Periquito leva bala de Benedetto e fica no fio da navalha na luta pela Libertadores

Maior favorito ao bicampeonato da Libertadores, o Palmeiras está no bico da cegonha sem asas. Perdeu por 2 a 0 do Boca Juniors, numa enlouquecida Bombonera, e agora precisa de um milagre de San Gennaro para se classificar à decisão. Os periquitos em revista têm que devolver no mínimo o placar para levar o tira-teima aos pênaltis. Os hermanos poderão perder por um gol de diferença. Se balançarem a rede na mansão Allianz Parque, na próxima quarta, obrigarão o Palestra a marcar quatro gols.

A grande estrela da partida foi Dario Benedetto. O atacante saiu do banco aos 31 minutos do segundo tempo e marcou os dois gols. Matou o Palmeiras aos 38 minutos, ao completar de cabeça um escanteio (Felipe Melo falhou), e aos 42, em bela jogada individual (deixou Luan na saudade).

Titular do Boca na fase de grupos da Libertadores, Benedetto quase não apareceu nos dois duelos contra o Palmeiras – uma vitória e um empate dos brasileiros. Antes de o atacante abrir o marcador, Weverton (foto) operou um milagre em cobrança de falta cometida por Felipe Melo. Olaza cobrou no ângulo esquerdo e o goleiro palmeirense mandou para escanteio.

O Palmeiras decepcionou. Criou muito pouco e tentou levar o jogo em banho-maria, na esperança de voltar com um ‘oxo’. Rifou demais a bola. O goleiro
Rossi não praticou uma grande defesa.

Em nenhum momento do primeiro tempo, Boca e Palmeiras justificaram o oba-oba feito antes de a bola rolar. Muito menos os sete títulos da competição – seis dos hermanos e um do time paulista.

As equipes se preocuparam muito mais com a marcação, às vezes abusando das faltas, do que em criar as jogadas ou tocar a bola com inteligência.

Os periquitos em revista abusaram da ligação direta, enquanto os argentinos pararam na eficiente defesa palmeirense.

O Boca Juniors até tentou uma pressão inicial, mas o Palestra nada permitiu. Rebateu todas as bolas. Chances, mesmo, só em chutes de longa distância de Dudu e Willian que passaram por cima do gol de Rossi. Pelo Boca, uma cabeçada de Izquierdoz na pequena área assustou Weverton.

A etapa final continuou sem grandes emoções. O Palmeiras falhou nos contragolpes, enquanto o Boca tentou, sem sucesso, furar o bloqueio adversário. Ai, entrou Benedetto. E o periquito levou duas balas em menos de cinco minutos. De nada adiantaram as mudanças do ‘sargento’ Felipão – Bruno Henrique por Thiago Santos, Moisés por Lucas Lima e Borja por Deyverson. O Palestra não correspindeu ao longo da partida e agora está no fio da navalha.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Não basta ser filho, tem de participar: na campanha pré-eleitoral, Bolsonaro pai também atacou STF.

Jajá, o rei. Duas vitórias, quatro empates e cinco derrotas: o espetacular currículo de Jair Ventura o coloca como pior ‘professor’ corintiano nos últimos 12 anos. Come poeira de Tite (69,8%), Mano Menezes (64,5%), Fábio Carille (62,5%), Leão (57,2%), Adilson Baptista (49%), Cristóvão Borges (48%), Osmar Loss (46,8%), Carpegiani (39%), Oswaldo de Oliveira (37%) e Nelsinho Baptista (33,3%), de acordo com Cosme Rímoli, do ‘R7’. Jair Ventura tem 29% de aproveitamento. Passando a régua: o Corinthians está a três pontos da zona do agrião queimado.

Zé Corneta. Retroceder jamais: #EleNão.

Brumar. O ex-casal 20 decidiu chorar as mágoas da terceira separação na tatuagem. O atacante Neymar carimbou os heróis Homem-Aranha e o Batman nas costas. Já a atriz Bruna Marquezine tatuou a palavra ‘fé’ atrás da orelha. O relacionamento subiu no telhado porque Neymar queria casar com a atriz.

