Corinthians para diante do Furacão, mas continua na liderança com larga vantagem

O centroavante Jô marcou os dois gols do Corinthians no Itaquerão

O Furacão soprou legal e complicou a vida do Corinthians no Itaquerão, minha casa minha vida (41.201 pagantes/R$ 2.403.003,90), na abertura da 14ª rodada do Brasileirão. O time paranaense arrancou um empate em 2 a 2 e mostrou, mais uma vez, que é um osso duro de roer quando encara o coirmão paulista.

Na história dos confrontos, são 20 vitórias corintianas, 19 empates e 17 triunfos dos paranaenses. No Brasileirão: 15 empates, 13 vitórias do Corinthians e 12 do Furacão. A equipe corintiana jogou sem Pablo (lesionado), Guilherme Arana e Rodriguinho (suspensos).

Pela primeira vez no campeonato, o Corinthians saiu atrás do placar. Virou o jogo e cedeu a igualdade aos 38 minutos do segundo tempo. O time corintiano não sofria um gol havia sete jogos. O Corinthians segue tranquilo na liderança, com 36 pontos, 11 à frente do Grêmio. Peixe e Flamengo têm 23 pontos. E continua invicto: agora, são 28 duelos.

Os paranaenses deixaram o gramado reclamando muito de sua senhoria, o assoprador de latinha Sandro Meira Ricci, por não ter marcado um pênalti de Moisés em Jonathan, quando o embate estava 2 a 1 para o Corinthians.

O Furacão surpreendeu o Corinthians no primeiro tempo. Adotou forte marcação desde o início da partida e não deu espaços para o líder tocar a bola ou tentar as triangulações, principalmente pelo meio.

Com a bola, os paranaenses procuraram atacar em velocidade, quase sempre pela direita, a fim de aproveitar a falta de sintonia entre o lateral Moisés e o zagueiro Pedro Henrique, substitutos de Guilherme Arana (suspenso) e Pablo (lesionado), respectivamente.

Se não bastasse a falta de competência para furar o bloqueio do Furacão, o Corinthians também errou muitos passes e sentiu a ausência de Rodriguinho (suspenso) no apoio ao ataque. Jadson voltou a falhar na armação das jogadas e nos cruzamentos.

Já Romero correu muito e produziu pouco, o mesmo acontecendo com Maycon. Os melhores momentos corintianos aconteceram em chutes de fora da área de Marquinhos Gabriel e do volante Gabriel, defendidos por Weverton.

Aos 39 minutos, Jonathan driblou Moisés, Maycon e Pedro Henrique e marcou um golaço para o Furacão. Adeus invencibilidade de Cássio. Que ficou 674 minutos sem tomar gol, tornando-se o segundo goleiro corintiano com melhor marca na história do Brasileirão. Perde apenas para Jairo: 957 minutos em 1978.

O Corinthians acordou e, no embalo da Fiel, foi à frente. Encarou o duelo com mais seriedade, deixou as firulas de lado e empatou, aos 44: Moisés cruzou forte e Jô completou para a rede.

No começo do segundo tempo, mais precisamente aos 5 minutos, Jô levantou novamente a Fiel. Maycon invadiu a área e rolou para trás. O centroavante bateu firme e virou o placar. Jô agora tem nove gols e divide a artilharia do Brasileirão com Henrique Dourado, do Fluminense.

O Furacão não se entregou. Aproveitou o tico-tico sem fubá do Corinthians, que passou a tocar exageradamente a bola, sem muito objetivo e raro poder de criatividade, e cresceu em campo.

Os paranaenses criaram uma boa chance com Douglas Coutinho, que chutou para fora quase na pequena área. Na sequência, Lucho Gonzales também desperdiçou uma oportunidade. Aos 38, o Furacão achou o empate num chute despretensioso de Otávio. O meio-campista arrematou de longe, Balbuena tocou de cabeça e deixou Cássio na saudade.

O Corinthians retomou o comando da partida, na base do tudo ou nada. Na bacia das almas, Jô recebeu lançamento, ganhou na corrida da zaga e bateu para o gol. Mas Weverton fez ótima defesa e garantiu o 2 a 2 para o Furacão, que comemorou a conquista de um ponto como se fosse uma vitória. Ao Corinthians, os aplausos da Fiel.

Na próxima jornada, o Corinthians enfrentará o Avaí, quarta, em Flloripa. O Atlético/PR receberá o Botafogo, quinta, na Arena da Baixada.

A 14ª jornada terá mais nove jogos. Palmeiras, Grêmio, Bahêa e Botafogo são os maiores favoritos à vitória, de acordo com a matemática do ‘Chance de Gol’. Os prognósticos:

Palmeiras 62,2% x 15,8% Vitória
Vasco 33,1% x 39,9% Peixe
Raposa 34,7% x 36,7% Flamengo
Coxa 43,9% x 31,8% Fluminense
Grêmio 64,7% x 14% Ponte
Bahêa 64% x 8,9% Avaí
Atlético/GO 30,8% x 44,1% Galo
Chape 43% x 32,9% São Paulo
Botafogo 51,3% x 23% Sport

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s