Trio MSN coloca River para dançar o tango e garante tri mundial ao Barça

O trio MSN fez novamente a diferença. Messi, Suárez e Neymar derrubaram o River Plate, em Yokohama (66.853 torcedores), e garantiram o tricampeonato mundial de clubes ao Barcelona.

A ‘Pulga’ argentina abriu o placar e Suárez completou a dança. O moleque brasileiro atacou de garçom e deu o passe para dois gols.

Neymar entrou para um seleto grupo de jogadores que venceu a Champions, a Libertadores e o Mundial de clubes. Antes dele, haviam conseguido o feito os brasileiros Dida e Cafu e os argentinos Tevez e Samuel.

Apesar da contundente derrota, os torcedores do River (20 mil) deram um show nas arquibancadas. Em nenhum momento pararam de incentivar o time com bandeiras, batucada e até os proibidos sinalizadores. Cantaram o tempo inteiro.

O River resolveu encarar o bicho-papão de frente no primeiro tempo e até que se saiu bem. No início, procurou marcar o Barcelona na base da pressão, a fim de evitar o excelente toque de bola dos espanhóis. Depois, montou duas linhas de quatro na defesa e tentou surpreender no contra-ataque.

Às vezes, recorreu às faltas para segurar o adversário. Também contou com um milagre do goleiro Barovero, num chutaço de Messi, para segurar o ‘oxo’ até os 36 minutos, quando a casa caiu. Daniel Alves cruzou, Neymar ajeitou de cabeça e Messi desviou para o gol. Os hermanos reclamaram, com razão, de um toque do compatriota antes de concluir a jogada.

Tecnicamente inferior, o River só incomodou o time espanhol em arremates de longa distância. O Barça teve 66% de posse de bola na etapa inicial e finalizou oito vezes (quatro no gol). O River chutou três (duas no alvo) e cometeu 17 faltas, contra seis do Barça.

No começo do segundo tempo, o River tentou sufocar o Barça. Sonhou com o empate, mas viveu um pesadelo. Aos quatro minutos, Iniesta tocou para Busquets, que lançou Luis Suárez. O ‘matador’ uruguaio ganhou na corrida de um zagueiro e chutou para as redes.

Os argentinos sentiram o golpe e, aos 23, foram a nocaute. Neymar cruzou e Luis Suárez tocou de cabeça: 3 a 0. Com o título garantido, o Barça puxou o freio de mão. Mesmo assim, comandou o espetáculo, com belas jogadas. Só não aumentou o placar porque abusou do preciosismo. Missão cumprida: tricampeão do Mundial da mamãe Fifa (2009/11/15).

O poderoso time espanhol se isolou como o maior vencedor de Mundiais da Fifa – o Corinthians tem dois, enquanto São Paulo, Saci colorado, Milan, Manchester United, Inter de Milão, Bayern de Munique e Real Madrid conquistaram um cada.

Considerando também a antiga Copa Intercontinental, o Barça fica atrás de Milan e Real Madrid (quatro títulos cada) e empata com Tricolor e Inter de Milão (três cada).

De quebra, a vitória ainda valeu a Luis Suárez a artilharia do torneio, com cinco gols. Paulinho (Guangzhou Evergrande) e Douglas (Sanfrecce Hiroshima) marcaram dois cada. Na decisão do terceiro lugar, o Sanfrecce venceu o Guangzhou do ‘sargento’ Felipão por 2 a 1.

O que você achou? jr.malia@bol.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s