Peixe vai às compras em ritmo de tartaruga; torcida e cartolas já torcem nariz para Sampaoli

Resultado de imagem para fotos sampaoli santos

É devagar, é devagarinho… Pois é, parece que a música de Martinho da Vila contaminou a cartolagem do Peixe. Até agora, só jogou conversa fora, não contratou nenhum reforço. O planejamento para a próxima temporada é tão eficiente quanto uma nota de três reais, deixando o ‘professor’ Jorge Sampaoli na pior.

Enquanto nuvens cinzentas pairam sobre o aquário da Vila Belmiro, os coirmãos Corinthians, Palmeiras e soberano Tricolor estão se reforçando, para desespero da galera santista.

Como desgraça pouca é bobagem, depois de perder o artilheiro Gabigol, o Santos também pode ficar sem os laterais Victor Ferraz e Dodô. O primeiro está na mira do São Paulo, e Dodô exige salário superior a R$ 500 para permanecer na Baixada. Já o atacante Bruno Henrique deve se mandar para o Flamengo.

A rota de sucesso continua: parte da torcida e de conselheiros do Peixe já começou a olhar de soslaio o trabalho de Sampaoli  (foto).

Apesar de o time possuir dois excelentes goleiros (Vanderlei e Vladimir), o hermano pediu a contratação de Martín Campaña, 29 anos, do Independiente.

O clube argentino pediu US$ 4 milhões (R$ 14 milhões) pelo jogador uruguaio, à vista. O Santos propôs US$ 3 milhões (R$ 11 milhões), parcelados.

Durante as férias, o soberano São Paulo tentou comprar os direitos de Vanderlei por R$ 10 milhões, mas o presidente santista, José Carlos Peres, exigiu R$ 30 milhões. O Tricolor esqueceu Vanderlei e acertou o empréstimo de Thiago Volpi, do Querétaro.

O pedido de Sampaoli agitou o clube e irritou Vanderlei e Vladimir. Campaña participou da delegação do Uruguai que foi à Copa da Rússia, mas não jogou. Antes de chegar ao Independiente, em 2016, o goleiro atuou por quatro anos no Defensor Sporting, do Uruguai.

XXXXXXXXXXXX

Pitaco do Chucky. Queiroz, cadê você, eu vim aqui só pra te ver…

Pé de obra. Seis jogadores brasileiros figuram no ranking dos 27 atletas que custam 100 milhões de euros (R$ 424 milhões) ou mais, de acordo com estudo do ‘CIES Football Observatory. O Brasil é o país com mais integrantes na lista dos mais caros do planeta, liderada pelo francês Mbappé, com 218,5 milhões de euros (R$ 925,7 mi). Neymar aparece em terceiro, com 197,1 milhões de euros (R$ 835 mi), atrás do inglês Harry Kane, do Tottenham, avaliado em 200,3 milhões de euros (R$ 848,6 mi). Messi e Cristiano Ronaldo aparecem em sétimo e 19º lugar, respectivamente: 171,2 milhões de euros (R$ 725,3 mi) e 127,2 milhões de euros (R$ 538,9 mi).

Pé de obra 2. Depois do Brasil, os países com os jogadores mais caros são Inglaterra e França, com cinco cada; Argentina, Bélgica e Portugal, com dois; e Alemanha, Egito, Itália, Senegal e Uruguai, com um. A Premier League tem 16 atletas do ranking. O Campeonato Espanhol vem em segundo com cinco, e o italiano soma três. A cotação dos brasileiros:

Neymar (PSG): € 197,1 milhões (R$ 835 mi)
Philippe Coutinho (Barcelona): € 157 milhões (R$ 665,15 mi)
Roberto Firmino (Liverpool): € 145,6 milhões (R$ 616,85 mi)
Gabriel Jesus (Manchester City): € 134,6 milhões (R$ 570,25 mi)
Alisson (Liverpool): € 105,6 milhões (R$ 447,4 mi)
Ederson (Manchester City): € 100,1 milhões (R$ 424 mi).

Zé Corneta. O futebol é uma mãe: atacante Valdivia, devolvido pelo Al-Ittihad ao Saci colorado, ganha parcos R$ 400 mil mensais.

Voo de Pato. O retorno do atacante Pato ao futebol brasileiro ficou mais fácil. O dono do Tianjin Quanjian, time do atleta, foi preso na China. Shu Yuhui e outros 17 integrantes do Grupo Quanjian, especializado na venda de produtos farmacêuticos e hospitalares, são acusados de fazer propaganda enganosa. Eles foram detidos após a morte de uma criança de quatro anos, que lutava contra um câncer e fazia tratamento com produtos Quanjian. A empresa foi acusada “marketing falso”. O futuro do Tianjin Quanjian é incerto. Na mira do soberano Tricolor, Pato está namorando Rebeca, filha de Silvio Santos.

