Soberano São Paulo, mais um show de horrores: em fase ruim, até o gato León foge do rato

Quando a fase é ruim até o poderoso gato León, da novela das nove, foge do rato. Antes de a bola rolar, os anjinhos independentes organizados pelo diabo protestaram na porta do estádio contra o carismático CA de Barros e Silva, o popular Leco, e o cartolão Raí. Alguns boicotaram o jogo e ficaram do lado de fora exigindo a saída do mandachuva e raios por serviços não prestados e do ex-jogador, a estrela que perde luminosidade a cada jornada. Outros entraram no Morumbi (10.391 pagantes/R$ 255.422) e ficaram em silêncio nas arquibancadas.

Em campo mais uma decepção: 0 a 0 contra o Red Bull, terceiro jogo consecutivo sem vitória. Na classificação do grupo D, apenas 10 pontos, em terceiro lugar, após oito rodadas. O Oeste lidera com 12 (tem um jogo a menos), um à frente do Ituano. Se o Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, terminasse hoje, o São Paulo estaria fora do mata-mata.

O primeiro tempo do Tricolor foi saudado com vaias pela galera. Mais uma exibição pífia. O ‘professor’ interino Vagner Mancini armou o time com três zagueiros, um meio de campo mais leve e um ataque mais rápido.

O castelo de esperança, porém, começou a ruir aos 12 minutos de jogo. O lateral Reinaldo sofreu uma lesão e foi substituído por Léo Pelé. Antes, o bom garoto Antony havia mandado uma bomba de fora da área e o goleiro Júlio Cesar fez grande defesa.

A equipe são-paulina ainda tentava se acertar com a mudança, quando levou mais uma bordoada: aos 18, Carneiro foi expulso após atingir Rafael Carioca. Primeiro, ele foi advertido com o cartão amarelo por sua senhoria, o assoprador de latinha Luiz Flávio de Oliveira. Depois, o juiz foi até o atleta do Red Bull, viu que a pancada de Carneiro havia sido forte e mostrou o vermelho.

Com um a mais, o Red Bull tomou conta do embate. À medida em que o tempo foi passando, inexplicavelmente o time se acomodou e permitiu ao Tricolor equilibrar a partida. Na bacia das almas, Júlio César teve de se virar com duas ótimas intervenções para manter o ‘oxo’.

Balanço dos números: chutes a gol – 9 a 6 para o RB; chances de gol – 3 a 0 para São Paulo; bolas levantadas – 6 a 5 RB; passes certos 131 a 85 para os visitantes; passes errados – 15 a 11 para o RB.

O Red Bull voltou mais ousado para o segundo tempo. Apertou a marcação, passou a explorar com eficiência as jogadas pelas laterais e só não chegou ao gol porque parou nas luvas de Tiago Volpi. Apontado como um dos responsáveis pela derrota diante do Corinthians, o goleiro fez pelo menos três excelentes defesas.

Na tentativa de complicar a vida do adversário, Mancini trocou Helinho por Biro Biro. Mas depois de alguns minutos, ele se machucou e precisou ser substituído por Nenê. Que nada fez para evitar mais um fracasso do soberano e vaias da torcida.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Depois de lançar a nova religião, o Corinthianismo, só falta a cartolagem pedir dízimo à Fiel.

Linguarudo. Braço direito do ‘professor’ Tite, o auxiliar Cléber Xavier abriu o jogo: o meia Paquetá, do Milan, será convocado para os amistosos da amarelinha desbotada contra Panamá e República Tcheca. A lista sairá na próxima quinta, sem Neymar e Douglas Costa, lesionados. Também Vinicius Júnior deve ganhar uma chance. Tite poderia aproveitar o embalo e fazer outras experiências. Chega de cadeira cativa!

Zé Corneta. Raí bom de bola, ruim de cartola.

Trabalho escravo. Após levar milhares de pessoas aos cinco jogos da fase de classificação da Taça Guanabara, o primeiro turno do Carioquinha, o Flamengo colocou os pingos nos is e festejou um prejuízo de R$ 262 mil, apesar de contar com um elenco milionário – só neste ano, investiu mais de R$ 100 milhões. O Urubu só deixou de voar no cheque especial em três partidas. Obteve extraordinário lucro de R$ 93 mil, ou seja, R$ 31 mil em média por duelo. Em dois embates, leite derramado: prejuízo de R$ 354 mil. O rombo foi amenizado com o embate diante do Fluminense pelas semifinais. Da renda de R$ 1,8 milhão, o Urubu ficou com R$ 220 mil.

