Uma visita do Pinóquio ao mundo encantado do soberano São Paulo?

Tradicionalmente, com o recesso do bico das chuteiras, o fim de ano é recheado por notícias e histórias inacreditáveis.

Os cartolas tomam o lugar dos atletas e, apoiados pela mídia caolha, soltam os mais incríveis factoides. Vale tudo para atrair os holofotes e massagear o ego.

O lobo pode perder o pelo, mas jamais a altivez, a humilde soberba. Uma vez soberano… sempre soberano: o mandachuva e raios do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, também resolveu entrar na festa.

Sem ‘leco leco’, revelou que o Tricolor recusou 15 milhões de euros, algo em torno de R$ 65 milhões, pelo polivalente Rodrigo Caio. A proposta veio de um time inglês não revelado. ‘Nem sentamos à mesa para discutir, porque achamos que o atleta vale mais’, justificou o presidente.

Pode ser, porém é bem mais fácil acreditar em duende e/ou apostar numa visita do Pinóquio ao Morumbi.

Explica-se: o São Paulo vive um glorioso fundo do poço. Deve fechar a temporada nadando de braçadas num rombo de R$ 300 milhões.

Ou seja, não é toda hora que se ganha na Mega-Sena da Virada! E R$ 65 milhões cairiam como um memorável caviar num banquete de mortadela e tubaína.

Em um passado recente, o Tricolor topou negociar Rodrigo Caio ao Valencia pela mesma quantia. O atleta até viajou para realizar os exames médicos, mas não houve acordo na definição da xepa.

Algumas mudanças no contrato deixaram Rodrigo Caio uma fera. Ele optou por retornar ao Morumbi, porque também furou uma transferência para o Atlético de Madrid.

O São Paulo detém 90% dos direitos econômicos do jogador. Os 10% restantes pertencem ao atleta, que tem contrato até outubro de 2018.

############

Sugismundo Freud. Primeiro cave o poço e depois sinta sede.

Bem, amiguinhos. O modelo e nadador Guilherme Guido, ouro no Mundial de piscina curta, abriu o jogo à revista ‘TPM’: no fim dos grandes torneios, a paquera é forte nas festas. As americanas são as mais assanhadas: sobem na mesa para dançar, ficam sem roupa e se jogam. Guilherme hoje está mais sossegado: garante ter atenção apenas para a mulher Rafaela. Ele confessou ainda que evita transar na semana que antecede provas importantes. Guarda energia. Tchibum!

Pitaco do Chucky. Clubes brasileiros andam mais devagar em contratações que namoro de tartarugas.

Bem, diabinhos. Enquanto os patrocinadores da mamãe Fifa voltaram a colocar a rainha da bola em xeque, exigindo transparência, responsabilidade pelos direitos humanos e integridade’, por aqui apenas a Gillette se incomodou e tirou o time de campo. Os outros 12 amigos do Circo Brasileiro de Futebol continuam no vai da valsa. Nike, Itaú, Vivo, Guaraná Antarctica, Sadia, Chevrolet, Mastercard, Samsung, Gol, Englishtown, Michelin e Ultrafarma seguem alimentando a casa comandada pelo imperador ostentação Del Nero. Um cartola acima de qualquer suspeita, que só deixou de viajar ao exterior por amor ao Brasil e choque de conceitos com o FBI.

Zé Corneta. À medida que se aproxima a Rio-16, a cartolagem entra em parafuso: já não sonha mais com 27 pódios.

Vitrine. O Corinthians deve levar o atacante Pato para disputar a Florida Cup, em janeiro. Os cartolas acreditam que o torneio poderá atrair interessados no jogador. O clube está doidinho para negociar o atleta, mas até agora não apareceu nenhuma proposta para valer.

Dona Fifi. Peixe volta a falar no retorno de Robinho ao aquário da Vila Belmiro. Só precisa arrumar R$ 2 milhões por mês, livres, para bancar o atacante.

Gilete press. De Luiz Zini Pires, no ‘Zero Hora’: “Com 83 anos, Eugenio Figueredo passou o Natal preso em Montevidéu. Vivi atrás das grades desde maio, alcançado pelo Fifagate, na Suíça. Durante quase quatro décadas, ele foi um dos príncipes do futebol sul-americano. Ex-Fifa, Figueredo declarou que os 10 presidentes das federações nacionais que sustentam a Conmebol receberam dinheiro ilegal – entre eles Marco Polo Del Nero. Prometeu desenhar o mapa da corrupção no futebol na América do Sul desde 1980.” Vai faltar algema.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil’). PF faz busca na sala de troféus do Atlético/MG e Botafogo, mas não encontra nada. 

Tititi d’Aline. O campeão olímpico de vela Dorian Rijsselberghe rasgou os maiores elogios à qualidade da água da Baía de Guanabara a oito meses da Rio-16: um lixo. O holandês garantiu que, apesar das críticas, ninguém fez nada: ‘Os alarmes tocaram, mas nada mudou’.

Você sabia que… o empresário Eduardo Uram agencia nove jogadores do Palmeiras?

Bola de ouro. Anderson Daronco. O ‘fortão’ do apito foi eleito o melhor do Brasileirão/15 pelos jogadores, em pesquisa do ‘Uol’. Obteve 25,9% dos votos. Heber Roberto Lopes ficou em segundo, com 22,2%, à frente de Luiz Flavio de Oliveira (17,5%).

Bola de latão. Ricardo Marques Ribeiro. O pior assoprador de apito do Brasileirão/15, segundo os atletas ouvidos pelo ‘UOL’. Colecionou 16,6% dos votos.

Bola de lixo. Guiñazu. Aos 37 anos, deixará o Vasco após disputar 94 partidas em mais de dois anos de clube. Sairá ‘virgem’: não marcou nenhum gol. O volante deverá encerrar a carreira no Atlético Tucuman, da Argentina.

Bola sete. “O Pelé diz o que quer, eu só falo do meu trabalho” (do moleque Neymar ao ‘rei’, que apontou Vasconcelos como atacante superior a ele).

Dúvida pertinente. Por que os europeus estão deixando de apostar no mercado brasileiro?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s