Sugismundo Freud. O homem é o que é, não o que foi.

Tio Patinhas. O ‘professor’ Dorival Júnior deixou o Flamengo cheio de elogios após o Brasileirão, agradeceu e retribuiu, mas na hora de a onça escovar os dentes para um velho acerto de contas, amigos amigos, negócios à parte. O treinador bateu o pé: exigiu o pagamento de R$ 11 milhões, dívida de sua primeira passagem pelo Urubu. Pode até aceitar um parcelamento. No entanto, reduzir um centavo, nem pensar. O treinador é jogo duro quando o assunto é financeiro. A Justiça os espera.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Ibama é acionado após faltar água em São Januário: “Os gatos e os ratos estão passando necessidades”.

Urubu esfomeado. Num arroubo de humildade, o novo presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, aproveitou um encontro com amigos, regado a muita tubaína, para mandar um recado à torcida no último fim de semana: “Aí galera. Vamos ganhar essa porra toda, vamos ganhar tudo esse ano. Chega de cheirinho.” Os palmeirenses estão pagando pra ver.

Ladrão nocauteado. A peso-palha Polyana Viana (foto), 1,70m e 60kg, nocauteou o larápio Max Gadelha Barbosa, que tentou assaltá-la no fim de semana, no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá. Com uma arma falsa, ele abordou a lutadora de UFC. Queria o celular. Levou socos, um chute e foi imobilizado por Polyana até a chegada da polícia. De acordo com o site ‘MMA Junkie’, ela esperava um carro na porta de seu condomínio quando foi atacada. Ao perceber que o revólver era de papelão, Polyana reagiu e dominou Barbosa, que ficou quietinho, com medo de apanhar mais.

Ladrão nocauteado 2. A lutadora contou que muitas pessoas passaram pelo local, mas ninguém ajudou. Somente após o assaltante ser dominado com um ‘mata-leão’, pararam para tirar fotos e “perguntar se era um assalto ou se eu estava agredindo o homem de graça”. Quando foi à delegacia para registrar o boletim de ocorrência, Polyana soube que o assaltante tinha ficado preso durante três anos e estava solto havia pouco tempo.

Polyana e o ladrão dominado por ela

Gilete press. De Lauro Jardim, no Globo: “O Cade marcou para o dia 30 a sessão em que será julgada a fusão das operações da Disney Company e da Fox no Brasil. Deve ser aprovada, mas com o que no Cade se chama de “remédios” para evitar a concentração excessiva, sobretudo na área de direitos esportivos. A discussão, que divide os conselheiros do Cade, é a dose desses “medicamentos”.” Desemprego à vista.

Tititi d’Aline. “As pessoas vão saber quem é realmente o Adriano Leite Ribeiro, não Didico ou Imperador” – o recado é do ex-jogador, 36 anos, que terá a vida retratada num longa e num documentário pela produtora Bananeira Filmes. A estreia deverá acontecer em 2020. Adriano defendeu Flamengo, soberano São Paulo, Corinthians, Inter de Milão, Roma, Parma e Fiorentina.

Você sabia que… o Fluminense, atolado em dívidas, estabeleceu o teto salarial de R$ 150 mil?

Bola de ouro. Dwayne Wade. Em sua temporada de despedida, o ala-armador do Miami Heat entrou para um seleto grupo da NBA. Ao lado de Michael Jordan e LeBron James, Wade superou os 20 mil pontos, cinco mil assistências, quatro mil rebotes, 1.500 roubadas de bola, 800 tocos e 500 bolas de três. Em 16 campeonatos, Wade participou de 1.011 jogos de temporada regular.

Bola de latão. Mídia caolha. Após o bicampeonato de Gabriel Medina, começou a comparar o brasileiro ao americano Kelly Slater. Nada mais justo, pois apenas nove títulos separam as duas feras da prancha.

Bola de lixo. Arrascaeta. Comportamento ridículo ao não se apresentar para treinar na Raposa, forçando a barra para ser negociado com o Flamengo. Péssimo profissional, já que tem contrato a cumprir.

Bola sete. “O São Paulo é muito grande para ficar tanto tempo sem título. O que eu trago é a inconformidade com essa espera absurda de tempo. É esse sentimento que quero transmitir. No São Paulo só está bem se está ganhando. Temos de estar inconformados até levantar um troféu e fazer campanhas dignas” (do profeta Hernanes, em Orlando, nos Estados Unidos, onde o soberano faz pré-temporada).

