Na retranca, sem dar um chute a gol, Peixe segura empate contra os hermanos

O Santos aterrissou na Argentina disposto a voltar com um empate no primeiro tiroteio do mata-mata da Libertadores e atingiu seu objetivo: ficou no ‘oxo’ contra o Independiente, em Avellaneda. A equipe esqueceu o DNA ofensivo no aquário da Vila Belmiro e não deu um chute a gol. O goleiro Vanderlei foi um dos destaques.

Pituca disputa lance com MezaA segunda partida será disputada na próxima semana, no dia 28, no Pacaembu. Novo 0 a 0 leva a classificação às quartas de final para os pênaltis. Empate com gols favorece os argentinos. A vitória no tempo normal coloca Santos ou Peixe contra o vencedor de River Plate x Racimg – também empataram sem gols no primeiro confronto. jogo de ida.

Desde o início da partida ficou clara a disposição santista em primeiro defender e depois, se possível, contra-atacar o time argentino. Mestre Cuca fechou a casinha, com duas linhas de quatro, e apenas Gabigol e Rodrygo no meio de campo, na esperança de surpreender os hermanos num contragolpe em velocidade.

O esquema deu certo e o Santos conseguiu neutralizar o Independiente, que facilitou o trabalho do time santista ao errar muitos passes e tentar furar a defesa pelo meio, aproveitando raras vezes o jogo pelas laterais. Também faltou criatividade aos meio-campistas argentinos.

Mas se foi eficiente na defesa, o Peixe se mostrou inoperante na frente. Tanto que não deu um chute ao gol do Independiente. Um cone substituiria perfeitamente Martín Campaña.

Aos 10 do segundo tempo, o Santos sofreu um golpe: Rodrygo sentiu uma lesão e foi substituído por González. O moleque vinha desempenhando um bom papel taticamente, porém sem a agressividade que o caracteriza no ataque.

Treze minutos depois, nova mudança no Peixe: Sasha no lugar de Bruno Henrique. Aos 35, Bryan Ruiz no de Sánchez. Antes, o goleiro Vanderlei operou um milagre. Já aos 36, Dodô foi expulso após dar uma cotovelada num adversário. P

Com um a menos, o time santista se fechou ainda mais, aguentou a pressão desordenado do Independiente e garantiu um grande resultado. Detalhe: não deu um chute a gol. O DNA ofensivo perdeu o avião para Buenos Aires.

xxxxxxxxxxxx

Pitaco do Chucky. Tira, põe, deixa ficar: lucro líquido dos maiores bancos do país entre abril e junho atingiu irrisórios R$ 21,2 bilhões. A crise está mesmo brava.

Paredão. Contratado em dezembro, depois de defender o Furacão em 318 partidas, Weverton pode quebrar um recorde de 26 anos contra o Botafogo, nesta quarta, na mansão Allianz Parque. Desde 1992, nenhum goleiro palmeirense ficou oito jogos sem tomar gol. No triunfo sobre o Vitória por 3 a 0, Weverton igualou a marca de Cesar, que passou sete jogos sem levar gol entre outubro e novembro. Pela quinta vez na história, o Palmeiras chegou a sete duelos zerado na defesa. A maior sequência sem ser vazado é de 12 jogos, que aconteceu entre abril e maio de 1987.

Zé Corneta. Recordar é viver e… sofrer. Há 11 anos, no histórico campeonato em que mergulhou sem bóia e pé de pato no inferno da segunda divisão, o Corinthians também concluiu o turno com 26 pontos.

Saci só no sapatinho. Pelo andar do patinete, o Saci colorado tem razões de sobra para sonhar com o título do Brasileirão e sair da fila do gargarejo depois de 39 anos. As razões do otimismo: está apenas três pontos atrás do líder São Paulo (41 a 38); vai encarar os outros candidatos ao caneco (soberano Tricolor, Flamengo, Grêmio, Galo e Palmeiras) no Beira-Rio, onde está invicto no campeonato, com sete vitórias e dois empates; nos últimos 15 jogos, perdeu apenas um e coleciona quatro triunfos consecutivos; e ganhou o reforço de Paolo Guerrero.

