Corinthians volta a decepcionar com futebol de quarta força e completa três jogos sem vencer

Timão levou gol bizarro em Campinas e só empatou com Red Bull
Juninho Capixaba e Cássio bateram cabeça e o Red Bull chegou ao empate

Os objetivos do Corinthians eram claros antes de a bola rolar em Campinas: voltar a vencer, depois de duas derrotas consecutivas, e pegar embalo para dois grandes desafios, o Palmeiras (sábado) e o Millonarios (na próxima quarta), na estreia da Libertadores.

Não conseguiu nenhum dos dois. Apenas empatou em 1 a 1 com o limitadíssimo e sem asas para imaginação Red Bull, no estádio Moisés Lucarelli (7.027 pagantes/R$ 297.219), e novamente jogou mal.

A equipe corintiana completou três jogos sem vencer. Ou seja, faturou um ponto em nove possíveis. Mesmo assim, lidera o grupo A com 13 pontos, quatro à frente do Bragantino, depois de oito rodadas do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Agora, entrará pressionado no clássico contra o Palmeiras, no Itaquerão, minha casa minha vida. O Red Bull está em terceiro na chave D, com 11 pontos.

Com Camacho e Renê Júnior (fez boa partida) no meio de campo, sob os olhares de Jadson e Gabriel no banco de reservas, e de volta ao 4-2-3-1, Corinthians deixou os torcedores animados nos primeiros minutos. Aos 2, em contra-ataque, Rodriguinho fuzilou e o goleiro Júlio César fez boa defesa.

Aos 4, Clayton foi lançado, invadiu a área e chutou forte. O ex-corintiano Júlio César apareceu novamente e evitou a abertura do placar. Daí em diante, nada mais produziu de bom. O atual campeão voltou a mostrar os mesmos erros dos últimos jogos: criatividade praticamente zero, inútil ligação direta defesa-ataque e poder de fogo sem nenhuma chama merecedora de um ‘uhhhh’ da Fiel.

O Red Bull também decepcionou. Em nenhum momento incomodou o goleiro Cássio, apesar de ter mais posse de bola (53% a 47%).

O Corinthians voltou do vestiário com Maycon no lugar de Camacho (errou a maioria dos passes). Partiu para uma blitz e deu resultado. Aos 8 minutos, Clayson fez boa jogada pela esquerda, limpou um adversário e chutou. Romero desviou, a bola bateu em Tiago Alves e entrou.

Aos 20, em cobrança de falta, Fagner obrigou Júlio César a fazer mais um bela defesa. Três minutos depois, o Red Bull achou o empate: após cruzamento na área, Juninho Capixaba e Cássio bateram cabeça, e o lateral marcou contra. Um lance bizarro! Aos 27, Juninho Capixaba, muito mal novamente, se machucou e foi substituído por Gabriel.

Na sequência, Cássio espalmou uma bomba de Thomas. Depois, Clayson saiu e entrou Emerson ‘Bitoca’. Aos 34, Rodriguinho estufou a rede, mas sua senhoria, o assoprador de apito Vinicius Furlan, anulou – apitou falta de Sheik numa dividida com a zaga.

Nos minutos finais, o Red Bull se mostrou mais consciente em campo, tocando melhor a bola. E segurou o empate sem sustos, diante de um Corinthians sem pé nem cabeça.

                                                      ############

Pitaco do Chucky. Golpe no sambódromo: vampirão da Tuiuti desfila sem a faixa presidencial na festa das campeãs. #ForaTemer

Roda da fortuna. O Palmeiras reina absoluto em faturamento como mandante neste início de temporada. Ninguém ouviu melhor o tilintar das moedas entre os clubes que participarão do Brasileirão/18. Em quatro jogos do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, os periquitos em revista arrecadaram R$ 4.877.151,20, enquanto os outros 19 times, somados, abiscoitaram R$ 2.112.639,42, de acordo com Alexandre Guariglia, do ‘Lance’. O Corinthians aparece em segundo no ranking, com R$ 1.592.404,87. Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo, somados, acumulam um cheque especial de R$ 2,4 milhões. O Urubu carrega no bico da chuteira um rombo de R$ 870.106,33. Coelho mineiro, Ceará, Bahêa e Vitória também estão pagando para jogar.

Roda da fortuna 2. O Campeonato Sergipano também é uma cachoeira de emoções. No encerramento da sexta rodada, o Boca Junior derrotou o Socorrense por 1 a 0, em Estância, sob efusivos aplausos de… seis torcedores. A renda foi de R$ 60. É o pior público do esporte bretão nacional em 2018. O Boca é um dos clubes mais prestigiados pela galera. Ano passado, encarou o Itabaiana e o Frei Paulistano com o apoio de… duas testemunhas. Os estaduais são realmente ‘crème de la crème’.

Zé Corneta. O soberano Tricolor teve mais posse de bola, mais escanteios e mais finalizações… só faltou Gabigol.

Zapping. O clássico São Paulo 0 x 1 Peixe, pela oitava rodada do Paulistinha, cravou 24,8 pontos no ibope da plim plim na grande Pauliceia vítima da bandidagem. A emissora esperava um número mais significativo. Na quarta, Corinthians 0 x 1 São Bento abocanhou 26. Cada ponto em SP significa 71,5 mil domicílios sintonizados.

Zapping 2. ‘Fox Sports’ fechou com o radialista e comediante stand up Rudy Landucci e anunciou a criação do programa ‘Jogo Sagrado’, mistura de esporte e humor. Ou seja, ‘A Praça é Nossa’ está cada vez mais ameaçada pelo jornalismo investigativo.

Sugismundo Freud. Quem pergunta não pode fugir da resposta.

Pires na mão. O Circo Brasileiro de Futebol agiu com absoluta razão ao tentar jogar o custo de R$ 20 milhões do árbitro de vídeo para os clubes, que se negaram a pagar. A ínclita casa maldita do ludopédio nacional está vivendo terrível crise financeira, com pouco mais de R$ 210 milhões no cofre.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Urgente: governo decreta intervenção militar no Ba-Vi.

Dona Fifi. O futebol brasileiro é mesmo uma caixinha de surpresas: em 270 minutos de Paulistinha, Gabriel Barbosa recuperou o prestigio perdido na Inter de Milão e no Benfica, e voltou a ser Gabigol.

Gilete press. De Mauricio Lima, em ‘Veja’: “Presidente da Federação Paulista, Reinaldo Bastos teve uma péssima surpresa ao chegar recentemente na sua sala da CBF, onde também é diretor. Os móveis e computadores do dirigente foram retirados dali. O despejo é fruto da guerra pela presidência da entidade. Bastos é candidato.” E viva o circo mambembe!

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Mestre Cuca está preocupadíssimo na fila do desemprego. Tanto que recusou um café no bule para lá de açucarado (mais de R$ 600 mil mensais) do Galo porque só voltará a trabalhar depois da Copa do Mundo. Ele, a mulher e as filhas viajarão para Moscou. Enquanto mestre Cuca acompanhará as novidades táticas, elas aproveitarão para testar a força do cartão de crédito do ‘Papai Noel’.

Você sabia que… o Flamengo ganhou R$ 1 milhão pela conquista da Taça Guanabara, primeiro turno do Carioquinha?

Bola de ouro. Tiago Splitter. Primeiro brasileiro a conquistar um título da NBA, o pivô disse adeus ao garrafão. Campeão pelo San Antonio Spurs em 2014, Splitter foi derrotado por uma cirurgia no quadril, realizada há dois anos. A dificuldade de recuperação levou o atleta à aposentadoria. Splitter começou no Ipiranga. Ganhou destaque no basquete espanhol e foi para a NBA. Além do San Antonio, defendeu Atlanta Hawks e Philadelphia 76ers. Destaque da seleção brasileira em vários torneios, Splitter disputou a Olimpíada de Londres, em 2012. Ficou fora da Rio-16 por causa da lesão.

Bola de latão. Éverton Ribeiro. Aterrissou como superstar no ninho do Urubu, mas até agora não justificou o alto investimento feito pelo Flamengo, algo em torno de 6 milhões de euros (R$ 22 milhões na época). Está jogando com o nome.