Trabalho escravo 2. O tilintar das moedas também se sobressaiu em outro time. Sem chuteiras, caneleiras e enxoval, a equipe dos engravatados de colarinho branco da gloriosa Federação de Futebol do Rio de Janeiro, a popular e absolutamente desprezível Ferj, ganhou R$ 325 mil com o suor alheio – cota de 5% da renda bruta de cada embate do Flamengo. Só na estreia da equipe, diante do Bangu, no templo do ludopédio nacional, a cartolagem sanguessuga devorou R$ 105 mil, enquanto o Urubu bateu asas com R$ 19.884,90.

Sugismundo Freud. As mais belas palavras são ditas em um sorriso.

Zapping. Preocupada com a transmissão de Racing x Corinthians pela RedeTV, a plim plim se mexeu e antecipou Palmeiras x Ituano para a próxima quarta. A emissora carioca recorreu ao Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, porque o soberano São Paulo dançou o tango na pre-Libertadores. O duelo entre hermanos e corintianos decidirá uma vaga na Sul-americana.

Caiu na rede. Se o Palmeiras ganhar a Supercopa do Brasil também será campeão mundial?

Chuá. A Spring Hill Entertainment, da fera LeBron James, anunciou que o filme Space Jam 2 estreará em 16 de julho de 2021. O astro do Los Angeles Lakers será o protagonista e um dos produtores do longa. O primeiro Space Jam foi lançado em 1996, com Michael Jordan jogando na equipe de Pernalonga, em duelo contra um time de alienígenas.

Gilete press. De Juca Kfouri, no Uol: “O presidente do Flamengo quebrou o silêncio ensurdecedor de mais de duas semanas. Provavelmente porque se deu conta de como as negociações com as vítimas das mortes no Ninho do Urubu têm queimado a imagem do Flamengo. Infelizmente sua entrevista serviu pouco para melhorá-la. Porque ele parte da premissa de que foi uma “fatalidade” a imprevidência do clube como segunda casa dos 10 meninos mortos. Daí em diante tudo o mais é secundário. Todas as dificuldades que uma tragédia de tais proporções encerra são compreensíveis. Mas se Landim parte de premissa falsa, o que esperar? Recuar da desastrosa comparação com a Boate Kiss é pouco, quase nada. A frieza com que o caso está sendo tratada é inaceitável.” Bingo!

Tititi d’Aline. Carol Dantas, mãe do filho de Neymar, está grávida. Aos 24 anos, ela e o noivo, Vinicius Martinez, passam boa parte do tempo comprando o enxoval do futuro irmãozinho de Davi Lucca, 7. O casal começou a trocar figurinhas em dezembro de 2017.

Você sabia que… a Unimed-Rio, antiga patrocinadora, cobra R$ 35 milhões do Fluminense por não ter repassado o dindim da venda de jogadores?

Bola de ouro. Manchester City. Ganhou pela sexta vez a Copa da Liga Inglesa. Superou Manchester United, Chelsea e Aston Villa, todos com cinco canecos. Só perde do Liverpool, que tem oito. O goleiro brasileiro Ederson foi um dos heróis: pegou um pênalti na decisão (4 a 3) após ‘oxo’ no tempo normal e na prorrogação.

Bola de latão. Kepa. O goleiro espanhol roubou a cena quase no final da prorrogação de Chelsea x Manchester City. Ele se recusou a ser substituído e deixou o ‘professor’ italiano Maurizio Sarri uma fera. O treinador mandou Caballero entrar após Kepa receber atendimento médico, mas o espanhol não deixou o gramado. Na decisão por pênaltis, Kepa defendeu uma cobrança, porém não evitou a derrota do Chelsea por 4 a 3.

Bola de lixo. Jiu-Jítsu. A noite de gala no ginásio do Hebraica terminou em pancadaria. O bafafá na edição Black Belt começou na luta principal, entre Felipe ‘Preguiça’ Pena e Erberth Santos, campeões mundiais. Santos aguardava atendimento médico no tatame quando passou a discutir com o irmão mais novo de ‘Preguiça’. O lutador maranhense então correu para cima do desafeto. No caminho, derrubou uma mulher. Depois, atacou outro torcedor. ‘Preguiça’ foi declarado vencedor.

Bola sete. “Não é porque o time permaneceu o mesmo do ano passado que temos mais qualidade que as outras equipes. Não é porque o Palmeiras tem muitos jogadores que precisa ganhar de todo mundo. Isso é um absurdo. O repertório está bom e temos criado oportunidades. E, quando se cria oportunidades, a gente não pode reclamar de nada, não” (do ‘sargento’ Felipão, no Estadão – há controvérsias).

Dúvida pertinente. Quando o Palmeiras do ‘sargento’ Felipão justificará em campo o badalado elenco que possui?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s