Sugismundo Freud. Quem corre cansa, mas quem anda devagar chega atrasado.

Jejum mineiro. Ao empatar em 1 a 1 com o Bahêa, a Raposa completou cinco jogos sem vencer no Brasileirão. O calvário do time do ‘professor’ Mano Menezes começou após o triunfo sobre o Furacão por 2 a 1. Aí o pão de queijo queimou: Corinthians (2 a 0), soberano Tricolor (2 a 0), Flamengo (1 a 0), Vitória (1 a 1) e Bahêa. A equipe ocupa a oitava posição, com 26 pontos. O Grêmio espera a Raposa de braços abertos.

Zapping. Repórter beija careca de Felipe Melo, apresentador se veste de Barbie, narrador grita até em arremesso lateral… O esporte na TV vive dias empolgantes.

Golpe tricolor. Cartolas do soberano São Paulo já mexem os pauzinhos, by mídia caolha, para colocar o envelhecido Morumbi como sede da Copa América/19. O estádio briga com a mansão Allianz Parque. O Itaquerão, minha casa minha vida foi descartado. O rei do sorriso Andrés ‘Desmanchez’ garante que pediu à Conmebol para riscar do mapa o campo corintiano porque não compensaria financeiramente.

Boca de urna. O ex-jogador Kaká pode engrossar a lista de esportistas que apóiam Jair Bolsonaro (PSL). Ele marcou um tête-à-tête com o candidato a presidente. O palmeirense Felipe Melo é fã de carteirinha de Bolsonaro, o mesmo acontecendo com o lutador de UFC José Aldo.

Dona Fifi. O poderoso chefão do Peixe, José Carlos Peres, abriu o jogo: o clube precisa pagar R$ 120 milhões até dezembro. Ou seja, boa parte do dinheiro da venda de Rodrygo ao Real Madrid servirá para pagar dívidas.

Gilete press. De Athos Moura, no ‘Globo’: “O STJD voltará a converter parte das punições de jogadores de futebol em medidas sociais. A ideia do novo presidente do órgão, Paulo César Salomão Filho, é que as penas se tornem mais brandas, desde que os atletas punidos façam aparições e palestras em instituições de caridade ou escolas públicas. A medida, para ser aplicada, precisa ser solicitada pelo clube do jogador punido.” A conferir.

Tiro curto. Vasco, 120 anos: passado de glórias, presente para esquecer.

Tititi d’Aline. Mais um capítulo na emocionante e chatíssima história Gustavo Scarpa: a maioria dos ministros do Tribunal Superior do Trabalho deu ganho de causa ao atleta. O Fluminense dançou ao tentar cassar a liminar que liberou o meia ao Palmeiras. O julgamento foi interrompido por causa de um pedido de vistas, mas a maioria do TST já mandou o time carioca catar coquinho.

Você sabia que… os principais times italianos investiram R$ 3 bilhões em reforços nesta temporada?

Bola de ouro. CR7, Modric e Salah. Os três concorrem ao prêmio da Uefa de melhor jogador do ano na Europa. O vencedor será conhecido no dia 30, durante o sorteio dos gurpos da Champions. Neymar sequer ficou no top 10.

Bola de latão. Vitória. O time baiano fechou o turno com a pior defesa do campeonato: 39 gols em 19 jogos. Na era dos pontos corridos do Brasileirão, só não perde do América/RN (42 gols em 2007) e Avaí (40 em 20011).

Bola de lixo. Everton Ribeiro. Merece uma punição exemplar pelo chute no rosto de Marcinho na derrota do Flamengo para o Furacão.

Bola sete. “Se nos amistosos a presença de Neymar não fosse ‘obrigatória’ para justificar as boas cotas, ele receberia um ‘descanso’ de Tite” (de Wanderley Nogueira, Jovem Pan – ajoelhou tem de rezar).

Dúvida pertinente. ‘Titia’ Leila Crefisa ou Mauricio Galiotte, quem manda de verdade no Palmeiras?

O que você achou? jr.malia@bol.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s