Bola de lixo. Carioquinha. O Flamengo ficou numa situação privilegiadíssima ao conquistar a Taça Guanabara pela 21ª vez: garantiu uma vaga às semifinais do mequetrefe campeonato. Os gênios conseguiram aniquilar até o charme do troféu.

Bola sete. “Futebol é alegria, diversão, entretenimento. Cada um tem uma maneira diferente de comemorar um gol. Pelo que vi o jogador do Bahia (Vinicius) sempre faz isso, é marca registrada dele. O Ronaldinho sambava. O futebol é um livre arbítrio, cada um faz o que quer. Claro, sem fazer gestos obscenos à torcida” (do santista Gabigol, sobre a pancadaria no Ba-Vi – é, pode ser).

Dúvida pertinente. O futebol está ficando chato com o politicamente correto?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Gabigol, o terror dos clássicos: 12 gols contra os principais coirmãos paulistas

Gabigol, três gols em três jogos no retorno ao Santos

Com um precioso chute de esquerda aos 8 minutos do segundo tempo, Gabigol garantiu a vitória do Peixe sobre o soberano Tricolor por 1 a 0, no Morumbi (36.118 pagantes/R$ 952.804), pela oitava rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago.

O atacante marcou o terceiro gol em três jogos neste retorno ao Santos, um a mais do que em 18 meses com a camisa da Inter de Milão e Benfica. Gabigol acumula 60 tentos desde que explodiu no Peixe. É considerado um terror nos clássicos. Correu 12 vezes para o abraço: seis contra o Palmeiras e três diante do Tricolor e Corinthians. Ou seja, assinalou 20% de seus gols contra os principais coirmãos paulistas.

A derrota abalou o ambiente no Tricolor. A torcida vaiou muito e xingou o ‘professor’ Dorival Júnior ao final da partida. O treinador deu muitas explicações para o fracasso, mas sem convencer. Levou a segunda paulada em clássicos. A primeira foi diante do Corinthians (2 a 1).

“Não merecíamos perder do Corinthians nem do Santos. Estou muito tranquilo com o desempenho da equipe. O treinador não faz gols. Tem a obrigação de tentar levar a equipe até a intermediária adversária e armar um bom esquema defensivo. As coisas estão acontecendo. Estamos muito próximos do ideal”, justificou DJ.

Apesar de ter mais posse de bola (56% a 44%), chutar mais (17 a 5) e criar mais chances de gol (6 a 1), o São Paulo se mostrou incompetente para traduzir em gols a superioridade nos números. Rigorosamente, não criou nenhuma grande chance para marcar. Nos raros momentos de eficiência, parou nas luvas de Vanderlei.

Desde o início da partida ficou claro que o Santos jogaria por uma bola, um contra-ataque mortal. Montou forte esquema defensivo e ficou à espreita de uma vacilada do Tricolor. E ela acabou acontecendo aos 8 minutos da etapa final. Daniel Guedes lançou Eduardo Sasha, que tocou para trás. Gabigol dominou e bateu rasteiro, no canto esquerdo, sem chance para Sidão.

Pouco depois, DJ trocou Marcos Guilherme por Valdivia, atendendo pedido da torcida. Não adiantou. Sacou Cueva e colocou Brenner, substituição contestada por parte da galera. Também não surtiu efeito. Finalmente, colocou Tréllez e tirou Diego Souza. Nada aconteceu.

Bem equilibrado, o Santos manteve o resultado. O ‘professor’ Jair Ventura promoveu a estreia de Guilherme Nunes, volante que foi capitão do Peixe na Copinha. Ele entrou no lugar de Copete. O treinador fez mais duas alterações no segundo tempo: Arthur Gomes e Léo Citadini entraram nos lugares de Eduardo Sasha e Renato, respectivamente.

A equipe santista segue na liderança do grupo D, com 14 pontos. O São Paulo acumula 10 na chave B. Tem um jogo atrasado da sétima jornada – será quarta-feira, contra o Ituano, em Itu.

                                                 ############

Pitaco do Chucky. André Jardine, considerado o Carille do soberano Tricolor, é o grande favorito para substituir o ‘professor’ Dorival Júnior se o time ficar pelo meio do caminho no Paulistinha. Jardine comanda há três anos o sub-20.

Ba-Vi da vergonha. Depois de seis clássicos com torcida única em 2017, o primeiro Ba-Vi desta temporada abriu as portas para galera mista no Barradão (18.336 pagantes/R$ 303.583,50). Mas dentro de campo os jogadores deram vexame. O pau quebrou feio depois de Vinicius empatar o jogo para o Bahêa, cobrando pênalti, aos 5 minutos do segundo tempo. Ele comemorou com a dancinha do ‘créu’ em frente à torcida do Vitória, os adversários não gostaram e o campo atrás do gol de Fernando Miguel virou octógono, com trocas de sopapos e chutes entre os atletas. O zagueiro Kanu acertou um direto em Vinicius. Apresentado como ‘Ba-Vi da paz’, o jogo ficou paralisado por 16 minutos. Antes de a bola rolar, Kanu, Rhayner e Denilson, do Vitória, levaram cartão vermelho. No Bahêa, foram expulsos Lucas Fonseca, Vinícius, Rodrigo Becão e Edson (os dois últimos estavam no banco de reservas).

Ba-Vi da vergonha 2. A partida foi reiniciada, mas durou pouco. Uillian Correa foi expulso ao fazer falta em Zé Rafael e, depois, o Vitória perdeu Bruno Bispo por chutar a bola para longe. Com apenas seis jogadores, o Rubro-negro não pôde continuar jogando e sua senhoria, o assoprador de latinha Jailson Macedo Freitas, encerrou o confronto. O placar final do duelo, que acabou aos 32 minutos, foi 1 a 1, mas o Bahêa será declarado vencedor, segundo o regulamento. O gol do Vitória foi assinalado por Denilson no primeiro tempo. Também houve bafafá entre torcedores. Antes da partida, 13 animais foram detidos.

Zé Corneta. Diego Souza mostrou, mais uma vez, não ter condições de comandar o ataque do soberano Tricolor. É um zero à esquerda como centroavante.

Urubu leva caneco. Com gols de Kadu (contra) e Vinicius Júnior no segundo tempo, o Flamengo derrotou o Boavista por 2 a 0, no estádio Kleber de Andrade, em Cariacica, e faturou a Taça Guanabara pela 21ª vez. Uma conquista importantíssima na história do clube: está classificado para a… semifinal do mequetrefe Carioquinha. Caso o Rubro-negro ganhe o returno, a Taça Rio, estará na decisão do campeonato – neste caso, em jogo único. O embate com o Boavista atraiu 15.587 pagantes (R$ 1.352.600).

Sugismundo Freud. Nunca se esquece de uma lição aprendida na dor.

Bico no ‘chororô’. O café no bule falou mais alto e o Botafogo enterrou a revolta pelo ‘chororô’ do garoto rubro-negro Vinicius Jr. no clássico. O clube cederá novamente o estádio Nilton Santos, o Niltão, para o Flamengo disputar dois jogos: dia 21, contra o Madureira, pela Taça Rio, e dia 28, diante do River Plate, na estreia da Libertadores. O Fla ficou sem casa após o desabamento de refletores na ilha do Urubu. O Botafogo deverá receber R$ 250 mil de aluguel – R$ 100 mil pelo jogo do Carioquinha e R$ 150 mil pelo duelo contra os argentinos, que será com portões fechados por causa da punição da Conmebol ao Flamengo pelo vandalismo da torcida na final da Sul-Americana, no ‘new Maraca’. O Botafogo ainda ficará com o dindim arrecadado nos bares e estacionamento do estádio.

Caiu na rede. Fiel dorme sonhando com Henrique Ceifador e acorda com Matheus do ABC. Vai Corinthians!

