Palmeiras mantém folga na liderança; ‘vovô’ Danilo tira Corinthians do sufoco

Tudo como dantes no quartel de Abrantes: Palmeiras e Flamengo ficaram no 1 a 1 no ‘new Maraca’ (58.613 pagantes/R$ 1.116.596.50), pela 31ª rodada do Brasileirão. Ao final do jogo, os palmeirenses comemoraram o resultado. A equipe manteve a diferença de quatro pontos para o Rubro-negro (63 a 59) e vai mais tranquila para a decisão contra o Boca Juniors, na quarta, pelas semifinais da Libertadores. Os periquitos em revista precisam vencer por três gols de diferença para carimbar a vaga. Ou por 2 a 0, para provocar um tira-teima nos pênaltis.

Depois de um primeiro tempo sem grandes emoções, e com apagão dos refletores aos 35 (o embate ficou paralisado por seis minutos), o jogo melhorou na etapa final. Dudu, aos 5, abriu o placar para o Palmeiras. Ele recebeu do zagueiro Antonio Carlos, cortou para o meio e bateu forte.

O Palmeiras dormiu na vantagem e permitiu a reação do Urubu. Aos 36, Marlos Moreno disparou pela esquerda, levou Antônio Carlos na conversa e arrematou: 1 a 1. Fim de um jejum que durava desde 2016. Marlos Moreno havia entrado no lugar de Vitinho, muito fraco.

O Flamengo teve mais posse de bola ao longo do confronto, mas mostrou pouco poder de fogo, principalmente na etapa inicial. O Palmeiras também não incomodou muito. Na próxima rodada do campeonato, o Palestra pegará o Peixe, sábado, no Allianz Parque. O Flamengo enfrentará o São Paulo, domingo, no Morumbi.

No Itaquerão, minha casa minha vida (35.382 pagantes/R$ 1.116.596,50), o ‘vovô’ Danilo, 39 anos, roubou a cena na vitória do Corinthians sobre o Bahêa por 2 a 1.

Ele entrou no intervalo da partida, em substituição a Emerson ‘Bitoca’, e no primeiro lance colocou a equipe corintiana na frente. Fagner bateu falta da direita e o meia apareceu por trás da zaga baiana para encaçapar Douglas.

Aos 37, Danilo puxou Nilton dentro da área. Clayton bateu o pênalti e empatou. Cássio chegou a tocar na bola. O Corinthians partiu para a pressão, no embalo dos gritos da Fiel, e Danilo fez o segundo, aos 43. Avelar cruzou da esquerda, Romero tocou de cabeça e Danilo, de meia-bicicleta, saiu para o abraço.

Xodó da galera, Danilo garantiu uma vitória importantíssima na luta do Corinthians para fugir do rebaixamento. Agora, a equipe soma 39 pontos e ocupa a 11ª colocação. Está cinco à frente da zona do agrião queimado. O Bahêa ocupa o 12º lugar, com 37.

Na 32ª rodada, o Corinthians jogará contra o Botafogo, no Nilton Santos, o Niltão. De acordo com os matemáticos, o time precisa de mais sete pontos para dar um bico no fantasma da degola.

A jornada dos paulistas começou com um triunfo do Peixe sobre os reservas do Fluminense por 3 a 0, no aquário da Vila Belmiro (8.680 pagantes/R$ 165.563,50). A torcida santista sofreu muito até o time abrir a porteira dos cariocas.

O primeiro gol saiu apenas aos 38 minutos segundo tempo, em cobrança de pênalti de Gabigol (12.500 da história do clube e 16º do atacante no Brasileirão). Aos 42, aproveitando cruzamento de Bryan Ruyz, Victor Ferraz fez 2 a 0. E aos 43, Carlos Sanchez fechou o placar, após passe de Gabriel.

Com o resultado, o Peixe chegou a 46 pontos, empatando com o Galo, mas perde o sexto lugar por ter uma vitória a menos. Já o Flu, que poupou os titulares por causa da Sul-americana no meio da semana, está com 40. Nos últimos quatro jogos contra o Fluminense em São Paulo, o Peixe ganhou três e empatou um. No próximo sábado, o Santos vai encarar o Palmeiras na mansão Allianz Parque. A equipe paulista estreou novo enxoval, uma camisa dourada.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Pense bem neste domingo. Depois não adianta chorar. Inês é morta.

Negócio da China. O Peixe investiu R$ 42 milhões na contratação do centroavante Leandro Damião, em 2013, e deve perdê-lo no fim deste ano sem receber um tostão. O jogador está emprestado ao Saci colorado e o Santos paga parte do salário de R$ 600 mil. O acordo do atleta com o time paulista se encerra em dezembro. Mas Leandro Damião continuará na folha de pagamentos do Peixe até junho de 2019, quando acaba uma dívida de R$ 4,5 milhões, parcelada pelo clube em 40 prestações.

