O Botafogo soma 22 pontos. O time continua sem vencer na casa da Fiel. Em cinco jogos, levou quatro coças e empatou um. Na história, 39 triunfos do Corinthians, 25 empates e 47 vitórias dos cariocas em 111 partidas.

O Corinthians procurou se impor como dono do terreiro desde os primeiros minutos de jogo. Abafou o Botafogo e só não conseguiu abrir o placar antes dos 41 porque o goleiro Gatito Fernández fez pelo menos três ótimas defesas em arremates de Mateus Vital (aos 3), Pedrinho (aos 11) e Boselli (aos 26).

A equipe carioca praticamente não jogou na etapa inicial. Ou melhor, o tricampeão paulista não permitiu. Explorando muito bem as laterais, em especial a direita, com triangulações entre Fagner, Júnior Urso e Pedrinho, o Corinthians levou constante perigo à zaga adversária.

Encurralado, o Botafogo aguentou a pressão até a bacia das almas do primeiro tempo. Aos 41, a casa caiu: Pedrinho deixou Gilson na saudade, cruzou e Boselli bateu forte no ângulo esquerdo de Gatito Fernández.

Três minutos depois, o goleiro operou um milagre em cabeçada de Pedrinho e impediu o segundo gol corintiano, que faria justiça ao que os times apresentaram em campo. O Corinthians chutou 14 vezes, enquanto o Botafogo ficou numa conclusão de Pimpão.

O time carioca voltou do vestiário com Lucas Campos no lugar de Pimpão e com um pouco mais de ousadia, porém não o suficiente para fazer cócegas no goleiro Walter. Embora mais recuado, o Corinthians jamais perdeu o controle do embate. E passou a explorar com muita eficiência os contragolpes, ora com Pedrinho, ora com Everaldo, sempre bem alimentado por Mateus Vital.

Aos 10, Pedrinho avançou pela direita e chutou de esquerda da entrada da área. Gatito Fernández espalmou, Everaldo pegou o rebote e colocou no canto. Primeiro gol do atacante em oito jogos com a camisa corintiana. Aos 22, o ‘professor’ Fabio Carille trocou Boselli por Gustagol. O hermano foi muito aplaudido pela Fiel.

Um minuto depois, arranca-rabo entre os botafoguenses Cicero e Gilson. A turma do deixa disso entrou em ação, inclusive o assoprador de latinha catarinense Rafael Traci. Destempero que mostrou claramente um time nocauteado.

Na sequência, outra alteração no Corinthians: Everaldo por Clayson. O autor do segundo gol disputou a melhor partida desde que foi contratado. Na reta final do encontro, Jadson substituiu Mateus Vital, um dos destaques do jogo. O Vasco sacou Luiz Fernando e colocou Marcos Vinicius, um garoto que promete.

Nos últimos minutos, o Corinthians se acomodou na vantagem e tomou uma bola na trave, em cabeçada de Benevenuto. Aos 47, Lucas Campos ajeitou para Diego Souza, que bateu forte e Walter finalmente sujou o enxoval.

O Corinthians volta a jogar na próxima quinta, contra o Fluminense, no Itaquerão, primeiro jogo das quartas de final da Sul-americana. Pelo Brasileirão, visitará o Avaí, domingo, em Floripa. O Botafogo receberá a Chape, segunda, no Nilton Santos, o Niltão.

XXXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Bozo aposta na união dos samaritanos da bancada da bala com a turma do boi para aprovar o faroeste nacional, a posse e o porte de armas.

Na marca do pênalti? Os palmeirenses Fernando Prass, 41 anos, Jailson, 38, e Edu Dracena, 38, continuam à espera de um convite do gerentão Alexandre Mattos para discutir o futuro. Os três têm contrato até dezembro. E raramente são aproveitados pelo ‘sargento’ Felipão na equipe titular. Os goleiros e o zagueiro estão com um elefante atrás da orelha porque o volante Felipe Melo estava na mesma situação, mas já prolongou o contrato por mais duas temporadas. Dois pesos e…

Zé Corneta. Pega fogo a artilharia do Brasileirão: Anelka no Galo, Drogba no Corinthians e Balotelli no Flamengo.