Pingo nos is. Há boas razões para a torcida do soberano São Paulo pegar no pé dos ex-jogadores e agora cartolas Raí, Ricardo Rocha e Lugano se o time patinar.. Os três consomem mensalmente R$ 310 mil. O gerentão Raí embolsa R$ 150 mil, enquanto seus irmãos de fé faturam R$ 80 mil, cada um, para a xepa. Sem contar prêmios, porque ninguém é de ferro.

Zapping. A telinha esportiva vai muito bem, obrigado. O ‘Jogo Aberto’, da Band, que o diga! A grande atração de sexta foi Denílson tirando o cavanhaque, com direito a barbeiro e aplausos dos colegas. Ridículo!

Gilete press. De Marluci Martins, no ‘Globo’: “Carina Ceroy, assessora política do presidente do Fluminense, Pedro Abad, parece gostar de fortes emoções. Ela tem no currículo o trabalho de consultora de imagem e estrategista política de… Eduardo Cunha! Pensando bem, pra quem teve um cliente desses, deve ser fichinha cuidar do Abad, mesmo defenestrado por parte considerável da torcida.” Mamão com açúcar.

Rosamundo, o pensador. Ninguém consegue construir uma casa para o verão do ano passado.

Tititi d’Aline. De milionária da bolinha a uma pobre mortal, com salário de três mil euros: a ex-número 1 Arantxa Sánchez Vicario, 46 anos, corre o risco de perder até os troféus para Josep Santacana no processo de divórcio. O ex-marido cuidava dos bens da espanhola. De acordo com o jornal ‘El Mundo’, a separação levará a tricampeã de Roland Garros (1989/94/98) à ruína, já que Santacana controlava a empresa da ex-tenista. Atualmente, Arantxa trabalha como gerente de uma instituição em Miami. O ex-marido ainda quer a guarda dos dois filhos. Na época em que jogava, Arantxa brigou com pai e o irmão. Alegou que a família havia se apropriado de uma fortuna calculada em 45 milhões de euros.

Você sabia que… o ‘professor’ Tite será garoto-propaganda do Itaú?

Bola de ouro. Roger Federer. Aos 36 anos, o suíço coroou a volta à liderança do ranking com o título do ATP de Roterdã. Federer ganhou o torneio holandês pela terceira vez ao derrotar o búlgaro Grigor Dimitrov por duplo 6 a 2, em apenas 55 minutos. Campeão do Aberto da Austrália deste ano, o rei da bolinha entrou para a história como o tenista mais velho a ocupar o primeiro lugar do ranking.

Bola de latão. Andrés Sanchez. Em três anos como deputado federal pelo PT, o novo velho presidente do Corinthians fez 34 discursos, colecionou poucas faltas e não teve nenhum projeto aprovado. O cartola prometeu pedir licença na Câmara para dedicar-se apenas ao clube. Mas até agora, nada.

Bola de lixo. Giba/Cristina Pirv. O ex-atacante da seleção brasileira de vôlei e a ex-jogadora da Romênia resolveram lavar a roupa suja pela mídia. Giba teve prisão decretada por não pagamento de pensão alimentícia, mas obteve liminar suspendendo a decisão até que nova audiência seja marcada. Garante que faz tudo pelos filhos. Pirv diz que é mentira.

Bola sete. “Uma criança não pode comprar legalmente uma cerveja num bar, mas pode comprar um (fuzil) AR-15. Isso não faz sentido. Como é possível que menores comprem armas?” (de LeBron James, astro da NBA, detonando a venda de armas nos EUA, após um jovem de 19 anos matar 17 pessoas numa escola – somente maiores de 21 anos podem comprar bebidas alcoólicas).

Dúvida pertinente. Por onde anda a Cidade Maravilhosa?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Strasbourg paga o pato: Neymar marca golaço e comanda massacre do PSG

Depois de dar um chapéu no adversário (Koné, caído), Neymar toca para o gol

Pode até ser verdade: o Campeonato Francês é uma Série B do futebol europeu com grife. Mas o importante era o Paris Saint-Germain recuperar parte do prestígio abalado com a porretada que levou do Real Madrid (3 a 1), na abertura das oitavas de final da Champions.

E a missão foi cumprida. O time goleou o Strasbourg por 5 a 2, no Parque dos Príncipes, em Paris. Neymar comandou a equipe. Marcou um golaço, com direito a chapéu no adversário na pequena área, deu uma assistência e infernizou a zaga adversária com vários dribles ao longo dos 90 minutos.

Tudo bem que o Strasbourg é um time modesto, mas o ‘mimado’ Neymar cumpriu seu papel. A prova de fogo, porém, será em 6 de março, quando o PSG receberá o Real Madrid no jogo de volta da Champions. Aí é matar ou morrer.

Antes, o PSG disputará os clássicos com o Olympique de Marselha, dias 25 e 28, pelo Campeonato Francês e pela Copa da França. Com o triunfo na 26ª rodada do campeonato, o PSG chegou a 68 pontos. Tem 12 a mais que o Monaco. A conquista do título é só uma questão de tempo.

O Strasbourg, que no primeiro turno havia vencido por 2 a 1 e encerrado a série invicta do PSG, acumula 30 pontos e caiu para a 14ª posição da tabela.

Apesar de ter começado a partida encurralando o adversário, o PSG foi surpreendido aos 6 minutos de jogo. Aholou abriu o placar em um contra-ataque após Neymar perder a bola. Aos 9, Draxler empatou. A zaga interceptou um passe de Neymar e a bola sobrou para o alemão estufar a rede.

Aos 20, a virada do PSG, com um golaço de Neymar. O brasileiro ganhou na velocidade de um zagueiro e dividiu a bola com o goleiro Oukdija. Pegou o rebote, deu um chapéu em Koné e saiu para o abraço. Na sequência, Di Maria aproveitou uma falha da zaga e assinalou o terceiro gol.

No início do segundo tempo, Neymar recebeu algumas faltas, reclamou com a arbitragem e por pouco não tomou um cartão amarelo, em mais uma prova que anda de cabeça quente.

Aos 17, Di Maria perdeu gol incrível depois de receber ótimo passe de Daniel Alves. Aos 21, Bahoken diminuiu a vantagem, em falha do goleiro Areola. Aos 27 e 33, o artilheiro uruguaio Cavani fechou o caixão do Strasbourg, aproveitando jogadas de Pastore e Neymar. Nos dois lances, encobriu Oukdija. O atacante é o artilheiro do campeonato, com 23 gols.

Além do retorno de Di Maria, o ‘professor’ Unai Emery promoveu a volta de Thiago Silva à zaga, e como capitão. Marquinhos ficou no banco de reservas. O brasileiro teve uma atuação regular.

                                          ############

Pitaco do Chucky. O Corinthians vai usar o peso do fofo Ronaldo para arrumar um carimbo master para a camisa e um patrocinador para o naming rights. Missão impossível?

Freguês tricolor. O soberano São Paulo é um ótimo prato para corintianos, palmeirenses e santistas. O aproveitamento do time nos clássicos é de 35% nos últimos sete anos. O Tricolor coleciona 19 vitórias, 34 derrotas e 22 empates desde 2011. Que venha o Peixe!

Zé Corneta. O atacante Emerson ‘Bitoca’, 39 anos, ganhou mais um apelido da Fiel e dos garotos corintianos: ‘Tio Sukita’.

Paz e amor. O volante pitbull Felipe Melo mudou radicalmente de comportamento. De vinagre a vinho do padre. Motivo: antes de a bola rolar no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, foi enquadrado pelo Palmeiras. Chamado para um tête-à-tête com o mandachuva e raios Mauricio Galiotte e o gerente Alexandre Mattos, Felipe Melo recebeu um ultimato: se aprontar como em 2017, tchau bambino!

Mais do mesmo. O Ministério Público e o Circo Brasileiro de Futebol convocaram Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo para discutir, pela enésima vez, a violência nos estádios. E velhos temas estarão em pauta, como cadastramento de todos os anjinhos organizados pelo diabo e o fim da distribuição de ingressos às hordas. O encontro está previsto para 2 de março, no Juizado Especial do Torcedor.