Zé Corneta. Xô domingada: as urnas não podem refletir um show de horrores.

Chororô gaúcho. Revoltados com as últimas arbitragens, os cartolas do Saci colorado voltaram a se apoiar na muleta da teoria da conspiração: não querem que um time de Porto Alegre ou do Nordeste seja campeão brasileiro. “Se é mais bacana, se dá mais ibope Palmeiras e Flamengo disputarem o campeonato, legal. Sugiro que se faça um campeonato só com times do Rio e de São Paulo”, vociferou o vice de futebol Roberto Melo. Até pouco tempo atrás, quando o Saci colorado foi abençoado pelos assopradores de latinha, silêncio absoluto.

Sugismundo Freud. As coisas não caminham se você ficar parado.

Festa do milhão. A diferença entre o futebol tupiniquim e o europeu é cada vez menor, mais ou menos do tamanho de um iceberg. A Raposa, por exemplo, embolsou R$ 50 milhões pela volta olímpica na Copa do Brasil. Cada um dos 32 times que disputaram a fase de grupos da Champions também beliscou o mesmo cachê do pão de queijo. A classificação ao mata-mata rendeu mais R$ 25 mi a 16 equipes. A vaga nas quartas reforçou o caixa de oito times em R$ 27 mi. A passagem às semifinais proporcionou mais R$ 31 mi. Pelo triunfo na decisão, o Real Madrid papou R$ 65 mi, e o Liverpool, R$ 46 mi. Ao longo do torneio, o campeão Real Madrid contabilizou R$ 370 milhões.

Caiu na rede. Depois da vitória sobre o River, tem gremista mais exibido do que segurança de popstar.

Zapping. SporTV 2 x 0 Fox: esse foi o placar das semifinais da Libertadores nas duas emissoras pagas. Na transmissão de River Plate 0 x 1 Grêmio, o SporTV cravou 3,53 pontos de audiência contra 1,73 ponto do Fox. No embate Boca Juniors 2 x 0 Palmeiras, 2,16 a 1,30. O ibope caiu porque a plim plim entrou em campo e obteve 29,3 pontos na grande Pauliceia vítima da bandidagem.

Dona Fifi. A comédia pastelão protagonizada pelos assopradores de latinha no duelo Saci colorado x Peixe referenda apenas o que todos já sabiam: a ‘voz do além’ andou decidindo vários jogos.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “A CBF finalmente prestará homenagem a Pelé. A casa, na época de Ricardo Teixeira, havia rompido relações diplomáticas com o nosso maior craque, o que, convenhamos, era uma coisa esdrúxula. O rei ganhará uma estátua de cera, em tamanho real, que ficará em lugar de destaque no Museu da Seleção Brasileira, no Rio. A escultura de Pelé será feita por artesãos ingleses da equipe dos museus Dreamland. O trabalho é tão meticuloso que demorará de seis a oito meses.” Demorô!

Tititi d’Aline. Mandachuva do apito amigo do Circo Brasileiro de Futebol, o coronel Marinho saiu em defesa dos subalternos, mais bombardeados que navio japonês em filme americano da 2ª Guerra: “Não tem desonesto. Não estou chefiando uma gangue.” De fato, comando assopradores de latinha incapazes de apitar saída de trem. Piuí abacaxi.

Você sabia que… o Boca nunca perdeu por diferença de três gols, resultado que classificará o Palmeiras na Libertadores, desde que Guillermo Schelotto assumiu o comando do time?

Bola de ouro. Garotas corintianas. Sob os aplausos de oito mil torcedores na velha Fazendinha, a equipe feminina do Corinthians goleou o Rio Preto por 4 a 0 e faturou pela primeira vez o título brasileiro – na primeira partida, havia vencido por 1 a 0. O time do ‘professor’ Arthur Elias acumulou 15 vitórias, quatro empates e apenas uma derrota na competição.

Bola de latão. Vasco. Os cartolas do time carioca são de outro planeta. Primeiro, pediram apoio à torcida na luta contra o rebaixamento; depois, anunciaram reajuste de 50% no preço do ingresso. O valor da arquibancada pulou de R$ 40 para R$ 60.

Bola de lixo. Jean. O goleiro ganhou uma chance para se firmar como titular do soberano São Paulo e aprontou a maior papagaiada após o triunfo sobre o Vitória. Provocou ridiculamente a torcida baiana e foi expulso. Merece uma punição.

Bola sete. “Jean é um goleiro tão irregular quanto Sidão. Mas muito mais infantil. Como fez questão de provar. Com sua absurda expulsão. E Diego Aguirre deixou de ser unanimidade. Sua presença em 2019 não é imprescindível” (de Cosme Rímoli, no ‘R7’ – fato).

Dúvida pertinente. O ‘professor’ Diego Aguirre merece mais um ano no soberano Tricolor?

O que você achou? jr.malia@bol.com.b

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s