Palmeiras engata a quinta sem vitória e pode perder a liderança para o Peixe

Palmeiras x Vasco
O goleiro Fernando Miguel corta um ataque palmeirense

O super-Verdão, cantado em prosa e verso pela torcida e boa parte da mídia, voltou a decepcionar na abertura da 12ª rodada do Brasileirão. Mais preocupado com o futuro na Libertadores, terça, contra o Godoy Cruz, o ‘sargento’ Felipão escalou vários reservas e a equipe apenas empatou em 1 a 1 com o Vasco, na mansão Allianz Parque (37.754 torcedores/R$ 2.553.733,15). Prêmio: vaias da galera.

Depois de cinco meses, o Palmeiras voltou a sofrer um gol como mandante. Não era vazado desde 27 de fevereiro, na vitória por 3 a 2 sobre o Ituano, pelo Paulistinha. Já o Vasco continua sem vencer longe de São Januário: dois empates e quatro coças.

O Palestra completou a quina: cinco jogos sem vencer, três pelo campeonato nacional (também empatou com o soberano Tricolor e perdeu do Ceará). Com o resultado diante do Vasco, a equipe chegou a 27 pontos na liderança e pode perder a ponta para o Peixe, que tem 26 e joga com o Avaí, lanterna do Brasileirão com cinco, neste domingo, no aquário da Vila Belmiro.

O ‘boleiro’ Bolsonaro, que se diz palmeirense mas veste qualquer camisa, assistiu o jogo. Antes de a bola rolar, o presidente apareceu em campo com o chefão do Palestra, Mauricio Galiotte, e várias crianças. Ouviu aplausos e vaias. Fora do estádio, no portão C, cartazes deram ‘boas-vindas’ a Bolsonaro: ‘Oportunismo político, aqui não’ e ‘Vira-casaca aqui não’.

Bolsonaro ainda se acomodava no camarote, devidamente paramentado com uma camisa dos periquitos em revista, quando o Vasco calou a torcida. Aos 2 minutos, Valdivia cobrou escanteio, Marrony subiu mais que Thiago Santos no segundo pau e cabeceou para a rede. Primeiro gol de Marrony no campeonato.

O Palmeiras sentiu o golpe, mas logo se recuperou. Aos 11, após cruzamento e rebote do goleiro Fernando Miguel, o atacante Arthur Cabral arrematou e a bola bateu no braço de Leandro Castan.

Os palmeirenses reclamaram pênalti, o VAR entrou em ação e sua senhoria, o assoprador de latinha Ricardo Marques Ribeiro, apontou a marca da cal. Scarpa cobrou e empatou. O meia é o artilheiro do time na temporada com oito gols.

A equipe paulista cresceu, passou a ter mais de 70% de posse de bola, porém se mostrou incompetente para marcar o segundo. Na defesa, o Vasco aguentou o tranco e garantiu o 1 a 1. Números da etapa inicial: sete a três em finalizações para o Palmeiras, três a um em chances reais de gol, 165 a 75 em passes certos.

Apesar do futebol mais recheado de faltas do que de técnica no primeiro tempo, Palmeiras e Vasco voltaram dos vestiários sem mudanças. Logo no começo, o centroavante Arthur Cabral, tão cobrado pela torcida no time, perdeu boa chance. Ao longo do confronto, ele nada mostrou.

O Vasco trocou Marquinho por Marcos Júnior e Valdívia por Talles, e tentou explorar os contra-ataques. Aos 21, o ‘sargento’ Felipão substituiu Scarpa por Raphael Veiga para aumentar o poder de fogo palmeirense. Não adiantou. Depois, Bruno Henrique por Matheus Fernandes.

Já o ‘pofexô’ Luxemburgo sacou Raul, com problemas físicos, e colocou Andrey. O Vasco se manteve forte na defesa. Também contou com a debilidade técnica de Hyoran. Aos 30, ele recebeu ótimo passe de Dudu e, sozinho na área, chutou para fora. Na sequência, Hyoran deu o lugar a Carlos Eduardo.

O jogo ficou truncado. Chato. E só aos 38 ganhou um pouco de emoção. Pikachu cruzou da direita, Weverton deu rebote e Marcos Júnior cabeceou na trave. Daí em diante nada mais aconteceu.

Enquanto os vascaínos comemoraram o 1 a 1, a torcida palmeirense homenageou o time com uma sonora vaia. O Palestra completou cinco jogos sem vencer – empatou com São Paulo, Godoy Cruz e Vasco e levou bucha do Saci colorado e Ceará.

XXXXXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Mais justiça no Ministério da (In) Justiça.