Caiu na rede. O árbitro de vídeo custa R$ 20 milhões no Brasil porque tem a parte do chefão, do chefinho, do amigão, do amiguinho e… do cafezinho.

Zapping. SporTV consegue um grande reforço para a Copa da Rússia: o narrador Gustavo Villani. A troca de figurinhas entre a emissora e Villani começou em dezembro. Ele estava no FOX Sports desde 2013. Antes, soltou a voz na ESPN. Já Téo José, que deixou a Band, assinou com o FOX Sports, que também contratou Vanessa Riche, ex-SporTV.

Rosamundo, o pensador. Quem fica parado é patinete de saci.

Passaporte. Irmão camarada de Galvão Bueno há muitos anos, o comentarista de videoteipe de arbitragem Arnaldo Cezar Coelho ganhou a corrida para a Copa Rússia. Leonardo Gaciba, Renato Marsiglia e Paulo César Oliveira foram engolidos ‘pelo tempo de casa’ do assoprador de latinha da final do Mundial de 1982, na Espanha. Pode isso, Arnaldo?

Gilete press. Do goleiro Júlio César, que enfrentará pela primeira vez o Corinthians depois de conquistar vários títulos pelo clube, ao ‘Globo.com’: “Estou um pouco mais ansioso do que em outros jogos [do Red Bull]. Não é apenas mais uma partida. É especial, marca muita coisa para mim. Encontrar torcedor, amigos, agora do outro lado. Gostaria de ter uma recepção carinhosa, respeitosa. Até porque eu saí do Corinthians, mas o Corinthians não sai da minha vida. Mas a gente sabe como torcedor é passional, vai querer ganhar de qualquer jeito…” Em nove anos de Corinthians, faturou nove canecos. Viveu momentos de herói é vilão (deixou o clube com a pecha de ‘braço de jacaré).

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Além das provas da Olimpíada de Inverno, os turistas estão curtindo outra atração: o ‘Penis Park’, a 60 quilômetros do Parque Olímpico de Pyeongchang, na Coreia do Sul. O espaço faz apologia ao bilau. Reúne 50 esculturas de pênis gigantes, produzidas com diversos materiais. De acordo com um guia, o parque nasceu devido a uma lenda: deixada pelo namorado numa rocha perto do mar, uma jovem morreu afogada durante uma tempestade. Com a morte dela, os peixes sumiram. A maldição foi quebrada após um casal ter relações sexuais no mar. Os peixes voltaram. Financiado pelo governo, o parque recebeu mais de 270 mil visitantes em 2017.

Você sabia que… a última janela de transferências internacionais movimentou US$ 1,28 bilhão (R$ 4,14 bilhões)?

‘Bola de ouro’. Andrés Sanchez. O eterno rei do sorriso voltou em grande estilo ao trono corintiano: recuperou o prestígio do clube, que retornou às manchetes das páginas policiais.

Bola de latão. Lucas Lima. Em poucos jogos pelo Palmeiras, fez muito mais do que nos últimos seis meses com a camisa do Peixe. Salvou até gol em cima da linha. Um excelente profissional!

Bola de lixo. Copa do Brasil. As moscas continuam imperando nas arquibancadas do torneio. Segundo levantamento do ‘sr.goool’, a média de público, após 46 partidas, é de 2.336 testemunhas – total de 102.776 torcedores. Apenas um embate atraiu mais de 10 mil pagantes: CSA 0 x 2 São Paulo, com 14.206 no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Dúvida pertinente. Por que Neymar Jr. insiste em terceirizar suas respostas?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

 

Prefeitura confia no passado do soberano São Paulo e fica com as calças na mão

Imagem relacionada

A prefeitura de Londrina apostou no passado vitorioso do hoje capenga soberano São Paulo e queimou o café ao comprar o mando de jogo. Investiu algo em torno de R$ 400 mil no embate com o Madureira, pela primeira fase da Copa do Brasil, e faturou somente R$ 142.880 nas bilheterias, produto de 4.452 testemunhas.

Cada time recebeu um cachê de R$ 120 mil, mais passagens e estadia (R$ 100 mil). De quebra, a prefeitura prometeu um reforço de R$ 60 mil ao vencedor, ou R$ 30 mil para casa um se o duelo terminasse empatado, de acordo com Cosme Rímoli, do ‘R7’.

O autor da ideia foi o vereador licenciado do PTB, Fernando Madureira. O ‘professor Pardal’ preside a Fundação de Esportes de Londrina. O preço dos ingressos variou entre R$ 35 e R$ 65.

Os gênios que levaram Boavista x Saci colorado para a praça de Cascavel também marcaram um inesquecível gol de placa… contra.

Apesar do oba-oba para promover o duelo, menos de cinco mil pagaram ingresso, mais precisamente 4.552 espectadores. A renda atingiu R$ 149.470, e as despesas, R$ 150.045. Só o cachê do Boavista chegou a R$ 250 mil. O café no bule dos gaúchos não foi revelado.

Novos micos devem pintar no Brasileirão. Isso porque o impoluto Circo Brasileiro de Futebol permitiu a oficialização da maracutaia: a venda de mando de jogos. A balança da isonomia irá para o brejo.

                                               ############

Pitaco do Chucky. Nada a temer: governo quer aposentadoria aos 65 anos, mas não arruma emprego para quem tem 50.

Apito amigo. Na marca da cal, sem lesco-lesco: Corinthians, Peixe, América/MG, Raposa, Galo, Furacão, Paraná, Vasco, Fluminense, Sport, Vitória e Ceará devem enfiar a viola no saco e reclamar com o bispo se forem prejudicados pelo assoprador de latinha no Brasileirão. Eles simplesmente expulsaram o árbitro de vídeo do campeonato. Apenas Flamengo, Botafogo, Bahia, Chapecoense, Palmeiras, Grêmio e Saci colorado poderão rodar a baiana. Queriam o tira-teima, mas foram voto vencido. Já o soberano Tricolor aplicou o golpe ‘não me comprometas’ e saiu de fininho do encontro, antes da votação – em mais um ato de omissão para o vitorioso currículo de CA de Barros e Silva.

Zé Corneta. O ‘professor’ Dorival Júnior está a caminho do bico da cegonha sem asas.

Navalha na carne. O Circo Brasileiro de Futebol corre atrás de dois patrocinadores para a amarelinha desbotada. Pretende aproveitar o ano da Copa para reforçar o caixa. Mas ninguém quer papo com a casa maldita do ludopédio nacional. Primeiro, porque o café no bule das empresas anda mais devagar que tartaruga máster; segundo, porque a cartolagem está atolada em denúncias de corrupção. Antes do Mundial de 2014, o Circo se vangloriava de ter 14 contratos de publicidade; hoje, são 11.

Sugismundo Freud. Não existe sábio de estômago vazio.

Pobre Mané. Estádio mais caro da ‘Copa das Copas’, o Mané Garrincha continua vivendo dias gloriosos. A saber: depois de nove meses com os portões fechados, recebeu Brasiliense x Real, em 21 de janeiro, e abrigou 988 testemunhas em 72 mil lugares disponíveis; os banheiros não têm lixeiras e as torneiras estão quebradas; as arquibancadas são campeãs em sujeira; faltam cadeiras na tribuna da imprensa; e a maior parte dos bares está fechada. O levantamento é do ‘Globo.com’. O estádio consumiu R$ 1,9 bilhão. Recebeu sete jogos do Mundial de 2014.

Saída à francesa. E o presidente Andrés Sanchez, hein? O eterno rei do sorriso está se especializando em sair pela porta dos fundos. No dia da eleição no Corinthians, o cartola deixou a velha Fazendinha escondido no banco traseiro de um carro. Já na última reunião de clubes no Circo Brasileiro de Futebol, o corintiano deixou a casa maldita do ludopédio pela garagem do prédio. Nada de holofotes.

Caiu na rede. Kazim está mais por baixo no Corinthians que umbigo de cobra.

Zapping. O soberano São Paulo está uma fera com o Esporte Interativo. O clube não gostou nada de a emissora ter usado a imagem de um veado nas redes sociais para informar que o Tricolor iria enfrentar o Bragantino. A galera também está na bronca. O EI já pediu desculpas.

