Vai catar coquinho, Pep Guardiola! Viva a pátria das chuteiras furadas!

De recesso até 4 de janeiro, já que trabalhou como nunca e ninguém é de ferro, o Circo Brasileiro de Futebol apresentará grandes novidades em 2016.

Uma delas: a renovação de mentalidade. Um dos baluartes da revolucionária mudança será o jovem Antônio Carlos Nunes de Lima, o coronel Nunes, mandachuva e raios da federação paraense desde 1998.

Aos 79 anos, ele foi eleito vice-presidente e substituirá o inesquecível Zé da Medalha, atualmente carne, unha e tornozeleira eletrônica do FBI.

Primeiro da lista sucessória ao trono, caso o imperador ostentação Del Nero tenha que se retirar por motivo de força maior (incompatibilidade de ideias com a Justiça, por exemplo), o coronel Nunes garantiu que a torcida não se decepcionará.

Ele sabe cantar como poucos o glorioso hino da pátria das chuteiras furadas, ‘sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor’.

Razão pela qual descartou a Leo Burlá, do ‘Extra’, qualquer possibilidade de um ‘professor’ estrangeiro assumir o comando da amarelinha desbotada. De peito estufado, o coronel Nunes esbanjou sabedoria e patriotismo: ‘Não adianta vir um cara de fora. Somos nós que ensinamos o mundo a fazer futebol, nós é que temos de ensinar a eles. Faça uma pesquisa e veja onde estão nossos jogadores. O futebol brasileiro sempre produz talentos.’

Ou seja, vai catar coquinho, Pep Guardiola! Não vem que não tem, Carlo Ancelotti! Xô, José Mourinho! Brasil sil sil! Gol da Alemanha!
############
Pitaco do Chucky. Alô, Dunga: o importante é vencer e dar espetáculo. Que tal um estágio no Barça?

Bem, amiguinhos. Aos 32 anos, o lateral Daniel Alves igualou o recorde de Pelé ao levantar o título mundial no Japão: 30 canecos em 15 anos de carreira. Ganhou um no Bahia, cinco no Sevilla, 21 no Barcelona e três na amarelinha desbotada. Pelé faturou 26 no Peixe, um no Cosmos e três na seleção. Em terceiro no ranking dos brasileiros mais vitoriosos está o lateral Cafu, com 26 faixas: 11 pelo soberano São Paulo, uma pelo Palmeiras, uma pelo Zaragoza, duas pela Roma, seis pelo Milan e cinco pela seleção.

Zé Corneta. Barcelona, um time de ETs.

Bem, diabinhos. O novo ‘professor’ do soberano São Paulo, Edgardo Bauza, deixou o chefão Leco e o vice Ataíde Guerreiro numa saia justa: abriu as portas do Morumbi para o retorno do xerife Lugano. Os cartolas têm empurrado com a barriga a volta do zagueiro, pedida aos prantos pela torcida. Colocam em dúvida o futebol do uruguaio. Bauza também sugeriu a contratação do zagueiro Caruzzo, do lateral-direito Buffarini e do meio-campista Ortigoza. O treinador trabalhou com os três atletas no San Lorenzo, da Argentina.

Sugismundo Freud. Só a concha é que sabe o calor da panela.

Na crista da onda. Surfe, um tsunami brasileiro: não tem para ninguém. A saber: Adriano de Souza, o Mineirinho, campeão mundial; das 11 etapas do campeonato, os brasucas ganharam seis; Gabriel Medina, rei da prancha em 2014, levantou a Tríplice Coroa no Havaí; Ítalo Ferreira, o calouro do ano; Caio Ibelli, vencedor do WQS, a divisão de acesso; em 2016, 10 brasileiros lutarão na elite em 2016. Aloha!

Caiu na rede. Eduardo Cunha para presidente da Fifa, com Maluf de vice.

Gilete press. De Carlos Burle, fera do surfe em ondas grandes, ao ‘Globo.esporte’: “Eu comecei a surfar nos anos 80 e sofri bastante preconceito, com as pessoas dizendo que o surfe era um esporte de maconheiro e vagabundo. Acabou essa história. O que esses jovens [Gabriel Medina e Adriano de Souza, o Mineirinho] fizeram, conquistando títulos mundiais, acabou com essa fama. É um esporte cada vez mais profissional.” Fato.

Dona Fifi. Depois de acertar a contratação de Marlone, o Corinthians tentará Marcelo Moreno (Changchun, da China) ou Rafael Sóbis (Tigres, do México). 

Tititi d’Aline. E o ex-corintiano Mendoza, hein? O colombiano foi o destaque da vitória (3 a 2) do Chennaiyin sobre o Goa, treinador por Zico, na final da Liga indiana. Mendoza marcou o gol da vitória na bacia das almas. Fechou o torneio como artilheiro, com 13 gols.

Você sabia que… o uruguaio Luis Suárez, com cinco gols, é o jogador com mais tentos em uma só edição do Mundial da mamãe Fifa?

Bola de ouro. Barcelona. Nesta temporada, o papa-títulos ganhou apenas a Copa do Rei, o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões e o Mundial da mamãe Fifa. Passou o rodo nos coirmãos.

Bola de latão. Hinchas do River. Um grupo de vândalos cruzou com Messi no aeroporto de Tóquio e chegou a cuspir na estrela do Barcelona. O ‘professor’ Luis Enrique e alguns jogadores do Barça precisaram entrar em ação para acabar com o bafafá na fila de controle da imigração.

Bola de lixo. Joseph Blatter e Michel Platini. Pelos excepcionais serviços prestados ao ludopédio, a dupla do barulho foi suspensa de todas as atividades relacionadas ao bico da chuteira pelo comitê de ética da mamãe Fifa. Pegaram um gancho de oito anos porque o gato miou em mais de R$ 8 milhões.

Bola sete. “A torcida espera de nós, na Libertadores, o que fizemos contra o Santos. Muita garra, disposição e guerra. A festa da torcida será gigantesca, e nós estamos preparados para esse desafio” (do palmeirense Robinho – o periquito vai fumar).

Dúvida pertinente. Futebol brasileiro: feliz Natal?

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s