Decisão do Paulistinha: Palmeiras sai na frente em duelo com festival de cartões e poucas emoções

Palmeirenses festejam o gol de Borja no início da partida

Em jogo com raríssimas emoções, 10 cartões amarelos e dois vermelhos (Clayson e Felipe Melo), e 49 faltas (22 do mandante e 27 do visitante), o Palmeiras foi mais competente na proposta de jogo e derrotou o Corinthians por 1 a 0, gol de Borja aos 6 minutos de bola rolando.

O Itaquerão, minha casa minha vida recebeu 43.905 fiéis (43.535 pagantes/R$ 3.182.923,60), recorde deste ano do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago.

Com a vitória, o Palestra agora depende apenas de um empate para colocar a faixa de campeão na segunda partida, dia 8, na mansão Allianz Parque.

O Corinthians precisa ganhar por pelo menos um gol de diferença para decidir o título na marca da cal. A equipe corintiana tentava faturar o quinto duelo consecutivo contra o coirmão, feito que nunca conseguiu em 101 anos de história do Dérbi.

Os periquitos em revista fizeram a quina entre 1930 e 1931. E comemoraram seis consecutivas de 1931 a 1934, com direito a maior goleada entre os clubes, 8 a 0, em 1933.

O Corinthians pagou caro por começar a partida mais desligado que radinho sem pilha. Aos 6 minutos, Dudu cruzou da esquerda, a bola bateu na trave e sobrou para Willian, sozinho, na direita. O atacante tocou para Borja, que completou para a rede.

A equipe corintiana acordou, mas não o suficiente para se impor em campo, apesar do apoio da Fiel. O ‘professor’ Roger Machado montou muito bem o Palestra para neutralizar o arquirrival.

Não permitiu os avanços dos laterais Fágner e Sidcley, marcou de perto o meia Rodriguinho, responsável pela armação das jogadas do adversário, e obrigou os zagueiros Balbuena e Henrique a lançarem bolas inúteis aos ataque.

De posse da gorduchinha, o Palmeiras procurou sair em velocidade pelas pontas, com Borja sempre à espreita para conferir o segundo. Preso na armadilha dos periquitos em revista, o Corinthians não criou nenhuma grande chance. Um ou outro ‘uhhh’ na galera, e olhe lá.

Na bacia das almas, arranca toco no gramado. Bafafá entre os jogadores. E cartão vermelho para o xerifão Felipe Melo e o atacante Clayson, raro destaque corintiano. Já Borja e Henrique ganharam o amarelo. Sua senhoria, o assoprador de latinha Leandro Bizzio Marinho, colocou ordem na casa e terminou a primeira etapa.

Apesar de estar no prejuízo, o ‘professor’ Fabio Carille manteve o time no início do segundo tempo, enquanto Roger trocou Borja por Moisés. Aos 9, porém, o Corinthians mexeu por atacado: Sidcley e Mateus Vidal saíram e entraram Romero e Pedrinho. Por que não mudou no intervalo?

Já o Palmeiras substituiu o lesionado Victor Luís por Diogo Barbosa. Na sequência, Bruno Henrique também reclamou de uma contusão e deu o lugar para Thiago Santos.

As modificações não surtiram efeito no Corinthians. Jailson continuou praticamente como um espectador privilegiado. Na base do banho-maria, o Palmeiras cozinhou o gavião. Que tentou a última cartada com uma troca de ‘vovôs’: Emerson ‘Bitoca’ por Danilo.

Não adiantou. O Palestra agora depende apenas de um empate no segundo tiroteio para soltar o grito de campeão depois de 10 anos. E, jogando na mansão Allianz Parque, ésuperfavorito. Antes, o time terá de encarar o Allianza Lima, terça, pela Libertadores.

.... "adivinha quem é" (Foto: Marcos Ribolli)
Felipe Melo no meio da confusão: ‘Paguei pelo meu nome’.

                                              ############

É campeão. O PSG superou o Monaco por 3 a 0, com dois gols de Cavani e um de Di Maria, e faturou pela oitava vez a Copa da Liga Francesa. O árbitro da telinha foi convocado duas vezes e acertou na mosca: pênalti a favor do PSG e impedimento de Falcao Garcia após estufar a rede. Capitão da equipe, Thiago Silva levantou o caneco. Lesionado, Neymar acompanhou a festa pela TV. Na Premier League, o Manchester City atropelou o Everton (3 a 1) fora de casa e está a apenas uma vitória do caneco. Sané, Gabriel Jesus e Sterling marcaram para o City. Bolasie descontou. O Everton era o único time que o City não havia vencido no atual campeonato. No primeiro  turno deu empate (1 a 1). A equipe de Guardiola se tornou a terceira a conseguir derrotar todos os adversários em uma mesma temporada. Repetiu o feito de Chelsea (2005/06) e Manchester United (2010/11).