Esquindolelê. A coluna dá uma paradinha no carnaval. Ninguém é de ferro.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “A seleção brasileira, desde a Copa de 1970, possui os melhores laterais do mundo, que se destacam mais pelo apoio ao ataque. Isso ocorreu porque, há décadas, os volantes brasileiros são muito mais marcadores, com a função de fazer a cobertura dos laterais. É também uma das razões de o Brasil não ter, há muito tempo, craques meio-campistas, que joguem de uma área à outra. Na Europa, aconteceu o contrário. Como os laterais são muito mais marcadores que apoiadores, formaram-se mais meio-campistas talentosos, que marcam e atacam.” Na mosca.

Tititi d’Aline. Suspenso por doping até maio, o atacante Paolo Guerrero pegou a namorada, Thaisa Leal, e se mandou para Buenos Aires. O jogador atendeu a um conselho do ‘professor’ Ricardo Gareca, da seleção peruana, e foi passar um tempo treinando num centro de alto rendimento da capital argentina. Por causa da punição, Guerrero está proibido pela mamãe Fifa de pisar no ninho do Urubu. O jogador decidiu se afastar do burburinho da Cidade Maravilhosa das balas uivantes. O contrato do atleta com o Flamengo se encerra em agosto. Punido, não está recebendo um tostão do salário de R$ 900 mil. Guerrero recorreu do gancho e espera ficar livre até março, quando a Corte Arbitral do Esporte (CAS), a última instância, deve se pronunciar.

Você sabia que… o Manchester City contratou 16 jogadores em 18 meses, a pedido do ‘professor’ Pep Guardiola, e gastou R$ 2 bilhões?

Bola de ouro. Vasco. Sem medalhões como Nenê, Luís Fabiano e Anderson Martins, a nau de São Januário apostou numa garotada (Paulinho, Evander, Ricardo e Henrique) e está se dando muito bem. Obteve a classificação para a segunda fase da pré-libertadores com uma chuteira nas costas.

Bola de latão. São Paulo. O soberano aumentou o preço da entrada e se deu mal: média de 10.278 pagantes no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Alega que atendeu determinação da impoluta FPF. No Brasileirão de 2017, o Tricolor cravou 35.227 espectadores por duelo, a segunda melhor média do campeonato.

Bola de lixo. Oswaldo de Oliveira. O gentleman OO perdeu a fleuma depois do empate do Galo com o Atlético/AC, pela Copa do Brasil, e tentou agredir o repórter Léo Gomide, da Rádio Inconfidência. O ‘professor’ do time mineiro, que se classificou com um sofrido empate de 1 a 1, chegou a correr atrás do profissional para colocar os pingos nos is da pior maneira possível. Lamentável.

Bola sete. “Optamos pela quantidade e vemos um campeonato tecnicamente muito pobre em tudo, com todas as equipes. Queremos proporcionar grande espetáculo, mas não dá para exigir nada com esse calendário” (desabafo do ‘professor’ Dorival Júnior, após as vaias da torcida do soberano Tricolor na partida com o Bragantino – é vero).

Dúvida pertinente. Já não passou da hora de os clubes mandarem as federações às favas?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Aos trancos e barrancos, soberano São Paulo derrota Bragantino, ganha vaias e confirma Valdivia

Diego Souza, Nenê e Militão festejam o único gol do Tricolor

Quando Nenê, aos 4 minutos de jogo, abriu o placar em cobrança de pênalti, a torcida do soberano São Paulo esfregou as mãos de felicidade e já se imaginou caindo na folia com uma goleada sobre o Bragantino.

Mas o sonho só não virou pesadelo porque o goleiro Sidão garantiu a magra vitória por 1 a 0, no Morumbi (10.278 pagantes/R$ 230.814), na abertura da sexta rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Resultado: a equipe saiu de campo homenageada com vaias. O São Paulo lidera o grupo B, com 10 pontos.

O início do Tricolor foi animador. Nenê recebeu de Diego Souza na esquerda e foi derrubado na área. Ele mesmo bateu o pênalti e mandou no canto direito de Alex Alves. Aos poucos, o Tricolor começou a mostrar velhos problemas, como falta de velocidade e criatividade, além de erros nos passes. E deixou o Bragantino equilibrar a partida ao final do primeiro tempo.

Na volta do vestiário, o São Paulo voltou a apertar o Bragantino. Que não se intimidou e também partiu para cima do adversário. Aí apareceu o goleiro Sidão com ótimas defesas. Aos 25, por exemplo, operou um milagre numa cabeça à queima-roupa Peixoto. Antes, o ‘professor’ Dorival Júnior havia substituído Cueva, cansado, por Brenner. Depois, trocou Diego Souza e Nenê por Tréllez e Hudson, que fizeram suas estreias.

Apesar das mudanças, o São Paulo continuou falhando muito e teve de aguentar a pressão do Bragantino. Sidão chegou a fazer cera para garantir a vitória por 1 a 0. Que, por ter sido aos trancos e barrancos, foi devidamente recompensada com vaias.

Antes da partida, o Tricolor confirmou a contratação do atacante Valdivia, 23 anos. O popular ‘Poko Pika’ chega cheio de moral ao soberano: em 33 partidas pelo Galo, marcou somente dois gols. Deu duas assistências. Ficou 90 minutos em campo apenas cinco vezes; em 19 jogos, foi substituído. O empréstimo do atleta ao time mineiro terminaria em maio.

O Tricolor assumiu o pagamento dos salários do jogador (R$ 300 mil), que pertence ao Saci colorado. Ao ceder Valdivia para o Galo, o clube gaúcho fixou o preço em 15 milhões de euros. E cobrou 400 mil euros pelo empréstimo. Antes de Valdivia, o São Paulo sondou Gabigol, Lucas Moura e Geuvânio, todos com café no bule dos mais salgados.

Além de Valdivia, o São Paulo contratou para esta temporada o goleiro Jean, o zagueiro Anderson Martins, o meia Nenê e os atacantes Diego Souza e Tréllez.

                                         ############

Vasco lá. A nau de São Januário poderia perder até por três gols de diferença, mas encaçapou novamente a Universidad de Concepcion, com gols de Paulinho e Pikachu, e se classificou à segunda fase da pré-Libertadores. No primeiro embate, o Vasco havia vencido por 4 a 0, no campo do inimigo. Paulinho, 17 anos, entrou para a história como o jogador mais jovem a correr para o abraço pelo Vasco no torneio continental. Publico pagante: 11.424 torcedores (R$ 647.140). No Uruguai, o Nacional despachou a Chapecoense: 1 a 0, gol de Romero. Em SC, a Chape também perdeu por 1 a 0.

Pitaco do Chucky.  As desculpas do ‘professor’ Dorival Júnior para a bolinha de gude do soberano Tricolor já estão transbordando no caldeirão do Morumbi.

Bico quadrado. Por mais que se possa ter boa vontade, é impossível rebater a melancólica realidade: o futebol na pátria das chuteiras furadas está negativado. Poucos gols, raros talentos, ‘vovôs’ como atração e muito nhenhenhém de jogadores, ‘professores’ e cartolas na tentativa de justificar o injustificável, a péssima qualidade do produto oferecido ao torcedor. Aqui na terra não estão jogando futebol. É verdade que os principais clubes do país ainda estão em fase de amadurecimento, já que as ridículas maratonas estaduais não permitiram mais que 10 dias de preparação após as férias. Começaram a toque de caixa. Que se dane o espetáculo! Nenhum time merece ‘couvert’ artístico

Zé Corneta. Tudo bem, o amor é lindo, mas já encheu a bolsa do canguru o blá-blá-blá de Suzana Werner nas redes sociais por causa da decisão do marido, Júlio César, de defender o Flamengo.

Dindim. Depois de 20 partidas, seis gols e várias lesões, chegou ao fim a temporada de Luís Fabiano na nau vascaína. Ele rescindiu o acordo e topou receber os atrasados, algo em torno de R$ 1 milhão, em 30 meses. O centroavante foi contratado em fevereiro de 2017 e havia assinado até o início de 2019. Fabigol se recupera de uma contusão e pode pendurar as chuteiras aos 37 anos.

