Corrida pelo título: Corinthians goleia com 77% de chances de soltar o grito de campeão

Resultado de imagem para desenhos poderoso timão

É verdade: o ludopédio passa ao largo de ser uma ciência exata. Felizmente. Caso contrário, seria tremendamente chato. Perderia em emoção para um duelo no xadrez. Antes mesmo de a bola rolar já se conheceria o vencedor.

Mais ou menos como acontece na maioria dos jogos de basquete e vôlei. Ou seja, a zebra daria as caras apenas no zoológico. Mas, e sempre tem um mas em qualquer história que se preze, os matemáticos de plantão adoram quebrar a cabeça em cálculos que indicam, ao final do põe, tira, deixa ficar, os mais prováveis candidatos a soltar o grito de campeão.

Passadas 12 rodadas do Brasileirão (faltam somente 26, ou 78 pontos em disputa), o líder Corinthians aparece com 77% de chances de dar a volta olímpica, de acordo com o site ‘Infobola’, do professor gaúcho Tristão Garcia, muito requisitado na hora de a onça escovar os dentes, principalmente por torcedores e clubes que se veem a caminho do calabouço da segunda divisão nas ultimas jornadas do campeonato. O goleiro Cássio não toma um gol há 547 minutos.

Graças a uma excepcional campanha (32 pontos, 10 vitórias, dois empates, 21 gols a favor, cinco contra e 88,9% de aproveitamento), o time corintiano nada de braçadas sobre o segundo colocado, o Flamengo, que flutua em 10% de possibilidades de soltar o grito de campeão. O imortal Grêmio vem em terceiro, com 5%, 2% a mais que o milionário Palmeiras.

Depois, aparecem Peixe, Sport, Raposa, Fluminense e Galo, cada um com 1%. Os outros magnânimos representares da elite da pátria das chuteiras furadas estão em campo apenas como coadjuvantes, segundo a prova dos nove do ‘Infobola’.

A 13ª rodada será disputada nesta quarta e quinta. O grande duelo acontecerá na mansão Allianz Parque: Palmeiras x Corinthians. Os periquitos em revista jogam o futuro no campeonato. Precisam vencer de qualquer jeito para continuar sonhando com o bi. E, de quebra, colocar fogo no Brasileirão. Nos cálculos do ‘Chance de Gol’, o Palestra reúne 32,2% de probabilidades de vitória, contra 36,4% do Corinthians. A matemática da jornada:

Galo 47% x 27,3% Peixe

Ponte 44,1% x 27,3% Bahêa

Fluminense 41,7% x 33,6% Botafogo

Palmeiras 32,2% x 36,4% Corinthians

Furacão 30,1% x 38,3% Raposa

Vitória 52,6% x 23,2% Vasco

Flamengo 57,8% x 18,5% Grêmio

São Paulo 63,1% x 15,6% Atlético/GO

Sport 41,4% x 34,2% Chapecoense

Avaí 33,8% x 30,2% Coxa

############

Pitaco do Chucky. PF coloca ponto final em grupo de trabalho exclusivo da Lava Jato: água contaminada falou mais alto.

Alerta no Periquito. As luzes amarelas acenderam no ninho dos periquitos em revista: time já acumula 12 derrotas em 38 confrontos nesta temporada. Ano passado, em 65 jogos oficiais, o Palmeiras sofreu apenas 15 bordoadas. Mestre Cuca quebra a cabeça para acertar o rumo da equipe, mexe mais na escalação que bumbum de passista no sambódromo, mas não consegue melhorar o desempenho do time e já recebe críticas da turma do amendoim. Se o Palestra fracassar aos pés do líder Corinthians, a porca vai torcer o rabo.

Zé Corneta. Nada a temer: Brasil, um país sem passaporte, sem polícia rodoviária, sem vergonha na cara, sem rumo…

‘Educação sucateada’. Com a conduta ilibada que o acompanha ao longo de anos dedicados ao esporte bretão, o imperador ostentação Del Nero baixou resolução proibindo jogos com torcida no porto de São Januário depois da selvageria ao fim do clássico Vasco x Flamengo. De acordo com o carismático dono do Circo Brasileiro de Futebol, ‘novos desdobramentos’ poderão acontecer após decisão dos engomadinhos de colarinho branco do STJD sobre a praça de guerra. Em medida cautelar, o tribunal também determinou a interdição do estádio. Medidas absolutamente inócuas, segundo o ‘professor’ Zé Ricardo, do Flamengo: “Interditar ou não ter torcida é só mais uma ferida para o nosso futebol. A solução não é essa. Não é a causa, é o efeito. Tem que tomar decisões firmes para que isso não volte a acontecer.” Bingo!

Sugismundo Freud. Cada macaco com sua macaca.