Pitaco do Chucky. O Fla-Flu político também virou caso de polícia. Querem matar a democracia.

Triiiim. Dia sim e outro também, o mandachuva e raios Eduardo Bandeira de Mello recebe uma enxurrada de telefonemas no ninho do Urubu. E o assunto é sempre o mesmo: empresário oferecendo os préstimos de um ‘ótimo professor’ para substituir Paulo César Carpegiani, garantir bons tempos ao Flamengo, por um preço camarada. Passaram recentemente pela casamata rubro-negra Vanderlei Luxemburgo, Oswaldo de Oliveira, ‘Muriçoca’ Ramalho, Zé Ricardo, Reinaldo Rueda e Carpegiani, além dos interinos Deivid e Jayme Almeida. Que venha a próxima vítima!

Zé Corneta. A vida é bela: enquanto o Grêmio disputa o título do Gauchinho, o Saci colorado curte férias e TV.

Cobra cega. É incrível a excelente visão de boa parte da imprensa esportiva. Na reunião que definiu as finais do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, fez o maior auê para informar o óbvio, as datas e locais dos jogos, mas passou batida no melhor momento do encontro: a carona dada pelo corintiano Fabio Carille ao palmeirense Roger Machado na saída da FPF. O tête-à-tête foi revelado por Carille, com bom humor: “O Palmeiras está com o salário atrasado, ele teve que vender o carro e por isso dei uma carona.”

Sugismundo Freud. Não existe arco-íris sem chuva.

Chucrutes fora. O mundo aponta a Alemanha, atual campeã, como uma das grandes favoritas ao caneco na Rússia. Mas como toda unanimidade é burra, segundo o saudoso Nelson Rodrigues, o recém-aposentado Ronaldinho Gaúcho riscou o chucrute do banquete. O menu do ET da bola tem Espanha, Argentina, Portugal e Inglaterra, além da amarelinha desbotada. Que será o grande bicho-papão “se jogar o que sabe, com alegria, sem copiar outra seleção”. Dor de cotovelo por causa dos 7 a 1?

Caiu na rede. O macarrão da mamma será dos mais saborosos no próximo fim de semana.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “Já está em processo de aprovação o protótipo de pelúcia do mascote da seleção — o nome oficial dele é só Canarinho, mas, por causa da cara enfezada, acabou virando meme com apelidos como Canarinho Pistola, Canarinho Bolado… A ideia é que comece a ser vendido antes da Copa, para aproveitar a empolgação com o time de Tite. O personagem foi lançado um mês depois da estreia do técnico, em 2016. Acabou, depois do trauma do 7 x 1 e das denúncias de corrupção contra a cartolagem da CBF, aliviando a barra do escrete brasileiro nas redes — graças, justiça seja feita, ao resgate que Tite deu ao futebol.” Voa canarinho, voa!

Tititi d’Aline. O mosquito da política picou mais um personagem do esporte. O ex-jogador Pedrinho, 40 anos, que defendeu o Vasco e o Palmeiras, filiou-se ao Partido Social Liberal (PSL), comandado pelo presidenciável Jair Bolsonaro. Pedrinho pretende sair candidato a deputado.

Você sabia que… o ‘professor’ Fabio Carille perdeu 100% de aproveitamento diante do Palmeiras, acumulando agora quatro triunfos e uma coça?

Bola de ouro. Mohamed Salah. O atacante egípcio está carregando o Liverpool no bico da chuteira. A seis minutos do fim da partida, assegurou a vitória sobre o Crystal Palace por 2 a 1 fora de casa. Salah é o artilheiro da Premier League, com 29 gols. E ganhou muitos memes. Um deles: as três maravilhas do Egito são as pirâmides, a esfinge e… Salah.

Bola de latão. São Paulo. Devo não nego, pago se puder… em suaves prestações. É o soberano negociando com o ‘professor’ Dorival Júnior a multa de R$ 1,5 milhão pela demissão.

Bola de lixo. Carioquinha. Há que se aplaudir os ‘jênios’ da cartolagem brasileira. São inigualáveis. O Flamengo ganhou o primeiro turno (Taça Guanabara) e o Fluminense venceu o segundo (Taça Rio), mas o título do campeonato será decidido entre Botafogo e Vasco. Não precisa explicar, a vovó Mafalda só queria entender.

Bola sete. “Clubista não é quem torce. É quem distorce contra o clube que não torce (…) Jamais vou entender a nova categoria social: sommelier de comemoração de torcida de cabine de rádio. Paciência… É mais uma atividade para os paltrolleros: patrulheiros e palmeirenses e trollers – necessariamente nessa ordem” (de Mauro Beting, no ‘Uol’ – no alvo).

Dúvida pertinente. O Palmeiras já pode preparar a faixa de campeão?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s