Dindim 2. A Udinese bateu o martelo e confirmou a compra de Felipe Vizeu por R$ 20 milhões. O Urubu vai voar sobre R$ 12 milhões, já que possuía 60% dos direitos do atacante de 20 anos. Felipe Vizeu e seus agentes embolsarão R$ 8 milhões. Campeão da Copinha em 2016, Felipe Vizeu disputou 65 duelos como profissional e assinalou 17 gols. Deve apresentar-se ao time italiano depois da Copa da Rússia.

Caiu na rede. Quem planta ódio colhe Andrés Sanchez.

Baticundum. Com fôlego para encarar várias escolas na passarela do Anhembi, o folião são-paulino Tuna reconhece, em meio ao esquindolelê num ensaio com Geraldo: ‘É muito difícil enfrentar a milionária Mancha. Ninguém precisa comprar a fantasia. Ela dá tudo.’ O reino dos palmeirenses é abençoado pela ‘titia’ Leila Crefisa. Em 2017, a patrocinadora das chuteiras do Palestra contribuiu com a bagatela de R$ 1,3 milhão. Neste ano, os anjinhos organizados pelo diabo foram abençoados com R$ 2,3 milhões.

Zapping. Pela bola rolando, a plim plim será a única TV aberta brasileira a mostrar o Mundial da Rússia. A Band deve ficar apenas na torcida.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “A francesa Lagardère parece estar jogando a toalha e fechando seu escritório no Brasil. Deve passar adiante a administração da Arena Castelão (CE) e a do Independência (MG). O sonho de consumo da empresa era assumir o Maracanã e ela chegou, em abril de 2017, a fechar acordo com a Odebrecht, atual concessionária do estádio. Mas o governo estadual melou o jogo.” Não deixará saudade.

Rosamundo, o pensador. Malandra é a pulga que espera comida na cama.

Tititi d’Aline. A turma do contra pode pegar o lenço e cair no chororô: Neymar é o rei da cocada do Campeonato Francês. Lidera com sobras o ranking dos jogadores mais bem pagos do torneio, com 3,06 milhões de euros (R$ 12,3 milhões) brutos por mês. De acordo com o jornal esportivo ‘L’Equipe’, o craque brasileiro ganha praticamente o mesmo que a soma dos holerites do uruguaio Cavani e do francês Mbappé, segundo e terceiro colocados, respectivamente. O artilheiro sul-americano embolsa 1,54 milhão de euros (R$ 6,1 milhões), enquanto Mbappé belisca 1,5 milhão de euros (R$ 6 milhões) a cada 30 dias.

Você sabia que… o Flamengo lidera o ranking de seguidores nas redes sociais (Facebook, Twitter, Instagram e Youtube), com 19.858.537, 50 mil a mais que o Corinthians?

Bola de ouro. Aparecidense. A equipe de Aparecida de Goiânia está nas nuvens com a classificação à segunda fase da Copa do Brasil. O Aparecidense disputa a quarta divisão do Brasileiro. O mascote do time é o camaleão. O clube foi fundado em 1985, mas se profissionalizou apenas em 1992. Ganhou a terceira divisão goiana, em 2002, e a segunda, em 2010.

Bola de latão. Raposa. O pão de queijo foi condenado pela mamãe Fifa a pagar US$ 500 mil ao Independiente, da Argentina, pela transação envolvendo o meia Matias Pisano. Motivo: deu o cano em duas parcelas. Contratado por R$ 4 milhões (50% dos direitos) em 2016, Pisano não vingou na Toca. Foi emprestado ao Santa Cruz e, depois, vendido ao Tijuana, do México. Agora, está no Talleres, da Argentina.

Bola de lixo. Botafogo. Uma participação histórica na Copa do Brasil: perdeu do badalado Aparecidense por 2 a 1. Pela primeira vez, o time carioca caiu fora da fase inicial do torneio. Na volta ao Rio, o time foi recebido a pedradas por um bando de animais.

Bola sete. “A maioria dos clubes foi covarde ao não aprovar a implantação do árbitro de vídeo. Se a CBF é a promotora, por que não banca as despesas? Para onde vai o dinheiro que recebe dos patrocinadores?” (do senador pitbull Romário, sobre o veto à modernidade – é vero).

O povo quer saber. Quem é o rei momo do futebol brasileiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Cariocas colocam o bloco na rua: 23 mil foliões prestigiaram a última rodada dos grandes no Carioquinha

Imagem relacionada

A definição dos semifinalistas da Taça Guanabara, o primeiro turno do glamoroso Carioquinha, bombou mais que os blocos da Cidade Maravilhosa das balas voadoras.

As arquibancadas festejaram com muito confete e serpentina nada menos que um total de 22.591 torcedores nos jogos dos quatro grandes. A arrecadação atingiu estratosféricos R$ 828.350, menos do que o salário do peruano Guerrero no ninho do Urubu.

O triunfo do Fluminense sobre o Macaé por 1 a 0, em Los Larios, reuniu absurdas 526 testemunhas, que deixaram R$ 12.420 nas bilheterias.

No porto de São Januário, embalados pela ótima estreia do Vasco na pré-Libertadores (4 a 0 no Universidad Concepción, fora de casa), a galera rasgou a fantasia: 2.692 espectadores na vitória sobre o Volta Redonda por 3 a 1. Renda: R$ 52.220.

Outro baticundum para ninguém botar defeito: Botafogo e Madureira morreram abraçados no ‘oxo’ e foram recompensados com efusivas vaias no estádio Nilton Santos, o Niltão. O time botafoguense beliscou R$ 68.730.

Já o Flamengo resolveu colocar a escola na passarela do Mané Garrincha, em Brasília, e cravou 16.088 espectadores na vitória sobre o Nova Iguaçu por 1 a 0. Levantou R$ 694.980.

No túmulo do samba, a maionese desandou no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Palmeiras 2 x 1 Peixe levou somente 37.867 periquitos à mansão Allianz Parque, proporcionando a arrecadação de R$ 2.281.680. Novorizontino 0 x 1 Corinthians cravou 8.914 presentes no estádio Jorge de Biasi. Faturamento: R$ 416.680. E no Morumbi, no triunfo do soberano Tricolor diante do Botafogo por 2 a 0, 13.624 torcedores e R$ 354.101.

Passando a régua: 60.405 testemunhas nos três confrontos, ou 38 mil a mais que no Carioquinha. E renda de R$ 3.052.281, ou R$ 2,2 milhões a mais que as solertes chuteiras de Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo.

                                               ############

Pitaco do Chucky. Brasil, país tropical, abençoado por Deus: guarda-chuva do STF abriga mais de 2.200 funcionários (197 recepcionistas, 85 secretarias, 58 motoristas, 27 garçons, 25 bombeiros, 87 veículos…).

Cartão vermelho. Por 12 votos a 7, com uma abstenção, o árbitro de vídeo foi expulso do Brasileirão deste ano. Corinthians, Peixe, América-MG, Raposa, Galo, Furacão, Paraná, Vasco, Fluminense, Sport, Vitória e Ceará condenaram a ideia do Circo Brasileiro de Futebol, que pretendia passar os custos (R$ 20 milhões) aos clubes. Apoiaram: Flamengo, Botafogo, Bahia, Chapecoense, Palmeiras, Grêmio e Saci colorado. O mandachuva do soberano Tricolor, CA de Barros e Silva, foi embora antes da votação. Cada time pagaria R$ 1 milhão. A casa maldita do ludopédio prometeu bancar o árbitro de vídeo a partir das quartas de final da Copa do Brasil.

Zé Corneta. Eleições na velha Fazendinha: abutres atacam e Timão vira Timinho. Ninguém ganhou, só o Corinthians perdeu.