Dúvida pertinente. Quando o atacante Pato participará do ‘jogo dos pontinhos’ do programa Silvio Santos?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Playground dos europeus, Mundial de clubes deve mudar a fórmula para não morrer

Imagem relacionada

Depois de o Mundial de clubes ter virado playground dos europeus, principalmente dos espanhóis (o Real Madrid levantou quatro canecos e o Barcelona um nos últimos cinco anos), a mamãe Fifa deve mesmo mudar a fórmula de disputa do ‘me-engana-que-eu-gosto’.

Um grupo de estudos mergulhou no buraco negro da competição e deve apresentar uma nova proposta na próxima reunião da mamãe Fifa, em 14 de março, na cidade de Miami.

Num encontro em Ruanda, há pouco mais de dois meses, discutiu-se duas ideias para o Mundial: torneio anual ou a cada quatro temporadas (24 equipes, um ano antes da Copa do Mundo, com 20 dias de duração).

De cara, a Conmebol pediu mais representantes. Já a Uefa detonou a possibilidade de nova maratona, que seria ótima apenas para os cofres da mamãe Fifa, além de ameaçar o faturamento da Champions.

Alguns números mostram que, se não encontrarem uma fórmula mais atraente, o Mundial vai mesmo para o espaço.

Ao vencer o Al Ain na decisão de Abu Dhabi, o Real Madrid (foto) disparou na liderança de títulos do torneio, chegando a sete conquistas (três consecutivas). O Milan, segundo colocado, tem quatro.

O placar geral do campeonato aponta: Europa 32 x 26 América do Sul. O soberano São Paulo é o brasileiro como mais títulos mundiais, com três conquistas (1992/93/05). O Peixe (1962/63) e Corinthians (2000/12) têm dois, e Flamengo (1981), Grêmio (1983) e Saci colorado (2006), um.

No mundo encantado das seleções, os sul-americanos também estão na fila no gargarejo. Encaram um tabu de 20 anos desde o penta brasileiro, em 2002: Itália-2006, Espanha-2010, Alemanha-2014 e França-2018.

xxxxxxxxxxxx

Gato mestre. O Queiroz virou laranjada?

Peixe no anzol. De pires na mão, o Santos pediu socorro à Sport Value e descontou um papagaio, antecipando a segunda parcela da venda de Rodrygo ao Real Madrid. O negócio: o clube deveria receber 20 milhões de euros (R$ 85 milhoes), mas só embolsará R$ 82 milhões – a empresa cobrará 6,5% de juros (600 mil euros/R$ 2,5 milhões). O time santista pretende utilizar o dinheiro para quitar salários e direitos de imagem atrasados, pagar contas e contratar reforços. A segunda parcela da venda de Rodrygo cairá na conta do Peixe em julho, quando o atacante se apresentará ao Real Madrid.

Peixe no anzol 2. O Santos divulgou nota negando a operação com a Sport Value, com sede na França, mas o Diário do Peixe, que noticiou com exclusividade a transação, obteve um documento que comprova o negócio. O Santos receberá o dinheiro no dia 21.

Zé Corneta. Incrível: Jardine já está sob pressão no soberano São Paulo. Mancini que o diga!

Periquito coadjuvante. Se o milionário Palmeiras disputasse o Campeonato Inglês, Espanhol ou Italiano ficaria na fila, não incomodaria os grandes times das três principais ligas da Europa. Quem garante é Kaká. “O Palmeiras ficaria no meio da tabela”, disse o ex-jogador ao SporTV. A diferença no bico da chuteira é tanta que Kaká vaticinou, sem pestanejar, que o Tottenham reinaria “fácil” no Brasileirão. Ou seja, Palestra, Flamengo, Corinthians, Grêmio, Raposa e outros bambambãs seriam apenas coadjuvantes.

Bico quadrado. Interessante: a Raposa recusou proposta de R$ 40 milhões do Flamengo por Arrascaeta, mas está sendo acionada pelo Defensor na Corte Arbitral do Esporte (CAS) por calote referente à compra do meia em 2015. O pão de queijo deve 1,1 milhão de euros (R$ 4,8 milhões) ao clube uruguaio.

Sugismundo Freud. Antes um pé torto do que uma cabeça torta.

Amigos do rei. Jogada de mestre do mandachuva e raios do Corinthians, Andrés ‘Desmanchez’: trocou o gerente campeão Alessandro por Emerson ‘Bitoca’ e Vilson, ambos sem nenhum preparo para o cargo. Cabide de emprego.

Caiu na rede. Peixe, mais lerdo no mercado de reforços que saci de patinete.