‘Educação sucateada’ 2. O treinador Zé Ricardo lembrou que demorou mais de duas horas para deixar o alçapão vascaíno. Só foi embora quando a polícia garantiu aos rubro-negros que tudo estava sob controle. “Nossa sociedade vive uma crise de civilidade. São questões mais amplas, além de uma briga pós-jogo. Sou professor, atuei mais de 20 anos, isso é uma questão de educação, que está sendo sucateada, e a consequência é terrível, uma delas é a violência. O que aconteceu sábado tem muito a ver com a falta de investimento na educação do povo. E a impunidade corrobora para a violência.”

Caiu na rede. Soberano Tricolor no Z4: uma verdadeira zona.

‘Pojeto’ em alta. E o ‘pofexô’ Vanderlei Luxemburgo, hein? Depois de colecionar uma vitória, dois empates e três derrotas nos seis primeiros jogos à frente do Sport, o ‘mestre dos mestres’ anda todo pimpão no Recife: acumula agora meia dúzia de partidas sem derrota, com direito a cinco triunfos nos últimos cinco jogos. O Leão pulou da zona do agrião queimado para o G6 no Brasileirão. “As pessoas confundem experiência com velhice e uma série de outras coisas. Acham que você tem que sair do futebol porque já não consegue enxergar (o futebol). Eu voltei e o que estou vendo dentro campo? Absolutamente nada diferente daquilo que eu via um tempo atrás”, afirmou o humilde ‘pofexô’.

Dona Fifi. Ex-Estoril, de Portugal, Fabiano Soares, 51 anos, é o novo ‘professor’ do Furacão. Ele substitui o demitido Eduardo Baptista. Soares é brasileiro naturalizado espanhol. Tapa buraco?

Zapping. Balanço do ibope global no fim de semana na grande Pauliceia refém dos bandidos: final da Liga Mundial de vôlei, entre Brasil e França – 16 pontos; GP da Áustria de Fórmula 1 – 10 pontos; Raposa x Palmeiras – 22 pontos. Cada ponto equivale a 70,5 mil domicílios sintonizados.

Gilete press. De Igor Siqueira, no ‘Lance’: “Árbitro brasileiro na Copa-14 e primeiro da fila para participar, na Rússia, em 2018, do segundo Mundial, Sandro Meira Ricci está decidido a encerrar a carreira após a competição do ano que vem. Ricci completará 44 anos em novembro de 2018 e ainda teria idade para mais tempo na arbitragem (o limite passou para 50 anos), mas não se vê mais em ação depois do ano que vem.” Não vai fazer a mínima falta.

Tiro curto. Tem coluna do Malia, segunda e sexta, no ‘ultrajano.com.br’ 

Tititi d’Aline. Os jogadores do Fluminense têm no bico da chuteira bons motivos para brigar por vaga no G6 do Brasileirão. Um deles: o clube deve dois meses de direitos de imagem – café no bule que muitas vezes chega a 70% do salário do atleta. O Tricolor também deixou de pagar premiações por metas alcançadas. Sem um tostão no cofre, o Fluminense informou aos jogadores que não sabe quando poderá colocar a casa em ordem, ou pelo menos quitar uma parte da dívida. Isso somente será possível se o clube conseguir vender pelo menos um atleta ou arrumar um patrocínio master.

Você sabia que… 13 pênaltis foram desperdiçados em 38 cobranças no Brasileirão deste ano?

Bola de ouro. Jefferson. Depois de mais de um ano lutando contra problemas físicos, o goleiro do Botafogo voltou no empate com o Galo. E pegou muito. Defendeu até um pênalti cobrado por Rafael Moura. Jeferson levou a torcida ao delírio no estádio Nilton Santos, o Niltão, e a uma dúvida: Gatito deve continuar como titular?

Bola de latão. Grêmio. O imortal entrou em parafuso. Coleciona três derrotas consecutivas no Brasileirão, com direito a 270 minutos e alguns quebrados sem balançar a rede do inimigo. A escalada ofensiva: Corinthians (1 a 0), Palmeiras (1 a 0) e Avaí (2 a 0). Detalhe: perdeu para os reservas do Palestra e levou bucha de corintianos e catarinenses em casa.

Bola de lixo. Lucas Pratto. O hermano perdeu o caminho do gol. Há sete jogos não corre para o abraço no soberano São Paulo. Por uma daquelas coincidências que só mesmo Peter Pan poderia explicar, o Tricolor também encara um jejum de sete partidas sem vencer (dois empates e cinco derrotas). Pratto festejou o último gol aos 47 minutos do segundo tempo do triunfo sobre o Vitória, por 2 a 0, em 8 de junho, no Morumbi. Como desgraça pouca é bobagem pelos lados do Tricolor, Pratto perdeu um pênalti contra o Peixe.

Bola sete. “O Botafogo estará mais perto do poder como nunca se a Presidência da República cair nas mãos de Rodrigo Maia. São botafoguenses também o prefeito e o governador do Rio” (de Lauro Jardim, no ‘Globo’ – Fooooooogo!).

Dúvida pertinente. O Palmeiras vai salvar o Brasileirão?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s