Cartão verde. Os clubes liberaram a ‘venda de mandos’ no Brasileirão deste ano, mas decidiram adotar algumas regras. Uma delas: a troca de local de jogo está proibida nas cinco últimas jornadas do campeonato. Outra: as equipes terão permissão para atuar fora de seu estado apenas cinco vezes, com a aprovação do adversário. No campeonato de 2017, ninguém pôde programar um duelo para fora de seu pedaço. O conselho técnico também aprovou a grama sintética nos estádios. Por enquanto, apenas o Furacão usa esse tipo de piso.

Sugismundo Freud. A falta de coragem provoca perdas importantes.

Zapping. O clássico Palmeiras 2 x 1 Peixe, pelo Paulistinha, rendeu 23,5 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia dominada pela bandidagem. Há uma semana, o embate dos periquitos em revista contra o Bragantino cravou 18. O melhor índice continua com Corinthians x Ponte, na abertura do campeonato: 26. Na Cidade Maravilhosa das balas voadoras, Nova Iguaçu 0 x 1 Flamengo, pelo Carioquinha, marcou 22 pontos, recorde de audiência do torneio. Cada ponto em SP corresponde a 71,8 mil domicílios sintonizados; no RJ, 45,2 mil.

Caiu na rede. Fiel respira aliviada: árbitro de vídeo ficou para o Brasileirão de 2019.

Bate coração. A primeira vez a gente nunca esquece: depois de uma vitória, um empate e três derrotas, Washington Coração Valente abriu mão da casamata do Vitório da Conquista, sua estreia como ‘professor’. Argumentou o ex-centroavante: “É melhor que outro venha e assuma, para o bem do Vitória. É a vida do futebol. Daqui a pouco a minha estrela começa a brilhar.” Sambarilove.

Cutucada. E o Lucas Lima, hein? Sempre que pode, o jogador dá uma estocada no Peixe, o ex-clube. A última: defender o Palmeiras, ‘um time com estrutura de europeu’, repercute muito mais.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha’: “Se o PSG for eliminado pelo Real Madrid na Liga dos Campeões, um resultado normal, o comentário inoportuno já está pronto, de que o plano de Neymar de ser o melhor do mundo fracassou. Mesmo se isso ocorrer e Neymar não for bem na Copa, ele continuará entre os grandes do futebol. Se o Real for eliminado, outros comentários prontos serão os de que Zidane não domina mais o vestiário —chavão muito usado nas derrotas e nas vitórias—, que o Real vai contratar Neymar para o lugar de Cristiano Ronaldo e que o português está decadente.” Na mosca.

Tititi d’Aline. Dona do Allianz Parque, a construtora WTorre dificilmente conseguirá ganhar alguma concorrência da prefeitura. João Doria, o Trumpinho da Pauliceia, considera a empresa muito ligada ao PT.

Você sabia que… Dudu é o principal artilheiro do atual Palmeiras em clássicos, com três gols contra o Peixe, dois diante do Corinthians e dois contra o soberano Tricolor?

Bola de ouro. Torcida da Raposa. Continua dando um show no Mineirinho. Recorde de público nesta temporada, com 50.794 torcedores na vitória sobre o Coelho por 1 a 0. A renda atingiu R$ 608.231. Nos três primeiros jogos do campeonato, a Raposa colocou 104.153 pagantes nas arquibancadas.

Bola de latão. Vândalos. Hordas de são-paulinos e palmeirenses se encontraram num vagão da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, sábado à noite, e espalharam o terror entre os passageiros, que voltavam de pré-carnaval. Quatro animais foram presos. Após o BO, deixaram a delegacia.

Bola de lixo. Larry Nassar. O ex-médico da seleção americana de ginástica foi condenado pela terceira vez. A juíza Janice Cunningham, da cidade de Charlotte, sentenciou o monstro de 40 a 125 anos de cadeia por abuso sexual contra meninas na academia Twistar. Antes, havia sido condenado de 40 a 175 anos por sete casos ocorridos também em Michigan e a mais 60 anos por pornografia infantil.

Bola sete. “Hoje o futebol está diferente. Eles dizem até que eu não jogaria. E eu digo o seguinte: não jogaria de vergonha, a minha geração não jogaria de vergonha, mas tudo bem” (de Gerson, o ‘Canhotinha de Ouro’ – fato).

Dúvida pertinente. ‘Titia’ Leila Crefisa ainda é a fada madrinha do Palmeiras após a mudança determinada pela Receita, que obriga o clube a pagar os empréstimos à patrocinadora?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Milionário Palmeiras fisga o Peixe e faz a quina no Paulistinha; Corinthians engata a quarta

O zagueiro Antonio Carlos abriu o caminho da vitória palmeirense

O Palmeiras continua imbatível no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. A equipe derrotou o Peixe por 2 a 1, na mansão Allianz Placar, diante de 37.867 convidados (R$ 2.821.680,24), e chegou a quinta vitória consecutiva. É o único time com 100% de aproveitamento no campeonato.

Lucas Lima encarou o Peixe pela primeira vez desde que deixou o aquário da Vila Belmiro. O meia teve uma atuação apenas regular. Acertou uma bola na trave, em cobrança de falta, e tomou um cartão amarelo por falta em Vecchio. Aos 40 do segundo tempo, deu o lugar para o estreante Gustavo Scarpa.

Com o resultado, os periquitos em revista atingiram 15 pontos e dispararam na liderança do grupo C. O São Bento aparece em segundo, com oito. O Santos permaneceu na ponta da chave D, com sete pontos, um à frente do Botafogo. No sábado de carnaval, o Peixe enfrenta a Ferroviária, em Araraquara, enquanto o Palmeiras pega o Mirassol, na casa do coirmão.

A equipe do Palmeiras precisou de apenas dois minutos para enlouquecer a torcida. Dudu cobrou escanteio, o santista David Braz ficou na saudade e Antonio Carlos, sozinho, cabeceou sem chances para Vanderlei: 1 a 0. Na comemoração, o zagueiro chorou.

O Palestra continuou na pressão, sem deixar o Peixe respirar, e Lucas Lima acertou a trave em cobrança de falta, aos 6. Aos poucos, o time santista saiu do sufoco e, aos 13, Arthur Gomes obrigou Jailson a fazer boa defesa.

Um minuto depois, o baixinho Sasha subiu mais que a zaga palmeirense, após escanteio cobrado por Daniel Guedes, e Jailson operou um milagre.

O jogo ficou equilibrado, já que Palmeiras diminuiu o ritmo e o Santos melhorou a marcação, principalmente pela esquerda (Caju era uma ‘avenida’), e ganhou boa movimentação no meio de campo, com Vecchio e Renato. Na equipe do Palestra, apenas Lucas Lima dava conta do recado no setor de criação, apesar de muito vigiado por Alison.

Antes de terminar o primeiro tempo, o ‘professor’ Jair Ventura teve de fazer uma modificação. Machucado, o zagueiro Luiz Felipe foi substituído por Robson Bambu. O Santos passou a contar com cinco jogadores formados na base: Daniel Guedes. Caju, Alison, Arthur Gomes e Bambu. Ao final dos 45 minutos, o equilíbrio: chances reais de gol – 2 a 2.

O Santos voltou do vestiário com Rodrigão no lugar de Sasha. E o Palmeiras com a mesma volúpia dos minutos iniciais da partida. Depois de Borja desperdiçar boa chance a um minuto e Vanderlei evitar o segundo gol numa cabeçada de Thiago Martins, caçapa. Aos 4, Willian Bigode avançou pelo meio, passou por dois e deixou a bola escapar. Borja aproveitou a sobra e fuzilou no canto esquerdo de Vanderlei.

A equipe palmeirense decidiu dar um refresco ao Santos e se deu mal. Aos 17, Renato diminuiu numa jogada que começou irregular. A bola saiu depois da cobrança de um escanteio, mas sua senhoria, o assoprador de latinha Flavio Rodrigues de Souza, mandou o jogo prosseguir (seria novo escanteio). Em novo cruzamento, Renato completou de cabeça.