É teeeeetraaaa. Pela quarta vez desde 1989, quando a Libertadores incrementou o mata-mata a partir das oitavas, quatro times brasileiros entrarão na briga das quartas de final. E das três anteriores, em duas o ludopédio nacional soltou o grito de campeão: Saci colorado, em 2010, e Corinthians, em 2012. Mas pela primeira vez os quatro estão do mesmo lado. A escalada tupiniquim: 2009 – Grêmio, São Paulo, Raposa e Palmeiras (Estudiantes campeão); 2010 – Flamengo, São Paulo, Raposa e Inter (Saci campeão); 2012 – Fluminense, Corinthians, Vasco e Peixe (Corinthians campeão); e 2019 – Palmeiras, Grêmio, Saci e Flamengo. O pontapé inicial: nesta terça, às 21h30, Grêmio x Palmeiras; na quarta, Flamengo x Saci Colorado.

Sugismundo Freud. A irritação e o mau humor não mudam sua vida.

Fumacê. O ex-campeão mundial dos pesados Mike Tyson revelou que torra mais de US$ 40 mil (R$ 160 mil) por mês em maconha. Em parceria com o ex-jogador da NFL Eben Britton, Tyson investiu US$ 400 mil (R$ 1,6 milhão) em produção de maconha na Califórnia (o cultivo da erva é permitido).

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Rogério Ceni acerta com o Cruzeiro e entra para o Guinness como homem mais corajoso do mundo.

Gilete press. De Juca Kfouri, na Folha: “Felipe Melo joga à moda bolsonarista. Age como se a violência fosse solução. O palmeirense está a um cartão vermelho de chegar aos 20 na carreira (…) Bem ele que, ideologicamente, deveria odiar o vermelho, mas odeia as canelas e os rostos dos adversários, a exemplo do ex-capitão presidente, tratados como inimigos. Há, é fato, diferença significativa entre Melo e Messias: o volante sabe o que fazer com a bola e o político não tem a menor ideia do que fazer com o poder.” Na mosca.

Dial. Jornalista Luciana Verdolin, porta-voz oficial do governo na Jovem Pan?

Tititi d’Aline. Sete anos depois de marcar o gol do título do Palmeiras na Copa do Brasil, contra o Coxa, o atacante Betinho corre em um campo esburacado no bairro da Torre, no Recife. Ele é a grande atração da Copa MCs, disputada por cantores brega e DJs. Sem propostas, dá uma força aos amigos, segundo o ‘Globo.com’. “Eu revivo minha infância na várzea enquanto não surge um clube. Não recebo nada. Venho porque eu gosto e para ajudar o pessoal”, diz Bentinho, 32 anos. Após o título em 2012, o Palestra foi rebaixado e dispensou o atacante.

Você sabia que… o Peixe acumula dois empates e uma derrota contra a Raposa, no Mineirão, desde a última vitória (1 a 0) no Gigante da Pampulha, em 2015?

‘Bola de ouro’. Raposa. Nada de braçadas em um tsunami financeiro. O clube ainda não pagou o prêmio pelo título do Mineirinho. Também deve parte dos salários aos jogadores e funcionários. A cartolagem promete colocar a toca em ordem quando receber os R$ 9 milhões da venda do volante Lucas Romero ao Independiente. Só não sabe quando.

Bola de latão. Flamengo. O clube também adora exalar o bálsamo da decepção fora de campo. Depois de marchas e contramarchas, o Rubro-negro ficou a ver navios no piscinão de Ramos: a contratação de Mario Balotelli reforçou o ar rarefeito. A mídia caolha está em prantos.

Bola de lixo. Figueirense. Sem vencer há sete rodadas na série B, o time catarinense também vive um mar de rosas fora de campo. Os jogadores não apareceram para treinar na sexta por causa do atraso dos salários. Além de não receber o dindim de julho registrado em carteira, o elenco cobra direitos de imagem, atrasados há três meses. Nas redes sociais, os atletas postaram uma frase com o símbolo do clube em fundo preto: “Paramos hoje, pela sobrevivência do amanhã.” Há uma semana, os moleques do Figueira não treinaram por falta de ônibus para levá-los até o CT.

Bola sete. “Davi Alcolumbre [presidente do Senado] sugeriu a Jorge Kajuru que a CPI do Esporte comece os trabalhos de apuração pelas gavetas e contratos do COB, antes de partir para o futebol, ou melhor, a CBF” (de Gabriel Mascarenhas, no Globo – a conferir).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Tite acertou ao convocar o ‘menino Ney’ para a amarelinha desbotada?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s