Corinthians manda invencibilidade palmeirense para o espaço e ganha moral para a Libertadores

O pênalti de Jailson em Renê Júnior no segundo tempo do Dérbi

E o raio caiu duas vezes no mesmo lugar. O Corinthians abriu as portas do Itaquerão, minha casa minha vida para a Fiel assistir ao último treino antes do Dérbi, como havia acontecido no returno do Brasileirão/17, e mais uma vez encaçapou o Palmeiras num momento decisivo.

Ano passado, ganhou por 3 a 2 e partiu para a conquista do heptacampeonato. Agora, venceu por 2 a 0, na abertura da nona rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago, e acabou com o lero-lero de que a cobra começava a fumar no clube depois de duas derrotas consecutivas e um empate.

De quebra, o Corinthians ganhou moral para encarar o Millonarios na estreia da Libertadores, na próxima quarta, e detonou o último invicto do campeonato. O Palmeiras reclamou muito do assoprador de latinha Raphael Claus, que assinalou dois pênaltis contra a equipe e expulsou Jailson.

“Passaram a mão de novo na gente”, protestou o goleiro, que ficou 29 partidas sem perder. “O choro é livre”, disse Rodriguinho, que marcou o primeiro gol numa jogada espetacular. Clayson, de pênalti, assinalou o segundo. Jadson perdeu uma cobrança. O Itaquerão recebeu 42.448 torcedores (42.178 pagantes/R$ 2.476.111,10).

O ‘professor’ Fabio Carille acumula quatro triunfos em quatro clássicos contra o coirmão. Que perdeu com quatro treinadores diferentes: Eduardo Baptista, Cuca, Alberto Valentim e agora Roger Machado.

O novo esquema de toque de bola armado por Carille, sem um centroavante e com os baixinhos Romero, Jadson, Rodriguinho e Clayson tentando confundir a zaga do Palestra com deslocamentos constantes, demorou a dar resultado.

Mais precisamente 39 minutos. Quando o Palmeiras parecia dominar o duelo, o Corinthians fez 1 a 0 em ótima jogada de Rodriguinho, que deixou dois palmeirenses na saudade (Antonio Carlos e Borja) e bateu no canto esquerdo de Jailson. Até a Fiel soltar o grito de gol, o time corintiano havia trocado nada menos que 28 passes em um minuto e 23 segundos.

Antes de Rodriguinho correr para o abraço, a melhor chance havia sido dos periquitos em revista. Aos 19, Renê Júnior vacilou no meio de campo, Willian recuperou a bola e serviu Lucas Lima. O meia deixou Borja na cara do gol, mas o colombiano chutou em cima do goleiro Cássio.

O primeiro tempo mostrou duas equipes muito aplicadas na marcação, porém com pouca criatividade e errando muitos passes. Na verdade, o confronto se arrastava até o golaço de Rodriguinho.

A equipe palmeirense voltou do vestiário com Gustavo Scarpa no lugar de Willian, caindo pela direita. E procurou pressionar o Corinthians. Criou ótima chance com Borja, após lançamento de Lucas Lima, e Cássio salvou mais uma vez.

Aos 19, o Corinthians poderia ter aumentado o placar. Após um bololô na área, Jailson dividiu a bola com Renê Júnior, atingiu o corintiano e sua senhoria, o assoprador de latinha Raphael Claus, marcou pênalti – atendeu indicação do quarto árbitro, José Claudio Rocha Filho. De quebra, expulsou o goleiro do Palmeiras. O capitão Dudu chegou a propor ao time para sair de campo.

Fernando Prass entrou no gol e saiu Lucas Lima. Encarregado de cobrar o pênalti, Jadson deu apenas dois passos para trás e chutou para fora. Na abertura do Paulistinha, na derrota para a Ponte, também desperdiçou um pênalti. Apesar do erro, o meia foi aplaudido pela torcida ao ser substituído Mateus Vidal, aos 30.

Na sequência, o ‘professor’ Roger Machado trocou Tchê Tchê por Keno. Com um a mais, o Corinthians tratou de esfriar o jogo. Sem forças para reagir, o Palmeiras acabou tomando o segundo gol, aos 39. Rodriguinho foi derrubado na área por Dudu e o juiz marcou pênalti. Clayson cobrou e conferiu. Depois, foi substituído por Junior Dutra. Romero também saiu para a entrada de Lucca.

Na base do banho-maria, o Corinthians cozinhou o Periquito nos últimos minutos. Garantiu os três pontos e ganhou moral para a estreia na Libertadores, no meio da semana, contra o Millonarios, no estádio El Campin, na Colômbia. Rodriguinho, o melhor em campo, cumprirá suspensão.

Com o triunfo, o Corinthians chegou a 16 pontos na liderança do grupo A. O Palmeiras, mesmo com a sapatada, segue folgado na liderança geral e da chave C, com 20 pontos.

A perna de Renê Júnior após a entrada de Jailson

Pela Taça Rio, segundo turno do Carioquinha, o Flamengo decidiu escalar um time reserva contra o Fluminense e quebrou a cara: apanhou de 4 a 0 na Arena Pantanal, gols de Marcos Júnior (dois), Pedro e Gilberto. Dos titulares que enfrentarão o River Plate, quarta-feira, pela estreia da Libertadores, jogou apenas o goleiro Diego Alves.

O Tricolor voltou a derrotar o Urubu depois de nove clássicos. A última vitória sobre o rival havia sido em 2016, em Natal, pelo Brasileirão, por 2 a 1. O Fla-Flu deste sábado atraiu 15.884 torcedores (R$ 918.140).

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s