O Santos esboçou uma reação, com o garoto Rodrygo no lugar de Caju e Copete recuando para a lateral esquerda, mas o Palmeiras não se abalou e manteve a vantagem, aproveitando o ótimo banco de suplentes: entraram Bruno Henrique, Keno e o estreante Gustavo Scarpa, e saíram Tchê Tchê, Dudu e Lucas Lima. Quinta vitória garantida. E a pergunta que não quer calar continua no Paulistinha: quem vai parar o Palmeiras?

Em Novo Horizonte, no estádio Jorge Ismael de Biasi (8.914 torcedores), o Corinthians obteve a quarta vitória seguida. Mesmo sem mostrar o futebol desejado pela Fiel, derrotou o Novorizontino por 1 a 0, gol de cabeça do zagueiro Pedro Henrique, aos 40 minutos do primeiro tempo, após cobrança de falta de Jadson.

Herói da conquista da Libertadores, o atacante Emerson ‘Bitoca’, 39 anos, entrou na etapa final. Substituiu Clayson, aos 21 minutos. Mostrou muita disposição, mas pouco criou. Sentiu a falta de ritmo.

O ‘professor’ Fabio Carille escalou Júnior Dutra no lugar de Kazim. O ataque melhorou, mas não o suficiente para resolver o problema provocado pela venda de Jô ao Nagoya, do Japão.

O primeiro tempo foi equilibrado, com o Novorizontino explorando bem as descidas pelo setor de Fagner. O Corinthians teve duas boas chances antes de marcar, mas não aproveitou. Na etapa final, com duas linhas de quatro, a equipe corintiana levou o jogo em banho-maria e Cássio foi um espectador privilegiado. O Corinthians também não deu trabalho ao goleiro Oliveira.

Com o triunfo, o Corinthians disparou na liderança do grupo A. Tem agora 12 pontos, cinco à frente do Bragantino. O Novorizontino continua com sete, em terceiro na chave C. Na próxima sexta, o Corinthians encara o Santo André, no ABC. O Novorizontino pega a Ponte, sábado, em Campinas.

                                       ############

Pitaco do Chucky. Não há dúvidas: o ex-delegado Romeu Tuma Júnior é o carismático Levy Fidelix das eleições corintianas. Uma eterna piada!

Tchau, Flu e Vasco! O Tricolor das Laranjeiras conseguiu a proeza de ser eliminado das semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Carioquinha. A melancólica despedida aconteceu em Los Larios. O time venceu o Macaé por 1 a 0, gol de Dudu na bacia das almas, mas perdeu a vaga para o Boavista, que bateu a Portuguesa. O duelo do Flu atraiu 526 testemunhas (R$ 12.420). A nau vascaína também naufragou, mesmo batendo o Volta Redonda por 3 a 1, no porto de São Januário (2.692 torcedores/R$ 52.220). O Vasco dançou porque o Flamengo derrotou o Nova Iguaçu (1 a 0) e o Bangu superou a Cabofriense (2 a ).

Zé Corneta. E o Nene, hein? Pediu à mídia para que o apelido fosse escrito sem acento. Já a torcida tricolor pediu para que ele jogasse mais futebol.

Bota pega Fla. No estádio Nilton Santos, o Niltão, o Botafogo ficou no ‘oxo’ com o Madureira, mas se classificou. O time vai encarar o Flamengo nas semifinais, sábado de carnaval. Apenas 3.285 torcedores (R$ 68.730) assistiram ao jogo. E vaiaram muito o espetáculo de quinta categoria. A outra semifinal será disputada entre Boavista e Bangu, quinta-feira. O Urubu terminou a primeira fase na liderança do grupo B, com 13 pontos em 15 possíveis, cinco a mais que o Bangu. O Vasco ficou em terceiro com sete. O Boavista fechou a chave C na ponta, com nove, mesmo número que o Botafogo, mas com uma vitória a mais (3 a 2). O Fluminense cravou oito.

Sugismundo Freud. Uma flor de morango não adoça pão seco.

Fe$ta de arromba. O samaritano Carlos ‘Rolando Lero’ Nuzman faturava mais de R$ 23 mil por mês, no mínimo, como rei da cocada do COB (caixinha, obrigado Brasil). O cara de pau sempre garantiu que não recebia um centavo e sobrevivia, nababescamente, somente com os ganhos como advogado. Ex-vice e atual mandachuva e raios, Paulo Wanderley Teixeira continua embolsando a mesma grana – também faturava R$ 23 mil como braço direito de Nuzman. Detalhe: o estatuto do COB veta pagamento de salário a presidente.

Fe$ta de arromba 2. De acordo com o site do COB, técnicos contratados, como Torben Grael (vela), Jesus Morlán (canoagem) e Carlos Alberto Cavalheiro (atletismo), ganham R$ 37 mil. Marcos Goto (ginástica) fatura R$ 25 mil, e Yuko Fujii (judô), R$ 14.600. Ex-atleta olímpica e atual gerente de planejamento, Adriana Behar tem que se virar nos 30 com módicos R$ 33.500.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). Na última derrota do palmeirense Jailson, o Silvio Santos ainda era camelo e a Xuxa estreava na Manchete.

Zapping. Depois do corte de uma hora no programa ‘Donos da Bola’, do ex-jogador Neto, o bochicho na Band indica que o ‘Jogo Aberto’, apresentado por Renata Fan, também pode ser vítima do facão, o mesmo acontecendo com o ‘Terceiro Tempo’, de Milton Neves. Objetivo: jogar a bola para escanteio.

Gilete press. De Ancelmo Gois, no ‘Globo’: “O desembargador Wagner Cinelli, da 17ª Câmara Cível do Rio, negou um pedido de liminar, movido por CBF e Ambev, para tirar do ar a propaganda da Proibida estrelada por… Neymar. É que Ambev (patrocinadora da seleção) e CBF acusam a outra marca de cerveja de levar o consumidor a associar o produto ao escrete canarinho. Mas, para o desembargador, as provas até agora não foram suficientes para sustentar esse argumento.” Tintim!

Rosamundo, o pensador. Quando desse mato não sai coelho, pau no macaco.

Tititi d’Aline. Nas primeiras quatro rodadas do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, a pobre FPF arrecadou mais de meio milhão de reais até agora – 5% da renda bruta dos jogos. Só perde para Palmeiras (R$ 2 milhões), Corinthians (R$ 1,3 milhão) e Botafogo (R$ 790 mil). A entidade faturou R$ 514 mil. O levantamento é de Rafael Bullara, no ‘Lance’. Uma vergonha!

Você sabia que… a TV por assinatura perdeu 938,7 mil clientes (4,99%) em 2017, fechando a temporada com 17,9 milhões de assinantes?

Bola de ouro. Palmeiras. Está sobrando no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago: 15 pontos, cinco vitórias, 10 gols a favor e três contra. ‘Professor’ Roger Machado sorri de orelha a orelha.

Bola de latão. Grêmio. Na volta dos titulares, nada mudou na rotina do time no Gauchinho: derrota para o Cruzeiro por 1 a 0, em casa, e quinto jogo sem saborear a conquista de três pontos. O campeão da Libertadores ocupa a penúltima colocação na tabela, com apenas um ponto. E pode ficar com a gloriosa lanterna no bico da chuteira se o Novo Hamburgo apenas empatar com o São Paulo no encerramento da jornada.

Bola de lixo. Corinthians. Não deu outra: a eleição para presidente virou caso de polícia. De volta ao trono, o eterno rei do sorriso, o deputado petista Andrés Sanchez, teve de sair protegido da velha Fazendinha, escondido no banco traseiro de um carro. Antes, foi obrigado a se refugiar em um banheiro feminino para escapar de meia dúzia de marginais. Jornalistas também foram vitimas dos vândalos. Lamentável.

Bola sete. “Sempre teve pressão no Corinthians. Faz parte. É ganhar jogos e administrar da melhor maneira possível. Quem ganhasse a eleição ia ter essa pressão. Isso é o Corinthians” (de Andrés Sanchez, pouco antes de ser atingido por um copo de cerveja – reinado em xeque).

Dúvida pertinente. O que se pode esperar de um presidente que é obrigado a ficar escondido num banheiro e sair de fininho do clube após ser eleito?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br