Peixe morre na bacia das almas em Salvador; há 13 anos time não supera Bahêa na Fonte Nova

Bahia x Santos Junior Brumado
Júnior Brumado corre para o abraço no último minuto de jogo

O Peixe já se preparava para festejar a conquista de um ponto contra o Bahêa, em Salvador, quando morreu na bacia das almas. Aos 49 minutos do segundo tempo, Allione cobrou escanteio, Elton desviou e Júnior Brumado decretou a primeira derrota do Santos no Brasileirão. Há 13 anos o Santos não vence o Bahêa na Fonte Nova.

A partida na Fonte Nova (15.588 pagantes/R$ 317.748) ofereceu poucos momentos de qualidade técnica. O Bahêa esteve melhor na etapa inicial e exigiu excelentes defesas do goleiro Vanderlei. Novamente, Gabigol foi um fiasco no ataque santista. Completou oito jogos sem correr para o abraço.

O Bahêa só não terminou o primeiro tempo em vantagem porque parou nas luvas de Vanderlei, o goleiro desprezado pela comissão técnica da amarelinha desbotada. Ele operou duas grandes defesas e ainda contou com a sorte num chute de Edigar Junio, aos 8, que bateu na trave.

Após sufocar o Peixe nos 20 minutos iniciais, o Bahêa diminuiu o ritmo e permitiu ao Santos equilibrar a partida, mas sem importunar o goleiro Douglas, praticamente um espectador privilegiado. Mais uma vez, Gabigol decepcionou apesar de mostrar-se menos individualista.

O Peixe arriscou dois chutes a gol e não acertou o alvo. O Bahêa arrematou seis vezes e complicou a vida de Vanderlei em duas oportunidades.

Na volta do vestiário, a equipe baiana procurou apertar o Peixe e logo de cara obrigou Vanderlei a fazer mais uma grande defesa. Após cruzamento, Zé Rafael apareceu livre na área, fuzilou e o goleiro santista evitou o pior. Aos 10, Alison cabeceou e Douglas afastou o perigo.

Com as equipes acomodadas e sem inspiração, o segundo tempo proporcionou raros momentos de emoção. Aos 22, o Bahêa trocou Vinicius por Regis. Na sequência, o ‘professor’ Guto Ferreira foi expulso por reclamação.

Nos contra-ataques, o Santos tentou surpreender os baianos, mas não teve capacidade para aproveitar as falhas do adversário.

Aos 28, Rodrygo foi substituído por Bruno Henrique, afastado desde a primeira rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, devido a uma lesão nos olhos.

O Peixe ganhou mais qualidade técnica com Bruno Henrique, porém Gabigol continuou destoando no ataque.

Quatro minutos depois, Marco Antonio saiu e entrou Júnior Brumado. E Zé Rafael cedeu o lugar para Allione. No Peixe, também duas alterações: Leo Citadini por Diego Pituca e Sasha por Arthur Gomes.

O duelo caminhava para o ‘oxo’ quando a Fonte Nova explodiu, aos 49 minutos: depois de cobrança de escanteio, Elton desviou e Júnior Brumado completou para a rede. Primeira vitória do Bahêa no Brasileirão, e primeiro revés do Peixe no campeonato.

                                        ############

Pitaco do Chucky. A Justiça brasileira precisa de cão-guia?

Missão impossível. As velhas raposas do corroído e abominável mecanismo que domina o ludopédio nacional apostam que o mandachuva e raios do Palmeiras, Mauricio Galiotte, só vencerá a batalha no tribunal da FPF se pedir ajuda a Ethan Hunt (Tom Cruise), o super-homem de ‘Missão Impossível’, ou a James Bond. A chance de o Palestra anular o segundo jogo contra o Corinthians, pela decisão do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, é a mesma de um saci andar na corda bamba. Que houve interferência extracampo no quiproquó que anulou a marcação do pênalti a favor dos periquitos em revista, são favas contadas. Mas como provar o telefone sem fio envolvendo o chefão dos assopradores de latinha, Dionizio Roberto Domingos, e o assistente Anderson José de Moraes Coelho?