Neymar ‘condenado’. A torcida do Barcelona ainda não esqueceu a ‘traição’ de Neymar por ter trocado o time catalão pelos milhões de euros do Paris Saint-Germain. O hermano Messi e outros jogadores já abriram as portas do clube para o retorno do brasileiro, mas a galera condenou a ideia numa pesquisa do El Mundo Deportivo: 67,66% não querem, enquanto 32,34% são a favor da volta.

Zapping. Em queda livre na guerra do ibope, a Band sonha voltar aos bons tempos de transmissões esportivas. Sem dinheiro para comprar as principais competições, tentará acertar parcerias.

‘Mata-leão’. Aos 43 anos, o prestígio de Anderson Silva permanece inabalável como grande… zebra do UFC da Austrália, em 9 de fevereiro. Quem apostar US$ 100 na vitória do brasileiro sobre o nigeriano Israel Adesanya, 29 anos e invicto nas 15 lutas que fez como profissional, embolsará um lucro de US$ 280. Já Adesanya pagará US$ 100 para o apostador que arriscar US$ 400. Se vencer o combate na terra do canguru, Anderson disputará o cinturão dos pesos-médios contra o ganhador de Robert Whittaker (atual campeão) e Kelvin Gastelum, que trocarão carícias na mesma noite.

Dona Fifi. O milionário Palmeiras obteve autorização para captar R$ 2,4 milhões e montar um time de futebol feminino. De acordo com o dadivoso Ministério do Esporte, o Palestra deve arrecadar o dindim até o final de 2020.

Desemprego. A equipe de atletismo da Raposa festejou a entrada de 2019 à procura de emprego. O pão de queijo fechou as portas do departamento por medida de economia. O time de 30 atletas consumia R$ 360 mil/ano, ou R$ 30 mil por mês, ou um salário de alguns reservas da equipe de futebol, ou metade do café no bule do ‘professor’ Mano Menezes. O ano do atletismo brasileiro foi dos mais elogiáveis. Além da Raposa, também encerrou as atividades a principal equipe do país, a B3. E José Antonio Martins Fernandes renunciou à presidência da CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) após denúncias de irregularidades.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na Folha: “Sampaoli e Fernando Diniz, novos técnicos de Santos e Fluminense, são guardiolistas, bielsistas. A dificuldade principal de Fernando Diniz não é a estratégia de jogo, e sim a incapacidade de fazer com que os jogadores executem bem o que foi planejado, por ineficiência e inexperiência do treinador e pelo pouco talento individual dos atletas. Guardiola é excepcional porque faz ótimos jogadores evoluírem, por atuarem em equipes organizadas e inovadoras, de acordo com suas características, e não porque transforma equipes individualmente modestas em brilhantes e vencedores times.” No alvo.

Tititi d’Aline. Festa no Beira-Rio: o empresário Delcir Sonda perdoou uma dívida de R$ 25 milhões do Saci colorado. Envolvido em várias negociações de atletas ao longo dos anos, o mecenas do clube gaúcho abriu o coração vermelho e colocou o papagaio na conta do Abreu. Como não pode mais adquirir percentuais de jogadores, regra imposta pela mamãe Fifa, o investidor doou o dindim ao clube.

Você sabia que… o soberano São Paulo está na sala de espera do Paulistinha desde 2005, maior jejum de sua história?

‘Bola de ouro’. CBF. Não tem choro nem vela: em péssima situação financeira, com receita estimada em míseros R$ 600 milhões na última temporada, o Circo Brasileiro de Futebol embolsa R$ 42.530 de cada aluno com os quatro cursos de ‘professor’. Os alunos começam a pagar R$ 5.600 na licença C. Depois bancam R$ 7.520 na B e R$ 10.550 na A. O último degrau, a Licença Pro, é o mais salgado, custando R$ 19.130, razão pela qual a maioria dos alunos pertence à elite da pátria das chuteiras furadas. A periferia que se exploda!

Bola de latão. Vasco. Deve dois meses de salários aos funcionários, além do 13º. Já a água foi cortada em São Januário porque o clube tem uma dívida de R$ 10 milhões com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). O Vasco negociou um acordo e a água voltou no fim de semana.

Bola de lixo. Raposa/Flamengo. Troca de farpas entre cartolas por causa de Arrascaeta, com as bênçãos do agente do atleta, mostra exemplar profissionalismo. Até parece mesa-quadrada na TV

Bola sete. “Na CBF o que muda é só a coleira. O cachorro é sempre o mesmo” (do senador eleito Jorge Cajuru, do PRP/GO, que promete uma devassa no Circo Brasileiro de Futebol – a conferir).

Dúvida pertinente. Futebol brasileiro, o shopping das chuteiras furadas?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br