‘Sargento’ 11 x 6 ‘pofexô’. O duelo entre palmeirenses e vascaínos marcou o 30º confronto entre Felipão e Vanderlei Luxemburgo. Eles não ficavam cara a cara desde 2014. A rivalidade nasceu na década de 90. O treinador do Palestra goleia o ‘mestre dos mestres’ em vitórias: 11 a 6, nas contas da assessoria de Felipão. Aconteceram 13 empates. Entre Palmeiras e Vasco, a vantagem dos paulistas também é grande: 58 a 31, em 127 jogos. Os periquitos em revista ganharam três e empataram dois nos últimos cinco confrontos, desde o triunfo vascaíno no Allianz por 2 a 0, em 2015.

Zé Corneta. Jade Barbosa, 28 anos, a ginasta de vidro.

Churrascada. Os gaúchos deitam, rolam e convidam para o churrasco. Saci colorado e Grêmio salvaram a pátria das chuteiras furadas na abertura das oitavas de final da Libertadores. Conquistaram as únicas vitórias do exército Brancaleone. E deram um grande passo rumo à classificação para as quartas. O Inter bateu o Nacional (1 a 0) e joga por um empate no Beira-Rio. Já o imortal superou o Libertad (2 a 0) e pode até perder por um gol em Assunção. Raposa (0 a 0 com River) e Palmeiras (2 a 2 com Godoy Cruz) sonham, enquanto os derrotados Furacão (1 a 0 Boca) e Flamengo (2 a 0 Emelec) estão no bico da cegonha sem asas. O pontapé inicial do brasileiros: oito pontos em 18 possíveis.

Palanque. Band e SBT, os novos púlpitos a serviço de Neymar para tentar recuperar a imagem de ‘bom menino’.

Paulada. “Uma humilhação com mensagem: Real Madrid não lutará por nenhum título nesta temporada” – o recado é do jornal Marca’ após o vexame da equipe no amistoso contra o Atlético de Madrid. O As foi mais cruel depois dos 7 a 3: “Uma atuação vergonhosa que mancha a história do Real Madrid.” O brasileiro naturalizado espanhol roubou a cena no duelo em Nova Jérsei: marcou quatro gols e depois foi expulso numa confusão com Carvajal.

Sugismundo Freud. A internet não permite arrependimento.

Fraldinhas. A renovação no esporte bretão nacional vai de vento sem popa – Gil, 32 anos, no Corinthians; Filipe Luís, 33, no Flamengo; Adriano, 34, no Furacão; Nenê, 37, no Vasco…

Caiu na rede. As melhores notícias que parecem do ‘Olé do Brasil’, mas não são: ‘Palmeiras, primeiro campeão do mundo’.

Gilete press. De Eduardo Tironi, no ESPN: “Todo mundo está cansado de ouvir a conversa de que Pato não pode mais ser cobrado pelo que se imaginou que ele poderia ser. Ok, estamos de acordo. Mas se não for por um jogador fora de série, que decide jogos, qual a razão de o clube ter gasto tanto dinheiro e ainda trazer uma peça que não era nem desejo do treinador? Precisa valer muito a pena.” Na mosca.

Tititi d’Aline. O ex-são-paulino e atacante do Ajax David Neres (foto) curte os últimos dias de férias com a namorada e modelo alemã Kira Winona. O casal viajou até Algarve para dar um mergulho e se encontrou com o cantor Nego do Borel e a noiva, Duda Reis. Os quatro aproveitaram o dia ensolarado para dar um passeio de lancha.

Você sabia que… em 13 duelos com o Fortaleza pelo Brasileirão, o Corinthians ganhou nove, empatou dois e perdeu dois? .

Bola de ouro. Thaisa Moreno. A brasileira de 30 anos assinou contrato por duas temporadas com o Tacón/Real Madrid. Pequeno time de Madri, o Tacón será incorporado ao Real, oficialmente, a partir de 1º de julho de 2020. Thaisa marcou o gol da seleção na derrota para a França por 2 a 1, pelas oitavas da Copa do Mundo.

Bola de latão. Sport. A cartolagem dispensou a meio-campista Sofia por causa das críticas à falta de estrutura do futebol feminino no clube, além de detonar a logística do Circo Brasileiro de Futebol na organização do campeonato nacional. Sofia foi demitida quando se preparava para treinar na sexta.

Bola de lixo. Madiea Ghafoor. A velocista holandesa foi presa na Alemanha com 50 quilos de drogas no porta mala do carro que dirigia. A atleta estava a caminho de um treinamento em Dusseldorf quando foi parada em uma blitz em Cleves. A polícia encontrou metanfetamina, ecstasy e cocaína, avaliados em 1,8 milhão de euros (R$ 8 milhões). Ghafoor, 26 anos, participou do revezamento 4×400 da Rio-16.

Bola sete. “As crianças são pessoas que não estão contaminadas como nós. São autênticas. Por isso, gosto muito de vê-las nos treinos. Elas dizem o que sentem, sem serem manipulados por nada” (do hermano santista Sampaoli – no alvo).

Dúvida pertinente. Palmeiras: o encanto acabou?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s