Sugismundo Freud. Só merece a felicidade quem acorda todos os dias disposto a conquistá-la.

Paulistinha. A exemplar FPF considera o campeonato estadual tão importante, mas tão importante, que resolveu implantar o VAR a partir do mata-mata das… quartas de final (14 jogos). Antes, seja o que Deus quiser. Outra decisão: o campeão receberá R$ 5 milhões, mesmo prêmio dado desde 2016. Os 16 clubes foram divididos em quatro grupos de quatro. A desprezível maratona vai de 20 de janeiro a 21 de abril. O Palmeiras boicotou o lançamento do torneio. Está rompido com a federação.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Palmeiras é acusado de emprestar Fabiano para prejudicar o Inter.

Tico-tico sem fubá. Do ex-treinador Valdir Espinosa, curto e grosso: na briga por pontos, o Brasileirão está ótimo; na bola rolando, tecnicamente, a mesmice de sempre. Há mais preocupação com o adversário do que em preparar o time para uma vitória. Que o diga o ‘professor’ Jair Ventura, do Corinthians.

Gilete press. De Mauro Cezar Pereira, no ‘ESPN’: A paciência do Palmeiras com Deyverson está acabando. A tola expulsão do jogador contra o Ceará pode ter sido a gota d’água. Dentro do clube já há um entendimento de que o atacante é praticamente um caso sem solução por causa de seu destempero. Com este comportamento, Deyverson dificilmente ficará no Palestra Itália no próximo ano. Na primeira boa oportunidade, o Verdão irá negociá-lo. Vale lembrar que o grandalhão custou quase R$ 19 milhões ao time paulista, em 2017.” Bad boy.

Patolino na geral. Gremista anda mais metido que capanga de bicheiro.

Tititi d’Aline. A TV argentina apresentará uma nova série sobre o atacante Tevez no próximo ano. ‘Apache, a vida de Carlos Teves’ abordará a fase menos conhecida do jogador, da infância até a relação com os familiares (irmãos e pais biológicos e adotivos). Também mostrará o início no futebol. A produtora Torneos informou que serão exibidos oito episódios de 60 minutos cada. Tevez, 34 anos, está na reserva do Boca Juniors. “O Forte Apache é o meu bairro, minha essência, o que sempre fui e o que sou”, disse Tevez, que aparecerá rapidamente no início de cada episódio.

Você sabia que… os times brasileiros acumulam 18 títulos da Libertadores contra 24 dos hermanos?

Bola de ouro. Renato Gaúcho. É indiscutivelmente o melhor ‘professor’ do futebol nacional. Consegue recuperar jogadores defenestrados por outros times, tem o vestiário sob comando e é o grande responsável pela excelente fase do Grêmio há dois anos. Único brasileiro campeão da Libertadores como jogador e técnico.

Bola de latão. Plim plim. Sempre preocupada com o torcedor de poltrona e pipoca de micro-ondas, a emissora já decidiu: só transmitirá as finais da Libertadores se Grêmio e/ou Palmeiras se classificarem. Duelo entre hermanos, nem pensar.

Bola de lixo. Diego Alves. O goleiro está com os dias contados no ninho do urubu. Quis ganhar a posição no grito e caiu em desgraça. Elenco e torcida reprovaram a atitude de Diego Alves. O jogador se julga o rei da carne seca desde que aterrissou no Flamengo.

Bola sete. “O bem-vindo VAR é usado no Brasil para mudar o que fizeram certo. Árbitros precisam ser criticados, muitos são ruins, mas é preciso respeitar limitações” (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’ – na mosca).

Dúvida pertinente. O Palmeiras ja era na Libertadores?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Um comentário sobre “Periquito leva bala de Benedetto e fica no fio da navalha na luta pela Libertadores”

  1. Respondendo sua pergunta: torcemos porque amamos. Acreditamos porque a esperança é verde. Mas, racionalmente, sabemos que já era. Foco no Brasileiro agora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s