Missão impossível 2. Não há gravação (disponível) para o Palmeiras apresentar diante dos engomadinhos de colarinho branco do tribunal da FPF. Pressionado por conselheiros e torcedores, Galiotte promete brigar até a última gota de sangue e esperança. Considera ‘uma questão de honra’. No vai da valsa, a federação pretende cozinhar a revolta do periquito em banho-maria…

Zé Corneta. Um cafezinho Caboclo da pior qualidade domina o mausoléu da bola, mais conhecido como Circo Brasileiro de Futebol.

Boca de urna. A candidatura de Ronaldinho Gaúcho ao Senado pelo PRB do Distrito Federal começa a fazer água. O irmão e empresário do ex-jogador, Assis, está superanimado, mas RG parece pouco se lixar para o pleito. Anda mais devagar que bicho preguiça na luta por votos.

Sugismundo Freud. Um bom cirurgião tem o olho de uma águia, o coração de um leão e a mão de uma senhora.

Saci sem moral. Após a eliminação do time da Copa do Brasil pelo Vitória, a maioria dos torcedores do Saci colorado acredita que a equipe conquistará uma taça importantíssima se conseguir fugir do rebaixamento no Brasileirão, não repetir a gloriosa campanha de 2016. Nem os reforços do atacante Lucca, ex-Corinthians, e do lateral Zeca, ex-Peixe, serviram para melhorar o astral, aumentar a ambição, sonhar com pelo menos uma vaga na Libertadores.

Caiu na rede. Copa do Brasil: arerê, o Inter vai ficar na frente da TV.

Dona Fifi. Linguarudos que frequentam o Parque São Jorge garantem: a proposta do Flamengo (R$ 1 milhão para a xepa) balançou o ‘professor’ Fabio Carille. E nem poderia ser diferente: ele ganha R$ 300 mil no Corinthians.

Gilete press. De Lauro Jardim, no ‘Globo’: “Uma concorrência milionária está agitando o mundo do futebol: a CBF, representando os clubes, está negociando a venda para o exterior dos direitos do Brasileirão, entre 2019 e 2022, para as TVs aberta e fechada e streaming, além da comercialização das placas dos estádios. Oito propostas foram entregues. Entre elas, as favoritas são as da IMG (já detém os direitos da Libertadores), Lagardère, MP & Silva e um consórcio que une os empresários Alexandre Grendene, Caio Cesar Vieira Rocha e Patrícia Coelho (está negociando a compra da marca Placar). Estima-se que a proposta ganhadora ultrapassará os R$ 500 milhões. O Flamengo é o único clube que não participa da negociação.” A plim plim abriu mão dos direitos.

Tititi d’Aline. O casal Brumar é mesmo fera em negócios. A primeira-dama bolou uma fórmula infalível para preencher o álbum de figurinhas: trocar um cromo autografado pelo craque por 30. Há poucos dias, Bruna Marquezine recebeu diversos pacotes da empresa Panini com figurinhas apenas de Neymar.

Você sabia que… o pobre Circo Brasileiro de Futebol fechou 2017 com apenas R$ 360 milhões em caixa, provenientes de aplicações em bancos?

Bola de ouro. Barcelona. A equipe catalã deu um recital no gramado Wanda Metropolitano (estádio do Atlético de Madrid), arrasou o Sevilla por 5 a 0 e faturou a Copa do Rei. Luis Suárez (dois), Messi, Iniesta e Philippe Coutinho marcaram os gols. O Barça levantou o caneco pela 30ª vez. Messi marcou o 31º gol contra o Sevilla, maior vítima do hermano. Que chegou a 40 tentos na temporada.

Bola de latão. Neymar pai. Ganhou irrisórios R$ 4 milhões na transferência de Lucas Lima para o Palmeiras e nada informou ao Circo Brasileiro de Futebol. Aplicou o golpe do joão-sem-braço. O esporte bretão é mesmo uma mãe.

Bola de lixo. São Paulo. Se há uma coisa que a torcida do soberano não pode ignorar é a eficiência do time em mata-matas. Poucos são capazes de colecionar tanto sucesso. Desde 2013, o Tricolor ‘morreu’ apenas 19 vezes, ou seja, uma média de três funerais por temporada.

Bola sete. “O Lucas Lima não tem futebol para brilhar em time grande na Europa. Tem de começar numa equipe média, e olhe lá” (de Mauro Cezar Pereira, no ESPN, sobre o meia palmeirense – é vero).

Dúvida pertinente. O Grêmio pratica o melhor futebol do país?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s